Magia

Magia Jéssica Macedo




Resenhas - Magia


19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Anita.Hux 09/09/2020

O livro é realmente cativante, basta entrar no universo da Anabelle, personagem principal, que você se apaixona por esse novo mundo. Li esse livro em 2017 e posso considerar-lo um dos meus favoritos. Meu problema com esse livro é que a Anabelle é uma personagem muito típica e chata, além de não ter muitos motivos para ela sofrer a exclusão que sofreu. Claro que ela possuía olhos lilases mas olha essa menina na capa, você realmente consegue imaginar ela sendo excluída? Apesar de ser uma adolescente, a personagem é rabugenta, revoltada e reclama de tudo. Além de ser bem clichê a garota excluída apaixonada pelo melhor amigo popular. Outro problema é a falta de representatividade, os personagens o principais são embranquecidos e sem sexualidades diferentes, ou seja, todos héteros, brancos e cis. Poderia ter utilizado o mundo mágico para botar mais diversidade do que apenas a cor do olho. No geral é um bom livro, fácil de ler e um ótimo caminho de entrada para novos leitores.
comentários(0)comente



Nanda Bastos 10/01/2018

Magia
É com grande prazer que trago hoje a resenha desse livro que realmente prendeu minha atenção. Ele conta a historia de Anabelle, adolescente considerada uma aberração pelos seus colegas de escola e que tem apenas um amigo, Richard. E que amigo! É daqueles que defendem a amiga em qualquer circunstância, além de ser um perfeito cavalheiro. Quando ela pensa que tudo está piorando em sua vida, eis que seu pai dá uma notícia que deixa tudo de cabeça para baixo. E o pior: confirma que de fato ela é diferente de todos ao seu redor.
.
Sabe aquele livro que você não consegue parar de ler? Foi o que aconteceu comigo nesse primeiro livro da trilogia mística. Para quem gosta de fantasia, YA, essa é uma ótima indicação. Apesar de ter como tema central a ?magia?, outros assuntos são abordados, como namoro, bullying e problemas familiares. É o tipo de livro que você consegue terminar de ler super rápido, por ser uma leitura jovem e fácil, com algumas pitadas de humor. Além disso, a autora consegue descrever de forma detalhada os lugares mágicos e os personagens, fazendo com que você se encante ainda mais com o livro. Em cada detalhe é possível observar que a autora de fato estudou bastante sobre esse mundo místico, fazendo com que o leitor mergulhe na história rapidamente.
Isso só deixou a leitura mais fantástica.
.
?Dane-se se era pura loucura acreditar naquela história toda. Pelo menos agora eu era uma aberracao5com um nome, uma raça e uma dimensão mágica só para mim.?
.
?Desistir? Alguém já ouviu falar dessa palavra? No meu dicionário, não havia um significado para ela?.
.
Se você ainda não conhece a autora ou o livro, lhe convido a ler esse romance que me cativou! Depois venham me dizer o que acharam!
comentários(0)comente



Aline 25/04/2017

Anabelle tem dezesseis anos e é vista na escola como uma aberração por conta de seus olhos lilases, herdados de seu pai. Seu melhor e único amigo é Richard, que ela conhece desde a infância e por quem nutre uma paixão secreta. Ir para a escola todos os dias é uma tortura sem fim, pois ela desanima só em pensar em enfrentar os comentários maldosos dos colegas.
Um belo dia, seu pai, que está sempre fora viajando à trabalho, volta de viagem e pede para conversar com ela. Então, ele faz uma revelação que irá mudar totalmente sua vida e explicar o porquê de seus olhos lilases. Diante de todas as revelações, um novo mundo se abre para Anabelle. Como será que ela vai lidar com tudo?

"(...) Fora Richard, não tinha amigos; ninguém que se preocupasse comigo. Era estranha demais para eles se darem ao trabalho de me dirigir a palavra, a não ser para me perguntar de qual circo eu tinha fugido ou qual tipo de pessoa-aberração tinha olhos lilases." (p. 13)

"- O diferente nem sempre é aceito, Anabelle. Mas isso não quer dizer que ele seja feio." (p. 16)

Anabelle é uma típica adolescente, com todas as dúvidas e anseios comuns à idade. Por conta de como é tratada na escola, ela é um tanto reclusa e sem amigos, podendo contar apenas com Richard, que sempre esteve ao seu lado. Apaixonada, teimosa e um tantinho ingênua, ela precisa aprender a lidar com novas situações que marcarão para sempre sua vida. A questão do bullying foi bem explorada na trama. A autora soube dosar as situações sem deixar a leitura pesada e sem perder o foco da história. E o modo como Anabelle lida com essas situações me surpreendeu, não que as coisas não a machucassem, mas por se manter firme, apesar de tudo.

