Flávia e O Bolo de Chocolate

Flávia e O Bolo de Chocolate Miriam Leitão




Resenhas - Flávia e O Bolo de Chocolate


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Jana 11/04/2020

Tema importantíssimo
Acho que esse é o tipo de livro que toda família deve ter em casa. A história conta rapidinho sobre como as diferenças entre pessoas são importantes e nos fazem únicos, que ser diferente é bom. Adorei as ilustrações (tem muitos cachorrinhos!)
comentários(0)comente



Luna 21/04/2020

Pense num livrinho apaixonante! Nele temos uma mulher que sonha muito em ser mãe, mas a vida não lhe permite engravidar. Ela era uma pessoa boa e querida por muitos, mas a tristeza por não ter um filho ia tomando conta dos seus dias. Até que ela encontrou a solução perfeita: adotar uma criança que não tivesse mãe e que a quisesse. Foi assim que Flávia, ainda bebezinha, se tornou parte de sua vida, se tornou a sua filhinha. Quando a viu pela primeira vez, Rita (a mãe) percebeu que aquela era sua menina, pois se apaixonou por ela naquele instante.

Ao conseguir levá-la para casa, agora legalmente sua filha, Rita logo quis passear com a bebê e mostrá-la para todas as suas amigas, mas ainda que a maioria tivesse ficado feliz por ela, uma tratou de destacar as diferenças físicas entre as duas (a cor da pele) e dizer que seria impossível que aquela fosse a filha de Rita. Embora tenha ficado triste com a observação maldosa, que se preocupava mais com a diferença de cor da pele das duas, ela não se deixou desanimar e criou a filha com todo o seu amor. Elas aprendiam juntas, se divertiam, passeavam, eram muito unidas. Mas um dia...

"Flávia começou a chorar:
- Mãe, eu quero ser como você.
- Como assim?
- Não quero ser marrom!
- É mesmo? Por quê?
- Eu quero ser branca como você.
- Mas por quê? Você é linda do jeito que é, toda marronzinha - falou a mãe."

Mesmo a mãe mostrando o quanto ela era linda e incrível do jeitinho que era, Flávia não se deixou convencer. Na sua opinião ela era feia por ter a pele marrom e queria ser branca como a mãe. Disse que tudo o que era marrom era feio e nada no mundo a fazia pensar diferente. Será que não?! É aí que o livro fica MARAVILHOSO pela maneira única e sensível que a Rita faz a filha abrir os olhos e enxergar a beleza de ser como era. Não vou dizer como ela faz isso, pois eu amei descobrir lendo. Só posso dizer que se tornou um dos meus livros queridinhos!

site: https://www.emocoesaflordapele.com/2020/04/amoras-emicida-flavia-e-o-bolo-de.html
comentários(0)comente



Ana 10/10/2016

Para pais e filhos
Quem tem filhos adotivos sabe que às vezes somos questionados por eles a respeito das diferenças físicas existentes e, algumas vezes, as perguntas feitas nos deixam sem saber como respondê-los de uma forma simples e ao mesmo tempo que os satisfaça.
"Flávia e o Bolo de Chocolate" ajuda muito em relação aos questionamentos feitos especificamente a respeito da cor da pele ("Mãe, por que você é branca e eu sou marrom? Eu queria ser branca e não morena"). Para quem passa por essa situação, o livro é excelente! Com um texto simples e imagens que ajudam as crianças a verem que todos somos diferentes, é uma ferramenta que auxilia na hora de mostrar às crianças que o marrom é lindo!!
comentários(0)comente



Aline Marques 11/12/2018

Tão gostoso quanto uma fatia do seu bolo favorito! [IG @ousejalivros]
Ser igual a todos os outros facilitaria tudo. Certo?

Com isso em mente, certo dia, Flávia acorda chateada e, depois de muito pensar e comparar, decide que gostaria de deixar de ser marrom. Se ela fosse branca, pareceria mais com a sua mãe e deixaria de ter uma cor tão feia e sem graça.

Ora, desde o dia em que chegou em casa, apesar de todo amor, cuidado e diversão, teve sua aparência observada e repudiada. Como é que sua mãe não pensou que sua cor seria um problema?

Rita, para não contrariar a filha e fazê-la feliz, decide que elas irão abolir tudo o que é marrom de suas vidas, a começar pelo bolo de chocolate que a pequena tanto gosta. Mas se a cor a incomoda, não há nem o que discutir!

E é assim, se afastando de tudo o que é gostoso, divertido e indispensável (por que não?), que Flávia percebe que a vida precisa de diversidade. Com um novo olhar, nota que todos possuem características próprias e que não existe nada de errado em ser diferente.

As ilustrações de Brasil nos transportam para o aconchego das conversas da infância, aquecendo o coração e fazendo sorrir. O texto de Leitão é dinâmico e sensível, permitindo que os pequenos leitores reflitam sobre sua individualidade e importância, se divertindo no processo.

Um livro para ser lido e relido, compartilhado e exercitado, possibilitando que a empatia se espalhe e floresça.
E se for "servido" com um delicioso pedaço de bolo de chocolate, ninguém irá reclamar!

Leitura compartilhada a partir dos quatro anos e independente aos sete.
comentários(0)comente



Victor_leitor.mirim 01/05/2020

Bolo um tanto diferente ?
Gostei. Porque mostra que a cor das pessoas não importa, e sim o coração... Recomendo.
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5