Boys Love – Flor de Ameixeira

Boys Love – Flor de Ameixeira Dana Guedes




Resenhas - Boys Love – Flor de Ameixeira


12 encontrados | exibindo 1 a 12


Lorena Miyuki 27/09/2017

Não me lembro bem os detalhes, mas sei que foi uma história que me desanimou por ter pecado _muito_ para o erotismo desnecessário - e quando falo desnecessário, é porque tudo vira motivo de descrever um sexo sem qualquer adendo à história que, por sinal, é fraca também.
Se algum dia eu resolver fazer resenha dessas light novels, volto aqui pra complementar.
comentários(0)comente



Kah Sanches 25/04/2017

Fraco
A leitura é muito fraca. Os desenhos não são bons e a história nao é envolvente
comentários(0)comente



Odin com Pimenta 26/01/2017

Boy’s Love: Flor de Ameixeira, Editora Draco
Poderá o amor florescer enquanto enfrentam o rancor daqueles que já se foram?

Por Débora Leeal

ATENÇÃO: CONTÉM SEXO, EROTISMO, HOMOSSEXUALIDADE

Mais um livro fofo da Bienal de 2015. Este também foi presente: como o dinheiro acabou dei uma chorada pro papai e ele me deu! Amei o livro, a história é simplesmente linda, fofa e com traços de terror e suspense, o que deixa o livro melhor ainda.

O livro começa quando Naoki Fujimoto muda-se para uma cidade bela e tranquila no interior do Japão chamada Kushiyama. Sabemos que nunca é fácil ser novo em uma escola, em um novo local e dificulta mais ainda se você for tímido e solitário. O rapaz tem o começo do ano letivo meio conturbado em sua nova escola e o bullying está longe de ser o pior que poderia acontecer!

É um livro mega kawaii com um romance lindo que desabrocha entre os personagens como uma linda flor de ameixeira, porém não se deixe enganar, o livro tem seu terror e seu mistério também.

Um livro ótimo, tive uma leitura rápida e empolgante, a história te prende e te deixa fascinado para descobrir o mistério por trás dos personagens. É aquele tipo de livro que não te deixa dormir!!!

Altamente recomendado por mim e pela equipe do Odin com Pimenta.

SERVIÇO
Título Completo: Boy’s Love: Flor de Ameixeira
Autora: Dana Guedes
Ilustrações: Nyao (Kuloh)
Editora: Draco
Edição: 1ª
Gênero: Yaoi, romance, suspense
Páginas: 62

site: http://odincompimenta.com.br/livros/resenha-boys-love-flor-de-ameixeira-editora-draco/
comentários(0)comente



Vanessa 17/11/2016

Suspense e Romance com clima de Mangá
Flor de ameixeira tem um delicioso clima de suspense que deixa você preso a leitura. E o fato de ele juntar jovens estudantes, com fantasmas e brincadeira do copo, deixa as coisas mais próximas para todos. Fica fácil de você se imaginar no lugar de Naoki, pensando o que você faria, se a sua inocente brincadeira do copo terminasse da mesma forma . Além disso, tem as ilustrações de Nyao (Kuloh) que só ajudam a atiçar a nossa imaginação. Falando em imaginação … Bom, não vá achando que o clima de Romance é apropriado para menores, por que não é. Naoki e Takuma protagonizam cenas quentes de descoberta do próprio corpo e de seus limites. Cenas ou leitura, quente o suficiente para deixar qualquer romance masoquista no chinelo.

“Boys Love – Flor de Ameixeira” pode até ter um pouco de clichê e ter frases de efeito… mas também é uma leitura gostosa, que prende a gente do início ao fim. Recomendo para quem gosta de um bom suspense, de mangá e claro…. romance.

site: https://dicadoleitor.wordpress.com/2016/10/24/suspense-e-romance-com-clima-de-manga/#more-2682
comentários(0)comente



Ler é Literário 04/10/2016

Olá literários e pessoas apaixonadas por livros!!!
Tudo bem com vocês??

Eis que depois de um bom tempo sem postar uma resenha, enfim resolvo trazer minha opinião sobre o livro Boy's Love: Flor de Ameixeira. Só para que vocês possam saber eu recebi esse livro de uma parceria honorária que estou tendo com a própria Editora Draco e que está com um projeto super interessante que é: a Ação de e-books da Draco na Amazon, caso vocês queiram saber mais sobre essa ação é só clicar aqui.

Boy's Love: Flor de Ameixeira é o terceiro livro da série Boy's Love, escrito pela autora Dana Guedes e lançado pela Editora Draco. O livro traz uma história LGBT com um toque de história japonesa, o que lembra ás vezes os animes e hentais japoneses.

O livro nos traz a história de Naoki Fujimoto, um garoto de apenas 16 anos que acaba de se mudar para a cidade de Kushiyama. Logo, no seu primeiro dia de aula Naoki é abordado por um grupo de alunos que fazem parte de uma gangue e que acaba por fazer um desafio para ele para que assim ele possa quem sabe entrar na turma deles.

"- Não estou atormentando, estou dando boas vindas ao nosso novo colega de classe! Não é? A regra da boa educação diz que tem que se apresentar e respeitar os mais importantes! Me chamo Arata Honda, sou o líder da maior gangue dessa escola. Ninguém se diverte aqui sem a minha autorização. Ninguém é feliz aqui se não for meu amigo. Se quer se dar bem nessa escola, Fujimoto, tem que fazer tudo o que eu mandar. Estamos entendidos?"

O desafio é bem simples, Naoki terá que jogar um jogo macabro chamado Kokkurin-san (só para que vocês entendam meus literários esse jogo é aquele típico jogo parecido com o do copo que você tenta se comunicar com algum espírito) porém ao jogar esse jogo que parece apenas uma simples brincadeira, Naoki junto com os garotos da gangue acabam por invocar um espírito vingativo e que está com uma sede de sangue terrível.

[...]

LEIA MAIS DA RESENHA NO BLOG

site: http://lereliterario.blogspot.com.br/2016/10/resenha-20-boys-love-flor-de-ameixeira.html
comentários(0)comente



Lu 28/09/2016

Fofo e delicado
"Boy's Love – Flor de Ameixeira" vai nos contar a história de Naoki e Takuma. Naoki é novo na escola e se envolve num jogo macabro para conversar com os mortos, mas algo sai completamente fora dos planos dos garotos que participavam do jogo e uma alma passa a perseguir Naoki. Em meio ao medo e desespero para que tudo volte a ser como era antes, Naoki e Takuma vão descobrir mais do somente a saído do jogo macabro.

Quem me conhece há um tempo sabe que eu amo YAOI desde o tempo que comecei a escrever publicamente, ou seja, no Orkut lá por 2005. Eu tinha uma comunidade de fanfics com bandas e eu AMAVA (e ainda amo) escrever YAOI entre os integrantes de banda e tinha muitos leitores.

"O momento em que todos os olhares se voltavam a Naoki, quando ele se levantou e caminhou à frente da sala, escrevendo na lousa os Kanjis que compunham seu nome. Não importa quantas vezes ele já tenha feito aquilo, sempre se sentia nervoso tendo que falar a tantos desconhecidos."

Bom, hoje em dia não sei como é a aceitação das pessoas com relação ao YAOI pois não escrevo nada nessa temática desde 2008 e não acompanho mais as histórias com tanta frequência, então quando tive a oportunidade de ler "Boy's Love – Flor de Ameixeira", fiquei tão animada que não esperava a hora de receber meu promocode e ler correndo.

O livro é bem curtinho, MUITO gostoso de ler e conta com ilustrações lindas e delicadas. Apesar de ser indicado para maiores de 18 anos, "Boy's Love – Flor de Ameixeira" conta com cenas muito fofas entre os protagonistas e a cena de sexo, em si, não é nada bizarro ou chocante. Conseguimos sentir todo o carinho e desejo que circula entre os corpos dos meninos em uma cena muito bem escrita e cheia de significado.

"Naoki fechou os olhos, sentindo-se seguro pela primeira vez desde que tudo acontecera."

Não há muito mais o que se falar do livro, por ter somente 64 páginas, qualquer detalhe, por mínimo que seja, entregaria a maior parte da história, mas se você é daquelas pessoas que acha que amor não tem rótulos, saiba que "Boy's Love – Flor de Ameixeira" é para você. Dana consegue nos transmitir uma história de amor muito sensível, bem descrita e com outros mil detalhes da vida de um adolescente descobrindo o amor.

site: http://lumartinho.blogspot.com.br/2016/09/boys-love-flor-de-ameixeira-dana-guedes.html
comentários(0)comente



Tuanny 30/08/2016

Uma história muito fofa! Boy's love!
Foi meu primeiro contato com livros dessa classificação e um dos poucos nacionais que já li, de inicio achei que fosse odiar a história, mas para variar, livros que eu acho que serão ruins, me surpreendem no final. Não tenho muita experiência com livros do tipo, assistir a poucos animes, quando acompanhava meu namorado, que por sinal, AMA!. A história acontece no Japão, e acabou misturando duas coisas que eu achei diferente mas que no fim ficou bom, que foi o relacionamento de Naoki e Takuma e o jogo Kokkuri-san para falar com os mortos, eu que sou viciada em terror, quando vi a cena acontecer ali no livro, achei que o livro ganharia tipo um dez na minha lista. Quando começou o ritual de iniciação com o tabuleiro Ouija, achei que a história tinha acabado de começar, e na minha velha cabeça, teria mais umas cem paginas a frente só desenvolvendo sobre o tabuleiro, e foi a única coisa que senti falta, a trama aconteceu tudo muito rápido e quando eu achei que estava começando, eu tinha acabado o livro. Achei toda a história muito boa, a Dana teve uma inspiração maravilhosa, mais aconteceu tudo muito corrido, e eu senti falta de um desenvolvimento maior, mesmo ela não tendo deixado nenhum buraco ou detalhe escapar.
Essa foi a primeira impressão do livro, não tinha gostado do tamanho, mas tinha adorado a história, o terror misturado a um relacionamento gay, como ela conta a primeira relação de Naoki e Takuma. Fui atrás então sobre mangás e classificações semelhantes, já que esse seria meu primeiro contato, e entendi que apesar de ter achado a Dana culpada pelo não desenvolvimento da história, entendi que são aspectos característicos de livros assim: curtos, diretos e fofos! Então Parabéns Dara, foi uma ótima história, acho que a minha falta de conhecimento com mangás, me fez sair da minha zona de conforto e achar coisas erradas do livro, mais na verdade gostei de ter saído da minha zona e conhecido esse estilo de história.

site: www.omundodatutty.blogspot.com
comentários(0)comente



Priscila 08/01/2016

Um livro nacional bem diferente
Então, Boys Love foi o primeiro livro que terminei esse ano. Confesso que esperava algo a mais desse livro, mas mesmo assim recomendo para quem gosta de yaoi (histórias de mangás ou animes que tem como tema relações homossexuais masculinas). Um dos motivos que eu esperava algo diferente foi que eu estou acostumada a ler mangás yaoi e assistir animes. Achei que a historia seria no Brasil e não no Japão, a escritora teve um grande conhecimento sobre isso e não deixou a desejar sobre o conhecimentos de assuntos relacionados a esse país. Quero um livro de yaoi que se passe no Brasil seria tão interessante.
Boys love tem a escrita simples e gostosa de ler, li em apenas um dia. Se você quer conhecer recomendo muito, temos que valorizar os escritores nacionais.
Então o livro conta a historia de Naoki Fujimoto, ele acaba de entrar em uma escola nova e não conhece ninguém mas logo acaba por se envolver com alguns alunos, e esses coagem ele a participar de um ritual de espíritos, entre esses amigos está Takuma.
Naoki é um personagem principal bastante tímido, que vive sozinho seus pais estão sempre viajando. Já Takuma é o oposto é um personagem forte, bem desenvolvido.
Mas então nessa brincadeira de ritual algo sai errado e um espirito passa a perseguir Naoki, e Takuma passa a ajuda-lo, é nesse momento em que tem o envolvimento deles, algo que parte da amizade para ao algo a mais. De todo o livro só não gostei da parte em que quando eles estão se envolvendo eles dizem não ser gay, achei essa parte desnecessária.
Enfim, recomendo esse livro. A Draco fez uma bom trabalho na parte gráfica gostei do acabamento do livro e das folhas, algo que tornou a leitura agradável.

