Grey: Fifty Shades of Grey as Told by Christian

Grey: Fifty Shades of Grey as Told by Christian E.L. James




Resenhas - Grey


9 encontrados | exibindo 1 a 9


Katy 29/01/2017

Bom também
Assim como amei pelos olho da Anastácia gostei muito pelos olhos do Grey e conseguimos identificar o quanto ele realmente gosta dela, porque no 50 tons fica meio difícil de saber ao certo. Mas é bem uma cópia.
comentários(0)comente



Cintia 06/11/2015

pior do que os anteriores
Se E.L.James se saiu mal nos livros anteriores "grey", na minha opinião, foi o pior de todos ficou claro que a escritora não conseguiu escrever de forma masculina de forma que os pensamentos de Christian ficaram quase idênticos aos de Ana, ela deveria ter pesquisado e ter feito um livro com uma "pegada" mais masculina
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Gabi Gomes 20/09/2015

Because I'm fifty shades of fucked up, Anastasia.
Resenha completa em:http://equacaoliteraria.blogspot.com.br/
Foi uma surpresa para mim quando decidi ler esse livro. Nunca me interessei por 50 Tons, principalmente pelo assunto de sadomasoquismo abordado, algo naquilo me deixava incomodada. Felizmente, tentei dar uma nova change a história lendo pelo ponto de vista do Grey.
Nunca li um livro em inglês, e decidi começar por uma história que já conhecia, entretanto, nunca esperei me envolver tanto no livro como acabei ficando.
A história começa no mesmo ponto do primeiro livro, entretanto, agora podemos entrar na cabeça de Christian e ver tudo o que ele pensou desde o momento em que conheceu Anastasia na entrevista. Ele se mostrou um personagem muito mais complicado do que eu imaginava, e os flashbacks de sua infância nos faz ter uma ideia da vida conturbada que Grey teve.
É evidente a obsessão de Christian pela garota desde o começo, e seu desejo por torná-la submissa perdura até o final do livro, entretanto, a personalidade do personagem começa a mudar no momento em que inicia seu relacionamento com Anastasia.
Em muitos momentos, Grey abre mão de coisas que nunca faria apenas para manter Ana perto de si, e esses momentos românticos foram o ponto alto da história. As viagens no Charlie Tango, as trocas de e-mail...
Os pesadelos que Grey tem são bastante perturbadores pois mostram cenas de maus tratos e violência durante a infância e isso foi muito chocante. Com essas memórias entendemos muito da maneira como o personagem se comporta.
A narrativa da autora, mesmo em inglês me incomodou um pouco. As descrições eram vagas e as ações aconteciam muito rápido. Por algum tempo imaginei que estava lendo um livro de um inciante, não de uma das autoras mais famosas do mundo. Espero que a versão em português acabe modificando isso.
Outro ponto que continuou me desagradando foram as partes em que Christian levava Ana para o quarto do jogos (playroom na versão em inglês). A forma como as "torturas" agradavam Grey e o seu constante desejo de submeter a garota aos seus objetos de prazer me deixavam incomodada e até mesmo revoltada. Entendo que o livro revela todo esse mundo mas não gira completamente em volta do sadomasoquismo, e nem mesmo li os outros livros, mas a ideia de submissão e punições não foram de meu agrado.
Afinal, a vida de Grey foi muito conturbada e os fatores o levaram a ser assim, mas espero que nos outros livros seja explorada ainda mais a vida dele para que finalmente eu comece a entender o porquê de Christan gostar tanto de ser um Dominador.
Pretendo agora ler a trilogia de 50 Tons de Cinza também em inglês, e espero que a história acabe mudando minha cabeça.


site: http://equacaoliteraria.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Gisele 26/08/2015

Grey
Adorei saber que ele sempre foi muito apaixonado pela Ana:)
comentários(0)comente



Marissol.Oliveira 16/07/2015

Gostei...mas queria mais....
O livro é a visão dele do relacionamento c Ana, mostra seus desejos e pensamentos. Vale a pena fechar a trilogia com este ponto de vista...mas queria ver os conflitos até o final...
Será q ela vai escrever os demais...eu queria...rs
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Andreia Gomes 30/06/2015

Quem leu a trilogia vale a pena fechar
Confesso que estou pensativa ainda sobre o livro.

A autora não melhorou em nada sua escrita porem conseguiu construir um personagem fascinante.

Aqui veremos o ponto de vista do Sr. Grey, ao 1 volume da serie.

Algumas vezes peguei o 1 volume e li simultaneamente so pra ver os dois lados - Ana e ele - foi interessante, da pra concluir que muito insegurança rolo entre eles ao mesmo tempo.
Quando a Ana reclamava que ele ficava indiferente, ele estava pensando a mesma coisa dela kkkk

Enfim para mim serviu muito fechar alguns pontos da historia do 1 volume - pelo que dizem os sites internacionais a EL James ira lançar o volume 2 e 3 sob o ponto de vista de Grey.

Mas aqui temos uma boa visão da infância dolorosa dele, a manipulação de Elena (com dialogos entre eles - manipuladora ), e iremos descobrir também que o Sr. Grey apesar de todo aquele ar durão só queria uma coisa afinal: ser amado, mesmo não admitindo conscientemente isso.

Também se você tiver um pouco de sensibilidade vai conseguir saber porque a Ana chamou tanto a atenção dele, e digo que não foi só por aparentar no 1 encontro ser submissa, com o desenrolar da historia conseguimos notar sutilmente (principalmente pelos sonhos bons) o que ela tem.
Aqui também veremos um pouco mais do relacionamento do Sr. Grey com Leila, enfim quem leu os livros anteriores vai gostar de saber o outro lado da historia.

Recomendo a leitura.

No Brasil previsão de lançamento em 18 de setembro
comentários(0)comente



Livros e Citações 21/06/2015

Nada de novo
Autora: E.L. James
Editora: Vintage
Páginas: 576
Classificação: 2/5 estrelas

http://www.livrosecitacoes.com/review-grey-e-l-james/

Para os fãs de Cinquenta Tons de Cinza, devo informar que vocês provavelmente vão me odiar, mas eu preciso ser sincera quanto ao novo livro da E.L. James. Leiam por sua conta e risco, pois não tem como defender algo tão repetitivo assim. Se não bastava o primeiro livro, agora temos ele novamente em uma versão mais dark.

"Eu quero muito dela: sua confiança, sua obediência, sua submissão. Eu quero que ela seja minha, mas agora… Eu sou dela."

Grey, o mais novo livro da série, traz a história original pela mente do Christian Grey, um dominador que acaba se encantando pela virginal Anastasia Steele. Deixamos a deusa interior da mocinha e vamos entrar de cabeça (ou quase isso) no lado psico do rapaz.

É difícil dizer o que E.L. James pretendia com esse livro. Talvez assustar os seus leitores? Ou será que ela queria tentar justificar todos os atos que Grey durante os três livros? Não sei ao certo a ideia dela, mas posso dizer que errou e feio em qualquer uma delas. O livro é arrastado. O senhor dominador pode até não ter uma deusa interior, mas ele age como se tivesse. Em vários momentos, em seus pensamentos, a gente fica esperando que ele traga uma flor e faça um duplo twist carpado.

Eu não posso acreditar que ela disse isso! Ironicamente, até a minha própria família não perguntaria isso. Como ela ousa! Eu tenho uma vontade súbita de arrastá-la para fora do seu assento, prendê-la sob meu joelho, espancá-la, e depois transar com ela sobre a minha mesa com suas mãos amarradas atrás das costas. Isso iria responder a sua pergunta ridícula.

Não temos nada novo no livro, não temos uma justificativa plausível pro Grey ser quem ele é, porque vamos combinar, tudo que ele diz nesse livro é tudo que a gente já sabe desde que Cinquenta Tons foi lançado. Não adiciona nada a história, ou melhor, adiciona sim, adiciona um lembrete para todas as mulheres saírem correndo de um homem como ele. É perturbador acompanhar os pensamentos dele, a forma como ele acha que Anastasia vai se comportar, a forma como ele a persegue e pressiona. C-R-E-E-P!

"Eu não sei ser de outra forma, Anastasia. Isso é o que eu sou."

Tenho uma teoria de que se caso a autora tivesse lançado essa versão primeiro, provavelmente não teria sido o sucesso que foi, pois eu tenho fé que poucas mulheres colocariam que esse cidadão é perfeito ao ler algo assim. Além disso, a autora continua com os mesmos problemas; texto repetitivo, aquele vocabulário pobre e volto a repetir, nada de novo na história. Os diálogos sobre o trabalho de Grey são um ponto alto nas mais de 400 páginas que somos levados a ler.

Uma observação que vale mencionar é Elena ser uma vilã desde o primeiro momento. Ela controla Christian, ou melhor, ela tenta. E isso é visto durante um de seus diálogos, o que é bem interessante. Acho que é o melhor ponto do livro, poder ver um pouco da relação dos dois.

Outro ponto que podemos falar desse livro é que finalmente sabemos de fato quem é o Grey: um cara que teve um começo complicado, mimado, rico e que não sabe ouvir não.

“Because I can.” I grin. Sometimes it’s just fucking great to be me.”

Leiam e tirem suas conclusões. Se a primeira versão já não me agradou muito, a versão dominadora foi pior além da conta. Era de se esperar que E. L. James melhorasse na escrita, infelizmente não foi isso que aconteceu. Grey serviu apenas pra gente ter mais certeza que Anastasia era inocente demais pra Greylandia!

site: http://www.livrosecitacoes.com


9 encontrados | exibindo 1 a 9