O Vilarejo

O Vilarejo Raphael Montes




Resenhas - O Vilarejo


995 encontrados | exibindo 76 a 91
6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 |


Luísa 15/06/2020

Bizarro!
O vilarejo, um livro baseado nos 7 pecados capitais, vai contar a história dos poucos habitantes desse vilarejo, que deixaram de receber mercadorias após serem cercados pela neve. Tendo que enfrentar aos dias de frio e fome, iremos observar em cada capítulo diferente, uma das casas cometendo um desses pecados... mas, de uma maneira MUITO bizarra e assustadora!

Raphael Montes me pegou de surpresa com esse livro, com os capítulos arrepiantes e as ilustrações que me deixaram de queixo caído, principalmente a imagem no final do livro, que me deixou toda arrepiada!

É um livro muito fácil de ler, apesar de ser bem bizarro, e os capítulos formam um quebra cabeça muito interessante que vai fazendo todo o sentido, o que deixa o livro muito mais legal!

Adorei o livro, não esperava que seria tão bizarro, e agora, já pretendo ler outros livros do mesmo autor!

Recomendo para quem está tentando se aventurar nesse gênero e procurando por livros curtos.
comentários(0)comente



Lua 15/06/2020

Macabro
Se você gosta de terror psicológico, histórias macabras e pertubadoras, vai gostar de ?O Vilarejo?. Primeiro livro que leio desse gênero e fiquei feliz por não ser muito longo porque é ?pesado? demais para mim.
No entanto, gostei muito da ideia, da maneira que o autor ligou as histórias. Como ele foi me surpreendendo a cada conto.
É importante notar as ligações entres os pontos e entender como tudo chegou no resultado do primeiro conto apenas no último te prende as histórias.
Garanto, são perturbadoras, mostram o que há de mais perverso no ser humano.
comentários(0)comente



Well 15/06/2020

ESSE LIVRO É PERFEITO!
Cara, eu me arrepiei do início ao fim. E a última página deste livro?! gente,? socorro Deus! Passei umas duas semanas pensando em cada conto desse livro. Eu super recomendo! (Faz logo uma oração antes de começar kkkk brinks).
JEssica.Freitas 16/06/2020minha estante
Se eu não tivesse receio desse tipo de literatura, eu leria. Fiquei curiosa quando você me contou, e espero mais histórias narradas já que não tenho coragem de lê. Kkkkk


Well 16/06/2020minha estante
Kkkkkkkkk eitaa, mas claroo, eu amo contar sobre um livro o qual gostei. Hahah




Danniki 15/06/2020

Merece ser indicado para quem gosta de contos de terror
Acho que 'O Vilarejo'' é o segundo livro que me deixou perturbada. Ironicamente é o segundo livro brasileiro que me marcou, o primeiro foi 'Voyeur Macabre', quinto volume da Crônicas da Noite, escrito por Evandro Rafael Saracino (Amazon).

O autor carioca Raphael Montes conseguiu me convencer. A sua escrita é muito inteligente e elaborada. Cada contos tem ligação com os outros, é preciso estar atento (não pode distrair!).

Eu o encomendo!

site: https://www.instagram.com/livros.daniellamartins/
comentários(0)comente



Madelene.Martins 15/06/2020

Uma linda história de amor...
...entre o homem e a perversidade.

Esse já é o terceiro livro de Raphael Montes que leio, e, como de costume, não me decepcionei. Pelo contrário, Raphael continua me surpreendendo, imaginando o inimaginável, me deixando sem fôlego a cada página. E olha que eu comecei essa leitura meio cética, porque terror não é bem a minha praia. Mas logo percebi que esse livro, na verdade, não é de terror, e sim de horror. E pode acreditar, há uma grande diferença entre os dois.

Uma história de terror é aquela que te assusta, que mexe com seus medos, flerta com o oculto, te faz dormir com um olho aberto. São fantasmas, espíritos, monstros e menininhas assustadoras.

Mas uma história de horror te mostra o que há de mais perverso no mundo. Te faz perder o sono não pelo medo, mas pela repulsa. Te faz perceber que não há nada de mais horripilante do que a maldade que o ser humano carrega dentro de si.

O terror é bem distante e apenas imaginado. O horror é bem próximo e bem real.
comentários(0)comente



Glau Anjos 14/06/2020

"Perceba, Anatole, que nunca inseri o pecado ou o mal nas pessoas. O mal já estava lá. Eu apenas o potencializei."

Conta a história de um Vilarejo que foi dizimado pelo frio, a fome e o mal que já estava em seus habitantes, aflorado por uma "potencialização" maligna.

