Psicose

Psicose Robert Bloch




Resenhas - Psicose


255 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Edna 18/05/2019

Complexo de Édipo
"Pensar sobre outras pessoas _ ora, a gente ñ conhece nem a si mesmo."


Um Thriller psicológico que é impossível de largar pela narrativa de fácil entendimento.

A vida de Norman Bates, já com 40 anos e é entre leituras de psicologia anormal, ocultismo, teosofia e satanismo e a administração do Bates Motel,
e toma um rumo diferente com a chegada da Hóspede Mary ao Motel, propriedade dele e da Mãe.

Mary está em fuga após tomar repentinamente uma atitude que ela chama de alternativa de escape, ela é noiva de Sam um rapaz que só herdou dívidas e luta para sauda-las antes de se casar, tranquilo, ama música clássica como Bartók, Ottorino Respighi, Mary inconformada com essa demora, infeliz com a própria vida e aqueles 40 milhões mudará para sempre sua vida.

Acontecimentos sinistros, um suspense eletrizante onde nada é como você imagina na leitura e o desfecho vai surpreender qualquer leitor que sentirá desde empatia à dúvidas, náuseas, e todo sortimento de sensações diante dos horrores causados por uma mente que absorveu a loucura e desenvolveu a "maldita trindade" três personalidades distintas.

#Minhasimpressões
O livro aborda o Complexo de Édipo, um vínculo nocivo e vicioso com a figura materna, que o Leitor vai conviver durante todo o livro sobre a manipulação, e a mente de uma criança que cresce e desenvolve esse terrível e assustador sintoma desencadeando os horrores na vida adulta.


"Nunca saberemos até que ponto ela foi responsável pelo que ele se tornou."

"Nós ñ somos tão lúcidos quanto fingimos ser".
comentários(0)comente



Max 06/05/2019

Livro de fácil leitura e muito bom de se ler
Esse foi um dos primeiros livros que li na vida, e comecei com ele por saber que a história é muito fácil de acompanhar, e foi realmente o que aconteceu comigo, recomendo fortemente o livro.
comentários(0)comente



Michelle.Pina 04/05/2019

Crítica do Livro ?Psicose?
Esse é aquele livro de suspense que te prende do início ao fim. Uma leitura rápida e fácil, porém ao mesmo tempo cheia de detalhes que felizmente não deixa a história chata, muito pelo contrário.
Psicose conta basicamente a vida de Norman Bates, um homem que juntamente com sua mãe cuida de um motel, em um estrada pouco utilizada, depois de construída uma rodovia mais moderna. Vivia de modo pacato, cuidando de sua mãe que ainda era muito dominadora, mesmo Norman já sendo um homem adulto.
Entretanto, a vida de Norman toma outros rumos quando Mary aparece para se hospedar em seu motel, e uma série de acontecimentos sinistros se iniciam.
Outros personagens importantes como o Sam (namorado de Mary) e Lila (irmã de Mary), torna a história mais interessante e o leitor se vê cada vez amarrado ao livro.
Enquanto tentamos desvendar o mistério, a trama vai se enrolando cada vez mais, percebemos que Norman está longe de ser uma pessoa normal e o final é simplesmente a melhor parte da obra.
Um livro sem defeitos, uma super indicação da minha amiga @jessicascjm, e que agora eu vou repassar pra todos os leitores.
comentários(0)comente



Camila Robyn 21/04/2019

Incrível
O livro é bem curto e fácil de ler, peguei o ritmo da leitura já no começo. Apesar de não ser um suspense tão "profundo", eu gostei muito livro, da narrativa. Confesso que no final fiquei surpresa, porque não desconfiava de nada.
Depois de ter lido Psicose, fiquei com muita vontade de assistir o filme. Nunca assistir um filme em preto e branco kkk, então acho que vai ser uma ótima experiência.
comentários(0)comente



Laura Regina - @IndicaLaura 08/04/2019

Um livro sobre Terror Clássico
Numa cidadezinha no interior dos EUA, um hotel de beira de estrada da família Bates é procurado por uma moça em fuga.

Livro que deu base ao suspense mais famoso de Hitchcock. A obra de Bloch foi lançada alguns anos antes do filme, mas foi posto como ‘indisponível’ no mercado da época por ordens de Hitchcock, já muito consagrado na época – tudo isto para que as pessoas no cinema não soubessem nadinha das muitas reviravoltas chocantes que a história trás.

O personagem Norman Bates se tornou base de muitos loucos no cinema e na literatura, e também foi inspirado em alguns desequilibrados da vida real. É bastante interessante perceber como ele é construído aos pouquinhos pelo narrador, com pensamentos confusos, contraditórios.

Aliás, para mim o mais impressionante neste livro foi o narrador, que sabe tudo sobre os personagens, mas não revela tudo de graça para nós – temos que percorrer os intrincados pensamentos e comportamentos dos personagens para entender, bem aos pouquinhos, como a trama está se desenrolando e se tornando cada vez mais
misteriosa e aterrorizante.

Livro ímpar, deu-me calafrios de tensão, e fiquei fascinada por Norman e pela escrita belíssima de Bloch.

Mais indicações no Instagram @indicalaura

site: https://www.instagram.com/indicalaura
comentários(0)comente



Maiani - @minhavidaforadeorbita 21/03/2019

A primeira vez que assisti ao filme de Hitchcock foi muito mind blowing! Era nova e aquilo me surpreendeu e me deixou desejando mais. Anos mais tarde descobri que essa história foi baseada em um livro e a Darkside lançou uma edição maravilhosa; desejei muito, mas não fui atrás. Quanta burrice!

A parte da Marion, para mim, continua sendo simplista, mas o autor conseguiu dar uma profundidade a ela, criou conflitos que não vi no filme. Mas o Norman, ah, esse sim vale o livro. Ele permanece no Complexo de Édipo, um vínculo nocivo e vicioso com a figura materna, que permeia o livro todo. É assustador pensar no quanto ele fez, somente por não ter superado naturalmente uma fase da vida infantil. Conhecendo o final da história, nós aproveitamos muito mais a leitura, percebemos certas nuances na narrativa que tornam esse personagem tão icônico.
.
"Nós somos tão lúcidos quanto fingimos ser."
comentários(0)comente



Taci.Souza 21/02/2019

"Era verdade. Ela sempre lhe ditara as leis, mas isso não queria dizer que ele sempre precisasse obedecê-las. As mães são às vezes dominadoras, mas nem todas as crianças se deixam dominar."
...

Meu primeiro contato com Psicose se deu através do filme de Alfred Hitchcock, de 1960. O filme é considerado um clássico do cinema, e merece o título, por se tratar de uma produção muito bem desenvolvida de suspense. Quando assisti ao filme pela primeira vez, fiquei impressionada com a história, e quando a Darkside Books anunciou o lançamento do livro, eu decidi que precisava conhecer a obra pela perspectiva de seu criador original, Robert Bloch.

Por ser um thriller psicológico, que se dispõe a falar sobre assassinatos e transtornos mentais, esperava uma leitura densa. Mas fui agradavelmente surpreendida pela fluidez da escrita de Bloch. A trama é apresentada através de uma narrativa clara, até mesmo leve, considerando a temática apresentada. O leitor é facilmente envolvido pela atmosfera sombria do Motel, onde é possível acompanhar os conflitos psicológicos de Norman, bem como, a relação complexa e nociva dele com a mãe.

Hitchcock foi admiravelmente fiel em sua adaptação para o cinema, salvo algumas alterações nas características físicas de Norman Bates. Ainda assim, o livro se sobressai ao filme, uma vez que permite ao leitor, não apenas observar e avaliar os personagens, mas sentir a intensidade emocional de seus conflitos. A frieza e premeditação calculista de Norman são alvos constantes do nosso julgamento, ao mesmo tempo em que, se torna difícil julgar suas ações sem olhar com atenção para sua fragilidade.

É um livro instigante e reflexivo que consegue surpreender até mesmo àqueles que assistiram previamente ao filme. A edição da Darkside Books merece destaque especial por apresentar imagens de algumas cenas icônicas do filme de 1960, o que torna a leitura ainda mais envolvente.

comentários(0)comente



Jessica.Guabiraba 11/02/2019

Amo tudo relacionado a essa obra
A primeira vez que assisti esse filme fiquei encantada, logo depois assisti ao filme que fala sobre o processo de criação do filme Psicose, fiquei ainda mais encantada e louca para ler o livro inspirador, então surgiu a série Bates Motel e como eu a amei!!! Esse semana finalmente li a obra que inspirou o filme e a série, um livro incrível cheio de mistério, Hitchcock conseguiu personificar cada trejeito de Norman. Sim, a série é bem diferente há outro processo de criação, mas também existe o Norman e principalmente a Norma, mostrando a relação complexa entre eles antes e depois de sua morte. A essência do livro está na série e no filme, de forma diferente mas iguais na genialidade. O grande inspirador de tudo mesmo é o serial killer Ed Gein, que além das obras aqui citadas, inspirou "O massacre da serra elétrica" dentre outros filmes do gênero. Não bastava a história ser bizarra, ela tinha que ser baseada em um assassino igualmente bizarro e real.
comentários(0)comente



Tayriny 06/02/2019

Maravilhoso
Psicose dispensa apresentações. Um clássico da literatura e do cinema com a famosa cena do chuveiro e a musica assustadora que até quem nunca viu o filme, conhece. Psicose foi baseado na vida de Ed Gein, na qual outras obras clássicas como "O silencio dos inocentes" e "O massacre da serra elétrica" foram baseadas. Como eu já tinha assistido o filme, eu já sabia do final, o que não atrapalhou em nada minha leitura. O livro é rico em detalhes, é bem escrito e é excitante.
Esta edição da Darkside books não é de capa dura, mas está incrível, tanto o externo quanto o interno.
comentários(0)comente



day 01/02/2019

maravilhoso
O que dizer de um clássico tão perfeito?

A muitos anos atrás vi o filme inspirado no livro,e fiquei apaixonada pelo suspense e o personagem medonho Norman Bates.

O livro,é pura perfeição.

Te prende do começo ao fim,e você não sossega até o último capítulo.

Em tempos que as pessoas preferem ver a série (que também é maravilhosa,pois podemos imaginar um Norman jovem) esse livro deveria ser obrigatório para todos os fãs de Bates Motel.



site: http://escreverdayse.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Schel 29/01/2019

Muitooo bom
Livro incrível. Com um final surpreendente.
comentários(0)comente



vanessa 18/01/2019

Uma boa estória com conteúdo raso.
Tinha todos os "ingredientes" para ser uma ótima trama, mas a escrita do autor não me comoveu nem impactou em momento algum.
comentários(0)comente



Alisson.Ramos 16/01/2019

Muito mais que suspense ou terror
O livro possui muito mais uma temática investigação/drama do que justamente suspense ou terror. Na minha concepção o foco do livro é na relação "psicótica" do antagonista Norman Bates com sua mãe. Consegue-se notar brevemente um transtorno mental em Norman, sentimento que vai se desenvolvendo ao longo do livro até seu término onde muda todo o seu conceito com um final "mind blow".
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Wil 21/01/2019minha estante
Ta na estante, e será o próximo. :=




Fabiana 08/01/2019

Norman Bates é um homem de meia idade que é tratado como criança pela sua mãe. Não lhe é permitido beber, fumar, fazer contato com moças, e é criticado por sempre ficar em seu canto, lendo um livro, quando não está cuidando do Motel. Em uma noite chuvosa, uma mulher confusa e que acabou de fazer uma coisa imperdoável para seus próprios conceitos, Mary, aparece em seu Motel que quase não tem mais clientes, e Norman a convida para jantar em sua casa, pois não há restaurantes na rua do Bates Motel. E sua mãe viu. Norman fez contato com uma moça. E a moça sofrerá a consequência.
O autor reflete excepcionalmente a insanidade de Norman e todas as suas dúvidas e picos emocionais, apesar de a história ser narrada em terceira pessoa. As coisas começam a acontecer muito rápido, mas não se torna imperceptível a genialidade dos fatos. Após certo acontecimento, surgem as dúvidas da irmã e do noivo de Mary sobre coisas que ela fez e o que poderia ter feito. "Engraçado, pensava Sam, como acreditamos saber tudo sobre uma pessoa só porque a vemos frequentemente ou porque temos uma forte ligação emocional com ela" (página 114). Achei uma ótima frase, que nos faz questionar sobre as pessoas que conhecemos. Será que as conhecemos de verdade? Por mais que tenhamos relações com uma pessoa, nunca saberemos como ela se sente de verdade, o que ela pensa de verdade.

Mas o livro vai muito além disso. Nos últimos capítulos as coisas vão começando a ser reveladas e seu coração acelera em busca de todas as respostas. Fiquei tão absorta que praticamente engoli as últimas páginas. Mas me decepcionei um pouco com o final, não por ser ruim, mas por eu já ter imaginado um desfecho parecido. O livro é incrível em todos os aspectos, mas não é imprevisível, pelo menos pra mim. Me puni por ter tentado achar uma resposta antecipadamente, pois queria que o final fosse uma surpresa, queria que fosse digno do esforço que Hitchcock teve em comprar todos os exemplares da obra para que ninguém soubesse o fim antes de ver seu filme.
Apesar de tudo, Psicose vale a pena ser lido. É possível sentir todo tipo de emoção: medo, tristeza, raiva, pavor, dúvida... Se quer um livro de suspense/mistério que te prenda da primeira à última página, Psicose é a melhor escolha.
"Nós não somos tão lúcidos quanto fingimos ser."

site: https://blogliterariodafabi.blogspot.com/2015/11/resenha-3-psicose.html
comentários(0)comente



255 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |