O Refúgio do Marquês

O Refúgio do Marquês Lucy Vargas




Resenhas - O Refúgio do Marquês


56 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Vanessinha 07/09/2019

Um bom romance de época.
Caroline é uma jovem viúva que recebe a missão de administrar a casa de um marquês sob ordens da mãe do moço que é sua parente distante. No início do livro Caroline não entende o abandono da casa, a falta de empregados e os motivos da esposa do marquês não sair do quarto.
Aos poucos a autora vai nos mostrando que a marquesa tem severos distúrbios psiquiátricos e algo parecido com anorexia. Caroline consegue trazer luz para uma casa nublada e deixa sua marca no lugar.
O enredo explora bastante o contexto social da época e faz críticas muito pertinentes ao que era socialmente aceito. É uma escrita fluida e a trama se desenrola bem.
comentários(0)comente



Thaís Gomes @folhasemlivros 21/03/2019

Caroline Mooren, a Baronesa de Clarington, uma jovem viúva destemida, com um passado doloroso, recebe a missão de reformar a mansão Bridht Hall e talvez o marquês que lá mora também.

O Marquês de Bridington é um homem com um bronzeado escandaloso, sem modos e que já está fora dos padrões da sociedade londrina por viver tanto tempo no campo, fugindo dos fantasmas do seu passado e com uma marquesa que está doente, vive em cima de uma cama e tem raros momentos de lucidez.

Uma mansão caindo aos pedaços, um marquês selvagem e um mistério. Juntos, Caroline e Henrik se completam e acendem a chama da paixão, que ambos acreditavam estar completamente extinguida, trazendo à tona segredos e temores que ambos escondem.
-
Já começo avisando que me apaixonei pela escrita da Lucy! A cada página lida fui transportada para outro mundo com um romance delicioso, terno, construído aos poucos e por uma protagonista maravilhosa que me fez perder a noção do tempo com sua personalidade forte, porém doce.

A história é envolvente e tão bem construída que quando você menos espera, segredos são revelados e que sim, deixaram-me de boca aberta! A trama é divertidissima, as alfinetadas entre Henric e Caroline são impagáveis, além dos criados espirituosos que só nos garantiram cenas hilárias. Mas calma aí, o mocinho não é casado? Sim! E digo mais, não é cafajeste, nem nossa mocinha é uma destruidora de lares. Os dois são cheios de conflitos e mágoas do passado, e acabam mergulhando em um mar de sentimentos.

A autora nos presenteou com um romance de época diferente dos padrões, com alternância magnífica de romance, humor e drama. Com certeza O refúgio do marquês é um dos livros mais arrebatadores que li nos últimos tempos!

Mais resenhas no Instagram @folhasemlivros
comentários(0)comente



Duda 07/03/2019

Uma história que não me prendeu. Terminei só por curiosidade mesmo.
Deacon 14/03/2019minha estante
Isto não é resenha, é opinião! Não compreendo a necessidade da pessoa postar um troço desse: é para sujar as avaliações do autor? Aparecer de algum modo? Leia em volta e veja como são RESENHAS.




Talita 12/02/2019

Duas pessoas que esqueceram a arte de viver
Caroline é uma viúva que perdeu tudo, mas ela sabe que perdeu muito antes disso. Forçada a se casar com um barão inconveniente que armou tudo para obter o casamento que queria, ela perdeu sua liberdade e sua dignidade foi junto. Depois de passar dois anos sozinha, ela resolve ir embora já que o próximo barão quer a sua casa de direito, e ela não quer ficar perto de mais um daquela família, então, sendo assim, aceita o trabalho oferecido pela marquesa viúva de cuidar da propriedade de seu filho o marquês de Hilton.
Henrik está cansado, nunca em sua juventude, ele se viu cuidando de uma filha sozinha, enquanto sua mulher está trancada dentro do quarto, sendo louca. É uma situação a qual ele já devia ter se acostumado, já que 5 anos se passaram sem nenhuma melhora. O fato é que ele não precisa que sua mãe convide uma mulher para cuida da administração de sua casa, já que sua esposa não se encontra em perfeito estado.
Os dois, com suas brigas instigantes e senso de humor bastante provocadores, acabam se aproximando, ao ponto de já não saber mais se é uma simples amizade ou um amor que não poderia ter nascido naquela situação. Henrik esconde um segredo, uma coisa que sua mulher fez que o tornou tão sombrio e distante, Caroline esconde sua tristeza e incerteza sobre si mesma.
Henrik e Caroline formam um casal que torcemos mesmo sabendo que não é certo, mesmo sabendo que no momento não será possível, a filha de Henrik, Lydia, é o que torna o livro engraçado e muito açucarado. A situação que foi imposta aos dois torna a história triste e absurdamente apaixonante que nos faz avaliar o que significa amar verdadeiramente.
Devo dizer que a mulher de Henrik, Roseane, é louca, mimada, perversa, e louca de novo, porque ela é demais, e o que ela fez e o que vem fazendo durante todos os anos é perverso além do limite e só me fez querer arrastar ela pra bem longe, talvez o Alasca .
Enfim, os dois são incríveis, são fortes, e me emocionou saber que depois de tudo o que passaram, tem esperança de um futuro melhor.

"- Eu estava definhando por dentro de novamente, a cada dia longe de você - ele disse, olhando-a de perto. - Mas não sei como pode me aceitar depois de tudo o que aconteceu.
Henrik soltou o queixo dela e seus dedos tocaram seu colo, sobre a marca da tesourada que devia tê-la matado. A manga do vestido cobria a marca leve em seu ombro, mas, se olhasse bem, poderia ver a outra em seu braço.
- Chama-se amor, Milorde. Aprendi com você"
comentários(0)comente



Amanda Caldeira 01/12/2018

Diferente do que eu pensei!
Bom, começo dizendo que esse livro não é nada igual ao que eu imaginei ao ler a sinopse. Pensava num livro com um romance avassalador, com uma pegada mais hot, mas qual foi minha surpresa ao me deparar com um romance bem construído, com uma premissa romântica e um amor construído, de início platônico e pouco egoísta. Realmente curti...
Lady Caroline casou muito jovem depois de sofrer uma armadilha de um filho de Barão na sua primeira temporada. Ela odiava seu marido e quando ele morreu e a deixou sem nada, não foi nenhuma surpresa. Acontece que ela era parente distante da marquesa de Brindington e a mesma a convida para "consertar" a vida do seu filho, o atual marquês.
Henrik ou Lorde Brindington, o marquês, é um homem armagurado. Sua mulher enlouqueceu, rejeitou a filha e fez da vida dele um inferno desde que eles se casaram há 6 anos. Sua casa está uma bagunça, ele se esforça para não sentir nada, exceto carinho pela filha. De repente ele chegou um dia e deu de cara com uma mulher jovem sendo deixada em sua casa pela mãe. Num primeiro momento ele queria que ela fosse embora, mas depois de alguns dias e de ver o efeito positivo na filha, ele resolveu deixá-la ficar e ajudar.
Aos poucos eles começam a se entender e uma atração surge entre eles. Mas devido a presença e doença da marquesa, o relacionamento deles é impossível. No início a atração era quase platônica e mesmo quando eles "se renderam" as coisas não foram avassaladora, mas seguiram um curso tão natural que achei lindo demais.
A escrita da Autora é fluída e apesar de achar o começo um pouco arrastada, quando peguei o ritmo segui sem sentir, praticamente virei a noite sem reparar. Como o título sugere, é um refúgio desses romances sem pé nem cabeça com aquelas premissas "olhei, gamei", me lembrou bastante aqueles romances de banca que eu tanto amava. Enfim, realmente recomendo!
comentários(0)comente



Andrea 18/08/2018

Apesar da lista enorme de livros para ler, não estava inspirada para começar nada novo, então o que raramente faço, resolvi reler o Refúgio do Marquês, é um livro leve, fofo, com um pouco de drama e loucura. A marquesa viúva cansada de ver seu filho sucumbir, chama uma parente distante e viúva para reformar a casa do Marquês. Como já era esperado, entre enfrentamentos, discussões eles se apaixonam, mas tem a marquesa bem louca e vizinhas invejosas para atrapalhar esse amor (que ao meu ver é bastante morno)...no final como todo romance tudo termina bem. O livro é gostoso de ler, apesar de ter ficado com a impressão de algumas faltas, vale a leitura
comentários(0)comente



LT 28/07/2018

Olá, tudo bem com vocês? Espero que sim!

Para quem acompanha o blog, não é segredo para ninguém que sou a "Lady" do grupo – só que não. Brincadeiras à parte, acredito que sou uma das mais viciadas no gênero e conheci os romances de época da Lucy Vargas através de uma amiga, Andrea, que me indicou as obras da autora. Comecei lendo uma outra série da Lucy, e "Os Preston" ficaram por mais de 8 meses na estante, esperando para serem lidos.

Agora me pergunto: por quê demorei tanto para ler? A série é tão gostosinha. Mas, sem mais delongas, vamos lá, vamos conversar sobre "O refúgio do Marquês"!

"O refúgio do Marquês" nos trás um enredo carregado de sentimentos, de emoções, reviravoltas, desconfianças, medos, paixões, dor, alegrias, lágrimas e uma menininha que arrebata nossos corações e não nos devolve mais.

A história se passa na Inglaterra de 1804, nas terras do Marquês. Não vou me prender a contar muito do enredo, pois a sinopse já o faz o suficiente, então vamos ao que achei da história e as sensações que ela me despertou.

Gostei muito dos personagens, eles são bem construídos e nos conquistam com facilidade. Sim, temos nesse enredo uma mocinha forte e desafiadora, de língua afiada e que está disposta a fazer aquilo para que foi chamada: dar vida as terras daquele marquesado, ela só não imaginava que as intenções de Lafy Hilde, a marquesa viúva – mãe de Henrik, o Marquês e avó de uma menininha sapeca – estavam muito além de um trabalho...

Gostei da forma com que Lucy nos cativa com sua escrita, da maneira com que nos apresenta os personagens, e do modo com que um lida com o outro ao decorrer da trama. Os "mistérios" não são difíceis de desvendar, conforme lemos, vamos compreendendo tudo com facilidade e, confesso, desde o início você já ama alguns personagens e quer matar outros. Dá uma vontade GIGANTE de tirar Lydia, a menininha danada da casa do Marquês, colocar no colo e nunca mais deixar voltar para lá.

A atual marquesa é o que se pode chamar de monstro, em todos os sentidos, ainda assim, acredito que ela tenha um sério distúrbio, porém, eu queria que ela pagasse por seus crimes, de um modo muito pior do que o qual ela mesma impôs a si, claro que ela o fez sem perceber – aquela louca – risos. Ainda assim, com o que ela faz a filha, principalmente, não dá para perdoá-la e seu desfecho, confesso, desejei que fosse cruel – me julguem!

Sempre costumo dizer que, quando se trata de romances de época, a gente já pode imaginar qual será o final, mas que, no entanto, a forma com que o enredo caminhará até o desfecho é o que faz me apaixonar pelas histórias, sem contar a época nas quais se passam, que me encantam e me prendem. Não tenho jeito, sou uma romântica nada delicada mas que ama um bom romance de época, e O refugio do Marquês se enquadra nessa categoria com perfeição.

Para quem gosta de uma mistura intensa de intrigas, romance, romance proibido, crianças fofas, uma sogra e tanto, mocinhas desafiadoras e um Marquês terrível? Esse livro é para você, com certeza! Aqui, se encontra de tudo um pouco. Histórias doloridas, momentos gostosos, momentos quentes mas sem exageros – aliás, gosto disso na Lucy, ela não costuma exagerar nas cernas eróticas e as encaixa apenas onde cabem, sem forçar a barra –.

Prepare-se para odiar e amar, uma história divertida, encantadora e gostosa. Personagens cativantes e que adoram fugir as regras de seu tempo – família danada – haha. Uma autora que tem uma escrita fluída e leve, e que consegue nos fazer rir até em momentos inadequados, bem, se você gosta ou quer se aventurar por um bom romance de época, leia essa série, prepare-se para rir no meio da madrugada!

Lucy despertou inúmeros sentimentos em mim, ao decorrer dessa leitura, estou encantada e apaixonada, querendo partir para a leitura do próximo volume e ansiando para ver mais dos nossos protagonistas, estou torcendo para que eles participem bastante de "Uma dama imperfeita" para não me deixar na saudade.

Quanto a edição, a Charme nos trás o seu melhor estilo: simples e bonito. A capa é bonita e condiz com a descrição de Caroline – personagem super cativante e pela qual, creio eu, todos vão se apaixonar facilmente –, a fonte é boa, em bom tamanho, e a edição conta com folhas amareladas, somada a escrita fluída da autora, tudo nos leva a devorar o livro. Temos algumas pequenas falhas na revisão, nada que atrapalhe a leitura.

