Uma Fênix em Praga

Uma Fênix em Praga Suely Buriasco




Resenhas - Uma Fênix em Praga


13 encontrados | exibindo 1 a 13


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Tiabetok 17/03/2013

um livro maduro
Lara é nossa protagonista. Tem 45 anos e viaja a Praga, sozinha, para dar um tempo do mundo, do trabalho e do casamento que não vai bem. Situação comum entre os casais com suas crises, Lara descobre a traição do marido com uma mulher próxima a ela. A viajem não serviu somente para esquecer os problemas, mas também para o conhecimento de si mesma.

A autora, Suely Buriasco, escreveu de uma forma onde você se sente em Praga, ela nos descreve minuciosamente o local, pontos turísticos e até conhecimentos históricos – Lara é uma ótima guia turística-. Em meio a passeios e a momentos em que dedicava exclusivos a ela mesma, Lara sempre pensava nos filhos e procurava entender porque o casamento tinha chegado aquele ponto, sendo justa ao dizer que ambos erraram por isso a relação avia esfriado.
Lara se redescobre como uma mulher bonita e com um brilho próprio, o prazer de viver a fez retomar a felicidade a muito adormecida. O livro trás desenhas de trechos lindíssimos que nos levam a refletir sobre nossas atitudes e o quanto nos esquecemos de nós mesmos.
Alguns podem não concordar comigo, mas as partes que mais gostei foram as que o espanhol, Estevão, aparece. Como ela mesma descreve, “um romance de dias marcados”, mas tudo é doce e ao mesmo tempo quente quando estão juntos, sem contar o romantismo dele:

“Minha menina querida
Palavras jamais a fariam compreender a extensão dos meus sentimentos, mas tive necessidade de agradecer-lhe a magia desses dias. Embora compreenda suas razões, não resisti e deixei com esta mensagem um cartão com meus dados pessoais. Muito me agradaria se você fizesse contato. Aliás, espero verdadeiramente que isso aconteça. Pense. Se for sua vontade, só haverá um oceano a ultrapassar, e eu o farei com a maior alegria do mundo
Do seu
Estevão”

Apesar de não ser um gênero que me atraia muito, achei uma leitura gostosa, bem escrita e muito profunda. a baixo estão alguns trechos que gostei muito:

"Era interessante perceber como a sensação de estar só comigo mesma me fazia bem! Só então me dei conta de que há muito tempo não me fazia companhia. Como podia pensar que as pessoas se sentiriam bem ao meu lado, se eu mesma não sabia se era isso que minha companhia proporcionava[...] 'Há quanto tempo não dou atenção a mim mesma?”
“As pessoas em geral, ainda não aprenderam a amar incondicionalmente; assim, nossos sentimentos ainda são motivados pela troca: eu amo e sou amada; dou atenção e carinho e tenho de ser retribuída na mesma moeda. [...] Sempre achamos que doamos mais do que recebemos, e criamos uma neurose generalizada de cobranças infundadas, causando indisposição e até inimizade entre familiares. Temos de ter cuidado, pois nossas carências podem provocar estragos perigosos.”
"E foi assim que comecei a reagir. Eu não era daquele jeito, precisava sair daquilo. Peguei firme no trabalho, voltei a viajar, superei as inseguranças que teimavam em surgir e me levantei do pó. Cuidei de mim e voltei a me sentir uma mulher bela e atraente. Mas a crise não se resolveu - só mudou de aspecto."

Então amiguinhos, deixo esta sugestão a vocês. Até a próxima

Nota* O livro me foi cedido em parceria com a escritora Suely Burisasco, autografado, e infelizmente não tem exemplar para sorteio. e este é o blog da autora.
http://www.suelyburiasco.com.br/?page_id=131
comentários(0)comente



LuKa 04/04/2012

Parece familiar a estória da mulher insatisfeita com sua vida que vai para outro país tentar encontrar respostas?!
Quando comecei a leitura logo a associei com o livro “Comer, Rezar e Amar” que, pessoalmente, não me agradou muito. Acho válido procurar o equilíbrio sempre que necessário, seja entrando para a academia ou (quando seu dinheiro permitir) viajando para outros países. Mas encontrar um amor verdadeiro nessa última situação é mais romântico do que provável.

