Meu Clichê

Meu Clichê Ana Vitola




Resenhas - Meu Clichê


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Silvia.Souza 21/12/2017

Muito longo e meio maçante...
Os personagens são ótimos... A gente até ri nos diálogos, mas confesso que o livro ficou muito longo e maçante... Para terminar tive que pular muitas partes é ler apenas os diálogos...
comentários(0)comente



Di 05/05/2017

Romântico
Leitura romântica com personagens que cativam o leitor.
comentários(0)comente



sentilivros 17/05/2016

resenha de Meu Clichê
"Eu tinha, na minha adolescência, essa fase. Sonhava que um dia encontraria um príncipe encantado que me tirasse todo o medo e o peso da alma e me faria a mulher mais feliz do mundo."
Meu clichê é um livro diferente. Você pode me perguntar: - Como assim Andreia?
A verde é que ele tem vários clichês, mas como a autora os abordou é que inova. Aqui os personagens românticos centrais não tem que encarar um desafio que os separa e faça-os voltar a redenção. E apenas por isso ele já se torna diferente. mas eis que não é apenas isso.
Então vamos ao que interessa...
"Aprendi que em um relacionamento não h´apenas um 'eu' e sim um 'nós' e nos manter unidos é uma grande parcela para enfrentarmos todos os desafios."
O livro nos conta a história de Su. Uma menina órfã criada pelo tio, que a adora, e que com seus próprios esforços consegue fazer um negócio que cresce a cada dia. Ela é Organizadora de Festas.
Ela junto com sua vaca Elis (carinhoso apelido trocado entre as amigas) vão vivendo suas vidas sempre juntas. Elis a ajuda com o buffet dos eventos e ainda mantêm sua clinica. Ela é Nutricionista.
Em uma dessas festas eis que uma pessoa deixa o celular. Carla, garçonete de Su, entrega a ela o aparelho e esta tenta entrar em contato com o dono. Porém, nessa hora, o dono chega todo bravo e mal educado para cima dela que não deixa por menos.
"Não sei como isso tudo aconteceu na minha vida. Há uns dias estava em casa pensando no que fazer para passar o tempo da minha vida entediante e monótona. Agora estou prestes a me entregar de corpo e alma a uma pessoa que com um estalar de dedos pode me destruir."
Esse homem é um modelo chamado Noah que até então nunca tinha sido tratado desse jeito por mulher alguma.
"Minha vida mudou, desde o segundo que a vi, e continua a mudar. Sempre para melhor. Cada dia ao seu lado me mostra uma faceta nova de tudo que estava perdendo antes dela entrar em meu mundo."
Su é uma mulher gordinha que devido a maus tratos por parte da tia (mulher com a qual o tio casou após 7 anos de tê-la adotado) é difícil para ela aceitar seu corpo e confiar em alguém.
Noah é um ex modelo que após conhecer Su e descobrir a mulher guerreira que é tenta melhorar seu caráter tentando deixar de ser fútil e preocupar-se apenas com aparências, para reconhecer o que realmente tem valor na vida.
Elis é uma louquinha que sabe quem é.Ela é a lealdade em pessoa. Uma personagem encantadora.
O livro trata sobre orfandade, adoção, amadurecimento, música, aceitação, câncer, amizade, amor e principalmente esperança.
Eu queria contar tudo sobre o livro, mas que graça teria? Então eu desejo que leiam o livro.
"Amizade é isso,mesmo com brigas para querer o melhor uma da outra, temos que aceitar quando não querem o nosso conselho. Respeito, cuidado e confiança acima de tudo."
Su só deixou Elis, seu tio e as crianças do orfanato fazerem parte de sua vida, sempre rotineira e certinha, mas com a entrada de Noah em sua vida e mais a doença de Yago ( um menino do orfanato) sua vida vira um tumulto de emoções, recordações e mudanças. Aqui a palavra de ordem é Esperança.
"Sei que ainda falta muito, mas de uma lagarta dentro de um casulo para virar uma borboleta e voar na vida, meu processo de metamorfose já está quase concluído."
Um livro lindo, reflexivo e que nos dá a certeza que somos capazes de mudar o mundo quando amamos verdadeiramente.
O que mais amei no livro é que poderia ser uma história de verdade, pois o que eles precisam enfrentar são os dilemas cotidianos, lógico que tem uma certa dramaticidade em tudo, até porque o livro aborda temas "tabus" como adoção, câncer, estética. mas, tudo com muita consideração e respeito.
"A chuva caindo, os raios e os trovões, nossas declarações, sem muito enfeite. Parecia uma cena do Nicholas Sparks, só espero que o final desse livro não haja lágrimas."
P.S.: Já leram alum livro da Eliana Portella? Eu adoro essa escritora *-* e a escrita da Ana me lembra um pouco a da Eliana, pois ambas transportam o amor para seus livros sem que haja a necessidade de grandes desenlaces para que este vença sempre.
P.S.1: A maior parte do livro é narrado pela Su, mas algumas vezes podemos "ver" pelos olhos do Noah e percebemos o quanto este homem é maravilhosos apesar de não se ver muito assim. A única certeza que tem é seu amor por essa mulher que virou seu mundo.

