O filho da Natureza

O filho da Natureza Isis L.MJ.




Resenhas - O FILHO DA NATUREZA


16 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Yuri Gabriel 15/07/2018

Recomendo!
Proporciona uma boa viagem, consegui me ver dentro da história e fiquei triste ao terminar.
comentários(0)comente



Meu Espaço Geek 31/12/2016

Dia de Leitura - O Filho da Natureza
Olá geeks!

Entramos na última semana de 2016, e ainda temos muitas resenhas pela frente.  Para começar bem essa segunda feira, vamos de literatura nacional. Eu dei uma palhinha aqui sobre o livro da Isis.

​​
 

Título Original: O Filho da Natureza 

Autora: Isis L. M. J
Páginas: 263 

Onde comprar: Saraiva.com|Editora Arwen | Amazon.com

♥ ♥ ♥ ♥








Sinopse: Você já ouviu falar em revanche? Não estou falando naquela segunda tentativa que os jogadores têm para ganhar um jogo, estou falando em pagar na mesma moeda. Quase como vingança, mas um pouco pior. Em um passado não muito distante, a população da terra vivia feliz em uma era tecnológica magnífica; A cura do câncer foi descoberta, assim como a cura para outras doenças terminais; A criação de uma ração sintética comestível acabou com a fome; Aos poucos o crime e a pobreza deram lugar á uma sociedade mundialmente unida e próspera; Mas para se chegar nessa época foram necessários muitos anos de pesquisa, e testes e vários blá blá blás. Para que isso fosse possível eles usaram todos os recursos que tinham, incluindo os recursos naturais; Os rios estavam ficando cada vez mais poluídos, a radiação contaminou o solo, o carbono a atmosfera. Eles pensaram que estavam matando a natureza aos poucos, e por um momento eles estavam certos até que um dia ela resolveu revidar e foi ai que os humanos pagaram um preço mais alto. Terremotos, furacões, tsunamis, tempestades violentas, todos juntos acabaram com a maioria dos trabalhos humanos e devastou muito mais da metade da população. Os sobreviventes se ajuntaram nas cidades menos danificadas e tentaram reconstruir a sociedade. Eu nasci nessa época.


Como eu havia dito lá na primeira impressão, eu fiquei apaixonada pela capa e a sinopse. E continuei apaixonada depois de adquirir o livro na Bienal de São Paulo.

O livro é uma delicia de ler, eu peguei "firme" na sexta e no domingo de natal eu havia terminado.  A Isis tem um escrita muito fluida (também disse isso lá na 1ª Impressão) e faz você quer saber o que acontece com a personagem no próximo capitulo. 

O livro é relativamente curto, 19 capítulos + 1 Epílogo, e ficou coisa pra caramba em aberto! rs

Sim! A Isis, foi "má" e deixou algumas arestas para serem resolvidas no Livro 2, sim meus queridos geeks, teremos a continuação de O Filho da natureza.


Sobre o enredo, sim ele é contagiante, afinal estamos sempre destruindo a nossa natureza e esquecemos que ela é mais forte que toda a humanidade, (terremotos, vulcões, tsunamis, etc), mas e se ela resolve-se dar um basta? Essa é a proposta da Isis, e somos levados a um mundo totalmente diferente, onde os humanos precisaram aprender a lidar com todas as novas características da  natureza. 

E temos o Sam, nossa personagem principal nasceu depois do Grande Desastre, e começa a passar pela jornada do herói, proposta por Joseph Campbell.


Sam, as vezes me lembra o Harry, ele é meio burro, rs , mas tem seus pontos fortes.  Junto de Cat, ele descobre algumas verdade sobre o Governo da Nova América, e sobre Os Filhos da Natureza, além de descobrir fatos sobre a sua própria vida. 


Em alguns momento você irá se sentir dentro do universo dos X-men, porém essa mistura deixa o livro mais gostoso de ler.  E, por esse motivo estou ansiosa pela continuação. 


Confira abaixo o booktrailer.

http://youtu.be/gbrkOhqQhZg

Espero que tenham gostado.


site: http://meuespacogeek.wixsite.com/meuespacogeek/single-post/2016/12/26/Dia-de-Livro---O-Filho-da-Natureza
comentários(0)comente



Alana Gabriela 22/11/2016

Helloo, everybody... (em ASL)
Hoje eu vim trazer para vocês a resenha de um livro de parceria que li no fim do mês passado. Eu sei que a resenha demorou um pouco, mas eu tenho que estar inspirada para escrever o texto senão não sai bem. Enfim, vamos conversar um pouco sobre o livro da Isis, O Filho da Natureza.

Quero começar dizendo que no ano passado eu tinha visto esse livro antes no formato em ebook com a capa anterior, e realmente tinha me interessado depois de ler a sinopse. Sou bastante avessa a distopia depois daquele boom e como livros nessa linha tem a tendência de seguirem uma “receita” eu nunca me dei bem com esse gênero. De qualquer forma, eu tinha lido uma resenha super negativa da estória em questão então acabei desistindo de conferir. Só quando a Sil fez uma resenha da obra alguns meses atrás - (?) não sei mais quando porque o tempo só está fluindo – que eu percebi que deveria dar uma chance a estória.
A Isis entrou em contato comigo para parceria e eu concordei – porque eu gosto de gostar de nacionais e apreciá-los. Now, cá estou para comentar a estória. Confesso que ainda senti certo receio ao ler a obra pelo motivo que ressaltei acima, mas felizmente eu gostei muito do livro. *-*
Vocês já ouviram falar naquele ditado de que tudo o que vai, pode voltar? Então, vou lhes contar uma história e quem sabe assim poderão entender melhor as minhas palavras...
Em O Filho da Natureza nós conhecemos Sam, um garoto que viveu na aldeia durante toda a vida e que sente que tem uma conexão maior e forte com a natureza. Ele se arrisca na floresta, o que é terminantemente proibido e vive algumas pequenas aventuras escondido. O povo da aldeia vive ao lado da cidade que é mais abastada, que mesmo não tendo relação com os aldeões, manda neles. Quando um evento perigoso acontece na aldeia, Sam é forçado a deixa-la e enfrentar os perigos da natureza e descobrir um mundo mais sombrio e perigoso do que conhecia.

A estória tem seus méritos, traz uma dose grande de romance, aventura e emoção em seu gênero. Os únicos personagens com aprofundamento maior na estória é o Sam e amiga que ele conhece na floresta – não vou dizer o nome, vocês terão que descobrir, mas digo que gostei dela fortemente logo quando surgiu na estória. Não é uma obra que vai mudar sua vida para sempre e blá blá blá, mas é realmente um bom entretenimento que empolga desde o início. Já adianto que o final me surpreendeu. Sério!! Não era algo que eu realmente esperava e as possibilidades do que pode acontecer nos próximos livros são muitas e excitantes.
- [...] A natureza se tornou radioativa depois da Devastação e nós somos filhos da radiação, portanto a natureza nos criou. Os mutantes sãos os verdadeiros Filhos da Natureza. Quem escolheu esse nome para o acampamento sabia o que estava fazendo.
A escrita da Isis é bem fluída e você pode e consegue ler a estória bem rapidinho. O Filho da Natureza é fácil de ler e você fica curioso para virar as páginas, pois os capítulos terminam da maneira correta e instigante. Eu, dramaqueen, senti falta de um pouco mais de drama, de uma intensidade maior e desconcertante e aprofundamento nas situações caóticas e dos momentos em que a tristeza e emoções relacionadas estavam presentes. Talvez, como eu disse, seja o meu lado dramaqueen falando, mas eu gostaria de me sentir um pouco mais tocada com as situações difíceis da estória.
O contexto do livro foi diferente do que eu esperava – um monte de coisa científica e muitas doideiras que eu não entendo de ciência, era isso que eu esperava – o que acabou sendo bom e interessante, porque eu não esperava o cenário e tudo que estava acontecendo. Me fez entrar novamente naquele mundo dos X-MEN de quando eu assistia o Bom Dia e CIA. A estória tem um aspecto mais juvenil por isso e por seu personagem.
Eu não aguento minha própria confusão, mas quero passar todos os minutos da minha vida preso na sua confusão.
Uma coisa que me deixou incomodada e intrigada ao mesmo tempo foi a idade do personagem principal. Achei que ele muito velho para o contexto Da estória – não sei, talvez seja a vibe da distopia dos 15 e 16 – mas algumas ações dele mostravam ser mais novo do que realmente era. Apesar disso eu gostei do Sam, de verdade, só achei que a idade não condizia com o que ele fazia. Ao contrário de algumas pessoas, curti ele de verdade.

Apesar de ter lido em PDF posso dizer que a diagramação está muito boa, como sempre. Encontrei alguns errinhos bobos na revisão que não atrapalham na leitura.

Então, se você está procurando um bom entretenimento, se aventurar nas garras de uma natureza feroz, selvagens de toda forma e alterados, conhecer humanos com poderes diferentes confira O Filho da Natureza.
Bem, por hoje é só, people.

site: http://piecesofalanagabriela.blogspot.com.br/2016/10/resenha-o-filho-da-natureza-isis-l-m-j.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



CuraLeitura 03/11/2016

Distopia incrível
A história dá se início em 15 de outubro de 2114 quando por meio de uma outra personagem temos uma breve visão de como foi que iniciou a série de desastres naturais, chamados Devastação.

Um relâmpago ilumina o céu mais uma vez.
Espere. Não é um redemoinho.
Outro relâmpago.
Meu Deus. È um tornado.
Outro relâmpago.
E está vindo em direção ao nosso prédio!

Já o próximo capitulo damos um salto no tempo e vamos para 29 de abril de 0050, 50 anos após o episódio da Devastação, neste novo mundo pessoas são separadas entre ricos que moram no que restou das cidades e tem condições de vidas melhores e os pobres que moram em simples casinhas na floresta, chamada de aldeia. Nessa aldeia mora Sam, perto da cidade de Suvers com sua mãe, pai, seu melhor amigo, a mãe de seu amigo e Chuck, seu gato.

Depois da Devastação, o ecossistema mudou. As árvores, os animais, tudo evoluiu para sobreviver, de certa forma os humanos também. Se bem que não sei se os Coisas se encaixam na categoria “seres-humanos”.

A rotina da aldeia se mantinha normal quando de repente os líderes da Nova América (como o país é chamado agora) decidem fazer um anunciamento (coisa que é bem raro acontecer, mas obrigatório que todos assistam), nesse casa o novo governo fala de uma organização de rebeldes chamado Filhos da Natureza. Sam não dá importância para isso, afinal nem acredita na existência de rebeldes, mas quando seu pai é morto pelos soldados e ele e sua mãe obrigados a fugir para uma espécie de acampamento subterrâneo que pertence aos Filhos da Natureza, Sam percebe que há muita coisa sobre o sistema e sobre si mesmo que ele nunca imaginaria ser real e é aí que a história realmente começa.

A porta da frente se fecha devagar e um silêncio incomum toma conta da noite. Os grilos não cantam e o vento para. Então dois tiros ecoam próximos a nossa casa.Dessa vez o grito sai da boca da minha própria mãe, quando ela percebe que seu marido provavelmente acaba de ser assassinado.

