A Mulher do Viajante no Tempo

A Mulher do Viajante no Tempo Audrey Niffenegger




Resenhas - A Mulher do Viajante no Tempo


226 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Suellen vieira 21/10/2019

A MULHER DO VIAJANTE DO TEMPO
Essa historia é uma historia triste com um final triste, porque imagine uma pessoa que não consegue viver nada de forma profunda, não consegue viver nada de forma profunda não porque não gostaria de viver, mas porque pela sua condição genética não tem como viver nada na vida de forma inteira e profunda. Que condição é essa? Henry tem uma condição genética que o faz viajar no tempo a qualquer momento, ele esta la jantando, dormindo, almoçando, fazendo qualquer atividade corriqueira do dia a dia e de repente do nada ele é transportado para qualquer ano no futuro ou no presente, e nessas viagens ele se encontra com ele mesmo e com o seu amor Clare, mas justamente por essas viagens ao tempo sera feito em qualquer momento ele perde muita coisa de sua vida e da vida de casado.
Agora de forma profunda ele viveu, pelo menos a relação dele com Clare, que é uma relação muito bonita de ver, até porque para ela é muito difícil ter uma pessoa que a qualquer hora desaparece de sua vida, mas ela sempre esta com ele ao lado dele nos momentos dificies e nos momentos alegres.
comentários(0)comente



Yure 12/09/2019

Um livro que nos nos faz lembrar que tudo na vida tem um fim, inclusive as coisas boas.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Flávia Pasqualin 01/04/2019

SUPERESTIMADO
Complicado resenhar um livro que tanta gente gostou e você teve uma experiência totalmente contrária. O livro é muito bem escrito, quanto a isso não tenho reclamação alguma. O problema mesmo é que em nenhum momento eu consegui me conectar e torcer pelo casal. Achei a história longa e monótona, a todo o momento parecia que algo ia acontecer, mas continuava em um marasmo. O casal principal não difere em nada ao desses livros de romance hot; é a velha métrica de moça inteligente, rica e deslumbrante que se apaixona por um cara problemático e o salva de si mesmo. Infelizmente não me agradou. Fora outras coisas que me incomodaram, mas estarei sendo muito problematizadora ao resenha-las rs. Não foi dessa vez que um romance me fez vibrar.
comentários(0)comente



mayara.marinheiromartinelli 19/12/2018

Emocional
Começou bem devagar esse livro, mas ele foi me conquistando aos poucos, assim como a aproximação do Henry e da Clare, mas ele é uma obra prima de exaltação ao amor e à vida!!
comentários(0)comente



Schay 19/11/2018

Dá uma dor no coração quando termina.
comentários(0)comente



Natália | @tracandolivros 26/06/2018

Maravilhoso e inédito
Henry é um viajante no tempo, ele não tem controle que ano vai, nem onde. Quando ele tem 40 anos viaja para uma clareira, e lá conhece uma menina de 6 anos, Clare, e ao longo do tempo ele viaja mais vezes para lá e vê essa menina crescer, que no futuro será sua esposa.

O livro começa exatamente no ponto de encontro do casal no presente, e aos poucos vai mostrando para o leitor o passado de Clare, onde ela conheceu Henry na clareira e também o presente onde os dois estão juntos.

A narrativa é em primeira pessoa, da Clare e do Henry, sempre tem as datas e idades dos personagens no começo do capítulo.

A viagem no tempo só engrandeceu a trama e o final deu uma reviravolta inesperada. Um romance que fala sobre as dificuldades de um relacionamento, sobre a confiança e o comprometimento. Um casal apaixonante e apaixonado.

site: https://www.instagram.com/p/BRYaIBAgMvt/
comentários(0)comente



Jaina 03/05/2018

Delicado e cruel.
O tempo. O tempo que passa, que nos desgasta, que nos envelhece... Que nos ensina e nos proporciona tantas coisas. O tempo, a vida. Todos nós viajamos um pouco no tempo quando nos movemos em direção às lembranças, ou aos planos para o futuro.
O amor real, independente do tempo , sobrevive. O amor real, não perfeito.
comentários(0)comente



Leo. 16/03/2018

O livro parece mais uma autobiografia do Henry e da Claire de tão físico e perto que eu me senti da vida deles como eu me senti lendo. Eu amei do começo ao fim. Queria eu um amor que literalmente fosse por toda a vida como o Henry proporcionou para a Claire.
comentários(0)comente



CarolSeco Revisora 20/02/2018

Como evitar o inevitável?
Claro que não se deve ficar parado esperando as coisas acontecerem, devemos fazer a nossa parte, mas...

Por mais que se queira, por mais que se tente, o destino já está traçado. Podemos imaginar e tentar prever o futuro, podemos querer voltar ao passado, mas o que tem que acontecer já aconteceu [em algum momento no tempo] e, por mais que seja possível transitar por épocas diferentes, ver o que não vimos, rever o que já vimos, nada podemos fazer para alterar as coisas.

Elas simplesmente acontecem.

A autora narra com maestria a história de Henry e Clare. Eles estão destinados a ficar juntos e vamos acompanhando a história de suas vidas, só há um porém: Henry viaja no tempo.

Ela apresentou a história de forma coerente, mesmo que no passado, no futuro ou no presente, em nenhum momento o enredo fica confuso, tudo é intercalado maravilhosamente.

Ha momentos cômicos, há momentos trágicos, rimos, queremos chorar e tudo faz deste livro o meu preferido desse ano.

Mesmo sendo ficção, tem o fundo realista. O que acontece no livro pode acontecer com qualquer um (exceto a viagem no tempo, rs [por enquanto]). E, apesar de ser realista, não é clichê nem cansativo em momento algum. Admiro! Não é qualquer livro que passa de 400 páginas e não fica cansativo.

Enfim, recomendo. Vale a pena ler e reler.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
TainAires 17/03/2019minha estante
Ainda não terminei o livro e nem sabia que era tão grande pois leio no kindle, mas a relação deles quando a Clare é adolescente eu odiei, da vontade de vomitar até. Eu entendo que se passa nos anos 80 ne, quando era mais aceitável um homem muito mais velho com uma mulher muito mais nova, mesmo assim é nojento.


Krous 18/03/2019minha estante
Sim, me incomodou bastante. Eu vi o filme antes de ler o livro e lá eles conseguiram fazer melhor.


Flávia Pasqualin 22/03/2019minha estante
Concordo em gênero, número e grau. Esse livro tem tanta, mas taaaanta coisa errada que eu fiquei pasma com o fato de quase ninguém ter notado. Tudo bem que ele se tornaria marido dela no futuro, mas eu achei de extremo mau gosto um homem de 40 anos ficar de papinho com uma criança, romantizaram a pedofilia. Sem contar que os personagens são insuportáveis.




Polly 06/12/2017

Confuso e melancólico, mas não de um jeito bom (#027)
Sabe aquelas raras ocasiões em que a adaptação para as telinhas é melhor do que o próprio livro? Pois é, esse é o caso do A Mulher do Viajante do Tempo. A adaptação, não sei por que, saiu no Brasil com o nome de Te Amarei para Sempre. Assisti ao filme há muito tempo e lembro que gostei muito. Recentemente descobri que ele é a adaptação de um livro e logo corri desesperada para lê-lo. A decepção foi grande. A história, como romance, não fluiu tanto quanto como roteiro de filme. Quase não há emoção. É melancólico (principalmente a parte final), mas não emocionante.

O livro conta a história de um casal, a Clare e o Henry. Os dois se apaixonam em circunstâncias completamente incomuns. É que Henry tem uma anomalia genética que o faz viajar no tempo. Henry viaja para passado e futuro, visitando ou revisitando momentos importantes que viveu ou que irá viver. Clare conhece a versão futura de Henry quando ainda é uma criança. Sua infância e adolescência serão marcadas pela presença constante de Henry.

Já o Henry conhecerá Clare, no presente, apenas quando ele tiver 28 anos e ela 20. Clare saberá quase tudo sobre ele (o romance deles será bem confuso). Mas, Henry ainda não é aquele que será no futuro. Clare terá que ter paciência para que o inconsequente Henry do seu presente se torne o homem de suas memórias.

~ A partir daqui pode ter spoiler ~

Bem, é isso. O livro é uma confusão. Vai e volta no tempo, contando o drama do casal. Tem horas que simplesmente não se entende o que acontece, sobretudo no começo. A história é contada tanto da perspectiva do Henry como da de Clare. Se não fosse o início de cada trecho dizendo quem é que está falando, tudo pareceria a mesma voz. Não existe diferença entre discurso de Henry e o de Clare. Tudo bem, eles são almas gêmeas, mas eles não são a mesma pessoa, não é? Não sei se é uma falha da tradução, mas tudo parece ser contado da perspectiva da mesma pessoa. Só lendo o texto original para saber...

O livro é imenso para a pouca história que conta e talvez, as quatrocentas e poucas páginas poderiam ser resumidas em menos de duzentas. Por vezes, em vez de ter a sensação de estar viajando no tempo junto com o Henry, eu sentia estar presa no tempo desses dois. Ficava chato.

Outra coisa que achei superesquisita é que, mesmo nunca fazendo nada em suas visitas à Clare adolescente, o Henry passa a sentir desejo pela garota. Sim, ela será sua esposa no futuro, mas, na ocasião, ela tem 13, 14 anos; e ele tem 30, 40. Não é ser moralista, mas convenhamos, ela tem apenas 13, 14 anos... É, no mínimo, estranho.

Outra coisa que fiquei inconformada foi como o Henry conseguiu nascer. Vai ter um momento que Henry e Clare tentarão ter filhos. Ela consegue engravidar, mas acaba abortando todas as crianças, porque simplesmente todos os descendentes de Henry terão o mesmo problema genético e viajarão no tempo mesmo dentro do ventre da própria mãe. Depois de inúmeros abortos (que é de um sofrimento de dá dó), um médico descobre como fazer os bebês ficarem durante toda a gestação dentro da barriga de Clare. Ela faz um tratamento imunológico. Até aí tudo bem, mas fiquei pensando: como o Henry nasceu? Por que o Henry não viajou no tempo dentro da barriga da mãe dele? Ele adquiriu uma doença quando criança que mudou os seus genes? Isso me incomodou. Ficou sem explicação.

Enfim, A Mulher do Viajante no Tempo não foi meu pior livro, mas também não está na lista dos melhores. A premissa da história é ótima e promete ser envolvente, mas seu desenvolvimento deixa a desejar. Além das falhas mal explicadas. Se recomendo a leitura? Deixo por sua conta em risco! Já vi gente que morre de amores pelo livro. Quem sabe você não seja uma delas.

site: https://madrugadaliterarialerevida.blogspot.com.br/2017/12/a-mulher-do-viajante-no-tempo-audrey.html
Krous 20/12/2017minha estante
Embora não esteja achando o livro chato nem que tem mais páginas do que história concordo com você quanto os pensamentos do Henry sobre uma Clare adolescente. Aquilo não é legal. E a relação de dependência deles... aff! Um só precisa do outro e mais ninguém. E senti que eles se acham melhores e mais superiores a todo mundo. Sempre que alguém os aconselha sobre a relação - que não era pra dar certo - eles falam de destino ou acham que como o Henry viajou no tempo quando a Clare era adolescente, isso é sinal de amor. Daria 5 estrelas fácil para o livro, mas tem umas coisas que estão me fazendo mudar de ideia sobre a avaliação


Polly 04/01/2018minha estante
undefined




thamaralaila 16/11/2017

Perfeito!
Esse é meu livro favorito da vida toda! Amo as passagens de tempo, a forma como os personagens amadurecem e ao mesmo tempo são infantis, as evoluções e a escrita da autora. Anos se passam e continua sendo meu top1
comentários(0)comente



Patricia 09/11/2017

Um dos melhores livros que já li da vida! O que mais me fez chorar, sorrir e amar
comentários(0)comente



Fer 07/11/2017

Maravilhoso!!!
É de longe um dos meus livros favoritos.
A maneira como a autora leva a história e nos faz ficarmos apaixonados por Clare e Henry, é fácil, leve.
Definitivamente, é um livro que cativa e vale a pena.
comentários(0)comente



226 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |