Untamed

Untamed A. G. Howard




Resenhas - Untamed


2 encontrados | exibindo 1 a 2


Déborah 18/12/2015

O livro favorito da minha série favorita.
Observação: Minha resenha contém 5 níveis de spoiler. O primeiro nível é sem spoiler, o segundo tem spoiler só do primeiro livro, e assim em diante.

Resenha sem spoiler: Untamed é o quarto e último livro da série O Lado Mais Sombrio, ainda sem tradução para o português, mas que deve chegar em breve às livrarias daqui. É uma coletânea de 3 contos da série e não uma continuação do último livro. O primeiro conto chama-se "O garoto na teia", é narrado do ponto de vista da Alison, mãe de Alyssa, em diferentes momentos de sua vida. Esse conto é uma bela aventura com muita emoção. O segundo conto chama-se "A mariposa no espelho", esse é um conto que se situa cronologicamente entre o primeiro e o segundo livro da série, bastante curto e narrado em terceira pessoa com enfoque no Morfeu e no Jebediah. O último conto e o maior de todos, "Seis coisas impossíveis", é na verdade um epílogo prolongado do último livro e, em minha opinião pessoal, foi a melhor parte de toda a série.

Spoiler para quem não leu livro 1: Se você já leu o primeiro livro, você pode ler o conto intermediário desse livro, mas não sugiro que leia os demais ainda. Dessa forma, aqui vou resenhar apenas "A mariposa no espelho": Esse conto nos introduz em mais uma das maquinações da mariposa, quando essa, buscando descobrir a fraqueza de seu rival Jebediah, vai ao trem das memórias perdidas do país das maravilhas e decide vivenciar momentos cruciais do garoto enquanto lá esteve. De repente nos vemos na pele do Jeb, sentindo todas as suas angústias e dilemas enquanto enfrenta situações caóticas e toma decisões imperiais que afetarão seu destino para sempre. Encerradas as lembranças do Jebediah, a mariposa nos oferece mais um de seus discursos desafiadores e intrigantes, levando o leitor a desejar avidamente a leitura do segundo livro da série.

Spoiler para quem não leu livro 2: Acredito que aqui já é prudente falar um pouco mais sobre o primeiro conto do livro, "O garoto na teia", uma vez que muitos dos segredos da Alison e do Thomas já foram revelados no segundo livro da série. Nesse conto, vivenciaremos as descobertas da jovem Alison sobre o reino encantado de onde descendeu, os conflitos que travou com a mariposa, as decisões difíceis que precisou tomar e como conheceu e se apaixonou pelo jovem Thomas. Vivenciaremos ainda as meditações de uma Alison mais madura, portanto não sugiro a leitura desse conto antes de "Qualquer outro lugar".

Spoiler para quem não leu livro 3: Finalmente, o conto "Seis coisas impossíveis": Eu percebi, e creio que todos os que leram o terceiro livro também perceberam, que o final da série foi um tanto quanto rápido, nos deixando apenas parcialmente satisfeitos. Para isso existe uma explicação, a autora precisou cortar milhares de palavras de seu final para que o número de páginas do livro respeitasse o limite de publicação imposto. Assim sendo, no breve epílogo que tivemos, houveram apenas pinceladas daquilo que tanto desejamos ver a série inteira. Mas esse conto veio para acabar com a angústia. Esse conto foi a coroa de glória de toda a série. Esse conto foi simplesmente a melhor obra de ficção que já li. Esse conto foi tudo e um pouco mais. Pois bem, esse conto é dividido em 2 partes e cada uma delas é dividida em outras 3 partes. A primeira parte chama-se Mortalidade, onde vamos acompanhar a Alyssa fingindo sua própria morte e retornando ao país das maravilhas. Contudo, antes de descender na toca do coelho uma última vez, 3 objetos do reino humano que ela traz consigo, os de maior valor dentre tudo o que possui, a fazem relembrar os momentos mais marcantes da sua vida com o Jeb. O primeiro objeto, uma garrafa cheia de pedras, a levará de volta ao seu último dia no país das maravilhas antes de retornar para o reino humano, quando reencontrou o Jeb após cumprir seu voto com o Morfeu e como eles planejaram tudo para limpar a bagunça que haviam deixado em suas vidas terrenas. O segundo objeto, uma garrafa cheia de conchas do mar, a faz relembrar o casamento mágico na praia que o Jeb lhe proporcionou, embora algumas coisas tenham saído muito mais mágicas do que o planejado. O último objeto, uma garrafa cheia de pó de estrela, a faz relembrar seu último e mais inesquecível momento com o Jeb, antes que ele dormisse para sempre. (Descobrimos também com que idade o Jeb morre, quantos filhos eles tiveram e quem são, e vamos conhecer alguns netinhos também). Embarcamos então na segunda parte do livro, Eternidade: Damos logo de cara com uma Alyssa em dores de parto com um bebê intraterreno mágico que se recusa a nascer, em um quarto cheio de súditos que tornam toda a cena um tanto cômica. O Morfeu percebe então que, assim como precisou convencer a Alyssa a abandonar a única casa que conhecia para habitar em um reino insano e encantador, precisará convencer o príncipe da corte vermelha que vale a pena conhecer o país das maravilhas, para isso, os três viajam juntos em imaginação para 3 momentos únicos da história de Alyssa e Morfeu no país das maravilhas. O primeiro momento, quando a Alyssa enfrentou o país das maravilhas, ainda criança. O segundo momento, quando a Alyssa quebrou o país das maravilhas, em sua última noite quando ainda cumpria o voto que fez a Morfeu. O último momento, quando ela curou o país das maravilhas, ainda em sua última noite com o Morfeu antes de voltar para o reino humano. Após essas lembranças inéditas, contemplamos o momento mais único e precioso da família real enquanto decidem como chamarão seu príncipe dos sonhos, e só uma leve provocação: Só em saber esse nome já valeria pelo livro inteiro.

Spoiler para quem não leu livro 4: Então, se você leu esse livro há de convir comigo que ele foi absolutamente o melhor livro da série, pois finalmente tivemos o que tanto aguardamos. Tanto para quem é #teamMorfeu quanto para quem é #teamJeb. Eu sou #teamJeb (embora também tenha uma quedinha pelo Morfeu, mas shhhh!). Eu, como boa e velha apaixonada pelo Jebediah, praticamente morri na última cena do conto Mortalidade. Simplesmente não me aguentava mais de emoção enquanto tantas referências aos livros anteriores foram surgindo naquelas últimas páginas, e quando o Jebediah usou seu pedido para reviver com a Alyssa o sonho que compartilharam na lua-de-mel, presente do Morfeu, tornando a ser jovem mais uma vez antes de dormir para sempre, e apareceu ao lado dela com 23 anos em seu terno impecável, uma última vez jovem, uma última vez forte, uma última vez inesquecível e a beijou exatamente como no primeiro beijo deles, e completou, mais uma vez, todos os sonhos que havia escrito naquele quartinho em Qualquer outro lugar, em especial quando a levou para andar de moto entre as constelações do país das maravilhas, as mesmas que observaram no céu enquanto dormiam abraçados em um barquinho no oceano de lágrimas na sua primeira noite no país das maravilhas, e, abraçando o Jeb como se não houvesse amanhã, como se estivessem de novo à toda velocidade no túnel das memórias como quando eram namorados, captura então uma estrela, antes de acordar velhinha ao lado do leito hospitalar onde um Jeb falecido dorme tranquilamente, e a única lembrança que resta é o pó da estrela em sua mão. Sim, eu morri um pouquinho nessa cena aí. A morte mais triste e mais perfeita e mais mágica, tudo ao mesmo tempo. Vou sentir saudades eternas do meu Jebediah, e de como ele dizia "Skater Girl - Garota do Skate).

Apenas o livro favorito da minha série favorita.
Luciana 07/06/2016minha estante
Oi, já falando de cara eu sou uma pessoa curiosa (até demais) e fiquei nessa com quem a Alyssa termina no final eu mal comecei o segundo livro e essa dúvida tá me corroendo! Eu preciso saber!!! Eu li a sua resenha completa e só fiquei mais confusa com quem ela fica no final. Por obséquio acabe com a minha agonia e me dê esse spoiler para que eu já leia sabendo o que me espera no fim ( além de lágrimas). Grata


Vittória Brasil 26/06/2016minha estante
SPOILERS, CUIDADO!

Luciana, a Alyssa meio que fica com os dois no fim.
Ela vive uma vida plena com o Jeb, eles envelhecem juntos e quando ele morre ela vai para o país da maravilhas com Morfeu e fica com ele.


Elaine 10/08/2016minha estante
Você leu ele traduzido?


Andreza.Pesselin 23/09/2017minha estante
??? amei sua resenha .. eu tinha começado a ler esse livro logo após de ler toda a série, já era tarde e estava cansada e logo como se inicia e narrado pela mãe de Alyssa.. aí fiquei com raiva pq pensei q o livro seria dela ... vou correndo ler o final agora ??? obrigado




Scarlet 19/07/2020

Sou suspeita pra falar da saga né, amo com todo meu coraçao. E como não chorar sobre toda essa questão de familia/envelhecimento e magia. A. G sabe como prender a gente e nos levar pra esse universo magnífico que ela criou.
comentários(0)comente



2 encontrados | exibindo 1 a 2