A Última Estrela

A Última Estrela Rick Yancey




Resenhas - The Last Star


38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


estefani.aparecida 30/07/2019

Poderia ter sido melhor
Neste livro, Marika (Especialista) foi capturada por Vosch, que a deixou mais forte dando o poder dos alienígenas a ela. Lá ela conheceu Navalha, que ajudou ela a sair de lá. Após sair do Campo Abrigo, ela foi atrás de Evan Walker com Constance (uma alienígena), pois matando Evan, os alienígenas deixariam ela e os amigos viverem em paz. Durante o livro todo Esp foi muito chata, fiquei com raiva dela muitas vezes, ela mentiu para Zumbi, até que no final ela foi mais útil.
Durante a coleção fiquei com raiva de Evan e seus sumiços, e Cassie esperando ele sempre que ele sumia. Me irritou o fato de Cassie não ser a protagonista do livro e mais ainda o que aconteceu com ela no fim.
O livro foi decepcionante, cansativo, repetitivo no início e torturante. O final deixou a desejar, podendo ser melhor do que foi, mas mesmo assim me deixou um buraco esta história.
comentários(0)comente



Luiz 02/06/2019

PRECISO PENSAR!
Finalmente li o final da trilogia a 5° onda, e não sei o que estou sentindo. Depois do decepcionante segundo livro, li o terceiro com as expectativas bem baixas e ainda assim, mesmo com zero de expectativas não sei se foi bom, ou se de fato foi ruim. O autor tinha uma estória incrível no primeiro livro, e nos entregou uma continuação decepcionante com o segundo volume. Dai nesse terceiro livro temos acontecimentos importantes sendo desenvolvidos, mas não sei se gostei ou não. Achei o livro confuso, muita coisa ficou em aberto, e ainda não entendi o porquê da invasão, e muitas outras pontas soltas. O autor poetisa muito os acontecimentos e não vai direto ao ponto, deixando a leitura confusa.
Sendo bem sincero, achei o segundo e o terceiro livro até descartável, não é a continuação que esperamos quando Lemos o primeiro livro. Esse livro deixou muitas coisas em aberto, principalmente depois dos últimos capítulos. Não sei se foi só eu que não entendeu a escrita do autor nesse último livro, ou se eu deixei passar situações importantes despercebidas, estou com aquela velha sensação de insatisfação e muitas dúvidas após o final. Muita coisa eu não entendi, pois não foi explicado claramente.
Resumindo, foi confuso, a trilogia decaiu muito após o primeiro livro, e no final de tudo não to acreditando que O mar infinito e A última estrela é a continuação da estória iniciada com a 5° onda.
comentários(0)comente



Alessandra 02/06/2019

Dominação da raça humana.
A Última Estrela é o terceiro e último volume da série "A 5a Onda", cujo filme foi lançado em 2016.

No enredo temos uma dominação alienígena que já dizimou milhares de pessoas e Cassie Sullivan tentando sobreviver junto com o irmãozinho nessa situação caótica e perigosa.

É impossível confiar nas pessoas, pois nunca se sabe se são humanos ou os Os Outros, como são chamados.

Ao longo da trilogia somos apresentados aos demais personagens que têm papel de suma importância nessa luta contra os invasores e, também, como o desenrolar da trama traz o amadurecimento de todos, visto que cada um, individualmente, passa por várias situações traumáticas.

Na época que o primeiro livro foi lançado não agradou todo mundo. Rick Yancey não tem uma escrita tão fácil, o que pode ter afastado muitos leitores pois o clímax demora a se desenvolver, mas tudo é pertinente haja vista a necessidade de explicar os fatos e inserí-los no contexto dessa espécie de juízo final.

Para quem gosta desse gênero de leitura os demais livros contém muita ação e várias descobertas, com uma pitadinha de humor para suavizar a gravidade dos acontecimentos, que muitas vezes são extremamente tristes e de cortar o coração.

Não me emocionei tanto no terceiro livro, mas talvez tenha sido a distância entre as leituras. Como não costumo reler os livros acho que o drama acabou se perdendo um pouco para mim. Entretanto, acho que é uma trilogia muito boa e que vale a pena ser lida, com certeza.

site: https://euamolivrosnovos.blogspot.com
comentários(0)comente



thamiresmf 27/03/2019

gostei
gostei mas não me prendeu tanto quanto o primeiro livro
comentários(0)comente



davidplmatias 18/01/2019

Pra mim o melhor da trilogia, audacioso, surpreende o leitor, fecha o ciclo de forma satisfatória. Eu adorei.
Allan Ramos 27/01/2019minha estante
Interessante! Vou lê-lo.




Likka 29/11/2018

Reflexões profundas
Acho que "A Última Estrela" foi o livro da trilogia que mais me fez chorar. Não chorei só pelos acontecimentos, mas também porque sabia que era o último livro e nunca mais teria novidade sobre aqueles amigos que acompanhei. Rick Yancey consegue fazer o leitor simpatizar com os personagens e se apegar a cada um deles. Senti que vivi toda essa jornada, presenciei cada luta, cada morte, todas as pequenas alegrias e cada momento engraçado. Até a Especialista, que no início julgava como "fria" me conquistou nos últimos livros. Uma das coisas que me deixou muito feliz foi como o autor não deixou buracos, ele respondeu todas as perguntas que os leitores tinham sobre a chegada dos Outros na Terra, sobre como eles são e como era a vida deles em seu antigo habitat. Além disso, o autor não esquece de deixar sua marca registrada e provoca novas reflexões por meio de suas palavras e pensamentos. A maior parte delas, nesse livro, são focadas na questão da humanidade. O livro explora o fato dos seres humanos terem perdido sua humanidade - seus sentimentos, tais como o amor, o medo e a empatia - e começarem a agir de maneira fria, automática e quase animalesca. A dúvida, a desconfiança e a crueldade reinam, ganhando, assim, cada vez mais espaço na vida da sociedade. É aí, então, que Yancey embasa seu pensamento, de modo a esclarecer a moral da história. Inclusive, em um trecho o autor chega a comparar a força física da Especialista com a força "emocional", assim diria, de Cassie, no qual a primeira assume para a segunda que não é tão forte no que se refere ao amor, à lutar pelos que ela ama. "A Última Estrela" mostra que o objetivo do livro era realmente causar reflexões sobre nossa relação com as pessoas a nossa volta, nossa relação com a Terra e todo o ecossistema, principalmente com as florestas e os animais, bem como é preciso que a humanidade permaneça sempre unida, sabendo viver em coletivo e, acima de tudo, sentindo. Somente assim é possível sobreviver. Profundo, né?
comentários(0)comente



Blog De Bem Com a Leitura 09/10/2018

Nos dois livros anteriores descobrimos que o planeta foi dizimado por alienígenas que confundem a mente humana e nos fazem desconfiar de qualquer um que pareça ser uma pessoa. Os alienígenas nos observaram por milênios e finalmente resolveram entrar em ação. Os Outros (como são chamados) são como nós, eles usam nossos corpos e isso dificulta saber em quem se pode ou não confiar. Sabe-se muito pouco sobre eles, algumas pistas são reveladas ao longo dos livros e podemos juntas as informações obtidas para tentar entendê-los, mas somente neste terceiro volume teremos uma visão mais ampla.

O irmão de Cassie foi levado a um falso abrigo e ela precisava resgatá-lo, nessa jornada a jovem encontra com um rapaz misterioso e vê nele a oportunidade de ajudar o seu irmão. Mesmo sem saber se pode confiar em Evan, Cassie monta um plano de resgate enquanto tenta descobrir mais sobre ele. Quando descobre, ela tem a resposta para suas dúvidas, mas muitas outras surgem.

Os Outros são extremamente cruéis e estão tirando a humanidade das pessoas, obrigando-as a matar e a fazer escolhas difíceis, o resultado disso é devastador. Mas Cassie, Zumbi, Especialista e Sam não vão deixar que os alienígenas ganhem essa guerra tão facilmente. Vão lutar até o fim. Os Outros podem ser mais fortes e mais evoluídos, mas a raça humana ainda conta com um fator a seu favor, um detalhe que nenhum algoritmo poderia prever e explicar e isso vai deixar os Outros em cheque.

Seguindo seus extintos, Cassie se manteve a salvo e confiando neles novamente ela vai tentar a qualquer custo salvar as pessoas que ainda estão vivas. Ela não pode fazer sozinha e vai precisar da ajuda de Especialista para pôr em prática um plano altamente perigoso. Mas como vencer um inimigo que sabe o que você pensa e como você age? A resposta para essa pergunta vai além do que as duas poderiam imaginar.

s Outros tiveram muito tempo para destruir os humanos, têm inúmeras opções de acabar com as pessoas sem destruir o planeta e, ainda assim, continuam em um jogo lento e eficaz: roubam nossas lembranças e modificam as nossas mentes; fazem com que nos matemos por achar que qualquer um pode ser o Outro vestido de humano; nos caçam com armas aparentemente frágeis, mas que são letais e para destruí-las é preciso matar e com isso mata-se um pedaço da sua própria humanidade.

O tempo está acabando, o último recurso dos Outros está para acontecer, bombas serão jogas nas cidades. Agora a luta não é mais só contra os Outros, ela é também contra o tempo.

*Leia a resenha completa lá no blog > https://vocedebemcomaleitura.blogspot.com/2018/10/resenha-ultima-estrela.html

site: http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Tamirez | @resenhandosonhos 29/08/2018

A Última Estrela
Chegar ao fim de uma trilogia ou série é sempre um momento de expectativas. No caso da 5ª Onda e das revelações que nos foram dadas no fim do segundo livro, acho que ela estava ainda maior. Nunca antes me senti tão enganada por uma sinopse, como com esses livros. Mas, não de uma maneira ruim, mas sim porque nunca tinha visto ela ser desmascarada dentro do próprio livro, pra compor a história central.

Quando cheguei ao fim do livro encarei seu final com dois corações: o de satisfação, por ter gostado de como algumas coisas caminharam e claro, a finalização de uma etapa; mas também um fiapinho de incomodo, por ter esperado demais de Rick Yancey.

Depois que se lê um número grande de distopias, o leitor é capaz de identificar as fórmulas ou semelhanças entre elas e, dentre tudo que já li, sempre uma coisa me atormenta. No gênero vemos o mundo destruído, mas o “mundo” sempre se resume ao ovo onde a história se passa, raramente indo além, interligando países, culturas ou até mesmo estados. Parece que a catástrofe veio com uma redoma. E sim, tenho em mente que as comunicações sempre são cortadas e coisas assim, mas excepcionalmente quando vemos que há a oportunidade de apresentar esse ângulo e ela é perdida, a frustração vence.

“Sempre foi desse jeito, eu quis lhe dizer. Suportamos o insuportável. Toleramos o intolerável. Fazemos o que precisa ser feito até que nós mesmos nos desfaçamos.”

Sei já que A Última Estrela não vai agradar todos os fãs da trilogia, seu final e a forma como o autor conduz as coisas para os protagonistas pode deixar muita gente super chateada. Eu compreendi. Raramente me apego a personagens ao ponto de sofrer muito com sua partida, a história continua e se for pra ela se engrandecer, que cortem-se as cabeças, sim. Mas sei que os leitores são apegados e ver alguns personagens não terminando a trama aqui vai ser de partir o coração.

Cassie, mais do que nunca estava muito fora de sintonia nesse livro. Não sei se foi porque conhecemos ela tão profundamente no primeiro livro e ela mudou tanto, que quando perdemos seu ponto de vista mais contínuo, acabamos perdendo um pouco do link com ela. A personagem que antes era motivada somente pela busca pelo irmão, aqui também é motivada pelo amor e por salvação para aqueles que ama. Mas, sendo o que for, ninguém pode negar que seja corajosa.

“Essa era a coisa que acontecia entre nós, a coisa que nenhum de nós conseguia identificar, o elo inquebrável entre amor e medo. Evan é o amor. Eu sou o medo.”

Evan tem pouco destaque e só chama verdadeiramente a atenção quando sequer “é ele mesmo”. E seu destino não me satisfez, ao mesmo tempo em que não consigo pensar em outra pessoa pra realizar o que ele decide fazer quando chegamos ao fim. Como eu disse, dois corações.

Em A Última Estrela, mais uma vez, quem toma o centro da história é Especialista. É ela que detém a verdade e o poder de esclarecer ou não e também de matar ou deixar viver. Ver a interação dela com a Cassie, uma personagem que sempre foi muito coração é super interessante. São duas jovens muito diferentes que tem um mesmo objetivo: sobreviver. E ao ponto em que chegamos ao fim do livro, o espetáculo é todo delas.

Quanto a situação onde os personagens se encontram quando as páginas acabam, queria um pouco mais de entusiasmo e luta, queria a busca por mais, pela reconstrução, pelo novo. Também não vamos ai, mas depois de tudo, parece que até mesmo os personagens cansaram de lutar.

Confesso que esperava mais, mas também não foi uma decepção. O autor fechou a história dentro do cenário que criou sem se agarrar às oportunidades de ir além e o leitor, obviamente, vai ter que se contentar com isso. Acho que ter lido essa trilogia me fez ainda mais crítica, principalmente a não acreditar em tudo que nos é apresentado como verdade, até pelo autor. As surpresas em um livro podem vir de todas as formas e acho que o que Rick Yancey proporcionou aos leitores em seus livros foi verdadeiramente um plot twist jamais esperado. Por essa experiência fica minha recomendação e minhas quatro estrelas, encerrando mais essa jornada.

site: http://resenhandosonhos.com/ultima-estrela-rick-yancey/
comentários(0)comente



Danielly.Uliana 15/08/2018

Não estava preparada para o fim dessa trilogia maravilhosa que me deixou de boca aberta. Amo o modo do autor fazer referências e citações e nos fazer sentir mais humanos com essa reflexão sobre existência.
comentários(0)comente



Lorrane Fortunato 20/05/2018

Resenha: A Última Estrela / Dreams & Books
“Podemos amar o que há de bom em nós e detestar o que há de mal, mas o que há de mal também está em nós.
Sem ele não seríamos nós.”

Eu sou completamente apaixonada por A 5ª Onda e O Mar Infinito, minhas resenhas melosas e repletas de amor não me deixam mentir! E por isso, estava com muita vontade de ler a conclusão da trilogia ao mesmo tempo em que ainda não estava preparada pra terminar.

Porém, depois de ouvir alguns comentários e ler resenhas negativas fiquei temerosa em realizar a leitura. Enrolei pra ler, confesso. Mas acabei criando coragem e embarcando na leitura. Não sei se me orgulho dessa decisão.

“Porque o amor é a arma mais perigosa do mundo.
É mais instável que urânio.”

A Última Estrela é um livro que não sei definir o meu sentimento por ele. Ao mesmo tempo em que gostei de acompanhar mais da história desses personagens tão amados, foi decepcionante ver o rumo para qual a história foi levada.

A sensação que tenho é que Rick Yancey se perdeu nesse último livro. Ele descartou personagens importantes, caminhou com o enredo para um rumo desagradável e decepcionante, além de deixar o leitor repleto de perguntas. Quando o fim chegou, fiquei sentindo como se tudo tivesse sido em vão. Nada é resolvido de fato.

“Eu sabia o que ele queria dizer. E, é claro, eu não tinha ideia do que ele queria dizer.
Essa era a coisa que acontecia entre nós, a coisa que nenhum de nós conseguia identificar, o elo inquebrável entre amor e medo.
Ele é o amor. Eu sou o medo."

Me viciei, chorei, passei raiva, me apaixonei mais um pouco pelos personagens tão incríveis. Perdi pessoas que amava e fiquei de luto por elas. Me surpreendi, sofri e amei. Mas no final me decepcionei e me senti vazia. Não estava pronta para me despedir dessa história e não queria esse final para ela.

A escrita do autor, no entanto continua viciante. Mais uma vez me vi presa ao livro, só que nessa leitura era um estar preso, mas não estar gostando tanto do enredo. O que sinto por esse livro é algo agridoce que não sei definir ainda.

"Algumas coisas...
algumas coisas, até mesmo algumas muito pequenas, valem a soma de todas as coisas."

Apesar do terceiro livro não ter me agradado tanto, sigo recomendando essa trilogia que tanto amo! Os livros maravilhosos, com uma escrita viciante, enredo surpreendente e personagens apaixonantes sempre terão um lugar de destaque no meu coração.

Fico agradecida por ter tido a oportunidade de lê-los e espero que você também dê uma chance a eles! Sem dúvida, vão te surpreender!

"O seu passado é o que você é."

site: www.dreamsandbooks.com
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Coisas de Mineira 15/02/2018

“A principal falha na humanidade era sua humanidade.”

(pode ter spoilers do segundo livro)
A última estrela é o terceiro livro da série que conta com A quinta onda e Mar infinito. Esse livro vai contar a história algum tempo depois do final do segundo livro, onde o grupo permanece no mesmo lugar. Num beco sem saída, Cassie, Zumbi e Evan não sabem o que fazer para deter Os Outros, e o único plano possível é na verdade uma missão suicida. Numa casa que antes tinha sido de um Silenciador, parte da quinta Onda, eles não estão seguros. E estar vulnerável num momento de guerra só pode resultar em uma coisa. Diante dessa situação, eles se preparam para o pior, mas até que o pior chegue, muita coisa acontece.
Especialista não é mais a mesma. Ela foi aperfeiçoada. Mas, o que Os outros querem em troca disso? Por que fizeram isso? Depois das revelações do final do segundo livro, ela já não consegue compreender o objetivo de tudo aquilo. Quando ela percebe o plano dele, é tarde para recuar, mas, o que é pior: trair os seus amigos ou trair a humanidade inteira? Tantos já morreram, mais precisamente, quase todos que ela conheceu. Se seus amigos são o que restou da humanidade, como saber quantas mortes valem a vida deles?

“– Não se pode confiar em nenhum desconhecido – eu respondi (...). – Nem mesmo em uma criança.
– E o que acontece quando não se pode confiar em ninguém? O que acontece quando qualquer estranho pode ser um “outro”?
– Sem confiança não há cooperação. E sem cooperação não há progresso. A história para.
– Sim! – seu rosto se iluminou de orgulho. – Eu sabia que você ia entender. A resposta ao problema humano é a morte do que nos faz humanos.”

É muito difícil falar sobre esse livro sem contar algo importante. É um livro muito... substancioso, muito cheio de informação. Ele vai narrar o início do fim, o meio e o final. É finalmente nesse livro que descobriremos o que Os Outros estão planejando, quem são eles e o que está havendo com o planeta. Com todas essas respostas eu posso garantir que você terá, além de uma leitura rápida, um grande nó no cérebro.

Nesse livro, especificamente, eu senti a escrita do autor um pouco mais lenta. Acho que a ideia de ser muito misterioso e cheio de rodeios para contar aquilo que está prestes a acontecer foi um recurso que não foi bem explorado nesse último volume, deixando a narrativa um pouco cansativa em comparação aos dois primeiros. Como todo último volume eu não posso evitar falar do final. Eu sou uma romântica incurável, então a menos que seja um final totalmente fofo em que todos saem felizes para sempre, eu não fico 100% satisfeita. No entanto, em alguns livros eu consigo reconhecer que mesmo que o final não tenha sido esse meu final perfeito, era um final inevitável. Foi o caso desse final que, poderia ter sido de uma outra forma, mas em síntese, teria sido o mesmo. Não haveria final sem que certas coisas acontecessem.

“Algumas coisas, ele me disse na noite antes de morrer, algumas coisas, até mesmo algumas muito pequenas, valem a soma de todas as outras.”

O livro é lindo, achei essa capa a mais bonita das três. O nome do livro é uma alusão perfeita ao final, é aquele nome que quando você fecha o livro, você entende. A perspectiva de Cassie em frente a um penhasco com o Urso de pelúcia do seu irmão contemplando a destruição também é uma representação clara do livro. Infelizmente encontrei alguns erros de revisão nesse livro, o que não notei nos dois primeiros, mas nada que fizesse diferença na obra como um todo. Devo dizer que terminei a trilogia com o coração na mão, mas que apesar do sofrimento, recomendo muito!

“Então não resta nada a fazer além de subir a escada pela última vez.
Pego a mão de Sammy, Sammy segura a de Megan, Megan pega a de Urso e juntos subimos à superfície. Os degraus balançam e gemem. Eles podem desabar.
Nós não.”

Por: Lô Scalioni
Site: http://www.coisasdemineira.com/2017/07/resenha-ultima-estrela-rick-yancey.html
comentários(0)comente



Leila 07/02/2018

Esperava mais...
A Última Estrela encerra a trilogia iniciada com A 5ª Onda.

No início da narrativa, os personagens ainda estão lidando com as consequências das decisões estúpidas que tomaram no livro anterior e o leitor ainda está se recuperando das revelações e do final chocante de O Mar Infinito.

Para quem não leu os livros anteriores, aviso que a resenha contém alguns spoilers.

Especialista, ainda atordoada pela verdade, está nas mãos do inimigo e é obrigada a seguir suas ordens. Vosch promete a liberdade para ela e seu grupo, se Esp entregar Evan. Esp foi aperfeiçoada por Vosch com o 12º sistema, que a torna tão forte quanto os Silenciadores.

É tudo muito doido, pois os outros, na verdade, são humanos infectados pelos alienígenas. Estes humanos pensam que são alienígenas, suas lembranças são falsas. Só haveria uma chance de vencer essa guerra: se os humanos percebessem que não são alienígenas. Levando isso em conta, percebi que ainda não vi nenhum alienígena de verdade na história. Será que são reais? Ou será que são uma invenção dos próprios humanos? Quem é o inimigo, afinal?

Esp foi teimosa e isso custou a vida de Teacup. Zumbi foi teimoso e isso custou a vida de Dumbo. Não sei se seria melhor se tivessem ficado no esconderijo, mas sair foi muito arriscado.

Após muitas mortes inúteis, Evan é capturado. Esp e o grupo ficam escondidos. Cassie convence Esp a ajudá-la a resgatar Evan. Na primeira metade do livro, Cassie faz um papel coadjuvante. O maior destaque é de Zumbi e Esp. No final, Cassie volta a ser protagonista, demonstrando muita determinação e coragem. Não gostei do final, pareceu-me que faltaram muitas coisas e algumas explicações. Confesso que esperava um desfecho diferente...

Em minha opinião, o primeiro livro ainda foi o melhor. No segundo e no terceiro livro, a narrativa foi perdendo qualidade.

Resenha publicada no blog Meus Livros e Sonhos

site: http://meuslivrosesonhos.blogspot.com.br
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



gabriel 23/11/2017

A 5ª Onda #3 A Última Estrela.


O último livro terminou de uma maneira não muito boa para os humanos, com o final do mundo realmente chegando com as bombas que a nave mãe irá lançar na Terra, não temos tantas escapatórias, não é?

Isso se não tivéssemos Bem (Zumbi), Cassie, Sam, Megam e Dumbo, mas o que realmente precisamos falar é sobre a Especialista... Ela mudou muito, mas devemos nos preocupar com isso? Sim, e muito.

Especialista está mais racional, e isso não é algo bom, sabe? Ela não liga para o que ocorre com os outros se isso justifica os meios... É claro, ainda teremos uma relação bem complicada entre ela e Bem, visto que sempre rolou um clima entre eles – esperem por isso.

Acabei não mencionando Evan Walker acima, porque ele vai estar em uma nova categoria nesse volume.

Evan faz parte dos Outros (Alienígenas), mas de alguma maneira ele conseguiu se rebelar e quer acabar com sua própria espécie para salvar a Terra. Isso se deve a algo muito obvio ao leitor desde o primeiro livro, mas que ficam fazendo um suspense – que não rola.

Eu gosto bastante dele, mas não sei se o que ocorreu com ele aqui vai ser justo, o posicionamento que o colocam, mas acho que era algo necessário, não que esteja concordando, o.k? Mas digamos que vocês irão ver um novo lado dele – que não é bom, um Evan mais sombrio.

Outro personagem que gosto é do Zumbi. A relação dele com Sam é incrível, mas ele também é um pouco teimoso, e nesse sentido acaba fazendo algumas decisões erradas, ele vai ter que encarar elas agora...

É claro que não posso deixar de falar da Cassie, não que morra de amores por ela, por que não. Ela é uma personagem bem construída como os outros, mas tem alguns dilemas internos sem sentido, digamos que o relacionamento dela com “Evan” é um deles... Mas ela também vai ter que encarar seus medos, e carregar os problemas da humanidade literalmente, mas isso você descobre lendo.

E a batalha final com os Outros?

Vai ocorrer, e vai ser algo bem intenso, foi bom de acompanhar, ver os personagens no seus limites, mas digamos que vai acabar de uma maneira que você não estava esperando...

Concluindo...

“O livro é incrível, bem melhor que o anterior, nos da todas as respostas que queríamos sobre os personagens e os Outros, mas deixa um clima meio triste por ser o último volume. A única coisa que não gostei foi do final, mas posso culpar por isso? Ele vai agradar uns e outros, é complicado – quando você ler vai entender e me conta o que achou.”

site: http://perdidoemlivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3