A Luz de Cada Mundo

A Luz de Cada Mundo Rennan Andrade




Resenhas - A Luz de Cada Mundo


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Silvana - Blog Prefácio 30/07/2015

Quem é Ryze Hope? Nem ele mesmo sabe. Alguns o conhecem como o garoto da ultima carteira no fundo da sala, outros como o garoto de olhos e cabelos azuis. O certo é que ele é aquele garoto que quer ficar curtindo sua solidão. Por isso ele estranha quando chega uma garota nova na escola e vem puxar conversa justamente com ele e acaba sentando na carteira em sua frente. E mesmo ele deixando claro que não quer fazer nenhum amigo, ela acaba se apresentando como Chloe Lights e pelo visto ela não está nem um pouco intimidada por ser seu primeiro dia na escola, pois, não para de falar. Mas o mais estranho é que o colar de Ryze, um colar com uma esmeralda que ele usa desde que nasceu, começa a brilhar assim que Chloe chega perto dele.

Depois da aula ele começa a caminhar em direção a sua casa como sempre faz, quando alguém começa a gritar seu nome. É claro que é ela, Chloe. Ela diz que eles moram na mesma direção e que eles podem ir embora juntos. É quando ele vê um brilho avermelhado vindo do braço de Chloe. E quando ele fala sobre isso, ela diz que não é nada e vai embora apressada. Mais tarde, ele é obrigado a ir a uma festa de aniversário de sua prima e por coincidência ele encontra Chloe na festa, ela está passando um tempo na casa de seu tio. E quando eles conversam a sós, ele percebe o brilho no braço dela novamente, só que agora ele vê que o brilho vem de uma pulseira que está no braço dela. Chloe não tem como negar e diz que aquela pulseira está com ela desde a maternidade e que começou a brilhar quando chegou perto dele.

Então Ryze mostra seu colar. Eles começam a conversar e percebem que nasceram no mesmo dia e no mesmo lugar e que os dois ganharam essas jóias na maternidade. Isso não é mais coincidência, só pode ser algum tipo de magia. Então eles decidem investigar e procuram o médico que fez o parto deles. Qual não é a surpresa deles ao ver que o médico aparenta ter uns 30 anos. Mas isso seria impossível já que ele fez o parto deles a dezesseis anos atrás. Mas o médico tem as respostas que eles procuravam. Ele diz ser o Guardião mágico deles e que foi ele quem deu os poderes deles e os manteve seguros até agora. Então eles descobrem ser parte de uma luta entre o bem e o mal que já dura vinte mil anos, que existe um rei da magia negra que retorna a cada mil anos, cada vez mais forte e que dessa vez eles são os escolhidos para combatê-lo.

"— Vocês devem viajar pelos mundos ameaçados pela magia negra para restabelecer o equilíbrio entre os dois tipos de magia: a negra, e a pura. (...) — Essa é a outra parte da missão de vocês: restaurar a luz. Cada mundo tem um humano representante da luz, que nesse momento, deve estar perdendo a fé. Vocês tem que achá-lo e restaurar essa fé, só assim o equilibro entre a luz e trevas vai ser restaurado."

Sabe quando você começa a ler um livro e já no primeiro capitulo você sabe que o livro é ótimo? Foi assim com esse. Já no começo da história eu sabia que era bom e não consegui mais largar. É tão bom quando acontece isso, porque ultimamente só tenho lido livros que o começo é bem arrastado e só melhora depois. Quando fiz a postagem anunciando a parceria com o Rennan, a maioria dos comentários foram sobre o autor ser bem novinho. E agora depois de ter lido seu livro, posso dizer sem sombra de duvida que apesar da pouca idade, talento ele tem de sobra. A história tem de tudo um pouco, aventura, muita ação, lutas, magia, romance e uma coisa que gostei muito, é a forma divertida com que o autor contou a história.

Talvez por ter sido narrada sob o ponto de vista de Ryze, um personagem que apesar de marrento, é muito simpático, mesmo sem ele querer e ele não quer, a narração ficou com uma pontinha irônica, e isso fez a diferença. Chloe também é muito divertida. Quando li na sinopse que ela era uma patricinha, achei que ia ser aquelas personagens chatas, mas pelo contrário, ela é muito legal. Temos vários outros personagens secundários que gostei muito, pois, a cada novo mundo que eles visitam, eles conhecem gente nova. Só me resta indicar o livro. Quem gosta de um bom livro de fantasia misturado com jogos de RPG, vai adorar esse. Só não gostei muito da história ter continuação, por ter que ficar esperando, mas gostei ao mesmo tempo, pois, assim sei que teremos outros livros do autor, que já me conquistou.


site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2015/07/resenha-luz-de-cada-mundo-rennan-andrade.html
comentários(0)comente



Vanessa 21/08/2015

Inteligente
A Luz de cada Mundo de Rennan Andrade é um livro de pura fantasia.
Com dois personagens em destaque. Primeiro Ryze, um menino de 16 anos que se “esforça” ser um típico adolescente revoltado, com causa e sem causa ao mesmo tem, pois adolescente faz drama demais SIM. No começo o achei meio pedante com sua descrença de tudo e todos, principalmente na amizade, ou melhor, na questão de fazer amigos. Mas isso muda quando chega na cidade a nossa carismática e sorridente Chloe, uma garota da mesma idade de Ryze, que adora fazer amizades. Eles “se” descobrem. Os opostos se atraem (mas calma, não da maneira fofa, amorosa). Os dois tem os destinos traçados na traçados na maternidade (desculpa a referência, mas foram literalmente). Assim partem para uma jornada mais do que fantástica, uma viagem surreal entre mundos paralelos, pois o futuro de tudo entre o bem e o mal está em suas mãos. Eles conhecem pessoas diferentes, amizades, descobrem que são mais do que dois adolescentes e sim protetores de uma magia milenar. E enfrentam o terrível vilão Ronan.
Em cada mundo que eles precisam salvar existirá um representante de Ronan, mas será que eles conseguem chegar até o final?
Ryze e Chloe se unem cada vez mais, fortalecendo a amizade e a força que à eles foi dada. Um não pode se afastar do outro. Mas e se isso acontecer? Quais serão as consequências? A cada passagem, batalha, o leitor fica tenso e ansioso. Qual será o desfecho?! (essa é a pergunta desde o começo) O que a imaginação de Rennan Andrade nos reserva é intrigante. O quanto ele vai surpreender com esse livro criativo é uma ótima pergunta e uma ótima leitura para um curioso que gosta de livros que mexem com o surreal, que imaginam cenários. Espero que gostem e boa leitura! Pois se eu falar mais sobre a história, eu conto tudo, solto spoiler e perde a graça. Só convido para conhecer A Luz de cada Mundo e tirar as próprias conclusões.


site: www.matoporlivros.com.br
comentários(0)comente



Jul 06/03/2016

"O pior tipo de dor, é aquela que não se sente."
Sobre a história: Ryze Hope é um jovem de 16 anos que acaba de perder os pais. Introspectivo, vive em Starlight City sem muitas perspectivas. Chloe Hope é uma garota extrovertida, animada e linda. Assim que chega à escola local a garota ingenuamente tenta tornar-se amiga de Ryze e logo é tratada com indiferença. Mas a relação entre os dois não acaba ali, não poderia. E o primeiro sinal que os alerta sobre isso é o fato de que quando estão juntos, seus objetos de estima (para Ryze um colar, para Chloe uma pulseira) brilham intensamente.

E entre encontros e desencontros, nossos protagonistas descobrirão que têm um passado e um futuro juntos, envolvendo basicamente magia, mundos até então desconhecidos por ambos, a restauração da fé de boas pessoas e, acima de tudo, a necessidade que estejam sempre juntos. Tudo objetivando a derrota de Ronan, imperador da magia negra, que ameaça não um, mas todos os mundos existentes.

"Os momentos podem transformar a vida das pessoas de forma radical, mas não podem mudar as pessoas em si, somente esconder quem elas realmente são." pág. 300

Ryze foi o personagem com quem mais me identifiquei. Ele é introspectivo e reservado, dando uma impressão de rabugento, mas apenas guarda as emoções para si mesmo. É inteligente e bem humorado, um protagonista dos bons de se acompanhar. E contrastou muito bem com Chloe, uma personagem muito mais emotiva, sociável e igualmente inteligente. A amizade deles sempre foi intensa, instável e um elemento muito importante para história, ainda mais tendo-se o fato de que para derrotar os inimigos servos de Ronan, eles precisavam de seus poderes (controle do fogo, da terra...) que só eram alcançáveis se estivessem juntos.

