Mulher de um homem só

Mulher de um homem só Alex Castro




Resenhas - Mulher de um homem só


2 encontrados | exibindo 1 a 2


SG1 19/02/2014

Duas mulheres de um homem só
Nunca li um livro com uma narrativa igual a esta que é apresentada no livro "Mulher de um homem só".

A protagonista, que narra sua história, se faz presente em todos os lugares, pelo menos é isso que se entende com a sua fala. No início pensei que ela sabia de tanta coisa porque Murilo, seu marido, contava pra ela. Mas depois percebi que não. Ela soube de outro jeito, pois Murilo jamais exporia suas intimidades com Julia, sua melhor amiga, para sua esposa.

Dei três estrelas para o livro não pela narrativa, contudo, mas sim pela própria história. Não foi ruim, mas também não me cativou. Na verdade continuei lendo só pra saber se nossa nobre narradora iria se livrar da maldita vida que levava. Mas, quanto a isso, me desepcionei.

Não sei qual foi a intensão do autor, Alex Castro. Pode ser que não tivesse intesão nenhuma, senão de retratar a verdade nua e crua, contada pela própria vítima.

No final, penso que gostei do livro. É muito diferente. Gosto de coisas diferentes, de ousadia. Por isso, não me arrependo nenhum pouco de ter adquirido esta obra.
jucove.marques 28/11/2014minha estante
Quero muito ter o livro em minha casa. preciso ler e reler várias vezes gosto de comer as paginas de minhas leituras.
princesajucove1947@gmail.com




Fernanda França 05/04/2010

Corajoso
Quando soube do lançamento do romance “Mulher de Um Homem Só”, de Alex Castro, interessei-me por ser jornalista. Logo pensei em colocar o título na lista de livros do caderno de cultura do jornal em que trabalho. Eu gosto de conhecer histórias de livros independentes e dou a maior força sempre que posso. Nesse caso, o moço merecia um espaço.

O livro foi baixado na internet mais de 30 mil vezes entre 2002 e 2006 e para publicar o romance, Castro lançou um sistema para que os próprios leitores viabilizassem os custos de produção. Assim, abriu as vendas antes mesmo de o livro existir.

Comprei o livro, porque como escritora, sei como é batalhar por uma obra. Fiz questão de participar desse processo. Como jornalista, recebi uma cópia em PDF. Decidi, então, começar a ler o arquivo antes de receber o livro impresso. “Só um tantinho, pra ter uma ideia da história”, eu propus a mim mesma. E esse pouco transformou-se em um livro lido inteiro, pela tela de um computador, em dois dias. Lido não… Devorado.

Eu fiquei encantada com o estilo de Castro. Com a velocidade dos acontecimentos, com a narrativa onisciente – o escritor é corajoso, gente, escreve em primeira pessoa como mulher e ainda inova quando coloca a narradora em todos os lugares, uma semi-deusa – e com todo o desenrolar dos acontecimentos. Fiquei curiosa para saber o motivo de algumas lacunas, que certamente foram propositais, e até mesmo de descobrir o que acontece depois que o livro acaba. Porque, na boa, o livro acabou e deixou um gosto de que não podia ter acabado. Sacanagem.

Eu não conheço Castro, nunca o vi, só nos falamos pela internet profissionalmente, não era nem mesmo leitora do seu blog. Mas agora, leitores amigos, eu vou ser, sim. Você também deveria.

Fernanda França

(Resenha publicada em www.fernandafranca.com.br no dia 10/08/2009 - link direto em http://fernandafranca.com.br/blog/?p=404)
allanrpj 05/08/2010minha estante
Quem conhece o Alex Castro através do blog não pode imaginar o calibre do escritor que ele possui. Li o livro quendo ele oferecia download gratuito e me senti em débito. Quando o livro passou a ser vendido, comprei sem epensar duas vezes: precisava urgentemente pagar minha dívida. :)




2 encontrados | exibindo 1 a 2