O livro trata-se exatamente disso: Uma mulher madura, abalada e insatisfeita emocionalmente parte sozinha para uma viagem a Praga, na República Tcheca, com o objetivo de reencontrar o prazer em sua própria companhia, buscar o autoconhecimento e reorganizar sua vida.

Nos primeiros capítulos, as pausas para descrever e contar estórias da cidade não me agradaram muito, mas aos poucos algumas começaram a chamar minha atenção e quando o romance em si começou o livro conseguiu me prender.

Lara é uma personagem cativante e fiquei sensibilizada com o drama que ela estava passando. É preciso muita garra, resignação e força de vontade pra escolher e enfrentar as consequências. Saber reconhecer o que é melhor para si é a chave que Lara procura nessa jornada.

Um livro meio estilo “auto-ajuda” que com a sua pitada de romance consegue não se tornar enfadonho.

Admire você também uma Fênix renascer das Cinzas!
comentários(0)comente



Silvana (@delivroemlivro) 11/02/2012

Se vc tem mais que um par de neurônios, passe longe!
Bem sucintamente para não perder mais tempo com esse livro: auto-ajuda disfarçada de romance em forma de relato de viagem. Excetuando-se a última categoria, dispensável e medíocre. PS: à turma do polegar pra baixo: essa é apenas a minha opinião.
comentários(0)comente



Leitora Viciada 22/09/2011

Das cinzas apagadas e mortas, surge uma mulher ardente e poderosa, renascida.
Antes de tudo preciso comentar a dedicatória linda que a Suely escreveu para mim no meu exemplar: "Que uma fênix em Praga inspire amor em seu coração!" - tenho que assumir que me inspirou, comoveu e me encheu de várias outras emoções e reflexões.
A capa do livro é linda, uma fotografia muito convidativa da cidade tão especial para a história e um dos fatores que ajudaram a protagonista a mudar.
A forma como a Suely escreve é outro convite ao leitor. Logo no início do livro pude adivinhar que seria uma leitura prazerosa, calma e reflexiva.
A narrativa é em primeira pessoa e o leitor fica diretamente conectado à personagem Lara, uma mulher com 45 anos, bonita, decidida, alegre, segura, culta e franca.
Mas tem um problema com a Lara: ela se esqueceu de suas qualidades!! Com o passar do tempo, ela se dedicou tanto ao casamento, à criação dos filhos, à rotina desgastante, ao trabalho, que nunca mais teve um tempo para si própria. Nunca mais parou para se enxergar no espelho e notar suas qualidades e seus desejos.
Ela tem dois filhos: a filha, de personalidade forte, já é casada e mora com o marido; o filho, que é mais calmo, está na faculdade e tem uma namorada. Sua carreira também vai bem e Lara é uma boa profissional. Seu marido é um pai presente e sempre fez tudo pela mulher e filhos.
O que poderia estar errado? Lara sabia que o casamento com Alberto era apenas uma sombra do que fora. O relacionamento dos dois não possui mais aquela alegria, empolgação nem romantismo. Não há mais cumplicidade e companheirismo.
Na verdade, eles andavam se evitando cada vez mais. Sem assunto, sem carinho, os dois cada vez mais se afastavam. No entanto, Lara não estava preparada para ser enganada de tal forma: o marido a traía com uma amiga querida. Amiga não apenas dela, mas de toda a família. Sente-se então ultrajada e envergonhada.
Lara percebe que precisa de tempo, de sossego e de um momento íntimo. Necessita ficar sozinha. Não sozinha, não: consigo mesma. Precisa redescobrir a alegria de viver e repensar sua vida. Quantas vezes, pelos mais diversos motivos, não nos sentimos perdidos assim?
Lara se sente não apenas traída e machucada, mas perdida. Está com a alma, o ego e a autoestima completamente destruídos. Então ela tem uma atitude totalmente ousada: resolve tirar férias numa cidade que visitara cinco anos antes: Praga, na República-Tcheca. Um lugar que lhe transmitiu magia, paz e encanto. Porém, um pequeno detalhe: dessa vez ela vai completamente sozinha!
Adorei a evolução da personagem, impossível não reparar em seu crescimento pessoal. Ela realmente ressurge das próprias cinzas. Das cinzas apagadas e mortas, surge uma mulher ardente e poderosa, renascida.
No começo, ela está muito insegura e frágil, e com sentimento de culpa. Mesmo assim, não a considerei fraca nem incapaz, apenas indecisa. Ela sente-se culpada por estar de férias sozinha, por ter deixado os filhos sem sua companhia (mesmo sendo adultos) e apesar de não querer mais continuar casada e ter sido traída, sente um enorme peso pelo rumo fracassado que seu casamento tomou.
Gostei muito da luta contra si mesma, de suas conversas diretas com seu reflexo no espelho, sempre se corrigindo e se fortalecendo. Todos nós, independentemente da situação, deveríamos fazer o mesmo. Enfrentarmos a nós mesmos.
Rapidamente ela arranca a máscara de vítima e decide voltar a sorrir e recomeçar sua vida. Através de agradáveis passeios históricos na bela cidade, num lugar aonde ninguém a conhece nem pode julgá-la, Lara começa a reconstruir sua autoestima e a sentir-se bem, tranquila e segura. Começa a se auto presentear com jantares e mimos.
Além disso, ela relembra a beleza que possui, aparentando não ter a idade que tem, e atrai a atenção dos olhares masculinos e a curiosidade das pessoas no hotel: o que faz em Praga essa brasileira sozinha?
Ao fazer amizade com um grupo de turistas espanhóis, Lara se envolve com Estevão, também divorciado, amante de história e arte, divertido e galanteador. Ele é uma companhia maravilhosa! E então a história do livro começa realmente e envolve até a última linha.
Não espere encontrar um romance bobo e meloso! É um relacionamento maduro e realista - mas com muito charme, beleza e paixão, a seu modo.
Achei muito interessante a autora mesclar durante os passeios de Lara, a arquitetura e os detalhes dos locais por ela visitados. Embora Praga seja uma cidade bastante diferente de minha realidade, me senti completamente transportada ao local. Parece até que já conheço a cidade! Melhor ainda são as observações rápidas e completas que a autora encaixa na história, de acordo com o ponto visitado por Lara. Uma cultura agradável e divertida.
Tudo que acaba de escrever é referente à primeira parte da história. A segunda mostra o retorno de Lara ao Brasil e a sua família e todos os obstáculos que ela ainda tem de enfrentar. Sua transformação ainda não está completa; para isso ela precisa se impor e colocar em prática todas as decisões e mudanças escolhidas.
Será que ao voltar para o Brasil, fortalecida e renovada, conseguirá vencer os desafios? Será que realmente toda a autorreflexão e o romance com Estevão foram suficientes para ajudá-la na maior reviravolta de sua vida?
Ela terá de enfrentar a fantasmas do passado, assombrações de seu íntimo. Enfrentará a família e a si própria com um único objetivo: ser feliz!
É uma história que faz refletir sobre nossas ações. Desde as menores, sobre como agimos no cotidiano, como tratamos as pessoas ao redor até as maiores, se estamos dando a nossa vida o rumo que queremos.
E mais ainda, refletimos se estamos dando a atenção necessária a nós mesmos, a nossa autoestima e a nossos sonhos. Também me fez perceber como um casamento não pode jamais se tornar: vazio e acomodado.
Super recomendado! Uma leitura única e introspectiva! E isso que eu nem comentei sobre como é o retorno de Lara à família e ao marido traidor que quer perdão! Vale a pena ler para descobrir.
comentários(0)comente



Cassia 18/09/2011

Uma Fênix Em Praga
Resenha:

Lara retorna a Praga 5 anos depois de sua última visita a cidade da República Theca, porém desta vez ela esta sozinha e esta em busca dela mesma e de conhecer um pouco mais da cultura dessa cidade encantadora.

Lara está envolvida por sentimentos e pensamentos que tornaram sua vida mais amarga e ela esta a procura de se reencontrar, além de se ver novamente em Praga ela quer recuperar a antiga Lara que vivia sempre feliz e realizada.

Alguns acontecimentos levaram Lara até essa cidade e agora nessa viagem sozinha ela vai poder conversar consigo mesmo e tentar desfrutar de momentos unicos e intimos que todos nós deveríamos ter.

Praga é uma cidade Maravilhosa e Lara nos mostra a cidade de acordo com seu próprio ponto de vista e observações. Viajamos a Praga junto com ela e nesta viagem ela leva a pensar nas coisas simples da vida.

Lara esta em Praga em busca de uma resposta para seu drama familiar e em meio sua viagem ela conhece um espanhol chamado Estevão e logo ela se encanta e com ele ela descobrirá sentimentos a muito guardados dentro de si mesma.

No começo me senti incomodada com a leitura não conseguia me concentrar, pelo fato de ter um pouco de estória semelhante aos livros didáticos, porém a partir do capitulo 4 me rendi por completo a essa estória e como a Suely escreveu na dedicatória do livro "Que Uma Fênix em Praga a inspire e Surpreenda" e foi isso que aconteceu.

Me senti muito bem ao ler o livro, pois realmente me inspirou e me ajudou a enxergar o que é o melhor para mim. Gosto de livros que me permitem comparar com minhas próprias experiências pessoais.

Agradeço muito a Suely pela oportunidade de me apresentar Praga e de aprofundar meus pensamentos enquanto lia. O livro me ajudou a entender que um livro dever ser lido até o fim para então decidimos se ele realmente é bom e não desanimar com os primeiros capítulos. E foi isso que eu fiz li até o fim e gostei muito do que li.

Por Cassia
comentários(0)comente



Vanessa Vieira 30/05/2011

Uma Fênix em Praga_Suely Buriasco
O livro Uma Fênix em Praga, de Suely Buriasco, nos conta a estória de Lara. Lara descobre que foi traída pelo seu marido, Alberto, e fica profundamente magoada, sem saber como prosseguir a sua vida. Ela decide embarcar para a cidade de Praga, capital da República Tcheca, a qual ela considera um lugar muito romântico, para rever suas idéias e conceitos e encontrar respostas e soluções.

Ao fazer um passeio de barco em Praga, junto com um grupo de turistas, ela conhece o espanhol Estevão e se encanta. Estevão é maduro, centrado e com um modo de pensar muito parecido ao de Lara. Ele é um homem separado e possui uma certa vivência, o que acaba auxiliando Lara, que está muito machucada e com o orgulho ferido.

Amei Uma Fênix em Praga! Ele aborda vários conceitos de nossa vida e nos dá uma lição de otimismo e positividade , independente da situação que está sendo enfrentada. É maravilhoso acompanhar a estória de Lara e enxergar uma mulher decidida, firme, que ao invés de fugir dos problemas, reflete, busca as melhores soluções e os encara de frente!

A cidade de Praga como pano de fundo da trama ficou sensacional! Uma cidade romântica, histórica, linda e singela! Outro ponto bacana da escrita de Suely Buriasco é a forma abordada sobre o perdão: devemos perdoar as pessoas e limpar o nosso coração de toda mácula, e sobretudo, perdoar a nós mesmos, nos preenchermos de amor próprio e harmonia.

O romance de Estevão e Lara foi muito bem construído. Não é aquela coisa "água com açúcar" que enjoa, mas sim um romance maduro, centrado, típico de um casal acima dos 45 anos. Recomendo Uma Fênix em Praga a todos e tenho certeza que irão gostar muito de conhecer um pouquinho sobre a guerreira Lara e aprender muito com ela!
comentários(0)comente



Bia Machado 01/05/2011

Uma história linda e envolvente, de amor e superação!
Muito legal poder fazer a resenha de um livro que me surpreendeu, em todos os sentidos. Ele conta uma parte da história de Lara, quando ela volta à cidade de Praga, capital da República Tcheca, dessa vez sozinha, para tentar se reencontrar (ou, como o próprio título do livro, para tentar renascer das cinzas, como a fênix), bem como o que acontece quando ela retorna ao Brasil, depois dessa viagem. Será possível encontrar as respostas que ela precisa ficando alguns dias em uma cidade onde ninguém a conhece, longe de todos, apenas com suas lembranças e reflexões?

A personagem chega a Praga de alma machucada, o orgulho ferido, com muitas perguntas e temores. Enquanto redescobre Praga, conhece um grupo de turistas e, entre eles, está o espanhol Estevão, também separado. E ele vai mexer (muito) com ela e colocar em questão muitas coisas que ela nem tinha se dado conta ainda.
.
Por que amei o livro? Porque o livro não é uma aula de autoajuda, mas sim, aborda questões filosóficas, psicológicas, porém de uma forma tão natural, de uma forma que chega a ser cativante, que nos pega desprevenidos. A gente se pega pensando em nossa própria rotina: será que também não precisamos renascer como a fênix? Estamos realmente vivendo, ou apenas “levando” a vida? Será que teríamos coragem de fazer como Lara fez, partir em busca de retomar o que precisa ser retomado? Ela não fugiu, foi procurar as respostas dentro de si mesma. E teve só respostas positivas, que muitas vezes não foram fáceis de serem admitidas, mas que foram necessárias, sem dúvida.

Outro ponto muito bacana do livro: vamos conhecendo a história de Praga e diversos locais maravilhosos dessa cidade, enquanto a personagem principal passeia por eles. A autora fez isso com tanta propriedade, que senti vontade de um dia estar lá também, em Praga. São passagens interessantes e carregadas de emoção!

E, sim, tem a parte do romance. Que não é nada piegas, mas sim um amor que se mostra maduro, que está disposto a aprender com as experiências anteriores. Lara e Estevão emocionam, torci muito por eles. E apesar do final do livro não ser o que eu gostaria, não me decepcionou. Foi fiel à proposta do livro, mostrando que Suely trabalhou muito na construção de suas personagens.

Gostei também do livro ter me levado do riso às lágrimas. Não foi uma leitura cansativa, pelo contrário. Quanto mais lia, mais queria ler e fiquei chateada por não poder me dedicar mais tempo a sua leitura, como era a minha intenção. Se pudesse fazer isso, teria lido em muito menos tempo.

E aviso que pode até parecer, mas que apesar do livro ser “[...] um mergulho no universo feminino”, como diz a sinopse (e concordo com ela em muitos pontos, inclusive nesse), não é um livro apenas para mulheres, muito menos para mulheres que já passaram dos quarenta. Homens que desejam conhecer esse universo, de uma maneira interessante, conseguirão por meio da leitura de “Uma fênix em Praga”, com certeza.
comentários(0)comente



Nii. 28/09/2010

Mais em : http://fazparte-ni.blogspot.com/
Simplesmente, Lindo.

Eu namoro esse livro desde que eu vi a capa e a sinopse. Tive aquela sensação de um bom livro e não fiquei decpcionada.

O livro é apaixonante... Eu não gosto de grifar/rabiscar livros, mas não resistir ao ler Fênix em praga, a cada página, alguma frase ou algum pensamento me chamava atenção.

O livro é um grande aprendizado, tanto sobre relacionamento humano quanto cultura.
Conheci praga sem sair de casa e fiz uma auto-análise junto com a Lara. Apesar da estória da Lara não ter muito a ver com o que estou vivendo (pois ela está em outra fase... casamento, filhos e etc.), muitas coisas que ela passou são reais e podem acontecer com qualquer um.
Não concordei com algumas coisas que ela fez e apesar das nossas diferenças em várias situações eu me perguntei “E se?”... A Lara nos ensina que não tem idade para ser feliz e para buscá-la nunca é tarde. O título não poderia ser mais perfeito.

#Eu tenho que conhecer praga depois desse livro. A Suely foi tão detalhista ao mostrar a Lara passeando pela “Jóia de Pedra” e sobre a história de praga que muitas vezes eu me sentir andando junto com ela, compartilhando de toda a liberdade que ela estava experimentando.


Recomendo!
comentários(0)comente



Marcinhow 18/09/2010

marcinhoweoslivros.blogspot.com
Lara é uma mulher de meia idade, que vê toda sua vida se desmoronando. Perdida em pensamentos, decide fazer uma viagem sozinha, para colocar a cabeça no lugar, ela vai para Praga, uma cidade encantadora, principalmente para Lara, a cidade a impressiona, desde sua história incrível, até a sua arquitetura medieval.

Sozinha em Praga, Lara começa a organizar sues pensamentos, e começa a fazer uma grande descoberta sobre si mesma, vendo a vida de um ponto de vista totalmente novo. Além disso, Lara conhece Estevão, que intensifica e da um acabamento na auto-descoberta de Lara...

