A Guerra Que Salvou a Minha Vida

A Guerra Que Salvou a Minha Vida Kimberly Brubaker Bradley
Kimberly Brubaker Bradley




Resenhas - The war that saved my life


933 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


rob 21/10/2021

Incrível!
Talvez por ser meu estilo de leitura, amei esse livro. Ok que é um pouco triste e melancólico por todo o cenário de guerra em que as crianças foram obrigadas a viver, e às vezes meu coração apertava com as cenas descritas. Mesmo assim, acho que não poderia ter um final melhor do que foi retratado no livro. Deixou meu coração quentinho.
comentários(0)comente



Thailla.Almeida 18/10/2021

O melhor livro que li esse ano.
A Segunda Guerra vista pelos olhos de Ada e a guerra pessoal com a mãe são arrebatadoras. Que incrível esse livro. Amei!
comentários(0)comente



Jão.Silver 14/10/2021

A guerra que salvou a minha vida
Que livro incrível!! Extremamente emocionante em vários momentos, a ambientação é ótima, e os personagens são super envolventes. Ansioso para ter a continuação.
comentários(0)comente



Paloma 11/10/2021

A Guerra que Salvou a Minha Vida ?

Kimberly Bradley | @darksidebooks
????? ?

Em meio a 2° guerra mundial, Ada e seu irmão Jamie embarcam em um trem para Kent juntamente com outras crianças que estão sendo evacuadas da cidade de Londres, onde viviam com suas famílias, para escapar do horror da guerra e os temidos ataques aéreos.

Ada é uma menina inteligente - apesar de sua mãe nunca ter enxergado isso -, que nasceu com uma má formação genética conhecida como pé torto. Em decorrência disso sua mãe a maltrata e humilha incansavelmente, oferecendo insultos e maus tratos fazendo-a acreditar que ela é uma aberração.
Impedida de sair na rua, Ada conhece a vida através da janela de seu apartamento e por meio dos relatos de seu irmão, após seus passeios e ida a escola.

Jamie é um menino doce, amoroso e que ama novas descobertas. Ao contrário de sua irmã, Jamie - por não possuir deficiência alguma - é autorizado por sua mãe a frequentar a escola, ir ao mercado e brincar na rua com seu amigo Billy.

Ao chegarem a cidade de Kent, Ada e Jamie são levados por Lady Thorton à casa de Susan após ninguém da cidade querer ficar com eles.

Susan está entristecida pela perda de sua amiga. Inicialmente não queria abrigar nenhuma criança por se achar incapaz de cuidar de uma, porém vê nos irmãos a chance de uma nova vida.

O carinho, cuidado e afeto são capazes de mudar toda a trajetória de uma vida.

Um livro lindo! A Guerra que Salvou a Minha Vida nos faz ter um misto de sentimentos e um quentinho no coração com a evolução afetiva e pessoal de Ada, Jamie e Susan.
comentários(0)comente



Araí 07/10/2021

Singelo e emocionante
Um livro gostoso de ler, singelo, delicado e muito emocionante.

Personagens cativantes, uma visão diferente da segunda guerra.

Vale a pena ser lido por crianças e adultos.
comentários(0)comente



Walter.Jesus 05/10/2021

AMARGAMENTE DELICIOSA
As minhas inseguranças todas espelhadas num personagem mds, quando a pessoa é tão quebrada, mas tão quebrada ... Que não consegue mais aceitar/acreditar que merece amor aleatório vindo do nada.

Esse livro é tão necessário pra muita gente, a forma como a autora vai aos poucos desconstruindo todas as barreiras que a Adda tem devido a forma como foi cruelmente criada, é simplesmente épica. Suzan é um personagem que na realidade é SUPER NECESSÁRIO na vida de todo mundo. Ansioso pra ler o 2° livro e ver até onde vamos chegar.
@juke.book 05/10/2021minha estante
Esse livro ??


Walter.Jesus 05/10/2021minha estante
Ele é perfeito :)


Jessy 07/10/2021minha estante
Aaaaaaaaa ????? ??????




Sara 30/09/2021

?
Talvez eu devesse ter favoritado, que livro meus amigos, eu me senti arrastada pela história, me peguei querendo abraçar a Ada a todo momento, é incrível como a gnt se torna empático pela dor dos outros mesmo que seja somente uma ficção, nó na garganta define essa leitura pra mim, e eu deveria ter favoritado por que no início do ano peguei em 4 livros pra ler e nenhum deles me fez retomar a leitura, mas esse me arrebatou. Agora estou aqui resenhando todos os livros do ano para cumprir o desafio do skoob eeehhh ????
comentários(0)comente



Debs 28/09/2021

""Querida Mãe, escrevi, por favor, me deixe ser consertada."
Ada é uma criança que nasceu com o pé torto e por isso sua mãe a despreza. Sua vida é limitada a realizar tarefas domésticas pelos pequenos cômodos de sua casa (da qual é proibida sair) e cuidar de seu irmão caçula, Jamie. Tudo isso muda quando a Segunda Guerra Mundial estoura e a Inglaterra é ameaçada de ser invadida. Ada e Jamie fogem para o interior, onde recebem os cuidados da senhorita Smith.
Novamente, li um livro que trata sobre maternidade, do seu lado mais cruel e vil. O relacionamento da protagonista com sua mãe é repulsivo. Ver uma criança passando por situações humilhantes e desumanas sempre me parte o coração, principalmente ao saber da verossimilhança com nossa realidade. Quantas crianças com deficiências não são maltratadas diariamente em nossa sociedade?
Assim, acompanhar uma história dolorosa é sempre difícil, mas Kimberly Brubaker Bradley consegue, em meio ao caos, trazer uma leveza para a leitura em momentos certeiros. Ada é uma personagem muito bem construída e a identificação com ela é imediata, aproximando-nos da narrativa, ansiando por sua felicidade.
A guerra que salvou a minha vida é um livro tocante, triste e denunciador de uma dura realidade que nos faz refletir por vários dias após o término.
Foi difícil me desapegar de Ada. Espero logo ler a continuação...



site: https://www.instagram.com/p/CUYr-Xzsi6J/?utm_medium=copy_link
comentários(0)comente



Juh 27/09/2021

Um quentinho no coração
Li esse livro por causa da escola e não estava esperando muito dele já que livros de escola são geralmente chatos mas acabou que ele se tornou um dos meus preferidos.

A leitura é super fluida e emocionante, a história da pesonagem principal é dolorosa, ler oque ela passou com a mãe é de partir o coração mas ver ela evoluindo, se permitindo ligar as outras pessoas é simplesmente lindo.

Indico ele pra tudo mundo, merece muito mais que 5 estrelas
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Daniele.Marques 24/09/2021

A guerra que salvou minha vida
Ada uma garotinha de 10 anos que viviam com sua mae e irmao jamie, e nasceu com pe torto o qual sua mae tinha muita vergonha e a predia em casa e a maltratava. A guerra chegou e jaime iria ser mandado para outro lugar para ser protegido. Sua mae logo falou que ela nao iria...mas Ada estava treinando andar em casa escondida e aproveitou e conseguiu ir com.seu irmao ate a escola e ao trem que os levou para ser cuidado pela susan que os ajudou , mas no inicio por esta sofrendo pela perda de sua amiga nao queria ter ninguem em sua casa e isso foi visto por Ada como rejeição . Com.o passar do dias eles receberam atendimento medico onde descobriu que poderia fazer uma cirurgia no pe e caminhar direito. Aprendeu a montar no.ponei, a ler e escrever e principalmente a viver em.meio a pessoas que os amam.
comentários(0)comente



Maitecoelho 23/09/2021

Maravilhoso
Esse livro é fora do sério! Da pra entender o que se passava na Inglaterra e o que as pessoas pensavam nessa época de guerra! O livro é maravilhoso o contexto dele é incrível mas o final poderia ter sido um pouco melhor me decepcionou!
comentários(0)comente



Leticia 17/09/2021

Impossível não se emocionar
A Guerra que Salvou a Minha Vida é um daqueles romances que você lê com um nó no peito, sorrisos no rosto e ? entre um parágrafo e outro ? lagrimas nos olhos. Uma obra sobre as muitas batalhas que precisamos vencer para conquistar nosso lugar no mundo. Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular ? coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um "pé torto" como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando. Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor. Combinando a ternura de Em Algum Lugar Nas Estrelas, outro título da coleção DarkLove, com a realidade angustiante de O Diário de Anne Frank, A Guerra que Salvou a Minha Vida apresenta uma perspectiva da Segunda Guerra Mundial vista pelos olhos de uma menina que se transforma em refugiada no seu próprio país. Mais uma oportunidade perfeita para emocionar corações de todas as idades e relembrar os valores do companheirismo e da amizade em todos os momentos da nossa vida. Vencedor do Newbery Honor Award, primeiro lugar na lista dos mais vendidos do New York Times e adotado em diversas escolas nos Estados Unidos. "Dolorosamente adorável." ? The Wall Street Journal
comentários(0)comente



Fabíola Labbé 17/09/2021

"Ela teve a chance que Anne Frank não teve."

Não vejo outra forma de começar essa resenha que não seja transcrever parte da primeira página do livro...

""Ada! Sai dessa janela!" A voz da Mãe gritando. O braço da Mãe agarrando e puxando o meu, de modo que tombei da cadeira e desabei com força no chão. "Só estava dando um oi para o Stephen White." Eu sabia que não valia a pena responder, mas às vezes a boca era mais rápida que o cérebro. Naquele verão, eu viraria uma combatente. A Mãe me bateu. Forte. Minha cabeça acertou a perna da cadeira e, por um instante, eu vi estrelas. "Não quero você falando com ninguém!", disse a Mãe. "Eu só te deixo ficar nessa janela porque tenho bom coração, mas ponho uma tábua aí se inventar de enfiar o nariz pra fora, que dirá se ficar de papo com os outros!" "O Jamie está lá fora", falei. "E por que não estaria?", disse a Mãe. "Ele não é aleijado. Não é que nem você."

Preciso dizer que já iniciei a leitura derramando baldes de lágrimas?

Ada é uma garota inglesa, que vive em Londres com sua mãe e Jamie, seu irmãozinho mais novo, na época em que Hitler invade a Inglaterra. Ela e seu irmão não tem ideia da correta idade deles e apenas o Jamie frequenta a escola. O motivo para isso é que sua mãe não aceita o fato de ter Ada ter nascido com o pé torto (algo que seria tranquilamente corrigido se tratado no tempo certo) e a trancafia dentro de casa por vergonha da filha. E quando falo em trancafiar, não é no sentido metafórico não... Ada vive mesmo trancada em casa, faz suas necessidades em um balde que fica num canto da casa e que a Mãe só permite que seja esvaziado quando transborda com as necessidades da menina. A cada "atrevimento" da menina, sua Mãe a coloca dentro de um armário como forma de castigo.

"O armário ficava debaixo da pia. Às vezes o cano pingava, por isso ele estava sempre úmido e fedido. E o pior, tinha baratas ali. Eu não me incomodava tanto com as baratas em outros lugares. Podia esmagá-las com uma folha de papel e jogar o corpo pela janela. No armário, no escuro, não dava para esmagar. Elas se amontoavam em cima de mim. Teve uma que entrou rastejando na minha orelha."

Por conta de todo esse sofrimento, Ada desconhece completamente o sentido de amor, família, respeito, cuidado. Mas ela resolve aprender a andar sozinha e isso acaba sendo sua salvação pois Hitler invade a Inglaterra e as crianças são colocadas em um trem e enviadas para o interior, numa tentativa de afastá-las da guerra. E Ada só consegue entrar naquele trem pq aprendeu a se arrastar pelas ruas e foge de casa sem que sua mãe saiba... foge e leva Jamie com ela. No interior, eles são entregues aos cuidados da Srta. Smith, uma solteirona sem nenhuma experiência em cuidar de crianças.

A partir daí, começa a luta de nossa pequena protagonista para sobreviver e um novo aprendizado: o de entender que ela é um ser humano, uma criança que merece amor e respeito... não será fácil para ela se adaptar à nova realidade, pois assim como a Srta. Smith, ela precisa aprender a conviver com pessoas além do seu irmão, mas ao acompanharmos a história, nos vemos frente a frente com muitos momentos de emoção, de dor, de alegria, de superação... as lágrimas são garantidas do começo ao fim.

"Dei a mão a ela. Um novo e desconhecido sentimento me preencheu. (...) "Então, agora estamos quites."

Por: Fabíola Labbé
comentários(0)comente



Sarah 16/09/2021

A guerra que salvou a minha vida
Em meio a guerra, abandono e falta de amor, Ada e seu irmão Jaime se descobrem crianças fortes e corajosas que finalmente conseguem encontrar amor junto a Susan, que também já havia perdido a esperança por conta de um acontecimento em sua vida.
Foi lindo ver a construção da relação dos 3, a quebra desse muro invisível que existia, os traumas de Ada sendo superados e se permitindo ser amada.
O final desse livro me emocionou muito, chorei e favoritei demais.

"Dali em diante, eu me dividiria em 'antes de Dunquerque' e 'depois de Dunquerque'. A Ada 'depois de Dunquerque' era mais forte e tinha menos medo. Foi horrível, mas eu não desisti. Eu persisti. E venci a batalha."
comentários(0)comente



933 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR