Nós

Nós David Nicholls




Resenhas - Nós


50 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4


De Olivato - @olivatobooks 24/09/2016

É só isso, não tem mais jeito, acabou, boa sorte.
Eu comprei esse livro na promoção dos livros da Intrínseca nas Americanas –loja física – da minha cidade, paguei 9,90 nele.

“Acho que nosso casamento já deu o que tinha que dar. Acho que quero me separar de você.”

Este livro conta a história de Douglas Petersen que é um bioquímico de 54 anos, uma noite, Douglas é acordado pela sua esposa à 25 anos, Connie e ela joga a bomba de que quer o divórcio. O casal tinha planejado sair de férias por um mês com o filho, um grande Tour pela Europa antes de Albie – filho deles – ir para a faculdade.

“Apenas confrontando os piores traumas da vida é que a pessoa poderia compreendê-los e enfrentá-los.”

Bom, eles partem para a grande viagem e Douglas acha que pode tentar conquistar Connie durante as férias, mas o relacionamento deles é muito mais complicado do que isso, envolve também o filho do casal que é irritante demais.

Eu odeio quando sinto vontade de desistir de uma leitura, porque sempre tenho a esperança de que pode melhorar, mas não vejo isso em Nós, eu não me senti conectado por nenhum dos personagens, na verdade eu os achei bem irritantes, achei a escrita tão cansativa, não senti a mínima empatia pelo casal, eles terminarem juntos ou não, não afetaria nada pra mim e o filho do casal... Eu só posso dizer que gostaria de ler uma parte que ele aparece sem sentir vontade de revirar os olhos. 🙄

“Duas almas perdidas se encontrando ou alguma bobagem desse tipo. Mas, na vida real, almas perdidas não se encontram, apenas vagam por ai”

O livro é narrado por Douglas intercalando presente e passado, dando motivos para querer que o casal fique junto, mas nem isso foi capaz de me convencer. Considero pessoas fortes quem acabaram esse livro, vi que algumas pessoas até gostaram e eu sinto que apenas essa história não é pra mim.

No Skoob, eu desisti em 53% da leitura porque não conseguia ler mais nenhuma página e dei 2 estrelas, poderia ter dado uma nota mais baixa, mas não terminei ele pra ter uma opinião mais formada.

site: https://www.instagram.com/p/BKvyKzYDbd9/
Bya 26/09/2016minha estante
E eu acabei de ver esse livro na promoção lá na loja física rs aii gostei


Lilde.Silva 05/10/2016minha estante
Já tinha lido Um Dia,do mesmo autor,e imaginava que seria bom tbem,não gostei,só terminei pq quando me proponho a ler um livro tenho que ir até o fim,mais esse me cansou,não recomendo




Blog Esculpindo Abóboras 08/07/2016

Resenha publicada no Blog Esculpindo Abóboras
Um livro sobre relações. Em Nós, David Nicholls nos apresenta o universo de Douglas, um bioquímico de 54 anos, que preza a organização e a objetividade. Douglas é casado com Connie, uma artista, livre de regras e intensa. Opostos, mas foi exatamente o fascínio pelo desconhecido que os uniu.

A história tem início quando Connie acorda o marido e diz que quer se divociar. Após 25 anos de casados, Douglas não consegue entender o porquê dessa decisão da esposa e fará o possível para fazê-la repensar.

Douglas e Connie têm um filho de 17 anos, Albie, com quem Douglas tem um relacionamento bem complicado. Albie é muito parecido com a mãe, tem alma de artista e isso é um problema na sua relação com Douglas. Ele está saindo de casa e os pais haviam planejado uma viagem de férias em família, uma espécie de fechamento de ciclo. Não preciso dizer que Albie não está nenhum um pouco feliz com essa viagem, certo? Para ele seria muito mais divertido fazer um mochilão pela Europa com amigos.

Na iminência do divórcio, Douglas se agarra à viagem como o último recurso para tentar reaver o seu casamento e em meio a tantos conflitos os três embarcam em um Grand Tour pela Europa. Metas para a viagem: evitar conflitos com Albie e reconquistar Connie. Simples? Nenhum um pouco!

Douglas havia organizado todo um roteiro para a viagem, mas Connie e Albie tentam fazê-lo viver o momento, sem seguir tantas regras e prazos, a viagem está fluindo razoavelmente bem quando um evento cria uma grande discussão entre Douglas e Albie e o caos é instaurado.

Albie foge com uma garota que havia conhecido, Connie decide voltar para casa e Douglas decidi continuar a viagem. Sim! Douglas continua a viagem sozinho, mas agora sua meta é outra: encontrar Albie, fazer as pazes e levá-lo de volta para casa. E é aí que começa a diversão, porque Douglas começar a viver de fato, no improviso, você sente que ele finalmente está fazendo algo com paixão.

Um encontro em especial instiga Douglas a perceber novas possibilidades, a enxergar além do óbvio e o final é espetacular. A história é narrada por Douglas, em microcapítulos, e ao longo da narrativa ele vai fazendo contrapontos entre o momento atual e o passado, o que nos permite compreender melhor como as relações se estabeleceram. Não é um livro com muita ação, então o início pode ser um pouco cansativo, se você não está acostumado com esse tipo de leitura, mas é um livro que permite inúmeras reflexões.

site: http://esculpindoaboboras.blogspot.com.br/search/label/david%20nicholls
comentários(0)comente



Mariana Storck 06/07/2015

Nós - David Nicholls | Blog Portão Azul
A trama envolve apenas uma família, mais propriamente o lado do Douglas, pai do Albie, bioquímico e esposo da Connie, esta que o acorda de madrugada depois de 25 anos de casamento para contar que quer se separar. Porém eles estão programados para fazer uma viagem, um tour pela Europa. Albie não tem tanta afinidade com o pai e esse é o caso central da trama, nenhum dos três são fáceis de lidar, por isso vivem se desentendendo, mesmo assim Douglas quer resgatar seu contato com o filho e mudar a ideia da esposa de se separar. Mas não fica só nisso, Douglas como narrador nos conta como ele e Connie se conheceram, se apaixonaram e acabaram casados com um filho fazendo um tour tenso pela Europa.

A história pode ser um pouco parada para quem gosta de mais ação, pra mim que gosto de gêneros policiais e suspense foi um pouco, mas só atrapalhou mesmo no tempo que levei pra ler o livro, pois a satisfação foi a mesma. Um ponto marcante do autor é a sua proximidade da realidade, então por isso pode ser que o ritmo de seus livros sejam um pouco lentos. Nossa vida não é agitada 24h por dia, vamos combinar!

A resenha continua lá no blog Portão Azul ;)

site: http://portaoazul.blogspot.com.br/2015/07/resenha-nos-david-nicholls.html
comentários(0)comente



Rebeca 07/10/2015

Douglas está longe de ser perfeito, mas enfrenta as adversidades e não desiste facilmente, mesmo que as coisas não saiam como planejadas. Um protagonista real, enfrentando problemas reais... Impossível não se encantar por ele e torcer para que no fim tudo dê certo, mas e se o fim, mesmo sendo inesperado, se torna certo?! Só o David Nicholls para nos convencer tão facilmente assim!!!
comentários(0)comente



Patty 28/03/2016

Gostei mais do que Um Dia (que é do mesmo autor)
O livro conta a história de Douglas e Connie, um casal que tinha tudo para não dar certo por serem tão diferentes, mas estão juntos a quase 25 anos. Só que agora ela quer o divórcio e ele acha que a viagem junto com o filho, com quem tem uma relação difícil, pode recuperar seu casamento.
Uma história emocionante, com alguns momentos divertidos, e de uma realidade incrível, que poderia ser a história de muitos casais reais.
David Nicholls mais uma vez traz uma linda história sobre o amor e as relações interpessoais.
comentários(0)comente



Edméia 10/09/2016

*Livro realista !
*Nós é um romance da autoria de David Nicholls que narra a história de família constituída por três pessoas : Douglas, Connie e Albie !
Douglas é um cientista bioquímico ! Um homem sério, introspectivo, tímido e cuja a autoestima não é lá muito boa !
Connie é uma artista plástica ! Trata-se de uma mulher inteligente, bonita, sensível e pôrra-louca como é a maioria dos artistas.
Albie, filho do casal, é um adolescente de 17 anos ! Ele gosta muito de fotografias e se identifica totalmente com o jeito de ser da mãe ! Ele e Douglas são muito diferentes !!! Eles não se relacionam bem !
Douglas e Connie, após 25 anos de casados, pensam em se separar ! Antes, porém, eles desejam passear por alguns países da Europa, família reunida, como se fosse um “rito de passagem ! “
Como personagens secundárias temos : Karen, irmã de Douglas ; Cat, amiga de Albie ; Ângelo, ex-namorado de Connie e Freja, recém-conhecida de Douglas !
Na minha opinião, Douglas fez um mau negócio casando-se com Connie porque eles eram muito diferentes ! Além disso, o fato deles terem apenas um filho – o primeiro filho foi uma menina e veio a óbito dois dias após o nascimento . Ela foi registrada sob o nome de Jane ! – e este, Albie, ser muito próximo da mãe e, em consequência, distante de Douglas, fez este último sofrer muito !
Douglas deveria, na minha humilde opinião, contrair matrimônio com uma mulher que fosse do estilo dele, da área das exatas ! Connie, era uma artista ! Percebe-se claramente que ela era ótima para brincar com o filho quando ele era menino, mas, ela deixava muito a desejar em termos práticos de vida !
Bom, não falarei mais nada, se não, irei me empolgar e contarei, rapidamente , o final da
História ! Só digo que, senti pena de Douglas, gostei do livro e pretendo relê-lo e aprovei o final ! Foi realista !!!
*Guaratinguetá, Setembro de 2016.

comentários(0)comente



Mileenasamp 14/07/2016

Douglas, Connie e Albie
Vi muitas resenhas com comentários negativos em relação a mudança de tempo durante os capítulos. Mas eu amei isso. Me senti sentada de frende com Douglas, ouvindo sua historia de vida, enquanto o mesmo vaga pelo passado distante e pelo mais recente. A história me lembrou muito cidades de papel. Livro ótimo. ?
comentários(0)comente



Diane 04/03/2018

Um Grand Tour
Muito divertido, o Douglas passa por cada situação a fim de salvar a sua família. Gostei muito do roteiro da Grand Tour, me permitiu viajar junto com eles, conhecer as belezas da Europa.
comentários(0)comente



Andy 31/08/2016

nós
Um livro triste, alegre, desesperador, agoniante e maravilhoso que nos deixa com um gosto agridoce na boca, ansiando por uma continuação para saber o que houve com toda a família e principalmente com Douglas.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mariana 23/02/2018

Um dos piores protagonistas
"Nós", de David Nicholls conta a história de Douglas Petersen, um cientista, que organiza uma viagem com sua família para um tour na Europa, com o intuito de passar nas principais galerias de arte, já que ele queria salvar seu casamento com Connie e mostrar a seu filho, Albert, ou Albie, as principais obras de arte, uma vez que ele iria entrar para a faculdade de Fotografia.
Esse livro me agradou em alguns pontos e na maioria, me desagradou. Por exemplo, o tour pelas galerias é bem interessante, assim como as excursões pelas cidades em que eles passavam. Por outro lado, o personagem principal me irritava muito! Seja quando ele achava que a ciência é mais importante que as artes, e ter um filho artista é inconcebível (mesmo tendo casado com uma artista); ou quando ele acha que o papel do pai é só prover financeiramente uma casa (plmdds). Às vezes ele ainda era contraditório no que falava. Ainda, ele tinha medo de ser igual o pai, mas tinha as mesmas opiniões dele.
Enfim, se ele tivesse tentado ter uma conversa franca com o filho bem antes, teria evitado todo o conflito desnecessário que ocorreu no livro.
comentários(0)comente



Clube do Farol 30/08/2017

Nós. Clube do Farol.
Resenhado por: Jéssica Burgos

Ganhei este livro em um sorteio promovido pela Livraria e Sebo Simonetti no final do ano passado e até então não havia o lido. Um título tão curto e a capa vermelha me chamaram a atenção, resolvi arriscar e dar uma chance, até porque nunca tinha lido nada deste autor.

Douglas Petersen é um bioquímico de 54 anos, é metódico, organizado, objetivo e, talvez, um pouco antiquado. Casado a 25 anos com Coonie Moore, uma artista de espírito livre, eles viviam uma vida feliz com seu filho adolescente Albie, um jovem rebelde e também artista.

Até que uma noite, Douglas é surpreendido por sua esposa, que diz querer se separar. E ele se vê sem chão, não entende, e aquilo martela na sua cabeça... Mas, como? Eles não eram tão felizes, não estavam bem?

"A conversa continuou por algum tempo, Connie, exultante com toda aquela sinceridade, eu, inseguro, incoerente, esforçando-me para assimilar o que ouvia. Há quanto tempo ela se sentia assim? Será que estava realmente tão infeliz, tão cansada? Eu entendia sua necessidade de ‘redescobrir a si mesma’, mas por que ela não poderia se redescobrir comigo por perto? Porque, como ela dissera, nosso trabalho estava concluído."

A separação não seria iminente, uma vez que eles já haviam programado as férias familiares "O Grand Tour dos Petersen!", uma viagem pela Europa e seus principais pontos turísticos, seria essa a chance de Douglas reconquistar sua esposa ou deixar tudo ir por água a baixo?

Douglas, como todo bom metódico, havia planejado cuidadosamente e organizado o roteiro da viagem, mas Connie e Albie queriam que ele vivesse o momento, que se deixasse levar... A viagem continua seguindo relativamente bem, até que em um café da manhã, Albie se mete em uma confusão e tem uma discussão com Douglas, e foi a gota d’água. O caos estava instaurado.

Em meio a memórias do passado e o presente, David Nicholls constrói uma história que se mostra envolvente, complexa e sensível como todas as relações familiares são. Eu, particularmente, gostei muito do personagem Douglas e suas manias, seu jeito "certinho”" mas não posso dizer o mesmo de Connie e Albie. Será que vocês adivinham o motivo?

Gostei deste livro porque ele é REAL, mostra como as relações familiares são e traz reflexões e diversos aprendizados ao longo da narrativa. O autor soube descrever cada lugar por onde a família Petersen passou ao longo do Grand Tour, nos transportando para dentro do livro e fazendo com que pudéssemos nos sentir na Europa, além disso, no final do livro há um "esquema" dos locais visitados e as obras citadas, para ajudar os leitores.

O livro é dividido em partes, sendo cada uma delas uma parada da família Petersen ao longo do Grand Tour e marcada por uma frase, as páginas são amareladas e os capítulos são bem curtinhos (cerca de três páginas cada um).

site: https://clubedofarol.blogspot.com.br/2017/04/resenha-nos.html
comentários(0)comente



Ligia D'Arienzo 07/05/2016

Relacionamentos e suas crises.
Tenho sentimento contraditórios em relação a esse livro. Mas para explica-las é necessário um pequeno resumo da ópera.

“Nós” é um livro que irá explorar o relacionamento de um homem com sua família. O homem em questão é Douglas Petersen, um cientista bioquímico reservado que é casado com uma artista, Connie. Após vinte e poucos anos de casamento, quando o filho deles, Albie, irá para faculdade, Connie, no meio da noite, informa Douglas que acha que quer se separar dele. Para marcar a saída de Albie de casa, e, na perspectiva de Doulgas, tentar salva o casamento, a família sai para um Grand Tour pela Europa.

O livro todo é narrado pela perspectiva de Douglas. E os capítulos se alternam de tempos em tempos entre o Grand Tour e a história da constituição da família Petersen até os dias atuais.

De um lado achei genial a forma como o autor tratou, a partir da perspectiva de Douglas de todos os conflitos, encantamentos, desencantamentos, auto cobrança, arrependimentos, expectativas, desapontamentos que o mesmo tem em relação ao seu relacionamento com sua esposa, com seu filho, com seu pai e principalmente com relação a si mesmo. Gosto como o livro descontrói ditados e a visões ideológicas que criamos para nossas vidas e que estão longe da realidade do nosso dia a dia. Gosto de como o personagens se questiona e tenta compreender seus certos e erros ao longo da vida, de como imaginamos nos expressar e na realidade nos expressamos e a repercussão disso nos relacionamentos. O livro de fato é extremamente contemporâneo e poderia ser a história de qualquer homem de família.

Por outro lado, os capítulos são extremamente pequenos e não dão ritmo a leitura. Cada capítulo tem no máximo três páginas, o que me deu a sensação de o livro ser maior do que na verdade é. Como cada capítulo se concluiu nele mesmo, é fácil largar o livro e esquece-lo por um tempo. A falta de ritmo foi o que me cansou e desanimou no livro. Mas, depois de um mês e meio consegui finalmente conclui-lo, e o final, para mim, foi perfeito.


site: https://literaturanamao.wordpress.com
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Biancacarpesc 06/03/2019

Cansativo
O livro é cansativo e enrolado, não recomendaria.
comentários(0)comente



50 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4