Cada conto trata de um pecado capital, o cenário, em geral é a residência dos moradores do vilarejo e os personagens estão interligação pelo convivência e alguns por laços familiares e ou afetivos.
comentários(0)comente



giovanna 13/06/2020

Seria melhor se fosse mais brasileiro
Foi meu primeiro contato com a escrita do autor e não posso negar que ela é muito boa e te prende. O livro entrega o que promete e em vários momentos da leitura você se sente enjoado e assustado com o que todas essas pessoas, aparentemente normais, podem fazer. Apesar disso algumas histórias tem pontos meio problemáticos, alguns são justificáveis pelo gênero e intenção do livro e outros são jogados de forma gratuita, como a gordofobia. Outra coisa negativa é o cenário onde a história se passa, tenho certeza que seria melhor se fosse algo mais próximo de nossa realidade e que permitisse mais identificação.

aviso de gatilhos: gore, canibalismo, cenas gráficas de estupro, violência e pedofilia, racismo, gordofobia.
comentários(0)comente



Robson_Canoff06 13/06/2020

Resenha do livro "O Vilarejo"
Este livro retrata a vida de moradores de um vilarejo, que até então, não passava de ser um mísero vilarejo, porém, à chegada do inverno rigoroso acaba fazendo com que os moradores entrem em toque de recolher, e comecem a serem submetidos à situações perecíveis, até todos morrerem ou de fome, ou de assassinato. O livro é submetido á um marasmo intenso e a todo momento. O livro é dividido em capítulos, que por sua vez, contam a história de vários pontos de vistas(dos moradores), só que cada cap´tulo acompanha uma ordem cronológica, não são informações jogadas de forma descabida, e sim uma história com vários narradores, e de uma forma mútua, o que torna o livro mais interessante! Ah, me esqueci! O livro é TOTAL e TOTALMENTE de Terror, não há um capítulo que o livro abandone essa temática. O livro é de Terror ao ponto e ser uma narrativa esquizofrênica e agoniante. Mas eu li o livro em dois dias, o livro é surpreendente, e a minha experiência foi o mesmo.

Nota:4,5 / 5
comentários(0)comente



vic 13/06/2020

Humanos vivem carregados de uma crueldade sufocada
?Como um reflexo do mundo, este lugar reunia toda a sorte de pessoas mesquinhas e lamentáveis que sempre me orgulhei.? ? Pág 86
comentários(0)comente



Nati Morgan 13/06/2020

É a primeira obra que pego do autor e nem sabia que era um livro de contos rs.
Tem alguns contos bem nojentos, outros com muito problema e um outro bem engraçado.
O posfácio é ok e você já consegue até imaginar quem é a avó da garota que tinha os diários.
Os contos são muito rápidos de serem lidos. Em menos de duas horas se consegue terminar esta leitura.
Gostei do que li, apesar de ainda ter um pouco de medo de encarar os outros livros do autor.
comentários(0)comente



Raphael 13/06/2020

Pecados....
Contado de uma forma simples, o autor nos mostra os sete pecados capitais em sete histórias independentes.
comentários(0)comente



Danniela.Torres 13/06/2020

Leitura rápida
Adorei o jeito como o autor escreve, é muito envolvente.
Uma leitura simples e que em um unido dia você termina. Por ser muito curto, os contos não tem um enredo muito profundo, mas isso não chegou a ser um problema para mim. Como as histórias se complementam, acabou sendo um fator que aguçou a minha curiosidade.
Com certeza eu recomendo esse livro.
comentários(0)comente



Dani do Book Galaxy 12/06/2020

Bom, mas com excesso de gore que me pareceu vazio
Eu sempre sinto que estou pisando em ovos quando vou escrever uma resenha ou comentar sobre uma leitura do Raphael Montes, porque, apesar de ter amado de paixão "Jantar Secreto", os outros livros que li do autor me decepcionaram (em graus diferentes) e eu não consigo idolatrá-lo tanto assim.

Verdade seja dita, ele escreve extremamente bem e consegue prender o leitor em histórias macabras. Entretanto, para mim, a tendência dele de reforçar clichês e recorrer sempre ao gore e ao exagero acaba me cansando. Após a leitura de "Suicidas", eu senti que tinha corrido uma maratona particularmente extenuante, e, apesar de ter gostado mais de "O Vilarejo", voltei a pescar neste livro algumas coisas que não gostei tanto assim no estilo do autor.

Mas vamos começar pelos lados positivos. O que eu achei bem bacana nos 7 contos de "O Vilarejo" é que todos estão interligados, pois afinal se passam em um mesmo local. Assim, alguns personagens atuam no pano de fundo em mais de um conto, e é muito legal você construir, junto com o autor, uma linha do tempo que, aos poucos, começa a fazer mais e mais sentido, compondo uma história única.