Os demais personagens foram muito bem caracterizados, com personalidades únicas. Destaque para Richard, que é um amor, super fofo; e Liza, a mentora de Anabelle, amiga e verdadeira. Confesso que ainda não tenho uma opinião formada sobre August, pai de Anabelle. Em alguns momentos senti algo não muito bom vindo dele, mas pode ser impressão minha, terei que descobrir nos próximos livros da trilogia.

"(...) Desculpe-me, esqueci que você tem esse temperamento de limão azedo todos os dias." (p. 109)

Narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista da protagonista, Magia é uma leitura que flui rapidamente e apresenta uma linguagem que condiz com o público-alvo da história. Com uma escrita simples e clara, Jéssica Macedo construiu uma história mágica sem deixar as questões adolescentes de lado. Além de inserir elementos que deixaram a história ainda mais interessante e agradável de se ler.

(+) Leia a resenha completa no blog.

site: http://literalizandosonhos.blogspot.com.br/2017/04/resenha-magia-jessica-macedo.html
comentários(0)comente



Dai 04/02/2017

Aos dezesseis anos, Anabelle é o motivo de piada em sua escola, todos a tratam como uma aberração, nunca perdem uma chance de humilhá-la o de fazer brincadeiras de mau gosto. Tudo isso se deve ao fato de seus olhos terem uma coloração incomum, eles são lilases, e, além disso, ela é um imã para desastres, sempre que está por perto alguma coisa fora do comum acontece. Seu único – e melhor – amigo é Richard, por quem nutre um intenso amor platônico. Eles se conhecem desde a infância, e a partir daí, se tornaram amigos inseparáveis. Mesmo possuindo muitas coisas em comum, ele e Belle também são bem diferentes. Enquanto ela é a excluída, ele é o popular, o que arranca suspiro das meninas e a inveja dos meninos, e para completar, é loucamente apaixonado por sua namora, Linda, a queridinha da escola, para o total desespero de Anabelle.

Anabelle vive com sua mãe, um mulher doce e que tenta sempre levantar o ânimo da filha. Em contrapartida, seu pai, de quem herdou a cor dos olhos que tanto odeia e não tem um bom relacionamento, passa mais tempo “trabalhando” do que com a família. Mas uma revelação inesperada chega para mudar completamente a vida da jovem. Seu pai lhe revela que, assim como ele, ela é uma bruxa, descendente de uma linhagem poderosa e muito antiga. Como está na idade em que seus poderes se manifestam, Belle precisará passar por um treinamento para aprender tudo sobre a magia que possui, e para isso, lhe é designada uma mentora, a pequenina, porém sábia, Liza. Deste momento em diante, a rotina da jovem muda totalmente, muitas coisas das quais não entendia, começam a fazer sentido. Um mundo de aventura, magia e mistérios a espera, basta saber se Anabelle está preparada para enfrentá-lo; ela precisará de muita força para encarar sua nova condição, além de ainda ter que conciliar sua nova realidade com sua vida humana.

MAGIA é o primeiro livro da Trilogia Mística, e nele, a autora nos apresenta uma trama jovial, regada de muita fantasia, com um romance de plano de fundo, além de abordar com muita sutileza assuntos importantes, como o bullying e dramas familiares. A autora tem uma escrita leve, de fácil entendimento e bem fluida, o que possibilita o leitor ler a obra rapidamente e sem desgaste, como foi no meu caso, que li em apenas algumas horas. Com uma narrativa em primeira pessoa, Anabelle nos mostra seu ponto de vista sobre os fatos e acontecimentos a sua volta. Uma das coisas que mais me encantou na trama criada por Jéssica Macedo, foi o mundo mágico criado por ela. Os cenários, os feitiços, a mitologia, as poções, foram de fato o que mais me agradou no decorrer da história, e foi justamente por esses elementos que fiquei atraída pela leitura; fantasia é um dos meus gêneros favoritos. No entanto, confesso que alguns pontos da história me desagradaram bastante, mais precisamente, dois aspectos: o romance (por incrível que pareça, logo eu que adoro um romance) e a Anabelle.

Para mim, Anabelle é uma personagem um tanto chata. Entendo que ela é uma adolescente, mas age como uma “aborrescente” rabugenta, imatura, “reclamona” e de mal com o mundo. Sem contar que ela é bem grosseira com as pessoas, como se tivesse descontando nelas suas frustrações. Não posso dizer que odiei a personagem, pois quando se mostrava forte e determinada, ou quando parava de ser ranzinza, ela ganhava a minha simpatia. Agora o outro ponto, o romance entre ela e Richard, que, sinceramente, não me despertou empatia nenhuma. Anabelle é apaixonada por ele desde sempre, e vive sofrendo pelo sentimento não correspondido; mas eu não consegui sentir tanta emoção nesse quesito, estava mais para uma fixação do que amor de verdade. O que dá a entender pela visão de Belle, é que Richard ama muito sua namorada, Linda, e mesmo sendo previsíveis algumas situações no andamento desse relacionamento, parece que ficou meio vago, talvez as coisas tivessem sido diferente, se houvesse também o ponto de vista dele na narrativa. Por isso, achei o desfecho de Richard e Anabelle nesse primeiro livro nada convincente, foi apressado demais, e inesperadamente os sentimentos mudaram.

Mas aí, você chega nesse ponto da resenha e me pergunta: “afinal, você gostou ou não gostou do livro?”. Sim, eu gostei sim, principalmente pelo mundo mágico criado pela autora, como disse anteriormente. Sem contar que, a história possui cenas divertidas e outras cheias de ação, e as minhas favoritas são as aulas de Anabelle com Liza, que se tornou minha personagem preferida. Se os livros seguintes seguirem o ritmo do final deste primeiro volume, tenho certeza que será recheado de surpresas, aventuras, descobertas e feitiços. E admito, estou louca para saber como será os próximos desafios enfrentados por Belle em sua jornada. Antes de finalizar, eu preciso ressaltar o quão bonito está o livro físico. O trabalho realizado pela editora está primoroso; a capa, a diagramação e cada detalhe estão lindos e bem executados. Parabéns pelo capricho!

Resenha completa no blog: http://www.blogvirandoapagina.com.br/2017/02/resenha-magia-trilogia-mistica-1.html

site: http://www.blogvirandoapagina.com.br/2017/02/resenha-magia-trilogia-mistica-1.html
comentários(0)comente



Kethlyn Galdino 29/01/2017

Amei!
Resenha:

Anabelle, tem 16 anos e esta no ensino médio e sua vida não é nada emocionante.

Ir para a escola é simplesmente um pesadelo para a menina, todos os dias seus colegas fazem questão de chamá-la de "aberração" por ter os olhos lilases.



Richard, é seu amigo de infância e o único que não acha Belle uma aberração.



Para Belle tudo é um tortura, inclusive o fato de amar seu melhor amigo do modo que não deveria. Seu pai nunca esta presente por estar sempre viajando, sua mãe passa os dias em casa cuidando da filha que vive no quarto -que evita a todo custo as pessoas ao seu redor.



O que Belle não sabe é que sua vida vai mudar, seus olhos não foram apenas herdado do seu pai, isso vai muito além do mundo dos humanos.... Isso é magia... Ela esta em seu sangue.



Quando Anabelle descobre a verdade as coisas mudam... Sua vida escolar continua a mesma, porém, sua vida pessoal esta a todo vapor, correndo contra o tempo e a surpreendendo a cada minuto.



August Hendrix é um dos três grandes bruxos, um dos mais importantes e agora pode mostrar para a sua filha 'o seu mundo'.



Totalmente fora da realidade dos mortais Anabelle vai descobrir um vasto mundo que vai além da sua vida monótona e deprimente.



P.S.: Uau...

Amores, amei esse livro!

A história da Anabelle é similar comparada com a vida de alguns jovens, ela não tem um pai presente, tem uma mãe que sofre com o marido longe, é apaixonada por um amigo e claro sofre o conhecido Bullying na escola por ser diferente.

Quando a protagonista descobre mais sobre os seus olhos e sobre a vida do pai tudo muda e ai que a estória fica muito emocionante.

A personagem é bem revoltada e deprimida por sofrer por amor, porém, é extremamente inteligente e surpreende até sua mentora - Lizza.

Os acontecimentos são ótimos e todos fazem sentido, em momento algum me senti perdi com o enredo, a cada página lida meu coração queria sair pela boca de tanta emoção e curiosidade.