Para continuar lendo, acesse:
http://marcinhoweoslivros.blogspot.com/2010/09/uma-fenix-em-praga.html
comentários(0)comente



Ellen 13/09/2010

Favoritos
"Decidira encontrar uma forma de retornar,de pegar de volta o caminho de mim mesma e de resgatar a minha
alma. Não me entregaria mais a trsiteza e nem ao sentimento de fracasso; emncontraria uma forma de sair desse
marasmo. Eu estava disposta a isso e reconhecia, dentro de mim, uma alma corajosa e desejosa de mudança;"

Lindo...Está, certeza, entre os meus favoritos!
comentários(0)comente



naniedias 06/08/2010

Uma fênix em Praga, Suely Buriasco
O casamento de Lara já não ia bem a algum tempo. Mas isso só ficou muito claro para ela quando, de maneira trágica, ela ficou sabendo da traição do marido com uma mulher que ela havia considerado uma boa amiga.
As coisas estavam confusas para ela. Ela havia chegado a falar em divórcio com o marido, mas ele disse que não iria ser uma boa solução, por causa dos filhos do casal.
Lara decide então fazer uma viagem à Praga, sozinha. E essa seria uma viagem de autodescobrimento - uma viagem onde Lara poderia conhecer a si mesma.

O que eu achei do livro:
O livro é muito interessante. Lara é uma personagem decidida e muito madura. Ela já tem 45 anos, e está enfrentando um difícil período na sua vida - a separação. Na verdade, o divórcio não está certo quando ela viaja, mas só não está certo para o marido, pois ela já sabe que aquela realação não tem mais futuro.
E durante a viagem ela vai descobrindo a si mesma, pensando em tudo o que aconteceu e vendo o quanto ela falhou e o quanto o marido falhou no casamento que estava acabando.
Lara vai além da redescoberta de si mesma, ela redescobre o prazer de viver - a liberdade da alma!
É um livro que nos leva a muitas reflexões. Eu, particularmente, não concordo com tudo o que a Lara fez ou pensou, mas vivenciei com ele esse processo todo. E pude, junto com ela, refletir sobre diversas minúncias da minha vida. O tempo todo em que eu li eu pensava em tudo o que o meu casamento é e via no casamento de Lara o que eu não queria que ele se tornasse. E com as reflexões dela, enxerguei muitas coisas importantes - e fiquei muito feliz ao saber que boa parte está presente no meu casamento.
Achei uma história muito gostosa de ler. No meio ainda somos brindados com partículas da história de Praga - um prato cheio para quem, como eu, gosta de história.
Enfim, é um livro muito bom e ultra recomendado. Uma leitura que consegue ser ao mesmo tempo leve e profunda.
"Era interessante perceber como a sensação de estar só comigo mesma me faziabem! Só então me dei conta de que há muito tempo não me fazia companhia. Como podia pensar que as pessoas se sentiriam bem ao meu lado, se eu mesma não sabia se era isso que minha companhia proporcionava? Era a primeira vez que isso me ocorria, e a sensação gerada foi muito estranha. 'Há quanto tempo não dou atenção a mim mesma?', pensei. 'Aliás', reformulando as ideias, 'alguma vez preocupei-me com isso?". E a ausência de resposta foi a minha resposta."
"Sempre haverá o momento do despertar da consciência, que virá exigindo uma grande reforma íntima. Só desse modo o ser humano encontrará satisfação e vitória em sua vida. É preciso acreditar que o nosso mundo só se livrará da miséria, do terrorismo e de toda a violência e discriminação quando eliminarmos essas mazelas de nós mesmos. Precisamos desenvolver o dom de buscar opções mais sadias para nós mesmos e para todos."
"E foi assim que comecei a reagir. Eu não era daquele jeito, precisava sair daquilo. Peguei firme no trabalho, voltei a viajar, superei as inseguranças que teimavam em surgir e me levantei do pó. Cuidei de mim e voltei a me sentir uma mulher bela e atraente. Mas a crise não se resolveu - só mudou de aspecto."

Nota: 9
Dificuldade de Leitura: 7

Veja mais resenhas em: http://naniedias.blogspot.com
comentários(0)comente



Melian 04/08/2010

Um ótimo livro! realmente tem muito a ver como nome, apersonagem realmente resurge das cinzas, recompoe sua vida e resolve todos os males e problemas que tinha até o momento, se torna livre, como ela mesmo diz no livro.
Eu super recomendo para mulheres acima dos 30, que já foram casadas ou divorciadas, p/ pessoas nessa faixa etaria entre 30 a 45 anos o livro chega a ser um auto- ajuda, dando apoio explicações e pontos de vista de fatos coditianos da vida.
comentários(0)comente



13 encontrados | exibindo 1 a 13