Nós

Nós David Nicholls




Resenhas - Nós


50 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Raquel Comunale 30/07/2019

A história é narrada por Douglas Petersen, um bioquímico de 54 anos casado com Connie. Depois de 25 anos de casamento e com o filho Albie indo para a faculdade Connie pede o divórcio no meio da madrugada. Com uma viagem planejada para a Europa a família decide seguir em frente mesmo mesmo com o divórcio eminente. Douglas vê na viagem uma chance de salvar o casamento, Connie decide se deixar levar e Albie aproveita para reclamar durante toda a viagem como qualquer jovem que preferia estar passando as férias com os amigos.

Bem, a narrativa é muito rica. Conseguimos acompanhar cada parte da viagem com descrições detalhadas de cada local que a família visita e toda a arte envolvida em uma viagem pela Europa. A escrita de David Nicholls é conhecida exatamente por ser tão descritiva mas confesso que no meio do livro já estava um pouco cansada de ler tantos detalhes sobre uma pintura específica ao invés de saber o que raios aconteceria com os personagens.

O capítulo 39 particularmente eu achei maravilhoso! Assim como a maneira humana como todos os persongens são contruídos. É fácil ter empatia por Douglas, Connie e até mesmo por Albie (chatinho) conforme a história vai sendo explicada e entendemos os motivos dos conflitos internos de cada personagem. A leitura vale muito a pena.

site: https://desencontre.blogspot.com/
comentários(0)comente



Mauricio 28/07/2019

Nós e não apenas eu
Amei este livro. Só devo agradecer ao personagens Douglas aos momentos de risadas e tristeza que passei. Não é uma comédia romântica e não aguarde reviravoltas do tipo. Um romance da vida real. As angustias de um homem na busca da salvação do casamento e da dificuldade em lidar com seu filho com 17 anos.

O livro inicia com a conversa entre Douglas e Conie sobre se separarem. O autor vai alternando entre os capítulos momentos atuais e do passado. Assim conseguimos entender como os personagens chegaram ao ponto inicial. Em determinados momentos pode parecer irritante a visão de Douglas, mas é isto que constrói todo o personagem.
comentários(0)comente



Biancacarpesc 06/03/2019

Cansativo
O livro é cansativo e enrolado, não recomendaria.
comentários(0)comente



Nnine @virgulasdobradas 07/01/2019

Obrigada por me contar sua história.
"Se foi o dia mais feliz das nossas vidas? Provavelmente não, até mesmo porque os dias verdadeiramente felizes tendem a não envolver tanta organização, e raras vezes são tão públicos e tão caros. Os dias felizes ocorrem de forma inesperada".

"Nós" é um livro no qual a leitura não é impulsionada pela trama, mas pela empatia. Nicholls alterna magistralmente sua narrativa entre presente e passado em capítulos curtos, sem perder o ritmo, permitindo que o leitor acompanhe pelo ponto de vista de Douglas um retrato realista do curso dos relacionamentos, com todos seus altos e baixos.

A premissa é simples. Connie acorda Douglas no meio da noite e fala que quer se divorciar. Estão casados há 25 anos e ele sempre achou que era um bom casamento, por isso, a declaração o surpreende. Mas nada está decidido ainda. Eles haviam planejado um Grand Tour pela Europa para mostrar a Albie, seu filho, um pouco da história do mundo, sua arte e arquitetura. Então, convencido que ainda pode reverte a situação, Douglas decide transformar as últimas férias em família na grande viagem de suas vidas, em uma tentativa de se reaproximar de seu filho e fazer Connie se apaixonar de novo por ele.

"Tudo continuava o mesmo, no entanto, não era o mesmo e, pouco antes de dormir, senti a mesma ansiedade que ainda sinto na véspera de uma viagem longa e complicada".

Devido a realidade dos personagens, tive a sensação que teria encontrado Douglas em alguma galeria de arte européia ou durante o café da manhã em algum hostel. Ele me contaria como um cientista se apaixonou e conquistou uma artista. Como as diferenças são atrativas e encantadoras, ao mesmo tempo que podem te levar a colapso nervoso.

A leitura me proporcionou risadas devido a identificação com as reações do Douglas (já passei por isso, pensava). Mas o riso não conseguiu excluir o dramatismo do momento. Da mesma forma que a empatia facilitou sorrisos, ela também motivou uma melancólica nostalgia. Chorei.

Desejei que Douglas pudesse ouvir minhas palavras ao fechar o livro: Obrigada por me contar sua história. Foi um prazer te conhecer.

site: https://www.instagram.com/virgulasdobradas/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Celso 07/03/2018

Apresentando uma abordagem semelhante à Um Dia, David Nicholls faz flashs da história do personagem principal na tentativa de explicar os acontecimentos que culminaram na trama proposta. Ao meu ver, o livro requer um nível de comprometimento (lê-se paciência) do leitor. Achei que ele demora um pouco pra envolver o leitor na história, mas uma vez envolvido, você se identifica muito com todos os personagens. Eles são categoricamente humanos com erros e acertos como todos, o que faz por vezes você detestar um personagem e logo depois se identificar com ele.
comentários(0)comente



Diane 04/03/2018

Um Grand Tour
Muito divertido, o Douglas passa por cada situação a fim de salvar a sua família. Gostei muito do roteiro da Grand Tour, me permitiu viajar junto com eles, conhecer as belezas da Europa.
comentários(0)comente



Mariana 23/02/2018

Um dos piores protagonistas
"Nós", de David Nicholls conta a história de Douglas Petersen, um cientista, que organiza uma viagem com sua família para um tour na Europa, com o intuito de passar nas principais galerias de arte, já que ele queria salvar seu casamento com Connie e mostrar a seu filho, Albert, ou Albie, as principais obras de arte, uma vez que ele iria entrar para a faculdade de Fotografia.
Esse livro me agradou em alguns pontos e na maioria, me desagradou. Por exemplo, o tour pelas galerias é bem interessante, assim como as excursões pelas cidades em que eles passavam. Por outro lado, o personagem principal me irritava muito! Seja quando ele achava que a ciência é mais importante que as artes, e ter um filho artista é inconcebível (mesmo tendo casado com uma artista); ou quando ele acha que o papel do pai é só prover financeiramente uma casa (plmdds). Às vezes ele ainda era contraditório no que falava. Ainda, ele tinha medo de ser igual o pai, mas tinha as mesmas opiniões dele.
Enfim, se ele tivesse tentado ter uma conversa franca com o filho bem antes, teria evitado todo o conflito desnecessário que ocorreu no livro.
comentários(0)comente



Isabela.Lopes 31/12/2017

Na minha opinião este livro é uma mistura de Um Dia do mesmo autor e Ligações da Rainbow Rowell. Assim como em Um Dia, o autor descreve todo o decorrer de uma grande parte da vida dos protagonistas, rico em detalhes e acontecimentos. E como em Ligações, o casal protagonista está passando por dificuldades no casamento.
Esta foi uma leitura arrastada pra mim, a partir de um momento eu comecei a ficar cansada e devido a isso demorei quase um mês para finalizar a leitura. Não sei se não estava no clima, mas no início estava empolgada e depois...não muito.
comentários(0)comente



Nanda 19/10/2017

Nós - David Nicholls / Insta:between_mybooks
"Certa noite, Douglas Petersen, um bioquímico de 54 anos apaixonado pela profissão, por organização e limpeza, é acordado por Connie, sua esposa há 25 anos, e ela lhe diz que quer divórcio.
O momento não poderia ser pior. Com o objetivo de estimular os talentos artísticos do filho, Albie, que acabou de entrar para a faculdade de fotografia, Connie planejou uma viagem de um mês pela Europa, uma chance de conhecerem em família as grandes obras de arte do continente. Ela imagina se não seria o caso de desistirem da viagem. Douglas, porém, está secretamente convencido de que as férias vão reacender o romance no casamento e, quem sabe, também fortalecer os laços entre ele e o filho."

O livro é narrado por Douglas, intercalando o presente com o passado.
É um livro meio parado de ler, porém é bastante realista.
A viagem é voltada a descobertas sobre si mesmo e mostra como a comunicação é realmente importante em qualquer tipo de relacionamento.
Confesso que estava esperando mais do livro. Douglas me irritou um pouco em determinadas partes do livro, porém, no geral, achei a história bastante interessante.

Nota: 3,5.

site: https://www.instagram.com/p/BabwOKbAQzT/?taken-by=between_mybooks
comentários(0)comente



Clube do Farol 30/08/2017

Nós. Clube do Farol.
Resenhado por: Jéssica Burgos

Ganhei este livro em um sorteio promovido pela Livraria e Sebo Simonetti no final do ano passado e até então não havia o lido. Um título tão curto e a capa vermelha me chamaram a atenção, resolvi arriscar e dar uma chance, até porque nunca tinha lido nada deste autor.

Douglas Petersen é um bioquímico de 54 anos, é metódico, organizado, objetivo e, talvez, um pouco antiquado. Casado a 25 anos com Coonie Moore, uma artista de espírito livre, eles viviam uma vida feliz com seu filho adolescente Albie, um jovem rebelde e também artista.

Até que uma noite, Douglas é surpreendido por sua esposa, que diz querer se separar. E ele se vê sem chão, não entende, e aquilo martela na sua cabeça... Mas, como? Eles não eram tão felizes, não estavam bem?

