A Cruz de Fogo - Parte 2

A Cruz de Fogo - Parte 2 Diana Gabaldon




Resenhas - A Cruz de Fogo - 2ª Parte


19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Claire Scorzi 11/09/2009

Paixão física sempre forte - e novos perigos - II
Há capítulos para gostos variados: para chorar, para rir às gargalhadas (por conta quase sempre das tiradas impagáveis de Jamie Fraser), para ler com o coração na mão, para ler roendo as unhas, para se deliciar com as cenas de ternura, paixão, coragem, beleza; que eu percebesse nessa primeira leitura só duas coisinhas me incomodaram: o capítulo (mais para o final) dedicado a revelações sobre o Viajante do Tempo mencionado no volume anterior, Dente-de-Lontra (que veio do século XX para o XVIII a fim de tentar mudar o futuro dos indígenas americanos) e que me soou falso, um tanto artificial (mas todo esse trecho, que cobre mais de um capítulo, guarda uma alegria: outro personagem querido descobre que Claire vem do futuro); e o fato de Lord John Grey, personagem de quem gosto desde o volume 3 ("O resgate no mar") aparecer muito pouco, somente através das cartas que envia a Jamie e das remessas de livros que lhe faz (bom sujeito, Lord John!).

No geral, considero "A Cruz de Fogo" ainda melhor do que "O Resgate no Mar" - pois tem as mesmas qualidades sem os defeitos - e do que "Os Tambores de Outono" - pois conseguiu me fazer estimar Roger, que antes eu achava tomar 'espaço demais' no livro. Na minha opinião, é o mais próximo - superior? Talvez! - dos dois primeiros volumes. E com a vantagem de não ter um desfecho agoniante (como o volume 2) e de estarmos vendo como o amor de Jamie & Claire cresceu e amadureceu. Lindo, lindo, lindo. Quereria dizer mais, mas acho que só me repetiria.
Vanessa 11/09/2009minha estante
Adorei sua resenha, pois exemplifica bem o que eu também penso sobre esta maravilhosa série. Sobre Dente-de-Lontra, como sempre, a Diana sempre pincela um pouco sobre o que pode nos aguardar nos seus próximos livros, o próximo que inclusive já li, e posso lhe adiantar que é ainda melhor que "A Cruz de Fogo", na minha opinião.


Sereia 27/07/2017minha estante
Claire, faz vídeo dessa série? Por favor?




Regina 02/11/2009

Li esse livro beeeeeeeem devagar! Não queria que acabasse, pois sei que agora, só ano que vem tem mais histórias inéditas de Jamie e Claire. Mas releituras sempre são interessantes e é o que me consola…

O resumo acima foi muito acertado. Realmente, Diana nos transporta para a América de 1770! As doenças, os perigos, as aventuras, o trabalho pesado e compensador… tudo é muito bem retratado. Esse é um dos pontos que mais gosto nos livros dessa série – a realidade é muito bem mostrada e sofremos e vibramos e vivemos juntos com os personagens. Diana consegue trazer o leitor para dentro do livro e nos faz ver tudo o que ela descreve!

Achei que Roger roubou um pouco a cena nesse volume. O que ele passou – Deus! – terrível! A provação por que ele passou me fez lembrar muito dos sofrimentos de Jamie… Brianna me surpreendeu também! Geralmente não sou muito fã de Bri. Apesar de ser filha de Jamie e Claire, eu a acho muito fria e fechada e, por que não, um tantinho egoísta. Mas ela conseguiu me mostrar que tem um pouco dos pais dentro de si! Jemmy é um conquistador! Com quase dois anos, ele é simplesmente fofo e adorável! Não nega que tem o sangue de Jamie nas veias… ruivo e de olhos azuis e charmoso! É difícil ver James e Claire como avós, mas eles ficam perfeitos no papel.

Vou terminar a resenha com uma frase de Jamie que achei simplesmente fenomenal!!! Quem lê os livros dessa série sabe que Jamie diz cada coisa que é capaz de derretar um iceberg… mas essa frase merece destaque:

- Quando realmente chegar o dia em que tenhamos que nos separar – ele disse ternamente, virando-se para olhar para mim – , se minhas últimas palavras não forem “Eu a amo”, você vai saber que foi porque não tive tempo.

Dá para não viajar no tempo para ir atrás de um homem desses?
comentários(0)comente

Claire Scorzi 23/12/2009minha estante
suspeita, suspeita pra elogiar. este foi facil facil um dos 10 melhores que li este ano.




SakuraUchiha 24/05/2015

O suficiente para manter os fãs querendo mais.
Diana Gabaldon é uma escritora fantástica. Ela continua sua incrível história de Jamie e Claire nos anos imediatamente antes da Revolução Americana.
Eu adorei ler a forma como a história é tecida em torno de fatos históricos, com uma pitada de filosofia jogada em boa medida. Eu sempre fui fascinada com a história, e como a vida foi vivida até o mais mundano dos deveres domésticos.
A autora mais uma vez tem mostrado seu senso de humor único e sua extraordinária influência sobre os assuntos do coração. Ao contrário de muitos, eu gostei de ler sobre Brianna e Roger, e como suas vidas foram entrelaçadas em Jamie e Claire, e mesmo assim conseguiu construir seu próprio estilo de relacionamento e casamento.
No geral, uma boa leitura, e um trabalho digno de adição a qualquer boa estante.

site: https://bookzinga.wordpress.com/2009/11/01/a-cruz-de-fogo/
comentários(0)comente



Nana 05/09/2012

SIMPLESMENTE ADOREI O LIVRO FIQUEI COM O COARAÇÃO NA MÃO COM O JAMIE DOENTE POR CAUSA DA MORDIDA DA COBRA E VI O JAMIE FALANDO DA LAOGHAIRE E VI Q NAUM ERA CIUMES MESMO Q ELE TAVA TENDO EU ACHEI Q ERA MAIS ORGULHO DE HOMEM MESMO TIPO PQ ELA DEITOU COM OUTRO E COM ELE NAUM (TIPICO DE HOMEM) MAS ENFIM LIVRO OTIMO E ADOREI A VOLTA DE IAN TAVA SENTINDO FALTA DELE
Stela.Anderlini 08/11/2016minha estante
Querendo muito ler! Vc venderia? Empresta??


Elizabeth 16/01/2017minha estante
Não foi ciúmes. Apenas o ego masculino ferido. A Laoghaire não gostava de fazer amor com ele e agora lá estava ela com outro! Ele pensou que o problema fosse ele. E era! Na verdade, ela não gostava de ir pra cama com ele porque ela achava que ele ia pensando na Claire, já que ele chamava por ela durante o sono.




Michele 18/06/2016

A Cruz de Fogo
Estou achando muito cansativo.
Stela.Anderlini 08/11/2016minha estante
Conseguiu terminar?? Tenho interesse em ler. Gostaria de vender? Trocar?


Michele 08/11/2016minha estante
Terminei, mas não é livro físico.


£v£ 28/12/2016minha estante
Concordo contigo... to me arrastando pra conseguir terminar.... muito cansativo...


Michele 28/12/2016minha estante
Sem coragem pra começar o próximo...


Cleyvane.MendonAa 13/07/2017minha estante
oie Michele,vc tem o Pdf desse livro? se sim,vc poderia me enviar? meu email: cleyvanecm7@gmail.com, desde ja te agradeço




Greice Negrini 08/08/2017

Uma continuação perfeita!
Depois de toda a aventura na Escócia, na França, nas colônias da América e pelos estados americanos do Sul, finalmente o casal Jamie e Claire está acolhido na Cordilheira dos Fraser já há algum tempo, com diversos personagens que estiveram com Jamie na cadeia de Ardsmuir ou lutaram com ele na batalha jacobita.

Agora com Roger e Brianna em sua própria casa, junto de seu pequeno filho Jeremiah, com Claire atendendo em seu consultório e Jamie seguindo como um líder de terras, tudo parece ter voltado a sua santa paz.

Mas uma guerra está prestes a interromper todos os cantos da Cordilheira dos Fraser. Os Reguladores estão revoltados com as altas taxas dos impostos cobrados pela Coroa Britânica e decididos a fazer justiça com as próprias mãos planejam entrar em conflito com o poder deles para contestar sobre tudo o que eles perdem o tempo todo para tentar pagar por aquilo que é deles de direito. A questão é que agora o governador da Carolina do Norte convocou Jamie para liderar um grupo a lutar contra estes Reguladores, mesmo que alguns sejam amigos dos escoceses.

E uma emboscada vai fazer com que um personagem importante seja atingido friamente marcando e refazendo toda a história contada até agora, mesmo que seja um dos seus antepassados que faça com que ele sofra um trauma infindável.

Outras histórias chegam para dar continuidade quando já se imaginasse que estivesse resolvido. O famoso ouro francês que se encontrava desaparecido surgiu ao se revelar um mistério e o amor que é construído ao longo dos anos faz com que mais um ente querido volte para casa.

E a nova realidade de uma descoberta desperta um temor em Jamie. Um diário de um viajante detalha a vida em um futuro igual ao de Claire e como ele conseguiu atravessar uma passagem e chegar naquela época. A dúvida que assolava a família sobre o destino de uma futura guerra ou doenças é declarada real com a leitura do diário e o que poderia parecer um alívio, se torna um medo maior.

O que falo sobre o livro?
E cheguei ao final do quinto livro, que pela edição da editora Arqueiro foi dividida em duas partes, então cheguei literalmente ao final do quinto livro todo. E cada vez que termino um livro de Outlander parece que vivi junto da família Fraser e um leque de oportunidades de abriu à minha frente e mesmo assim fico esperando e querendo cada vez mais.

No início desta segunda parte eu considerei que tudo seria baseado na parte histórica sobre a guerra dos Reguladores, que realmente aconteceu naquela época e que Diana Gabaldon pesquisa a fundo e descreve com muitos detalhes para que o leitor consiga entender cada passo dado. Até então eu imaginava ser totalmente violento, mas como sempre Diana usa parte do livro para dar foco no início desta revolução e depois disto dar uma vasão em algo tão profundo que foi um dos auges desta segunda parte.

Apesar de Claire e Jamie serem tão importantes, o personagem que mais vai aparecer desta vez é Roger, já que ele começou sendo um personagem superficial e aos poucos vai se transformando em um novo homem que mesmo com a criação de um século futuro, precisa se adaptar as novas funções e tratativas masculinas da época. Como Diana gosta de pegar bastante pesado e fazer valer a verdade das ações, o que acontece neste volume chega a causar um pânico e eu comparei com os traumas do primeiro volume, não em coincidência de fatos, mas com a crueldade cometida.

Adoro como sempre a habilidade da demonstração do cenário, o detalhamento da natureza, os nomes de árvores, plantas, animais. Conforme foi acontecendo a evolução da civilização, também houve descobertas que a Diana vai abastecendo o leitor envolvendo os personagens. A questão dos índios é outra questão que eu gosto bastante, principalmente pelo fato de que sabemos que eles foram massacrados no futuro.

No final deste volume há uma surpresa bastante boa, que eu esperava que fosse acontecer, mas não neste momento. Fiquei altamente feliz apesar de saber que uma ação sempre gera uma reação. Diana tem o dom de tirar personagens da cartola quando menos se espera e assim dar continuidade a algo muitas vezes até esquecido.

Lógico que o livro termina de uma forma concreta, mas que deixa rastros para algo que causa um temor. E é por esta razão que a saga de Outlander é tão querida pelos fãs e que eu indico de todo coração. Cada livro prende mais que o outro e os personagens são tão amáveis que mesmo o mais cruel como Frank Randall acaba fazendo falta quando não aparece.

site: www.blogandolivros.com
comentários(0)comente



Beca 20/01/2010

Maravilhoso
Todos os livros surpreendem, mesmo sendo uma sequencia cada livro disperta um sentimento diferente no leitor, me apaixonei pelo roger, achei o maximo a parte do urso branco e é mto bom ter o Ian de volta. A única parte que me despertou RAIVA rs foi a que a q Jamie sente ciumes da ex, e a Claire encara isso numa boa... Se tratando dela acho que a Diana exagerou no espirito de "compreensão"!
O livro é lindo, o segundo volume cheio de ação! Agora é esperar pelo próximo =D
comentários(0)comente



Marcia Pimentel 14/12/2009

Otimoooooo....!!!!
Eu gostei muito do quinto livro... é muito amor que une esse casal...fiquei desesperada na parte que a cobra pica o Jamie na perna e ele quase morre... aparte que ele sente que é a ultima vez que faz amor com a Claire é muito emocinante...esse homem é tudo...mas tbm fiquei p...da vida com ele...quando ele sentiu ciumes da laoghaire e sonhou com ela...a Claire aceitou isso muito facil pro meu gosto.
Elizabeth 16/01/2017minha estante
Não foi ciúmes. Apenas o ego masculino ferido. A Laoghaire não gostava de fazer amor com ele e agora lá estava ela com outro! Ele pensou que o problema fosse ele. E era! Na verdade, ela não gostava de ir pra cama com ele porque ela achava que ele ia pensando na Claire, já que ele chamava por ela durante o sono.




Paloma Casali 29/06/2017

Blog Ilusões Noturnas
O 5º livro, A Cruz de Fogo, foi dividido em duas partes pela Editora Arqueiro, e, para mim, esta divisão foi feita no momento perfeito da história.

A primeira parte é mais tranquila e nos insere em um ambiente familiar e "calmo" (na medida do possível para Diana); o leitor pôde vivenciar a "rotina" da família Fraser em casa [coloquei rotina entre aspas, pois sabemos que a verdadeira rotina dos Frasers é alguma aventura, em que, normalmente, eles são lançados]. - Clique AQUI para conferir a resenha da 1ª parte.

Já a segunda parte é mais movimentada; repleta de aventuras e desventuras, perigos, doenças e muita emoção.

[IMAGEM]

"Estamos" em 1771, na Carolina do Norte, na America, especificamente, na Cordilheira dos Frasers. Depois das emoções do casamento de Jocasta é hora de enfrentar: a Batalha de Almance e suas consequências; as preocupações acerca da tentativa de roubo no casamento; as descobertas sobre outros viajantes do tempo e as influências na família; a incerteza sobre o retorno de Bonnet; um retorno não esperado de alguém importante; e, principalmente, enfrentar as próprias batalhas interiores.

Como sempre, Diana aguça a imaginação do leitor com descrições de locais, pessoas, fatos e sentimentos de uma forma única e peculiar. O leitor se sente parte da história em cada momento - seja com uma corda no pescoço; seja matando algum animal; seja curando enfermos; seja vivendo em uma floresta; seja fazendo amor. Ela mantém a tradição de surpreender a cada página lida. Mais uma vez provou que o AMOR (independente da forma - homem/mulher; pai/filho; mãe/filho; avôs/neto; amigos...) supera tudo, e que o bom humor deve fazer parte das nossas vidas em todas as situações.

>>>>>>> Leia a resenha na íntegra acessando o blog!!!! Você vai adorar!

site: https://ilusoesnoturnas.blogspot.com.br/2017/06/resenha-outlander-cruz-de-fogo-parte-ii.html#more
comentários(0)comente



Paloma Casali 29/06/2017

Blog Ilusões Noturnas
O 5º livro, A Cruz de Fogo, foi dividido em duas partes pela Editora Arqueiro, e, para mim, esta divisão foi feita no momento perfeito da história.

A primeira parte é mais tranquila e nos insere em um ambiente familiar e "calmo" (na medida do possível para Diana); o leitor pôde vivenciar a "rotina" da família Fraser em casa [coloquei rotina entre aspas, pois sabemos que a verdadeira rotina dos Frasers é alguma aventura, em que, normalmente, eles são lançados]. - Clique AQUI para conferir a resenha da 1ª parte.

Já a segunda parte é mais movimentada; repleta de aventuras e desventuras, perigos, doenças e muita emoção.

[IMAGEM]

"Estamos" em 1771, na Carolina do Norte, na America, especificamente, na Cordilheira dos Frasers. Depois das emoções do casamento de Jocasta é hora de enfrentar: a Batalha de Almance e suas consequências; as preocupações acerca da tentativa de roubo no casamento; as descobertas sobre outros viajantes do tempo e as influências na família; a incerteza sobre o retorno de Bonnet; um retorno não esperado de alguém importante; e, principalmente, enfrentar as próprias batalhas interiores.

Como sempre, Diana aguça a imaginação do leitor com descrições de locais, pessoas, fatos e sentimentos de uma forma única e peculiar. O leitor se sente parte da história em cada momento - seja com uma corda no pescoço; seja matando algum animal; seja curando enfermos; seja vivendo em uma floresta; seja fazendo amor. Ela mantém a tradição de surpreender a cada página lida. Mais uma vez provou que o AMOR (independente da forma - homem/mulher; pai/filho; mãe/filho; avôs/neto; amigos...) supera tudo, e que o bom humor deve fazer parte das nossas vidas em todas as situações.

>>>>>>> Leia a resenha na íntegra acessando o blog!!!! Você vai adorar!

site: https://ilusoesnoturnas.blogspot.com.br/2017/06/resenha-outlander-cruz-de-fogo-parte-ii.html#more
comentários(0)comente



Thaisa 04/09/2017

Tenso, intenso e surpreendente!
Para quem acompanha a série, já está bem acostumado com os padrões de escrita da Diana e sabe que devemos esperar momentos bem dolorosos em cada livro de Outlander. Na resenha da parte 1 do livro 5, comentei que ele foi uma espécie de trégua para nos preparar para a enxurrada de emoções que viriam na segunda parte de A cruz de fogo. Dito e feito.

Começo essa resenha com um alerta: é preciso ter um coração muito saudável para entrar nesse universo criado por Diana Gabaldon, pois a autora apronta poucas e boas com os seus leitores!

Não gosto muito de fazer um resumo da história quando escrevo resenhas sobre Outlander. As sinopses já falam bastante coisa e acredito que o que tem de melhor nessa série, é justamente ir descobrindo o que acontece conforme seguimos com a leitura. Cada página tem sua carga de emoção e posso garantir a vocês que esse volume tem momentos de tirar o fôlego.

Por mais que eu esteja acostumada com a tensão sempre presente na vida de Jamie e Claire, a autora consegue me surpreender em todos os livros que leio. A parte um foi mais tranquila e toda tensão foi deixada para a parte dois. Momentos de tensão, desespero e adrenalina me fizeram perder o fôlego e quase me desesperar junto com os personagens. Mesmo tendo um ritmo mais lento que os outros volumes da série, a densidade dos acontecimentos foi completamente sufocante.

O volume cinco revela coisas do passado. Vários acontecimentos surgem para nos ajudar a entender alguns mistérios e junto com os personagens vamos montando o quebra-cabeça. Revelações importantes, fantasmas do passado que retornam, segredos revelados e laços que se tornam cada vez mais fortes... esse é o resumo do que podemos encontrar em A Cruz de Fogo. É um livro com um ritmo mais lento, mas totalmente necessário para entender a história.

Apesar dos momentos tensos, sei que muito mais coisa vem por aí e não vejo a hora de ler o livro seis.

Resenha publicada no blog Minha Contracapa:

site: http://minhacontracapa.com.br/2017/09/resenha-outlander-a-cruz-de-fogo-parte-2-de-diana-gabaldon/
comentários(0)comente



day 23/05/2017

maravilhoso!!
Mais uma vez Diana Gabaldon ,encantando com essa história maravilhosa!
O livro começa com a batalha de Alamance ,todas as dificuldades e desafios da época.
A vida volta ao normal,quando eles retornam a cordilheira.
Claire e Jamie vivendo a maturidade do seu amor e vivendo a vida com seus afazeres na cordilheira.
Momentos de tensão com Roger ,quando fica gravemente ferido e jamie quando é picado por uma cobra.
"-Sassenach...eu a amo agora e sempre vou amá-la .Se eu estiver morto,se você estiver morta,se estivermos juntos ou separados.Você sabe que é verdade-disse ele baixinho e tocou meu rosto.-Eu sei disso a seu respeito ,e você sabe disso ao meu respeito."
Brianna vê seu filho jemmy,crescendo a cada dia,e junto com seu crescimento ,o fantasma de Stephen Bonnet,também a assombra,será que um dia ele poderá vir atrás dela e de Jemmy?
Jamie e Roger ,estão dispostos a matar Stephen Bonnet,e traçando planos para isso.
O mais legal é que nesse livro o sobrinho de Jamie volta ,trazendo com ele um registro que irá explicar muitas coisas sobre viajantes do tempo.
O livro é maravilhoso!! só me deixou com mais vontade de ler o próximo,que sabe la Deus quando chegará as livrarias.
"A mão de Jamie permanecia sobre a minha.Fez um pouco de pressão e eu o encarei,mas seus olhos ainda estavam fixos em algum lugar além das montanhas e das nuvens distantes .Sua mão pressionou um pouco mais e senti as bordas de minha aliança pressionando minha carne.
-quando chegar o dia em que tivemos que nos separar -disse ele baixinho,e virou-se para me olhar-,se minhas últimas palavras não forem "EU AMO VOCÊ",saiba que isso não aconteceu porque não tive tempo.

site: http://escreverdayse.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Patty 25/07/2012

Ótimo
Nessa segunda parte continuamos com as dificuldades de Jaime, Claire, Roger e Bri na vida nos Estados Unidos pré-revolução e a busca de Jaime e Roger para se vingarem de Bonet. Começamos a conhecer e se apaixonar pelo pequeno Jemmy. E Diana como sempre, ainda consegue nos surpreender no final.
Como toda a série até aqui, esse livro é ótimo, não tem como não se apaixonar!
Paty 25/03/2015minha estante
Nunca demorei tanto tempo para terminar de ler um livro. Cansativo


Stela.Anderlini 08/11/2016minha estante
Paty, gostaria de vender o livro?




Acordei Com Vontade de Ler 15/06/2017

A série Outlander é mundialmente reconhecida e amada por diversos fãs e, apesar de ser uma grande fã da série televisiva, o meu verdadeiro amor está nos livros escritos pela Diana Gabaldon.
Após o estupro de Brianna, a família está emocionalmente abalada. Afinal, ninguém sabe se Jemmy é filho do Roger ou do algoz da mocinha. E o grande problema está na possibilidade do vilão decidir ir atrás da criança. Mas essa questão não é o único problema abordado no livro.
Roger está gravemente ferido e após a batalha de Alamance, Roger, Brianna, Jemmy, Claire e Jamie retornam à Cordilheira. Roger também está emocionalmente abalado, especialmente por estar preocupado com o futuro de sua família.
Com esse clima pesado pairando entre a família, Jamie e Roger decidem tomar as rédeas da situação e ir atrás de Stephen Bonnet para conseguir a sua tão merecida vingança. Todos estão bem cientes dos riscos que essa perseguição implica, mas estão ainda mais cientes do perigo que Jemmy pode correr no futuro.
Porém todos são surpreendidos e uma grande reviravolta ocorre, fazendo com que Claire e Brianna tenham que lutar por suas vidas. É nesse momento que o leitor irá ver se Brianna conseguirá encarar seus traumas para lutar por aqueles que ama.
O livro também conta outras histórias, como a presença de outros viajantes. A possibilidade de existir outros viajantes no tempo comprova para Claire algumas teorias que ela vem realizando durante algum tempo. Tais teorias também abrem a possibilidade de uma fuga para Roger, Brianna e Jemmy se a situação fugir ainda mais do controle.
Além disso, ocorre o retorno de Laoghaire, que como sempre, tenta se interpor no relacionamento de Jamie e Claire. É interessante observar que o casal já passou por muitas situações horríveis e Claire claramente amadureceu seus sentimentos por Jamie e vice versa. É um amor construído em uma base sólida, que envolve confiança, amizade e companheirismo.

"Jamie faz parte de mim. Assim como você...Mas nenhum de vocês dois é toda a minha pessoa... Eu sou... o que sou. Médica, enfermeira, curandeira, bruxa... como as pessoas quiserem chamar, o nome não importa. Eu nasci para ser isso, e serei isso até morrer." (p. 190)

Não existem adjetivos o suficiente para elogiar esse livro. Diana Gabaldon mexe completamente com as emoções do leitor. Em um momento estamos sorrindo e logo em seguida, nos debulhando em lágrimas. É um enredo realmente especial.
A editora Arqueiro, como sempre, arrasou na edição. Revisão, diagramação e layout impecáveis contribuem imensamente para a leitura prazerosa que "A cruz de fogo" proporciona.

"Uma vaga sensação de conforto o tomou. Parecia que isso era tudo que ele precisava saber naquele momento. Qualquer outra coisa poderia esperar." (p. 109)

site: http://www.acordeicomvontadedeler.com/2017/06/resenha-cruz-de-fogo-parte-2-outlander.html
comentários(0)comente



Mari Siqueira 05/07/2017

Se a primeira parte de A Cruz de Fogo não havia trazido muita emoção e aventura à saga de Claire e Jamie Fraser, este segundo volume valeu a espera por algo mais empolgante. Com inúmeras reviravoltas, a vida pacata nas montanhas deu lugar a um turbilhão de perigos e acendeu uma cruz de fogo para nos preparar para o que vem por aí.

É incrível como Diana Gabaldon consegue reunir tanta história para contar. Cada volume da série Outlander - ainda na metade da publicação no Brasil - tem aproximadamente seiscentas páginas e, ainda assim, a trama se desenrola de maneira interessante. Com muito embasamento histórico e científico misturado com fantasia e misticismo, a autora traz em seu romance histórico uma riqueza narrativa ímpar e nos envolve com cada uma de suas palavras, mesmo que elas não sejam poucas.

Na continuação de A Cruz de Fogo, Claire e Jaime estão se preparando para as primeiras revoltas dos rebeldes contra a Coroa. Munidos do ponto de vista único de Claire, Brianna e Roger, a família Fraser tenta permanecer alheia às movimentações políticas, enquanto o conflito ainda não está bem delineado. Sabendo que o lado vencedor declarará independência da Inglaterra criando Os Estados Unidos da América que nós conhecemos, eles se preparam para o caos da formação de um novo país.

Brianna e Roger, um casal que não me agrada muito em contraste a Claire e Jamie, enfrenta uma das maiores dúvidas de sua chegada no século XVIII. A perspectiva iminente da guerra e os riscos que envolvem sua estadia nesse período turbulento da história faz com que a relação deles se abale e será preciso muito mais do que conhecimento histórico para mantê-los juntos.

Um Jamie mais maduro e forte aparece em A Cruz de Fogo. Relembrando os horrores da guerra e visando proteger sua própria família, o escocês retoma sua força adormecida em busca do Novo Mundo. O sentimento de vingança ainda paira no ar, por terem deixado Bonnet impune após suas atrocidades, Jamie e Roger planejam dar fim à vida do cruel marinheiro e fazer com que ele pague por todo o sofrimento que causou. Os perigos dessa empreitada são bastante evidentes, mas como dissuadir um homem das Terras Altas a desistir de sua honra?

Com um ritmo bem mais acelerado que seu antecessor, Diana Gabaldon coloca nosso coração à prova e arrisca a vida de nossos personagens favoritos. Em meio a um período conturbado e muito importante para a formação do nosso presente, Jamie Fraser e sua família tentam sobreviver ao futuro reescrevendo o passado. Milhares de páginas lidas e ainda não tive o suficiente de Outlander, como já dizia Claire, voltar das pedras é cada vez mais doloroso, assim como fechar as páginas do seu livro favorito.

"Coloquei minha mão sobre a dele, onde estava, pousada em cima da caixa. A pele dele estava quente por causa do trabalho e do calor do dia, e ele cheirava a suor. Os pelos de seu braço brilhavam ruivos e dourados ao sol, e eu entendi muito bem naquele momento por que os homens mediam o tempo. Eles desejavam fixar um momento, na esperança vã de que, ao fazer isso, o tempo não passe." (p. 181)

site: http://sobreamorelivros.blogspot.com
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2