Recomendadíssimo!

site: http://sentimentonoslivros.blogspot.com.br/2016/05/meu-cliche-ana-vitola.html
comentários(0)comente



Kess.Nogueira 07/02/2016

"Su não usa manequim 38, não segue tendências, nem finge ser quem não é. Diz o que tem que dizer, sendo sincera sempre, doa a quem doer. A vida sempre foi dura com ela, o que a transformou numa mulher forte e que aprendeu que nada cai do céu.

Ela prefere morar sozinha... Ou quase sozinha, afinal divide seu “cafofo” com Gato, seu gato de estimação. Sua melhor e inseparável amiga Elis, também é sua sócia. Conheceram-se ainda na faculdade e nunca mais se largaram. Ambas passaram por muitas dificuldades financeiras, mas conseguiram se estabilizar."

Veja a resenha completa no blog!

site: http://carpediemliterariobr.blogspot.com.br/2015/10/meu-cliche-ana-vitola.html
comentários(0)comente



Livros Encantos 09/11/2015

São tantas emoções que esse livro me trouxe que não sei vou conseguir colocar todas em palavras.
São tantas emoções que esse livro me trouxe que não sei vou conseguir colocar todas em palavras.

Su é uma personagem muito autêntica, é independente até demais, não se vê dependendo de ninguém, muitas vezes até parece grossa mas esse jeito delicado de ser guarda um coração enorme .Tem um gato que se chama gato rs.
Sua amiga Elis é sua parceria, totalmente doidinha, alegre, carismática, ama doces,extrovertida e amiga para todas as horas . Uma amizade linda e verdadeira.

Su vai conhecer Noah quando ele esquece seu celular em um dos eventos, ele é modelo, daqueles que sempre teve tudo o que sempre quis.
No primeiro momento ambos vão brigar afinal Su não leva desaforo para casa, eles brigam,
Mas Noah não irá desistir fácil, ele se encantou com o jeito de Su, e a chama para sair.
Assim começa nossa linda história de amor, superação e muito aprendizado.

Logo Noah e Su começam a se ver mais, ele continua investido nela, porém ela ainda sua auto estima está baixa, com tem curvas se acha gorda e como alguém lindo como Noah poderia se interessar por ela ?
Ele não desiste e começam um relacionamento.
O amor de ambos foi construído com base nas afinidades e confiança.

Noah sempre teve uma vida boa, mas ao conhecer a Su percebe que quer mais da vida além de ser modelo, Su dá aulas de música em um orfanato, ele passa a dar aulas de inglês se achando muito mais útil. E ainda tem um cachorro lindo chamado JB.
Elis é uma personagem secundária maravilhosa, ri em muitas cenas com essas amigas que se chamam de vaca, não é a toa que ganhou um livro só dela, a família de Elis é hilária, uma avo surda, pais maravilhosos que abraçaram Su como um membro da família.
Yago é um menino lindo do orfanato de muita importância na história e terá uma grande batalha a vencer no livro.
Teremos a família de Su, um tio e uma esposa bruxa que irão ser fundamentais na trama e uma cena com a Tia foi perfeita bati palmas de alegria.

Nossos protagonistas irão passar por muita coisas para enfim estarem em paz, com seu relacionamento, a cada página eu queria mais .
Não entrei com muitos detalhes para não estragar a surpresa da autora.

O final do livro é lindo e comovente .

Esse é um daqueles livros que irá entrar para a lista de meus favoritos, eu amei os risos soltos que a autora fez brotar.
A construção dos personagens foi bem construída, são personagens simples assim como eu e você que batalhamos, que temos nossos medos, segredos mas não deixamos a peteca cair.
Gostei muito de como os protagonistas cresceram juntos, Su é uma guerreira amei, sua garra, sua doação ao que acredita, e como deixou seus medos para trás e se entregou ao amor, foi em busca da felicidade ao lado de Noah.

Noah também evoluiu muito aprender a dar valor as pequenas coisas, a cada conquista mesmo sendo pequena. Foi um homem que não desistiu, conquistou Su de todas as formas e a ajudou a superar muitas coisas.
Me emocionei com muitas cenas com Yago , Su e Noah, quando vi as lágrimas escorriam ainda mais eu sendo mãe.

A autora soube destacar a importância dos momentos simples o que me ganhou, aquela alegria momentânea de rir com situações simples, como encher a máquina de sabão em pó e alagar a cozinha e acabar rindo e brincando .
Isso se chama felicidade, ela está ali nos momentos simples de nosso dia a dia e devem ser vividas e compartilhadas.

Noah é lindo perfeito até demais, mas é real com seus defeitos e aceitou Su como ela é, ambos cresceram e irão crescer ainda mais como pessoas. Esse casal de protagonista me conquistou pela afinidade, confiança e amor .

A autora abordou temas de suma importância no livro como bullying, adoção, Leucemia, retrata como muitas vezes a mulher com mais curvas fica com a auto estima abalada, sem deixar a leitura ficar pesada, abordou de maneira leve e emocionante.
Amei a escrita da autora, ela é do sul e usa o "Tu" o que estranhei um pouco, mas nada que atrapalhasse a fluidez da leitura, o livro é grande mas confesso que perto do final, eu não queria que terminasse já me sentia triste e com saudade de personagens tão marcantes, que trouxeram muitas emoções.

A capa está linda, li em e-book.

site: http://www.livrosencantos.com/2015/10/meu-cliche-ana-vitola.html
comentários(0)comente



dayukie 31/10/2015

Quer um livro romântico, sem precisar ser Hot e ter personagens engraçados, malucos e lindos?
Um livro que foge do padrão e aborda assuntos interessantes, além de ser leve e gostoso de ler?
Então, que tal conhecer Meu Clichê da Ana Vitola?
Eu li no Wattpad e não me arrependo segundo nenhum! Foi tão gostoso conhecer o Urso Polar, as Vacas e poder entrar no mundo maluco deles.


Confira a resenha completa lá no blog!

site: http://goo.gl/WrHMOa
comentários(0)comente



Livros do Coração 02/10/2015

Resenha do Blog Livros do Coraçao
Sue Morelli é uma jovem decidida, independente, insegura e com uma grave problema de baixa auto-estima, oriundo da criação de sua "madrasta", a Cruela. Ela vive uma vida pacata, sem sal, 81JCPlzVjeL._SL1500_contentando-se com a rotina de trabalhar e voluntariar-se num orfanato. Tem um gênio difícil, é rude com os rapazes e não tolera a menor aproximação de gente desconhecida. Seu único contato é com a amiga Elis, a família de Elis, O Tio de Su, sua equipe de trabalho e o pessoal do orfanato e basta! Ela é promotora de eventos, das boas, e gosta de controlar absolutamente tudo. Na verdade, ela é uma garota sofrida, órfã, que foi criada por um tio muito amaroso mas que era casada com uma mulher ruim, que a maltratava frequentemente psicologicamente.

Noah é um modelo que está em fase de despedida. Ele não quer mais viver naquele ambiente fútil e ilusório do mundo das aparências. É um bom rapaz, com bons valores cansada da vida que ela e das pessoas que o cercam. Em uma festa esquece seu telefone encima da mesa em que estava e, quando volta a procura dele, é Su quem o encontrou e no momento tentava localizar o proprietário. Irritado e arrogante não esperava encontrar naquela mulher alguém que o enfrentaria e lhe mostraria qual é o seu verdadeiro lugar.

"(...) - não te ensinaram que é falta de respeito mexer no celular dos outros sem sua permissão?

(...) - não quando se quer descobrir quem foi a inteligente pessoa que esqueceu o maldito celular em um evento e ainda quer chegar colocando ordem na casa! (...)"

A partir desse primeiro encontro, Noah fica enfeitiçado e insiste em ter Su ao seu lado. Mas, aproximar-se dessa pessoa reclusa, retraída e desconfiada é uma tarefa extremamente difícil, o que pra ele se torna particularmente um desafio.

O relacionamento deles se desenvolve devagar, num tempo próprio, primeiro como conhecidos, depois como amigos, depois mais que amigos, até que se tornem oficialmente namorados. Ambos revelam seus medos, seus traumas, suas angustias mas, o pilar do relacionamento é Ele, que não desiste em momento algum dela, mesmo quando ela tenta se esquivar ou fugir.

Quando as coisas parecem estar entrando nos eixos, eis que Yago, surge na vida do casal. Ele é um menino do orfanato que conquistou o coração de ambos e que, no momento, terá o maior desafio de todos: a luta pela vida! e o casal Su e Noah terão papel principal no apoio a essa luta. Yago pra mim aparece como um fator que vai unir mais ainda o casal. Embora essa parte do livro seja meio triste, com uma grande carga dramática.

Com um enredo ora cômico, ora dramático e completamente apaixonante, Ana Vitola criou uma estória que nos mostra que a família transcende os laços sanguíneos e o que amor pode chegar quando menos se espera. Que um tipico rapaz lindo e bem sucedido, o típico Clichê, na verdade pode surpreender, revelando-se um grande cara de família. Uma estória linda, que te faz suspirar, chorar, torcer, rir, enfim, um misto de sensações. Destaque para Elis, a amiga vaca que ganhou um carinho especial. Eu particularmente me envolvi muito nessa história, lendo com o coração na mão, ansiosa pelo desfecho e, ao final, muito feliz. Eu me apaixonei pela história e espero que vocês também! Meu clichê de clichê na verdade não tem nada!

Atualmente disponível apenas em E-book o livro será lançado impresso pela Editora Bezz em breve.

No Wattpad, você encontra o livro que conta a história da Elis, Por acaso, clique aqui para acompanhar essa estória.

site: http://www.livrosdocoracao.com.br/?p=4869
comentários(0)comente



Blog Virando a Página 03/07/2015

Lindo, engraçado e super leve
Hoje vou falar sobre um livro que chegou de mansinho e ganhou meu coração: Meu Clichê, da autora supeeer simpática Ana Vitola. Infelizmente não acompanhei o livro pela plataforma do Wattpad, mas minha curiosidade vinha me corroendo faz tempo, afinal, que raio de vacas são essas? Não entendeu? Vem que você vai entender...

Meu clichê foge – e muito – de muitos enredos que estamos acostumados a ver por aí. Aqui tem uma mocinha fora dos “padrões”, sensível igual a um coice de mula (me identifiquei completamente com esses coices hehehe), tem uma amiga totalmente doidinha da silva, e elas se chamam carinhosamente de vaca. Gente, quem tem AMIGA de verdade sabe que é assim mesmo o tratamento, é muito amor envolvido. Tem um mocinho totalmente sem noção, ele é quase o Johnny Bravo, mas que vai arrancar muitos suspiros. Tem animais de estimação fofinhos, uma criança que vai abalar suas estruturas e tem muito, muito amor. Mas não é só amor entre homem e mulher não, é amor ao próximo, amor pela família, amor pelos amigos, um amor incondicional, que me fez mais apaixonada pelo livro.

Su é uma mulher bem resolvida, sarcástica, guerreira, determinada, tem um coração que cabe o mundo inteiro, é totalmente esquentadinha, não leva desaforo para casa e também não tem medo de uma boa luta. Por fora ostenta um escudo que a faz indiferente e forte, mas por dentro carregas marcas que tem mais peso do que parece. Aos cinco anos de idade, Su ficou órfã, e só não foi para um orfanato, porque seu tio Theu a acolheu, deu um lar e muito amor. Porém, dois anos depois ele se casou com Regina, vulgo Cruela, que fez da vida da menina um inferno. Su sempre foi acima do peso, e com isso era alvo das humilhações da “tiadrasta”. Ela vivia em seu mundinho particular, onde se dedicava ao que mais gostava: a música, esse era seu único refúgio. Regina sempre a tratou mal, sempre a agredindo com palavras e a ameaçando, mas isso tudo piorou quando a megera não conseguia engravidar. Seu tio sempre apaixonado pela mulher vivia alheio ao tormento que a sobrinha passava. O tempo passou, Su cresceu e tratou de se libertar de todo esse terror. A humilhação não deixou marcas em seu corpo, mas deixou em sua alma. Durante a faculdade ela conhece Elis, uma menina linda e louca, mas que tem um coração enorme, totalmente proporcional à maluquice. A partir daí, as duas constroem uma amizade forte, duradoura e altamente blindada.

Hoje Su é promotora de eventos, que a cada dia vem crescendo e se firmando no mercado. Sempre junta de Elis, conseguiu se levantar sozinha e conquistou sua tão sonhada independência. Vive em seu apartamento com o Gato, seu gato. Rá! Quanta originalidade Su... Ela é uma workaholic, totalmente dedicada ao trabalho, o único momento que não está enfurnada nele é quando está dando aulas de música no orfanato, ou quando sua amiga louca não a arrasta para algum lugar. Su leva uma vida “tranquila” e organizada. Na vida amorosa é um desastre total!

No término de mais um evento, Su encontra um celular esquecido. No intuito de achar algum número que possa ligar para encontrar o dono relaxado, ela começa a vasculhar o telefone. Nessa hora o dono aparece e resolve ser o mais mal educado possível. O dono do celular e também de uma arrogância enorme tinha os olhos mais lindo que Su já vira. Mas não se engane, isso não foi o suficiente para Su deixar passar o desaforo. E com seu jeitinho doce ser, ela coloca o bonito em seu devido lugar.

O bonito e arrogante em questão é o Noah, um modelo inglês de 34 anos. Ele está passando por uma crise existencial (acho que podemos dizer que é isso), com a “idade” avançando, ele acha que está faltando alguma coisa na sua vida. Esse mundo de badalação e sucesso vem perdendo cada vez mais a graça. Ele cansou de ser mais um rostinho bonito. O Noah é um cara totalmente sem noção, é fútil, mimado e prepotente, mas que vai te conquistar, pode ter certeza. Quando ele conhece toda a doçura da Su (só que não), ele fica encantado. E a partir desse primeiro encontro, ele já vai se chegando e entrando sem pedir licença na vida dela. Daí nasce uma amizade, e dessa amizade nasce o amor. Mas olha, o Noah merece um prêmio, por que a Su não deu mole não, ela deu uma canseira nele. Os dois, sem querer, vão mudando em prol do outro. A relação deles é de constante guerra e paz, amor e ódio, mas é linda que só. E para adicionar mais amor nessa louca mistura, eis que entra o Yago.

Yago tem sete anos, é órfão e vive no orfanato onde Su dá aula de música. Ele é um ótimo garoto, aprende rápido e tem um gosto muito parecido com o da Su: a música. Talvez por isso, ela goste tanto dele. A vida dessa criança vai passar por um período difícil, e Noah e Su vão travar uma batalha árdua pela vida do garoto. E olha que essa guerra foi complicada, pois lutar contra um câncer não é nada fácil. Acho que este é o ponto mais dramático do livro, mas foi lindo demais. Eu já passei por um caso desses, e sei o quanto é difícil. Se já é doloroso para um adulto, imagina para uma criança indefesa e que mal começou a vida. Mas com muito amor, perseverança, luta e amizade, a dor se torna mais suportável.

Gente, não posso deixar de falar da louca da Elis. Para mim ela foi o destaque do livro. A doida às vezes parece que tem cinco anos de idade, e me fez gargalhar em plena madrugada. Ela é aquela amiga que você pode contar para tudo e todas as horas. Ela é nutricionista e trabalha com a Su nos eventos realizados pela promotora. Ela vive ao lado da Su, apoiando, incentivando e tirando a sua paz. Tem uma bondade imensa no coração, ajuda a quem precisa e luta pelo o que acha certo. Adorei essa personagem.

Um livro leve, divertido, fluido e de fácil leitura. Mesmo abordando assuntos importantes como o bullying e o câncer, o livro não perdeu a sua leveza. A trama é bem desenvolvida e super agradável. De um jeito todo seu, Meu Clichê nos mostra o poder do amor verdadeiro, aquele que é altruísta e benevolente, nos mostra o poder da amizade, da compaixão, da bondade, da doação, da fé e da esperança. Os personagens são incríveis, engraçados, alto astral e com certeza marcantes. Uma leitura muito gostosa e mais do que recomendada.

Confira a resenha na íntegra no blog.

site: http://www.cheirodelivronacional.com.br/2015/06/resenha-meu-cliche-ana-vitola.html
comentários(0)comente



8 encontrados | exibindo 1 a 8