A Era do Capital - 1848 - 1875

A Era do Capital - 1848 - 1875 Eric J. Hobsbawm




Resenhas - A Era do Capital


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Igor13 01/11/2018

Olha macro e político dos fatos
Como abandonei, não posso dar nota. Acho admirável o autor colocar logo no início do livro as posições políticas pessoais, o que na verdade fica bem claro enquanto vamos lendo.

Como não quero receber informações com viés político, vou continuar lendo os livros que desçam mais no detalhe dos fatos. A análise mais macro e de grandes fluxos é interessante e já vi na Faculdade. É interessante, mas distorcida, pois analisa de muito longe do dia a dia. É como o olha a cidade do Rio de Janeiro de cima e depois descer e viver a rotina. Duas experiência bem diferentes. Por isso prefiro livros mais detalhados, e de autores menos apaixonados e políticos.

De qualquer forma, minha opinião pouco importa, pois o livro é uma referência consolidada. Só não serve aos meus propósitos.
comentários(0)comente



Volnei 13/01/2016

A era do Capital
O seculo XIX foi marcado por dois extremos no que diz respeito ao capital . O lado do proletariado e o lado da plebe. Concentrado na mão de uma minoria o capital promove a miséria da maioria. Inicia-se neste período a autonomia do proletariado e com o inicio da classe operaria formado pela plebe. Surgem as primeiras organizações sindicais . Com esse tipo de visão o autor pinta um afresco dessa era densa em contradições que geram a modernidade do século XX , tal qual vivenciamos


site: http://toninhofotografopedagogo.blogspot.com.br/ https://twitter.com/volneicampos
comentários(0)comente



Walter.Leiras 31/08/2015

otimo para um historiador iniciante, ruim para um leitor medio
por ser um livro com muitos termos e argumentos torna se chato para um leitor iniciante nesse tipo de tema, ainda mais por se fazer parte de um seguemento de livros de fase cronológica, mas se gosta de aprender e compreender a era da evolução holandesa ate a o início da queda do império inglês e um ótimo livro.



Lista de Livros 01/10/2014

Lista de Livros - A Era do Capital - Eric J. Hobsbawm
Pobre México, iria observar o presidente Porfirio Diaz (1828-1915), tão longe de Deus e tão perto dos Estados Unidos... e mesmo os estados latino-americanos que se achavam mais perto do Todo-Poderoso verificaram de forma cada vez mais consciente que, neste mundo, era sobre Washington que eles deveriam manter o olho alerta.
*
Faça-se o que quiser, o destino tem sempre a última palavra nas questões humanas. Há uma tirania real para todos. Segundo os princípios do Progresso, o destino já devia ter sido abolido há muito tempo atrás.
*
Mais em:

site: http://www.listadelivros-doney.blogspot.com.br/2014/09/a-era-do-capital-1848-1875-eric-j.html
comentários(0)comente



Lipe 10/02/2014

Cansativo
Eu juro que tentei , mas chegada a página 100 dei um basta . Extremamente monótono ( minha opinião ).Talvez um outro dia quem sabe com mais paciência .
comentários(0)comente



Hildeberto 13/12/2010

O supra-sumo da história
Você sabe o que é (ou foi) um supra-sumo? Pois eu não, não é da minha época. Mas sempre vejo as pessoas mais velhas usando essa expresão para descreverem algo top de linha, de primeia qualidade. Procurarei um dia o significado primeiro de supra-sumo, mas o sentido comumente usado é perfeito como adjetivo desta obra e deste autor.

Hobsbawm, um históriador que fez história. Fez história ao escrever sobre ela, principalmente na triologia das Eras (Era das Revoluções, Era do Capital, Era dos Impérios e a filha bastarda que torna a triologia em quadrologia: A era dos extremos). Mas ele não escreveu somente sobre isso. Ou melhor, quando ele escreve um livro de história, ele não se limita ao que normalmente o livro de história poderia ser, ele olhando o passando constroi um entendimento sobre o presente. Por esse outro motivo é que ele também fez história.

Ele é um escritor detalhista, e isto está bem presente nessa obra. Muito comum ele gastar três páginas para dizer algo qu poderia ser resumido em três linhas. Mas se ele peca pela sua prolixidade, ela nâo é inútil e muito menos um ponto negativo: seu apego aos detalhes enriquecem a obra e fazem com que o leitor compreenda de forma suscinta o período estudado. Em alguns momentos a paciência é necessária, mas após adaptar-se ao estilo do inglês, a leitura se torna bastante prazerosa.

A era do Capital trata do período de 1848 - 1875, escolhido pelo autro como época em que o capitalismo se consolidou e conquistou o mundo. E nesse período que iremos encontrar a genese de muitas estruturas do mundo moderno, desde os partidos políticos até a gestação de um cultura de massa. É nesse período Darwin e Marx divulgam sua teoria e que as bases para os desdobramento futuros estâo firmemente apoiados. É um periodo que explica o nosso, ou a crise mordena, pois o livro trata de um geração tipicamente modernista no sentido clássico.

Para os amantes de história, livro obrigátorio. Para os curiosos do mundo, livro de grande utilidade. Para aqueles amantes de uma boa leitura enriquecedora, livro mais do que indicado. O modo como o autor escreveu o livro faz parecer que eles ocorreram ontem e estão ao alcance de nossas mãos. Será que realmente não estão?
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6