A sexta extinção

A sexta extinção Elizabeth Kolbert




Resenhas - A Sexta Extinção


26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Li 23/04/2019

Todo mundo deveria ler esse livro
Sem brincadeira, um dos melhores livros que já li. É instigante e muito bem escrito e, tenho que admitir, bastante triste. Chorei algumas vezes lendo, mas ao mesmo tempo acho que é o tipo de livro que todo mundo deveria ler para se tornar um cidadão mais consciente. Embora ele possa te deixar, por vezes, um pouco sem chão, ele ao mesmo tempo é um livro com certo humor e que te leva pra diversos locais do mundo explorando diversos assuntos novos e interessantíssimos! Todo dia eu contava alguma coisa nova sobre o que tinha lido nele, já que é de um embasamento histórico e biológico maravilhoso e eu recomendo MUITO. Não tem uma linguagem científica de mais, acho que qualquer pessoa poderia ler, entender e curtir muito! Além disso, acho muito bom que, no final do livro, a autora apresenta todas as referências das informações passadas no texto.
Ruttiere 17/08/2019minha estante
Gostei muito da sua resenha. Está muito difícil de encontrar o livro físico e gostaria de presentear um amigo. Sabe onde posso encontrá-lo? Já fui na saraiva, livraria Cultura, Loyola, em sites e nada...




Camila.Dias 30/03/2019

A divulgação científica é extremamente necessária
Esse livro me fez ver o quanto a divulgação científica é necessária!
Torço para que mais jornalistas se empenhem nessa tarefa árdua e que tenham os incentivos necessários para realizar o que é necessário.
Esse livro traz à tona o quanto o comportamento humano tem sido decisivo e nocivo no avanço acelerado da destruição de vários ecossistemas.
comentários(0)comente



Daniel.Simoes 16/01/2019

Transformou a forma como eu vejo o mundo com relação aos efeitos do homem na biodiversidade do planeta. Apresentando diversas pesquisas em todo o mundo, ela evidencia a catástrofe ambiental que a humanidade tem causado na Terra. Com o aquecimento global, a acidificação dos oceanos, a disseminação de espécies invasoras (nova Pangeia) e a fragmentação das florestas, a maioria das espécies que existem hoje estão fadadas à extinção. Numa análise de tempos geológicos, as mudanças que os homens estão causando são praticamente instantâneas, não dando tempo para que as espécies possam se adaptar. Inevitavelmente o mundo está se tornando menos diverso, e as completas consequências disso ainda não podemos saber.
comentários(0)comente



Alexey 03/01/2019

Uma aula excepcional
"A Sexta Extinção", da jornalista Elizabeth Kolbert, ganhou o Prêmio Pulitzer 2015, e méritos para isso é que não faltam. Com ele, eu viajei mentalmente do Panamá ao Brasil, passando pela Itália, Estados Unidos e tantos outros países, acompanhando o empenho da autora em tentar entender uma das mais fundamentais questões dos nossos tempos: nós humanos estamos de fato contribuindo para a redução da biodiversidade do planeta?

"A Sexta Extinção" é uma aula dada em linguagem clara, mas jamais superficial. A capacidade de Kolbert para descrever o que ela mesma experimenta dá a vívida sensação de ter participado com ela de cada aventura. Ela mergulha, sobe montanhas, atravessa florestas, e faz tudo isso ao lado de cientistas especialistas em suas áreas. Kolbert é tão boa jornalista, que termina sendo a professora de ciências que qualquer um gostaria de ter: aquela que ensina a diferentes idades. Adolescentes entenderão o que ela escreve, e adultos não se sentirão diante de um texto tolo. Os idosos se sentirão afortunados por terem tido a oportunidade de conhecer o planeta Terra em toda a sua biodiversidade - coisa que talvez nossos bisnetos não terão.

Quando se fala em "eventos de extinção", é comum que a maioria das pessoas pense apenas em um: o evento extraterrestre que deu fim aos dinossauros. Há, na verdade, outros quatro eventos, e um em curso. Se você pensou em "aquecimento global", lamento, mas não é só isso. Mesmo que você duvide dessa alternativa, considere a acidificação oceânica, considere a eliminação de espécies inteiras decorrente de nosso pouco cuidado no manejo do mundo. Nós importamos inadvertidamente espécies que causam danos irreversíveis a outras.

Mas se somos um pouco demônios, somos também um pouco deuses. O agente da sexta extinção é também o único na natureza cuja inteligência e habilidades tornam-no capaz de garantir a conservação e ampliação da biodiversidade.

Terminei o livro com a sensação de ter viajado com uma amiga muito inteligente e divertida. Aprendi coisas que nem imaginava. Sem pestanejar, cinco estrelas de cinco para o livro.
Ruttiere 14/08/2019minha estante
Quero presentear um amigo. à necessário algum conhecimento prévio para lê -lo




Rittes 24/10/2018

Tá chegando a hora...
Que estamos chefiando mais um longo processo de extinção pode já não ser novidade para ninguém, mas dói saber que muito provavelmente seremos os próximos na lista que já tem seres ilustres como os tiranossauros e os tigres da tasmânia. Repleto de informações estarrecedoras - como a acidificação dos oceanos, por exemplo - , este livro é um compilado de experiências e informações que ainda podem ser gritos de alerta, mas o tempo corre contra todos e em velocidade vertiginosa...
comentários(0)comente



DAN LIMA 16/08/2018

A temática é polêmica, com comprovações científicas e que já está em andamento, infelizmente.
Enquanto não tivermos consciência plena dessa realidade que já faz parte do nosso meio, o destino será inevitável. Será um caminho de uma estrada de mão única.É necessário acordar enquanto há tempo.
O homem é a única espécie viva na Terra que tem a capacidade de alterar os rumos que o planeta água pode dar. Detalhe: está fazendo isso da pior maneira possível.
A mídia e a ciência estão em lados opostos. E se isso não mudar em prol da sobrevivência da raça humana, em pouco mais de uma década, não haverá mais a possibilidade de recuperação do planeta.
Uma atmosfera que nos remete a muitas reflexões,de cunho psicológico,social,filosófico, biológico e espiritual, e nos toca profundamente, quando se trata de tudo que está vivo dentro da nave mãe.
Estamos todos no mesmo barco. Ainda há tempo. Basta ter amor, sabedoria e fazer as escolhas adequadas para que a vida prevaleça no nosso planeta.
Não há plano B.
Isla Wolff 16/08/2018minha estante
Tenho de meta para 2018 esse ano, ansiosa!


DAN LIMA 16/08/2018minha estante
Isla, compre sem pensar. Uma aquisição PRODUTIVA e RICA. Detalhe: ganhou o prêmio: Pulitzer de 2015. Bjssssssssss...;-)


Isla Wolff 16/08/2018minha estante
Então, bom sabeeeeer! Vou ler e te chamo pra trocar uma ideia


DAN LIMA 17/08/2018minha estante
Combinado. ;-) Bjsssssssssssssssss...




Guynaciria 16/05/2018

Que livro maravilhoso, não é de se surpreender que a autora Elizabeth Kolbert, foi premiada com o Pulitzer por esse ensaio.

Elizabeth Kolbert é uma jornalista nova-iorquina, que se dedicou a pesquisa dos efeitos desastrosos que o homem causa no ambiente, quando não tem consciência de suas ações. 

Neste livro ela nos esclarece de forma clara e de fácil assimilação, como essas ações são responsáveis pela sexta extinção em massa de espécies, sendo esse um efeito global. Para apresentar um ensaio embasado em fatos científicos, a autora viajou para os quatro cantos do globo e entrou em contato com os cientistas e biólogos mais renomados em cada área de estudo.

As conversas são descritas de forma impessoal, o que deixa a leitura mais agradável, mesmo para pessoas leigas no assunto (como eu sou).

A autora ainda tem o cuidado de reforçar a sua obra, trazendo elementos que configuraram as primeiras cinco extinções, além de uma analise detalhada delas feita por nomes renomados como é o caso de Charles Darwin, Georges Cuvier e Charles Lyell.  Essa trajetória histórica só reforça que esse é um efeito desastroso no tangente a perda de material genético e de espécies ainda não catalogadas. 

Foi incrível descobrir que em ambientes relativamente pequenos podem existir uma grande variedades de espécies, como é o caso dos corais, que abrigam milhares de espécies por metro quadrado. 

Apesar de ter gostado muito do livro, e de ter esclarecido varias duvidas que eu tinha a respeito do assunto, mesmo assim a leitura é as vezes um pouco cansativa, chegando a ser repetitiva em alguns pontos. Também achei que a autora fugiu do tema algumas vezes, na tentativa de fornecer uma visão histórica (abordava algumas coisas desnecessárias).
comentários(0)comente



Christian 22/04/2018

Leitura obrigatória
Livro necessário, recomendo a todos. Nosso planeta pede socorro!
Kaio 22/04/2018minha estante
Comprei esse livro no formato ebook logo que comprei o kindle, há quase dois anos, mas ainda não o li. Vai ter resenha?


Christian 29/04/2018minha estante
Já está no canal!


Kaio 29/04/2018minha estante
Massa




Evandrojr. 07/03/2018

A era da sexta extinção está em plena consumação e ao que parece, nós somos os culpados!
Elizabeth Kolbert, diga-se, uma jornalista nova-iorquina, conquistou o prêmio Pulitzer com todos os méritos oferecendo ao público esta obra esclarecedora e de fácil assimilação sobre as desastrosas consequências da interferência humana ao meio ambiente e a extinção de diferentes espécies animais no que seria (a mais devastadora) sexta grande extinção a ocorrer no planeta ao longo das eras. O mais incrível é que a jornalista, mostrando todo o seu potencial faro jornalistico, viaja aos quatro cantos do planeta para testemunhar e confirmar in loco através de entrevistas e longas conversas com os mais renomados cientistas as evidências abordadas no livro. E não só isso, Kolbert nos dá importantes informações sobre o trabalho realizado por personalidades do quilate de Charles Darwin, Georges Cuvier e Charles Lyell nos últimos séculos a respeito das "cinco" primeiras grandes extinções em massa ocorridas no planeta ao longo de quinhentos milhões de anos, todas elas evidentemente causadas por fenômenos naturais.

Para não dizer que tudo são flores, há momentos no livro que particularmente me cansaram um pouco quando algumas páginas tratam exclusivamente de terminologias científicas, adentrando na área da biologia, sobre as mais diferentes espécies da fauna e da flora. Para leigos e curiosos como eu (apesar do meu fascínio pelo tema), o inevitável desejo de pular algumas páginas torna-se premente. Mas diante de soberbo conteúdo informativo e cultural, relegamos esse fato a um mero detalhe.
comentários(0)comente



Joana 31/01/2018

Um excelente livro, de leitura fácil e clara, para compreender a interferência dos seres humanos no planeta e refletir sobre ela!
comentários(0)comente



Nathalya Porciuncula 03/01/2018

A Sexta Extinção - Elizabeth Kolbert
Assistam minha resenha em vídeo!

site: https://www.youtube.com/watch?v=0CClSpNz4dc
comentários(0)comente



Antonio Cesar 24/07/2017

“... A oposição inflexível .de Lyell à transmutação, como era conhecida em Londres, é quase tão enigmática quanto a de Cuvier..”

5º período a partir da posição 838 no formato MOBI
A sexta extinção
(The sixth extinction: An Unnatural History)
Elizabeth Kolbert

Partindo do conhecimento que a ciência tem hoje sobre as extinções em massa ocorridas no passado, passando pela história que levou a este conhecimento, e principalmente investigando os tempos atuais, a autora demonstra com clareza que estamos vivenciando uma nova extinção em massa cujos desdobramentos podem levar a humanidade se não a extinção, pelo menos a passar por sérias dificuldades num futuro próximo. Uma leitura imperdível para entendermos um pouco melhor o que a ciência já esta denominando de antropoceno.
comentários(0)comente



euzebio 27/05/2017

A Sexta Extinção
A Sexta Extinção e um ótimo livro. Com ele fiquei sabendo de vários processos de extinção em massa que ocorrem neste exato momento. E todos o culpado é o Homem.

Ela fala do motivo de não vermos mais sapos, rãs e pererecas. Conta também do porque que a maioria dos morcegos americanos estão se extinguindo. Desde cosmos de Carl Sagan que não leio um livro, essencialmente sobre ciência, tão interessante e fundamentalmente preocupante.

site: http://lognerdgeek.blogspot.com/2017/05/a-sexta-extincao-de-elizabeth-kolbert.html
comentários(0)comente



Fábio 12/04/2017

Um livro essencial
Um relato jornalístico sobre o processo de extinção pelo qual estamos passando sem nos atentarmos. O livro é uma leitura essencial para todos. Sua leitura dispara o alerta com o futuro do planeta e as condições insalubres de vida que deixaremos para as próximas gerações.
comentários(0)comente



hugofreitas 16/02/2017

Caminhando para o fim da vida
Me lembro certa vez, lendo o livro “Encontro com Rama” livro de ficção científica escrito por Arthur C. Clarke em 1972, ter parado a leitura para refletir em uma frase dita por um dos personagens do livro. Um dos cientistas do livro, ao se referir sobre a raça humana, nos compara com parasitas. Somos a única espécie do planeta (excluindo a classe parasitária) que consome mais recursos do que precisa e do que temos à disposição. Que provoca a extinção de espécies e de nossa própria raça e destruímos de forma gradativa todo nosso ecossistema. Aquilo ficou na minha cabeça e desde então, venho dizendo que a espécie humana foi um erro.

A Sexta Extinção, livro ganhador do Prêmio Pulitzer (o Oscar da literatura, para os não familiarizados) escrito pela jornalista Elizabeth Kolbert, explica como o ser humano alterou a vida no planeta Terra como nenhuma outra espécie jamais fizera. Para isso a autora organiza o livro em 13 capítulos, cada qual destinado à uma espécie (a maioria extinta e outras ainda não, mas quase, incluindo a nossa própria homo sapiens) onde colhe depoimentos, entrevistas e pesquisas para traçar um desenho de como diversas espécies (animais e vegetais) estão sumindo do planeta de forma assustadoramente rápida, obviamente influenciadas pelo ser humano.

Tivemos até hoje Cinco Grandes Extinções, e uma Sexta está em andamento nesse momento. Segundo a autora, uma espécie desaparece a cada 100 segundos. Pois é, estamos lascados, pra não dizer outra palavra.

O livro é uma obra prima, não é atoa que ganhou o respeitável Pulitzer. Escrito com humor e leveza, mesmo repleto de termos técnicos e uma linguagem científica, Elizabeth consegue fazer o que os jornalistas fazem de melhor: conduzir uma boa história de investigação em um ritmo agradável.
Não se assuste com o número de espécies comentadas no livro (todas com sua nomenclatura em latim) e você, provavelmente como eu, irá viajar e não saberá qual espécie, ou animal, a autora está se referindo. Graças à tecnologia, temos o senhor Google e é uma leitura divertida pesquisar as espécies mencionadas no livro e olhar as imagens de cada uma.

Recentemente a revista científica americana “Science” revelou um estudo intrigante. “Os humanos são uma espécie única de ‘super-predadores’, com uma eficiência que ultrapassa todas as regras do mundo animal. Matamos outros bichos em uma taxa até 14 vezes superior a outras espécies caçadoras.”
Os cientistas sugerem que o homem se tornou um “insustentável super-predador” e assim vamos caminhando a nossa própria extinção.

Fico feliz em ler obras assim. Elizabeth provavelmente viajou para diversos países (dentre eles: Peru, Panamá, Austrália, Islândia, Brasil, Itália, Escócia e por ai vai) e levou anos para escrever esse livro. Conheceu os principais cientistas e estudiosos das mais diversas áreas, desde paleontólogos, químicos e biólogos até os especialistas em fungos, rãs, serpentes, bactérias e seres que você não sabia que existia um especialista particular.

“A Sexta Extinção” é um primor jornalístico e deveria ser lido por todas as pessoas. Não é uma leitura tão fácil, pois como mencionei, tem uma inclinação científica, mas também não é um texto difícil e cansativo. Elizabeth Kolbert nos conta uma história assustadora e revela o lado parasita da humanidade.

Se você assistiu Spotlight, filme ganhador do Oscar de Melhor Filme em 2015, provavelmente saberá apreciar um bom trabalho jornalístico. O que fica na minha cabeça é: porque ela decidiu fazer isso? Porque foi para os lugares mais remotos do planeta para contar uma história, que eu (e muitos de nós) nem sabíamos que estava acontecendo? De onde surge tanta dedicação?

E é isso que mantém a chama da esperança acesa. Existe pessoas dedicadas e comprometidas com nosso futuro e fazem de tudo para prolongar nossa estádia (e de todas as outras espécies) nesse pequeno planeta azul.

Se não leu, coloque na sua fila de leitura e garanta seu exemplar. O livro é curto (cerca de 336 páginas) e a leitura flui rapidinho. Valeu a pena cada parágrafo.



site: http://www.raposacultural.com.br/
comentários(0)comente



26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2