Além da linda capa, as páginas tem lindos desenhos de borboletas. É um amor de livro.

Minha vontade era de dar nota 4 para este livro só por estar louca para ler a continuação... Mas, achei muito maldade já que a obra não me deixou a desejar e foi além do que imaginava. Juro que estava esperando uma clichê e foi não bem isso que encontrei.

Recomendo para quem gosta de romance adolescente e livros de fantasia, se você não curte isso talvez não ache a leitura muito envolvente.

Este é o terceiro livro que leio da MUNDO UNO EDITORA e mais uma vez eu amei!

site: https://parbataibooks.blogspot.com.br/2016/10/resenha-magia-trilogia-mistica.html
comentários(0)comente



Mystik 18/01/2017

O começo...
Pois bem, adquiri esse livro na Bienal de Minas depois de conhecer a simpática autora e me apaixonar pelo design da capa.

A primeira coisa que notei foi que o livro é em primeira pessoa. Não é meu tipo favorito de narrativo, mas continuei. A segunda coisa que notei é que a história tem mais uma pegada infanto-juvenil do que jovem adulto. Digo, não sei se é por causa da minha idade ou o que seja, mas quis esganar a Anabelle umas cem vezes durante a leitura. Repetir durante toda a história que a escola é uma droga, que sua vida é um inferno, que ama o Richard para todo sempre e sempre foi demais para a minha pessoa. Depois de um tempo isso se tornou tão chato e repetitivo.

Essa pegada narrativa quase me fez desistir do livro, confesso que até deixei ele de lado por um tempo, mas outra coisa me fez voltar e me prendeu: o universo criado. É uma mitologia muitíssimo interessante do mundo das bruxas, com a história, as aulas, os feitiços e tudo mais. Ter a explicação das cores dos olhos de acordo com a bruxa(o) e como a dimensão mágica funciona foi bem interessante e criativo! Palmas para a autora por criar toda essa mitologia.

Vou ler o segundo volume porque agora fiquei curiosa e quero ver como será a vida de Anabelle como bruxa, mas se continuar o mimimi dela com o Richard e a vida, vai ser uma leitura lenta.

Se você gosta de um tom mais infantil e romântico, esse é o livro pra você. Caso contrário, leia pela mitologia do mundo criado.

site: https://aficcionados.wordpress.com/
comentários(0)comente



Conchego das Letras 09/01/2017

Resenha Completa
Hoje vou trazer a resenha do livro Magia, o primeiro da trilogia Mística. Sempre li ótimos comentários sobre este livro, mas não tinha tido a oportunidade de ler. Quando a editora Mundo Uno lançou uma nova versão e com essa capa maravilhosa, fiquei encantada e não pensei duas vezes para solicitar à nossa parceira para ler.

Anabelle é uma adolescente que estudava, morava com os pais e vivia uma vida, aparentemente, normal. O seu grande problema era a cor dos seus olhos, pois eles eram lilases e chamavam a atenção das pessoas -- principalmente a dos seus colegas da escola que a chamavam de aberração. Desde pequena sofria bullying, nem ligava mais com a forma como era tratada pelas pessoas. Tinha um único amigo, Richard, que nutria um amor não correspondido por ela.

O pai de Anabelle vivia muito longe de casa, com a desculpa de que trabalhava demais. Esses olhos, com de cor tão diferente, foram herdados dele. Quando chega o seu aniversário de 16 anos da garota, August relata para a filha o motivo dos dois terem essa cor de olhos e a vida de Anabelle muda radicalmente. Ela descobre a sua verdadeira identidade e se vê em um mundo novo cheio de magia.

Foi uma leitura instigante, onde me aventurei com Anabelle para saber se ela estaria preparada para aceitar essa reviravolta, se saberia lidar com todas as mudanças que estariam por vir.

A autora escreveu uma história muito envolvente. Fiquei encantada com os mistérios que foram apresentados. Anabelle é uma jovem um pouco imatura, com algumas atitudes incoerentes, mas nada que me incomodasse. Ela era somente uma adolescente que lidava diariamente com as suas diferenças e cansou de tentar fazer parte daquele universo em que vivia.

Amei conhecer todos os detalhes explorados pela autora e estou curiosa para saber como será a nova vida de Anabelle. O final foi emocionante e me deixou ainda mais ansiosa pela continuação.

site: http://www.conchegodasletras.com.br/2017/01/resenha-magia-trilogia-mistica-1.html#more
comentários(0)comente



Bru - @umoceanodehistorias_ 16/11/2016

Magia, primeiro livro da Trilogia Mística, nos apresenta à Anabelle Hendrix, uma garota que está longe de ser normal. Ela sofre bullying no colégio. O motivo? Seus olhos lilases e coisas estranhas que acontecem quando ela está por perto.

Ela tem 16 anos e gostaria muito de ser aceita e que seu amigo de infância – e sua paixão da vida –, Richard, percebesse que ela gosta dele, mas como ela poderia competir com a miss perfeição que é sua namorada? Como sair da – tão temida – friendzone?

Os olhos lilases foram herança de seu pai e ela acredita que é apenas um problema genético, mas a cor de seus olhos significa muito mais. Teria Anabelle maturidade para aceitar o que ela é e encarar sua nova condição?

Não vou revelar muito mais sobre essa história, pois acho legal o leitor lê-la com o suspense de saber o que Anabelle é e se surpreender junto dela ao descobrir.

A história foi muito envolvente, não consegui largar o livro enquanto não terminei e, se tivesse tido mais tempo, teria lido apenas em uma sentada. Anabelle, apesar de ser uma adolescente, tem uma personalidade que me incomodou um pouco. Acho que ela foi um pouco imatura em alguns momentos, além disso, ela aceitou tudo muito fácil. Claro que compreendo que ela queria se encaixar e sua nova condição lhe daria isso, mas eu levaria um tempo para me encaixar, mesmo nessa situação.

Entretanto, nem tudo foram coisas ruins, as coisas que Anabelle aprende e os lugares que ela visita me encantaram demais. Os personagens foram todos bem construídos, apesar de eu ter achado que alguns não foram explorados em sua plenitude, mas é o primeiro livro de uma trilogia, que fez uma boa introdução e que me deixou com muito gostinho de quero mais.

Indico esse livro para quem quer uma leitura leve e envolvente que possua elementos fantásticos, tenho certeza que você gostará.

site: http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/2016/10/resenha-magia-jessica-macedo-trilogia.html
comentários(0)comente



Portal JuLund 08/11/2016

Magia, Mundo Uno.
Anabelle sofreu bullying uma boa parte da sua vida por ter uma característica incomum: seus olhos eram lilases. Foi chamada de nomes como aberração, ET, e não tinha amigos, com exceção de Richard, que além de ser seu melhor e único amigo também era sua paixão platônica, em outras palavras, ele era seu crush mesmo haha.

Ela passou a vida inconformada por ter esse seu diferencial, que por sinal foi herdado do seu pai, que ela tem uma relação bastante conturbada, pelo fato de ele não parar em casa fazendo sua mãe sofrer por isso.

“Meu pai ficou triste e seu semblante se fechou. Ele sabia que aquilo era culpa dele. Sabia que a sua falta deixava os olhos verdes da minha mãe inchados de tanto chorar. Tive a impressão de que aquilo doía nele tanto quanto doía em mim. Bateu uma vontade de suplicar para que ele ficasse, mesmo sabendo que aquilo seria impossível. A verdade ia bem além de um cargo importante em uma empresa que faturava milhões todos os anos. Havia um emprego que não era tão simples de abandonar quanto eu imaginava.”

Mas as coisas começam a mudar quando Anabelle descobre a origem da cor peculiar de seus olhos… Ela é uma bruxa, assim como seu pai. E essa descoberta vira seu mundo de cabeça para baixo, já que agora ela sabe o motivo de atrair tanta tragédia, e por consequência disso ela terá que aprender como controlar seus poderes, tendo aulas com sua mais nova mentora, Liza, e terá que esconder essa sua nova identidade de todos ao seu redor.

Resenha completa no

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/magia-mundo-uno
comentários(0)comente



Paulo Cezar 16/10/2016

Magia - Trilogia Mística #1
Annabelle Hendrix só queria ser "normal", como qualquer outra garota da sua escola, mas os seus olhos as diferenciavam. Seu tom de olho lilás a fez sofrer bullying desde criança, ser chamada de aberração diariamente era o que mais a garota ouvia. Para ajudar, coisas estranhas aconteciam a sua volta e sempre ela levava a culpa.
Tudo muda quando, em uma de suas ocasionais visitas, seu pai lhe conta a verdade: ela é uma bruxa. August Hendrix lhe revela o motivo do tom lilás dos olhos e a leva para conhecer a dimensão mágica, onde os demais bruxos vivem. O motivo de tal revelação foi necessária para que a jovem aprenda a controlar seus poderes, contando com a ajuda de uma mentora.
Parece fácil, mas Annabelle não imagina o que o seu treinamento lhe reserva!