Na sua fuga, no pior momento de sua vida, ele conhece Cat e através dela é introduzido a uma organização chamada Filhos da Natureza, composta por rebeldes revoltados com o governo, dentre essas pessoas Sam descobre que há um pequeno grupo que graças ao alto nível de radioatividade foram transformandos, para melhor. A maioria das pessoas que sobreviveram são 'normais', o que significa que conseguiram suportar o nível maior de radiação sem mudanças no corpo; As outras foram extremamente afetadas, vivem escondidas nas florestas e são chamadas de Coisas.
- [...] A natureza se tornou radioativa depois da Devastação e nós somos filhos da radiação, portanto a natureza nos criou. Os mutantes sãos os verdadeiros Filhos da Natureza. Quem escolheu esse nome para o acampamento sabia o que estava fazendo.



Conheci a obra através da própria autora que entrou em contato conosco, eu Reh foi quem conversou com ela e fechou a parceria.

A primeira coisa que me estimulou a ler o livro foi o título em conjunto com a capa, logo após li a sinopse e não deu outra, precisei ler a obra na integra.

De uma forma geral, o livro me surpreendeu positivamente, claro que temos algumas falhas que falarei em seguida, mas nada que diminuísse a qualidade da história ou o desenvolvimento da leitura.

Começando pelos prós: O livro trás um enredo extremamente bom e importante. Livros que retratam o descaso com a natureza e a “vingança” da mesma são sempre uteis para nos mostrar como estamos agindo com o meio ambiente e as consequências das nossas ações.

Alem disso a relação do governo, a divisão de grupos entre ricos e pobres e a manipulação dos novos governantes, fazem referência ao que estamos vivenciando.

Sobre os personagens Sam e Cat são ótimos protagonistas, porem em um dado momento Sam começa a se portar de forma bastante infantil, nessas horas seu comportamento, falas e decisões irritaram bastante.

Apesar de Sam e Cat formarem um casal bem fofinho, a construção desse romance foi rápida demais, ambos ficaram perdidamente apaixonados em questão de dias e o ex dela que poderia ser um impecílio até mesmo comentado por Cat, sai pela tangente mais rápido do que o previsto, deixando nesse momento uma espécie de vácuo.

Os outros personagens que vão tendo contato com nossos principais, são bem construídos e as descobertas de Sam e Cat sobre suas vidas, também foi algo surpreendente e muito bom de se ler.

Sobre os contras; houveram sim problemas no enredo, como por exemplo, a velocidade em que os fatos acontecem, como será uma série de livros, dava para ter segurado a onda um pouco e deixar algumas coisas para serem descobertas em um próximo volume.

Alguns momentos críticos do livro vieram com um diálogo desnecessário, na hora errada ou de extrema infantilidade.

Outro problema que eu notei também, não só neste livro como em outros da editora Arwen é a revisão. Os livros que nossa equipe está resenhado, estão vindo praticamente sem revisão ou com erros da língua preocupantes, sugiro uma melhor atenção por parte da editora.

De forma geral o livro me agradou bastante, trouxe uma carga de aprendizado importante e um enredo que promete e cumpre. Nem preciso dizer que estou ansiosa para a continuidade da obra.


site: https://curaleitura.blogspot.com.br/
Isis 20/11/2016minha estante
????




Carolina Durães 25/10/2016

O prólogo é narrado em primeira pessoa e se passa em 15 de outubro de 2114, quando a narradora recebe seu namorado em casa e o mundo muda em um estalar de dedos.
"Antes que possamos nos mexer, o chão todo começa a tremer e a se abrir sob nossos pés. Não consigo segurar meu grito. O teto racha em cima de nossas cabeças, derrubando pequenas pedras por toda a sala. Água começa a sair da rachadura, caindo bem em cima do meu pai e queimando toda a carne de seu rosto. Grito mais uma vez horrorizada com as feridas que se transformam rapidamente em bolhas de sangue..." (p. 09)
Pelo prólogo, percebe-se que o mundo passou por uma grande mudança. E é pela perspectiva de Sam, o protagonista do livro, que observamos essa mudança cinquenta anos depois, no ano de 2050.
"Depois da Devastação, (nome dado a uma série de desastres naturais que ocorreram durante um dia, há aproximadamente 50 anos atrás), as pessoas que sobreviveram, ou seja, os ricos que podiam fugir para as pequenas cidades longe do litoral ou entrar em seus abrigos no fundo da terra, e as pessoas normais que não estavam no lugar errado e na hora errada, agruparam-se em uma das poucas, se não a única, cidade sobrevivente que recebeu o nome de Suvers... Os comerciantes ficaram com as poucas casas do centro ao redor dos prédios e com o que restou dos comércios. Uma linha imaginária foi criada entre essas pessoas e o restante da população sobrevivente. Soldados e cercas de arame farpado separavam a metade, agora intacta da cidade, das casas mais simples... Nós denominamos esse conjunto de Aldeia". (p. 16)
Sam é um jovem que vive em um planeta após a Devastação. Tudo o que ele conhece baseia-se nessa nova realidade, onde vive com seus pais na Aldeia e trabalha como carpinteiro ao lado do pai desde os seis anos de idade. Sua vida é o que se considera normal: tem bons pais, seu melhor amigo Bryan e ele se envolvem em traquinagens e volta e meia precisa tomar cuidado com as "Coisas".
"Coisas" era como nos referíamos às pessoas que foram deformadas pela radiação. Eles eram expulsos da Aldeia por se tornarem um tanto agressivos, então viviam escondidos na floresta e normalmente só saiam após o pôr do sol. Havia boatos de que eles se tornaram canibais, mas ninguém ficava fora de casa depois do anoitecer para descobrir". (p. 13)
Sua realidade é virada de ponta cabeça quando soldados aparecem em sua casa e ele e sua mãe precisam procurar ajuda com os rebeldes, um grupo que luta clandestinamente contra o governo opressor. É a partir desse ponto que o protagonista descobre algumas verdades sobre si mesmo e sobre o mundo que ele achava que conhecia.
O livro é uma aventura e tanto, escrito com maestria. O cenário criado pela autora Isis LMJ é impactante (afinal de contas, a natureza é uma força admirável) e os eventos pós Devastação são surpreendentes. O enredo tem ação, aventura, um governo opressor e personagens que lutam pelo seu ideal. Uma trama completa e bem desenvolvida, com coesão do início ao final do livro.
Sam é um protagonista carismático, que tem uma personalidade forte e o anseio de descobrir a verdade. Ele e o leitor fazem as descobertas juntos e suas reações direcionam as emoções do leitor.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um trabalho espetacular. A capa é linda e chama a atenção.

