Sapiens

Sapiens Yuval Noah Harari




Resenhas - SAPIENS – Uma Breve História da Humanidade


783 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Gustavo Rodrigues 04/11/2020

Por que nós?
Esse livro é espetacular! Traz, de uma forma muito clara, várias ideias e conceitos no que diz respeito à evolução humana (e ascensão do Homo Sapiens), seu desenvolvimento e suas implicações na sociedade atual. A capacidade que o autor tem de olhar para os eventos históricos com uma visão macro e indicar os reflexos de tais acontecimentos no desenvolvimento da espécie humana é absurda!

O livro parte da premissa que nós, Homo Sapiens, somos superiores. Mas por que somos superiores, já que antigamente existiam várias espécies diferentes de humanos? Por que conseguimos perpetuar nossa espécie até os dias de hoje enquanto, por vários motivos, o restante das espécies humanas foram extintas? Se todas as espécies humanas eram bípedes, peludas, com cérebros grandes, além de outras características iguais, por que o Homo Sapiens conseguiu se destacar?

A partir disso o autor vai apresentando fatos, com embasamento científico, que ajudam a responder todas essas perguntas. Porém, muitas vezes as respostas podem não agradar a todos, já que nossa espécie fez muitas coisas controvérsias ao longo da história.

Basicamente o autor divide a evolução humana em 3 revoluções que foram de suma importância: revolução cognitiva, revolução agrícola e revolução cientifica. Com isso, ele vai desenvolvendo suas teorias e mostrando como cada revolução influenciou na evolução do Homo Sapiens, como também mostra o que tais revoluções deixaram para nós nos dias de hoje.

É um livro pra quem quer entender mais sobre a evolução da nossa espécie, mas não da forma ?engessada? que é explicada nos colégios, e sim de uma forma muito mais abrangente, levando em consideração bilhões de anos, inúmeras descobertas cientificas e fatos históricos.
Isadora.Souza 08/11/2020minha estante
Eu já deixei esse livro separado pra ser minha próxima leitura!


Gustavo Rodrigues 08/11/2020minha estante
Muito bem!! Aproveita, é um livrão


Ranna Nery 11/11/2020minha estante
Ganhei esse livro de presente da minha psicóloga, e depois dessa resenha eu ja vou colocar como próxima leitura


Durval 22/01/2021minha estante
Esse livro me fez refletir muito sobre a história de nossa moral e do que consideramos de nos mesmos


Karmen 05/02/2021minha estante
Para ler os livros neste aplicativo temos q comprar?




Felipe_K 04/08/2020

Sapiens
Adorei ter lido Sapiens. Há muito tempo via ele em estantes e talvez até soubesse q fosse popular mas sempre achei q fosse aquelas historinhas pra agradar e vender do q conteúdo bom e agradável. Sempre fui fascinado em história, quase cheguei a estudar em uma federal por conta disso e a maneira leve q o autor contou e se expressou foi tão inteligente e clara como se tivesse conversando com alguém. Ele soube explorar assuntos importantes e despertar interesse o q hoje é algo difícil em meio a tanta coisa e informação acontecendo ao mesmo tempo. Adorei e recomendo muito de coração.
Jamile.Almeida 04/08/2020minha estante
Ele tem uma escrita clara e soube usar a importância da linearidade do tempo para que entendamos como chegamos até aqui.


Felipe_K 04/08/2020minha estante
Acho que apenas por ser clara faz com q seja agradável. É estressante ler algo em q vc precisa ficar pesquisando pra entender. Talvez, pela matéria de história e pela formação em Oxford, saber se expressar seja um requisito fundamental.


Jamile.Almeida 04/08/2020minha estante
Sem dúvidas! Me decepcionei um pouco com ele qnd soube q autorizou a censura na tradução russa de um dos seus livros, mas ele é fantástico, a gente acaba perdoando.


Lilly 05/08/2020minha estante
Concordo!! O livro é maravilhoso, justamente pq além de rico em informações, qualquer leigo em história pode entender, como eu. (Já não digo o mesmo da Era das Revoluções do Eric Robsbawn que estou lendo. Tenho a impressão de que precisa se um pré-requisito que não tenho. Me perco com os termos e alusões a detalhes que não estão no meu background... É uma leitura extensa da qual estou retendo pouco)


Rose.Agra 05/08/2020minha estante
Estou com ele há um tempão e sem coragem de ler. Mas sua opinião me animou.


