O Aprendiz

O Aprendiz Taran Matharu




Resenhas - O Aprendiz


54 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Paulo Cilas 21/09/2015

Comprei pela capa, mas amei!
Confesso que comprei esse livro pela capa, porque ela é muito boa, sem nem ler a sinopse, e me surpreendi demais. A história tem tantos elementos legais, que a cada vez que algo novo aparece, a sua mente explode. Vou falar um pouquinho da história aqui, mas fiquem tranquilos que não tem spoilers pesados, só o que tem na sinopse.
O personagem principal, Fletcher, aparece, e logo você faz referência a Eragon, por ser um menino abandonado pelos pais verdadeiros, e um caçador que se aventura fora dos limites da cidade. Em seguida você descobre que ele é aprendiz ferreiro, bem parecido com o Will Turner, de Piratas do Caribe, por causa da profissão, também porque não sabe nada de sua origem, e por sempre arrumar encrenca com o guarda da cidade.
Voltando a parecer com Eragon, uma criatura fantástica chega às mãos do Fletcher, fazendo com que ele tenha que sair escondido da vila onde mora, indo para o sul, onde é a capital do reino (o que de certa forma faz a gente pensar em Game of Thrones). Mas a criatura não é um dragão, é algo que parece mais um pokémon, pois você pode usá-la para capturar outras, de outras espécies. Ao mesmo tempo, essa criatura que ele ganha tem um laço de espírito com Fletcher, como se fosse um daemon da Bússola de Ouro.
Chegando à capital, o garoto entra para uma escola de magia parecida com Hogwarts, onde ele vai aprender a controlar seu "pokémon" para derrotar orcs, lutando ao lado de elfos, anões, e outras criaturas que aparecem no universo do Senhor dos Anéis.
E as referências não param por aí!
Em um primeiro momento, pode parecer confuso, ou que o autor usa elementos demais, mas desde a primeira página, o leitor percebe que não é assim. O autor conseguiu juntar várias coisas que já eram muito boas, e fez uma infusão perfeita, que não te deixa largar o livro por um minuto sequer. Fiquei muito empolgado com a história, querendo mergulhar de verdade naquele universo, e querendo viver como um conjurador naquele mundo.
Uma coisa que também achei muito legal é o fato de que o autor tem raízes brasileiras, a mãe dele era daqui, e por isso ele sempre dá uma atenção especial para os leitores do Brasil.
O final te deixa ansioso para a continuação, e já quero ler logo. Li em um dia, e garanto que quem mais ler, vai fazer o mesmo porque a história é muito boa.
silvanasartori 23/09/2015minha estante
Karamba...Eu amei a sua resenha
Pela maneira que você descreveu falando de outras obras
e tudo mais me chamou bastante atenção, até porque estava com receio de comprar o livro por ser algo muito violento e pelo visto não é assim. Me parece um livro FANTÁSTICO certo? Nossa, eu acho que vou amar. Mas parabéns. Adorei seu ponto de vista!


Paulo Cilas 26/09/2015minha estante
É um livro fantástico sim, silvanasartori, e pelo menos o primeiro não é violento não! É bem divertido, e uma leitura bem leve.


Tainá Matendal 08/02/2016minha estante
Pela sinopse também notei que ele sofre bullying pelo fato de ser pobre e os outros serem de origem nobre. Na triologia Mago Negro, no livro 2 "A Aprendiz" acontece a mesma coisa, uma garota pobre das favelas descobre que possui poderes e entra numa escola de Magos para aprender a controlar sua magia, e sofre o mesmo preconceito por parte dos colegas ricos. Ta aí mais uma referência.
Parece um ótimo livro :D




Isa Gama 23/08/2015

Passei a madrugada de ontem lendo o ebook em inglês! Estava esperando algo bem diferente, mas no geral gostei bastante! O final é totalmente brochante e você fica se perguntando "e agora, o que vai acontecer?" Lembra BASTANTE Harry Potter, com uma pitadinha de Senhor dos Anéis (presença de orcs, anões, elfos e humanos), a novidade talvez sejam os demônios (fonte de poder mágico, mas até mesmo isso me faz lembrar de alguma outra coisa que eu não sei exatamente o que é...). Curiosíssima pra saber o que vai acontecer, pena que o próximo tem previsão pra sair em maio do ano que vem....
Vick 28/08/2015minha estante
A capa me chamou muito atenção, vou adquirir ele agora na bienal. Tomara que seja diferente dos tantos orcs, anões, elfos, e até demônios que já vimos tanto por ai. Ansiosa pra ler.


