Confissões de uma groupie

Confissões de uma groupie Pamela Des Barres




Resenhas - Confissões de uma groupie


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Ana Lima 27/05/2016

A história que me levou até a leitura desse livro chega a ser engraçada: passei três anos, TRÊS, procurando o livro em toda e qualquer livraria que eu fosse. Cheguei até a compra-lo pela internet mas nunca foi entregue em minha casa. Eis que em minha primeira semana se trabalho... Lá estava ele. O último exemplar da unidade. Apenas me esperando! E foi o primeiro livro que comprei com meu primeiro salário.

Agora vamos para a parte que interessa: Pamela des Barres foi uma adolescente como qualquer outra - conhecia garotos normais, namorava garotos normais e vivia entre os garotos normais, até uma certa manhã de julho dos anos 60. Pela janela de seu quarto, Pamela ouviu os primeiros acordes de uma guitarra e desde então os garotos normais já não eram o suficiente para ela.
Ainda adolescente, se apaixonou e ''desapaixonou'' pelos Beatles, mais especificamente por Paul McCartney, a quem escreveu dezenas de poemas e bilhetes de amor que nunca foram entregues. Pamela morava próxima ao lugar onde o rock'n'roll acontecia - Sunset Boulevard, ou apenas ''Sunset Strip'' - o que permitiu seu ingresso no mundo dos palcos, backstages e after-parties.

Formou uma banda apenas de garotas - as GTO's- produzida por ninguém menos que Frank Zappa, se tornou amiga dos maiores rockstar's de sua época, namorou Jimmy Page, fez turnê com Led Zeppelin, enrolou Mick Jagger... Pamela soube viver o auge dos anos 70 e em meio a tudo isso, conheceu seu atual marido (que estava bem longe dos palcos), a quem dedica a biografia "Ao meu marido, Michael Des Barres, que me ama por quem eu sou e por quem eu fui.'' e conta tudo isso para nós em I'm with the band - Confissões de uma Groupie''.

No cinema, a personagem Penny Lane de Almost Famous, interpretada por Kate Hudson, foi livremente inspirada em Pamela.

site: www.poesiadestilada.com
Sabrina Pais 03/12/2017minha estante
Vish... Eu tô há meses procurando e não acho...


Ana Lima 03/12/2017minha estante
É bem difícil mesmo, eu acho que a editora parou de publicar, eu dei muita sorte. Talvez você encontre usado no Estante Virtual...




Telma 17/06/2012

anos 60 - sexo drogas e rock'n roll
Pamela Des Barres escreve extremamente bem. Tem uma capacidade imensa de colocar em palavras, sentimentos profuntos, momentos de adolescência com os quais, certamente nos identificamos.

O livro é extremamente honesto, irreverente (será?) e eu imagino que várias pessoas censuraram o comportamento dessa moça.

Eu, que nunca fui tiete (fui e sou fã - mas nunca puxei meus cabelos por ninguém), consegui compreender o estilo de vida que ela escolheu. Vi pelos olhos dela.
Inseri-me no cenários dos anos 60 e entendi suas razões em escolher pra sua vida, ser uma "groupie".

Se concordo ou discordo do comportamento é pequeno, perto da oportunidade que Pamela me deu em ser uma "voyer", por 271 páginas.

Não saberia dizer se recomendo ou não. O máximo que posso dizer é "Eu gostei" e, imagino que se você tem curiosidade pelo que rolava lá nos anos 60 e movimento "hippie", vai gostar também.

comentários(0)comente



Chibi 05/01/2012

Sexo, drogas e muito Rock'n'Roll
Histórias reais de uma jovem que viveu Hollywood em seu auge do Rock'n'Roll e conviveu com os maiores artistas da época.
Romance, Paixão, Amor, Sexo, Drogas e MUITO Rock'n'Roll é contato por Pamela, que realmente se apaixonava pela música e vivia ela intensamente.
Muito bom livro para conhecer a realidade não contada pela mídia e saber como iniciou o movimento "grupie" que é distorcido hoje em dia.
comentários(0)comente



Nih 02/05/2011

Sobre as confissões de uma groupie
Pamela conviveu com grandes artistas, mas infelizmente não soube contar essas incríveis histórias.
Seu texto atual se confunde com as anotações antigas, feitas quando ela era jovem. Isso me faz pensar se Miss Pam realmente evoluiu com o passar do tempo e com todas as experiências que teve.
Gostaria de ler esse livro escrito por um ghostwriter, ou mesmo com o auxílio de outro escritor, caso da biografia do Slash. Acredito que isso faria uma grande diferença na qualidade do texto.
comentários(0)comente



Clarissa 04/02/2011

Boa história mal escrita
É um bom livro, mas não é bem escrito... em partes porque alguns trechos são páginas de um diário e contém muitas letras de músicas, muitos exageros... Isso o torna um pouco cansativo.
Porém a história é interessante, Pâmela teve o privilégio de conhecer estrelas do rock nos anos 70 e não poupa detalhes sobre isso.
Outro ponto fraco é o final do livro, muito sem graça. Parece que a história foi ''cortada'', que acabou no meio e ficou faltando alguma coisa.
comentários(0)comente



Elenilson Nascimento 06/03/2010

CONFISSÕES DE UMA GROUPIE
"No livro, Pamela manifesta ainda um comportameto capaz de fazer corar os mais conservadores ainda nos dias de hoje, e pode até ser considerada uma das mulheres pioneiras da revolução sexual ocorrida na década de 60 nos Estados Unidos."
Por Elenilson Nascimento
Aproveitando a minha animação com essa nova turnê "Sticky & Sweet" da Madonna, queria resenhar um livro – totalmente rock´n´roll – que há tempos venho namorando. Confesso que comprei por impulso as “Confissões de uma Groupie” de Pamela Des Barres – CLIQUE AQUI e confira o site dela, mas assim que cheguei em casa e comecei a leitura acabei ficando fascinando.
Jim Morrison (The Doors), Frank Zappa (um dos mais controversos e geniais músicos que já surgiram nesse planeta), Jimmy Page (Led Zeppelin), Keith Moon (The Who), Ron Wood (guitarrista, mais conhecido como ex-integrante dos The Faces e integrante, atualmente, dos Stones), Sting (The Police), Rod Stewart, Bob Dylan e muitos outros caras famosos – ícones da música do século XX – são apenas alguns que deitaram na cama e “comeram” a supertiete americana que, segundo a lenda, foi a mais famosa groupie que já existiu e uma das mais controversas personagens dos bastidores do rock do final da década de 60 e início dos anos 70.
A sua fama se deve à sua incrível disposição de "entreter" os roqueiros mais famosos da época durante suas turnês. De fã adolescente de Paul McCartney, do tipo que escrevia cartas de amor e sonhava em casar com o seu ídolo, Pamela se tornou amante e confidente de artistas como o "número 1 da lista lista de trepadas fora da realidade", Mick Jagger (Stones).


>>> Clique aqui e leia a resenha completa no COMENDO LIVROS:
http://comendolivros.blogspot.com/2010/01/confissoes-de-uma-groupie.html
comentários(0)comente



cherrybomb 09/02/2010

O livro é bem interessante para se ter uma noção de como foi o cenário que envolveu o rock'n'roll na tumultuada e cheia de excessos década de 70. Entretanto a narrativa deixa a desejar, e por muitas vezes se mostra imatura e cansativa. Pamela se perde em alguns detalhes (na maioria das vezes "crises existenciais pré-adolescentes")que pouco tem a acrescentar ao leitor que espera relatos (como sugerido na sinopse) de como era aquele cenário e como agiam aquelas pessoas, diante da visão de alguém que vivenciou tudo aquilo de perto. Mesmo assim vale à pena passar por essas partes maçantes a fim de se sentir um pouco mais próximo de uma década tão delirante.
comentários(0)comente



Dani 02/03/2009

Interessante no sentido de aprender um pouco mais do dia-a-dia da juventude dos anos 60 e 70, principalmente das meninas chamadas groupies, que acompanhavam os astros do rock.
Mas, ao mesmo tempo, Pamela Des Barres se mostra totalmente perdida na ilusão do que aquele momento representava, e dá a entender que ainda não amadureceu o suficiente para mudar sua cabeça. Estranho como até a data em que escreveu o livro ela ainda era obcecada pelos ídolos do rock.
Nara 10/07/2011minha estante
Exatamente o que achei. Parecia o diário de uma adolescente ainda.




8 encontrados | exibindo 1 a 8