Peter Pan Tem Que Morrer

Peter Pan Tem Que Morrer John Verdon


Compartilhe


Resenhas - Peter Pan Tem Que Morrer


41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Tati.Lima 29/10/2018

Pense num q vc jamais cogitaria... inesperadamente surpreendente...
John Verdon fechou a quadrilogia do maravilhoso detetive David Gurney com chave de Ouro, a meu ver...ousando com um final surpreendentemente perfeito, comparado aos seus 2 primeiros livros da saga do detetive Gurney...leitura eletrizante e recomendadíssima, aos fãs de um ótimo thriller policial, assim como eu...
comentários(0)comente



leila.goncalves 15/07/2018

?Parece Que as Portas Do Inferno Estão Se Abrindo...?
Peter Pan Tem Que Morrer" é mais um livro sensacional de John Verdon. O quarto de uma série que vem angariando inúmeros admiradores entre quem aprecia um bom suspense.

Sua história gira em torno de Kay Splater que acaba de ser condenada a prisão perpétua pelo assassinato do marido, um canalha multimilionário que pretendia chegar à Casa Branca. Entretanto, o ex-investigador Jack Hardwick está disposto a provar que ela é inocente com o único intuito de acusar de negligência a Polícia de Nova York e vingar sua demissão por má conduta durante a captura de um serial killer há poucos meses. (Esse episódio aparece no livro anterior, "Não Brinque com o Fogo".)

Para tanto, ele recorre a um velho amigo, o inspetor aposentado Dave Gurney conhecido pela excelente performance para elucidar crimes aparentemente insolúveis. Relutante a princípio, ele acaba aceitando estudar o caso e logo, descobre uma série de irregularidades como um erro de balística, o desaparecimento de testemunhas e a omissão de evidências.

A dupla ainda contará com a ajuda policial Esti Moreno, namorada de Hardwick, na busca do assassino de Carl Spalter. Entre os suspeitos estão sua família disfuncional, um policial corrupto e um simpático mafioso, mas quem rouba a cena é um matador de aluguel cuja identidade é desconhecida. Apelidado de Peter Pan, trata-se de um mestre do disfarce, capaz dos atos mais insanos para atingir seu objetivo.

Começando sem pressa e acelerando até um desfecho cercado de ação, os livros do escritor obedecem uma sequência cronológica que pode ou não ser respeitada. Contudo, se seguida à risca, a leitura ganha uma nova dimensão, a medida que a vida pessoal de Gurney é um ponto de destaque ao longo das narrativa. Em linhas gerais, ele é um homem que sente-se responsável pela morte do filho caçula, possui uma conflituosa relação com o filho mais velho e uma convivência cheia de altos e baixos com Madeleine, sua segunda esposa. Aliás, a origem de sua constante exposição ao perigo é o assunto que vem preocupando o casal nessa história.

Finalmente, Verdon oferece ao leitor todas as pistas para encontrar o responsável pelo crime.. Observe como é possível acompanhar passo a passo o raciocínio de Dave, isto é, a maneira como ele monta as peças desse quebra-cabeça e lembre-se que os crimes mais intrincados tentam ocultar os motivos mais óbvios...
comentários(0)comente



Keidma 30/01/2018

Aposentado, o detetive David Gurney, vive uma vida bem pacata junto a sua esposa, até que um antigo companheiro de trabalho leva para ele uma “porrada” de documentos de uma investigação instigante e intrigante de um caso, e a tarefa dele é desvendar e revelar a verdade sobre um caso onde uma esposa é condenada pela morte do seu esposo Carl Spalter, um homem com uma grande ambição: se tornar governador, mas que sofreu uma atentado no enterro de sua própria mãe e morre tempo depois.
Conforme o detetive vai investigando, percebe que muitas outras pessoas fora a esposa, estaria também interessadas na morte de Carl, mas investigar um caso encerrado se torna uma tarefa, em que David precisa estar sempre à frente dos inimigos para conseguir sobreviver e chegar ao veredicto.
“Gurney já estava familiarizado com os aspectos básicos da topografia, da estrutura, dos ângulos e distâncias. Tudo isso fora documentado no dossiê do caso. Mas ver o prédio, e depois identificar a janela de onde a bala fatal foi disparada — em direção à área onde ele estava agora — tinha um efeito chocante. Era o efeito da realidade colidindo com a preconcepção. Uma experiência que ele tivera em incontáveis locais de crime. Era essa diferença entre uma imagem mental e o impacto sensorial verdadeiro que tornava tão importante estar ali”

Peter Pan quem te morrer é o quarto livro da serie do Detetive David Gurney, mas eu comecei por ele mesmo, e como todo romance policial, eles podem ser lidos em ordem aleatória, apesar de já sabermos quem é o assassino, ficamos mais e mais curiosos para descobrir quem foi o mandante do crime, e durante a leitura com certeza tive vários suspeitos, mas nenhuma suspeita se concretizou.

"Há uma coisa interessante com os olhos, pensou Gurney. Eles contêm e refletem, mesmo com o esforço de esconder, o resumo emocional de tudo o que já viram."
Apesar de não conhecer os outros livros, já desde o inicio é possível notar que David Gurney é um personagem completo e muito humano, com seus medos e dramas reais. O que mais gostei da escrita do autor é que o livro não se resolve simplesmente sozinho, ele narra todos os passos do protagonista com muitos detalhes.
Fiquei bem curiosa para ler os outros livros desse detetive, pois a leitura me prendeu do inicio ao fim. Sem contar com o capricho da edição, com uma capa linda, um livro que com certeza eu compraria pela capa, evidenciando bem o nome do autor, e com tons lindos. Com certeza mais um livro favorito.

Outros livros do autor
Eu sei o que você está pensando – 2011
Feche bem os olhos – 2012
Não brinque com fogo – 2013
Peter Pan tem que morrer - 2015

Fonte – Skoob e Editora Arqueiro



comentários(0)comente



Erikinha 04/08/2017

Brilhante e afiado
"A vida, como todo bom livro, requer um toque de suspense...A mesmice não produz best seller..."

Peter Pan tem que morrer é justamente um cérebro brilhante com uma fascínio pelo impossível.
Dave Gurver é uma mente fora do comum que desvenda quebra cabeças como uma mente afiada e criativa.

Eu amei a escrito do John e quero ler os outros livros desse autor e entrar mais na mente do Dave. Não é uma escrita que desde o início te amarra mais ela aos poucos de seduz.
comentários(0)comente



Renato 04/08/2017

Tinha tudo pra ser perfeito
John Verdon resolveu investir em mais um livro da série do detetive Dave Gurney. Mesmo não tendo gostando tanto da obra anterior (“Não Brinque com Fogo”), não deixei de apostar neste novo enredo do autor, que apresenta uma escrita muito clara e atraente em vários sentidos, mas que acabou se mostrando bem lento.

Gurney é apresentado a um caso pra lá de misterioso outra vez. Carl Spalter foi morto, justamente no funeral da sua própria mãe, e sua esposa Kay Spalter, presa, é a principal suspeita do assassinato. No entanto, com Kay declarando-se inocente e com várias pontas soltas no caso, Dave resolve investigar a fundo o que aconteceu de verdade no misterioso homicídio desse odiado empresário.

E por que o nome Peter Pan no título? Você só fica sabendo claramente depois da página 200, apesar de já ter fortes indícios de quem seja antes mesmo dessa parte. A identidade de Peter Pan não é o grande mistério do livro, mas as motivações para Carl ter sido morto e a resolução de outras questões do mistério.

Embora eu tenha esperado um bom tempo pra ler esse livro, de cara me familiarizei com o caso, que é bastante curioso, com todas as suas complexidades. Quando os próprios familiares são os suspeitos do crime é difícil não se interessar pela trama. Na verdade, é vasto o número de pessoas que tinha motivos para matar Carl, que era detestável, arrogante e maldoso, entre outras características relacionadas à conquista pelo poder.

O livro se desenvolve bem até certa parte, apresentando os personagens aos poucos; as entrevistas na busca por respostas; e as investigações, além da humanização do protagonista e seu casamento. John Verdon revela mais algumas camadas interessantes principalmente de Dave e Madeleine. Porém, após a metade do livro a qualidade passa a cair. Deparamo-nos com situações repetitivas, monótonas ou longas demais, sem necessidade. Fica claro o excesso de páginas para contar uma história que tinha tudo pra ser perfeita.

Temos um caso complexo, temos personagens que poderiam ter sido mais explorados, temos um detetive inteligente, temos as implicações psicológicas, enfim, temos tudo que um bom livro deve ter, mas a falta de um ritmo mais eletrizante e novos eventos surpreendentes durante o enredo deixou tudo muito maçante.

O final é original e coerente, mas não foi o suficiente para justificar o excesso de páginas. Não esperava nada antes de ler, criei expectativa e acabei me decepcionando. Nota 3,5.
comentários(0)comente



Lailie 17/05/2017

Peter Pan um tanto quanto peculiar

"Eu nunca tinha lido um livro deste autor e confesso que não gosto muito de arriscar a leitura de gênero policial com escritores que, para mim, são desconhecidos. Contudo, me surpreendi de maneira positiva, pois além do enredo ser bom, os personagens são tão bem construídos que em determinados momentos, podemos presumir suas próximas ações. Outro ponto importantíssimo é que além dos mistérios a serem desvendados e personagens inteligentes que prendem a nossa atenção, neste livro encontramos boas doses de ação..."
Leia a resenha completa no blog Menina da Bahia.

site: http://www.meninadabahia.com.br/2017/02/resenha-peter-pan-tem-que-morrer-john.html
comentários(0)comente



Saynne 16/05/2017

John Verdon tem uma capacidade criativa incrível! Porém peca um pouco na repetição das ideias. Porém para quem gosta de séries policiais é sensacional. Emoção do primeiro ao último capitulo. Recomendo bastante
comentários(0)comente



Carlos 21/02/2017

"No hay nada en la vida que importe, salvo el amor".

Esta excelente frase de cierre da por concluido uno de los mejores libros que he leído, el primero al que me atrevo a dar la calificación de cinco estrellas.

Este es el cuarto libro que leo de este autor. El primero de ellos Sé lo que estás pensando fue una grata sorpresa. Me encontré ante un autor que sabe como manejar el hilo narrativo, capaz de realizar ciertos saltos en el tiempo que, poco a poco van tomando forma y adquiriendo sentido, aunque el final resultara algo abrupto, decidí que este autor merecía, definitivamente, una segunda oportunidad. Tal es así que no dudé en leer el segundo libro que publicó No abras los ojos, también es un libro excelente así como el tercero Deja en paz al diablo.

No obstante su incuestionable calidad literaria, los dos últimos títulos padecen un gran defecto, resultan algo previsibles en el desarrollo de la historia, la cual conduce a un final abrupto dejando la sensación que la historia podría contarse de una manera más coherente, ello a pesar del excelente manejo que hace el autor de los recursos literarios que posee a su disposición. Esta situación, unida al carácter detestable del protagonista desde el segundo libro contribuyó a cierta sensación de que este autor - John Verdon - a pesar de su incuestionable calidad, aún adeudaba algo...un no sé qué, que lleve a decir WOW.

Ello es exactamente lo que ocurrió con esta cuarta entrega. En esta, puede decirse que lo bueno se inicia ya con el título, algo atractivo como No confíes en Peter Pan. En la misma, igualmente, el carácter del protagonista ya no resulta tan detestable ni está tan irritable. Excelente manejo de los tiempos, de los recursos literarios e incluso de las interjecciones. La historia perfectamente estructurada de inicio a fin mantiene la tensión durante todo su desarrollo. El final para nada abrupto constituye la guinda que corona un excelente libro y constituye un cierre perfecto habida cuenta de la manera en que el libro se desarrolló.

Con este libro, considero que el autor ha superado el grave defecto que han padecido sus libros 2 y 3, cuyos títulos ya he citado, su carácter predecible y los finales abruptos que privaban a la historia de un mejor desarrollo y un acabado más pulido. Considero que el mismo se ha reivindicado, por lo que sí o sí su siguiente obra Controlaré tus sueños estará en mi grilla de lectura.

No obstante lo dicho, recomiendo todos los libros de este autor. Es excelente y esta cuarta entrega, la mejor de todas...al menos hasta ahora.
comentários(0)comente



Patrícia 03/02/2017

O Incansável Peter Pan Tem que Morrer
Esse livro de John Verdon, traz novamente o personagem Dave Gurney, detetive protagonista dos Livros Eu Sei o Que Você Está Pensando; Feche Bem os Olhos e Não Brinque com Fogo (se você não leu nenhum desses não tem problema começar ler Verdon com Peter Pan Tem Que Morrer, eu também não li os outros e não tive problema em entender a história).
É um romance policial em que o Dave terá que investigar um assassinato que é impossível ter aconteceido como descrito pelos dossiê da polícia.
Você deve estar se perguntando, como assim, ele não é detetive ?! Bem, sim, ele é detetive. Só que é um detetive aposentado. (Que confusão !)
Vamos simplificar ?! Dave Gurney, detetive aposentado é contrado para determinar a culpa ou inocência de uma mulher condenada por ter assassinado o próprio marido. Em meio as investigações, ele (Dave) se encontra em um quebra cabeça extremamente inteligente, que envolve máfia, uma mulher sedutora, policial corrompido e um assassino bizarro, com características únicas que o lhe deixou conhecido como PETER PAN (É Guerra !!).
Esse mistério vai deixá-lo, caro leitor, intrigado e a cada página muito mais curioso, sabe por que ?
Porque John Verdon, constroí um texto com escrita profunda, e neste livro ele consegue descrever todas as questões psicológicas e emocionais de seus personagens, ligando a vida pessoal deles com as pistas do caso.
Esse livro possui uma trama complexa, que envolve questões que, juntas, parecem não fazer sentido e conforme o Detetive vai aprofundando nas investigações, e, outras pistas vão surgindo e você se vê um quebra cabeça sem solução, não lhe restará outra opção, você não irá ser capaz de parar de ler esse livro até o crime ser solucionado.
comentários(0)comente



Fagner 30/01/2017

O que achei - Peter Pan tem que Morrer
Mais vídeo galera!!!

site: http://livrosetudomaisquegosto.blogspot.com.br/2017/01/peter-pan-tem-que-morrer-o-que-achei.html
comentários(0)comente



Hester 07/01/2017

Mais um livro eletrizante. Adoro este autor e amei os quatro livros dele que li. Acho que os únicos editados no Brasil. Fui sendo puxada devagarzinho para o enredo e depois nao consegui largar. Espero que editem outros do autor.
comentários(0)comente



AmadosLivros 29/12/2016

Resenha do blog Amados Livros
"Ring around the rosie
A pocket full of posies
Ashes, ashes
We all fall down..." ♪

Fala galera! Andei meio sumida, muita coisa acontecendo, muito trabalho, muita coisa boa e ruim também, infelizmente, mas estou aqui, fiquem tranquilos que de vez em quando eu coloco a cara no sol. E hoje é pra falar de mais um livro que a nossa parceira Editora Arqueiro nos cedeu: Peter Pan Tem Que Morrer, de John Verdon. Que nome, ein? Mas tudo tem um significado. Eu vou mostrar um pouco a vocês.


O livro é o quarto volume de uma série de romances policiais do mesmo autor (Eu Sei O Que Você Está Pensando, Feche Bem Os Olhos e Não Brinque Com Fogo), que envolvem o mesmo personagem principal, o detetive de homicídios do Departamento de Polícia de Nova Iorque, David Gurney. Apesar de ter começado a ler do quarto livro, consegui compreender a história perfeitamente, porque as ligações com os livros anteriores são muito poucas, coisas que não vão fazer tanta diferença para você entender o enredo. Cada livro traz um enigma diferente para o detetive Gurney resolver, e você pode ler a partir de qual quiser sem medo.

(Continue lendo no blog)

site: http://amadoslivros.blogspot.com.br/2015/08/livro-peter-pan-tem-que-morrer.html
comentários(0)comente



Vitória 11/12/2016

Inacreditável
Um homem pequeno com habilidades inacreditável, um homenzinho capaz de matar uma família inteira por um pequeno aborrecimento. Peter Pan é um adulto irreconhecível aos olhos humanos.
Ao se aposentar do Departamento de Polícia de Nova York o detetive David Gurney continua a colocar em pratica o que aprendeu durante toda sua vida, porém, todos os casos que ele acaba aceitando sempre vem com enigmas que não foram decifrados ou casos mãos resolvidos, um exemplo é o seu ultimo caso o Bom Pastor que fez com que Devid ficasse reconhecido por todos. Cento dia Gurney acaba recebendo uma ligação do seu amigo Jack Hardwick um policial grosseirão e debochado que não esconde seu desprezo pelas autoridades que lhe liga pedindo ajuda para resolver um caso mal resolvido.

O caso a ser resolvido é dos Spalter é um caso que envolve vários suspeitos da mesma família, porém as únicas vitimas é a Mary Spalter a mãe de Carl, o candidato ao governo do estado Carl Spalter que foi morto durante o enterro de sua mãe e Kay Spalter que está cumprindo pena por ter atirado no seu marido Carl, entretanto para Jack, o julgamento de Kay teve provas armadas para que ela fosse presa no lugar do verdadeiro assassino.

Durante a investigação dos dois amigos, novos suspeitos perigosos começão aparecer, suspeitos que revelam pistas do caso que além de ajudar complica tudo que eles já descobriram, a sorte é que David gosta bastante de casos complicados e é assim que ele acaba descobrindo que esses caras perigosos estão ligados ao falecido Carl Spalter (....)

Caso queiram terminar de ler essa resenha clique no link abaixo.
http://www.lapisliterario.com/single-post/2016/09/17/Dica-de-livro-Peter-Pan-tem-que-Morrer
comentários(0)comente



Nath @biscoito.esperto 04/11/2016

Peter Panzinho, perfeitinho...
Acredito que esse seja o livro mais ousado que já li do John Verdon. Sou fã desse autor há anos, desde que Eu Sei o Que Você Está Pensando foi publicado no Brasil, e venho acompanhando suas publicações desde então. Meu livro favorito da série David Gurney foi Não Brinque com Fogo, mas posso dizer que Peter Pan Tem Que Morrer é o livro mais inovador até agora.

Tudo começa quando Hardwick, ex-policial demitido por causa de Gurney, procura nosso detetive aposentado preferido para pedir ajuda no seu mais novo caso particular: tirar Kay Spalter da cadeia. Kay foi acusada de matar seu marido rico, mas muita coisa envolvendo este crime parece estranha : apenas um atirador profissional poderia ter matado Carl Spalter, coisa que Kay não era, a forma como ele foi atingido e caiu não combina com o ângulo do tiro e, acima de tudo, ele foi morto durante o enterro da própria mãe.

Gurney sente-se em dívida com Hardwick e decide ajudá-lo. Ele começa a investigação, vai até o local do crime, conversa com várias pessoas e logo percebe que 01) é muito improvável que Kay tenha cometido o crime, ou mesmo que tenha sido a mandante do crime e 02) o assassino (de aluguel) é uma pessoa baixa, muito magra, não dá pra saber se é um homem ou mulher e tem um corpo infantil, a pesar de obviamente ser mais velho.

Conforme a investigação segue seu curso, Gurney tenta se aproximar mais da esposa, Madeline, que tem estado muito distante. Gurney também vem tentando conciliar seu psicológico com tudo o que está lhe acontecendo, desde que tomou vários tiros e ficou em coma. Acontece que, pela primeira vez, Gurney não está lidando com um assassino lógico, que tem muito a perder se for pego: desta vez, ele está contra um assassino de aluguel que é brutal, imprevisível e pronto para matar quantas pessoas precisar, e por diversão ainda por cima.

Esse quarto livro da série David Gurney foi bem diferente dos anteriores. Desta vez Gurney não tem nenhum auxilio policial, está lidando com um assassino completamente descontrolado e cada vez mais se mete numa situação sem volta.

Eu adorei esse livro, pois eu realmente adoro a narrativa do John Verdon, acho os mistérios que ele cria excelentes, e, principalmente adoro o detetive David Gurney. Este não foi meu livro favorito da série, mas eu realmente adorei a leitura e espero ansiosamente pelo quinto livro, Wolf Lake!

site: www.nathlambert.blogspot.com
Loren 04/11/2016minha estante
Preciso ler John Verdon!!! "Peter Pan tem que morrer" e "Eu sei o que você está pensando" já estão na minha lista!




Hoje é dia de Livro 23/09/2016

Peter Pan Tem Que Morrer
John Verdon em 2010 publicou "Eu sei o que você está pensando", seu primeiro romance policial de estreia. Seu sucesso subsequente no mercado o persuadiu a escrever "Feche bem os olhos", seu segundo romance e consequentemente "Não brinque com fogo", ambos seguindo com os mesmos personagens centrais.

Esse foi o início de uma série de thrillers de crime de sucesso absoluto. Em 2014, Verdon nos presenteou com a continuação dessa famosa série literária e "Peter Tem Que Morrer" chega para nós através da Editora Arqueiro com o compromisso de ser tão excelente quanto seus antecessores.

Se você, como eu, é um (a) grande admirador (a) do gênero romance policial – onde a essência da narrativa te envolve do início ao fim – então "Peter Pan Tem Que Morrer" é uma daquelas obras que são indispensáveis de se ter na estante.

O autor John Verdon traz novamente o personagem Dave Gurney – velho conhecido e protagonista de suas obras anteriores: "Eu sei o que você está pensando", "Feche bem os olhos" e "Não brinque com fogo", já citadas, em um novo e fascinante mistério, cheio de riscos, imprevistos e muitos perigos. Acompanhamos o personagem principal, o detetive Gurney em uma nova aventura cheia de mentiras e falsidades, envolvendo um famoso caso de assassinato, onde seu principal objetivo é provar ou não a inocência de um ser humano.

A trama familiar presente na história é notavelmente bem trabalhada e se comparada ela é incrivelmente presente em nosso dia a dia. De forma plausível outros assuntos como política, dinheiro, valores profissionais, deveres éticos e até o crime organizado são abordados com certa maestria, ponto positivo para o autor John Verdon, que consegue criar uma história que não foge da realidade que conhecemos e muitas vezes vivemos.

Porém, se de um lado Verdon trabalha e aborda vários e sórdidos assuntos, “os males do mundo”, de outro ele também consegue abordar assuntos mais afáveis, como o amor familiar, a superação e o companheirismo, partes importantíssimas no desenrolar da história.

"Peter Pan Tem que Morrer", foi uma obra que comecei a ler com certa expectativa, pois infelizmente não possuí a oportunidade de ler os três primeiros livros da série. “Será que vou gostar?”, “Será que terei que abandonar?” foram perguntas frequentes feitas por mim, mas para a minha surpresa, ou nem tanta assim, o livro me conquistou com sua história e com todo o seu desenrolar, e claro que por ser de um gênero que gosto, se tornou um dos meus favoritos. A narrativa é cheia de detalhes, mas com um desenrolar fluido. Encontrei alguns erros de diagramação (página 65 e página 259), mas nada de muito alarmante.

Mas se você chegou até aqui, ainda deve estar se perguntando do por que de “Peter Pan Tem Que Morrer” como título do livro? Bem, isso eu não irei responder nessa resenha, quero deixar em vocês a curiosidade, para que vocês possam descobrir sozinhos o significado do nome e terem a possibilidade de adentrar nessa incrível obra, assim como eu tive.

site: http://www.hojeediadelivro.com.br/2015/08/resenha-peter-pan-tem-que-morrer.html
comentários(0)comente



41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3