Correr

Correr Drauzio Varella




Resenhas - Correr


35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Ana Paula 02/06/2015

Leitura imperdível para corredores ou não!
Bom, vou começar contando o motivo deste livro ter chamado a minha atenção já de cara: eu gosto de correr! Nos últimos dois anos eu descobri o esporte e participei de algumas corridas de rua de pequena distância (5k). Mas não consegui, até hoje, ter a disciplina necessária para aumentar a distância... Vira e mexe eu paro de treinar, recomeço tudo de novo e por aí vai. Então já dá para entender como este livro foi proveitoso para mim, né? A disciplina do Drauzio é inspiradora, de verdade!

Vamos saber um pouco mais sobre este livro que foi lançado dias atrás pela Companhia das Letras:
O famoso Dr.Drauzio Varella conta o que o motivou a participar de uma maratona (para quem não sabe, a distância percorrida por um maratonista é de 42,195km). Vou estragar a surpresa e contar, pois achei demais: prestes a completar 50 anos, ele encontrou um amigo que não via há mais de trinta anos. Quando comentou a idade que tinha, o amigo, "bem animador" disse: "Ano que vem, cinquenta, idade em que tem início a decadência do homem". Com este comentário em mente, ele se propôs um desafio para provar que a decadência dele não teria início aos cinquenta anos: correr a Maratona de nova York. Nem vou considerar isto um spoiler, pois esta história está no início do livro, ok?

A partir daí, Drauzio vai contando com aquela linguagem simples e descontraída a que estamos acostumados dos seus quadros no programa Fantástico como foi seu treinamento, as dificuldades que enfrentou e sua primeira experiência como maratonista. Faz parte do livro o texto de um vídeo que circulou na internet e que foi mal interpretado por muitas pessoas que acreditaram que ele tinha uma visão negativa da corrida:

"Se ouço alguém dizer que acorda cheio de vontade para correr, nadar, pedalar ou levantar peso na academia, por educação fico calado, mas duvido que seja verdade" (....) Por que tanta gente reconhece que a atividade física é essencial para a saúde mas não consegue abandonar a vida sedentária? Por uma razão simples: praticar exercícios vai contra a natureza humana. (.....) os animais só gastam energia atrás de comida, sexo ou para fugir de predadores". Lido assim, fora do contexto pode até dar margem para erros, mas ele na verdade está dizendo que se esperarmos esta vontade louca vir, não sairemos do sofá nunca, pois ela não vem. Então, temos que ser decididos e deixar o sedentarismo para trás de uma vez por todas. Não ficar esperando um mágica que nos fará amantes do exercício de uma hora para outra. Só depois de sentimos os inúmeros benefícios é que vamos nos apaixonando e tornando a pratica mais prazerosa do que sofrida.

Adorei este relato, pois sempre vemos os adeptos a exercícios dizendo dos prazeres de treinar, de como o corpo é dominado por uma sensação incrível etc. Mas ninguém nos conta como é difícil começar, abandonar as delícias do ócio, dar o primeiro passo, não inventar mil desculpas esfarrapadas para ficar em casa. Isso sim é uma luta! Drauzio conta que o primeiro quilometro é um sofrimento só... eu me identifiquei muito com ele neste aspecto. "Passados mais de vinte anos, meu primeiro quilômetro ainda é dominado por um único pensamento: não há o que justifique um homem passar pelo que estou passando". Não é ótimo saber que alguém que já participou das principais maratonas do mundo sente o mesmo que você? Se isto não incentivar você a enfrentar suas barreiras, nada mais o fará kkk. Ele já me ganhou aí, no comecinho do livro.

Além dos relatos bem humorados de suas participações em maratonas famosas como a de Nova York, Boston, Chicago e Tóquio, Drauzio vai intercalando fatos e comentando importantes pesquisas sobre os efeitos da corridas no corpo humano. As principais lesões, os problemas mais comuns, riscos e benefícios. São os capítulos do livro intitulados de Intervalo.

As passagens em que conta os lugares do mundo em que já treinou (percebe-se que a corrida faz parte do dia-a-dia dele, não importando onde esteja, ele sempre procura um tempinho de calçar o tênis e correr) são uma delícia. Para quem já correu, não importa a distância, sabe a sensação de estar somente você, ali, passada após passada, vendo a paisagem e deixando o pensamento ir longe... Agora imagina fazer isso pelas lindas paisagens do Rio de Janeiro, entre os prédios do centro de São Paulo, em ruas desconhecidas de Miami ou em uma "ilha" formada por um enorme banco de areia no Rio Negro. Ele corre pelo lugares mais inusitados, como a primeira vez que cruzou a Cracolândia em São Paulo.

Ah, lá no começo do livro ainda, ele faz um relato (ou esclarecimento) histórico da famosa corrida do guerreiro que deu origem a Maratona:

"Sempre achei mal contada a história do guerreiro que correu de Maratona a Atenas para levar a notícia da vitória na batalha contra os persas. Segundo a lenda, o rapaz teria gastado seis horas para percorrer os tais 42 quilômetros, avisado que os atenienses haviam derrotado os persas e morrido de exaustão, depois de balbuciar o nome da deusa grega da vitória: Nike (...).. Se já é difícil acreditar que o soldado mais veloz do intrépido exército ateniense corresse tal distância em tempo tão medíocre, que dizer do vexame de cair morto?"

Para concluir, quero dizer que eu recomendo este livro não somente para todos os corredores amadores, mas para as pessoas que tem vontade de começar um esporte, não importando qual seja, que quer promover alguma mudança no estilo de vida, sair do sofá, buscar um benefício para a saúde e outros inúmeros motivos para ter uma vida mais saudável. Fica a lição de que é difícil começar, é difícil permanecer, mas que chega um ponto em que correr (e imagino que qualquer outro esporte também) se torna tão prazeroso, tão envolvente que você continua não só pela saúde, mas por já não conseguir viver sem. Hoje, aos 72 anos, Drauzio diz:

"Quanto mais velho fico, mais prazer encontro em correr".

site: www.estante-da-ana.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Celaro 12/01/2016

Motivação para completar os 42Km
O Doutor Drauzio narra com a determinação de um disciplinado maratonista como iniciou esta atividade aos 50 anos, a qual até a edição deste livro, aos 72 anos, ainda pratica. Comenta, com a perspicácia de um médico, os efeitos da atividade no organismo, seus benefícios e cuidados que se deve ter.
comentários(0)comente



Corredora Literária 22/02/2018

Correr | Blog Corredora Literária
Correr é sem dúvida um livro inspirador e motivador, onde qualquer pessoa praticante ou não sentirá na pele todas as dificuldades que encontrará um futuro maratonista.

Atingir marcas, a obsessão do tempo, o sonho de apenas terminar uma prova independente do tempo final, a frustração...as dores...o convívio social.

É um livro divertido e impossível de ler e não escutar aquele timbre de voz inconfundível do Dr. Drauzio como se você estivesse assistindo ao programa dele na TV. Há vários trechos cômicos. Ele conta sobre uma bebida "mágica" para ajudar na recuperação dos atletas, por motivos óbvios (spoiler) não irei contar de qual bebida se trata, para saber qual é te convido a ler também!

Nesse livro são apresentados dados históricos e estatísticos, e as dúvidas mais frequentes são sanadas como por exemplo: Por que há mortes súbitas durante a prova?

O leitor que ainda não é atleta vai descobrir todos os sintomas pré, durante e pós prova de um atleta amador e profissional e nós atletas amadores apenas relembramos as nossas próprias dores rs.

Um livro rico em cultura, que aborda o início do esporte em SP, acompanhamos as aventuras do Dr. Drauzio em seus treinos (passando pela cracolândia) e em suas Maratonas que vão desde SP, RJ, Nova York e o mundo a fora.

Algumas perguntas corriqueiras são explicadas no livro, como por exemplo: O corredor acorda sempre disposto para correr? Será? De onde veio o nome Maratona?

Há muitas lições valiosas para todos nós, sendo atletas ou não. Dr. Drauzio conta a sua história de mudança de hábitos de vida, além dos problemas que as mulheres enfrentam nos treinos e nas provas.

Eu me identifiquei muito com várias situações vividas pelo Dr. Drauzio, mas com certeza a que mais me marcou foi uma vez ter acompanhado um corredor de elite (que já estava em sua segunda volta claro rs) por alguns segundos, no mesmo pace, foi emocionante e doloroso, fiquei impressionada com o esforço que tive que fazer pra me sentir como aquele atleta mesmo que por um pequeno instante, aquele misto de emoções, não é a toa que em toda prova que eu participo faço questão de bater palmas quando vejo os primeiros colocados passando na pista contrária e quem já tem um certo tempo no asfalto também faz o mesmo.

Drauzio é um humanista com seus variados projetos sociais e o livro aborda também sua história profissional.

Com certeza indico esse livro principalmente para os iniciantes e não praticantes, é um livro essencial para quem já corre ou para quem quer calçar os tênis pela primeira vez!

Li esse livro em meados de 2015, foi quando dei início então aos treinos específicos e no ano seguinte (2016) participei da minha primeira Meia Maratona ASICS em São Paulo, sem dúvidas o livro foi um grande incentivo para mim e um grande sonho foi realizado, no mesmo ano participei também da minha primeira (e última, o porquê da última é assunto pra outro dia, mas adianto que é devido a organização da prova) São Silvestre, no início do ano a meta seria correr apenas a SS e  somente no ano seguinte (2017) participar de uma meia maratona mas sabe como é né rs.

Leia esse livro e duvido que não vai querer sair na rua pelo menos para caminhar um pouco todos os dias, e para quem já corre assim como eu com certeza terá aquela chama acessa dentro do corpo pedindo para participar de uma Maratona!

site: https://corredoraliteraria.wordpress.com/
Joao.Vitor 23/02/2018minha estante
Ótima resenha, me deixou interessado pelo livro !


Corredora Literária 23/02/2018minha estante
Leia! é muito interessantes, o que cativa também são os fatos históricos em torno do tema! Muito obrigada.




Raony 10/12/2015

Na época que eu via o Fantástico, isto é, uns 10 anos atrás, eu gostava dos quadros dele. Um senhor simpático prestando um serviço de utilidade pública. Daí eu li "Estação Carandiru" e gostei também, mas então parei de ver Fantástico e ele sumiu. Vii que ele foi ocupando espaço na internet, mas nem acompanhava. Até aquele último vídeo dele lendo os comentários do youtube que não deu pra não ver. "Que velhinho fofo" é a única reação possível.

Então todas minhas referências de Drauzio Varela eram positivas. Em boa parte continua sendo. Mas esperava mais desse livro. Pelo jeito é mais difícil escrever sobre correr do que correr mesmo. Não que seja ruim o livro. Ele é apenas...como posso dizer....INÓCUO. Aliás, é o mesmo problema daquele do Murakami, mas na época essa palavra não apareceu. E é bem isso. Porque não se pode dizer que são inúteis, ambos tem uma narrativa bacana. A do Murakami ganha nesse quesito, afinal ele é mais escritor que o Drauzio. Mas o Drauzio é médico, então ganha nos "Intervalos" (péssimo nome, aliás), momentos do livro onde ele interrompe os relatos e passa a descrever os últimos avanços da medicina sobre corrida. E fica claro como a medicina não sabe nada ainda. O pessoal fala da nutrição, que uma hora ovo é bom, depois fica ruim e vice-versa, mas o pessoal da medicina e da educação física também tão nessa. Os dois também compartilham uma certa generalização. Eles falam em "correr" como sinônimo de "correr maratonas". O que acho bem excludente com os demais corredores de menores distâncias (ou maiores, como as ultramaratonas - pra ser honesto, o Murakami corre e narra uma ultramaratona, mas isso não livra ele dessa generalização).

Então os livros não são vazios e uma completa perda de tempo, mas também não são nada mais do que uma leitura de distração. Não motivam. Não informam. Não causam reflexão. São inócuos. Nem juntando o mérito dos dois dá o que espero de uma baita livro sobre corrida. Porque um baita livro sobre corrida deve fazer levantamento histórico sobre o ato de correr desde a pré-história e a forma que nosso corpo foi se adaptando na evolução da espécie de modo que nossa forma de correr se desenvolveu dessa maneira específica. Deve juntar biologia, filosofia, química, física, história, antropologia, arte e sociologia com profundidade, mas escrito de maneira acessível para todos os públicos. Deve mostrar paixão pelo assunto e questionar suas bases. Parece impossível, mas o David Foster Wallace faz exatamente isso com o tênis. É só isso que eu quero, que alguém escreva sobre corrida como o DFW escreve sobre o tênis.

