Sonhos em tempo de guerra

Sonhos em tempo de guerra Ngugi wa Thiong'o




Resenhas - Sonhos em tempo de guerra


25 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Book.ster por Pedro Pacifico 26/02/2020

Sonhos em tempo de guerra, de Ngugi Wa Thiong’o – Nota 9/10
Apesar de ser considerado um dos principais nomes da literatura africana contemporânea, nunca tinha lido nenhuma obra do autor. Resolvi começar por seu livro de memórias, especificamente memórias da sua infância e juventude.

Thiong’o nasceu em uma região rural do Quênia, na década de 40, e foi criado com base nos costumes e tradições das gerações antepassadas. Sua mãe, uma figura extremamente presente ao longo da vida do autor, era a terceira das quatro esposas de seu pai.

E é a partir da visão de uma criança nascida em uma família poligâmica no interior do Quênia que o leitor acompanha as mudanças que o colonialismo traz na vida de Thiong’o e dos que estão à sua volta. É um contraste, percebido em pequenos detalhes, entre os costumes da população local e o “novo” conceito de civilização trazido pela colonização britânica. Essas mudanças impostas pelos colonizadores vão ser percebidas dentro da própria casa, nas escolas, no idioma falado, na religião, nos jornais e em diversos aspectos da vida cotidiana.
A história do Quênia no período colonial e dos movimentos de resistência que surgiram em busca da independência está dissolvida de forma sutil ao longo de toda a obra. É um daqueles livros em que se aprende sem nem mesmo perceber!

Além de relatar suas memórias de forma envolvente, o autor conseguiu transmitir ao leitor de forma muito real o processo de perda de identidade do povo colonizado. É o sentimento de não pertencer a uma cultura, de perder as terras em que vive e, como mencionado pelo próprio Thiong’o, de se sentir como um “forasteiro” em seu próprio país. “Sonhos em tempo de guerra” é um relato autobiográfico inspirador e que ensina muito ao leitor não só sobre fatos históricos, mas também sobre a resiliência e determinação do ser humano. .

“A crença em si mesmo é mais importante do que intermináveis temores acerca do que os outros pensam de você. Valorize-se, e os outros irão valorizá-lo. A melhor legitimação é a que vem de dentro.”

site: https://www.instagram.com/book.ster/
comentários(0)comente



Camila.Santos 22/03/2021

O violento colonialismo inglês no Quênia sob a perspectiva de uma criança
Pela premissa pode-se imaginar que seja um livro sobre guerra, violência, medo, pobreza e sofrimento. E de fato, esses são elementos inevitáveis num contexto como a brutal invasão do colonialismo inglês no Quênia. Mas essa biografia vai muito além disso. É também uma história sobre a infância do autor, pobre e difícil sim, mas também alegre e cheia de magia e de descobertas, como é a mente de toda criança. É uma história também sobre luta e resistência. Sobre ver as mudanças trazidas pelos colonizadores e as tentativas de manter ou reinventar suas próprias tradições, para sobreviver a tudo isso. É um mergulho profundo na cultura e cotidiano da região de Limuru, no Quênia, em meados do século XX, onde descobrimos um estilo de vida que é, ao mesmo tempo, muito diferente do nosso, mas que também guarda muitos elementos semelhantes com uma infância pobre que poderia ter sido vivida no interior do Brasil, por exemplo, na mesma época.
Essa é uma história sobre amor familiar, sobre comunidade, sobre esperança, e mais do que tudo, sobre sonhos. Ngugi wa Thing'o conta a sua história inspiradora pra nos mostrar que é possível sonhar e buscar seus sonhos mesmo nos tempos mais adversos, mesmo na pobreza e na guerra. E no final, se você der o seu melhor, se tiver uma família que te apoia e um bocadinho de sorte, tudo vai dar certo.
F. Naurú 22/03/2021minha estante
Entrou pra lista




Tuyl 07/10/2020

Um bom livro, que retrata de forma singela uma realidade que não conhecemos.
comentários(0)comente