LUISY 06/08/2020minha estante
tenho muita vontade de ler ele! preciso comprar logo.


Cristinacob 24/09/2020minha estante
Olha só! Com seu comentário será o próximo à entrar na minha lista de compras. Obrigada


Tiago.Gomes 13/10/2020minha estante
Eu fiquei passado com o tamanho da erudição deste escritor e sua critica social no te




Carlos.Vallim 06/07/2015

Um ótimo tratado antropológico.
A leitura de "Sapiens - Uma breve história da humanidade" é extremamente prazerosa para aqueles que gostam de discutir sobre o caráter "Humano", ou, o que faz de nós "Humanos" propriamente ditos. Lendo, descobri que ser "Humano" é um termo absolutamente genérico - o que nos diferencia é justamente nossa "sapiência", mas que não necessariamente se traduz em sabedoria.

O autor discorre desde a evolução biológica da espécie Sapiens (como a evolução nos levou a termos o formato do corpo que temos) e logo após, ele nos explica detalhadamente como se deu todo o processo da Revolução Cognitiva (que permitiu o Sapiens dominar e subjugar todas as outras espécies do planeta), a Revolução Agrícola (particularmente, me fez enxergar um ponto de vista sobre o assunto que eu nunca havia pensado, como uma grande faca de dois gumes; um ponto tanto quanto controverso) e as Revoluções Industriais e Científica.

É um livro sensacional para aqueles que gostam de, por exemplo, sublinhar trechos em que o leitor aprende algo novo. Resultado: meu livro está quase todo rabiscado! Rsrsrs!

Eu recomendo a leitura para os que gostam de discutir História, Antropologia, Sociologia e estudo de humanidades em geral. Fortemente carregado de bibliografia científica, é um estudo muito bem feito sobre o que te fez ser o que você é hoje.
Renata 29/10/2015minha estante
Carlos, o meu também está completamente sublinhado e com marcadores!!!


Volnei 06/10/2016minha estante
Seu comentário a respeito desta obra me fez me interessar pelo livro . Vou tentar comprar um exemplar . Eu também risco todos os meus livros e por este motivo nunca pego livro emprestado . prefiro ter os meus


Heraldo 03/02/2018minha estante
Demorei um pouco mas resolvi comprar esse livro, adentrando em uma área de conhecimento até agora desconhecida. Espero gostar.
Ah...pensei que só eu tivesse o mau hábito de sublinhar as linhas dos trechos importantes, assim como dobrar orelhas nas páginas que os contém. Esse hábito criticado, possibilita que com o passar do tempo, eu consiga mais facilmente encontrar o trecho de interesse. Segundo alguns, essa prática estraga os livros. Talvez sim, mas quando compro e leio um livro, o faço procurando absorver os aspectos importantes nele contidos e não simplesmente para colocá-lo em uma estante como uma peça decorativa.


Raquel.Rapini 09/05/2019minha estante
Realmente. Meu livro já está todo sublinhado. Parecido com o que fiz com O Mundo Assombrado pelos Demônios, de Carl Sagan. Aliás, é uma leitura fluida e gostosa (apesar de um conteúdo denso, a gente aprende com prazer), assim como Sagan fazia. Estou adorando.


ticirfc 11/06/2020minha estante
Esse livro é essencial para todo ser humano!


Agatha.AraAjo 14/07/2020minha estante
Verdade. Meu livro parece todo surrado, porque eu levava ele pra todo lugar, eu andava sempre como caneta ou marcador pra fazer anotações e marcações. Livro sensacional!!!!


Margô 03/08/2020minha estante
Este livro é revelador!




Rosangela Max 18/01/2021

Não foi amor à primeira vista.
É um intensivão sobre a história da humanidade.
No começo não estava gostando muito, mas isso foi até pegar o ritmo da leitura e se acostumar com a estrutura da escrita do autor. Depois disso, a leitura deslanchou e se tornou bastante
interessante.
A forma que o autor expõe o tema é um grande diferencial deste livro.
Débora 20/01/2021minha estante
O mesmo aconteceu comigo




Book.ster por Pedro Pacifico 01/03/2020

Sapiens: uma breve história da humanidade, Yuval Noah Harari - Nota 10/10
Não há dúvidas de que Sapiens é um dos livros mais comentados atualmente. Costumo ter certa relutância em ler esses livros, porque geralmente todo esse alvoroço tem como principal causa não a qualidade da obra em si, mas muito mais uma jogada de marketing para gerar vendas (plenamente compreensível). Mas recebi tantas mensagens de pessoas recomendando esse livro - e pessoas com um gosto literário parecido com o meu - que resolvi encarar a leitura. No final, fiquei muito satisfeito por ter tomado essa decisão, já que o livro é realmente muito bom. É sempre importante ter em mente qual a proposta do autor com determinado livro, para que você não se decepcione ou inicie a obra esperando algo totalmente diferente. Sapiens é um livro de história, que revela uma extensa pesquisa feita pelo autor e contempla bastante informação. Ou seja, nesse caso, quando falo que o livro é muito bom, não espere uma narrativa que vai te prender muito ou uma leitura tão fluida. Como disse, é um livro de história, sem qualquer traço ficcional. Mas, pela quantidade de informação, confesso que achei a leitura bem fluida. Isso se dá em grande parte pelo fato de Harari traçar um panorama mais geral da “história da humanidade”, sem entrar em muitos detalhes ou dados técnicos, e pela grande capacidade que o autor tem de trazer exemplos atuais em suas explicações. Assim, o resultado é uma escrita mais acessível e prazerosa. E quando falo que Harari conseguiu cumprir o que prometeu, é porque ele de fato apresenta ao leitor um panorama muito interessante da origem do ser humano como conhecemos hoje, abordando não apenas aspectos biológicos e evolutivos, como também a formação de uma sociedade politicamente e economicamente organizada. Ao longo da obra, Harari também traz alguns questionamentos, de forma que o livro não deixa de apresentar um forte cunho filosófico. Nesse ponto, é importante notar que o autor também coloca o seu ponto de vista - ainda que de forma camuflada - quando traz esses questionamentos. Enfim, é um livro essencial, que dá uma base de conhecimento histórica indispensável. Recomendo muito!

site: https://www.instagram.com/book.ster
comentários(0)comente



camerighi 04/07/2020

História pura
Definitivamente esse é o meu livro favorito dos últimos anos! Que cara genial! O jeito que ele explica e escreve é ótimo.
É uma aula de história inteligente e perturbadora. Ninguém pode ser igual após essa leitura.
Camila Mombelli 04/07/2020minha estante
Antropologia pura!


camerighi 04/07/2020minha estante
Eu já estou com Homo Deus para continuar!


Camila Mombelli 05/07/2020minha estante
Ainda não li! Mas está na lista!


camerighi 05/07/2020minha estante
?


David 07/07/2020minha estante
Acho estranho alguém não gostar! =)




Fabi | @peripecias__literarias 24/05/2020

Não sabia que gostava tanto de história, descobri lendo esse livro, trata-se de uma retrospectiva sobre tudo que envolve a humanidade. Se você gosta de história, esse livro não vai te decepcionar, se você gostaria de saber mais sobre a nossa história, recomendo muito também. Decidi ler esse livro após uma indicação de uma amiga, eu estava muito fechada num gênero literário e queria mudar isso, queria explorar outros tipos de leituras. Enfim, vale a leitura.
Qlucas 24/05/2020minha estante
Talvez seja uma das proximas leituras.




Polly 08/02/2020

Sapiens: uma breve história da humanidade (#095)
Acho que o título de Sapiens já é autoexplicativo, não tem muito o que dizer, bater o olho nele já é saber sobre o que o livro fala. Mas, se tem algo que ele não explica é o poder de "destruir" nossas mentes que o livro possui. Se eu pudesse resumir em uma única palavra a leitura de Sapiens, ela seria angustiante. A visão do Harari sobre a nossa espécie não é nada reconfortante ou otimista. Ela é ácida e sem poesia, nua e crua, cheia de realidade. Faz-nos enxergar a História de um jeito que provavelmente nunca enxergamos.

O autor disseca nossa história como espécie desde o princípio, levando várias e várias páginas para nos mostrar o quão nossa organização como sociedade depende das "verdades" que imaginamos, e de como nossa sobrevivência depende de que acreditemos nelas. Confesso que nunca tinha nos enxergado sob essa visão. E, apesar de ela poder, em um primeiro momento, nos deixar um pouco sem norte, já que tudo (simplesmente tudo) em que acreditamos é coisa imaginada, ela é também libertária, pois através dela podemos derrubar "verdades" que já não nos cabem mais e construir outras que sejam mais justas e inclusivas, não só com nossos semelhantes, mas também com todas as outras espécies.

Ler Sapiens é uma oportunidade de refletir sobre nossa própria existência, não só de maneira individual, mas sobretudo como espécie. Pensar a História e aprender com ela talvez seja a resposta para cessar (ou ao menos amenizar) a ruína à qual nos precipitamos (cada vez mais veloz). Precisamos de uma solução e talvez a História a tenha. Indico sem restrições a leitura de Sapiens!

site: https://madrugadaliterarialerevida.blogspot.com/2020/03/sapiens-uma-breve-historia-da-humanidade.html
Ti 08/02/2020minha estante
Excelente leitura! Estou usufruindo dessa experiência em inglês, ainda mais marcante, pois aprendi bastante e acumulei vocabulário.




Clio 13/07/2020

Sapiens se propõe a fazer uma reorganização na concepção de História para a população em geral. E faz isso muito bem nos primeiros capítulos.

Não que o livro seja especialmente inovador. Ele não é. Mas simplesmente porque ele re-explica vários conceitos que a grande maioria das pessoas não prestou atenção ou não teve a oportunidade de aprender nos tempos de escola - como a Teoria da Evolução (e o que é teoria também), os conceitos de comunidade, politeísmo, monogamia, etc.

O problema com esse livro, o que me levou a dar apenas uma nota regular, é o fato de que em alguns momentos o autor joga algumas teorias como se fossem verdade absoluta enquanto ridiculariza outras - por exemplo, ao chamar a Revolução Agrária de fraude. Isso é perturbador, quando o próprio autor gasta vários parágrafos criticando essa mesma postura em alguns historiadores.

Outra coisa que é um desserviço a qualquer leigo lendo o livro, e que também foi uma circunstância contraditória, se refere ao autor especular posições e desenvolvimento da História Presente. Essa é a primeira coisa que um historiador jamais faz... nas palavras do próprio, a História é caótica, não podemos apontar dedos e tentar determinar causas e consequências. Contudo, ele sumariamente decide que a própria crítica não é aplicável a si mesmo.

Enfim, me decepcionei com esse livro. Há várias coisas boas sobre a forma como ele derruba vícios e incongruências na concepção leiga da ciência, mas esses dois problemas me estragaram a leitura.
Manuela do Prado 13/07/2020minha estante
Poxa, minhas expectativas para essa leitura estão altas, mas, vejo, que talvez eu goste muito por ser uma leiga e me falte o senso critico para compreender tudo de uma perspectiva 'historiologica' real


Clio 13/07/2020minha estante
Guria, leia de qualquer jeito. Minhas ressalvas podem não ser necessariamente as suas.




Bruno 21/10/2020

Muito bom
É um livro muito bom e extremamente didático, eu só não gostei de quando ele trata das religiões e ideologias, as vezes me pareceu que ele tratou esses temas de maneiras bem superficiais, mas de qualquer forma é entendível o porque disso, o livro é um resumo das relações sociais dos sapiens, suas crenças e o uso da imaginação por conta da revolução cognitiva.
Mateus.Bispo 22/10/2020minha estante
Acho que se ele estivesse se aprofundado mais em religiões o livro não teria a fama que tem, esse é o barato qualquer um que ler concordará, ao menos parcialmente. Com um aprofundamento religioso maior as pessoas, não sei porque, deixam de ler. É o que eu acho.