site: http://www.acordeicomvontadedeler.com/
comentários(0)comente



Kamila 18/09/2016

Filhos da Natureza começa com uma família que está tranquila em casa (não estamos no Brasil e o tempo está muito à frente), até que a cidade onde essa família vive é devastada pela Natureza e some do mapa. Anos depois, temos Sam. Ele tem poderes e vive na Aldeia, que é uma região bem pobre onde vivem pessoas que sofreram mutações depois da Devastação. A Devastação, aliás, transformou tudo em Nova América, que é controlada por mãos de ferro.

Sam vive com sua mãe, seu pai, seu amigo e a mãe dele. Por questões do momento, eles precisam fugir. O governo está atrás do pai de Sam, que acaba sumindo. A mãe é assassinada. Sam foge, foge e foge até ser atingido por tiros. E aí entra seu poder (que eu adorei, particularmente): ele pode se restaurar. Sendo assim, os tiros perfuraram sua carne, mas logo em seguida ele ficou bem.

Nessa hora, aparece Cat, pensando que ele está morto (até porque mesmo a carne estando bem, o impacto deixa a gente tonta, no chão). Eles acabam se conhecendo e Cat revela que seu poder é o de se teletransportar (X-Men!). Cat e Sam, depois de passar uns perrengues, vão parar no Acampamento, local onde ficam vários mutantes. E após saber de uma série de revelações, Sam e Cat precisarão vencer as forças que controlam Nova América e se salvarem também, porque é claro que estão sendo procurados.

Mais uma fantasia que leio e... gostei! Sim, pela primeira vez eu gostei de um livro de fantasia. Claro que, nesse caso, também têm ficção científica (gosto às vezes) e distopia (amo). Talvez por isso eu tenha lido até rapidamente, apesar de ter demorado tanto. A forma como a Isis montou a trama foi muito bem pensada. Na Natureza há os Coisas, seres geneticamente modificados, como crocodilos gigantes e hienas com dentes no lugar dos olhos (fiquei com medo feat. vontade de vomitar). Os Coisas são alimentados pelo governo e é claro que eles adoram comer gente.

Pra quem gosta de romance em tudo, aqui também tem. Mas é claro que nada demais vai rolar nesse livro, até porque ele terminou em um ponto crucial que me deixou querendo o próximo livro. Gostei muito de Sam, que às vezes é um tonto, mas é um cara de bom coração. Já Cat é ousada, anda sem medo do amanhã, e isso é ótimo, mas pode lhe trazer sérias consequências. Prestem atenção também em Maria, única amiga de Cat. Ela tem cabelo roxo e um poder legal (que eu não vou contar, rs).

Primeiro livro que leio da Arwen. A história, como eu disse, é ótima, mas a revisão deixou a desejar. Encontrei vários erros de digitação durante a leitura. E é gravíssimo, porque são erros bobos, dá pra pegar de cara - inclusive, uma mesma palavra apareceu escrita errada tantas vezes que, quando finalmente apareceu corretamente, achei que estivesse errada. É bom a editora ficar de olho.

Por fim, claro que recomendo esse primeiro volume, já querendo saber quando vem o próximo porque, como eu disse, ele acabou num ponto crucial, me deixando boquiaberta e querendo saber o que vai acontecer. Isis, obrigada por ter me respondido aquele status lá no facebook, chamando para a parceria, seu livro é ótimo! E não ligue para as críticas, elas sempre virão - e sempre vai ter aquele hater recalcado para te encher a paciência, rs.

site: http://resenhaeoutrascoisas.blogspot.com.br/2016/09/resenha-o-filho-da-natureza.html
Isis 20/11/2016minha estante
?




Silvana - Blog Prefácio 07/09/2016

“Vocês já ouviram falar naquele ditado de que tudo o que vai, pode voltar? Então, vou lhes contar uma história e quem sabe assim poderão entender melhor as minhas palavras...”.

Estamos em 2114. O ano em que aconteceu a Devastação. A Natureza, depois de sofrer nas mãos dos homens por tanto tempo, resolveu revidar e a destruição que aconteceu recebeu o nome de Devastação. Mas nem todos morreram, alguns poucos humanos sobreviveram e 50 anos depois vemos um mundo completamente diferente do qual conhecemos. Nem tão diferente assim, já que só sobreviveu os mais ricos que tiveram dinheiro para fugir do litoral e os que deram a sorte de não estarem no lugar errado, na hora errada. E os que sobreviveram, criaram a Suvers, que é uma espécie de cidade onde, nos prédios que ficaram em pé vivem os governantes, nas casas em voltas aos prédios, os comerciantes e fora da cidade nas imediações da floresta, chamado de Aldeia, o resto da população, que vivem nos escombros do que sobrou e são proibidos de entrar em Suvers. E tem também os "coisas".

Os Coisas são os humanos que sobreviveram a irradiação e ficaram deformados no processo. Eles vivem na floresta e só saem a noite e dizem são canibais. Sam, nosso protagonista, já encontrou alguns deles, e sempre correu o mais que pode de volta a sua casa, mas nunca disse nada a ninguém, já que tecnicamente ele é proibido de entrar na floresta. Sam não se conforma com a vida na Aldeia e não vê a hora que chegue o dia em que finalmente poderá se aventurar na floresta. E esse dia pode ter chegado. Seu pai é assassinado pelo governo de Suvers, sob a suspeita de ser um rebelde. Os rebeldes são pessoas que se opõe ao governo e são chamados de Filhos da Natureza. E o governo faz um anúncio. Todas as pessoas da aldeia serão testadas, supostamente para descobrir quem tem um nível elevado de radiação no sangue e é propenso a ser um rebelde. Então Sam é acordado por sua mãe dizendo que eles tem que fugir. Eles tem que chegar ao acampamento dos rebeldes. Mas no meio do caminho, sua mãe é assassinada e Sam leva quatro tiros antes de matar o soldado que atirou. Mas Sam não morre.

Ele acorda e tem uma garota olhando para ele. Seu nome é Cat e ela é do grupo dos rebeldes. Mas na verdade eles são mutantes. Enquanto alguns humanos ficaram deformados e se transformaram em monstros, outros adquiriam algumas habilidades. E é isso que o governo quer testar na verdade, para descobrir quem tem essas habilidades. A de Cat, é o teletransporte. E Sam também é um deles, já que conseguiu se curar. Ela diz a Sam que existem muitos outros sobreviventes pelo mundo, e vai levá-lo ao acampamento. Mas antes ela mostra a Sam um mundo que ele só via nos livros que seu pai tinha escondido. A natureza é perfeita. Flores, vegetação e animais que ele pensava estarem extintos. E quando chega ao acampamento, Sam fica ainda mais admirado com tudo o que tem lá, com a tecnologia do local. Até banho de chuveiro ele toma. Mas logo ele descobre uma coisa que coloca abaixo tudo o que ele acreditava sobre sua vida até agora e ele fica sem saber o que fazer.

"O mundo não havia quase acabado como pensávamos. Ele havia renascido. Ele estava lindo."

Eu li algumas resenhas bem negativas desse livro. Mas como a sinopse me chamava muito a atenção, quando fui contatada pela autora para uma parceria, aceitei ler o livro e tirar as minhas próprias conclusões. E ainda bem que o fiz porque a minha opinião e visão sobre a história foi bem diferente das resenhas que eu tinha lido. Primeiro que adoro uma distopia. E não tem como não pensar que uma coisa assim poderia realmente acontecer. A forma como o homem está acabando com a natureza, e como acredito na lei do retorno, é uma ideia que não é dificil de acreditar. Uma hora o homem vai ter que dar conta do que está fazendo. E amei a ideia da autora da própria natureza se vingando. E outra coisa que gostei bastante foi a forma como ela desenvolveu o livro, fugiu bastante dos enredos prontos que tenho lido nos livros do gênero.

A escrita da autora é bem fácil de se acompanhar. Quando percebi já tinha lido metade do livro em uma sentada. O livro é mais voltado para o publico infanto juvenil, então não me incomodei com algumas atitudes do protagonista, e essa foi uma das criticas que mais li nas resenhas, sobre a infantilidade do personagem. Eu não concordei com isso. Ele teve sim algumas atitudes inesperadas para alguém da idade dele, mas se olharmos o contexto, a situação em que ele vive, então foram sim justificadas. Eu me coloquei no lugar dele e se fosse eu a descobrir o que ele descobriu, acho que teria a mesma reação. Eu gostei dos personagens, gostei da história e amei o final, fiquei de cara com o epílogo. E com certeza vou querer ler a continuação. Sem falar nessa capa que é linda e assim que der vou adquirir meu exemplar físico.

site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2016/08/resenha-o-filho-da-natureza-isis-luiza.html
comentários(0)comente



RicardoCF 18/08/2016

Um dos melhores livros do gênero
De maneira única, a autora conseguiu fazer um mundo distópico com um toque fantástico.
Sam, um jovem normal que mora numa Aldeia se vê desolado quando seu pai é assassinado e junto com a mãe, eles fogem a procura de um abrigo rebelde.
Cada descoberta que Sam faz é impressionante, descobrindo coisas sobre si mesmo e sobre o mundo que julgaria impossível.

Veja mais da resenha no link

site: http://lapsodeleitura.blogspot.com.br/2016/08/resenha-o-filho-da-natureza-isis-lmj.html
comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 02/08/2016

Originalmente postada em http://balaiodebabados.blogspot.com.br/
Em O Filho da Natureza, conhecemos Sam O’Conell Shaw. Sim, a sigla do nome do cara é SOS e eu ri muito com isso. Após um desastre que destruiu parte do mundo, Sam vive numa aldeia com alguns sobreviventes. Até que alguns acontecimentos bem tensos acontecem na sua vida e ele tem de fugir.

Na sua fuga, ele conhece Cat e é introduzido a uma organização chamada Filhos da Natureza, composta por rebeldes revoltados com o governo. Mal sabe ele que essa organização está prestes a mudar a sua vida completamente.

O que mais gostei nessa história foi o fato dela me lembrar muito minha trilogia amorzinho Estilhaça-me e, ao mesmo tempo, ser diferente da mesma. O universo que Isis criou não deixa a desejar a nenhuma dessas distopias best-sellers da vida: o mundo se “acabou” e estamos vivendo em uma nova era. A radiação criou alguns mutantes - alguns bem legais e alguns nada bacaninhas - e todo mundo querendo sobreviver. Senti uma influência de Jogos Vorazes quanto à galera que morava nas Suvers - umas cidades onde as pessoas que moravam por lá não passavam nenhum perengue.