P.S: Talvez eu tenha sido um pouco crítico demais por despeito. Esses putos correm pra caramba, e no mundo todo, o que dá mais inveja. Nova York, Estocolmo, Tóquio, Berlim, Boston, Florianópolis, Rio. Nem queria mesmo...

P.S2: Talvez eu tenha sido um pouco mais crítico ainda com o Drauzio Varela porque no final do livro ele dá uma alfinetada TOTALMENTE DESNECESSÁRIA e, no mínimo pouco fundamentada nos marxistas.
Aline 19/01/2016minha estante
Talvez a alfinetada ao final seja para satisfazer o desejo da sua grande patrocinadora nos últimos anos, que lhe dá total abertura midiática... também achei um tanto quanto fora de contexto!


Todd 26/07/2016minha estante
Não li tudo mas concordo com o segundo PS. Alfinetada totalmente desnecessária, devia estar no contrato. Acho que ele se confundiu ao achar que pela medicina da união soviética estar atrasada no momento em que ele presenciou, ela seria atrasada em qualquer regime político embasado no marxismo. Eu pessoalmente acredito que essas duas questões podem se conciliar.
Enfim, quando o livro trata do assunto a que se propõe é uma boa leitura, mas quando debanda pra outras questões, como política e/ou religião se mostra um pouco forçado. Abraço.




Digão Livros 07/07/2017

Esse livro para mim deveria ser uma injeção de vergonha na cara!
Já fui corredor amador e conheço os benefícios da prática de algum esporte: aumento da autoconfiança, disposição, diminuição da ansiedade, aumento da expectativa de vida, entre outros.
E por que paramos?
Paramos porque a vida é muito corrida, e cuidar da própria saúde nunca parece ser mais urgente que os outros afazeres.
Trata-se de uma tragédia anunciada e, nesse aspecto, as últimas páginas do livro são bem reveladoras.
Quando tomei ciência da existência desse livro, corri para tê-lo. Já sou fã do escritor, mas um livro com esse tema tinha tudo para ser inebriante, e o foi.
Não penso em ser maratonista. Longe disso. Contento-me com 10, 16 km, quem sabe meia maratona. Com redução de peso, do colesterol, e o aumento do condicionamento físico.
Bem, o livro retrata as paixões do escritor, e suas experiências.
Seu amor por São Paulo ou a cidade do Rio de Janeiro, por exemplo, são retratadas em seus treinos ou corridas – como é possível admirar a cidade correndo sob ela!
A experiência em maratonas internacionais, e em maratonas em si, a disciplina física e mental, além da dedicação e planejamento. Os desafios para se conquistar os objetivos, são o testemunho realista, mas não frio de um apaixonado por corridas de longa distância.
É inspirador.
Espero que seja a mola propulsora para o meu retorno.
Uma ótima leitura a ti!
comentários(0)comente



Marcos 20/08/2015

Drauzio Varella é um renomado médico brasileiro conhecido por seu trabalho voluntário no antigo presídio Carandiru que originou o livro homônimo, posteriormente transformado em trilogia, adaptado para a TV e para o cinema. Além disso, ele também faz séries de reportagens para o programa Fantástico da Rede Globo e coordena pesquisas relativas ao câncer.

Mas, o que pouca gente sabe é que Drauzio também é um maratonista. Ele segue religiosamente uma rotina de treinos diários e corre diversas maratonas ao redor do mundo. E, foi dessa sua paixão pouco conhecida que surgiu o livro de crônicas Correr. Nele, Varella fala sobre suas experiências de corredor, como se prepara para as corridas, de onde surgiu tal paixão e traz textos de cunho cientifico com informações médicas a respeito das fisiologia e anatomia humana para o exercício.

Correr é um compilado de crônicas que perpassam pelas experiências vividas por Drauzio ao longo da sua vida de corredor. Nele temos desde textos que narram como o autor acabou se perdendo nas ruas da cidade de Miami, nos Estados Unidos, até suas lembranças da maratona do Rio, na Floresta da Tijuca. Além disso, temos situações curiosas que o autor viveu em seus treinos diários, suas reflexões acerca do exercício e momentos de prazer na prática esportiva.