Em cada conto, o autor fala sobre a degradação dos moradores desse tal Vilarejo e como demônios - cada um atrelado a um pecado capital - acabam influenciando as decisões difíceis e até macabras que eles acabam tomando. Eu achei esta ideia muito, muito boa mesmo, e foi essa premissa que me fez criar interesse em ler o livro.

Agora, aos pontos negativos que eu particularmente notei. Como eu comentei anteriormente, eu não gosto muito de como o autor usa e abusa do gore. Parece que ele está sempre querendo chocar, chegando a ser uma coisa um pouco gratuita, pelo menos para mim. E olha que sou o tipo de leitora que torce para cenas macabras, hein. Quanto mais cenas gráficas, melhor.

Porém, em relação aos livros de terror que costumo ler, sinto que temos uma divisão clara como temos nos filmes de terror: existe o terror psicológico que vai crescendo dentro da sua mente, te deixando arrepiado com os acontecimentos, até que, quando chegam as cenas explícitas (com umas tripas aqui, uns esguichos de sangue ali), o leitor já está tão condicionado que a experiência vira algo realmente aterrorizante; e existe o terror gore, mais gratuito, em que tripas explodem, órgãos são decepados e demônios aparecem ao bel prazer dos diretores e autores, mas sem necessariamente ter existido uma conexão mais profunda com o leitor.
Em minha opinião, Raphael Montes vai pelo caminho que sempre lança mão desses artifícios de forma gratuita e, para mim, acaba perdendo um pouco o sentido. Assim, acabo não sentindo tanto o terror da coisa, e sim apenas o incômodo de estar lendo algo bizarro e que me desperta sentimentos de aflição.

Se a intenção do autor é despertar mais esses sentimentos de aflição, nojo e indignação do que de fato investir em um terror mais sutil, então de fato alguns contos cumprem este papel. É uma pena, porque em "Jantar Secreto", senti que o autor foi muito mais sofisticado em utilizar esses elementos.

Dito tudo isso, considero este aqui um bom livro de contos. E, como em qualquer livro de contos, em "O Vilarejo" nós temos algumas histórias ótimas, algumas boas e algumas ruins - bem ruins. Mas foi uma leitura rápida e instigante, e apesar de tudo, não vou desistir e lerei outros livros do autor, a fim de ver se a excelência de "O Jantar Secreto" se repete em outros títulos.
Oliver.Russel 12/06/2020minha estante
Eu senti um "vazio" no trato do vilarejo. Era um ambiente muito plastificado, baseado nos vilarejos padrões do cinema americano e europeu, Fiquei pensando quando terminei: Se esse autor trouxesse um lugar mais natural para um brasileiro, como um bairro de um metrópole ou os "vilarejos" do sertão, as histórias poderiam ganhar muito. No resto, foi meu primeiro livro dele, agora estou com receio de ler os outros por esse excesso de "goro" rs...


Dani do Book Galaxy 12/06/2020minha estante
Ah, ótimo ponto!! Também senti que o vilarejo era "europeu" demais. Acho que um autor nacional, ainda mais com tanta visibilidade, poderia fazer coisas incríveis usando o Brasil como cenário! E olha, sobre o gore.... hahaahha
O "Jantar Secreto" até agora foi meu preferido, porque apesar de ele ser sangrento, não senti que foi algo absurdo e sem sentido, foi assustador no ponto. Agora "Suicidas" já acho que ele exagerou, colocou umas coisas bem desnecessárias!


Oliver.Russel 12/06/2020minha estante
* gore, maldito revisor autômatico.




Marcio.Losada 11/06/2020

Não é ruim, mas também não chega a ser realmente bom!
As histórias são interessantes, e em um determinado momento você percebe que todas elas possuem uma ligação, e isso é bem bacana. Mas não me agradou muito o tipo de história. Tem muita maldade pro meu gosto.
Yuu 11/06/2020minha estante
Concordo, eu fui bem crítica em relação a essa obra pq ja li outras dele. Com certeza O Vilarejo não é a minha favorita




Tyr Quentalë 11/06/2020

E eu não quis acreditar...
Quando uma amiga me fez a propaganda do Raphael Montes dizendo que os textos eram perturbadores e de tirar o fôlego, achei que ela estava exagerando.
Mordi a língua.
No começo do livro O Vilarejo, Raphael diz que colocou os contos da forma que achava melhor, eu quase discordei da decisão dele...
Quase.
Raphael conseguiu me surpreender ao ponto de me deixar com a respiração suspensa e preferir ler o livro com a luz acesa.
O pior é que ele plantou uma semente de dúvida na minha mente que o coração chega acelera ao lembrar das primeiras páginas e das últimas...
comentários(0)comente



995 encontrados | exibindo 76 a 91
6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 |