site: http://leituramanialer.blogspot.com.br/2016/01/boys-love-flor-de-ameixeira.html
Dana 19/01/2016minha estante
Já tinha lido sua resenha no blog e agradeço muito! Obrigada! =)




spoiler visualizar
Lorena Miyuki 16/11/2015minha estante
MEUDEUS
Eu tava escrevendo uma pseudo-resenha e resolvei ler a sua antes...
Acho que nem vou precisar terminar porque já tá tudo aí! Tudo o que eu queria falar sobre essa decepção - principalmente a parte do "ah, mas eu não sou gay" que, uuugh, a irritação cresce só de ler isso.
Enfim.
Alguém que me entende! Tô até aplaudindo :)


Josy 27/11/2015minha estante
Tudo que tenho a dizer é: Obrigada por expressar meus sentimentos sobre esse livro.


Dana 02/12/2015minha estante
[postando de novo porque o skoob deletou metade do meu comment]

Oie! Tudo bem?
Em primeiro lugar, muito obrigada pela sua resenha. Fico feliz que você se interesse por literatura nacional, a ponto de ter comprado só pra conferir, isso é uma atitude muito legal e motivadora =)
Também gostaria de agradecer sua resenha sincera. Acho bem válido muitos pontos que você mencionou e apesar do que você possa ter pensado sobre mim, eu também estou no fandom de BL há bem mais de 10 anos. Leio muito yaoi, também já escrevi muitas fanfics, rps e etc, mas cada história para publicação nacional é um novo desafio e uma coisa nova para se aprender. E eu tento aprender bastante com meus erros =)

O "Flor de Ameixeira" foi meu primeiro conto publicado no universo Boy's Love. Apesar dele ter sido lançado só agora na versão impressa, a edição em ebook foi lançada há mais de dois anos e era para ter sido parte da primeira antologia Boy's Love, a que você citou. Por conta disso, foi bem complicado para mim compilar todas as ideias dentro das restrições de caracteres, por isso pode ter dado essa impressão de que estava 'corrido demais' ou que eu não dei o background suficiente para isso.

Mas nunca, em momento algum, minha intenção foi criar um background qualquer para sexo. Ou que eu não estava preocupada com o conteúdo. Assim como eu não 'justifiquei' o fato deles 'não serem gays' por conta de machismo ou qualquer coisa assim. Eu sou uma pessoa de mente beeem aberta. O que acontece é que, como você disse, no Japão toda a questão de se assumir é bastante complicada e nenhum deles (especialmente o Naoki) havia pensado nas coisas dessa forma. Justamente por isso eu não quis colocar algo tão natural como "é, aham, eu descobri agora que sou gay e estou super ok com isso". Mas entendo que essa explicação possa ter ficado muito superficial e dando margem a alguma impressão errada. Obrigada por pontuar =)

De qualquer forma, quis te responder para você não pensar que eu sou alguma maluca que escrevo BL sem base nenhuma para isso, hahahahaha é bem o contrário, na verdade, sou bem assídua no fandom. É uma pena que minha primeira obra não tenha te agradado, espero que as próximas possam te deixar mais contente =)

Aliás, a Editora Draco é muito legal e sempre incentiva a literatura LGBT, se você seguir a página deles, vai ver bastante coisa legal. A Draco é uma editora nova, assim como eu também sou uma autora nova e vamos todos nos aperfeiçoando juntos.

Beijinhos!


Anne L. 01/01/2016minha estante
Cê desculpe, mas ficou parecendo que não tinha base com essas coisas todas que eu apontei. Eu sei como é no Japão, só que às vezes não precisa tratar da questão de machismo/homofobia que rola lá só porque a história se passa lá. Achei que não acrescentou nada esse "não sou gay" assim solto, e também não acrescentaria nada se eles dissessem "opa, cabei de perceber que eu sempre fui gay". Não teve contexto/espaço na história pra coisa assim. O sexo mesmo achei fora de lugar. Não sei se era exigência da editora que tivesse, mas ficou do nada, e aí só prejudicou o relacionamento deles, porque tavam lá de boas como amigos, mas, de repente, queria se pegar.

No mais, eu sigo a página da Draco, mas a falta de revisão nos livros deles me decepciona demais, e sei que não adianta enviar mensagem falando sobre isso (coisa que eu já fiz), porque eles simplesmente ignoram.




melissa 02/10/2015

Flor de Ameixeira - Blog Livros de Fantasia
Vamos conhecer Naoki Fujimoto, um novato na escola que é coagido a participar de um ritual de iniciação assustador: conversar com espíritos num tabuleiro ouija. Mas é em meio a esse clima tenso que ele vai conhecer Takuma e novos sentimentos.

Okay, eu vou confessar uma coisa pra vocês: eu não sei nada de mangá nem de cultura japonesa. Sério. Minha experiência se limita a ter assistido a animes como Sakura Card Captor e Death Note (os dois com um apelo bem boy's love, inclusive). Talvez por isso eu tenha tido um estranhamento em relação a Flor de Ameixeira: o livro, que se passa no Japão, usa vários convenções de mangás e animes e eu fiquei meio boiando. rs

Não, não é mal feito. Na verdade Dana Guedes fala tudo com bastante propriedade. Inclusive ela tem um contato próximo com cultura japonesa e até conhece a língua! Foi mesmo a minha falta de familiaridade com o gênero que me fez achar que tudo acontecia rápido demais na história sendo que isso é comum em mangás/animes. Acho que temos que ter humildade de assumir quando saímos da nossa zona de conforto e quando simplesmente desconhecemos alguma coisa.

Mas vamos à história: Naoki se mete nessa roubada que é o Kokkuri-san. Nesse ponto posso dizer que não fiquei perdida: a cena em que eles jogam é bem escrita e até a pessoa leiga aqui conseguiu sacar as regras (lembrei do jogo do copo que fazíamos na escola rs). Mas Flor de Ameixeira manifesta mais seu toque de terror quando o fantasma que se comunica no jogo começa a perseguir o coitado do Naoki.

Mas ele não está sozinho. E é aí que entra Takuma dando a cara boy's love da história. Takuma é decidido, confiante, até meio aparecido, mas é simpático como novato Naoki. Em meio a medos e assombrações, os dois vão se envolver em algo mais que a amizade. O livro vai contar com cenas fofas, mas também picantes, entre os dois.

A resolução final me satisfez visto o tamanho do livro. Gostei da inserção de temas como bullying e relacionamentos abusivos na história. É sempre bom ver esses temas serem tratados em livros com um apelo fantástico. A edição é muito caprichada com ilustrações e pequenos detalhes que todo leitor voraz adora.

Se você é fã de mangás, animes, cultura japonesa e yaoi então você vai realmente amar esse livro. Eu confesso minha falta de familiaridade. Talvez eu deva me aventurar mais pra esse lado, não?

site: http://livrosdefantasia.com.br/2015/10/02/flor-de-ameixeira/
Dana 02/12/2015minha estante
Muito obrigada pela resenha, Melissa ^w^ você sempre esse doce de pessoa!




PorEssasPáginas 25/09/2015

A Cuca Recomenda: Boy's Love - Flor de Ameixeira - Por Essas Páginas
O light novel Boy’s Love – Flor de Ameixeira superou minhas expectativas e, além de delicioso, tem uma pegada que eu A-DO-REI de terror japonês, sem perder, é claro, o romance super kawaii.

Boy’s Love – Flor de Ameixeira é uma história tipicamente japonesa: lê-la é como mergulhar em um anime ou um mangá, sem perder em nada o clima ou os costumes do Japão. A ambientação da Dana Guedes é tão caprichosa que você se sente nos cenários; na realidade, eu me senti como se estivesse assistindo a um anime japonês (como sou fã assumida de Sakura Card Captors e AMO o Touya e o Yukito, logo me vi “assistindo” a algo como esse anime, com direito às badaladas da escola da Sakura!). Mas, melhor que a sensação de assistir a um anime japonês, é também possível perceber o estilo próprio (e fofo) da Dana a cada linha do livro.

Geralmente reclamo de obras brasileiras que se passam em outros países. Sim, eu sinto falta de ambientação no nosso país e sempre que escrevo ambiento aqui (exceto, é claro, quando ambiento em universos fantásticos próprios). Mas senti que Boy’s Love – Flor de Ameixeira não poderia se passar em outro lugar e o ambiente combinou perfeitamente, tanto com a história quanto com o tema – desde o yaoi até a trama de fantasmas que permeia a história. Dificilmente digo isso, mas não vi como aquelas coisas poderiam se encaixar aqui no Brasil, o que faz com que eu tire o chapéu pra Dana: ela foi uma das pouquíssimas escritoras que me fez enxergar isso. Não, a Cuca não vai deixar de levantar bandeiras verde-e-amarelas defendendo mais histórias no Brasil e mais autores brasileiros escrevendo livros e contos que se passem aqui. Mas esse livro me fez ver que talvez, de vez em quando (e com muito capricho e cuidado), alguns livros/contos brasileiros podem se passar em outros lugares. (Mas não vamos exagerar, ok?)

Voltando ao livro: Naoki Fujimoto é um garoto que vive se mudando, por causa do trabalho dos pais; em mais uma dessas mudanças, ele se mete em uma encrenca com uma gangue na escola e acaba em um “ritual de iniciação” com um tabuleiro ouija. Bem, vocês já viram filmes sobre isso, certo? Sempre dá errado. Mas, nessa mesma noite, há esse outro garoto, Takuma Hisakawa, que ajuda Fujimoto, mesmo depois da tal noite sinistra, quando um fantasma parece persegui-lo. Toda a trama foi muito bem construída, utilizando-se das crenças e da cultura japonesa; dá pra perceber como a autora domina o tema que escolheu. E como eu simplesmente adoro uma história com um toquezinho de terror, bem, nem preciso dizer que isso me conquistou por completo, certo?

Mas o livro, afinal, é um romance – e dos mais fofos. A atração entre Fujimoto e Hisakawa cresce, culminando em cenas muito kawaii e algumas bem picantes, como deve ser um bom lemon. As coisas acontecem um pouco depressa, sim, mas achei que a Dana trabalhou bem com o tamanho que tinha disponível e a sensação foi de realmente estar assistindo a um episódio de anime – rápido, mas no ponto.

Sobre a edição, a Editora Draco está de parabéns: desde o trabalho da capa até o papel, a diagramação confortável e, principalmente, as lindíssimas e delicadas ilustrações internas, em estilo mangá, de autoria da Nyao (Kuloh). Dá vontade de emoldurar todas elas de tão fofas! Elas não só complementam o livro, como também são responsáveis em grande parte do “clima” de mangá/anime, enriquecendo e muito a experiência. Fantástico!

Resumindo: se você curte romance, yaoi, histórias leves de terror e mangás e animes japoneses, você precisa mergulhar nesse livro. E mesmo que você torça o nariz para alguma dessas coisas, dê uma chance, porque Boy’s Love – Flor de Ameixeira definitivamente é cativante e pode te conquistar, como fez comigo. Ai, ai, ai, Takuma!

site: http://poressaspaginas.com/a-cuca-recomenda-boys-love-flor-de-ameixeira
Dana 02/12/2015minha estante
Obrigada pela resenha, com essas palavras tão cheias de carinho =******* beijos




Alice.Livia 10/09/2015

A coisa MAIS KAWAII DESU NE que já li *m*
Flor de Ameixeira. O que dizer dessa "Light Novel" linda?
Confesso que fiquei impressionada com o nível de profundidade da história. Não só do enredo, mas da preocupação em buscar as referências históricas do famoso kokkuri-san! É uma história leve, doce... com um quê de suspense que apenas acentua esse "sabor"
E as ilustrações?! Lindas! Cada expressão trabalhada de forma simples e delicada...!
Adorei a leitura e não me arrependo em nenhum instante de ter comprado.
Obrigada pelo trabalho e espero um Flor de Ameixeira 2, quem sabe?!
Dana 11/09/2015minha estante
Oi Alice! Que coisa mais fofa a sua resenha, quase derreti aqui enquanto lia *w*
Fico muito feliz que você tenha gostado, eu adoro esse tema de assombração japonesa e quis arriscar colocar isso no meio de um romance, que bom que você gostou! A Nyao vai ficar muito feliz também em ler isso sobre as ilustrações dela, eu também amo! Obrigada mesmo pelo comentário tão fofo *_*




12 encontrados | exibindo 1 a 12