Zoo

Zoo James Patterson




Resenhas - Zoo


2 encontrados | exibindo 1 a 2


Cabine de Leitura 06/09/2015

Literatura apocalíptica.
Quando recebi a lista de lançamentos de agosto da Editora Arqueiro, fiquei fascinada com a variedade de títulos e gêneros literários que teríamos dentro do mês. Li e reli as sinopse de todos, para ver qual escolheria para ler e fazer a resenha.
Fiquei tentada a me manter na zona de conforto lendo o que estou habituada, como os romances por exemplo. Mas resolvi me aventurar e escolhi o livro Zoo do autor James Patterson.

O livro é diferente de tudo que já tinha lido até o momento, e eu me surpreendi. Li o livro em três dias e nos intervalos da leitura ainda ficava com a estória rondando meus pensamentos. Mas chega de papo e vamos a resenha para vocês saberem um pouquinho do que estou falando.

Para começar o livro é divido em quatro partes. No primeiro, intitulado o começo do fim, vamos conhecer Jackson Oz, um quase biólogo, que abandou os estudos para se dedicar ao máximo a sua teoria, até então uma teoria com que ele gasta todas as suas economias
para tentar provar a veracidade. Oz passa os dias em um apartamento que divide com seu amigo Attila, ironicamente um macaco. Lá ele vasculhas sites e canais de TV que comprovem que a sua teoria tem fundamento e manter atualizado os seguidores de seu blog sobre a CAH, que é a sigla para Confronto entre Animais e Humanos.

Basicamente eu acreditava que o comportamento animal estava mudando no mundo todo. Nada para melhor. Nem um pouco, em todos os continentes, cada vez mais espécies começavam a mostrar comportamentos hiperagressivos em relação a um animal específico.
-Página 20

Natalie é a namorada desse excêntrico blogueiro e tenta na medida do possível apoiar as "loucuras" do namorado, mas uma viajem inesperada vai levar Oz para Africa, onde ele acredita que terá as provas necessárias para provar e alertar o mundo para CAH. O que Oz não sabia é que não só conseguirá provas suficientes como conhecerá a Bióloga Chloe, por quem despertará de imediato uma afeição. A narração desta viagem está no livro dois.

Chloe não era apenas bonita. Havia algo mais em sua expressão, austero e aristocrata. Ele era linda.
-Página 84

Com as provas em mãos ele vai batalhar para alguém lhe ouvir, mas isso não será uma tarefa fácil.

O senhor não nos informou sobre algumas afirmações radicais de seu blog. Precisamos de propostas sobre problemas de preservação de animais, não de um lunático com uma teoria da conspiração sobre animais tomando conta do planeta.
-Página 120

De volta de sua viagem, um tanto quanto turbulenta, o nosso protagonistas ganha, a muito custo, a atenção que queria para provar que infelizmente a sua teoria sempre esteve certa. Apesar de tantos anos de pesquisa Oz não consegue definir o porque de toda essa mudança no comportamento dos animais e ele contará com antigos amigos da faculdade para ajuda-lo a descobrir o que influencia os mamíferos atacam de forma brutal o Homo Sapiens, dilacerando seus corpos como se carregassem uma raiva incontrolável dentro de si.

No mundo inteiro, os animais e de repente estão atacando os humanos sem nenhuma razão?Mas não atacam os outros animais? Quer dizer... como é possível? Por quê?
Por que agora? Parece... uma maluquice completa.
-Página 92

Quando as autoridades se convencerem de que a ameça é real, a situação já estará fora do controle e o mundo já começou a se transformar em uma grande selva e ninguém melhor para ajudar o governo a achar uma solução do que o próprio anunciante do caos. Nessa nova etapa de sua vida, Oz precisará ser mais forte do que nunca, para proteger a sua família e tentar achar uma solução para frear a carnificina que toma conta das ruas.

Na ultima parte do livro, já terão se passado cinco anos do começo do fim e Oz ainda trabalhava sem parar, tentando lidar com CAH, seja fazendo autópsias em animais que variam desde um simples esquilo até ursos russos ou participando e desgastantes audiências no Congresso para tentar convencer os que ainda se mantinham incrédulos quanto a anormalidade que acontecia aos olhos de todos. Vamos ler sobre relatos de ataques animais espalhados por todo o globo terrestre e claro que vamos finalmente descobrir o que tem instigado essa fúria selvagem.

Acabou que o apocalipse ia chegando bem devagar. Sem incêndios e enxofre, mas com ferrugem e dentes-de-leão. Não numa explosão, mas num suspiro.
-Página 146

Durante a leitura vamos notar o amadurecimento do personagem principal, seja em momentos de crise ou na casualidade da vida e como este livro é apenas o começo do fim, vamos ficar loucos por uma continuação.

O livro é em sua maior parte descrito pelo próprio protagonista e não se deixe ser levado pela ótima imagem da capa, acreditando que os ataques vem apenas das feras, pois no decorrer da estória vamos ver ele vindo de todo quanto é animal e posso apostar que a partir desta leitura você vai olhar seu bichinho de estimação com outros olhos.

Um livro instigante, uma história muito bem estruturada, que foge totalmente do clichê da literatura apocalíptica que temos visto ultimamente. Nos mostra um apocalipse diferente, mas totalmente plausível.

site: http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/2015/09/resenha-zoo.html#more
comentários(0)comente



Jansen 08/09/2015

Bom livro. Trata de um tema novo, dentro dos problemas ambientais, ou causados pela irresponsabilidade ambiental com que temos tratado o planeta. O aumento dos hidrocarbonetos provocado pelo uso exacerbado do petróleo em paralelo com as emissões de ondas das torres de celulares, provocaram no cérebro dos animais um desejo violento de matar pessoas. Inicialmente numa escala pequena atinge proporções mundiais e caminhando para o extermínio da civilização. Algo aterrador.
comentários(0)comente



2 encontrados | exibindo 1 a 2