Sebastian

Sebastian Bella Prudencio




Resenhas - Sebastian


2 encontrados | exibindo 1 a 2


Ana 30/08/2015

Sempre gostei muito do gênero New Adult e quando eu descobri que a Bella tinha escrito um livro com essa temática, logo fiquei com vontade de ler. A capa do livro chamou muito a minha atenção e a sinopse me deixou muito instigada. Convenhamos, quem é que não sonha em passar um ano no exterior com o cara mais maravilhoso do mundo?

A maior parte da história se passa em Bucareste, capital da Romênia. O plano inicial era morar com as tias, mas um incêndio acabou mantando-as pouco antes de Solveig (a origem do nome é sueca, achei bem bonito e exótico e de acordo com a autora, justamente por ser sueco, a pronuncia seria "Solvei") mudar-se. Tudo parecia perdido até que o seu primo de terceiro grau, Sebastian, convida a carioca para passar o ano em seu apartamento.

Antes da mudança, eles mantinham contato por mensagem e redes sociais e, é claro, Solveig não tinha uma quedinha pelo primo, era um barranco inteiro. O que ela não sabia é que o sentimento era recíproco. Como era de se esperar desde o início, os dois se envolvem em um romance que tem tudo para causar uma infinidade de problemas.

Apesar de a história não ser nem um pouco complexa, gostei bastante. Para mim, os livros do gênero New Adult têm que ter essa vibe mais tranquila, onde o romance e a construção dele são os focos principais. Nesse quesito, Bella Prudencio não pecou. O grande problema para mim foi o modo como começaram a se envolver. Eu não consigo acreditar de forma alguma que em apenas uma semana duas pessoas podem se apaixonar desse jeito. Sempre fui daquelas que pensam que o amor é construído dia após dia, conquistado com as pequenas coisas, mas de uma forma mais calma e lenta, gradual.

O livro também contém alguns erros ortográficos, mas nada que uma boa revisão não resolva. Acredito que, por ser o romance de estreia da autora, isso não seja um pecado tão grande. Também não atrapalha no entendimento da obra em si. A narrativa, simples e fluida, é dada em primeira pessoa pela Sol, o que nos faz conhecer até os pensamentos mais íntimos da personagem. E por falar em íntimo, vale lembrar que Sebastian possui alto teor sexual, por isso não é indicado para crianças.

O enredo, apesar de ser previsível, não desaponta. É cheio daqueles clichês que eu adoro, mas que a maioria das pessoas detestam e mesmo assim o livro não deixa de ser original. Há também muitas referências musicais e cinematográficas, o que conta mais um ponto positivo. Posso afirmar que a autora tem um talento nato que deve ser explorado e tem tudo para melhorar a cada dia. Não vejo a hora de ler outras obras da Bella Prudencio e acompanhar o seu crescimento como escritora.

site: http://www.roendolivros.com/
comentários(0)comente



Kolombeski 02/08/2015

Resenha Crítica: Sebastian
Imagine que você está prestes a realizar uma viagem para um país no qual você ficará hospedado na casa de um parente seu, mas descobre que, para infelicidade geral, ele morreu e você terá que cancelar o passeio. Então, seja complacência do destino ou mero fruto do acaso, um primo distante fica sabendo do ocorrido e dispõe a casa dele para você morar enquanto estiver naquele país. Agora, imagine também que esse primo é, além de um dos caras mais poderosos do local, a pessoa perfeita, que gosta das mesmas coisas que você, que fala a mesma “linguagem literária”, enfim, que te completa. O que você, leitor, faria? Agarraria essa aventura sem medo do que poderia acontecer ou deixaria as fantasias todas de lado e conviveria com ele numa boa?


Acho que todos os leitores, sem exceção, têm uma personagem de alguma história ou de algum livro que, se pudesse, traria à vida real. Em Sebastian não é nada diferente, aposto que muita (MUITA) gente se identificaria com alguém e teria esse desejo. É difícil não o ter, para ser sincero, visto que a autora, Bella Prudencio, nos apresenta figuras tão semelhantes à complexidade humana, com características inigualáveis e invejáveis. Outra coisa que me chamou bastante atenção nas personagens foram as marcas deixadas pela autora; em certos momentos da história eu conseguia distinguir claramente as ideologias e pensamentos dela porque ficavam explícitas na fala de Solveig (abro aqui um parêntese e ressalvo: em outro contexto isso seria ruim, pois o escritor deve saber separar o que é seu e o que é de seu personagem, contudo, nesse caso, a personalidade da protagonista se alinhou à de Bella).

O enredo é formado pelos altos e baixos da emoção dos protagonistas, fazendo com que em nenhum momento a leitura se torne cansativa e entediante. Por outro lado, acaba tornando tudo parcialmente previsível e sem o fator surpresa. Vale lembrar que essa não é uma história para crianças, já que o livro é recheado de erotismo.

Levando em consideração que esse é o romance de estreia da autora (e que estreia!), é de se esperar que toda a escrita e linguagem utilizada na obra seja simples e fácil de entender. Porém, diferentemente de outros livros assim, Sebastian traz uma sensação de comodidade e conforto a quem lê. Arrisco dizer que se fosse escrito por um autor mais experiente o livro não seria o mesmo.

site: http://www.aliensdaleitura.com.br/2015/08/resenha-critica-sebastian.html
comentários(0)comente



2 encontrados | exibindo 1 a 2