Um livro despretensioso, no entanto, lido, que nos proporciona uma avalanche de emoções. Na minha opinião, 4 estrelas e que vale a pena ler! Que venham muito mais de "Os Preston"!

[QUOTE] "Eu já li tanta coisa na vida, Caroline. Para alguém como eu, sempre à procura de um refúgio, a leitura é o mais alto castelo que existe." [...]

Resenhista: Ana Luz.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Cris Paiva 25/05/2018

Foi a minha experiência com a escrita da autora, e posso dizer que no geral eu gostei.
O Refúgio do Marques é uma reescritura de Jane Eyre, dá para reconhecer vários elementos, como o mocinho sorumbático, a criança largada, e a esposa louca no sótão.
Caroline é a parente pobre que foi contratada pela Lady Preston para retirar o filho do buraco onde ele se enfiou e reformar sua mansão caindo aos pedaços, e arrumar uma pretendente para ele, enquanto espera a sua atual esposa, a louca do sótão, morrer.
E ela assume a sua obrigação mesmo que precise passar por cima das vontades do Marques, Henrik, se valendo de sua situação de “convidada” (mesmo que esteja recebendo um salário). E é claro, que durante a sua estada na mansão ela também vai acabar se apaixonando perdidamente pelo marquês, mesmo ele sendo casado.

Eu gostei da história, mas algumas coisas me incomodaram. A autora escreveu um romance de época inglês, mas não tomou os cuidados necessários com a ambientação. A mocinha é muito despachada, todos se tratam pelo primeiro nome há outras coisas que acontecem que são muito fora do lugar para um romance desse tipo, mesmo é claro, que não se trate de uma reconstituição nem nada assim. Só achei fora do lugar para o tipo de história a ser contada. Acho que autora poderia tomar mais cuidado com esses elementos na próxima história da série.
Monica 25/05/2018minha estante
E vc adora mocinhos sorumbáticos né? kkk


Cris Paiva 25/05/2018minha estante
Adooorooo!!! Mas achei esse povo moderninho demais pro meu gosto.


Neide 28/05/2018minha estante
a Lucy Vargas tem problemas com ambientação mesmo, já li outros dela que senti a mesma coisa em relação ao 'despachamento' do povo. Esse tá na minha lista...


Deacon 14/03/2019minha estante
Sua avaliação é interessante.




Drica Bitarello 12/02/2018

Uma história inesquecível!
Eu sempre tive a convicção de que determinados livros - assim como acontece com pessoas e situações - procuram a gente no momento certo de nossas vidas. Eles chegam no exato instante em que precisamos deles, seja para nos dar alegria, seja para nos fazer ver o mundo de outra forma, seja para resgatar coisas que temos guardadas e que precisamos elaborar dentro de nós. "O Refúgio do Marquês" teve esse efeito em mim!
O livro estava comprado desde o meio do ano passado, mas ficou aqui na estante. Li outro da Lucy nesse meio tempo, além de outros livros dos mais variados gêneros e autores. Daí resolvi encarar o Marquês durante meu "retiro de Carnaval". Pronto! Fiquei grudada nele uns 3 dias. Só não li mais rápido porque estou trabalhando no meu próprio livro, e precisei dividir o tempo. Mas esta última noite foi para devorá-lo até o final.
O texto da Lucy Vargas, como sempre, é muito fluido. Ela consegue costurar muito bem cenas leves, bem-humoradas e românticas com outras mais pesadas e dramáticas.
O fio condutor é a história de Caroline, a jovem, empobrecida e viúva Baronesa de Clarington. Ela é acolhida por sua parente distante, Lady Hilde Preston, a Marquesa-Viúva de Bridington. A velha senhora a envia a casa de seu filho, Henrik, o atual Marquês, numa missão de reformar a mansão decadente e, talvez, seu próprio filho.
O sofrido Henrik vive como um recluso no campo, junto com a filha Lydia e a detestável Roseane, a Marquesa. Esta última vive acamada há muitos anos e é o pivô de todos os sofrimentos dos habitantes de Bright Hall.
Ops! peraí? O mocinho é casado??? Bem, é aí que a coisa começa a tomar um rumo bem diverso do que habitualmente se vê nos romances do gênero. Porque Lucy consegue, com esse mote, tirar a gente da zona de conforto. Caroline não é nenhuma "destruidora de lares", nem Henrik é o arquétipo do cafajeste. E Roseane está a anos-luz do modelo santa-esposa-traída. Eles são todos muito humanos, cheios de conflitos, de mágoas, tristezas e mazelas. Para quem consegue ler nas entrelinhas e realmente mergulhar no drama vivido por Henrik e Caroline, o livro é realmente tocante. Tudo o que você quer é ler até o final e torcer para que eles consigam superar todas as barreiras que os impedem de serem felizes. Ao deixar o olhar hipócrita e puritano de lado, vemos uma situação que pode acontecer com qualquer um de nós, humanos que somos.
Eu comecei a ler esse livro sem muitas pretensões, apenas para me divertir e curtir o texto de uma excelente escritora nacional. Mas ele me surpreendeu e me causou uma verdadeira catarse emocional. Por isso ele entrou para meu rol dos favoritos!