Isa Gama 15/09/2015minha estante
Olha, eu não vou te dizer que ele é "diferente" do que tem por aí. Mas isso não impede que ele tenha o seu próprio mérito. Simplesmente adorei o Fletcher e Ignatius!


Bárbara 01/10/2015minha estante
Na verdade eu achei a sinopse idêntica ao enredo do livro A Aprendiz, da trilogia Mago Negro. Quem copiou quem?


Isa Gama 23/10/2015minha estante
Eu não conheço essa trilogia Mago Negro, mas provavalmente O Aprendiz que eu li deve ser mais novo do que esse que você tá falando


Tairo Forbat 26/10/2015minha estante
Ia falar a mesma coisa que a Bárbara, a sinopse é muito parecida com 'A Aprendiz' da trilogia 'O mago negro', Trudi Canavan. Em questão do enredo e tal. Se seguir o mesmo estilo será um livro muito bom.




Jemilly 30/08/2016

Eu entendi a Referência
Você já imaginou como seria uma história com uma mistura de Harry Potter, Senhor dos anéis e Pokémon? Se sim, você está atrasado, por que Taran Matharu pensou, escreveu e fez sucesso no Wattpad com mais de 6 milhões de leitores acompanhando o desenrolar dessa história de Fletcher e Ignácio, antes de finalmente se contratado por uma editora e alcançar muito mais leitores, mas também com essas referências misturado com o talento de escrita, não dá para esperar menos, ele “simplesmente” pegou elementos que isolados tornaria mais uma história clichê, e criou um universo novo sem esconder suas referências. (Palmas para ele, agora nenhum leitor inquisitor de referências alheias, poderá queima-lo na fogueira, ele não nega elas, e brinca com elas na sua cara, Rá.)

Mas vamos o que interessa, o universo que foi criado a partir disso, é um livro de fantasia medieval, que grande parte se gira em torno de maquinações políticas e uma guerra que está ocorrendo contra os orcs a centenas de anos, o elemento principal desse livro é a existência dos Conjuradores (que existem tanto do lado aliado como no inimigo), eles são aqueles que tem o potencial de conjurar e controlar um demônio do éter (uma espécie de digimundo para os diabretes) mas voltando para Pokémon, eles capturam o seu demônio e que são usados na guerra, para isso existe uma escola que os novos conjuradores são levados para o treinamento para se tornarem um mago de batalha, a maioria dos que são capazes de usar esse tipos poder são os nobres, por ter uma linhagem forte e tal (vocês vão entender melhor lendo), mas existe alguns plebeus que nasceram com esse privilégio, é muito mais complexo que isso, mas pulando para o centro dessa história, temos Fletcher um órfão que foi abandonado em um vilarejo chamado Pelejo e foi criado pelo ferreiro do lugar (então já se tem toda um mistério sobre sua origem), ao ganhar um livro com um pergaminho conjurador de um mercador, acaba conseguindo conjurar um demônio raro, (uma espécie chamada Salamandra que me parece muito bonitinho em comparação da descrição de outras espécies, Ignácio é um amor gente), acontece muitas coisas antes de ele se torna um aprendiz, vamos evitar spoilers aqui.

Uma das coisas muito legais é toda a questão política em relação as diferentes raças como os anões e os elfos, o preconceito de humanos para com eles e vice versa, e a tentativa de fortalecer essas alianças para lutar a guerra contra os orcs (para quem não estava achando referencia a senhor dos anéis, olha aí!). Bom, mas deixando de enrolação, minha opinião é que é um livro muito bom, 5 de 5 estrelas no Skoob e favoritado, e não... não é daqueles livros que não vi problema nenhum, alguns diálogos eu achei muito empurrado, tipo “vamos conversar sobre isso só para conseguir explicar mais o que está acontecendo para quem está lendo, não que faça sentido conversarmos sobre isso”, mas apesar desses momentos, meu emocional me mandou dar nota máxima é cravar esse livro no meu coração, porque eu adorei esse livro e pronto.

Ah não deixando de destacar a capa linda, eu comprei esse livro pela capa e não me arrependi! Amei demais, ainda vem no final como um extra com assunto de demonologia, uma lista dos demônios apresentados nesse livro, hábitos e pontos fortes de cada uma das espécies o nível que cada uma tem e etc, (muito Yu-Gi-Oh *-* adoraria ter um jogo de cartas desse livro), ouvir falar que a Galera Record vai lançar no inicio de 2017 o segundo livro da trilogia, esperando ansiosa pela continuação que promete focar não mais na escola e no aprendizado, mas acho que chegou a hora de irmos para a guerra, então é melhor começarem a jogar suas Pokebolas e conjurar os seus demônios, porque A Inquisição está chegando. Leiam!!!

site: http://clubedofarol.blogspot.com.br/2016/08/o-aprendiz-conjurador-1.html#more
comentários(0)comente



Carol 24/10/2015

Surpreendente
Confesso que a primeira coisa que me chamou a atenção nesse livro foi a capa (e acho que mais gente também compartilha desse fato rsrs), depois vi que tinha como referencias Harry Potter, pokemón e Senhor dos anéis... O que posso dizer? Meu coração bateu mais forte e pedi de aniversário. E não me arrependi.
Embora em alguns momentos tenha sentido falta de um "q" a mais na cena (talvez porque eu esteja na onda de ler conflitos) achei a leitura incrivelmente fácil, os personagens cativantes (com exceção do Rook ¬¬) e a história bem interessante. Me surpreendi com o torneio e, contradizendo algumas opiniões, o final me deixou -> º0º . Quase tentei entrar no livro no meio da rua só para ver se conseguia saber o que aconteceria depois daquela ultima página. É um livro que vale a pena ler se você gosta do gênero!
TFreitas 09/12/2015minha estante
Deus, como eu quase morri com esse final. HSAHA' Simplesmente queria esganar alguém porque o coitado do Fletcher consegue ser injustiçado o livro inteiro, quando ele ta por cima acontece isso. Ai você vai procurar o dois e não tem '-' Baixei no lelivros pensando que não ia gostar muito, embora tenha curtido a capa.




TFreitas 09/12/2015

Não devia ser O aprendiz, devia ser O injustiçado.
Acho que você passa metade do livro na duvida se Fletcher é um cara de sorte ou de azar. Por mais que ele tenha conseguido seu demônio de forma inusitada, o fato de as boas coisas que acontecem a ele não conseguem reverte as ruins. Então você está lendo, achando incrível o fato de um livro de fantasia fluir dessa maneira, ao ponto de você não ficar achando massante tanta informação, você sente aqueles momentos onde acha familiar alguns pontos. Não nego, também pensei em Harry Potter quando ele foi para a escola, e até mesmo quando ele conhece Rory e Genevive. É nesse ponto que você meio que para e pensa: "Mais um trio", é ai que o trio, vira quadrado e vai para uma direção que você não esperava.
Fletcher é o tipico escolhido; injustiçado, tem o demônio raro - que conseguiu por acaso -, apareceu do nada e não esperava entrar para a Escola. Gostei da maioria dos personagens, tirando os grandes idiotas que ficam no pé do pobre Fletcher.
Puxa um pouco para senhor dos anéis isso de guerra entre orcs, elfos e anões. Em uma parte eu penso até um pouco em pokemon.
Mas não acho que o fato de lembrar tais livros tão grandes diminua a história, não podemos achar que só porque uma escola de bruxaria já foi usado (embora não seja tão similar em aulas) não se pode ser mais feito uma escola em um mundo de fantasia onde os personagens terão poderes, o mesmo vale para orcs e elfos.
Gostei do livro e achei que ele fluiu de uma maneira que não esperava para um livro de fantasia, confesso que baixei achando que iria empacar no começo e teria que ler lentamente como dependendo do livro nesse gênero acontece, mas não, eu devorei. E o final, é totalmente enlouquecedor, sei que assim que terminei já fui procurar o próximo e infelizmente, descobri que esse livro era recente demais para já ter uma continuação.
Bom, vale a pena ler e estou ansiosa para o próximo, e por uma reviravolta. Porque o Fletcher não merece mais um inimigo que ele conquista sem fazer nada contra muitas vezes, só por existir.
comentários(0)comente