Viviane @litenatura 20/07/2020

Leiam este livro
Fiz tantas marcações nesse livro. Aprendi e repensei em muitas coisas. É um livro pra quer saber mais sobre o passado e como o sapiens chegou onde chegou. Não sei resenhar. Mas o livro é toooop.
comentários(0)comente



Jon 28/01/2021

Profundo, diferenciado e arrebatador
Certamente foi um dos melhores livros que li em toda minha vida. Confesso que nunca refleti sobre muitas das questões apresentadas neste livro, e isso me pegou de surpresa. A minha experiência foi tão fascinante que tenho dificuldades até pra resenhar.. mas, vamo lá, vou dissertar algumas palavras. O autor ilumina grandes questões de nossa história como humanidade. Ele escreve muito bem, com clareza, elegância, tudo muito bem amarrado e coerente. As revoluções associadas a história dos Sapiens são bastante peculiares, "essa é a essência da revolução agrícola: a capacidade de manter mais pessoas vivas em condições piores".. o trecho que trata da maior fraude da história me impressionou "as plantas domesticaram o homo sapiens e não o contrário".. gostei muito destas abordagens alternativas que o autor apresentou.. A armadilha do luxo, a ordem imaginada, o credo capitalista, as engrenagens da indústria, as previsões para o fim do homo sapiens.. UAU.. SENSACIONAL.. minha mente explodiu várias vezes nesta leitura.. o autor coloca nossas concepções em cheque com maestria.. foi uma experiência singular.. obrigado mestre Harari.. leia, não perca a oportunidade de conhecer esta obra.. recomendo fortemente... 5 estrelas é pouco.
comentários(0)comente



Pati Vieira 08/09/2020

Instigante, inteligente, eloquente e totalmente necessário!
A história da humanidade contada com uma narrativa que nos envolve e nos faz refletir
sobre tantas coisas que ao mesmo tempo que ele coloca muita coisa no lugar, fazendo total sentido, também bagunça um bocado delas, nos levando a buscar novos sentidos.
comentários(0)comente



Duda 17/02/2021

Sapiens - Yuval Noah Harari
MINHA OPINIÃO | EDIÇÃO:
.
.
.
Honestamente, não achei que fosse gostar tanto dessa leitura, pois só comecei por ser o livro do primeiro bimestre para redação e argumentação, e, não vou mentir, tenho um leve preconceito com livros que a escola indica para lermos.
Normalmente, tenho que empurrar muito com a barriga para terminar, porém, por incrível que pareça, eu adorei e inclusive deixei de ler um romance da Julia Quinn (minha autora favorita) para ficar lendo Sapiens!
Além disso, ele possui uma linguagem fácil e o autor explica muito bem. Gostei bastante da edição também (Companhia Das Letras) que possui folhas amareladas e achei poucos erros de digitação.
.
.
.
.
.
.
QUOTES:
.
.
.
Os sapiens, por outro lado, mais se assemelham ao ditador de uma república de bananas. Como estivemos até recentemente entre os oprimidos nas savanas, guardamos muitos receios e ansiedades a respeito de nossa posição, o que nos faz duas vezes mais cruéis e perigosos. Muitas calamidades históricas, de guerras mortais a catástrofes climáticas, resultaram desse salto precipitado.
Página 22
.
.
.
A tolerância não é uma característica notável dos sapiens. Hoje, uma pequena diferença na cor da pele, no dialeto ou na religião é suficiente para levar um grupo de sapiens a buscar exterminar o outro. Será que os antigos sapiens teriam sido mais tolerantes em relação a uma espécie humana totalmente diferente? É bem possível que, quando os sapiens encontraram os neandertais, o resultado tenha sido a primeira e mais significativa campanha de limpeza étnica na história.
Página 28
.
.
.
[...] Eles eram muito semelhantes para serem ignorados, porém muito diferentes para serem tolerados.
Página 29
.
.
.
Entre todas as grandes criaturas do mundo, os únicos sobreviventes do dilúvio humano serão os próprios humanos e os animais domesticados que servem como escravos remando a Arca de Noé.
Página 87
.
.
.
Um raro rinoceronte selvagem à beira da extinção é provavelmente mais feliz que um bezerro condenado a passar sua curta vida aprisionado num cubículo, engordando para produzir bifes suculentos. O sucesso numérico da espécie do bezerro não serve de consolo para o sofrimento a que o indivíduo está submetido.
Página 110
.
.
.
Tal como a elite do Egito antigo, a maioria das pessoas em quase todas as culturas dedica a vida a construir pirâmides. O que muda de uma cultura para a outra é só o nome, o formato e o tamanho dessas pirâmides. Por exemplo, elas podem tomar a forma de uma casa com condomínio de luxo com piscina e um belo gramado, ou de uma linda cobertura com uma vista deslumbrante. Poucos questionam os mitos que, para começo de conversa, nos fazem desejar a pirâmide.
Página 131
.
.
.
Não há como escapar à ordem imaginada. Quando derrubamos os muros da prisão e corremos para a liberdade, estamos na verdade correndo para o pátio amplo de um presídio maior.
Página 133
.
.
.
Sem dúvida, a diferença entre as capacidades naturais desempenha um papel na formação das distinções sociais. Mas tais diversidades de aptidão e temperamento são em geral condicionadas pelas hierarquias imaginadas. Isso acontece de duas maneiras importantes. Primeiro, e em especial, a maior parte das capacidades precisa ser cultivada e desenvolvida. Mesmo se alguém nasce com determinado talento, esse dom geralmente permanecerá em estado latente caso não seja reforçado, aprimorado e exercitado. Nem todos têm a mesma chance de desenvolver e refinar suas capacidades. Ter ou não essa oportunidade depende em geral do lugar que o indivíduo ocupa na hierarquia imaginada de sua sociedade. Harry Potter é um bom exemplo. Retirado de sua distinta família bruxa e criado por uma família ignorante de trouxas, chega a Hogwarts sem nenhuma experiência com magia. Só depois de sete livros conseguiu adquirir o controle de seus poderes e algum conhecimento de suas habilidades únicas.
Página 152
.
.
.
Com o tempo, o racismo se espalhou para cada vez mais campos culturais. A cultura estética norte-americana foi construída em torno dos padrões de beleza brancos. Os atributos físicos da raça branca - por exemplo, a pele clara, os cabelos louros e lisos, o nariz pequeno e arrebitado - passaram a ser identificados como bonitos. Características típicas dos negros - a pele escura, os cabelos pretos e crespos, o nariz achatado - eram consideradas feias. Esses preconceitos impregnaram a hierarquia imaginada num nível ainda mais profundo da consciência humana.
Página 159
.
.
.
Estuprar uma mulher que não pertencia a homem nenhum não era considerado crime, assim como apanhar no chão uma moeda perdida numa rua movimentada não é considerado roubo. E se o marido violentasse a própria esposa, ele não teria cometido nenhum crime. Na verdade, a ideia de que um marido pudesse violentar a esposa constituía um oximoro. Ser marido significava ter controle absoluto sobre a sexualidade da esposa. Dizer que um marido violentou a esposa era tão ilógico quando dizer que um homem roubou sua própria carteira.
Página 160
.
.
.
Algumas das disparidades culturais, jurídicas e políticas entre homens e mulheres refletem as óbvias diferenças biológicas entre os sexos. A gravidez foi sempre uma função das mulheres porque os homens não possuem útero. No entanto, em torno desse núcleo duro universal, todas as sociedades acumularam camadas e mais camadas de ideias e normas culturais que pouco têm a ver com a biologia. As sociedades associam à masculinidade e à feminilidade uma série de atributos que, em sua maioria, carecem de base biológica.
Página 161
.
.
.
O útero não as impede de fazer nenhuma dessas coisas tão bem quanto os homens.
Página 161
.
.
.
Na verdade, a Mãe Natureza não se importa se os homens se sentem sexualmente atraídos por outros homens. Apenas as mães humanas, imersas em determinadas culturas, fazem uma cena se o filho delas tiver um caso com o rapaz da casa ao lado.
Página 162
.
.
.
A cultura tende a argumentar que só proíbe o que é antinatural. Contudo, de uma perspectiva biológica, não há nada que seja antinatural. O que quer que seja possível é, por definição, também natural. Um comportamento que seja de fato antinatural, que vá de encontro às leis da natureza, simplesmente não pode existir e, portanto, não precisaria ser proibido. Nenhuma cultura jamais se deu ao trabalho de impedir os homens de fazerem fotossíntese, as mulheres de correrem mais rápido que a velocidade da luz, ou os elétrons de carga negativa de se atraírem mutuamente.
Página 162
.
.
.
O gênero é uma corrida em que alguns competidores só podem ganhar a medalha de bronze.
Página 166
.
.
.
Há dois problemas com essa ênfase no poder muscular. Primeiro, a afirmação de que os homens são mais fortes que as mulheres só é verdadeira na média, e apenas em relação a certos tipos de força. As mulheres são em geral mais resistentes que os homens à fome, às doenças e à fadiga. Há também muitas mulheres que podem correr mais rápido e levantar mais peso que muitos homens. Além disso, e mais problemático para essa teoria, as mulheres, ao longo da história, têm sido excluídas sobretudo de ocupações que exigem pouco esforço físico (tais como o sacerdócio, o direito e a política), enquanto executam trabalhos braçais pesados nos campos, no artesanato e dentro de casa. Se o poder social fosse divido em proporção direta à força física e à resistência, as mulheres deveriam ter uma parcela muito maior.
Página 170
.
.
.
Na verdade, a história humana mostra que em geral há uma relação inversa entre a capacidade física e o poder social. Na maior parte das sociedades, cabe às classes inferiores o trabalho braçal. Isso pode refletir a posição do Homo sapiens na cadeia alimentar. Se contassem apenas com a capacidade física, os sapiens se veriam na metade da escada. Mas suas habilidades mentais e sociais os puseram no topo. Por isso, é natural que a cadeia de poder dentro da espécie também seja determinada mais por habilidades mentais e sociais que pela força bruta. Em consequência, parece improvável que a hierarquia social mais influente e estável da história se baseie na capacidade dos homens de coagir fisicamente as mulheres.
Página 171
.
.
.
Estudos recentes dos sistemas hormonais e cognitivos masculinos e femininos fortalecem a premissa de que os homens efetivamente possuem tendências mais agressivas e violentas, sendo por isso, em média, mais aptos a servir como soldados. Entretanto, mesmo considerando que todos os soldados rasos são homens, é possível concluir que quem conduz a guerra e dela se beneficia também deve ser homem? Isso não faz sentido. É como assumir que, se todos os escravos que cultivavam algodão são negros, os donos das plantations também deviam ser negros. Se uma força de trabalho composta apenas de negros pode ser controlada exclusivamente por brancos, por que um exército masculino não poderia ser controlado por um governo composto total ou ao menos parcialmente de mulheres?
Página 171
.
.
.
As mulheres costumam ser estereotipadas como melhores manipuladoras e apaziguadoras que os homens, famosas por sua capacidade superior de ver as coisas a partir da perspectiva dos outros. Se existe alguma verdade nesses estereótipos, então as mulheres seriam excelentes políticas e construtoras de impérios, deixando o trabalho sujo nos campos de batalha para machos transbordando testosterona e ideias simplistas. Apesar dos mitos populares, isso raramente aconteceu no mundo real.
Página 173
.
.
.
Mas o momento mais notável e definidor dos últimos quinhentos anos ocorreu às 5h29min45 de 16 de julho de 1945. Naquele exato segundo, cientistas norte-americanos detonaram a primeira bomba atômica em Alamogordo, no estado do Novo México, nos Estados Unidos. Desde então, a humanidade passou a ter a capacidade não apenas de modificar o curso da história, mas também de lhe dar um fim.
Página 267
.
.
.
À medida que o mundo ia sendo moldado para servir às necessidades do Homo sapiens, hábitats foram destruídos e espécies, extintas. Nosso planeta, outrora verde e azul, está se transformando num shopping center de plástico e concreto.
Página 370
.
.
.
Mais dinheiro ainda é transferido para as contas bancárias de estilistas, gerentes de academias, especialistas em dietas, esteticistas e cirurgiões plásticos, que nos auxiliam a chegar aos bares com uma aparência tão próxima do ideal de beleza do mercado quanto é possível.
Página 381
comentários(0)comente



Gilberto Alves 06/07/2020

Esse livro é FODA!!!!!
Porra, que livrão da porra!!
Esse Harari tem um dom de por a história nas páginas, de um jeito que fascina. História em geral me atrai, mas a forma que é apresentado, geralmente é cansativo, ou então é aquela: ou é muito raso e sai generalizando tudo, ou é tão profundo que vc dorme lendo.
Mas aí, veio esse doido aí e escreveu essa obra-prima.
Achei simplesmente incrível, e quero muito reler-lo no futuro.
LadyLuuh 06/07/2020minha estante
Bom?, me fez querer lê-lo.


Gilberto Alves 07/07/2020minha estante
=D




783 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |