A Última Estrela

A Última Estrela Rick Yancey




Resenhas - The Last Star


38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Virna 25/05/2016

Doeu.
Eu daria 2 1/2 estrelas, mas como não posso, ainda "arredondei" pra cima.
Esse livro esta me fazendo questionar se o problema são os escritores que querem contar suas historias que realmente não são satisfatórias ou se somos nós, leitores, que esperamos demais.
Eu esperava mais de "The last star".
Eu queria mais. Eu queria amar esse livro, mas quanto mais penso na conclusão, mais amargo tudo fica.
Em termos de escrita, ainda continua muito boa , mas a conclusão de uma historia tao intensa foi... Frustrante. Confusa.
Vou demorar um pouco pra me recuperar desse livro e aproveitar pra refletir se o erro não estava em mim, que esperei demais.
Liny 10/03/2017minha estante
Falou tudo, o erro estava em vc, estava em mim, que esperamos demais




Larissa 29/05/2016

Os 5 estágios do luto pós-TLS:
1. Confusão intensa ("Mas que diabos acabou de acontecer aqui?")
2. Negação ("não é possível que isso aconteceu, qual a necessidade disso??? PRA QUE? PRA QUE, PRA CUME? MATANDO PRA CUME? não aceito")
3. Contemplação melancólica da vida, do universo e tudo mais ("estamos vivendo ou apenas existindo? *insira aqui foto da nicki minaj reflexiva*)
4. Pausa na contemplação melancólica para pensar sobre fatos do livro ("pera, como foi mesmo que aquilo aconteceu? eu vou voltar lá e reler")
5. Aceitação resignada de que você não entendeu foi nada ("desisto, meu cérebro vai fritar se eu pensar mais nisso, siga em frente, olhe para o lado, se liga no mestiço na batida do cavaco")

Vale ressaltar que não cheguei no estágio cinco ainda hahaha Mas sinceramente, foi complexo esse livro. Foi uma das conclusões mais agridoces que li nos últimos tempos, com certeza. Vai ser frustante pra uns, vai ser satisfatório pra outros (pra mim, mais frustante do que satisfatório até o momento, tenho que admitir.) Mas Rick Yancey continua um exímio escritor, cada frase escrita pra emocionar, pra chocar, pra enfurecer, pra encantar e espantar, tudo ao mesmo tempo. Porém, eu acho que ele apressou os acontecimentos cada vez mais, e perdeu de vista o que era pra ser o essencial.
De qualquer forma, estou ansiosa pra ver o que vem aí do Rick. Espero que ele possa se aperfeiçoar nesse sentido de acelerar demais a história e estacar abruptamente, deixando essa atmosfera excessivamente enigmática e confusa. Já tá deixando saudades essa série e esses personagens!
Amanda Mendes 30/05/2016minha estante
CONCORDO COM TUDO!
Quero roubar seu texto pra tentar explicar exatamente o que eu sinto! Posso?


Larissa 07/06/2016minha estante
Claro! hahah




Luan 15/07/2016

Com um desfecho menor do que o merecido, A última estrela apenas agrada e deixa uma sensação de frustração
A maior certeza que tive ao terminar de ler A última estrela é que Rick Yancey é um grande escritor. Ele tem o dom das palavras. Agora, se tem o dom de fazer grandes histórias, essa é uma dúvida. No momento, ainda não sei direito o que pensar sobre o desfecho da trilogia, que um dia já foi a minha preferida, e que defendia de todas as formas. Essa sensação também foi compartilhada por muitos leitores, segundo o que andei vendo. O livro não é ruim, mas parece que faltou alguma coisa, talvez a genialidade do primeiro, que sumiu nos dois seguintes.

Não dá pra falar muito da sinopse se não que vai servir como o fechamento da trilogia iniciada lá em A 5ª Onda, e que algumas respostas serão dadas – mas nem tão convincentes assim. Veremos bastante reflexão, assim como teve em O mar infinito, e alguma ação da metade pro fim – que é quando ele melhora relativamente. Não de uma forma clichê, mas também sem inovar ou reinventar a roda, há uma batalha entre o bem e o mal. Basicamente, chega a hora de enfrentar o inimigo, seja ele quem for, frente a frente.

A história inicia praticamente de onde o livro anterior terminou, e daquela forma lenta e um pouco confusa também. Aos poucos, as coisas vão acontecendo e a o livro vai se desenvolvendo. E é aí que está o problema. O desenvolvimento pecou. Pecou, especialmente porque o que vimos nos livros seguintes ao primeiro foi algo diferente do que o autor prometeu lá no primeiro. A ideia de A 5ª Onda e sua realização são espetaculares. Juntou alguns gêneros e deu tudo muito certo. Principalmente contando com uma escrita quase impecável. Digo, sem medo, que ele é um dos meus livros preferidos da vida. Mas desandou depois.

Talvez seja um pouco daquela máxima de que o próprio leitor espera demais principalmente quando se trata de um livro preferido. Mas a real impressão que fica é que o autor tinha uma ótima ideia pra começar e alguma noção de como acabar. No entanto, não sabia como ligar o início ao fim, e aí ficou essa confusão toda. Mas eu preciso dizer que o livro não é ruim, tudo isso falo baseado no sentimento de um leitor que considerava esta a melhor trilogia da vida e que não aconteceu. A última estrela é melhor que O mar infinito – que pareceu tão desnecessário.

Mas vou além. O segundo e o terceiro livros poderia facilmente se juntar e tornar um apenas. Até por que o autor cria várias possibilidades para continuação da história que dariam um possível terceiro livro. E com isso não estou dizendo que ele deixou pontas soltas. Mas ele deixa possibilidades. Mas a história tem mortes, tem dor, tem reflexão. Tem decisões e medos. Algumas descrições - um ponto em que Rick manda muito bem - são pontuais e bastante exatas.

Agora, falando um pouco sobre os personagens. Cassie, que começou como uma das melhores protagonistas juvenis que tenho conhecimento, terminou como uma menina chata e muito mimada, em nada coincidindo com a situação que ela vivia: uma invasão alienígena. Ben permanece da mesma forma desde o início. Gosto dele, mesmo que ele não tenha tido uma função de destaque, a não ser um par para as meninas e um ombro para Sam. Aliás, por falar em Sam, acho que ele foi o melhor personagem ao longo de toda a história. Soube amadurecer muito bem e Rick não perdeu a mão ao escrever ele no terceiro livro. Especialista, que praticamente roubou o papel de protagonista em O mar Infinito, mantém o destaque aqui. Gosto muito dela e de suas atitudes. Uma personagem muito inteligente, coisa que Cassie não soube ser. Sobre Evan, não tenho muito o que dizer. Suas principais menções são spoilers.

Sobre o fim do livro, e algumas atitudes mais ousadas do autor, eu gostei. Gostei sim de algumas decisões e de alguns caminhos tomados. Gosto de atitudes drásticas quando elas são bem embasadas e acrescentam à história e isso aconteceu. Gostei também que, no fim, depois daquele tal combate entre bem e mal, o mundo não virou a maravilha que era antes. Não. Nada disso, pelo contrário, existem ainda todos os riscos, mas de outra forma. Talvez aqui é que more um dos problemas. Ficou tudo muito em aberto. O autor deixou possibilidades que poderia facilmente dar um novo livro ou mais páginas para este desfecho.

O livro tem poucas páginas, é rápido de se ler. A diagramação da Fundamento consegue manter um mesmo padrão em relação aos outros dois. Os capítulos são divididos dentro de uma mesma página, não gostei muito. Mas a leitura é fluida. A escrita é, sem sombra de dúvida, o principal destaque de toda a trilogia. Rick é o mestre das palavras. Apesar de às vezes um pouco confuso, o texto dele é poético, simples, reflexivo. Nos faz pensar, não entrega mastigado. Tudo está nas entrelinhas – lembro que disse isso na primeira resenha da trilogia e chego ao fim não só constatando, mas também confirmando que ele evoluiu. Tirando o fato de que ele pareceu se perder um pouco no meio, o considero um grande escritor e fico ansioso para ler histórias que virão depois dessas, com um Rick mais maduro ainda. Para o livro, nota quatro.
comentários(0)comente



Joao Paulo Frauches 25/06/2016

SERIA ESSE O MELHOR FINAL DE TODOS ?
Depois da bomba que ''O mar infinito'' trouxe, ''A ultima estrela'' veio para explodir uma segunda ainda mais chocante.
Depois de 3 longos anos acompanhando a saga, finalmente ela chega ao fim. Antes de iniciar minha leitura eu vi uns comentários sobre algumas pessoas não satisfeitas com o final. Mas essas pessoas nao entenderam a real mensagem que o autor queria passar para os leitores e nem mesmo entenderam o jeito dos personagens que acompanharam durantes TRÊS LIVROS.
O ritmo de a ultima estrela é o melhor da trilogia. O livro começa exatamente onde ''O mar infinito'' parou e pega um ritmo bastante movimentado. Com o passar das paginas o destinos de alguns personagens são finalizados e outros sendo massacrados aos poucos.No fim o destinos de todos são traçados e, pra mim, não poderia ser melhor.
No final do livro você chega a um ponto de rezar para que seus personagens sobrevivas ao meio de tanta coisa acontecendo.
Rick soube aproveitar cada cena para nos explicar quem eram ''Os outros'' e seus objetivos, aproveitar cada personagem, aproveitar cada morte e como ela afetaria seus personagens futuramente.Rick simplesmente é um gênio da ficção, ele fugiu de todos os cliches que uma saga alienígena poderia ter e ainda fez todo mundo de TROUXA.
Se você realmente prestou atenção em todos os personagens, nas historias que o autor nos apresentou, nos objetivos de cada um, voce realmente vai adorar o final e não ficar de mimimi como muitos estão pelo final parecido com o de ''O U T R A saga''. O final dessa O U T R A saga não fez sentido, mas o de A 5ª Onda fez e não poderia ser diferente.
Desde que eu li A 5ª Onda a saga se tornou a minha favorita e não me arrependo de ter colocado ela até o fim como minha favorita.
Fernanda 25/06/2016minha estante
é bom?


Joao Paulo Frauches 25/06/2016minha estante
SIMMMM. O melhor da trilogia na minha opinião.


Fernanda 26/06/2016minha estante
Eu to querendo ler, mas confesso que fiquei meio confusa no segundo HSUSHSUSHSUSHUSHSS


tata 16/07/2016minha estante
Exatamente! Adorei esse final, achei coerente com a história e com os personagens.


Gio Teodoro 27/04/2017minha estante
Fiquei um pouco assustada com os comentários de insatisfação mas bastou o seu pra que eu me anime novamente com a série.


Eduardo 09/01/2018minha estante
Resenha perfeita... Meu livro preferido da trilogia tbm.




Lua @epigraph9 07/06/2016

Do céu ao inferno em 3 livros.
Pode conter algum spoiler, mas vou tentar ser o mais sucinta possível.

Tem exatos 9 dias que acabei de ler esse livro, e somente hoje consegui expor meu pensamento sobre o último livro da trilogia A 5 onda. Quem me conhece sabe o quanto eu amei o primeiro livro, acho que o autor teve uma ideia brilhante, e a escrita dele era muito boa, embora algumas vezes confusa. Nos dois últimos livros o autor nos deixou como inúmeras dúvidas sobre "os outros". Na minha opinião, continuou mal explicado mesmo depois de eu ter lido o último livro. Em algum momento da minha vida, quando a decepção ter passado um pouco, eu vou reler toda a trilogia para tentar entender mais.

No início do livro nós temos Ringer escapando depois de Razor/Navalha se sacrificou para que ela pudesse ficar livre. O que eu não esperava era que ela retornaria pro Vosch logo em seguida.
Ben, Megan, Sam, Dumbo, Cassie e Evan estão na casa segura (casa da Graça, silenciadora do segundo livro), e a única coisa interessante sobre isso é que Ben e Dumbo vão atrás da Ringer.

A impressão que tive ao longo da leitura, é que parecia que aconteceu muita coisa, quando na verdade não aconteceu quase nada. O persoangem que mais me impressionou nesse livro foi quem? TAN TAN TAN *música de suspense* Sam Sulivan, você me impressionou garoto, e olha que achava que tu merecia uns tapas no último livro por ser tão chato.

A morte de personagem W não me impressionou, pois eu já sabia bem antes de ler, devido aos tweets do autor. A morte do persoangem X foi tão sem graça que me deu sono. A revelação sobre o persoangem Y foi tão bleh. Meus Deus, que desnecessário!!!! O final de personagem Z foi tão sem graça, acho que não fez jus ao que o personagem.

Conclusão: Não gostei do fim de nenhum dos personagens desse livro, achei que o autor foi preguiçoso sobre o final, tem muitas coisas "viajadas" que o Rick escreveu, não achei muito conclusivo. Na maioria dos finais dos livros de desastres, os autores sempre dão uma ideia de esperança. Aqui não temos isso. Tem mais algum sobrevivente além dos silenciadores? Como a Terra vai ficar?
PS.: Não foi uma resenha, foi mais minha opnião.
PS.2: Gostaria que o livro tivesse ido pro meu altar de favoritos, mas infelizmente passou longe disso acontecer.

Leiam e tirem as próprias conclusões.
Luiza Furtado 27/03/2017minha estante
Concordo com você! Parece q ele ficou com preguiça de pensar num final pros personagens. Achei que ele teve pressa em acabar o livro e ficou tudo muito superficial. Me decepcionou bastante!




Isadora 24/04/2017

Para que você fez isso?
O autor tinha a faca e o queijo na mão. Ele tinha a história, tinha a escrita, tinha os personagens, tinha um excelente desenvolvimento até o segundo livro. E o que ele faz?

Ele tem uma idéia (idéia idiota), de decidir não explicar muita coisa no fim das contas, deixar para que cada um responda as perguntas que ele mesmo criou. Esse autor gosta de poetizar tudo o que ele escreve, então, se você não prestar atenção, não irá conseguir entender o que ele realmente quis dizer. Ao invés de falar "diretamente" ele enrola e acaba "explicando, mas não explicando".

Ele destruiu a trilogia. Ele quis optar por um caminho que ele com certeza sabia que não iria agradar e sim gerar polêmica. Ele não manteve os personagens. Quase não os reconheci.

SPOILER

Ele deixa personagens insuportáveis vivos e mata pessoas que são as mais importante de toda a história.

Me sinto decepcionada. Vou fingir que só teve o 1 livro, a 5a onda. Esse sim é excelente.
Zal 01/07/2017minha estante
Excelente sua opinião, detestei o terceiro livro e o segundo poderia ter sido melhor, o autor perdeu e estragou uma maravilhosa distopia!


Isadora 02/08/2017minha estante
Realmente, era para ser uma distopia excelente, favoritada. Mas tivemos apenas decepções.


Evy 26/12/2017minha estante
Tenho a mesma opinião que a sua, a 5 onda é meu favorito, vamos fingir que só teve ele :'(




Camz 06/02/2017

PIOR LIVRO
A pior coisa do mundo é você ler um livro que você considerou perfeito no caso da 5°Onda e o autor simplesmente, sem lógica nenhuma. ESTRAGAR, DESTRUIR e não tenho bem adjetivos o suficientes a história nos livros seguintes.

Eu simplesmente ainda tinha esperança. Mas a história ficou tão MERDA. Totalmente sem lógica NENHUMA. Perca de tempo....
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Felipe 03/09/2016

Conclusão da trilogia da Quinta Onda, a forma de escrever de Rick Yancey continua a me fascinar. Como os outros livros, a leitura foi extremamente rápida, não necessariamente pelo seu tamanho (que me incomoda um pouco, preciso de mais Cassie!) mas sim pela tonalidade um tanto "descontraída" dos personagens.

O detalhe do nome do personagem antes de cada sessão, embora desnecessário na minha opinião, é bem vindo. Constantemente tive que pausar minha leitura para salvar citações de análises sobre a vida, a fé, a humanidade e muitos outros assuntos pertinentes, onde Yancey demonstrava não somente um amplo conhecimento mas também pontos de vista extremamente interessantes sobre o mundo. E isso para mim é um dos maiores pontos positivos da obra: a abordagem do autor foca o lado humano dos protagonistas no cenário estabelecido, e quais são as consequências de uma invasão alienígena em sua própria humanidade. Como você lida com a obrigação de matar? A necessidade de sobreviver? Vale tudo para manter-se vivo? Como confiar no desconhecido?

Essas são somente algumas das diversas questões que ele oferece ao leitor e que compõe um dos cenários pós-apocalípticos mais interessantes e inteligentes com que me deparei até agora, onde o inimigo não busca (somente) destruir a civilização humana fisicamente, e sim garantir sua aniquilação completa ao destruir sua própria essência humana através de psicologia.

E embora o final do livro não fosse o esperado, acabei me deparando com um fim de narrativa extremamente satisfatório, que foge do "felizes para sempre" para uma resposta realista ao cenário estabelecido - que particularmente acho a melhor opção visto as abordagens mais profundas que o livro faz sobre toda a trama. Embora Os Outros tenham recebido sua dose de explicações ao longo da obra, sinto que ainda sobra um mistério sobre a raça, o que na minha opinião para um vilão que consegue atacar a humanidade com esse nível de planejamento, é suficiente. E sobre o fim, vale ressaltar que a conclusão do arco de Cassie foi uma das mais satisfatórias que li nos últimos tempos, toda sua sequência final digna de aplausos.

Enfim, achei um ótimo livro, que não somente mantém o padrão de qualidade da série como ainda consegue elevá-lo um pouco mais. Não somente recomendaria como também leria novamente.
gabrielrjf 16/11/2018minha estante
Que bom ler sua resenha. Vi tantas críticas que fiquei com medo de me decepcionar, mas estou amando




Alika 07/07/2016

leia aqui: https://goo.gl/7ekv82
“Podemos amar o que há de bom em nós e detestar o que há de mal, mas o que há de mal também está em nós. Sem ele não seríamos nós.”

Então, começo elogiando Sr. Rick Yancey: agora os capítulos começam anunciando quem está narrando! UHU! Valeu, Rick! Agora a gente não precisa mais de bola de cristal pra saber quem tá narrando. hahahaha

Mas tenho uma pequena crítica também: ok, muito legal o livro continuar exatamente de onde o outro parou. Mas é bom relembrar um pouco o final do livro anterior, como Ransom Riggs fez em Cidade dos Etéreos. Afinal, quando a gente não lê seguidamente, a gente não lembra exatamente tudo, né?

“Mas sei o que é fé, padre. Sei o que é acreditar em alguma coisa. As luzes se apagam, elas acendem outra vez. As águas da enchente vêm e vão. As pessoas ficam doentes, elas melhoram. A vida continua. Isso é verdadeira fé, não é?”

Mas ok, agora vamos falar de “A última estrela”! haha

Rick Yancey aprimorou mais ainda sua escrita. Eu tenho tantas citações marcadas que, se colar todas aqui, fica um texto imenso. Há tantas metáforas que acho que vou reler essa trilogia pra poder entender tudo.

Tenho medo de falar demais e dar algum spoiler. Esse livro se passa em 4 dias. São os 4 dias contadinhos para o fim do mundo. Afinal, os Outros estão lá fazendo de tudo pra acabar com a humanidade, né?

“Não importa o quanto você acha que conhece alguém, sempre existe uma parte que fica de fora.”

Espere mortes. Espere revelações. Espere reflexões sobre o amor. Espere mais descobertas sobre os Outros. Pode ser que você se decepcione, como vi muitas resenhas de quem se decepcionou…

Eu? Eu gostei, e acho que preciso refletir mais. E reler também. Espero que Rick Yancey escreva mais, gostei muito do que li.
“Porque o amor é a arma mais perigosa do mundo. É mais instável que urânio.”
comentários(0)comente



Wesley 18/08/2017

Decepcionante
Existem alguns poucos pontos positivos, acredito que nos livros anteriores a qualidade vinha caindo, mas para este ela despencou. A história arrasta um romance forçado onde a todo momento a protagonista (ou deveria ser) fica em um dilema se ama ou não o Walker, em alguns pontos ela opta por estar ao lado dele do que o próprio irmão. Do lado da Especialista ela era a única em minha opinião que levava a história pra frente, porem ao final ela afundou junto com a história.
comentários(0)comente



Alessandra 02/06/2019

Dominação da raça humana.
A Última Estrela é o terceiro e último volume da série "A 5a Onda", cujo filme foi lançado em 2016.

No enredo temos uma dominação alienígena que já dizimou milhares de pessoas e Cassie Sullivan tentando sobreviver junto com o irmãozinho nessa situação caótica e perigosa.

É impossível confiar nas pessoas, pois nunca se sabe se são humanos ou os Os Outros, como são chamados.

Ao longo da trilogia somos apresentados aos demais personagens que têm papel de suma importância nessa luta contra os invasores e, também, como o desenrolar da trama traz o amadurecimento de todos, visto que cada um, individualmente, passa por várias situações traumáticas.

Na época que o primeiro livro foi lançado não agradou todo mundo. Rick Yancey não tem uma escrita tão fácil, o que pode ter afastado muitos leitores pois o clímax demora a se desenvolver, mas tudo é pertinente haja vista a necessidade de explicar os fatos e inserí-los no contexto dessa espécie de juízo final.

Para quem gosta desse gênero de leitura os demais livros contém muita ação e várias descobertas, com uma pitadinha de humor para suavizar a gravidade dos acontecimentos, que muitas vezes são extremamente tristes e de cortar o coração.

Não me emocionei tanto no terceiro livro, mas talvez tenha sido a distância entre as leituras. Como não costumo reler os livros acho que o drama acabou se perdendo um pouco para mim. Entretanto, acho que é uma trilogia muito boa e que vale a pena ser lida, com certeza.

site: https://euamolivrosnovos.blogspot.com
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Less 10/07/2016

Escala de 1 a 10 = 7
De todos os três livros da série, este foi o que menos gostei.
Não achei a conclusão digna de uma história tão complexa. Muitas coisas acontecem mas, as coisas MAIS importantes são deixadas para o final e resolvidas nas 10 últimas páginas. Muito corrido, muito mal explicado.
1 dos 4 protagonistas (Cassie, Evan, Ben e Marika) morre, sem qualquer motivo/explicação. O autor me decepcionou pra valer.
Line 02/12/2016minha estante
undefined




Maria Fernanda 04/06/2016

E agora, José?
Gostaria de começar dizendo que isso não é um livro, é uma obra de arte. Rick Yancey não escreve, ele pinta. (Os dois primeiros capítulos, principalmente, são coisa de louco. Sério.) Eu amo a escrita desse homem de um jeito que não consigo explicar. É tudo tão poético, tão metafórico, tão lindo...

Eu nunca me preocupei com a possibilidade de a conclusão não atingir as minhas expectativas, porque essa distopia em si já é tão bizarra e de pirar o cabeção que o final só podia ser do mesmo jeito. Tipo, mesmo compreendendo cada palavra, fiquei o tempo todo meio ¿¿¿quê??? no meio de tamanha confusão, babado e gritaria.

Sem perder o bom humor de lei nos pov's da Cassie e do Ben, The Last Star tem um clima contínuo de tensão, pois o enredo é uma contagem regressiva de 4 dias para o fim do mundo. (EU SEI! CACETE!) E é o mundo se acabando e os caras fazendo piada, parecem até brasileiros. Dei cada gaitada doida!

Só fiquei um pouco "Não, Rick... Que bosta, mano." com uma coisa que aconteceu com a Ringer (Especialista) que achei 100% desnecessária. Mas, vida que segue. De resto, achei tudo muito digno. "Até a morte de x, Fernanda?" Sim, até a morte de x. Foi tristíssimo e etc, inclusive chorei no epílogo, contudo, se encaixou bem demais e tampou a panela bem direitinho.

Assim, chega ao fim uma das minhas distopias preferidas.

site: http://instagram.com/_bookhunter
Eduardo 09/01/2018minha estante
Resenha muito boa... Realmente a escrita é perfeita e o final se encaixou perfeitamente... Gosto de finais que fogem do "padrão" e esse foi um daqueles que fez todo sentido.




38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3