"Depois da Devastação, (nome dado a uma série de desastres naturais que ocorreram durante um dia, há aproximadamente 50 anos atrás) as pessoas que sobreviveram, ou seja, os ricos que podiam fugir para as pequenas cidades longe do litoral ou entrar em seus abrigos no fundo da terra, e as pessoas normais que apenas não estavam no lugar errado e na hora errada, agruparam-se em uma das poucas, se não a única, cidade sobrevivente que recebeu o nome de Suvers (por causa da palavra em inglês Survivor, que significa sobrevivente). [...] Nós denominamos esse conjunto de casas mais simples, que são praticamente grudadas com a floresta, de Aldeia. Somos poucos, no máximo duzentas pessoas no total, por isso estamos mais para lado ruim da cidade do que para uma cidade vizinha."

Com certeza meu personagem preferido é Sam - que é o narrador também -, apesar de algumas vezes querer dar uns murros naquele cérebro de minhoca dele. Em alguns momentos, ele me lembrou uma mistura de Percy Jackson com Magnus Chase e simplesmente achei isso o máximo. Se ele fosse real, com certeza seríamos ótimos amigos. Porém, em alguns momentos, ele tinha umas atitudes bem infantis que dava vontade de dar uns tapas na cara e dizer “SEJE MACHO, HOMI”.

"Sinto algo dentro de mim revirando meu estômago. Acho que são gases. Não consigo me lembrar da última vez que fui ao banheiro, já que é bem difícil usar o sanitário quando sua casa é praticamente lotada como a minha."

Cat também é um personagem que gostei muito, apesar de que em alguns momentos ela me irritava com algumas atitudes também. Porém, gostei muito do papel dela de “apresentadora de um mundo novo” para o Sam. É através dela que conhecemos mais um pouco sobre os Filhos da Natureza.

"- [...] A natureza se tornou radioativa depois da Devastação e nós somos filhos da radiação, portanto a natureza nos criou. Os mutantes sãos os verdadeiros Filhos da Natureza. Quem escolheu esse nome para o acampamento sabia o que estava fazendo."

Apesar da leitura ser um cadinho corrida, não deixa de te envolver e aumentar sua curiosidade sobre o que venha a acontecer. Quando pensamos que está tudo bem, BUM! Acontece algo que não te deixa largar a história. Não vou nem começar a comentar sobre o final que me deixou no chão!

O Filho da Natureza é o primeiro livro da série. Eu estou bem ansiosa para o segundo, que se chama A Filha da Vingança. Achei TU-DO esse título!

Se você está à procura de uma distopia nova, recomendo muito essa nacional.

Leia mais resenhas em http://balaiodebabados.blogspot.com.br/

site: http://balaiodebabados.blogspot.com.br/2016/08/resenha-78-o-filho-da-natureza.html
comentários(0)comente



Isis 19/07/2016

AVISO
Gente por favor, prestem atenção á versão do livro lida. A nova versão lançada pela arwen é diferente da antiga publicada de froma idependente, então antes de avaliar a nova versão baseada na sua opinião sobre a anterior lembre-se disso.
Mais informações em: https://www.facebook.com/filhosnatureza/
comentários(0)comente



Letícia 08/06/2016

Eu também quero ser uma filha da natureza!
Olá, leitores! Tudo bem com vocês?
Hoje venho falar de um livro totalmente diferente que tive o prazer de ler. Trata-se de O filho da Natureza, da Isis L.M.J.

O livro ainda está em pré-venda e eu recomendo MUITO! É um livro que se passa num futuro não muito distante, onde os desastre naturais um dia simplesmente varreram a Terra.
Uma onda gigante surge e o desespero toma conta da população. Anos depois, somos levados a conhecer Sam, um jovem de cerca de 20 anos que vive na Aldeia, junto com seus pais e ele começa a nos contar como é o cenário ao seu redor. Ele diz que a Terra se tornou radioativa e muitas pessoas se transformaram em "Coisas" que ninguém sabe explicar, de fato, o que é. Sabem que não podem ficar na floresta até o entardecer porque isso pode representar muito perigo. Sam também nos conta que os mais ricos vivem em Suvers, uma capital onde a vida ainda pode ser bem confortável e eles governam tudo, dizendo que um dia a paz reinará na Nova América e a população poderá viver de forma igualitária. Sam não acredita nisso e por alguma razão, sente-se conectado a Natureza, por isso o seu maior desejo é viver em meio a ela.

Ele e o seu melhor amigo costumam passar horas na floresta, mesmo sabendo que é perigo e em certo dia, eles são surpreendidos pelos coisas. Ao chegar em casa esbaforidos e amedrontados, os pais de Sam acabam dando-lhe uma bronca, que o deixa super revoltado. Sem poder dormir, ele fica pensando em como poderia fugir da Aldeia e viver livre daquele muro de mentiras, quando, sem querer, escuta uma conversa muito suspeita entre seu pai e sua mãe. Depois disso, um tiro é ouvido e toda sua vida muda radicalmente.

Sam vai precisar enfrentar obstáculos imensos e vai descobrir que toda a sua realidade é muito mais complicada do que ele pensa. Perdas difíceis, traumas incalculáveis e a aparição de uma garota que pode desvendar a maior parte do mistério que o envolve vão fazer sua cabeça pirar e o leitor não querer desgrudar dessa leitura nem um instante!

Não posso falar muito mais do enredo porque arriscarei-me a dar spoilers e não gosto disso, o que poso dizer é que a Isis criou uma história divertida, diferente e envolvente. Gostei muito do pano de fundo da história, dos diálogos e momentos fofos entre a Cat e o Sam, mostrando que este personagem evolui no decorrer da trama e começa como um garoto iludido e acostumado a uma vida pacata e termina como um homem determinado a descobrir a verdade por trás de toda a realidade que o envolve.
Realmente gostei! Se você é fã de aventura, esse livro é para você. Ele tem uma pegada de ficção científica, com distopia e esse embasamento científico faz toda a diferença na trama. No começo eu fiquei receosa, mas depois me apaixonei. Os personagens são muito cativantes e não é um livro imenso, ele passa rapidinho e quando você vê... Puft! Fica querendo mais!
E... Eu tenho uma ótima notícia! Ele é uma trilogia! Estou maluca pelo livro 2!
Podem comprar o livro Aqui: Arwen Store
Anotem a dica e até a próxima!

site: http://eraumavezlivrosecia.blogspot.com.br/2016/06/resenha-o-filho-da-natureza-isis-lmj.html
comentários(0)comente



Tony 08/10/2015

Resenha: O Filho da Natureza - Isis L. M. J.
"O Filho da Natureza" conta a história de Sam, um garoto de 19 anos que vive em um lugar chamado Nova América. Há 50 anos houve um evento chamado Devastação que acabou dizimando boa parte de população e transformando o mundo que as pessoas até então conheciam.

A ideia e a premissa do livro são ótimas, mas o resultado final que pude conferir tem um número considerável de pontos negativos. Números esses que fizeram com que eu tivesse uma experiência não tão agradável com "O Filho da Natureza".

Decidi dividir a resenha com os pontos negativos e positivos da obra:

Pontos negativos:

O protagonista é insuportável. Eu achava que já tinha encontrado personagens chatos na literatura, mas depois de conhecer Sam eu tive que rever meus conceitos. Qualquer personagem chato que você conhece ficará no chinelo se comparado com Sam. Sério, gente! O garoto não dá uma dentro. Ele tem 19 anos, mas age como se fosse um adolescente mimado de 13 anos. Faz cagadas (me desculpem o termo) o tempo todo e ainda tem a cara de pau de ficar se perguntando: "será que foi minha culpa?".

Sem falar que ele é muito burro. O garoto só toma decisões que nenhuma pessoa sã tomaria e além disso, ele não usa o cérebro em nenhum momento do livro. Sabem aquelas pessoas que só entendem uma piada horas depois de ela ter sido contada? Então, o Sam é uma dessas pessoas.

Se não bastasse tudo isso, ele ainda é revoltadinho. (INÍCIO DE SPOILERS:) Em um determinado momento do livro, o Sam descobre que não é filho de Adam e sim do irmão dele (no caso, o tio de Sam). E sabem o que o ele faz? Sai correndo feito um doido pelas florestas, batendo e matando quem vê pela frente. Eu até entendo que isso é algo revoltante, mas menos, né? Bem menos... (FIM DE SPOILERS)


A revisão do livro está péssima. O livro têm muitos (muitos mesmo) erros, o que atrapalhou bastante a minha leitura. Eu até entendo que esse é o primeiro livro da Isis, mas muitos erros poderiam ter sido evitados. Alguns são bem bestas (como a troca de letras em determinadas palavras) e com uma relida atenta da autora poderiam ter sido vistos e excluídos facilmente do livro.


Mais do mesmo. O livro é uma distopia e por causa disso, acaba lembrando várias outras já lidas por mim. Eu sei que é normal livros desse gênero lembrarem outros, mas a cada nova página lida de "O Filho da Natureza" eu lembrava de outras distopias como Jogos Vorazes, Sombras do Medo e A Caçada. Essa é outra coisa que poderia ter sido evitada. Algumas das coisas que fazem lembrar os outros livros (como a implicância do protagonista por um gato "diabólico" [beijos para Katniss e Buttercup]) poderiam ser retiradas facilmente que em nada prejudicariam o desenvolvimento da obra.


Pontos positivos:

Personagens secundários cativantes. O que o Sam tem de chato, os personagens secundários do livro tem de carisma. Ainda bem, né? Cat rouba a cena do começo ao fim e se tornou uma das minhas personagens favoritas!

site: http://tonylucasblog.blogspot.com.br/2015/10/resenha-o-filho-da-natureza-isis-l-m-j.html
comentários(0)comente



Conchego das Letras 28/08/2015

Resenha completa
O Filho da Natureza é o primeiro livro da trilogia Filhos da Natureza. A narrativa é baseada no futuro e o que podemos esperar daqui a alguns anos no planeta (sinceramente, espero que isso não aconteça, mas do jeito que o mundo vai!). É narrado em primeira pessoa, pelo personagem principal, Sam.

A história começa com uma família reunida e quando olham pela janela, enxergam uma avalanche de água, sendo que eles não moram perto do mar, tudo começa a tremer e a história recomeça 50 anos depois da Devastação (nome dado à uma serie de desastres naturais que ocorreu em um único dia), em um mundo onde restavam poucos sobreviventes.

Depois que o planeta sofreu com tudo que você poderia imaginar como furação, terremoto e a radiação que se espalhou tudo quanto foi canto para destruir ainda mais a vida daqueles que conseguiram sobreviver, o mundo é separado em duas partes: os ricos e os excluídos.

Nesse primeiro livro sabemos muito pouco sobre como os ricos vivem, só nos é dito que eles vivem bem e com fartura enquanto os pobres ficam em um local que chamam de aldeia, residem nas antigas casas que hoje são um amontoado de entulhos e comem o que têm ou recebem do governo.

Os moradores da aldeia não podem sair do local em que moram, pois é cercada por uma floresta em que vivem as pessoas que sofreram mutilação em alguma parte do corpo. No livro a autora chama essas pessoas que de "coisas" e nos explica que para sobreviverem comem até carne humana, por isso todos as temem.

Eu não entendo. Por que eu nunca podia sair da Aldeia? Será que é mesmo só para minha segurança ou eu vou descobrir algo que ele não quer se me aventurar na floresta?
Sam é um garoto de 19 anos que vive com os pais, um amigo e a mãe desse amigo e nenhum deles pode ir muito longe da casa que moram. Os moradores da aldeia passam o dia trabalhando como "escravos" para o povo rico e não têm uma diversão que possam usar para se distraírem. O tempo que Sam tem livre aproveita para treinar lançamento de facas.

Depois de certos acontecimentos, Sam se vê sozinho no meio da floresta. Cercado por "coisas" e soldados, precisa reunir força e coragem para conseguir sobreviver em um mundo desconhecido e chegar em um acampamento que, detalhe, ele nem sabe onde fica!

Cat é uma garota que esta acostumada sobreviver nesse mundo desconhecido e sabe chegar ao acampamento... ainda bem né?! Eles vão viver juntos momentos de descobertas e nós, leitores, vamos conhecer alguns animais que sofreram mutações - juro que nunca imaginaria que poderia existir algo do gênero. Além de tudo que eles vão passar, Sam conhece a real situação que o mundo vive, com as ordens do governo.

Eu não gostei de algumas linguagens que a autora utilizou. Tudo bem que o casal da história são dois jovens e conseguem ter uma afinidade muito rápida, pode ser isso!!! Mas eu, como uma "jovem senhora", achei desnecessário.

Algumas das situações foram:

1 - Cat desmaia e Sam para acordá-la, simplesmente cospe na cara dela e ela acorda;
um dos amigos deles assoa o nariz na blusa e passa a mão para tirar a meleca que ficou agarrada na blusa;
2 - um dia Sam acorda e joga em Cat as remelas. Eu não gosto muito disso, sou bastante fresca, só pode ser esse o problema que dei a nota que dei.
3 - Abraço Cat que ainda respira. Procuro ao redor algo que eu possa usar para estimula-la a acordar, mas não encontro nada.

"Não posso bater nela.
Então eu cuspo em sua cara, e ela acorda. Ela tenta abrir os olhos, mas um deles está incapacitado pela minha saliva"

Tirando esses momentos (só disse 3 exemplos, mas tem vários) e focando na história em si, achei a história inteligente e diferente de tudo que já li. E depois da metade a história fica emocionante, sempre aguardando o que poderá acontecer com os dois sozinhos na floresta e se Sam iria aceitar a realidade da sua história, o que a radiação fez com ele e o que poderia acarretar para o mundo.

O final é muito bom, termina de uma forma espatular e, com certeza, estou ansiosa pela ler a continuação. Espero de coração que não tenha mais dessas situações desnecessárias para que eu possa dar uma nota melhor para ele.

Gostou dessa resenha, feita por Daya Maciel? Quer ver as imagens ou ler outras resenhas? Então entre em nosso Blog!

site: http://conchegodasletras.blogspot.com.br/2015/08/resenha-o-filho-da-natureza.html#more
comentários(0)comente



La Yorres 12/08/2015

Uma ideia super legal, mas mal desenvolvida
A autora teve uma ideia bem legal e diferente para escrever essa trilogia. De cara, quando li a sinopse, já me interessei pela história, embora eu tenha tido um pequeno desconforto quando vi um "blá, blá, blá" (literalmente isso) na sinopse. Na minha opinião, a menos que o livro seja para ser engraçadinho e suave (tipo um chik-lit) usar essa expressão é meio amador (mesmo em chick lit é preciso usar com cautela). No fim, ignorei isso, baixei o PDF disponibilizado e comecei a leitura no mesmo momento.

A narrativa da autora é mediana, o que eu compreendo, já que é o primeiro livro que ela escreve, mas ao mesmo tempo que eu ficava com um pé atrás, queria continuar lendo (estranho, eu sei, mas vocês vão entender). Eu tinha a impressão que tudo daria numa história super legal, cheia de ação e dramas, e no final, não me enganei tanto assim. Apesar das palavras cortadas e de vários erros de português, os quais me desanimaram bastante, o livro tem uma história bacana, a qual, infelizmente, não foi bem elaborada.

Sinceramente, achei que a única coisa que faltou mesmo foi a habilidade para desenvolver a ideia criada. Isis explicou coisas que não precisavam e nem deveriam ter explicações, os diálogos são pobres (muitas coisas que eles falam enquanto conversam ninguém no Mundo diria, além de parecerem realmente infantis às vezes) e eu não consegui me identificar com nenhum personagem, embora eles tenham sido bem legais.

Outra coisa que não me agradou foi o romance principal entre o Sammy e a Cat. Eles se apaixonaram perdidamente um pelo outro tão rápido que deu a ideia de que o romance foi forçado. Em um segundo Sam conhece a garota e no outro já está doente de amores. Eu gostaria de ter visto esse romance se desenrolar mais vagarosamente. Daria um bust legal no decorrer do livro, principalmente por haver no meio o ex da Cat, que foi um pequeno empecilho na relação e poderia ter gerado um draminha ativo e considerável na trama.

A trama em si lembra bastante a série The 100 (com resenhas das duas temporadas aqui no blog) e Maze Runner. O livro é contato do ponto de vista do Sam em primeira pessoa e as piadinhas e trocadilhos que ele solta no meio da leitura me lembraram um pouco o Percy, de Percy Jackson.

Em geral, Isis teve uma ideia incrível mas foi infeliz na hora de passar toda a sua imaginação para o papel.

Independentemente de tudo isso, tenho um pinguinho de curiosidade de ler o segundo livro. Acredito que ela tenha me mandado a obra original sem a revisão da editora, então tentarei comprar os dois primeiros (quando sair o segundo) para poder analisar se a editora fez as correções (muito) necessárias. Grande parte da minha desanimação e infelicidade em ler O Filho da Natureza se deu aos erros gramaticais em excesso.

site: http://blogestantegigante.blogspot.com.br/2015/08/livro-resenha-31-o-filho-da-natureza.html
comentários(0)comente



16 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2