Antes de mais nada, quero dizer que ri muito lendo esse livro, seja por causa de Annabelle ou de Liza, sua mentora do tamanho de um inseto. Mas o livro também ensina muita coisa importante nos dias de hoje, como a hora de parar e ouvir o que a outra pessoa tem a nos dizer.

Magia é o primeiro livro da Trilogia Mística, da autora Jessica Macedo, e a Mundo Uno Editora foi a responsável por nos proporcionar a nova edição da história.

Annabelle nutre uma paixão não correspondida por seu melhor amigo, Richard, e precisa aguentar o namoro dele com Linda, a garota que mais a provoca e lhe faz mal. O preconceito reina entre a garota e suas amigas, mas Richard não a abandona e é, praticamente, a única pessoa da sala de aula que conversa com ela. Não sei como ele não percebe o que Annabelle sente, pois está na cara, ou melhor, nos gestos e demonstrações, que ela tem uma queda por ele.
Richard é um personagem que tem uma história bem triste, mas que não deixa de ser a realidade de muitos jovens hoje em dia. A abordagem da autora sobre o tema leva o leitor a refletir sobre o que está acontecendo com ele. Queria poder falar mais sobre a família dele, mas considero a situação um grande spoiler.

Liza Ueiny será a mentora de Annabelle durante seus três anos de treinamento, ela é uma bruxa, mas de tamanho reduzido. Isso faz com que a jovem bruxa a compare a insetos, palitos e tantas outras coisas. Ela é aquele personagem bom em conselhos, ou deveria ser, já que alguns desses conselhos deixam Annabelle dividida em seus sentimentos.
August, além de não ser o pai do ano, é o bruxo protetor da dimensão mágica. Ele é responsável pela segurança da rainha e demais moradores do local, desempenhou um papel importante a muito tempo e isso o faz ser muito respeitado e até reverenciado por todos.
Glória é a mãe de Annabelle e nem suspeita da existência da dimensão mágica. Os bruxos não devem revelara a verdade aos "humanos". Tanto filha quanto pai precisam inventar várias desculpas para ela.

Achei interessante a ideia da autora das cores nos olhos para a afinidade com o elemento ou poder dos bruxos, são várias cores e cada um com seu significado. A história também flui muito bem, principalmente quando se quer saber o que acontecerá com Linda, e olha, ela mereceu.

Jéssica escreveu algo gostoso de ler e que passa muita coisa importante para refletirmos, não se trata apenas de um livro sobre a descoberta da magia, os problemas também são reais e isso foi o que deu um toque todo especial para a história!

A capa dessa edição está linda! Ela lembra muito a primeira, mas gostei mais dessa. A diagramação está bem caprichada também, todas as páginas com detalhes nas laterais e uma diferente na abertura dos capítulos. O que não me agradou um pouco foi a margem, pois em várias páginas tive que força-las para ler melhor o que estava escrito, e a revisão. São erros que não atrapalham a leitura, mas são facilmente percebidos.

site: http://funshunter.blogspot.com.br/2016/10/ResenhaMagia.html
comentários(0)comente



Juliana 30/03/2016

RESENHA: Magia - Jéssica Macedo
Annabelle Hendrix poderia até ser uma garota comum, se não fossem os seus olhos lilases que chamavam tanto a atenção das pessoas por onde passava, mas não de uma maneira interessante e sim de uma maneira ruim, pois todos a ridicularizavam, tirando sarro da aberração que ela era... Afinal uma pessoa normal jamais poderia possuir olhos de uma cor tão diferente. Mas o que Belle ainda não sabe, é que justamente aquilo que a afasta da sociedade e que a faz tão menosprezada, é o que a torna mais forte.

A menina dos olhos estranhos tem uma vida um tanto complicada, mora apenas com a mãe, e até tem um pai, mas ele só aparece de vez em quando, com a desculpa de trabalhar em uma multinacional e não poder estar tanto quanto queria com a família. Isso faz com que Belle sinta menos orgulho de ter um pai como ele e a admiração por seu pai diminui mais ainda pelo fato de ter herdado os olhos dele.

Ao completar 16 anos, Belle recebe a visita do pai, August, em casa, e ele traz um presente um tanto quanto inesperado: revela para a filha que ela é na verdade uma bruxa, assim como ele, e que a partir de agora seus poderes começarão a aparecer, e é por isso que possui olhos lilases e se considera tão diferente assim do resto dos humanos.

A mais nova bruxinha começa então uma longa jornada com sua mentora Lisa, que também é uma espécie de bruxa em miniatura, na qual com o tempo acaba conseguindo suportar. As duas encaram um grande desafio, Lisa o de tentar ensinar tudo o que um bruxo iniciante precisa saber em seu primeiro ano para uma adolescente muito teimosa e, Annabelle o de tentar aceitar a sua nova função na vida sem reclamar e fixar as milhões de coisas sobre o mundo mágico em sua cabeça.

Só que Belle é apaixonada por seu melhor amigo Richard, porém, alguns fatos atrapalham esse sentimento e o faz ficar muito doloroso. Ele é um humano (um grande problema), e tem namorada (outro grande problema), e o rapaz, apesar de defender Annabelle de tudo e de todos, a considera apenas como sua melhor amiga (terceiro grande problema).

E assim a estória segue o fluxo, e se desenvolve muito bem. O livro acompanha Annabelle em seu primeiro ano como bruxa e nos surpreende em diversas partes, e tem um final que é puro amor. Confesso que não gosto muito de livros que envolvam bruxas, magias e etc., mas esse me encantou logo de início. Os capítulos não são tão longos, o que deixa a leitura bem fluída.

A impressão que eu tive durante toda a leitura era a de que uma garota de 16 anos estava conversando comigo... A maneira como Belle descreve sua vida é bem casual, com um linguajar característico da faixa etária dela. A autora não pecou em nada ao fazer Annabelle assim, a gente se sente a vontade e até relembra como nós éramos quando tínhamos a mesma idade que a personagem.

Jéssica também constrói uma dimensão mágica, paralela a nossa, que demonstra ser maravilhosa e encantadora, com direito a Rainha dos Bruxos bondosa, varinhas mágicas e vassouras voadoras. Nos faz querer estar lá também.

Magia levanta questões que procuramos decifrar, algumas são respondidas, mas outras ficam no ar, e eu espero que os próximos livros me revelem algumas coisas que eu fiquei com a pulga atrás da orelha durante o primeiro livro.

Percebi alguns erros na revisão do livro, mas nada que prejudique a leitura, a capa é linda, mas a diagramação não é tão legal assim, só que a história é tão envolvente que isso também não atrapalha. É um livro que vale a pena ser lido, ainda mais por ser de uma autora nacional que possui um grande talento.

Já vou correndo começar o segundo volume, Encanto, e logo volto para falar mais sobre a Trilogia Mística.

Obs: Se eu encontrasse uma garota como Annabelle por aí, com olhos lilases, eu ia é querer ter esses olhos pra mim, não ia achar nada estranho, ia achar é legal.

site: http://claqueteliteraria.blogspot.com.br/2016/03/resenha-magia.html
comentários(0)comente



Paloma Borges 06/11/2015

Simplesmente.. Mágico
Uma jovem de 16 anos, cursando o ensino médio, com uma paixonite não correspondida, igual a tantas outras jovens.. Ok, certamente ela não era igual as outras. Annabelle tinha olhos lilases, o que a fazia ser a aberração do colégio.
Annabelle é apaixonada por seu vizinho e melhor amigo de infâcia, mas uma coisa a impede de ficar com ele. Na verdade duas coisas: 1º, ele tinha uma namorada, a "Miss-Perfeição". E 2º, ela era uma aberração, ele jamais olharia para ela e seus olhos lilases.
Mas sua vida muda de ponta a cabeça quando seu pai lhe revela quem ela realmente é, e percebe que seus colegas estavam certos: ela não pertencia aquele lugar.

Ai, que livro destruidor

site: http://encontrodemundos.wix.com/encontrodemundos#!Resenha-17-Magia-J%E9ssica-Macedo/cu6k/563762c00cf275e9c593c3d5
comentários(0)comente



SahRosa 15/09/2015

Resenha exclusiva do blog Da Imaginação à Escrita
Magia, da autora Jéssica Macedo, chegou através de Book Tour, eu estava ansiosa para lê-lo, a arte da capa me chamou a atenção, é linda demais e a sinopse despertou minha curiosidade, afinal, histórias que reúnem elementos mágicos sempre chamam a minha atenção, adoro este gênero e Magia possui vários destes elementos, mas que infelizmente não me encantou tanto como eu gostaria. A obra é boa, possui um enredo interessante, o mundo magico criado pela autora é o ponto alto do livro, eu gostaria que tivesse sido mais abordado, os feitiços, poções e história por dentro do mundo mágico são fascinantes, gostei muito da parte fantástica de Magia e o que me incomodou foi a protagonista e o romance.