Este é o nono livro do autor que leio, sou muito fã de sua escrita e de sua obra. Adoro sua narrativa, sempre cadenciada, honesta e que envolve o leitor. como se se escutasse a voz de Drauzio narrando cada palavra do texto. Com Correr não foi diferente. O livro é inteligentemente escrito de forma a fazer com quem não é maratonista queira se dedicar à prática de algum esporte e quem já é, se identifique e acabe adquirindo preciosas dicas da experiência do autor.

A escrita do autor é um capítulo à parte nesse livro. É incrível como Drauzio consegue manter um tom que mistura o caráter acadêmico com a linguagem popular fazendo com que o leitor se sinta inserido nas cenas em que narra. Também é perceptível o quanto ele domina essa técnica de forma que a mantém rica desde seus primeiros livros até agora.

Recomendo a todos que gostam dos livro do Drauzio e para quem gosta de ler crônicas cotidianas bem escritas.

site: http://www.capaetitulo.com.br/2015/08/resenha-correr-de-drauzio-varella.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Rafael 03/03/2016minha estante
Marquei esse trecho no meu livro! Achei Incrível! huHauhauahua




Juliana.Medeiros 15/10/2015

Simplesmente Inspirador
Trata-se de uma leitura apaixonante, tanto para quem gosta de correr como para quem nunca pensou nisso, fator este que deve a apresentação de uma linguagem acessível, não rebuscada, fluídica, servindo de atrativo para os que não correm. Drauzio conta sua jornada em busca de uma maratona (inicialmente), como chegou lá, relatando, de forma natural, sua paixão pela corrida, os comentários dos amigos e sua superação diante das dificuldades que sempre surgem, principalmente quando não se é mais tão jovem.

O que mostra mais inspirador é a questão dele ter iniciado as corridas aos 50 anos, e desde então não ter parado mais, perfazendo um total de 22 anos de corridas diversas, principalmente, maratonas.
Adoro quando ele fala: " Melhorar tempos anteriores pode virar obsessão. Quando a ideia de correr a maratona vem à cabeça pela primeira vez, o sonho é conseguir concluí-la, não importa o tempo gasto no percurso. Afinal são 42 quilômetros. Basta correr a primeira, entretanto, para perceber que o resultado final depende diretamente da fase de treinamento e que é possível melhorá-lo, com um pouco mais de dedicação.
Daí em diante fica pior: terminar a prova em mais tempo do que gastamos na anterior sempre deixa uma ponta de frustração. Como a cada maratona estamos mais velhos, torna-se difícil dissociar a piora na performance por falta de treino daquela ligada à decadência física, companheira nefasta da passagem dos anos."
Para mim é muito familiar essa última frase, visto que, tenho 44 anos, estou treinando a 3 para correr longas distâncias, hoje o máximo que consegui fazer foi 17km, mas meu foco ainda é melhorar o tempo nos 10km, que no momento faço em 52min nos treinos. Na última competição(participei até agora de três) meu tempo foi ruim, 54:46min, entretanto, usando o pensamento de Varella, posso melhorar treinando, mas com a idade passando, não sei quanto.

Há vários trechos no livro que são hilários, ao mesmo tempo estimulantes, os quais oferecem ao leitor uma narrativa divertida, simplista, camarada, como se você estivesse conversando com o Autor na sala de sua casa. Como, por exemplo, quando sofre uma diarréia no meio do percusso da Maratona de Tóquio 2015, em seu relato foi insuportável a sensação, e ao mesmo tempo humilhante a situação, contudo inevitável naquele momento.Mesmo assim não desistiu, parou para ir ao banheiro, depois continuou, mesmo sofrendo, ainda com cólicas. Vejam o trecho:" Quando ultrapassei o quilômetro 25, as cólicas se repetiam, cada vez mais fortes, com intervalos de dois ou três minutos. Eu não pensava nem via mais nada, os cinco sentidos estavam concentrados no aparelho digestivo. Maldita salada. Amaldiçoado o cozinheiro que a preparou sem lavar as mãos. (...) Quando já me sentia sem forças para contrariar os desígnios da fisiologia, quase conformado com a tragédia inevitável, um dos banheiros vagou.Gritei:"I´m sorry, I can´t wait", furei a fila espantada com o berro e me tranquei num cubículo pouco maior que meu corpo. Livrar-me daquela montanha de roupa em segundos e me agachar num vaso sanitário no chão, depois de correr 26 quilômetros, exigiu mais destreza e sacrifício do que concluir duas maratonas seguidas. Mal me recompus, destranquei a porta e disparei de cabeça baixa, humilhado e morto de vergonha."

Percebe-se durante a leitura a importância da maratona na vida de quem adoora correr, respeitando ou não o limite de cada um, pois as superações conseguidas no dia dia de pessoas comuns, se equiparam as alcançadas por iniciantes quando se habilitam a correr uma maratona.
Para mim, particularmente, esse livro só reforçou minha vontade de vencer, não só nas corridas ( pois os treinos normalmente não são fáceis), como também na minha vida profissional (apesar da idade, luto como se fosse uma estudante adolescente, e nunca desisto), já que na minha vida familiar sou totalmente realizada( tenho excelentes pais,irmãs, marido e filhos=3).
Portanto, recomendo essa gostosa leitura a pessoas de todas as idades,normais ou corredores, já que dizem que quem corre longas distâncias é maluco. Vou confessar que conheço uns que são "de verdade", totalmente pirados, treinam comigo e são os melhores!!!

Essa resenha é apenas uma opinião pessoal mesclada com a sensação vivida durante a leitura. Posso não ter passado tudo o que o livro me proporcionou, mas, certamente o mais relevante ficou na memória. Abraço a todos!



comentários(0)comente



Margarida 21/06/2015

"Ficar velho é inevitável, a alternativa é tão perversa que nem vale considera-la. Envelhecimento, porém, não é sinônimo de limitações, decadência física, solidão e enfermidade crônicas."
comentários(0)comente



Grazi 16/08/2015

Correr
Livro muito gostoso de ler tanto para amantes da corrida como para quem nao gosta de corrida!! A linguagem é muito facil!!
comentários(0)comente



Thalita Branco 04/06/2015

Resenha ~ Correr - Drauzio Varella
Narrado em primeira pessoa, Drauzio Varella conta como começou a correr quando, ao ter a idade questionada, recebeu a afirmação “Cinquenta, idade em que tem inicio a decadência do homem”. Determinado, se propôs um desafio, de que a decadência não começaria aos cinquenta, e que no ano seguinte correria a Maratona de Nova York.

Com um capítulo dedicado a história de como as maratonas começaram, o que se segue são relatos bastante instrutivos e bem humorados de suas experiências pessoais nos treinamentos e corridas ao redor do mundo, intercalados com capítulos que visam informar e desmistificar o que ocorre no corpo durante uma prova tão exigente.

Me surpreendi ao ver o quanto o corpo humano é capaz de correr com treinamento e muita persistência para conseguir terminar uma prova de 42 quilômetros. E mais surpreendida ainda ao ver que ainda que os atletas de elite tenham no geral um biotipo padronizado, correr é para todo mundo. E praticar qualquer atividade física só trás benefícios.

Mesmo não sendo uma corredora (o máximo que corro é para atravessar a rua) gostei muito do livro. Acredito que ele agradará muito quem já é ou pretende se tornar um maratonista, pois além das experiências pessoais bastante interessantes, o livro é bastante informativo.

site: www.entrelinhasfantasticas.com.br
comentários(0)comente



Rafael 07/03/2016

Indicado para todas as idades!
Informação, Inspiração, relatos pessoais do autor e até uma pitada de emoção. O livro "Correr" traz ao seu leitor um pouco de tudo isso. Uma leitura para que quer ter motivação para calçar o tênis e correr, e também para quem apenas quer se informar sobre as questões históricas, biológicas e pessoais da arte da corrida. Porque correr?, quais os riscos e benefícios que isso pode nos trazer?, porque é tão difícil começar a se exercitar? Essas são algumas das muitas perguntas que serão respondidas no decorrer desta leitura. O Dráuzio não é escritor de profissão, mas domina a escrita de uma maneira leve, audaciosa, simples, sem falar da impressão que você está tendo uma conversa de boteco com o escritor. Livro de leitura rápida!
Se você não se emocionar e se motivar com a história desse homem que com 72 anos já correu e corre maratonas ao redor do mundo, você ou é mentiroso ou sem coração! uahuahauhauh
comentários(0)comente



Jenner Azevedo 01/12/2017

Motivador
Livro bem rápido, onde ele mescla histórias pessoais envolvendo seus treinos e corridas com dados de estudos científicos sobre o impacto da maratona no corpo humano. Merece ser lido por todos que gostam de atividades físicas, e principalmente por todos que não realizam nenhuma atividade porque ?não tem tempo? ou acha que é muito velho, ou qualquer outra desculpa
Sou fã incondicional de Drauzio Varella. Pra mim o melhor autor brasileiro. Fico fascinado como ele sabe contar histórias. Lembra com detalhes de encontros casuais no meio da rua, de histórias contadas por pacientes... Fiquei impressionado em saber que além de todas as funções que ele exerce, ainda é maratonista... Um exemplo a se seguir por todos os brasileiros.
comentários(0)comente



André 14/01/2019

Ótima leitura para um novo desafio
Leitura agradável. Primeira livro que li do Dráuzio e parecia que estava conversando com ele.
Atitudes e hábitos simples que tornam nossa vida muito boa de ser vivida, foi isso que aprendi lendo este livro.
comentários(0)comente



Nanda Lima 01/12/2015

Drauzio e as maratonas
MINHA EXPERIÊNCIA DE LEITURA

Pense em uma maratona de 42 quilômetros e em toda a preparação física, treinamento e esforços necessários para que um indivíduo consiga completar uma prova dessas. Você conseguiria corrê-la? Eu, na minha atual condição sedentária, não conseguiria nem 1 quilômetro. Pois Drauzio Varella, o mais famoso médico brasileiro e presença constante em quadros do Fantástico (Rede Globo) e em campanhas do Ministério da Saúde, com 72 anos de idade, corre maratonas no Brasil e em vários lugares do mundo. Um feito e tanto para um senhor dessa idade.

No livro ‘Correr’, mais novo lançamento do médico, ficamos sabendo como e quando Varella decidiu abandonar seu sedentarismo e começar a praticar um esporte que é cada vez mais popular no Brasil: a corrida de rua. Esporte simples, barato e acessível a todo mundo, porque basta um tênis, um calção e uma camiseta para praticá-lo. E essa facilidade me levou a refletir no porquê da nossa sociedade, mesmo assim, ser tão sedentária e no porquê de estarmos passando por uma epidemia crescente de obesidade no país e em muitos países ao redor do mundo.

A escrita do Drauzio é natural, fluida, simples e ao mesmo tempo muito elegante. Sou sua fã desde que li ‘Carandiru’, uma obra indispensável para qualquer brasileiro. Quando você lê um livro dele, é como se estivesse ouvindo histórias de um amigo na mesa do bar. Neste caso, histórias reais da relação do autor com o esporte e com sua saúde, que me fizeram repensar o meu próprio sedentarismo e a forma com que lido com meu corpo. Cheguei à conclusão de que posso cuidar muito melhor dessa que é a minha mais importante morada.

Penso que essa é a reflexão mais importante que o livro traz ao leitor: por que somos sedentários, mesmo sabendo dos malefícios à saúde e mesmo com a variedade de atividades físicas existentes que são acessíveis a todos? O autor deixa claro que correr, além dos óbvios benefícios, é prazeroso e nos permite enxergar a cidade de ângulos diferentes, em uma simbiose com o ambiente que nos rodeia que é impossível vivermos no interior de nossas casas, prédios, metrôs e carros. Correr é dar vazão à nossa natureza ancestral e às capacidades e necessidade de nosso corpo, que foi feito para se movimentar e vencer desafios.

VEREDITO

Uma obra leve, de rápida leitura, descontraída, bem escrita e provocativa, ‘Correr’ é mais um dos sempre ótimos livros escritos por Drauzio Varella. Um livro recomendado para corredores ou não, e necessária em uma sociedade cada vez mais sedentária e menos interativa com seu ambiente.

Leitura obrigatória!

site: www.umaleitoraassidua.blogspot.com
comentários(0)comente



35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3