site: https://catalivrosromances2.blogspot.com.br/2018/02/nacionais-2018-4-o-refugio-do-marques.html
comentários(0)comente



Vitorinha 29/12/2017

O refúgio do Marquês
Achei a história bastante esgaçada, o pano de fundo é bem interessante mas se torna maçante, o livro poderia ter sido condensado em metade das páginas.
comentários(0)comente



Jayy.Cardoso 24/12/2017

Simplesmente lindo!
Um romance calmo, mas com uma pitada de humor e intrigas. Foi muito gostoso e de ler. Com certeza o lerei de novo.
comentários(0)comente



cris.leal.12 09/10/2017

Não há dor que o amor não cure...
Em “O Refúgio do Marquês”, de Lucy Vargas, vamos acompanhar o encontro de duas almas solitárias: a jovem viúva Caroline Mooren e o sombrio Henrik Preston, o marquês de Bridington.

Caroline é viúva do barão de Clarington com quem casou a contragosto, depois que ele armou uma cilada onde ela ou se casava ou veria sua reputação ir para o lixo. Marcada pela má experiência, ela está decidida a nunca mais se envolver com homem algum. Henrik é um homem de aspecto selvagem, que vive recluso no campo na companhia de poucos empregados, da filha Lydia e da esposa Roseane, uma mulher doente dos nervos, que está supostamente à beira da morte, há cinco anos.

Caroline recebe de Lady Hilde Preston, a Marquesa viúva, mãe de Henrik, a missão de acabar com a bagunça que reina na casa dele, arranjar criados, mandar limpar tudo e servir boas refeições. Dar um jeito para que o lugar e o próprio marquês estejam aptos a receber visitas, pois ela planeja arrumar para o filho uma nova esposa.

Caroline aceita a missão e muito dedicada logo conquista o respeito dos empregados, a confiança da mãe do marquês e a amizade de Lydia, a quem oferece a atenção e o carinho que a pequena não recebe da mãe. Já Henrik não a quer por perto. Seu desejo é permanecer longe da vida social, refugiado na própria casa, atormentado por antigos medos e segredos. Mas, a determinada Caroline insiste em ficar e eles acabam interagindo naturalmente. Esta aproximação tira o marquês do torpor em que vivia, e o leva a se interessar cada vez mais por Caroline, que desperta nele sensações há muito esquecidas. Por sua vez, Caroline se vê mais e mais atraída pelo marquês, que desperta nela sensações nunca antes sentidas.

“O Refúgio do Marquês” é um romance de época encantador, uma história de superação muito bem construída, com personagens intensos que se envolvem aos poucos e se completam. Além disso, tem diálogos inteligentes e divertidos, e reviravoltas que dão ótima movimentação à trama. Ao final fica a lição: não há dor que o amor não cure. Gostei e recomendo.

site: http://www.newsdacris.com.br/2017/10/eu-li-o-refugio-do-marques.html
comentários(0)comente



Nív 22/09/2017

Tô muito apaixonada pela escrita da Lucy Vargas. Pela primeira vez, em muuuuuito tempo, que eu não devorava cada pedacinho de um romance de época. A ultima vez foi com O chá do amor (QUE É LINDO E O FAVORITO DA MINHA VIDA, LEIAM!!!)
Sabe, não foi aquela coisa irracional que acontece na maioria das vezes e que em TODAS as vezes me fazem revirar os olhos de PREGUIÇA, tipo, ahh a mocinha viu o mocinho e dane-se o resto blabla o mundo parou blabla o cabelo dele ao vento blabla... NÃO! Foi um amor como deve ser: construído com o tempo, com ações, demonstrações etc, não foi uma coisa irracional e possessiva (como os mocinhos costumam ser). Gostei muito de como a razão foi levada em conta e por isso apaixonei tanto pelo livro ;)