"A conversa continuou por algum tempo, Connie, exultante com toda aquela sinceridade, eu, inseguro, incoerente, esforçando-me para assimilar o que ouvia. Há quanto tempo ela se sentia assim? Será que estava realmente tão infeliz, tão cansada? Eu entendia sua necessidade de ‘redescobrir a si mesma’, mas por que ela não poderia se redescobrir comigo por perto? Porque, como ela dissera, nosso trabalho estava concluído."

A separação não seria iminente, uma vez que eles já haviam programado as férias familiares "O Grand Tour dos Petersen!", uma viagem pela Europa e seus principais pontos turísticos, seria essa a chance de Douglas reconquistar sua esposa ou deixar tudo ir por água a baixo?

Douglas, como todo bom metódico, havia planejado cuidadosamente e organizado o roteiro da viagem, mas Connie e Albie queriam que ele vivesse o momento, que se deixasse levar... A viagem continua seguindo relativamente bem, até que em um café da manhã, Albie se mete em uma confusão e tem uma discussão com Douglas, e foi a gota d’água. O caos estava instaurado.

Em meio a memórias do passado e o presente, David Nicholls constrói uma história que se mostra envolvente, complexa e sensível como todas as relações familiares são. Eu, particularmente, gostei muito do personagem Douglas e suas manias, seu jeito "certinho”" mas não posso dizer o mesmo de Connie e Albie. Será que vocês adivinham o motivo?

Gostei deste livro porque ele é REAL, mostra como as relações familiares são e traz reflexões e diversos aprendizados ao longo da narrativa. O autor soube descrever cada lugar por onde a família Petersen passou ao longo do Grand Tour, nos transportando para dentro do livro e fazendo com que pudéssemos nos sentir na Europa, além disso, no final do livro há um "esquema" dos locais visitados e as obras citadas, para ajudar os leitores.

O livro é dividido em partes, sendo cada uma delas uma parada da família Petersen ao longo do Grand Tour e marcada por uma frase, as páginas são amareladas e os capítulos são bem curtinhos (cerca de três páginas cada um).

site: https://clubedofarol.blogspot.com.br/2017/04/resenha-nos.html
comentários(0)comente



Mariély 08/07/2017

Nós é aquele livro sincerão que você precisa ler uma vez ou outra. A escrita do David fez com que eu me sentisse em uma conversa, como se alguém estivesse me contando sobre sua vida, e nesse caso eu tive o prazer (e desprazer) de conhecer mais sobre a vida do Douglas. Justamente por ser um livro muito pé no chão, eu odeio e amei os personagens com intensidade semelhante e de uma hora pra outra, como acontece na vida real.
Ouvir o Douglas contar a experiência de vida dele foi incrível porque ele não poupa palavras e os acontecimentos são 100% relacionáveis e é isso que eu amo na escrita deste autor. Fico muito satisfeita por ter completado essa leitura, foi um livro muito maravilhoso e muito ruim, assim como a vida é, com seus altos e baixos.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nádia 02/05/2017

#resenhapomarliterario Nós
"Tenho noção de que isso soa mórbido, mas parecia ser o caminho certo, a maneira sensata, porque, bem, minha mulher me trouxe tudo o que eu sempre quis, tudo de bom e que valia a pena, e tínhamos passado por muita coisa juntos. Eu achava inconcebível imaginar a vida sem ela. Literalmente assim. Eu não era capaz de conceber. Então, decidi que não podia permitir que aquilo acontecesse."
Douglas entende que a esposa, Connie, queira se redescobrir agora que o filho do casal está saindo de casa para a faculdade. Mas ele tinha pensado que os dois se redescobririam juntos. Por isso, quando ela pede o divórcio, ele decide transformar as últimas férias em família na grande viagem de suas vidas. Um evento marcante, que vai aproximar os três, ajudá-lo a ganhar o respeito do filho e, principalmente, fazer Connie se apaixonar de novo. Os hotéis estão reservados, os ingressos, comprados, o roteiro, definido. O que pode dar errado?
Gente, o senso de humor do Douglas é o ponto alto do livro. É tão contagiante que contra todos os prognósticos e concorrência pesada, foi capaz de convencer a bela Connie a aceitar um convite para saírem juntos e, mais tarde, a se casar com ele. Num é atoa que eu amo essa característica.♥
Narrado do ponto de vista honesto, ligeiramente ácido e algumas vezes dolorosamente otimista de Douglas, Nós conta a história de um homem tentando resgatar sua relação com a mulher que ele ama e aprendendo a se aproximar do filho que parece quase um estranho. Uma reflexão sensível e divertida sobre família, meia-idade e o que aprendemos sobre nós mesmos quando tudo ameaça desmoronar.
Leitura leve, fácil, permeada das intensidades do viver. Recomendo!

site: https://www.instagram.com/p/BAmS4Q0Gvxc/?taken-by=pomarliterario
comentários(0)comente



50 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4