Vilamarc 02/07/2021

De quantos obstáculos se constrói um sonho?
Esse é daqueles livros que seus últimos 20 ou 10% justificam toda a sua dureza.
É um livro de memórias de infância, ambientado numa África do final do século XIX até a primeira metade do XX. Você vê The Crown?
As lembranças trazidas aqui nos dão conta de uma África e de um Quênia colonial e neocolonial, envolvido em disputas internas, de constantes expropriações territoriais, de desenraizamentos, deslocamentos e usura das terras pelos brancos europeus recompensados pelas vitórias na I e II guerras mundiais.
São fragmentos de lembranças familiares de uma criança que viria a ser um dos eternos nobeláveis, Thiong'o.
A história narrada de sua família poligâmica retrata a diversidade de posições tomadas pelos quenianos em meio aos reveses da política local, tendo ele, irmãos no exército real e na outra ponta, nos guerrilheiros do movimento Mau Mau.
Nesse meio, o sonho da criança Ng?g? de frequentar a escola, enfrentando desde a fome, problemas de saude, cegueira, abandono familiar, o peso das tradições, perseguições políticas, discriminações étnicas e sociais.
Um relato que nos recoloca a necessidade de investir e de acreditar na Educação como força de transformação individual e coletiva.
comentários(0)comente



Camila 15/08/2020

Emoção em todas as linhas
Meu primeiro livro de Ngugi e que me faz querer conhecer todos os seus outros. Do inicio até a metade do livro pude perceber as histórias variando, como pequenos e imensos contos de diferentes fases que faz entrar na dinâmica do livro e se emocionar muito. Da metade pro final, comecei a perceber que Ngugi estava aos poucos, enquanto a história ia em uma trajetória linear, se despedindo. Senti que o final do livro estava perto, ainda que faltasse metade, escrevo isso pra dizer que é um livro em que nenhuma página traz tédio, ou monotonia. Pelo contrário, no fim de cada capítulo, queria que as páginas pudessem se multiplicar.

Como ouvir histórias contadas por alguém, por seus familiares, ou por amigos, ou histórias que escuta em algum lugar? Como ouvir de verdade? Sem querer saber com precisão, mas captar a essência, os sentimentos expressados e deixados ali. O autor não traz essa reflexão expressa, mas é a primeira e principal coisa que me marca nesse livro.
Então tem as vivências e sonhos contextualizados em uma realidade diferente das que conheço, que trazem fatos históricos, hábitos, palavras e ideias novas e interessantes. Tem a energia de uma comunidade, os sentimentos de uma família expansiva, os sentimentos que são, em sua maioria, apenas sentidos, vistos, admirados, expressos, são percebidos por Ngugi, em seus diferentes momentos e idades, e espelhados no livro.
Tem a infância que me trouxe saudade e me fez emocionar em todas as páginas. Mais que tudo, tem muita sabedoria e força de viver e de sonhar.
comentários(0)comente



Lucas Cotô 31/07/2015

Ngugi Fascinante
Conhecer sobre a África e qualquer canto dela é como conhecer um pouco mais sobre nós (brasileiros). Apesar das diferenças, há milhares de semelhanças.

Ngugi retrata o Quênia de sua infância, meados de 1940 até 1960, de forma singela e contundente, mostrando como uma criança via e compreendia tudo o que ocorria ao seu redor.

O Quênia neste período sofreu diversas modificações graças ao domínio colonial que ocorreu em 1920, feita pelos britânicos. Essa invasão trás diversas modificações, não somente políticas como também culturais, interferindo diretamente na infância de Ngugi.
A primeira interferência vem da apropriação que os britânicos fizeram da terra, deixando somente um pequeno espaço para sua família que mal dá para a subsistência. Sendo assim, necessitaram trabalhar para sustentar a casa. Há outras modificações como a introdução de uma nova língua (o inglês) e a criação de escolas religiosas.

O livro vai retratando como é sentida essas transformações na vida e no cotidiano de Ngugi que intensifica-se a partir do momento em que ele sela um pacto com sua mãe.
comentários(0)comente



Mari 02/08/2020

memórias de infância
É um livro de memórias que conta a busca obstinada de uma criança por educação.
comentários(0)comente



Rafa 26/08/2021

Esse é o seu melhor?
Sim, o autor, Nugi wa Thiong'o escreveu esse livro da melhor forma possível.
Todos os percalços enfrentados desde sua tenra infância, passando por dramas familiares e conflitos sociais, moldaram no autor uma mentalidade capaz de superar qualquer desafio.

NOTA: 9 / 10

Ngugi wa Thiong'o é um autor de rara técnica. Perceber isso é muito fácil, tendo lido as 50 primeiras páginas de seu livro, já é possível chegar a essa conclusão. No livro, "Sonhos em Tempo de Guerra", o autor narra sua trajetória de vida, em seus primeiros anos de infância em um Quênia conturbado, vivendo entre conflitos políticos e bélicos. Mesmo diante de enormes dificuldades, o pequeno menino descreve momentos de descobertas infantis, brincadeiras e ingenuidades, que somente a pureza das crianças nos permite proporcionar. Uma escrita muito sensível e informativa, situando o leitor com o contexto em que a história está inserida.

Ngugi jamais fora protagonista em todas suas fases de vida narradas no livro, entretanto sempre foi atento com o contexto e extremamente comprometido com os estudos. Armado de bondade e livre de quaisquer pensamentos danosos, Ngugi, de seu modo, venceu as batalhas e guerrilhas enfrentadas no Quênia, na década de 50.
Contrariando todos, o frágil e educado menino se fortaleceu diante das dificuldades e conseguiu seguir com seu sonho, mesmo em tempo de guerra. Um exemplo de como o estudo e a educação podem impactar no desenvolvimento social.
comentários(0)comente



Nélio 12/05/2021

O livro é um relato memorialista da vida do seu próprio autor, o queniano Ng?g? wa Thiong'o, desde sua infância até ser aprovado em um Exame Africano Preliminar. Este exame permite seu ingresso em uma Escola de Ensino Médio, o que praticamente garante o acesso ao Ensino Superior. Apenas 5% dos inscritos conseguiam ser aprovados.
Em meio à sua vida de sofrimento e fome, ele vai nos mostrando como é crescer em um país ocupado pelos britânicos. O processo de colonização e a necessidade de atitudes críticas perpassam sua constituição de cidadão e de escritor com tal força que naturalmente notamos seus desejos de aprender e de questionar o mundo.
O brilho do autor reside, sem dúvida, no fato de não sabermos qual o limite entre o literário e o real em sua obra. O sujeito da literatura (o garoto personagem) é modificado pelo escritor da obra, que lapida suas memórias e seus sonhos por meio de uma linguagem literária cujo resultado é uma narrativa sobre a qual não sabemos afirmar se é real ou ficcional. Uma maravilha de se ler!
Sem dúvida, é uma leitura relevante para quem deseja conhecer vozes e histórias que são frequentemente silenciadas ao nosso redor.
comentários(0)comente



Duda (@livrai.me) 26/05/2020

Que livro visceral! Super indicado para expandir horizontes. Acredito que nunca tinha lido um livro queniano e as reflexões que o autor faz sobre as instabilidades políticas do Quênia, sobre essa luta anticolonial é muito interessante para entender melhor o país, além de que não é só reflexivo, ele cita muitas datas e acontecimentos importantes para o país que não temos acesso na nossa educação eurocêntrica. É bonito demais a forma como a educação mudou a vida do autor, inspirando a nós, leitores, a também querermos sempre fazer o melhor que pudermos.
comentários(0)comente



Letuza 08/09/2020

Uma viagem para o Quênia
Ng?g? wa Thiong'o nasceu em 1938 no Quênia e é professor universitário, dramaturgo e escritor. No livro Sonhos em tempos de guerra, ele conta um pouco de infância, seu desejo de aprender, suas aventuras com os irmãos, as relações com a família e suas impressões sobre a guerrilha que tomou conta do país na década de 1950.
??
Ng?g? wa Thiong'o é o quinto filho da terceira esposa do pai. Sua infância foi vivida em uma propriedade dividida entre as quatro esposas de seu pai. A vida era dura, mas equilibrada. O pai, pouco participou de sua educação. Seu maior desejo era estudar e vestir o uniforme. Quando sua mãe proporciona a oportunidade de estudar, ele, cheio de orgulho, se dedica ao máximo. Sua mãe, muito sábia, sempre pergunta: ?Você fez o melhor que poderia fazer??
??
Estudando Ng?g? começa a entender o mundo, seu país, que era colônia do Reino Unido. Começa a questionar o ensino apenas técnico, para que os colonos não pensassem, só executassem. Começa a questionar a doutrinação religiosa, imposta pelos colonizadores ?caridosos?. Ele percebe que estudar, ler e escrever lhe dava poder, lhe dava chance de lutar por um mundo melhor. Ele passa a acompanhar a situação política e econômica do país, mergulhado na guerrilha. Mortes, desaparecimentos, censuras começam a fazer parte do seu mundo. Seus ?heróis? mudam e passam a ser os revolucionários, aqueles que lutavam pela independência e pela liberdade do seu querido Quênia.
??
Esse é um livro que mostra a importância da educação e do pensamento. Mostra como a educação pode transformar o mundo e como a vontade de aprender supera todas as dificuldades.
?- Me promete que não vai me envergonhar se recusando algum dia a ir à escola por causa da fome e de outras dificuldades?
- Sim! Sim!
Eu teria prometido qualquer coisa naquele momento.?
comentários(0)comente



Ferreirinha 30/06/2017

Emocionante
Nessa história o autor descreve detalhes de sua vida até a chegada ao Ensino Médio. O menino que quando sua mãe resolve abandonar seu pai é rejeitado pelo mesmo e precisa se readaptar a uma rotina de vida longe dos irmãos dos outros casamentos do pai. Passa por períodos difíceis de guerra mas mantem firme o acordo feito com sua mãe: nunca desistir dos estudos.
Com um final emocionante e tão dramático quanto todo o livro, aqui o autor mostra que toda e qualquer dificuldade pode ser ultrapassada quando se tem um sonho.
comentários(0)comente



Leituras do Sam 31/07/2018

Li com alegria essa biografia romanceada.
Foi muito interessante perceber como o autor atribui sua carreira como escritor, a toda a comunidade onde cresceu.
Emocionante, bem escrito e interessante, o livro me despertou a vontade de ler outros livros do autor.

@leiturasdosamm
comentários(0)comente



Mark 15/01/2019

“Talvez sejam os mitos, tanto quanto os fatos, que mantenham os sonhos vivos mesmo em tempos de guerra.”
Sonhos em Tempo de Guerra, do premiado escritor queniano, que nasceu no fim da década de 30, em um dos piores cenários políticos do Quênia, país que foi comandado pelo Império Britânico de 1920 a 1963.
Memórias da infância de Thiong’o, em sua grande família, formada por seu pai e suas quatro esposas e seus 24 filhos, narradas por aquele que as vivenciou no que deveria ser o melhor período de sua vida, o queniano Ngũgĩ wa Thiong’o. Dificuldades, fome, vitórias, perdas, alegrias, tristezas, guerra, uma reunião de lembranças da infância onde o principal cenário em suas narrativas está no campo, e, acerca das dificuldades em sobreviver dessa forma, pois no Quênia, o plantar e o colher não estava mais nas mãos dos quenianos e sim dos brancos.
Surge a descoberta do amor pelas palavras, que começa pelo simples ato de contar e ouvir histórias, onde muitas vezes era uma forma de esquecer a fome, uma fuga de sua realidade. Veremos sua determinação em busca do conhecimento, mesmo com todas as dificuldades, pois frequentar a escola com o apoio de sua mãe e irmãos, o que inclui fome e longas caminhadas até a sala de aula, e não foram motivos para que o escritor desistisse de aprender a ler e escrever em inglês e no seu idioma nativo, o gĩkũyũ.
Um livro que demonstra que apesar dos inúmeros obstáculos que a vida insiste em nós impor, para desistirmos de nossos objetivos, mesmo assim, podemos transmutar em perseverança para lutarmos cada vez mais por nossos sonhos, mesmo que em tempos de guerra.
comentários(0)comente



Camis 29/01/2019

Sonhos em Tempo de Guerra
Livro que envolve e emociona o leitor a cada página lida. Uma forma delicada de se tratar assuntos tão complexos como colonização, independência e cultura. Vale a pena a leitura para saber o quão difícil é conseguir estudar e lidar com a rejeição em alguns países e ainda sob as ameaças de guerra.
comentários(0)comente



25 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR