As Aventuras de Tintim: Repórter do "Petit Vingtième" no País dos Sovietes

As Aventuras de Tintim: Repórter do "Petit Vingtième" no País dos Sovietes Hergé




Resenhas - As Aventuras de Tintim: Repórter do "Petit Vingtième" no País dos Sovietes


5 encontrados | exibindo 1 a 5


New 12/01/2021

Não achei tão boa mas vale a pena ler para quem é fã de Tintim. O traço aqui ainda está em desenvolvimento e é bem simples. Ao tempo todo Tintim e Milu soltam piadas aqui e ali, o que torna a leitura agradável. Enfim, recomendo para quem é fã.
comentários(0)comente



beatrixzi 19/11/2020

Ui ui
A HQs possuí várias pontadas a respeito do comunismo na União Soviética. Em muitos diálogos dei várias risadinhas, apesar da animação e da HQs possuir uma boa diferença, a nostalgia foi grande e a leitura foi muito gostosa.
comentários(0)comente



Marcelo_Côrtes 16/01/2013

Não há como negar as críticas ao preconceito e ideologia do autor.
comentários(0)comente



Palazo 23/11/2011

Você está aqui:Início / Artes / Quadrinhos / Tintim no país dos Sovietes (Hergé)
Tintim no país dos Sovietes (Hergé)
2 de setembro de 2011 por Palazo Comentar (Editar)

Quem nunca ouviu falar do repórter Tintim e seu inseparável cão Milu? Particularmente o personagem esteve presente em parte da minha vida. Cresci assistindo as aventuras do atrapalhado repórter, e durante uma época da minha vida recebi o carinhoso apelido do protagonista devido a um generoso topete que eu usava, somado ao meu estado deliberadamente atrapalhado.

Para minha surpresa descobri que a Companhia das Letras tem toda a coleção dos quadrinhos do Belga Hergé no seu catálogo, e obviamente eu não hesitei em começar minha coleção pelo primeiro volume publicado originalmente em forma de “folhetim” no suplemento infanto-juvenil “Le Petit Vingtième” em 1929, e que ganhou o nome de As aventuras de Tintim no país dos Sovietes.

Neste livro o corajoso e atrapalhado repórter recebe a missão de seguir para a antiga União Soviética, ao lado do seu cão Milu, e retratar o país e seu regime comunista. Porém no caminho o trem explode propositalmente e Tintim é preso e acusado em Berlim de ter sumido com o trem e os passageiros.

A partir deste evento uma série de outros ocorrem com o repórter do jornal Belga, sempre com comunistas russos tentando impedir Tintim de chegar a Moscou. Porém o protagonista chega a capital da da antiga URSS e tem a oportunidade de presenciar alguns absurdos como a compra de votos, riquezas roubadas do povo entre outros fatos alarmantes do regime comunista. Após a aventura o repórter retorna ao seu país de origem como herói.

O heroísmo do personagem com largo topete é mais aliado a sua coragem e sua representatividade na Bélgica. Na história Tintim é muito atrapalhado, vivendo situações complicadas e hilariantes. Porém o poder da história está mais ligado ao fundamento histórico de representar as atrocidades ditadas pelo regime comunista, e servir de propaganda contra o regime que já ameaçava o mundo capitalista nos idos de 1929.

A história tem uma ilustração simples, toda em preto e branco e possui certa descontinuidade devido ao modo como foi publicada inicialmente, em formato similar ao de folhetim com duas páginas publicadas em cada exemplar do jornal.

Apesar disso a história contém os primeiros traços das aventuras de Tintim, sua coragem e sorte apesar do jeito atrapalhado do repórter. Também já é notável o humor curioso do cão Milu, que compartilha seus pensamentos esfomeados na história enquanto ajuda Tintim a sair das enrascadas mais estranhas.

Além de Tintim e Milu, os demais personagens da trama possuem nomes de Sovietes ou são anônimos. Ainda não aparecem nesse exemplar os famosos personagens da série como os irmãos gêmeos detetives Dupont e Dupond, os vilões Rastapopoulos e o General Alcazar, a cantora Bianca Castafiore, o professor surdo Girassol e o inesquecível capitão Haddock.

Apesar da falta dos personagens marcantes da série e da sua descontinuidade, o livro é marcante. Seja pelas aventuras e trapalhadas da dupla Tintim e Milu, seja pelas situações hilárias que os dois se envolvem ou pelo fator histórico da propaganda anticomunista que fazem do livro Tintim no país dos Sovietes uma obra única e que abre o apetite para conhecer mais aventuras do herói criado por Hergé.

Para os curiosos é recomendada a visita ao site Tintim por Tintim que tem muitas informações sobre esse fantástico personagem; Além do artigo “’Pardieiro Infecto’: A representação da Rússia no País dos Sovietes” de Lúcio De Franciscis dos Reis Piedade Filho que traça o olhar histórico sobre a URSS comunista. E não deixe de conferir a coleção completa das aventuras do Tintim publicadas pela Companhia das Letras.

Tintim no país dos Sovietes: As Aventuras de Tintim – Réporter do Petit Vingtième
Autor: Hegé
Ilustrações: Hegé
Tradução: Eduardo Brandão
144 páginas
Preço Sugerido: R$ 46,00
comentários(0)comente



Dan 04/03/2011

Os primeiros passos de muitos....
Este foi a primeira aventura de Hergé para o pequeno repórter belga. Estava familiarizado com desenho animado dos anos 90 e tive grande receptividade para ler os quadrinhos (os quais li em inglês).
A versão que li foi a primeira mesmo, preta e branca, igual a publicada em 1929 no jornal belga o qual não me lembro o nome.

Já foi considerado misógino, racista e tendencioso politicamente, mas vale muito pelo conceito geral de arte e roteiro que Hergé desenvolveu em torno do personagem.
Aconselho aos amantes de quadrinhos, aventuras e fãs de história geral e européia do início do séc. XX.
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5