O Livro dos Negros

O Livro dos Negros Lawrence Hill




Resenhas - O Livro dos Negros


35 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Mariana 01/01/2021

Um soco no estômago desde a primeira página. Excelente sugestão de leitura a todos, um misto da ficção e a realidade
comentários(0)comente



Alipio 19/10/2020

O Livro dos Negros
" Livros Negros " , é uma emocionante história de ficção, narrada em primeira pessoa pela protagonista Aminata Diallio, sequestrada ainda criança na África e vendida como escrava. O autor, Lawrence Hil, é sociólogo e estudioso da temática da escravidão. Apesar de ser uma obra de ficção, o contexto histórico foram bem pesquisados e traz informações interessantes sobre o período.
.

Aminata Diallo, uma senhora que experimentou as muitas vilolências da escravidão e a angústia de viver longe de seus filhos, foi levada à Londres, em 1802, por um grupo de abolicionistas para que através da sua história de terror, pudesse modificar a história de comércio de seres humanos, ou seja, a escravidão.
Ao dialogar com uma criança em uma escola londrina, curiosa pela cor de sua pele, Aminata entra no " clima" com respostas jocosas. Cria- se uma simpatia entre ambas e quando a menina pede para contá- la uma história de terror, Aminata responde: " ..Querida, minha vida é uma história de terror... "
A partir daí, Aminata Diallo começa a narrar a sua história desde o seu nascimento na aldeia de Bayo, África, onde tivera momentos alegres e felizes com os seus pais que a criara de forma atípica, considerando à educação que era dada as meninas muçulmanas ( ensinada a ler e escrever em Árabe), até o momento que a sua aldeia fora atacada por captores. Seus pais foram brutalmente assassinados e ela sequestrada e vendida como escrava na Carolina do Sul, até então, colônia britânica.
.
Aminata conta de forma envolvente e emocionante toda a historia de sua vida desde a sua captura até o momento em que é levada à Londres para contar a sua história. Durante a viagem pelo " grande rio " (Atlântico) , que os levariam ao seu destino, revoltas, mortes, infanticídios e barbaridades é presenciada e narrada detalhadamente pela protagonista que perdera toda a sua fé e sensibilidade pelos fatos ocorridos. A história não termina aí, o drama continua com sofrimentos marcados pela escravidão em solo Americano onde Aminata viverá situações marcantes e inesquecíveis.

O que tornava Aminata Diallo diferenciada era a sua habilidade de " aparar bebês ", ofício esse , aprendido com sua mãe em Bayo, inteligência, saber ler e escrever e a sua boa comunicação.

" (...) Como ele veio a se tornar meu dono, e de todos os outro? Perguntei-se se ele seria meu dono o tempo todo, ou apenas quando eu trabalhava para ele. Seria ele meu dono enquanto eu dormia? ou sonhava? " ..( p. 121)

O título " O Livro dos Negros" deriva de um documento histórico de 1783 e de mesmo nome mantido por oficiais navais britânicos ao fim da Revolução Americana. Para se conseguir fugir para Nova Escócia ( Canadá ) e lutar pela a sua Liberdade, era necessário " entrar nesse livro" e Aminata Diallo terá uma participação especial nesse processo. Na tão sonhada " terra prometida" o drama continua, mas não terminará lá, a saga continua, passando pelo projeto de criação da nova Colônia britânica de Freetown em Serra Leoa até a sua ida à Inglaterra onde contará a sua história ao comitê parlamentar londrino, confrontando os defensores do tráfico de escravos africanos que afirmavan que " a escravidão era uma instituição humanitária, que resgatava os africanos das barbáries cometidas em suas terras e gozavam da influêcia civilizada do cristianismo, para onde eram levados ....

.
....São 405 páginas de muitas emoções que nos prende da primeira à última página.





@livros.historia
comentários(0)comente



Taty 07/10/2020

PESADO DO INÍCIO AO FIM!
Aminata Dialo é uma das personagens femininas mais fortes que eu já li. em meio a tantas desgraças, fome, mortes, perdas, torturas... ela manteve o pé no chão, e nos ensinou que é importante amar, ter esperanças e acima de tudo ter fé em momentos felizes e difíceis da vida. livro engraçado em alguns momentos, triste em outros. com certeza se tornou um dos livros mais marcantes que já li.
comentários(0)comente



Gledsonnavibe 27/09/2020

No Meu Mundo
O Livro dos Negros conta a história de Aminata Diallo, uma das personagens femininas mais fortes
e marcantes da ficção contemporânea. Aminata foi sequestrada, ainda criança, na África, e vendida
como escrava na Carolina do Sul.
Após a Revolução Americana, ela foge para o Canadá e escapa da vida de escrava para tentar
uma nova história em liberdade. O livro traz uma história que nenhum ouvinte e nenhum leitor
esquecerão.
O nome “O Livro dos Negros” se deu devido ao documento histórico, mantido por oficiais navais
britânicos, ao fim da Revolução Americana. O documento oficializou os negros que serviram ao rei
na Guerra e fugiram para Manhattan, no Canadá, em 1783. Apenas os negros que estivessem no
Livro dos Negros poderiam escapar e conseguir sua liberdade.
Aminata Diallo percorre toda uma longa trajetória com a finalidade de conseguir entrar no livro dos
negros e conquistar sua liberdade.
A obra, marcante e inesquecível, tornou-se uma miniserie de sucesso nos Estados Unidos. Dirigida
e escrita por Clemente Virgo (The Wire) e protagonizada pela atriz Aunjanne Ellis e Cuba Gooding
Jr., vencedor do Oscar em 1996.

Tenho que começar essa resenha confessando que foi muito difícil encontrar uma forma coesa para escrevê-la, porque O Livro dos Negros é aquele tipo de obra memorável que nos transporta através de sua estória e faz com que cada palavra ou reflexão de suas páginas atinja bem o centro de nosso coração. Para mim foi uma experiencia única, começando pela atitude de Lawrence Hill em abordar de forma tão honesta e profunda a escravidão africana nas Américas, apoiando-se em experiencias vividas por seus antepassados que viveu aquilo que foi certamente um dos períodos mais horrendo e vergonhoso da história da humanidade. O livro se passa no século XVII e nossa protagonista é a inteligente e curiosa Aminata Diallo, sequestrada na África ainda criança e vendida para as Américas como escrava.

O livro se divide em quatro partes e dentro de cada uma dessas partes temos fragmentos do presente e do passado, conforme a Aminata dos dois tempos distintos nos transporta para dentro dos caminhos que a fizeram escrava e sua vida nas Américas como tal.

Nos trechos que descrevem a aldeia onde Aminata nasceu, Bayo, o autor pontua bem toda a diversidade e grandeza do continente africano. Sua miríade de dialetos, credos, e formas de existência diversificada. Toda a sua dimensão geográfica desconhecida pelo homem branco, os toubabus e até mesmo por aqueles nascido no continente, além de todo o espanto e choque causa por culturas tão distintas. Naquele período nenhum africano se reconhecia como africano,não entendiam tal definição e ainda hoje vivem sob eco dela. Algo que parece querer apagar todo o mosaico de etnias que existem no continente. Se você nasceu no continente americano, mais especificamente na América no Sul – Brasil, ninguém te chamará primeiramente como sul-americano, mas sim como brasileiro. O mesmo deve ser aplicado a África. Quem nasce na África, pode ser antes de tudo cangolês, angolano, nigeriano etc. A questão pode se aprofundar ainda mais quando vista a partir da dinâmica de uma divisão menor, como uma aldeia. Aminata por exemplo, até o fim se reconhecia como alguém nascida e pertencente a aldeia de Bayo, onde até o dia seu sequestro, ela vivia uma vida feliz ao lado de seus pais e para onde sempre sonhou em retornar.

REPORT THIS AD

Tragicamente separada de seus pais, Hill não nos poupa de todo sofrimento e humilhação ao que nossa protagonista junto com outros cativos é submetida. Sendo o ponto alto desse momento, a travessia pelo o que Aminata e seus conterrâneos conheciam como o Grande Rio e os europeus como Oceano Atlântico. A travessia pelo mar dentro de um navio negreiro é uma das passagens mais tristes, realistas e desesperadora desse livro. Brilhantemente, Lawrence Hill não deixou de apontar a importância e participação dos africanos no tráfico de cativos para América e como estudante de História, durante os vários fatos históricos descritos nesta obra, eu sempre buscava por uma inconsistência histórica, mas Lawrence foi extremamente crível em tudo o que se propôs a fazer.

Vendida como escrava na Carolina do Sul, Aminata precisou lhe dar com estupro, a quase morte de seu nome e crença, um tratamento humilhante que ela custou para entender sua natureza dura e preconceituosa, mas também encontrou amigos entre os seus, amou, aprendeu a ler clandestinamente, manteve vivo os ensinamento de seus pais e precisou se destacar para sobreviver e lutar por sua liberdade. Tornou-se uma viajante e por fim uma grande djeli ( um sábio contador de histórias em certos locais da África) que ela sempre sonhou. Obviamente que nada disso, justifica as provações pelas quais ela precisou passar e a própria personagem reconhece esse fato. Através de Aminata e seu estranhamento com a forma de ser dos brancos, o autor nos proporciona uma série de questionamentos reflexivos do tipo: Por que eles não plantam sua própria comida como nós em Bayo?Por que esse trabalho todo de nos enfiar em navios fétidos e nos trazer pra cá?Por que nos tratam assim?

É um livro repleto de trechos emocionantes que por muitos momentos me fizeram chorar sobre as páginas. Em outros momentos eu precisei dar um tempo do livro para digerir tudo o que estava acontecendo. Embora seja baseado em documentos reais e traga até mesmos personagens que de fato existiram, em parte não é uma história real, mas poderia ser tamanho é o realismo que possui. Com certeza um livro incrível, marcante e que trás personagens maravilhosos e que se propõe com sucesso a tratar do ponto de vista daqueles que sempre estiverem as margens da História. Depois de ler a trajetória de Aminata, tudo o que eu torço é para que surja na literatura mais livros como esse. Parabéns a Primavera Editorial pelo belo trabalho que fez traduzindo esse livro para o português e pela belíssima capa que ele possui. Texto @lucianagomesrj adaptação de texto @gledsonmartins revisado por @tatianecoelho.
comentários(0)comente



Li(ria) 22/09/2020

A esperança nos olhos de quem sofreu.
O ?livro dos negros? é um livro pesado, do começo ao fim. Ele conta a trajetória de Aminata, ou Meena, é uma história de superação e esperança, apesar de todo sofrimento que fica claro nos olhares que ela encontra pelo caminho. Meena passa por tanta coisa, por tantas perdas e desilusões e mesmo assim continua firme, com esperanças de que as coisas irão se ajustar e melhorar. Aprendi que às vezes, tudo o que precisamos é um abraço aconchegante, que o carinho de um querido é acalento para um coração cansado e o sorriso de uma criança é cola para uma alma despedaçada.
comentários(0)comente



Taiane Coelho 14/09/2020

Por se tratar da história de uma criança negra raptada do continente africano eu tive um pouco de receio ao iniciar a leitura. É sim muito detalhista, por mais que seja uma ficção ela tem um embasamento histórico que o autor apresenta ao final. No livro a trajetória de Aminata é cheia de detalhes, tudo o que ela passou e perdeu, a personagem é tão forte que em alguns monentos é dificil pensar que ela não foi real. Recomendo a leitura.
comentários(0)comente



Mgab.s 01/09/2020

O livro dos negros é uma obra muito bem escrita, que permite o leitor a se deleitar com a história, a se incomodar e compreender os processos coloniais, os afetos de forma sensível e as angústias psíquicas, vivenciadas pelos personagens negros nessa jornada dolorosa que se perpetua em diversos níveis até os dias atuais.
comentários(0)comente



Rita 28/07/2020

Aminata sofreu muito, desde a infância quando foi tirada da África e levada a América como escravizada. No entanto, mesmo com todo esse mar de atribulações, ela conseguiu superar todas as estáticas e se tornar livre. Além de uma abolicionista que lutava pelo direitos civis dos negros. Este relato é uma demostração clara de resistência.
comentários(0)comente



Rond 13/07/2020

Ficção histórica
Se você valoriza uma boa história com alto grau de verossimilhança com o ocorrido na vida real, este livro, bem escrito, fluido, vai te transportar para o século XVIII e te fazer compreender o quanto o comércio de africanos causou um dano irreparável na história da humanidade.
comentários(0)comente



Hana 29/06/2020

Sem palavras!
Que livro!
Conta a história de Aminata Diallo, uma mulher africana que foi roubada, traficada, escravizada, humilhada, abusada, diminuída, ofendida, descriminada, desrespeitada e que sofreu muitas perdas! Muito pesado, por todas essas questão já expostas, mas indispensável e relevante!
Um dos motivos que me faz apreciar muito o livro é a inserção de fatos reais dentro dessa história ficcional! Torna o livro ainda mais poderoso! E mais cruel ainda, por mostrar que muitos outros seres humanos passaram por experiências parecidas à da personagem por conta da escravidão!
Recomendo demais!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Thaís Furlan 13/06/2020

Real, forte e impactante
Apesar de misturar fatos reais com ficção, o livro é um relato perfeito sobre a escravidão dos africanos. Aminata conta, em sua narrativa, como foi retirada à força de sua tribo e levada para o ocidente num navio negreiro. Da infância até a velhice, narrativas de humilhação, dor, perda e experiência.
comentários(0)comente



Bex @eolivrolevou 31/05/2020

O Livro dos Negros
Aminata Diallo foi sequestrada, ainda menina, de sua aldeia na África e vendida por traficantes negreiros a um senhor de escravos na Carolina do Sul. Mas sua história não termina por aí, ela cresce e se torna uma mulher forte que nunca esqueceu suas raízes, que sofreu muitas tristezas na vida e que sempre soube ajudar as pessoas.
.
Acompanhamos sua história desde o seu nascimento, a grande caminhada de sua aldeia até a costa marítima com apenas 11 anos e presa a correntes, o seu trabalho escravo em uma fazenda de índigo e todas as reviravoltas que a sua vida dá. Vemos ela se apaixonar, sentir dor, ser escravizada, passar fome, sentir medo, ser mãe, tudo isso sem que a narrativa se torne cansativa.
.
Lawrence noa mostra fatos, acontecimentos e perspectivas sobre a escravidão que não nos passa pela cabeça. Como a escravidão é vista por alguém que nasceu livre, como a Aminata? Como era a travessia em alto mar nos navios negreiros? E quando as mulheres menstruavam? E quando algum escravo ficava doente? Quem fazia o parto de uma mulher escravizada? O que se passava pela cabeça de quem escravizava?
.
São questões pertinentes até hoje, para que possamos olhar para a história e não repeti-la novamente, porque até hoje existem pessoas sendo escravizadas pelo mundo e isso tem que mudar.
comentários(0)comente



Gabi 24/05/2020

Leitura essencial
É um livro perfeito. Me envolvi do início ao fim e admirei cada gesto da aminata diallo. Uma das melhores protagonistas da literatura
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



35 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3