Anabelle é a chacota da escola, por ser diferente, a jovem é alvo de piadinhas e humilhações por parte dos colegas, considerada como uma aberração por conta de seus olhos lilases, Belle tem que enfrentar todos os dias essas brincadeiras de mau gosto, seu único porto seguro, é Richard, seu amigo de infância. Apesar dos constantes obstáculos, Anabelle descobrirá um segredo inimaginável e o motivo de ser tão diferente.

Anabelle vem de uma linhagem poderosa de bruxos, e como tal, herdou grandes poderes, ela é filha de um dos Três Grandes Bruxos e por estar na idade em que a magia desperta, lhe é revelado este segredo. Com esta nova realidade, Belle precisará passar por um treinamento magico, onde aprenderá sobre o passado dos bruxos, a fazer feitiços e poções. Um mundo cheio de aventuras e magia a espera, Anabelle precisará ser forte para vencer essa nova etapa de sua vida e encarar sua realidade humana.

Magia é narrado em primeira pessoa por Belle, os capítulos possuem um tamanho muito bom e a escrita da Jéssica é envolvente, li Magia rapidamente e como citei no inicio desta resenha, os elementos mágicos me agradaram. No entanto, meu descontentamento foi por conta de dois pontos na história, o primeiro: Anabelle. Nossa protagonista é aquela típica “aborrecente”, reclamando de tudo e sendo grosseira. Compreendo que a intenção tenha sido mostrar que Anabelle é um jovem forte, realmente constatei isso, ela tem garra e força, mas o excesso que a personagem reclama e pragueja realmente me incomodou; Entendo como é ser a chacota da escola e ser tão humilhada, mas assim mesmo, senti que Belle descontava em todos, até mesmo com aqueles não mereciam, como sua mentora Liza, que aliais foi a minha personagem favorita. Os personagens secundários foram os mais interessantes em minha opinião, possuíam ótimas personalidades, até mesmo Linda, rival de Anabelle, foi uma boa personagem, mesmo com seus defeitos, mas Belle e Richard, sinceramente não me convenceram e eis que entra o segundo ponto que não gostei em Magia: O Romance.

Belle é apaixonada por Richard, em cada página, vemos esta constatação, mas não consegui acreditar neste “amor”, me parecia mais uma obsessão de Anabelle, eu não senti que ela realmente amava Richard, faltou mais emoção e profundidade neste sentimento. Richard, apesar de possuir todas as qualidades de um bom mocinho, não me conquistou, apesar das qualidades que a protagonista frisava, faltava alguma coisa a mais para mostrar que Richard realmente era tão especial, o único ponto que achei convincente, foi o namoro de Richard com Linda, pelos olhos de Belle dava para notar o quanto o rapaz gostava da moça; Era até previsível o rumo do namoro de Linda e Richard, mas assim mesmo, acreditei bem mais neste “romance” do que no “amor” que Anabelle nutria.

O final entre o casal protagonista foi apressado, poderia ter tido um desenvolvimento melhor, talvez se fosse deixado para os demais livros, seria mais convincente, afinal, subitamente Richard descobriu quem realmente ama... A meu ver, Anabelle e Richard precisam de um aprofundamento maior, assim como os sentimentos vividos por eles, falta amadurecimento em ambos, principalmente em Anabelle.

Mas volto a frisar, Magia, têm pontos ótimos, a autora foi criativa no mundo mágico, as aulas de Belle com Liza foram sensacionais, a ação, principalmente nos momentos finais, me agradou bastante, assim como o passado do mundo mágico, e o motivo de Angust ser tão importante, são passagens incríveis no enredo de Magia, a história possui um potencial grande para ser explorada. Apesar das criticas que citei, Magia foi uma leitura agradável, me diverti em vários momentos e nem preciso afirmar novamente o quanto gostei do universo mágico, não é? Enfim, estou ansiosa para ler o livro dois, Encanto, já adquiri o meu na Amazon!

Para quem gosta de fantasia, magia e bruxos, recomendo conhecerem Magia.

site: http://www.daimaginacaoaescrita.com/2015/09/resenha-magia-jessica-macedo.html
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2