QUERO TODOS OS LIVROS DESSA MULHER
dclp to nervouser
Bruna 23/09/2017minha estante
Fiquei curiosa, quando estiver no clima pra romance de época, lerei :)


Nív 23/09/2017minha estante
Bruna, é um livro gostosinho de ler! Espero que goste (:




Book.Obsession 30/08/2017

Já estava com esse livro para resenhar há um tempinho e como amo romances de época resolvi parar para escrever um pouquinho sobre essa história que eu tenho certeza que você irá se apaixonar.

A trama gira em torno de Henrik, o Marquês de Bridington e Caroline Mooren, a Baronesa de Clarington.

Após a morte de seu marido, Caroline, a então viúva do barão de Clarington começa a passar seus dias solitários e com dificuldades, até que recebe um convite da marquesa Hilde Preston, para cuidar de alguns assuntos da propriedade, como a reforma e a organização dela.

Caroline tem um grande desafio quando começa a perceber a dinâmica da casa e nota que atrás do homem de beleza marcante há um marquês que carrega um fardo que é o seu casamento e que vem se arrastando a cada ano que passa, deixando a mansão cada vez mais sombria e vazia. Mas se depender das ideias da marquesa e com a ajuda que ela deseja de Caroline, isso poderia mudar.

“Mas depois de cinco anos assim, já não conseguia mais se reconhecer. Sentia-se oprimido sob um peso que nunca ficava mais leve. Não carregava os céus, como Atlas, mas já não sabia se a pesada opressão vinha da idade, do tempo, dos seus erros ou daquele segredo que morreria com eles.”

Nos planos da marquesa está a ideia de trazer vida ao ambiente para que assim possa casar seu filho novamente, já que a esposa que vive em uma cama e não demonstra um pingo de sanidade, pelo contrário, toda vez que pode ela, destila sua raiva desmedida em torno de todos principalmente de sua filha. E com a chegada de Caroline, ela surta.

Na verdade, Henrik também não gosta de como as coisas estão agora se apresentando para ele, porém quando as mudanças começam a ocorrer ao longo dos dias muita coisa pode acontecer.

O difícil será convencer sua mãe de que ele não precisa procurar o que já está diante de seus olhos.

Caroline aos poucos vai quebrando as barreiras e encantando o marquês com seu jeito. Mas é claro que a autora não iria deixar a leitura tão fácil assim né, pois ela dá pitadas em torno de toda a trama e em alguns momentos nos vemos roendo os cantinhos dos dedos de tanta ansiedade para o futuro desse casal.

Não foi meu primeiro contato com a escrita da autora, mas sim o primeiro com ela escrevendo o gênero. E foi uma grata surpresa pois o livro é encantador e envolvente do início ao fim.

Um romance de época muito bem estruturado, de leitura fluída, apaixonante e com uma dose de humor. Os personagens além de terem diálogos inteligentes, tem química e podemos ainda acompanhar o amadurecimento deles, principalmente de Henrik.
Vale também ressaltar duas personagens secundárias e que fazem toda a diferença na trama, a Marquesa Hilde e Lydia, filha de Henrik. Essa pequena simplesmente me arrebatou com seu jeitinho.
Se você ama romances de época e ainda não leu essa história, se jogue nessa leitura.

“Agora você é o meu refúgio e, com certeza, o mais belo.”


O refúgio do Marquês é o primeiro livro da série Os Preston e foi lançando pela editora Charme. A notícia boa é que o segundo livro, Uma dama imperfeita, foi lançado esse ano e está disponível em todas as livrarias e sites do país.


site: http://bookobsessionresenhas.blogspot.com.br/2017/08/resenha-o-refugio-do-marques-os-preston.html
comentários(0)comente



Ketlyn.Silva 27/07/2017

Refúgio!
Não pude acabar de ler o livro um acorde de cavalheiros e deixar de pesquisar e emendar em mais uma história da Lucy, gente essa mulher sabe realmente o que escreve. Encantada, diferente do outro livro O Refúgio do Marques nos leva a uma história onde está longe de ser sexy mais não deixa nada a desejar. Narrativa leve e muito envolvente, não consegui largar nem um minuto.
comentários(0)comente



56 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4