O Álbum

O Álbum Timothy Lewis




Resenhas - O Álbum


49 encontrados | exibindo 31 a 46
1 | 2 | 3 | 4


Thaisa 24/08/2015

Uma doce e agradável surpresa!
Sabe aqueles livros que te enganam completamente? Que você começa a ler achando uma coisa e é totalmente surpreendido ao iniciar a leitura? Pois é, foi assim com O Álbum. Calma, não pense que eu não gostei da "surpresa". Comecei achando que seria mais um livro de romance, fofo até, mas fui arrebatada por essa história de tal maneira que estou até tendo dificuldades em escrever essa resenha sem dar spoilers.
Com uma sinopse simples e uma capa bonita, mas não chamativa, o leitor não faz ideia da linda e comovente história de amor que vai encontrar ao ler essas páginas. História essa que foi baseada em fatos reais. Lá no final do livro descobrimos que o autor buscou inspiração para escrever, na história real de seus tios-avós que durante 60 anos mantiveram o hábito do envio de cartões-postais para manter vivo o amor em seu casamento.
A premissa realmente é bem simples. A narrativa é sobre o amor. Como um casal conseguiu manter por tantos anos a chama do amor viva em seu casamento? Qual o segredo deles diante de um período onde os casamentos parecem já iniciar com o divórcio quase assinado? Realmente, só com a sinopse é impossível descobrir a grandeza dessa narrativa. Somos apresentados a Huck e Gabe Alexander, um casal apaixonado e que me fez relembrar sentimentos que há muito havia esquecido. Conhecemos também Adam e Yevette. Esses já são personagens do tempo atual. Sim, a narrativa é dividida e temos narradores diferentes para cada época.
Dividido em 3 tempos, a narrativa acontece da seguinte forma: nos anos de 2004/2006 temos como narrador Adam, que junto com Yevette vai nos revelando momentos importantes da vida dos Alexanders entre um postal e outro; a partir do ano de 1926 a narrativa é feita em sua grande parte por Huck e em outras por Gabe; e em outros momentos, temos a narrativa de Huck com Yevette. Parece confuso? Não é nem um pouco! A leitura flui perfeitamente bem e apesar de gostar mais de acompanhar a vida do casal, toda a leitura é interessante.
Dos 4 personagens (principais) apresentados, Huck e Gabe são os mais cativantes. Adam e Yevette ganharam seu lugar ao sol, mas me apaixonei pelos Alexanders. É impossível ler esse livro e não se envolver com esses personagens sentindo junto com eles o amor se fortalecer a cada ano passado.
Esse é um livro para ser lido e sentido. Ele desperta todo tipo de sentimento que você possa imaginar. Chorei o livro inteiro de tão tocante que ele é. Essa leitura veio em um momento muito especial pra mim e que eu estava precisando voltar a acreditar que é possível encontrar sua alma gêmea.
Não preciso nem dizer que esse livro está mais do que recomendado para os românticos de plantão, né?

Resenha publicada no blog Minha Contracapa

site: http://minhacontracapa.com.br/2015/08/resenha-o-album-de-timothy-lewis/
comentários(0)comente



Silvana 22/08/2015

2006 - Adam Colby tem 38 anos e é dono de uma pequena empresa que vende pertences de famílias. Ele é divorciado a dois anos, mas ainda dói saber que foi trocado por outra pessoa. Por esse motivo ele não acredita mais no amor. Pelo menos não no amor no casamento. Por isso ele fica surpreso quando encontra centenas de cartões postais em meio a alguns álbuns de fotos na casa em que ele está trabalhando no momento. Esses cartões mostram seis décadas de um casamento cheio de paixão. Os cartões foram enviados por Gabe para sua esposa Pearl, e eles chegavam todo sexta-feira, durante sessenta anos, com um poema e assinado "Para sempre, Gabe", mesmo eles morando na mesma casa.

Ninguém encontrou os cartões, mas como ele já foi testemunha da vida amorosa de diversos casais, ele aprendeu a procurar onde ninguém mais procurou. Assim ele encontrou os cartões e para passar o tempo começou a ler e ficou intrigado como que um amor durou tanto tempo. Qual era o segredo de Gabe e Pearl Alexander? Ele que achava que tinha um bom casamento, com algumas desavenças de vez em quando, assim como em todos os casamentos, e de repente tudo terminou. Então ele decide ficar com os cartões até descobrir onde foi que ele errou e se é possível consertar seu erro para pelo menos não errar novamente. E ele também procura a ajuda de Yevette, a pessoa que esteve com Pearl até seus últimos dias de vida.

1926 - Pearl Huckabee, que desde criança decidiu que queria ser chamada de Huck, estava noiva quando conheceu Gabe Alexander. Ela foi comprar ostras e percebeu que ele estava flertando com ela. E ela resistiu até que olhou em seus olhos. Olhos da cor do céu tocando o mar. E esses olhos começaram a invadir seus sonhos. Com Gabe não foi diferente. No mesmo dia em que conheceu Huck ele decidiu que era com ela que ele iria se casar. E quando ele entrou em uma loja de material de escritório e viu os cartões postais, ele comprou um para Huck. E demorou mais de um mês para eles se reencontrarem, mas quando isso aconteceu, foi como um sonho. Eles passaram o dia todo juntos e no final dele, já sabiam que se amariam para sempre.

"— Eu já sei o que está escrito.
— Você sabe? Mas como...
— Quem escreveu fui eu — Gabe a interrompeu, e seu rosto se abriu em um sorriso. — Feliz primeira sexta-feira eterna."

O livro é narrado em três tempos. Temos o presente com Adam encontrando os cartões, temos, o passado mais recente com Huck e Yevette contando os últimos momentos da vida de Huck e temos o passado mais antigo, onde conhecemos como começou esse amor que durou tanto tempo. O livro é bem curtinho e a história apesar de ser um romance/drama, que geralmente demora a leitura, aqui é diferente, dá para ser lido em um dia. Como é contado em tempos diferente, a curiosidade em descobrir o que aconteceu fala mais alto e quando vemos, o livro já terminou. E o que mais achei interessante no livro é que ele foi inspirado em uma história real. os tios-avós do autor viveram uma história muito parecida, com ele enviando os cartões por sessenta anos.

Adam foi o personagem que menos me encantou. talvez por essa sua descrença no amor, mas ainda assim gostei dele. Yevette, apesar de ser a personagem com menos destaque na história, deixou sua marca. Agora Gabe e Huck são os protagonistas dessa história. Não tem como não se envolver e amar junto com eles. A história foi sendo contada de uma forma tão simples e tão linda que é difícil acreditar que ainda exista amor assim, mas eu quero acreditar que é real sim. O amor deles foi tão puro e por tanto tempo, que dá até uma certa inveja deles hehe. E mesmo já sabendo o final, pois, o livro começa com eles mortos, fica aquela certa esperança de que o amor era tão forte, que eles viveram por toda eternidade. Eu recomendo para os românticos de plantão, você com certeza vai acabar a história suspirando.

site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2015/08/resenha-o-album-timothy-lewis.html
comentários(0)comente



Fernanda 19/08/2015

Olá Leitores!

Sabe quando pegamos um livro para ler e não damos muita coisa por ele? Pois é, esse foi o caso com O Álbum. Quando iniciei a leitura, fiquei pensando na enrascada que estava entrando – risos! Sério, pois achei que seria uma péssima leitura, entretanto, quando percebi já estava apaixonada pela trama aí não teve jeito. Não posso dizer que a leitura é fluida porque não é. Achei-a uma tanto arrastada, mas valeu a pena ter lido.

Timothy Lewis nos apresenta uma história incrível! A narrativa é baseada na vida e no amor de seus tios-avós, a forma doce e romântica que eles levaram a vida nos faz almejar um amor tão longo como o de Gabe e Pearl Alexander - Huck, para os íntimos. O relacionamento deles começa de uma forma inusitada e, para mim, um tanto louca e para você saber precisará se arriscar.

O casamento não poderia ser mais inusitado, afinal de contas esse casal sempre foi cheio de surpresas, deixando os leitores de boca aberta com o rumo dos acontecimentos. Gabe e Huck se propuseram a viver uma vida bonita, cheia de amor e compreensão, e foi essa palavrinha compreensão que fez o relacionamento durar até a eternidade.

Eles tiveram desentendimentos, no entanto procuraram nunca ofender um ao outro e sempre resolveram suas diferenças da forma mais leve possível para ambos. Gabe é apaixonante e a forma com ele se lembra de cada acontecimento da relação dos dois é linda. Huck também se recorda de cada segundo ao lado de seu amado e isso apenas fez com que a emoção e o amor crescessem a cada dia.

Gabe sempre enviou cartões-postais a sua amada todas as sextas-feiras durante 60 anos, para celebrar o dia de seu casamento. Cada um deles com um poema celebrando a vida e o sonho que estavam vivendo, um sonho que fez meu coração se encher de alegria por saber que existiu um amor tão perfeito.

Para Adam, o negociante de coisas usadas e antigas, conhecer o amor de Gabe e Huck ou sua fórmula foi o princípio para um novo recomeço. Afinal de contas, ele já tinha perdido tudo e quis saber onde errou, e conhecer esse sonho vivido pelas personagens foi à forma usada por ele para entender como acertar da próxima vez e quem sabe ser feliz para sempre!

Como citei no início a escrita do autor não é fluida, no entanto, se você está em busca de conhecer uma linda história de amor, recomendo que leia a obra! No mais só tenho a parabenizar a Editora Novo Conceito pela linda diagramação.

site: http://www.amorliterariooriginal.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Meu Vicio em Livros 18/08/2015

Uma linda declaração de amor!
Achei o começo do livro é um pouco confuso. Cada capitulo traz um ponto de vista diferente, na verdade quatro, Adam (que encontra o álbum), Gabe (o contador de uma peixaria) Huck (que sonha em encontrar o grande amor) e Yevetta (filha da antiga empregada do casal). Além disto é contado em períodos diferentes também, entre 1926, 2004 e 2006.

No presente (2004 e 2006), conhecemos Adam de 40 anos. Ele encontra o tal álbum e em um momento de solidão, começa a lembrar-se da ex esposa e do seu divórcio recente após um casamento de 12 anos. Neste álbum estão todos os cartões postais que Gabe mandava toda sexta-feira, durante 60 anos, para Huck, a fim de mostrar à ela que o amor deles jamais teria fim ou diminuiria com o tempo de convivência.

Para Adam isto é uma verdadeira relíquia, ele é um negociante e trabalha com a venda de objetos. Justamente por não tido um casamento duradouro, é cético quando se trata do amor e para ele é um pouco difícil de acreditar que o amor de Gabe e Huck foi tão intenso para que ele pudessem viver por longos 60 anos totalmente apaixonados.

Curioso com esta história rara, ele conhece Yevetta e por ela fica sabendo de detalhes da vida do casal, conseguindo entender as emoções e os sentimentos contidos nos poemas destes postais.

No passado (1926), Gabe e Huck se apaixonaram à primeira vista. Viveram um amor lindo com problemas comuns á todos os casais. Ciúmes e inseguranças estiveram presentes neste relacionamento, mas tudo foi superado com a fé que Huck tem no amor e em anjos da guarda e claro, com o romantismo de Gabe que teve esta ideia tão incrível.

É um livro bonito também em matéria de diagramação. Cada capítulo do passado tem a foto de um postal com a respectiva mensagem de Gabe para a amada. Fala basicamente sobre o amor, sobre acreditar nele ou ter esperanças de encontrá-lo.



Um clichê, que apesar de não ter me conquistado ou me emocionado, eu recomendo para quem curte uma história bem escrita de amor verdadeiro. Ela é baseada em fatos reais, inspirada nos cartões-postais trocados pelos tios-avós do autor durante 60 anos.
LEIA MAIS:http://meuvicioemlivros.blogspot.com.br/2015/08/resenha-o-album-toda-sexta-feira-um.html

site: http://meuvicioemlivros.blogspot.com.br/2015/08/resenha-o-album-toda-sexta-feira-um.html
comentários(0)comente



Jul 18/08/2015

Gracioso
Fui enganada, no bom sentido. Confesso que não esperava me entreter muito com o livro de capa simples e sinopse pouco chamativa. Então, vim contar um pouco sobre o-livro-que-me-enganou.

A sinopse básica não revela muito sobre a personalidade cativante de Huck (ou Pearl Alexander), a sensibilidade de Gabe ou sobre as aventuras bem originais que esse casal enfrentou em belos 60 anos de casamento. Para descobrir esses e outros detalhes é preciso ler o livro, se encantar com os poemas enviados em cartões postais durante 60 anos e acreditar um tanto em almas gêmeas. Afinal, que outro termo definiria tao bem o casal Alexander?

A história se alterna em tempo e narrador. Em 2004/2006 a narração é de Yevette e Adam, respectivamente. Em seus encontros casuais, ela (filha da empregada que serviu os Alexanders por 26 anos) esclarece momentos entre um e outro postal lido por Adam. Já de 1926, passando por várias outras décadas seguintes, a narração é feita pela Huck, na maioria dos capítulos, e por Gabe. Pode parecer confuso, mas a leitura flui perfeitamente deixando a narrativa mais dinâmica. Entretanto, confesso que me agradaram muito mais as cenas contadas pelo ponto de vista de Huck e Gabe.

"Como seres humanos, temos a esperança de ter uma série de coisas. Felicidade. Saúde. Emprego. Filhos. Um parceiro. A eternidade. À medida que madurecemos, começamos a reconhecer uma força misteriosa que é parte de cada um de nós, algo muito mais poderoso que nós mesmos."

Adam, com ajuda de Yevette, começa a entender a vida e o amor do casal que se manteve firme por 60 anos e vê que o fim do seu casamento apenas de 2 anos não significa o fim dos sentimentos que ele ainda pode nutrir por uma outra pessoa.

Huck e Gabe se mostraram personagens adoráveis e é perceptível que durante o tempo juntos eles amadureceram, mas sem esquecer de quem realmente eram e do amor que sentiam um pelo outro. E esse amor venceu, apesar de tudo.

E a parte em que fui enganada? Ah, é que eu jamais esperaria tamanha fluidez na história. O autor soube escolher muito (muito, muito...) bem os momentos a serem destacados dos longos 60 anos de casamento de Huck e Gabe. Para mim não ficou aquela sensação "ah, ele poderia ter contado como foi momento x" ou "eu queria saber sobre o ano y".

"- Esta noite, nós somos a música. Esta noite, nós somos o ritmo. Esta noite, nós somos o mistério."

Os pontos negativos foram poucos. É que até para mim, que gosto de ler um bom romance, senti açucarado demais o casal H&G uma ou duas vezes, mas ele acabou me conquistando de qualquer forma. O início do livro também é um pouco chato, mas por volta da página 50 a leitura começa a engatar de verdade. Por fim, a sensação de que faltou "o bum" final. Claro, tiveram uns dois momentos muito tensos, mas ainda senti uma pequena falta de sangue, mortos-vivos, corpos sem cabeças... exagerei, haha. O fato é que o próprio autor admite isso, de certa forma, em uma notinha explicativa no final do livro.

E é isso, eu te indico o livro também por ser baseado em uma história real, a de um tio-avô do próprio autor. Quem resiste? Haha.

site: http://jupseds.blogspot.com.br/2015/08/resenha-o-album-timothy-lewis.html
Jul 25/11/2015minha estante
Maldito skoob deixando os caracteres da minha resenha bagunçados!




Thalita 05/08/2015

Um belo de um romance!
Adam é um negociante de objetos usados e graças a essa profissão ele descobre uma linda história de amor que para ele era apenas coisa de filme...
Depois de muito tempo depois do divórcio, Adam ainda sonha com a ex esposa e infelizmente decide que não acredita mais no amor, pelo menos não até descobrir a antiga casa de Gabe e Pearl Alexander.
Em mais um dia de trabalho procurando objetos antigos em uma casa que estava sendo esvaziada para ser vendida, ele se depara com um álbum e quando decide abrir descobre algo maravilhoso.
Em vez de fotos o álbum está cheio de cartões-postais com poemas, que o que tudo indica foram enviados por Gabe para a sua esposa por 60 anos, todas as sextas-feiras. Com essa grande descoberta Adam fará de tudo para entender melhor essa história.

O álbum é aquele romance intenso, inspirador e com um toque de humor, que você lê e depois fica pensando que deve encontrar o seu verdadeiro amor assim como os personagens do livro.
Gostei demais de poder ler essa história, sempre é bom ler um romance leve de vez em quando e ver que é possível sim encontrar a sua alma gêmea. Digo isso porque no final o autor fala que essa história aconteceu realmente com os tios dele. É claro que ele mudou um pouco, mas basicamente essa história é real.
O livro mostra em alguns capítulos como Adam tenta descobrir a história dos cartões-postais e em outros mostra flaskbacks da vida do casal Gabe e Pearl ao longo dos 60 anos.
A única coisa que posso reclamar sobre o livro é a maneira como os capítulos são divididos que acaba sendo meio confuso, pois cada capítulo é um personagem diferente que narra. Tirando isso, O álbum é um ótimo romance.

site: https://instagram.com/p/5SRhDSOA-g/?taken-by=5livreiros
comentários(0)comente



Carolina Durães 05/08/2015

"O álbum" é uma história inspiradora sobre o verdadeiro amor. Gabe é um negociante de objetos usados, que tenta entender o motivo do seu próprio divórcio. Em um de seus trabalhos, ele precisa esvaziar a casa dos Alexanders, quando encontra um álbum repleto de postais e mensagens. Intrigado, ele começa a mexer no álbum e descobre que durante seis décadas, Gabe Alexander fez todos os esforços humanamente possíveis para enviar as sextas-feiras postais ou mensagens para sua amada, Pearl, carinhosamente apelidada de Huck.
Vocês conseguem imaginar a força desse relacionamento?

"Huck ficou escutando o quebrar das ondas e mediu o pulso de seus sentimentos. Muito mais que um sentimento, aquela paixão era um fato, um fato altamente protegido e baseado na gentileza compartilhada por almas gêmeas." (p. 84)

Adam começa a ler o conteúdo desse álbum e acaba viajando, assim como o leitor, para uma história excepcional.
Alternando os capítulos entre a história de Pearl e Gabe, e a história de Adam (narrados em primeira e terceira pessoa) o livro se desenvolve de forma fluida e graciosa. Descobrimos como Pearl e Alexander se conheceram, como se apaixonaram e como termina a sua história. Enquanto Adam se aprofunda na história desse casal especial, ele também começa a entender do verdadeiro significado do AMOR.
Os personagens são carismáticos e envolventes. Suas alegrias, dores e desilusões se tornam nossas conforme avançamos nas páginas.
Uma trama delicada e envolvente, com uma lição de vida que será levada para sempre em nossos corações.
A capa combina perfeitamente com a história. A editora realizou um ótimo trabalho na diagramação e escolha da fonte. Realizou também um ótimo trabalho na revisão.


"- Na próxima sexta, vamos nos encontrar no vale. Eu sei que era um dos seus lugares favoritos.
- Mas, Gabe. Eles não me deixam sair desse quarto. E eu não consigo sair dessa cama sem... - Huck começou a chorar.
- Eu sei, querida. - Gabe se inclinou para perto dela, a luz de seu sorriso iluminando a alma de Huck. - Então, quando eles não estiverem olhando, vou voltar para ler o postal. - Gabe se levantou, e seu rosto bonito foi desaparecendo em um brilho cintilante. - E depois vou carregar você até o vale... nos meus braços. (p. 107)

site: http://www.mixliterario.com/
comentários(0)comente



Fer - Mato Por Livros 03/08/2015

Oitenta anos atrás. Um casal que viveu o mais profundo e verdadeiro amor.
Tempo atual. Um homem que busca respostas de como é possível encontrar e viver amor verdadeiro.

Adam Colby é um negociante de objetos usados que após uma separação luta para entender o que deu errado em seu casamento, o que o faz pensar se o amor realmente existe e se é possível ser feliz ao lado de outra pessoa.

Até que em uma das casas onde ele vai analisar os móveis se depara com um álbum cheio de cartões postais. Adam fica intrigado com a história daqueles cartões e descobre que ali existe mais que apenas “papéis”, existe uma história. Uma linda e verdadeira história de amor.

A partir desse momento a história começa a ser alternada por capítulos entre a visão de Adam, e do casal Gabe e Pearl, mais conhecida como Huck.
Voltamos no tempo e nos é permitido conhecer toda a história desse casal. Como se conheceram, como começaram a namorar, os obstáculos que superaram, as lutas, os problemas familiares, as conquistas, as tragédias, e todos os momentos maravilhosos que passaram ao lado do outro. Cada capítulo traz como referencia um cartão postal. Cartões esses, que Gabe enviava a cada sexta-feira para assim deixar acesa a chama do amor e da paixão entre eles.

A história de Gabe e Huck é linda, a força do amor deles era extraordinária. Os momentos vividos dos mais ternos e puros. E a crença de Huck em um anjo da guarda que os acompanhou em muitos momentos de suas vidas, nos fazem acreditar que realmente nós temos nossos anjos ao nosso lado.

"- Esta noite, nós somos a música. Esta noite, nós somos o ritmo. Esta noite, nós somos o mistério."

Nos capítulos de Adam, acompanhamos sua busca por conhecer toda a verdade da vida daquele casal, mas na verdade o que ele procura é respostas de como eles conseguiram conservar a felicidade e o amor, até o último momento de suas vidas. Adam buscava algum tipo de fórmula, o segredo do casamento duradouro e feliz.
Para encontrar respostas da vida de Gabe e Huck e encontrar respostas para sua própria vida, ele vai contar com a ajuda de Yevette, uma moça que foi como uma filha para o casal. E aos poucos ele juntara todas as peças desse quebra-cabeça. E descobrira a resposta que tanto procura.

A história realmente é muito linda. A mensagem nela embutida então nos faz refletir muito em nossa vida e em nossos relacionamentos. O que move o amor? O que faz de nós pessoas merecedoras da felicidade? Existe um amor verdadeiro? Como encontra-lo e como mantê-lo vivo através dos anos?

A resposta é tão simples e muitas vezes não conseguimos entendê-la.

"Como seres humanos, temos a esperança de ter uma série de coisas. Felicidade. Saúde. Emprego. Filhos. Um parceiro. A eternidade. À medida que madurecemos, começamos a reconhecer uma força misteriosa que é parte de cada um de nós, algo muito mais poderoso que nós mesmos."

Infelizmente a escrita do autor me incomodou um pouco. Mesmo a história sendo muito linda por vezes a leitura se tornou um pouco entediante. Em outros momentos porém, ansiava por saber o que iria acontecer com Gabe e Huck.
Foi uma leitura leve, mas infelizmente um pouco demorada e não muito fluida.
Mas chegar ao final da história nos traz uma sensação tão boa. Como se algo se completasse, como se a paz estivesse presente, achei isso muito bom.

A diagramação é linda. A capa é um charme a parte e cada capítulo como disse anteriormente se inicia com um postal e os poemas escritos de Gabe para Huck.

site: www.matoporlivros.com.br
comentários(0)comente



"Ana Paula" 01/08/2015

Adoro quando me surpreendo com livros que eu não daria nada. Foi o caso maravilhoso deste exemplar. O Álbum é um livro intenso, cheio de reviravoltas, amor, amizade, esperança e paixão.

Quando peguei este livro com a Mari para leitura e resenha, fiquei imaginando o que esperar. não li nem a sinopse para vcs terem uma ideia. Então, logo no começo do livro, me deparei não com uma, mas com duas histórias - a de Gabe e Pearl e a de Adam.

"Ele pousou as mãos na cinturinha dela enquanto alguém a ajudava a se levantar. E, antes que ela pudesse se virar para olhar para ele, ele sabia...
Ele havia finalmente encontrado sua Menina Para Sempre."

Como a sinopse diz, Adam é um negociante de objetos usados. Ao receber a proposta de vender os objetos da família Alexander, Adam encontra um álbum repleto de cartões postais que Gabe enviou para sua esposa Pearl (mais conhecida como Huck) todas as sextas feiras, durante 60 anos. Mas espera, não são cartões qualquer - são cartões com poemas sobre a vida deles juntos, cada um remetendo a uma fase da vida deles. Intrigado com essa descoberta, Adam, que foi abandonado por sua esposa, decide investigar o que fez o casamento dos Alexanders dar certo. Ele quer saber a fórmula da felicidade dos dois. E é neste contexto que vamos conhecer a história de cada um, pouco a pouco.

Que livro maravilhoso! Eu adoei acompanhar a história de Huck e Gabe, a de Adam também, pois ele é um personagem que também merece atenção. Huck é uma personagem maravilhosa, onde encontrei muito de mim. Gabe é aquele tipo de homem que acredita e corre atrás, passou sua vida fazendo feliz a mulher que sempre amou, e Huck também fez por ele.
Apesar de todo o cenário romântico, você deve estar se perguntando se este livro é daqueles melosos ou não. Não é! A história de Huck e Gabe é cheia de reviravoltas e fatos sobrenaturais que sempre influenciaram a relação deles dois.

"Eu tinha que admitir que, antes de descobrir os postais, eu achava que almas gêmeas só existissem em contos de fadas. E casais sortudos o bastante para ficar juntos poderiam viver "para sempre", mas mentiam sobre a parte do "felizes". Então as perguntas surgiram: será que almas gêmeas evoluíam para amantes? Ou amantes se tornavam alma gêmeas? Em poucas palavras, será que Huck e Gabe estavam destinados a ficar juntos para sempre ou trabalharam para isso acontecer?"

A narrativa altera entre primeira e terceira pessoa, dependendo do capítulo. Alguns capítulos possuem um postal com a poesia de Gabe, outros só possuem a data e o nome de quem irá contar a história. Independente da narrativa, que eu gostei muito, o autor tem um jeito gostoso de levar a história a diante. Ele escreve com amor e em nenhum momento, me senti lendo um romance mimimi, mas a história de duas almas gêmeas que se amaram intensamente.

A capa é linda e condiz perfeitamente com o enredo. Os personagens são bem construídos e são pessoas comuns, que você pode encontrar na rua. A editora caprichou muito na diagramação: além dos detalhes dos cartões, também temos letras em tamanho confortável para a leitura e páginas amarelas. Encontrei somente um erro de revisão, e foi a troca de nomes dos personagens. Fora isso, livro lindo por dentro e por fora.

"A cada ano que passa,
Envelhecemos lado a lado.
Moeda e candelabro de prata
Ainda são tesouros estimados,
De valor inestimável, desejados.
Mas a vida ainda guarda
Muitos mais para os amantes,
E aventuras com a minha amada
São o que vejo adiante.
Pois, assim como o Azul do Norte,
O aposentado aqui ainda está forte!"

Enfim, super recomendo esta leitura, perfeita para qualquer idade, cheia de significados e com uma história belíssima!
Ha! E para finalizar, vcs não se surpreender e ficar arrepiados com a Nota do Autor na última página! ;)

site: http://mariscotti.blogspot.com.br/2015/08/resenha-o-album.html
comentários(0)comente



ricardo_22 29/07/2015

Resenha para o blog Over Shock
O Álbum, Timothy Lewis, tradução de Ana Paula Corradini, 1ª edição, Ribeirão Preto-SP: Novo Conceito, 2015, 240 páginas.

Adam é apenas um negociante de objetos usados que tem a missão de esvaziar e vender a residência dos Alexanders, mas ao se deparar com um álbum antigo com cartões-postais, escritos ao longo de sessenta anos, ele percebe que as frases românticas são provas de um amor incondicional e exemplar entre Gabe e Pearl Alexander.

Ao conhecer a história entre o casal, Adam descobre que durante seis décadas, Gabe se esforçou para enviar um cartão todas as sextas-feiras para a sua amada. Além dos poemas de amor, os cartões representavam algum momento importante do cotidiano, o que para Adam pode responder as perguntas que carrega sobre a sua própria vida.

“Eu nunca havia duvidado do nosso amor, nem enxergado uma vida sem ela. Além daquilo que não tinha conserto mesmo, onde foi que erramos? O que poderíamos ter feito para evitar esse desastre? Quanto mais eu me debruçava sobre os cartões-postais dos Alexanders, mais ficava pensando se um dia seria capaz de amar outra mulher. Pior ainda: depois de fracassar no meu casamento, será que eu merecia uma segunda chance?” (pág. 09).
A principal conclusão que cheguei após a leitura de O Álbum é que existem três tipos de pessoas: aquelas que desacreditam totalmente no amor; as que são eternas apaixonadas; e as pessoas que amam, mas que por algum motivo se entregaram ao pessimismo. Infelizmente é preciso mais do que um livro para mudar o primeiro tipo, no entanto os demais se encaixam perfeitamente nessa obra, como se ela tivesse sido escrita por um motivo muito especial.

Digo isso pois o trabalho de Timothy Lewis é de uma sensibilidade tocante e incomum. Embora tenha uma história muito simples, às vezes até lenta, o livro é capaz de plantar uma semente de esperança para que no futuro, se regada com esmero, possa gerar frutos que simbolizem a felicidade. E, se o autor conseguiu deixar essa sensação, se deve principalmente pela inspiração ao seu enredo: os cartões-postais trocados por seus tios-avôs durante seis décadas.

Em uma sociedade em que as pessoas têm cada vez menos tempo — ou vontade — de valorizar as coisas simples, imaginar um homem apaixonado que incansavelmente, toda sexta-feira, durante sessenta anos, envia um cartão-postal para a mulher amada pode ser utópico. Mas prefiro pensar que muitas dessas pessoas apenas não estão preparadas para encarar esse sentimento capaz de nos transformar completamente. Muitas dessas pessoas precisam conhecer os Alexanders.

Desde o início fica claro que para Adam, o negociante de objetos usados, encontrar os cartões-postais dos Alexanders é o mesmo que encontrar um caminho que o leve até as respostas sobre o fim de seu casamento. Se ele representa uma situação que provavelmente muitos já passaram, estando no time dos pessimistas, o casal representa o ideal de um relacionamento e consequentemente está do lado dos eternos apaixonados.

E o casal foi responsável por tocar o meu coração ao mostrar a singularidade dos sentimentos. Mesmo em cenas em que isso teoricamente não era possível, Gabe e Pearl se entregam um ao outro de uma forma pura e sincera, estando aí o grande diferencial de O Álbum se comparado com qualquer livro do gênero. É possível perceber os verdadeiros sentimentos nos diálogos, nas preocupações, declarações e, claro, nos cartões-postais.

site: http://www.overshockblog.com.br/2015/07/resenha-337-o-album.html
comentários(0)comente



Mari Siqueira 24/07/2015

Belíssimo, raro, inesquecível!
O Álbum é um romance que comove, conquista, faz chorar. O livro de Timothy Lewis é inspirador e tão cheio de amor que faz o leitor se apaixonar por suas palavras e por seus personagens. A história de amor de um casal que esteve junto até o verdadeiro final da vida é, não só encantadora, mas também verdadeira. Inspirado em seus tio-avós, Timothy misturou um pouco de ficção à linda trajetória romântica de duas pessoas reais.

Toda sexta-feira um cartão-postal. Um poema, uma rima, um pensamento. Este e muitos outros atos de amor, mantiveram a chama do amor acesa durante sessenta anos de casamento. O título original do livro é 'Forever Friday', ou 'Para Sempre Sexta-Feira' e foi mudado pela editora por uma questão de marketing, infelizmente. Falo agora da ficção, muito embora, grande parte dela seja realidade. Duas histórias se cruzam e se tornam uma só. E essa história vale por outras mil.

2006 - Adam Colby é um negociante de objetos usados e está esvaziando a casa de um casal de idosos que acaba de falecer. Junto com as coisas que iriam para o lixo, Adam encontra um álbum de fotografias. Lá dentro, porém, não há foto alguma, mas sim o retrato de um amor que resistiu ao tempo. Cartões-postais, muitos deles. Todas as sextas-feiras, durante sessenta anos.

Depois de sair de um casamento fracassado, Adam se pergunta o que fez de errado. A resposta pode estar ali, naquele álbum. Pequenos poemas que revelam segredos para um casamento feliz e duradouro. Ele lê cada um dos cartões e os leva consigo, ainda tentando entender. Ele pede ajuda a uma moça que viveu com o casal, filha da empregada deles. Yvette é uma jovem misteriosa, que tem medo do amor, apesar de acreditar nele. Os dois vão recontando a história de Gabe e Pearl Alexander.

1926 - Gabe e Pearl se conhecem e é amor à primeira vista. Pearl, também conhecida pelo apelido Huck, está noiva de outro homem, mas se apaixona por Gabe mesmo assim. Depois de muitos percalços, a vida os une e dois destinos formam uma nova jornada. Um anjo-da-guarda bem especial os guia, os protege em todos os momentos. Gabe promete um cartão-postal apaixonado por semana, até o fim de sua vida. E um dia, os cartões param de chegar. O amor não, este nunca acaba.

Aparentemente, as duas histórias se conectam pelos cartões-postais, mas é bem mais do que isso. Eles se conectam pelo amor. Uma trajetória inspiradora que gera outra. Gabe e Adam são dois homens de tempos distintos, que não conhecem e mesmo assim têm algo em comum: o caráter, a honra e o desejo de amar uma mulher pelo resto da vida. Os dois personagens, assim como qualquer homem, têm medo do que o casamento pode fazer com um relacionamento, com a paixão. E por isso, decidem que vão dar seu melhor para que o amor não acabe.

Romântica assumida, me emocionei com o livro de Timothy e sua forma de contar histórias. Gabe é um dos personagens mais nobres e encantadores, além de extremamente inteligente e sensível. Ele tem como objetivo evitar a chamada teoria da 'Divisão Longa', uma sequência de eventos que acontece depois do casamento (filhos, peso, egoísmo, cansaço, irritação, estresse, falta de dinheiro, falta de tempo) e que leva os casais ao divórcio. É como a aritmética, uma equação, um todo que ao ser sucessivamente dividido, resulta em um valor pequeno ou inexistente. É a metáfora de um relacionamento, que naturalmente se deteriora com o tempo.

Com amor, compreensão, atenção, carinho e muita dedicação, Gabe e Pearl se amam por décadas, pela eternidade. O segredo que Adam busca vai aos poucos revelando ser o que todos nós buscamos. 'Amantes do amor' (em tradução literal) é justamente o nome do blog, porque sou um pouco como Gabe. Quero que o meu amor seja eterno, verdadeiro e sincero e que a vida nunca entre no nosso caminho e isso só depende de nós. Você já viu como é lindo um jardim de orquídeas? O cultivo não é simples, mas com dedicação, o resultado é como o amor de Gabriel e Pearl Alexander: inspirador.

"- Na próxima sexta, vamos nos encontrar no vale. Eu sei que era um dos seus lugares favoritos.
- Mas, Gabe. Eles não me deixam sair desse quarto. E eu não consigo sair dessa cama sem... - Huck começou a chorar.
- Eu sei, querida. - Gabe se inclinou para perto dela, a luz de seu sorriso iluminando a alma de Huck. - Então, quando eles não estiverem olhando, vou volar para ler o postal. - Gabe se levantou, e seu rosto bonito foi desaparecendo em um brilho cintilante. - E depois vou carregar você até o vale... nos meus braços. (p. 107)

site: http://loveloversblog.blogspot.com
comentários(0)comente



Portal JuLund 21/07/2015

O Álbum, @Novo_Conceito
Existem várias formas de tesouros, para umas pessoas seria um pote de ouro no fim do arco íris, para outro uma vida inteira cheia de saúde, para Gabe e Pearl foi o amor que os dois conseguirem sentir e viver.

E esse tesouro se manteve escondido durante toda a vida deles, até o dia em que ambos partiram e seus pertences foram divididos e repartidos para os familiares, o responsável para que isto ocorra Adam Colby, um negociante de objetos usados, que mudou para a cidade dos Alexanders por ter acabado de sair de um casamento que ele acreditava ser eterno e acabou muito antes do que desejava e imaginava.

Leia a resenha completa em nosso portal!

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/o-album-novo_conceito
comentários(0)comente



Raffafust 20/07/2015

Primeiramente achei que a editora poderia ter mantido o nome original quando traduziu, " Para sempre sexta" dá mais ideia do que significava aquele dia de semana para o casal protagonista do que o álbum em si, mas ok.
Baseado na história verídica de seus tio-avós, o autor nos leva para o mundo do casal Alexander, recém falecidos, que deixaram uma casa que em breve será posta à venda. Como responsável por arrumar tudo para começar a mostrar o local para o novo comprador temos Adam, um especialista em objetos usados, aqui no Brasil é menos comum, mas lá fora temos o corretor e o avaliador de objetos, aquela pessoa que entra na casa e informa o quanto vale cada item deixado na casa, quando não há herdeiros isso é ainda mais comum!
Ao olhar a casa e observar os objetos, Adam desbre um álbum, curioso, ele o abre achando que encontrará um álbum de fotos, desses que em todas as casas temos, ainda mais na de um casal de idosos. Mas ao abrir se depara com uma história pronta para ser lida, Gabe escreveu cartões postais para sua esposa por 60 anos, são declarações lindas onde ele demonstra tudo que sente por ela, a tal sexta do título original é o dia da semana no qual ele sempre enviava o cartão postal para a amada.
Se a história parece " fácil", não se engane, o casal protagonista não teve uma vida mar de rosas para ficarem juntos, Pearl Huckabee - ou Huck como a chamam a história toda - fica encanatda quando conhece Gabriel que chama de Gabe, ele é contador d euma peixaria e a família dela não parece muito feliz com o romance dos dois. Muito porque ela quando o conhece estava noiva de outro rapaz, mas foi um típico caso de amor à primeira vista.
Passado entre o passado e o presente ( o antes é a história do casal que vai da década de 30 até a de 80 e o agora é 2006 quando Adam descobre a linda história) o livro nos remete aquele amor de filmes que torcemos para o final feliz.
Longe de ser apenas mais um livro romântico, O Álbum é livro para provar que o verdadeiro amor nunca morre, e ainda serve de lição para as próximas gerações, lindo demais

site: http://www.meninaquecompravalivros.com.br/2015/07/resenha-o-album-novoconceito.html
comentários(0)comente



Khrys Anjos 20/07/2015

Uma lição para ser vivenciada
Adam se questionava qual a maneira certa de amar. Por que alguns casais conseguem viver o amor por tantos anos sem deixar a chama se apagar e ele não conseguiu manter o próprio casamento.

Estas provavelmente são questões que todo ser humano já tentou encontrar as respostas.

Quando Adam encontra os cartões-postais sua curiosidade aumenta e ele resolve ir mais a fundo nesta história para descobrir os significados de cada poema que o Gabe escreveu para a sua amada Pearl.

O que tornou possível para este casal viver junto por 60 anos? Com certeza não foi uma mera questão de boa sorte.

Durante a trajetória do relacionamento, contada pela Yvette, que teve o privilégio de conviver por alguns anos com o casal, vamos descobrindo a essência deste amor.

Eles viveram todas as etapas necessárias para que a relação evoluísse e se transformasse num exemplo de como devemos levar qualquer tipo de relacionamento seja afetivo, familiar ou profissional: tendo como base o respeito.

Não existe uma fórmula ou uma receita exata para que a relação seja perfeita. Até porque não somos perfeitos. O que existe é a coragem de 2 seres para lutar por um ideal: fazer o convívio diário produzir um aumento no sentimento.

E como isso acontece? Valorizando os pequenos detalhes que a maioria das pessoas não se importam.

Quando entramos numa relação amorosa temos que estar preparados para abrir mão de algumas coisas mas sem deixar de sermos nós mesmos.

Tudo passa a ter uma conotação diferente. Os hábitos acabam por se modificar. Porém devemos ficar vigilantes para que estas mudanças não nos transformem em outra pessoa. Se isso acontecer é chegada a hora de dizer adeus.

Cada momento vivido ganha um colorido novo. O amor não é um objeto que pode ser colocado sobre uma estante e deixado lá acumulando poeira. Ele deve ser tratado como um bebê. Cada fase pela qual o neném passa pode ser facilmente identificada na relação. Começa sendo apenas um projeto, se torna uma maquete e nasce. A partir daí depende dos pais para sobreviver. Precisa ser alimentado e limpo todos os dias. E assim vai passando por todo o processo – engatinhar, falar, andar, correr – até se desenvolver e se transformar num adulto.

Se temos todo este cuidado com um filho por que não fazemos o mesmo com o amor pelo nosso companheiro/a?

A diferença entre os relacionamentos que duram anos e os que duram dias está na incapacidade do ser humano em dividir o seu mundo interior com o outro.

Acredito que a maior lição que o Adam aprendeu, e os leitores desta história também comprovarão, é que não existe uma relação onde o casal vive no meio de um arco-íris.

Se os dois não estiverem dispostos a enfrentar as tempestades não poderão construir um futuro juntos.

Somente quem está disposto a dividir poderá somar mais amor a sua vida.


site: http://minhamontanharussadeemocoes.blogspot.com.br/2015/07/resenha-o-album-timothy-lewis.html
comentários(0)comente



Greice Negrini 15/07/2015

Um livro sobre amor e amizade.
Em 1926 Gabe Alexander trabalha como escriturário em uma peixaria famosa em Houston há longos anos e julga ter uma vida tranquila até ver passar pela rua uma linda mulher. A partir deste momento ele tem a grande certeza de ter encontrado a sua alma gêmea.

Pearl é uma professora que mora em uma pensão e está noiva de seu namorado da infância. Nenhuma novidade acontece em sua vida a não ser que a monotonia e uma certa indecisão sobre seu futuro conte. Até que um dia ela vai até a peixaria de seu Cecil e é atendida por um homem que chamou sua atenção mais do que o necessário. Como sabe que é casada, não dá muita atenção ao que ele fala, exceto de que ele tem uma grande presença.

Já em 2006 Adam está trabalhando com os objetos a serem vendidos de gabe e Pearl, já que seu negócio é revender o patrimônio de pessoas, quando encontra um álbum com diversos cartões postais cheio de poemas. No álbum está uma vida inteira de relacionamento que não faz sentido para Adam já que este não sabe nada sobre a vida do casal que morou naquele lugar. Adam se divorciou e sente que não conseguiu fazer muito pelo seu casamento e agora se ressente muito por isto.

Yevette é uma mulher amazona que ficou com o casal até o fim da vida dos dois e que sabe muito do que Adam tenta agora descobrir e que deseja completar as lacunas deixadas pelos cartões-postais. Mas ela não deseja simplesmente explicar tudo facilmente. A história de Gabe e Pearl tem muito mais a ensinar do que um simples amor que durou muitos anos e é nesta amizade que vai ser criada que adam vai conseguir entender o que muitos ainda não aprenderam: o verdadeiro sentido de lutar por quem se gosta.

O que falo sobre o livro?

Estou há mais de trinta minutos pensando em como começar a escrever esta parte da resenha. Não é como um processo simples em que você vai descrevendo as sutilezas de uma história simples que não tenha de forma alguma mexido com o pensamento, pelo contrário, é uma ideia que fica vagando pela minha mente e não sei exatamente como distribuir em palavras belas e dignas.

Não há mistério sobre a questão em que os personagens de Gabe e Pearl formam um casal em meados dos anos de 1926. Somando-se a isso já dá para ter uma ideia de que tudo naquela época é um pouco mais bucólico, mais desacelerado e as paixões não são demonstradas publicamente como agora e mais do que isso há toda aquela gentileza e romantismo em uma conquista. Isso é o que o autor baseia praticamente toda a parte do seu livro: na gentileza.

O livro em si fala de uma história de amor que ultrapassa décadas e como um casal consegue de uma forma inusitada transformar um casamento em algo bastante duradouro. E é através de postais enviados todas as sextas-feiras por Gabe que ele declara seu amor por sua esposa. Mas obviamente não é somente isto que será encontrado neste livro e obviamente também não é a única ideia do autor.

O bom sentido foi colocar um personagem após mais mais de 90 anos em que descobre a história do casal e que, sofrendo com um divórcio e um casamento nada feliz, quer desvendar o mistério por trás de tanta felicidade. E é assim que a história vai sendo narrada. Os capítulos vão sendo entrelaçados entre a visão de Gabe, Pearl, Adam e Yevette e vão se conectando como uma estrutura sólida onde o ceticismo de Adam vai sendo amortecido pelos momentos de amor e dificuldade do casal.

Em certas partes da leitura eu ficava pensando em como era massante a narrativa, mas o fluxo de detalhes foi importante para dar uma compreensão maior para aquilo que Gabe sempre acreditou que conseguiria até o último dia de sua vida. Lógico que não consegui conter as lágrimas ao final da leitura.

Mais do que belas dicas de como fazer para sustentar um pilar que pode estragar com o tempo, O Álbum é uma memória ao romantismo de outrora não tão visto atualmente e até não tão previsto. Vale a pena sonhar com momentos como este e mais ainda desejar amar para sempre a mesma pessoa que sempre te fez feliz.

site: http://www.amigasemulheres.com/2015/07/o-album-timothy-lewis-resenha-244.html
comentários(0)comente



49 encontrados | exibindo 31 a 46
1 | 2 | 3 | 4