Michele Bowkunowicz 22/12/2015

Adorei!
Nosso protagonista é Fletcher, um jovem órfão de quinze anos que foi adotado por um ferreiro da vila de Pelego, que o cria e o ensina em seu ofício para ser seu ajudante. Fletcher cresce sofrendo muitas humilhações do filho do homem mais rico da cidade. Um dia, durante uma feira anual que ocorria lá, um estranho aparece com um diário que pertencia a um conjurador, e dá à ele. Ao ler o diário, ele fica curioso e tenta algo para ver o que acontece, e acaba conjurando um demônio, mas logo em seguida disso, ele se vê numa enrascada pelos seus inimigos, e eis que seu demônio o ajuda, mas Fletcher é acusado de um crime que ele não cometeu, e não tem escolha a não ser fugir para a cidade.

Na cidade, ele acaba por ter um encontro inusitado com um conjurador de Batalha, Arcturo, que acaba percebendo que Fletcher tem um demônio com ele, e assim ele o manda para a Academia Vocans. Essa Academia está aceitando não somente nobres para lutar na guerra, mas qualquer um que tenha habilidade. Fletcher descobre o que é ser um Conjurador. Conjuradores são humanos capazes de usar magia, mas não a magia de si mesmo, mas a magia obtida de demônios treinados que lhe emprestam sua energia. E essas criaturas tem variados graus de poder, e quem tem aptidão sobre eles, também já tem um determinado grau de controle para poder controlar demônios com mais ou menos poder. Fletcher conseguiu invocar um demônio do quinto nível, o que mostra sua incrível habilidade.

Leia o restante no blog: http://www.lostgirlygirl.com/2015/12/resenha-710-o-aprendiz-taran-matharu.html

site: http://www.lostgirlygirl.com/2015/12/resenha-710-o-aprendiz-taran-matharu.html
comentários(0)comente



Ricardo Brandes 02/03/2016

Conjurador: o aprendiz
Olá pessoal! A resenha de hoje é sobre uma história que nasceu aos poucos no Wattpad, e acabou virando livro após conquistar mais de 6 milhões de leitores nesse serviço de publicação online.

Taran Matharu, o autor, é filho de uma brasileira com um indiano e vive em Londres. E seu primeiro livro da trilogia O conjutador: o aprendiz traz um mix interessante e inusitado de Harry Potter, Pokemon e senhor dos Anéis. A história traz uma aventura com conjuradores e demônios, e tem como personagem principal um jovem órfão de 15 anos, que sem esperar, acaba entrando na maior aventura de sua vida. Sem contar muitos spoilers, ele terá muitos desafios pela frente, nessa mistura curiosa da escola de escola de magia (A Hogwarts de Harry Potter), os animais fantásticos a serem domados (Pokemon) e os perigos de uma guerra entre várias classes de guerreiros (Senhor dos Anéis) Orcs, elfos, demônios, nobres e plebeus. E nesse caldeirão, ferve uma guerra em ebulição, pronta a estourar a qualquer momento.
E a parte mais importante: o que achei do livro? Bom... Adorei a linda capa e a editoração da Editora Galera, excelentes! Em cada novo capítulo, há um desenho específico e temático da obra... Os capítulos não são longos demais, e sempre convidam a ir além... Mas pra mim, que adoro fantasias, elfos e batalhas épicas, o livro não aconteceu... Talvez por culpa do autor, que acabou se enrolando no enredo na primeira metade da história. Fiquei decepcionado com o andamento da história que começou a patinar e dar voltas e voltas no mesmo tema, sem ir além. Talvez por se tratar de uma trilogia, o autor acabou tendo esse problema de desenvolvimento de roteiro, e quis guardar mais para os próximos dois livros.
Além da previsibilidade da história, que não me surpreendeu em nenhum momento. Tudo que acontecia e ia acontecer ficou perfeitamente visível, e senti a falta de boas surpresas durante a leitura.

Além disso, o livro traz uma mensagem bem interessante sobre preconceito social, e trabalha bem questões políticas e sociais de várias classes de seres, nessa história cheia de magia. E no fim da obra, há um extra: um importante manual de demonologia, com indicações sobre os seres que habitam a obra.

Ficou curioso? Vale a leitura, pela originalidade e mistura da obra.
Até a próxima, pessoal!

Por Ricardo Brandes

site: http://www.amoreselivros.com.br/2016/03/o-conjurador-o-aprendiz-taran-matharu.html
comentários(0)comente



Mandy 05/10/2015

Uma leitura que vale a pena.
Um autor que te prende logo no começo do livro, com um uma escrita fácil de entender e envolvente, esse é Taran Matharu. E ele é um cara super bacana.
Fletcher, o personagem principal da história, pode te lembrar outros personagens de outras obras – sua origem humilde como órfão que foi “adotado” pelo ferreiro da cidade e cresceu aprendendo essa profissão além de saber um pouco sobre como manejar essas armas –, assim como a história em si vai ter elementos, referencias, que te faram lembrar de outras histórias.
Não pensem que isso pode atrapalhar a história, pelo contrário, como eu disse acima, de uma maneira bem trabalha e fácil de se entender o autor mostra como ele pode trazer uma história fantástica com seu brilho próprio, te deixando ansiosa, temerosa, surpresa e com vontade de querer ler mais e mais a cada página que você devora. Quem tiver tempo, poderá ler esse livro em um dia sem problema algum e ainda vai pedir por mais.
Apesar de ser em terceira pessoa, tem somente um núcleo, em volta do personagem principal, que é trabalhado melhor do que os outros personagens, mas não que você vai ligar muito para esses outros personagens, como foi o meu caso.
A temática do livro aborta um pouco da política daquele mundo e, mais em evidencia, mostra o racismo que existe entre raças e classes sociais. Tem uma frase que eu gostei bastante que envolve a parte da discriminação e racismo entre as raças.
“O maior inimigo de um guerreiro pode ser também seu maior professor” Otelo Thorsager, esse anão pode te surpreender com seus atos e palavras.
Meu Deus, e o final desse livro? É magnifico, te deixa desesperado querendo a continuação, querendo saber o que vai acontecer, pena que isso só em 2016. Mas não deixe isso te desanimar, O Aprendiz é fantástico, leia, você não vai se arrepender.
comentários(0)comente



Beto 21/01/2017

Nem tudo isso!
Li O Aprendiz motivado pela sinopse e pela premissa das semelhanças com O Senhor dos Anéis, Pokemon e Harry Potter. De fato, o livro traz elementos de tais obras: as classes de homens, elfos, anões e orcs de O Senhor dos Anéis, uma escola de magia que se assemelha a Hogwarts e monstros que podem ser utilizados em batalhas como em Pokemon. A concepção do autor é excepcional. Dito isso, infelizmente as qualidades param por aí. A esfera do livro é muito infantil, o enredo carece de profundidade além da escrita do autor que deixa muito a desejar e certamente ainda precisa evoluir muito. É lamentável, pois como disse anteriormente, o conceito do livro é instigante, no entanto poderia ter sido melhor executado.
Rafa Ferrante 22/01/2017minha estante
Concordo, achei a escrita tão rasa sem algo mais profundo que te prenda.




Jane 29/11/2015

Velhos conhecidos
Apesar da sensação constante de déjàvu, adorei cada momento do livro. O aprendiz é um daqueles livros que a cada página virada, maior a vontade de saber o que vai acontecer e, principalmente, como vai acontecer.
O tempo é de guerra, humanos, elfo, anões e orcs lutam entre si, porém, os orcs são os inimigos comuns de todos os outros, pois eles tem mais conjuradores e diabos de seu lado.
Flecther é um garoto de 15 anos, orfão, que foi abandonado na porta da cidade de Pelengo, nu, na neve em um inverno rigoroso, à sua própria sorte. Foi resgatado pelo ferreiro da cidade, que o cria e o transforma em seu ajudante. Ele cresceu sofrendo humilhações e agressões por parte do filho do homem mais rico e manipulador da cidade e dos guardas da mesma.
Durante a feira anual, ele ganha de um velho soldado, um diário de um conjurador morto. Curioso ele decide ler e ver se consegue algo. Acaba conjurando um diabo (que me lembrou muito pokemom) e logo em seguida, se vê ameaçado pelos seus inimigos. Porém, seu diabo o ajuda e ele sem querer saber as consequências do seu ato, foge da cidade.
Em sua fuga ele acaba parando em uma escola de conjuradores (semelhança incrível com o primeiro ano de Harry em Hogwarts), pois eles estão aceitando qualquer um e não apenas nobres, para lutar na guerra.
Enquanto ele é preparado para a guerra e para o torneio que dará muito poder ao vencedor, ele faz novos amigos, inimigos, ganha protetores e acaba no meio de intrigas de guerra.
Como eu disse, os personagens já são velhos conhecidos para quem leu Harry Potter, Senhor dos anéis, acho que tem um pouquinho de Eragon e achei graça que os diabos, que ao ler a sinopse, pensei que seriam quase uns dementadores, mas me lembraram pokemons.
Silvana Barbosa 29/11/2015minha estante
E deve fazer parte de uma série , né ?


Jane 29/11/2015minha estante
Pelo que li é uma trilogia.


Silvana Barbosa 29/11/2015minha estante
Já imaginava . Estas coisas endoidam a gente .


Jane 29/11/2015minha estante
Pior é que chega no final já querendo saber qual o destino do próximo e esse acabou de ser lançado kkkkk




RAFARTAVE 31/03/2017

Não é nem de longe tudo isso.
É um bom livro, uma história que mistura várias outras que conhecemos de uma maneira muito legal. Porem, nem de longe vale 5 estrelas, acredito que avaliar esse livro com 5 estrelas é emparelhar ele com clássicos e não é nem um pouco justo. É apenas um bom livro e vale a pena realizar a leitura para passar o tempo. Mas vá ciente, não é um clássico nem NADA inovador.
comentários(0)comente



Leo Oliveira 23/04/2017

Eu amei tanto esse livro que me faltam palavras para descrever.
"O Aprendiz" é uma história de fantasia que mistura Harry Potter, Senhor dos Anéis e Pokémon. Com uma narrativa super envolvente Taran Matharu descreve a vida de Fletcher em um pouco mais de trezentas páginas, de uma forma tão divertida e intensa que fica difícil não se apaixonar pelo protagonista. O universo criado por Taran é rico em detalhes e uma boa dose de imaginação, neste primeiro livro da trilogia temos uma imersão tão grande na história de Fletcher que é impossível largar o livro antes de virar a última página.

Confesso que estou muito impressionado com a capacidade descritiva de Taran, a estrutura de seu texto e construção de personagens. É muito bom ver um autor tão jovem se aproveitando de elementos tão simples para elaborar e enriquecer o seu trabalho. Mal posso esperar pela continuação.
Nadson 27/04/2017minha estante
Eu tbm amei esse livro. O segundo é muito legal.


Leo Oliveira 29/04/2017minha estante
Preciso ler o segundo logo!


Marry 08/05/2017minha estante
Gostei da resenha. Quero ler.




Jonathan 03/09/2016

É possível criar uma história baseada em tantas outras histórias escrtias e ainda parecer algo original? A resposta é sim. Quando eu li a sinopse do livro, confesso que fiquei mais curioso do que empolgado para ler, o livro promete ser uma mistura de Harry Potter, Senhor dos Aneis e Pokémon, é praticamente impossível não sentir curiosidade em ver o que saíra disso. Mas o livro surpreende, apesar de tantas referências o enredo é bem diferente do que se vê por aí e o livro prende do inicio ao fim, não há grandes reviravoltas mas o livro mantem um ritmo constante daqueles que nem se percebe o tempo passando. Teve apenas uma cena na escola que soou exatamente igual a Harry Potter, inclusive nos diálogos mas fora isso o livro agrada muito, deu pra entender o motivo de não ter ficado somente no watpadd e ter ido para as prateleiras.
comentários(0)comente



Kari 07/12/2015

Em O Aprendiz somos apresentados a Flecther um jovem de quinze anos que foi abandonado pelos pais na cidade de Pelengo, e em seguida adotado por Berdon, o Ferreiro da cidade, tornando-se assim seu aprendiz na profissão.



"Flecther sabia que as provocações do ferreiro eram sua maneira de demonstrar carinho, então elas não o incomodavam.. Berdon sempre respeitara sua privacidade, desde que o menino começara a falar. Era um relacionamento estranho, o solteirão rústico e bondoso com seu aprendiz introvertido, porém eles conseguiam fazer dar certo. Flecther sempre seria grato por Berdon tê-lo acolhido quando ninguém mais o quis."



A vida de Flecther não começa de maneira fácil e nem mesmo após ser adotado as coisas são fáceis; já que ele sofre constantemente com assédios por parte do filho do homem mais rico da cidade e sua corja, Didric não mede esforços para infernizar a vida de Flecther.



"A injustiça era comum em Pelego, e o rapaz aceitara havia muito que, num mundo de privilegiados e desfavorecidos, ele certamente fazia parte da segunda categoria.."



Em dado momento, Flecther ganha um diário de um Conjurador morto em batalha e logo ele se mete em algo que vai além de sua imaginação, invocado um Demônio da espécie Salamandra. Em seguida acontece mais um problema entre ele e Didric que o obriga a escapar da cidade indo parar em Corcillum e logo ele tem entrada para Vocans, uma escola de Conjuradores, onde terá a oportunidade de aprender mais sobre ter invocado o Demônio e também sobre suas origens até então desconhecidas. O que sabemos é que apenas nobres teriam o “dom” de invocar e Flecther é apenas um jovem que foi abandonado à própria sorte e resgatado pelo Ferreiro.. Ou teria mais a respeito dele?



"De alguma forma, as palavras que ele tinha deixado não ditas ao longo dos anos, eram do que mais se arrependia."



Bom, a capa do livro é linda e foi o que me chamou atenção inicialmente, e logo em seguida a sinopse. Apesar do livro não ter elementos inéditos, gostei muito e fiquei contente com a evolução. Porém devo salientar que em alguns momentos senti que o autor dava excesso de explicações que me cansou um pouco. Mas mesmo assim segui adiante e não me arrependo.



Gosto muito do gênero; essa mistura de magia e elementos fantásticos com toda a adrenalina de fugas, guerra e lutas; Realmente costumam me prender bastante e me ganhar e não foi diferente com o Aprendiz. A história flui de forma rápida, apesar das explicações constantes e todos os seres fantásticos, apesar de não serem novidades são interessantes. O personagem principal parece sempre estar envolvido onde não deve e se metendo em altas confusões e aventuras; Flecther é um jovem decido, de caráter bem definido e com uma postura ímpar no que diz respeito a lealdade e respeito!

Gostei muito e estou ansiosa pela continuação!
comentários(0)comente



Clube do Farol 25/09/2016

O Aprendiz. Clube do Farol
Resenhado por: Milly

Você já imaginou como seria uma história com uma mistura de Harry Potter, Senhor dos anéis e Pokémon? Se sim, você está atrasado, por que Taran Matharu pensou, escreveu e fez sucesso no Wattpad com mais de 6 milhões de leitores acompanhando o desenrolar dessa história de Fletcher e Ignácio, antes de finalmente se contratado por uma editora e alcançar muito mais leitores, mas também com essas referências misturado com o talento de escrita, não dá para esperar menos, ele “simplesmente” pegou elementos que isolados tornaria mais uma história clichê, e criou um universo novo sem esconder suas referências. (Palmas para ele, agora nenhum leitor inquisitor de referências alheias, poderá queima-lo na fogueira, ele não nega elas, e brinca com elas na sua cara, Rá.)

Mas vamos o que interessa, o universo que foi criado a partir disso, é um livro de fantasia medieval, que grande parte gira em torno de maquinações políticas e uma guerra que está ocorrendo contra os orcs a centenas de anos, o elemento principal desse livro é a existência dos Conjuradores (que existem tanto do lado aliado como no inimigo), eles são aqueles que tem o potencial de conjurar e controlar um demônio do éter (uma espécie de digimundo para os diabretes) mas voltando para Pokémon, eles capturam o seu demônio e que são usados na guerra, para isso existe uma escola que os novos conjuradores são levados para o treinamento para se tornarem um mago de batalha, a maioria dos que são capazes de usar esse tipos poder são os nobres, por ter uma linhagem forte e tal (vocês vão entender melhor lendo), mas existe alguns plebeus que nasceram com esse privilégio, é muito mais complexo que isso, mas pulando para o centro dessa história, temos Fletcher um órfão que foi abandonado em um vilarejo chamado Pelejo e foi criado pelo ferreiro do lugar (então já se tem toda um mistério sobre sua origem), ao ganhar um livro com um pergaminho conjurador de um mercador, acaba conseguindo conjurar um demônio raro, (uma espécie chamada Salamandra que me parece muito bonitinho em comparação da descrição de outras espécies, Ignácio é um amor gente), acontece muitas coisas antes de ele se torna um aprendiz, vamos evitar spoilers aqui.

Uma das coisas muito legais é toda a questão política em relação as diferentes raças como os anões e os elfos, o preconceito de humanos para com eles e vice versa, e a tentativa de fortalecer essas alianças para lutar a guerra contra os orcs (para quem não estava achando referencia a senhor dos anéis, olha aí!). Bom, mas deixando de enrolação, minha opinião é que é um livro muito bom, 5 de 5 estrelas no Skoob e favoritado, e não... não é daqueles livros que não vi problema nenhum, alguns diálogos eu achei muito empurrado, tipo “vamos conversar sobre isso só para conseguir explicar mais o que está acontecendo para quem está lendo, não que faça sentido conversarmos sobre isso”, mas apesar desses momentos, meu emocional me mandou dar nota máxima é cravar esse livro no meu coração, porque eu adorei esse livro e pronto.

Ah não deixando de destacar a capa linda, eu comprei esse livro pela capa e não me arrependi! Amei demais, ainda vem no final como um extra com assunto de demonologia, uma lista dos demônios apresentados nesse livro, hábitos e pontos fortes de cada uma das espécies o nível que cada uma tem e etc, (muito Yu-Gi-Oh *-* adoraria ter um jogo de cartas desse livro), ouvir falar que a Galera Record vai lançar no começo do ano que vem o segundo livro da trilogia, esperando ansiosa pela continuação que promete focar não mais na escola e no aprendizado, mas acho que chegou a hora de irmos para a guerra, então é melhor começarem a jogar suas Pokebolas e conjurar os seus demônios, porque A Inquisição está chegando. Leiam!!!

site: http://clubedofarol.blogspot.com.br/2016/08/o-aprendiz-conjurador-1.html
comentários(0)comente



54 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4