Então os jovens desbravam mundos desafiadores e realmente diferentes, como City Of Melody, um lugar onde todos seus habitantes nascem com dom para a música e e o mundo de Corrupt Space, tomado pelo mal da corrupção. Os cenários formam um prato cheio para a imaginação, sempre bem descritos. E com tantos mundos não havia como faltar bons personagens secundários, fator que enriquece e muito qualquer livro. Sempre digo isso em minhas resenhas.

"Enfim, o fato era que eu odiava abraços, e parece que sempre vou odiar, mas o abraço que Chloe havia me dado tinha sido diferente. Tinha sido algo que eu havia suportado, e que poderia aprender a gostar com o passar do tempo." pág. 325

A Luz de Cada Mundo tem uma narrativa envolvente e de fácil compreensão, do tipo que nos faz ler por horas e perder a noção de tempo. Fiquei apenas com a impressão de que um ou dois momentos importantes foram corridos demais (como a revelação para os protagonistas de que eles tinham poderes, missões...), enquanto outros menos essenciais foram mais longos. Mas em geral fiquei bem satisfeita.

"O pior tipo de dor, é aquela que não se sente." pág. 211

Então, se você busca uma história de fantasia com narrativa leve, que fale de amizade, família, juventude e da eterna batalha entre bem e mal, não perca tempo e adicione A Luz de Cada Mundo em sua lista de leitura.

site: http://www.blogentretanto.com/2016/03/resenha-luz-de-cada-mundo.html
comentários(0)comente



Pri 06/05/2017

Viajando entre mundos fantásticos
Esse livro tinha atraído a minha atenção pela sinopse, então decidi passá-lo na frente das outras leituras e conferir logo a história de Ryze e Chloe.

"(...) jamais se deve desistir das suas metas, a não ser que você tenha que desistir também dos seus ideais. Nada nessa vida é mais importante que os seus ideais."

Ryze Hope tem 16 anos e poderia ser um adolescente como qualquer outro. Pelo menos ele gostaria de ter uma vida comum. Depois que seus pais faleceram, tornou-se um garoto sombrio, solitário e um pouco rebelde. Ele aguenta um dia de cada vez, sem se preocupar muito com o futuro ou em interagir com outras pessoas. Até que surge Chloe Lights, uma garota simpática e animada, o completo oposto de Ryze. Ela é a nova aluna da escola e cisma justamente de tentar fazer amizade com o estranho garoto de cabelos azuis do fundo da sala, que a evita a todo custo. Mas eles já estão destinados a ficarem próximos.

"A vida pode ser um jogo, mas certas coisas não possuem um botão de restart."

Depois de alguns encontros inesperados, Ryze acaba permitindo uma certa aproximação de Chloe, o que faz com que eles comecem a descobrir estranhas coincidências sobre eles. Assim, começam a investigar o motivo de ambos possuírem um amuleto desde o nascimento, que por acaso começou a brilhar (algo que nunca tinha ocorrido antes) quando ficaram juntos. Parece até magia! Mas isso não existe, certo? Até que eles descobrem que nasceram no mesmo dia e no mesmo local, então é provável que o médico que fez o parto dos dois deve ter deixado aquilo com eles por algum motivo. Mas qual seria?

"(...) como alguém poderia lutar com a própria personalidade se somos nós mesmos que a criamos?"

Quando vão atrás de respostas, Ryze e Chloe descobrem algo que jamais conseguiriam imaginar. Eles são portadores da magia e foram escolhidos para restaurar o equilíbrio entre a magia negra e a magia pura. A cada mil anos os portadores são escolhidos para travar a guerra contra a magia negra, eliminar os representantes do maligno imperador Ronan e restaurar a luz em cada um dos mundos em que isso seja necessário.

"Aquilo era muita coisa para processarmos. Não podíamos salvar o mundo, éramos adolescentes, não podíamos arcar com tamanha responsabilidade. Era demais."

Após aprenderem um pouco sobre seus poderes e sua missão, os dois partem na maior aventura de suas vidas, viajando entre os mundos e visitando lugares que nunca pensaram existir, conhecendo pessoas interessantes e descobrindo mais um sobre o outro e sobre si mesmos. Cada um dos mundos tem algo a ensinar, mas a lição mais importante que devem aprender é conviver com as diferenças entre eles e usar suas habilidades como se fossem uma só pessoa. Será que sendo tão diferentes, conseguirão cumprir a missão com sucesso?

"Quando descobri que era um portador da magia pura, eu fiquei pensando se meu último ato seria morrer tentando combater algum dos representantes, mas conforme os dias se passaram, eu descartei essa ideia. Deixaria para morrer em um dia que eu pudesse morrer, em um dia que o destino do universo não estivesse nas minhas costas, e sim nas costas de qualquer super-homem que viesse aparecer."

Ryze é um garoto introspectivo e um pouco amargurado. A dor da perda dos pais o transformou completamente e ele não está conseguindo superar o fato de estar sozinho. Eu não tenho ideia de como seja o que ele está sentindo, mas acho que ele lidou da pior forma possível com a situação, evitando as pessoas, inclusive da família, sendo ríspido com quem tenta se aproximar e só enxergando o lado negativo da vida, sem perspectiva para o futuro. Algumas vezes ele realmente me irritou com essa necessidade de parecer revoltado e pessimista com todos. Um drama muitas vezes desnecessário. Chloe é totalmente diferente dele. É alegre, simpática, animada. Ela também tem seus motivos de tristeza, embora não demonstre. Não que ela também não tenha seus momentos de drama, mas optou por ser uma pessoa que tenta tirar o melhor da vida. Com características tão opostas, acabou que os dois se complementam muito bem, e juntos aprendem a lidar melhor com seus problemas e confusões. Ao longo do livro e dos mundos, conhecemos vários outros personagens. Nos apegamos a alguns, odiamos outros, mas cada um tem algo a acrescentar para o crescimento de Ryze e Chloe.

O enredo produzido pelo Rennan é pura criatividade. Duvido que alguém não gostaria de ter pelo menos um dos poderes que os personagens adquirem. A história criada é interessante e cada mundo tem sua própria singularidade, como se fossem várias pequenas tramas dentro de uma maior. Esse livro tem um potencial enorme. Mas tiveram algumas coisinhas que me incomodaram durante a leitura.

"— Um espírito forte não vale de nada junto a uma mente perdida."

Primeiro, achei que faltaram mais explicações. As coisas simplesmente são, os personagens aceitam, o leitor aceita, e pronto. Não gosto de fantasias que fazem a gente aceitar tudo, gosto quando o desenvolvimento é bem construído e levam os acontecimentos a serem o mais realistas possível. Isso acabou levando a outra questão: tudo é muito rápido. A forma como se conhecem, como descobrem as coisas, como aprendem os poderes e saem salvando os mundos. Mal dá tempo do leitor assimilar o que está acontecendo, imagina como uma pessoa se sentiria se estivesse acontecendo com ela? Eu iria precisar de um tempo para refletir com calma, sem dúvida. Outra coisa que me incomodou um pouco, mas outras pessoas podem gostar, é que tem muitas cenas de luta. As cenas são bem descritas, mas acontecia muita coisa, e às vezes eu ficava perdida. Além disso, tantas batalhas tornaram a leitura lenta. Mas, para quem gosta, tem realmente bastante ação.

A narrativa é em primeira pessoa, pelo ponto de vista do Ryze. Ele narra como se estivesse escrevendo em um diário ou conversando com o leitor. Isso acabou me deixando mais impaciente com ele, pelos pensamentos dramáticos e reações rebeldes exageradas. Sim, adolescentes são dramáticos, mas ele me irritava muitas vezes. E Chloe também conseguiu em alguns momentos. Apesar disso, deu para notar o amadurecimento dos personagens.

O autor escreve bem, ainda mais levando em conta o quanto era jovem quando escreveu esse livro, e acredito que sua escrita tenha se aperfeiçoado em seu novo livro, a antologia de contos A Verdadeira Morte. Algumas dessas coisas que me incomodaram podem ser revisadas e melhoradas. Então, apesar de ter detalhes que tornaram a leitura cansativa para mim e me irritaram, estou curiosa para ler a sequência. Primeiro, porque o final desse livro me deixou em choque. Segundo, porque a história é bem interessante e acredito que o segundo livro pode ser ainda mais.

Então, se você se interessou por essa história e não se incomoda com os pontos que eu comentei, acredito que irá gostar bastante da história. Se tem alguma coisa em comum comigo, pode ser que se sinta como eu, mas vale a leitura se gostar de fantasias, pois essa possui uma história bem original.

site: http://www.sigolendo.com.br/2017/04/resenha-luz-de-cada-mundo-rennan-andrade.html
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5