Nicholson

Nicholson Marc Eliot




Resenhas - Nicholson


4 encontrados | exibindo 1 a 4


Dyonathan 08/08/2020

Aqui tem tudo. Afinal, é o JACK.
Jack Nicholson é um ator brilhante.

Para muitos, um top 4 de Hollywood tem Jack Nicholson, Al Pacino, De Niro e Brando como os maiores atores por lá. Além disso, ele tem uma vida que dá um roteiro de cinema.

No livro de Marc Eliot fica claro isso.
Jack, como é chamado nos jogos do Lakers, viveu como quis. É por isso que sua biografia, se tem um pecado, é tender muitas vezes para a vida íntima do ator, do que para a do ator de cinema. Só que Jack é isso. É porra louca. Se o pecado de Marc é tender para muitos detalhes íntimos desnecessários da vida de Jack, a qualidade é o nível dos detalhes técnicos de seus filmes. Riquíssimos.

"Eu sou um cara bem comum, com uma personalidade típica de Nova Jersey. Eu não exalo aristocracia ou intelectualismo. Mas eu tento dar a esse cara comum alguma faceta extraordinária." (1975)

Se tem algo que Jack nunca foi, é comum. Pessoas comuns não são indicadas para o Oscar em cinco décadas diferentes (60, 70, 80, 90, 00) e ainda ganham três. Jack ganhou o Oscar três vezes. E poderia ser quatro ou cinco tranquilamente.

Gente comum não batalha tanto para ser ator. Se tem algo que Eliot contou bem, foi COMO NICHOLSON LUTOU PARA FAZER SUCESSO. Passou muito perrengue. O sucesso chegou aos 32 anos somente. Era Easy Rider ("Sem Destino"). De lá pra cá, Jack sempre figurou entre os grandes de Hollywood. Quando achavam que ele estava acabado... Ganha mais um Oscar.

E alguém comum não tem uma história familar como a que ele teve. Pai, mãe, irmã... Não vou contar, porque eu não sabia até começar a ler. E não darei spoiler. Só que esse "Segredo" parece que fez Jack ser.. Jack. Brilhante. Deu mais gás para o ator.

Um Estranho no Ninho, O Iluminado, A Honra do Poderoso Prizzi, Melhor é Impossível, Antes de Partir, Os Infiltrados, Reds, Chinatown, Laços de Ternura, Batman, Questão de Honra... A lista é grande. Jack SEMPRE escolheu seus papéis. Recusou ser Hannibal Lecter, recusou o papel de Al Pacino em "O Poderoso Chefão". Recusou repetir "O Coringa" na sequência do Batman. Sempre fez o que ele quis. Como ele mesmo fala. "Eu sou um dos pouquíssimos atores que pode se dar ao luxo de fazer o que bem entender." E ele fez.

Talvez por isso sua vida daria um filme sensacional. Talvez por isso ele esteja sozinho hoje. Porque SEMPRE fez o que quis. Na arte e na vida real.

Corman, Douglas, John Huston, Mike Nichols, Jaglom, Kubrick.. Jack sempre foi fiel aos seus amigos. Inclusive nas despedidas.

Um amor? Anjelica Houston.

Aquele garoto de Nova Jersey, com aquele sotaque diferente, e aquele sorriso. Ah, aquele sorriso. Estava escrito. Jack foi o mega astro que estava destinado a ser.

Deve estar no seu refúgio em Aspen vendo o jogo do Lakers.
comentários(0)comente



Luz 26/06/2020

All work and no play makes Jack a dull boy
Nicholson ganhou 3 Oscars, tem atores que por mais que sejam indicados nunca até então ganharam nenhum, melhor ator em Melhor é Impossível e Um estranho no Ninho e como ator coadjuvante em Laços de ternura e isso em contar várias outras premiações como o Prêmio Saturno da Saturn Awards ( Academia de Filmes de Ficção Científica, Fantasia e Horror ) por sua atuação em As bruxas de Eastwick e por filmes em comédia como ator mais engraçado por Melhor Impossível e ainda dezena de outros, interpretação ímpar em várias segmentos, vários tipos de filme, Jack não tem aquele perfil de um papel só ou seja só consegue por exemplo interpretar dramas, não, não, o cara se gostar do enredo, do produtor, do roteirista, ganhar um bom adiantamento em verdinhas topa sim ir em frente e gravar nem que seja por longas horas, períodos árduos e mesmo que as críticas não sejam boas quando é ventilado o que está vindo por aí. Sua única falha ou falhas, digamos, é sua queda por mulheres, se envolve com todas praticamente que estejam ao alcance, não importando a idade e quando tem os jogos dos Lakers não perde 1 quer seja ir lá e ver ao vivo, quer seja pela tv, aí larga tudo de mão e vai assistir. Difícil prá burro encontrar outro ator assim e se vc gosta de cinema, se vc gosta do Nicholson, aposte nesse livro aqui que eu nem sabia a existência, nada sabia do autor e ganhei de presente de uma filha e tal modo amei que estou esperando a entrega de um outro volume da autoria do mesmo autor e dissecando a vida e carreira de Clint Eastwood.
comentários(0)comente



Israel Miranda 10/10/2018

A trajetória de um gigante do cinema
Biografia mal traduzida (primeira vez que leio um "de boa") e mal escrita. Falta elegância, informação e inteligência a escrita de Marc Eliot. Pelo menos ele é rápido e tem uma qualidade que considero importante num biógrafo, opinião. O interessante é que mesmo com esses problemas o livro é muito divertido e vai prender qualquer interessado pelos bastidores do cinema.

Nicholson realmente ralou pra fazer sucesso, viveu anos sem grana e sem prestígio até que a sorte chegou com o nome de "Sem Destino". Ele agarrou a oportunidade e virou lenda, já tinha mais de 30 anos.

Foi uma senhora vida: milhões de dólares, centenas de mulheres, grandes papéis em grandes clássicos, mais de 50 prêmios (incluindo 3 Oscar) e toda a droga e álcool possível. Um dos maiores atores da história do cinema, ícone que jamais se criaria na atual Hollywood politicamente correta. Vale a pena conhecer a fera.
comentários(0)comente



@gugugb 06/11/2018

Lenda!!
Que vida intensa!! O livro é um prato cheio pros cinéfilos!! Muita história de bastidores...
comentários(0)comente



4 encontrados | exibindo 1 a 4