Filhos da Lua: O Legado

Filhos da Lua: O Legado Marcella Rossetti




Resenhas - Filhos da Lua


71 encontrados | exibindo 46 a 61
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Mariana Teixeira 22/07/2016

Um livro surpreendente
Um livro de fácil leitura que prende o leitor do início ao fim, apesar do começo lento por conta da apresentação de personagens. A adrenalina surge nos momentos mais inesperados, tirando o folego de quem lê. O livro evolui nos campos da narração e do enredo ao decorrer da história e mostra que a continuação da série será ainda melhor que o primeiro.

site: https://www.youtube.com/watch?v=HZZcF0ZnXEc&list=PLcmm-FXoL4-m3KaHpjFGYDRttc_-QnT_N&index=2
comentários(0)comente



barb ximenes 29/07/2016

Resenha ig @docebiblioteca
É o primeiro livro da saga, e também é o primeiro livro da Marcella Rossetti, conta de uma maneira diferente a histórias dos Lobisomens, ops? Karibakis ? não os chamem de lobisomens, eles não gostam. No livro também muitas outras criaturas fascinantes. Eu, como Bianca, também fiquei confusa no começo, mas logo eles vão explicando tudo à protagonista e você fica a par de tudo dessa história super envolvente.

Expliquei um pouco quem são os Karibakis numa outra foto aqui do ig, dê uma olhadinha lá ou visite o site da saga: www.filhosdalua.com

Neste livro você descobre um novo universo de fantasia urbana, tendo como cenário o nosso país. A autora apresenta uma aventura cheia de mistérios cuja personagem principal é Bianca, uma adolescente de 17 anos que não imagina que sua chegada na cidade desencadearia uma série de acontecimentos capazes de transformar completamente a sua vida e revelar os segredos de um perigoso mundo.

Desde que Bianca se mudou para a cidade de Santos com sua meia irmã Laura, suas crises de sonambulismos e pesadelos pioraram. Pesadelos nos quais era revivia o assassinato de sua mãe e seu padrasto pelas garras de uma criatura monstruosa e desconhecida até então. Eles se mudaram devido ao trabalho de Laura, ela é arquiteta especialista em restauração e por isso mudam de cidade constantemente.

Por terem mudado, Bia tem de começar tudo de novo. Novo primeiro dia de aula, novos amigos. Ela conhece Lucas que a convida para ir numa boate chamada Barba Azul, nem imagina que a partir dali sua vida irá mudar. Durante a festa uma confusão acontece.

A boate vira uma guerra e Bia vê seus pesadelos com a morte de sua mãe e seu padrasto voltando quando vê criaturas enormes com garras e dentes afiados. Lucas era uma dessas criaturas, mas Bia não estava mais em um pesadelo, era real.

Se eu amei esse livro? Ele está no topo de meus favoritos. A história é envolvente e nós acompanhamos cada fase do processo de adaptação de Bia nesse novo mundo. Chorei muito em algumas partes e fiquei com uma ressaca literária que eu só queria o segundo livro dessa saga maravilinda.

Vem conhecer meu ig: https://www.instagram.com/p/BPqXEA2gemn/
comentários(0)comente



Laís Helena 02/08/2016

Resenha do blog Sonhos, Imaginação & Fantasia
Conheci Filhos da Lua em um dos muitos eventos online sobre literatura nacional de que costumo participar. Ganhei marcadores da série nesse evento e, como a premissa me interessou (e como achei a ilustração linda), assim que o livro ficou gratuito na Amazon, não tive dúvidas. E não me decepcionei nem um pouco.

Filhos da Lua pode, no início, ser muito parecido com Harry Potter, mas aos poucos essa impressão se desfaz. Bianca Fernandes acredita ser apenas uma adolescente normal (ou quase normal, já que sofre de sonambulismo) que está tentando se adaptar a uma nova cidade e um novo colégio. Ela inclusive é órfã e acredita ter perdido a mãe e o padrasto em um assalto, sendo que nunca conheceu o pai.

Bianca por isso vive com Laura, filha de seu padrasto e, para todos os efeitos, sua irmã. A princípio devido ao trabalho desta como restauradora, mudam de cidade em cidade conforme Laura assume novos projetos, e há pouco tempo se instalaram em Santos, no estado de São Paulo. Bianca se enturma em sua nova escola, conhecendo personagens que se revelam muito importantes no decorrer da trama, como Nicole, Lucas e Julian, e aos poucos vai se enredando em mistérios e perigos que logo lhe trazem uma revelação: ela é uma Karibaki, o nome com que a autora decidiu chamar seus lobisomens.

Gostei muito dos Karibakis e da maneira como a autora construiu a espécie, seus poderes e sua história e cultura. Eles são divididos em diversas linhagens e, como é comum em muitas histórias de fantasia urbana, escondem sua condição da sociedade em geral e até mesmo têm um lugar próprio para viver. E isso tudo é muito bem explorado ao longo de todo o enredo.

Enredo este que é bem interessante e foi bem bolado, com mistérios que se desvendam aos poucos, boas cenas de ação e excelentes reviravoltas. Como é uma história adolescente, há, é claro, um pouco de romance, mas em nenhum momento eu senti que ele tomou mais espaço do que deveria (embora eu não tenha gostado muito do triângulo amoroso). Inclusive os Karibakis têm regras bem restritas quanto ao romance, então mesmo esta parte se mostrou necessária e bem aproveitada.

Além disso, a história tem bons personagens e as relações entre eles são bem construídas, então não temos amizades ou namoros surgindo do nada. Gostei especialmente da relação entre Bianca e Laura. Como a narrativa é em terceira pessoa, ela se alterna entre alguns dos vários personagens, por isso é possível conhecer ao menos um pouco de cada um, o que foi um ponto muito positivo.

E eu gostei muito da narrativa. A revisão tem alguns deslizes (principalmente períodos separados por vírgula, quando estes exigiam ser separados em duas frases distintas por ponto final e uso de palavras como “ontem” e “aqui”, que numa narrativa em terceira pessoa soaram estranhas) e algumas construções são repetitivas, como esta, logo no primeiro capítulo:

“SENTIU UM APERTO NO ESTÔMAGO, LAURA ESTAVA COM MEDO”.

Aqui a autora conta que Laura estava com medo, ainda que na mesma frase tenha mencionado uma sensação que poderia já indicar o medo. Mas de resto não tenho de reclamar, pois a escrita não é apressada e se detém nas cenas e personagens pelo tempo necessário para envolver o leitor e explorar todo o potencial. E, com a trama extensa e o grande número de personagens, além de um novo universo para ser apresentado, as 560 páginas realmente se fazem necessárias.

A ambientação também é excelente. As localidades em Santos foram citadas de maneira natural, sem dar direções demais e ao mesmo tempo sem deixar o leitor (especialmente para quem não conhece a cidade) perdido. O Refúgio, o lar dos Karibakis, de início pode também lembrar Hogwarts, mas é bem diferente com sua tecnologia de ponta e sua filosofia voltada para o combate. Aliás, a adaptação de Bianca ao refúgio e aos costumes dos Karibakis foi retratada de maneira bem realista: devido ao seu atraso, ela sente dificuldades para acompanhar sua turma e muitas vezes passa vergonha pela falta de conhecimento sobre a cultura de sua raça.

O final traz muitas cenas de ação, uma revelação importante e fecha o primeiro volume de maneira satisfatória. Foram deixados ganchos para os próximos volumes, mas sem passar a impressão de que o livro é incompleto, apenas uma parte de um todo.

Em resumo, Filhos da Lua foi uma leitura que me agradou muito e uma excelente (e corajosa, se considerarmos as 560 páginas) estreia. Mal posso esperar para conferir a continuação.

Atualização: conversei com a autora e ela me disse que o livro agora será publicado pela editora Avec, e por isso passou por uma nova revisão. Então os problemas que comentei, em relação à escrita, dizem respeito à primeira edição, publicada de forma independente.

site: http://contosdemisterioeterror.blogspot.com.br/2016/08/resenha95.html
comentários(0)comente



Aninha (@aequipenerd) 07/08/2016

Filhos da Lua: O Legado
Bianca é uma adolescente um tanto incomum de seu ponto de vista. Com uma infância perturbada e acessos de sonambulismo, ela se torna um pouco introvertida, fora o fato de esta sempre mudando de cidade com sua irmã Laura, que é uma restauradora e como tal deve ir onde se encontra o trabalho.

É quando Laura aceita um trabalho para restaurar uma igreja em Santos/SP que as coisas realmente começam a mudar e as dúvidas sobre tudo o que ocorreu no passado de Bianca (que para ela é muito confuso e incompreensível) começam a se esclarecer.

Em uma nova cidade e uma nova escola, Bianca se surpreende com novas amizades e situações constrangedoras, ela começa a viver momentos que todo adolescente comum vive, porém ela acaba descobrindo que adolescente comum não é bem um rotulo que se encaixa ao que ela realmente é.

Eu amei a história de um modo geral, cada personagem é muito bem escrito e o mundo que foi criado pela Marcella é sensacional! Esqueça tudo o que você acha que sabe sobre Lobisomens, abra a mente e tenha uma releitura completamente diferente desses seres místicos.

O inicio da história é um pouquinho arrastado (você fica com aquela sensação de que ela é diferente, mas nada de extraordinário acontece) então fica um pouquinho difícil, mas sabem aquele difícil extremamente necessário? É o de O Legado, porque quando as coisas começam realmente a acontecer, a gente precisa daquele inicio de história que não tem tanta movimentação para entender as reações de Bianca, e é exatamente por esse inicio de história que fica fácil compreender ela e seus pensamentos, e cada reação que ela tem ao mundo novo.

Os personagens são incríveis e cada um tem uma participação legal na história, e são muitosssss personagens, então vou falar só de alguns, que acabaram se tornando meus queridinhos ;D

Bianca: é a personagem principal, e admito que no inicio eu até pensei “a não, ela não vai ficar aceitando o que os outros dizem e se sentir fraca e daí acabar sendo fraca por aceitar a opinião dos outros”, mas ai mais uma vez a Marcella só disse o que? Fica quietinha e lê rs. E aí ela se mostrou aquele clássico de superação, ela fez por ela e não pelos outros. E quando nos vamos descobrindo mais da história dela, mais nos apaixonamos pela personagem.

Lucas: aqui eu preciso dizer que comecei o livro apaixonada por ele, mas acabei sem saber o que realmente sinto em relação a ele. O Lucas é um personagem inegavelmente forte, a cada passagem da história isto fica muito claro, porém eu vejo nele uma figura irritante do politicamente correto, o mocinho que não pode desapontar os outros, e isto me irritou um pouco.

Julian: é até difícil falar sobre o Julian, pois eu realmente me apaixonei por ele na primeira cena em que ele apareceu, e por quê? Porque ele é extremamente folgado, tão seguro de si a ponto de ser irritante, mas eu me apaixonei justamente por ele ser esse tipo bad boy, que encanta e irrita e de uma certa maneira ele deixa (por menor que seja sua intenção) transparecer coisas que ele fez e faz que não são tão de garoto mal assim, e de um modo geral para mim ele é o maior exemplo de garoto em busca do certo.

Nicole: Sabe aquela que quando você olha pensa “antipática”, mas que depois se torna a melhor amiga? É ela e isto até me deixou um pouco surpresa, pois suas atitudes no inicio mostram uma pessoa bem chatinha e depois a gente vê que é só uma maneira de se proteger, e é para mim de longe a personagem mais inteligente, ela raciocina rápido e tem uma confiança incrível que somente quem sabe o que faz tem.

Rafaela: Para mim ela está ali para ser forte, mostrar que você pode ser aquilo que realmente quer ser e ainda assim seguir as ordens rígidas que comandam seu mundo. Eu realmente acho que ela poderia ter um foco maior, pois ela se mostra uma pessoa muito forte e bem inteligente também.

Ricardo: Sabe o amigo engraçado? É ele, me encantou desde o momento em que apareceu, sempre disposto a alegrar o dia ou a fazer o possível e o impossível para ajudar os amigos, no inicio eu achei que ele era o engraçado e medroso, mas ai ele vai evoluindo , e para mim o processo de evolução dele é quase tão interessante quanto o da Bianca. E preciso ressaltar que ele realmente tem o meu amor

site: http://www.paraisoliterario.com/2016/08/resenha-filhos-da-lua-o-legado.html
comentários(0)comente



Luciano Otaciano 08/01/2020

Livro excelente!
Olá caros leitores e caríssimas leitoras, preparados para mais uma resenha literária. Venham comigo descobrir minhas impressões à respeito da obra.

Bianca é uma adolescente que vive mudando de cidade por causa do trabalho da sua irmã. Sendo assim, frequentemente, ela precisa se acostumar a novos ambientes e uma nova escola. A última mudança feita, porém, parece reservar experiências até então inimagináveis para a nossa protagonista. Aliás, algo que muita gente sequer imagina existir.
Bianca, aliás, sempre apresentou indícios de ter algo acontecendo de diferente em sua vida. Em primeiro lugar, ela é sonâmbula e acordava, algumas vezes, longe de casa. Contudo, será que um simples sonâmbulo faria aquilo? Ademais, ela tem pesadelos constantes com um monstro enorme. Muitos dizem que isso é fruto de um trauma que ela sofreu ainda muito jovem, porém, pode ser algo completamente diferente.
Ao ir a uma festa encontrar Lucas – rapaz que a faz desmaiar, literalmente –, algo sai completamente do controle e ela presencia um ataque inexplicável, ao menos para a lógica comum. A partir daí, Bianca estará submersa em um mundo mágico, com criaturas poderosas e batalhas que ela jamais imaginou enfrentar. Será que ela irá sobreviver?
Partindo dessa premissa, Marcella cria uma trama interessante, dando uma nova faceta aos lobisomens – filhos da lua, aqui chamados de trocadores de pele. Para tal, compõe uma mitologia por trás de tais seres e ainda tece conflitos que deixarão a trama mais envolvente, fazendo com que o leitor desbrave a obra rapidamente.
A escrita da Marcella, aliás, é um dos elementos que faz com que a leitura seja rápida. Sua narração é leve e envolvente, mesmo nos momentos de menor ação. Ademais, ela consegue trabalhar bem os conflitos, sem deixar o livro com aquela coisa insuportável de dramalhão adolescente. Os momentos de ação são alucinantes e a autora sabe aproveitar bem as potencialidades de cada personagem.
Aliás, personagens esses que chamam a atenção. Bianca, a protagonista, a princípio é a típica adolescente de livros fantásticos: chatinha, dada a certo drama e não parece ter tantas potencialidades para assumir o papel de protagonista. Contudo, essa personagem amadurece muito no decorrer da trama, mostrando uma evolução notável e ganhando o leitor. Outros personagens também empolgam e prometem ser ainda melhores nas próximas obras, principalmente Lucas.
Contudo, como em quase toda obra juvenil, aparecem aqueles pecados básicos: triângulo amoroso difícil de engolir, algumas decisões meio óbvias e passagens um tanto clichês. Ainda assim, Marcella consegue surpreender em muitos pontos com seu livro, o que é motivo de felicidade imensa, já que isso está se tornando cada vez mais raro.
Em resumo, Filhos da Lua – O Legado é uma obra envolvente, bem escrita e que alcança os seus objetivos com facilidade. Possui algumas características típicas de livros do estilo, mas ainda assim merece destaque. Se você gosta de livros juvenis, aposte na obra da escritora Marcella Rossetti; dificilmente você vai se arrepender. Finalizo por aqui, espero que tenham gostado da resenha e até a próxima!
Marcella Rossetti 08/02/2020minha estante
Olá! Que bom que vc gostou! Obrigada por sua resenha! bjoss




Gisele 14/08/2016

Surpreendente
Recebi este livro em parceria com a autora, leia sobre aqui. Quando ela me mandou a sinopse, eu fiquei super interessada, afinal não resisto a literatura com seres fantásticos.
A leitura é fluída e a todo tempo, acontece alguma coisa de forma que não conseguimos perder o interesse em nenhum momento.

Bianca é uma garota que vive se mudando, onde acredita ser por conta do trabalho de sua irmã de criação. Que depois de seus pais serem mortos em um assalto, ficaram apenas as duas, mas como eu disse, isso é o que ela acredita.

O seu último destino é a cidade de Santos,pois sua irmã Laura arruma um trabalho como restauradora. Santos é o cenário principal, citada em detalhes e vários locais da cidade como fundo temos uma riqueza ímpar, o que torna a leitura ainda mais gostosa, afinal, por conhecer o cenário, fica mais fácil se envolver.

Ao se mudar para Santos, em seu primeiro dia de aula, Bianca faz novos amigos, passa por algumas situações normais para uma adolescente que chega em uma escola nova. Sofre de desmaios constantes e pesadelos, que ela imagina ser por conta do trauma que viveu ao presenciar o que aconteceu com seus pais quando ela era criança.

Pouco depois, você vai se deparar com um novo universo de lobisomens, no entanto, esqueça tudo o que você conhece sobre o assunto, neste enredo chamá-los de Lobisomens é praticamente uma ofensa, eles são Karibabis e a mitologia criada é sensacional, tudo se encaixa, sem furos.

Bianca descobre então que na verdade, nada é o que ela imaginava, nem ela mesma. A partir daqui, ela descobrirá a verdade sobre sua mãe, sobre o que aconteceu naquela noite triste e tudo mais que envolve a seu passado e como será o seu futuro.

Todos os personagens são muito bem escritos, com personalidade marcante e tudo muito amarrado. Quando você pensa que vai ficar alguma dúvida, basta continuar a leitura, que logo tudo será desvendado e é isso que é capaz de nos prender.

Além disso, vamos conhecer um novo cenário chamado O Refúgio, que é algo completamente maravilhoso. Um local onde os Karibabis vivem, descrito com muitos detalhes e assim fica fácil imergir nesse universo.

Por se tratar de adolescentes, achei que teria dificuldade em fluir a leitura, mas isso não aconteceu. A única questão que foi difícil para mim, foi me adaptar a quantidade de personagens citados e toda mitologia criada, pois como falei, é um universo totalmente novo e diferente de tudo que conhecia. No entanto, ao final do livro, você encontra um guia que explica as linhagens e cada um dos personagens.

Eu fiquei completamente encantada e espero a continuação...

Nos próximos dias, teremos o sorteio de um exemplar em ebook, aguardem.








site: www.estilogisele.com.br
comentários(0)comente



Vinicius 06/11/2016

Esqueça o mito dos lobisomens e tudo o que você viu em livros como "Crepúsculo", Marcella Rossetti nos traz uma história original, com romance e aventura na medida certa que vai cair no gosto de todos.
Filhos da Lua: O Legado é um livro que faz você mergulhar de cabeça num universo curioso e envolvente. Um misto de todas as aventuras que você já leu com a boa escrita dessa autora que já começou no mundo literário com o pé direito.

Primeira coisa que você deve saber: os Karibakis odeiam ser chamados de Lobisomens, então é bom você se acostumar com uma raça nova de criaturas que possuem uma linha histórica sem furos. O que já é um ponto positivo.

Outro ponto positivo é que, mesmo o enredo se passando no Brasil, a autora teve a sagacidade de escolher bem os nomes dos personagens e locais, fazendo com que aqueles leitores esquentadinhos que odeiam livros que se passam em terra brasilis (até hoje não sabemos o porquê) se sintam confortáveis. (um misto de palavras que vai de "Julian" a "Oca".)

Mas vamos ao que interessa.

Bianca Bley é uma adolescente que vive se mudando com sua meia-irmã Laura e sofre de crise de sonambulismo grave. O primeiro capítulo é disparado o meu favorito, o modo como Marcella inicia o livro é de perder o fôlego.

Em sua mudança para Santos ela conhece Lucas, um garoto incomum que a faz desmaiar em seu primeiro dia de aula. A partir daí tudo começa a se desenrolar rapidamente: ela sofre um ataque numa boate causada por pérfidos (Karibakis desviados) e um Tau ( artefato que abriga os Griats, criaturas malignas que causam o caos quando ativado ).

Ela então descobre ser a última de uma linhagem dos "filhos da lua", criaturas inteligentes com poderes dados pela lua que podem "trocar de pele" ou não.

Os Karibakis possuem seu próprio lar, o Refúgio, lugar incrível com uma tecnologia nem imaginada pelos humanos. É lá que Bianca Bley começa a ser ensinada sobre esse mundo totalmente novo e é colocada à prova.

Eu poderia resenhar mais vinte parágrafos, pois os mistérios, personagens e explicações são inúmeros (tanto é que no fim do livro temos até glossário de personagens e termos).

Só lendo pra você conhecer Nicole, Rafaela, Lucas, Julian (garotas caidinhas em 3...2...1..., Alexia, a língua Ki, as linhagens, a arquitetura do refúgio, o Metamold... É tudo muito novo e requer muitas e muitas linhas para serem explicados à altura do que Marcella nos apresenta.

Veja mais em: bit.ly/4SFilhosDaLua

site: bit.ly/4SFilhosDaLua
comentários(0)comente



Kleber.Luiz 05/08/2018

Boooom
Livro muito bom super recomendo
comentários(0)comente



Fernanda @condutaliteraria 19/08/2016

Envolvente!
Bianca sofre com crises de sonambulismo após o trauma de presenciar a morte de sua mãe e padrasto, porém mesmo estando presente, ela não consegue se lembrar de nada. Sofre constantes pesadelos e sente que na realidade não foi um assalto que resultou na morte de ambos.

Com 16 anos, Bianca agora vive com a meia irmã Laura, e vive mudando de cidade por achar que isso ajudaria nas crises.

A história se passa em Santos e utiliza muito da história da cidade. O que eu gostei muito.

Logo no primeiro dia de aula Bianca conhece Renan e Nicole e logo após Lucas e sua turma, quando o vê sente forte dor de cabeça e desmaia.


“Sentiu o toque leve dela em sua marca de nascimento e Carol soltou uma expressão de reconhecimento”


Como nem tudo é o que parece ser e é certo que por detrás do passado de Bianca tem algo mais, a autora nos conduz a um mundo de fantasia urbana adolescente com Uivadores, Furiosos, Destemidos, Furtivos e Farejadores. E claro, os Karibakis.

Os Karibakis são uma raça única, composta por aqueles que carregam o sangue da lua, nem humanos, nem lobos. São capazes de trocar a pele humana por uma lupina, algo que não chega a ser um lobo, porém maior e mais feroz. Dentre eles tem os que apesar de se desenvolverem dentro da linhagem, não trocam de pele.


“Não amamos o que queremos, mas o que escolhemos.”


Esse mundo paralelo a nossa realidade é muito bem criado pela a autora. A riqueza dos detalhes é perfeita e não deixa nenhuma dúvida ou ponta solta nos acontecimentos. Os Karibakis são bem descritos, bem como sua história, cultura e poderes. E como em toda fantasia urbana, se escondem da sociedade e têm um lugar próprio para viver. O que é muito bem explorado ao longo da história.

A adaptação de Bianca a essa nova realidade em sua vida é também, bem descrita. Cada etapa do processo é mostrada a nós, podemos acompanhar cada sentimento, medos e evolução da nossa protagonista.

Achei a trama bem envolvente, com mistérios que vão se desvendando ao longo da história e várias reviravoltas. Temos também romance, um triângulo amoroso na verdade, e como os Karibakis têm suas regras nesse quesito, isso também foi colocado. A parte da amizade também foi um ponto forte no livro.


“Você precisa abraçar a dor... Senti-la não é o problema. O problema é ficar incapacitada por ela.”


Realmente o mundo dos Karibakis e suas linhagens é muito amplo, quase impossível falar sem dar um spoiler.

Esse primeiro livro é apenas o começo, acho que muita coisa vem por ai e claro que fiquei curiosa pela continuação.

Agradeço a autora pela oportunidade dessa leitura! Foi uma experiência maravilhosa para mim.
comentários(0)comente



Isabela Landim 28/08/2016

Karibakis!
Por conta do trabalho de Laura, sua irmã, Bianca e ela são nômades modernas, sempre mudando de cidade em cidade. É claro que no fundo, Bianca sabe que essa não é inteiramente a verdade por trás mudanças, a verdade é que Laura está convencida de que constantes mudanças diminuem as crises de sonambulismo e pesadelos horríveis que Bianca tem desde o assassinato de sua mãe e seu padastro. Em uma dessas mudanças, acabam em Santos,SP, e é ali, em meio as situações mais estranhas como desmaiar em frente ao cara mais lindo do colégio, ser atacada por braços macabros saindo de uma parede e entender que nem tudo é folclore, que Bianca descobrirá quem realmente é, a ultima Farejadora de uma raça de criaturas chamada Karibaki.


"Não amamos o que queremos, mas o que não escolhemos"

No começo, Bianca me tirou do sério. Ela é meio bobinha mesmo com toda aquela coisa " Garoto mais bonito da escola" e "chego caindo", além de não ter um pingo do quesito Girl Power que tanto chama atenção nas personagens atuais, que conseguem se salvar sozinhas dos perigos que as cercam. Mas criticando a Bia eu percebi uma coisa muito importante sobre os personagens que são apresentados para nós recentemente. O fato é que na época da escola - vulgo ano passado- eu era exatamente como ela, meu crush era mesmo o cara mais bonito da escola e eu era simplesmente um desastre ambulante, e sinceramente, se eu fosse assaltada e corresse o risco de ser estuprada por 3 caras, nem em meus mais mirabolantes sonhos eu conseguiria me salvar sozinha, então porque infernos eu estava esperando qualquer coisa diferente por parte da Bianca? Por que eu estava criticando ela por ser uma garota normal? É que estamos cada vez mais sendo atacados por personagens idealizados que, apesar de terem idade para serem adolescentes, não o são por completos.

" - Nosso Mundo é muito estranho, Bia..."

E é isso que diferencia a Bia desses personagens; enquanto eles tentam ser normais, ela é, apesar do sonambulismo e outras estranhezas . O que acaba por abrir um espaço imenso no livro para a evolução da personagem, ela vai superando seus medos e amadurecendo, se tornando não só uma adolescente forte, mas também uma mulher, e sem perceber, nós estamos torcendo por ela e nos orgulhando por cada conquista. No fim, ela é essa personagem incrível que nós vimos crescer, e não vemos a hora de ver o que ela fará com a vida dela.

"- Eu sou Julian - Imitou ele com voz dramática - aquele cujo olhar ignora o aquecimento global e congela qualquer coisa viva por onde anda. Eu sou Julian, cuja sombra gera blackouts e cuja risada mata qualquer criancinha de medo.

Outra coisa legal de reparar, são as subtramas e os outros personagens. Temos o Renan que é super fofo e a Nicole, que me conquistou na primeira aparição, mesmo cheia de mistérios e uma certa indiferença.E existe sim um "triângulo amoroso", mas o bom é que fica em segundo plano, onde nós temos o Lucas e o Julian como interesses da Bia, e eles não são aqueles personagens que você pode classificar como bonzinho ou Bad Boy. Eles são mais que isso, e principalmente, eles tem defeitos reais. Aliás, todos os personagens tem defeitos reais, não dá pra dizer que nenhum deles é perfeito, e é bom.

"Olá jovem trocador de pele! Não, você não é um lobisomem! E por favor nunca mais use essa palavra aqui novamente. Odiamos ser chamados assim, acredite!"

O que nos puxa para a mitologia criada, ou melhor, reinventada, do livro. É fascinante, e isso é tudo o que eu posso dizer sobre os lobisomens/trocadores de pele do livro, que são chamados Karibaki, sem estragar as grandes surpresas. Até porquê a existência deles é muito bem costurada na nossa, o que a torna muito fácil de acreditar.

" -Talvez ele seja adotado - começou Duda. - Ricardo deve ser parente de canguru e não de Karibaki."

Quando a Marcella Rossetti me enviou um e-mail propondo uma parceria, o interesse foi imediato; lobisomens em Santos? Eu simplesmente não poderia perder essa. Primeiro porque é fantasia brasileira e tem uma dinâmica completamente diferente do que a que vem lá de fora. Os personagens vivem na nossa cultura e são as pequenas coisas que estão presentes no cotidiano de nós brasileiros, igualmente presentes no livro, que possibilitam uma maior identificação com os personagens.

- Vaga-lume? Por que me chamou disso?
- Não sei – respondeu ele dando de ombros. - Acho você lembra esses bichinhos estranhos.

Além disso, existe o fato de que o livro, obviamente, foi escrito em português, o que significa que estamos lendo exatamente o que a autora gostaria que lêssemos. Nada se perdeu na tradução! Ou seja, nada foi mudado e não corremos o risco de encontrar uma personagem com 16 anos que fala como alguém um tanto mais velho. O que por sua vez produz uma certa sensação de familiaridade com a leitura que não encontramos ao ler qualquer outra que não tenha sido escrita por um brasileiro.

Outra coisa a ser ressaltada é o fato de que o livro se passa em terras tupiniquins, em grande parte na cidade de Santos, no estado de São Paulo. É muito mais interessante ler algo que se passa no seu país ao invés de NY, por exemplo. Quer dizer que se você realmente gostar, é muito mais fácil dar um pulinho e ver os lugares em que a personagem se encontra, além de conferir uma certa veracidade do dia-a-dia brasileiro. E falando por alguém que morou em Santos por 4 anos, no fim do livro eu estava meio que stalkeando a personagem, - só pra ficar registrado,ela morava a 20 minutos de caminhada de onde eu morei.

"Você precisa abraçar a dor .. Senti lá não é o problema. O problema é ficar incapacitada por ela."

Dito isso, eu só posso acrescentar que o livro merece ser lido por qualquer um que se interesse por livros de fantasia e se você é um desses, pode adquirir o E-book na Amazon, ou o livro físico, na Saraiva, ainda em Pré-Venda e com um brinde muito legal.

Blog: http://isylandim.com.br/

site: http://isylandim.com.br/
comentários(0)comente



Paula.Elizabeth 19/09/2016

Sensacional!
Bom, a autora não acertou só no livro... acertou na hora de contratar a ilustradora também! A capa, os pôsteres, os marcadores de livros... tudo ficou perfeito (igual ao livro).
A forma de escrever ficou ótima para o público alvo e até para os adultos (infanto-juvenil / juvenil) pois, a linguagem não é difícil e é divertida.
A obra despertou muitas emoções como: medo, tensão e raiva, mas também, muito amor. Além de gerar confusões por ficar muito na frente do computador, pois li em e-book, mas valeu MUITO a pena. Quanto mais eu lia, mais me apaixonava pelo mundo dos Karibakis, pelos personagens, pelo cenário... por tudo! É, sem dúvida, um dos melhores livros que eu já li.
Resumindo: adorei!
comentários(0)comente



@paty_bookaholic 20/09/2016

Uma ficção que vale a pena
Sabe aquele livro que você não sabe por onde começar a falar? Então esse é um daqueles livros. Então peço perdão desde agora pela confusão que vai ser essa resenha e pelos possíveis (e prováveis) spoilers que vou dar.

Bianca é uma menina forte, que está costumada com as mudanças constantes de cidade e escola, já que graças ao trabalho da sua irmã não param muito tempo em um só lugar, ela leva consigo um marca profunda, o horror do assassinato de seus pais. E por mais que todos insistam que eles morreram por causa de um assalto os sonhos se infiltram em sua mente, trazendo uma besta de olhos amarelos e garras enormes.

Ao chegarem em Santos tudo piora, ela continua com os sonhos, com as andanças noturnas causadas pelo sonambulismo e quando começa a achar que as coisas não podem piorar, tudo muda. Na escola ela conhece Lucas, um garoto lindo, mas estar perto dele sentir a sua presença a afeta de alguma maneira. Ela conhece Nicole e Renan que se tornam seus amigos.

Mas Lucas não sai de sua cabeça e quando ela ganha convites para ir a uma festa onde ele vai estar ela não pode resistir. E tudo começa a mudar no momento que descobre que tudo o que passou não foi um sonho. Um ataque horrível na festa acaba por libertar o seu passado e o seu legado.
Continue lendo em:
http://portal.julund.com.br/resenhas/filhos-da-lua-o-legado-avec_editora
comentários(0)comente



Portal JuLund 20/09/2016

Filhos da Lua – O Legado, @AVEC_EDITORA
Sabe aquele livro que você não sabe por onde começar a falar? Então esse é um daqueles livros. Então peço perdão desde agora pela confusão que vai ser essa resenha e pelos possíveis (e prováveis) spoilers que vou dar.

Bianca é uma menina forte, que está costumada com as mudanças constantes de cidade e escola, já que graças ao trabalho da sua irmã não param muito tempo em um só lugar, ela leva consigo um marca profunda, o horror do assassinato de seus pais. E por mais que todos insistam que eles morreram por causa de um assalto os sonhos se infiltram em sua mente, trazendo uma besta de olhos amarelos e garras enormes.

Ao chegarem em Santos tudo piora, ela continua com os sonhos, com as andanças noturnas causadas pelo sonambulismo e quando começa a achar que as coisas não podem piorar, tudo muda. Na escola ela conhece Lucas, um garoto lindo, mas estar perto dele sentir a sua presença a afeta de alguma maneira. Ela conhece Nicole e Renan que se tornam seus amigos.
CONTINUE LENDO EM: portal.julund.com.br

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/filhos-da-lua-o-legado-avec_editora
comentários(0)comente



André L. Jacob 07/01/2020

Filhos da Lua - O Legado
Desde que Bianca se mudou para uma nova cidade, que é Santos no estado de São Paulo, suas crises de sonambulismo e pesadelos com a morte de sua mãe pioram muitoPesadelos nos quais Bianca revivia o assassinato de sua mãe e de seu padrasto.

No seu primeiro dia de aula, nada foi muito planejado também. Ao se deparar com um grupo, onde o garoto mais bonito de sua escola, Lucas, estava, ela se sente um pouco tonta e literalmente desmaia aos pés dele. Uma situação realmente bem estranha tanto para Bianca, quanto para Lucas e seus amigos. E ela não sabia também que muitas coisas estranhas aconteceriam depois desse encontro. E descobriria muitas coisas sobre o seu passado e o passado de sua mãe. (que não posso contar pq é spoiler hihihi)

A leitura é muito viciante e impossível de largar. Os capítulos curtos fazem com que a história seja rápida e gostosa. Uma história completamente original e o fato da história se passar no nosso país, me tocou de um jeito muito bom :

site: https://www.instagram.com/hardcover_lifes/
comentários(0)comente



Pipoca Nerd 19/12/2019

Resenha do livro Filhos da Lua – o Legado de Marcella Rossetti
Oi oi, pipoqueiros, turuboom?

Nós aqui amamos um bom livro e quando ele envolve sobrenatural e mitologia, fica ainda mais divertido. E é por isso que já nos apaixonamos de cara pelo livro Filhos do Lua, o Legado, da autora Marcella Rossetti, publicado pela Editora Avec. O livro tem uma capa incrível, que já nos deixa querendo saber mais. E como já sabem, amamos uma boa capa.

O livro é um nacional sobrenatural, fantasia urbana ambientada no Brasil e não tem como ser melhor. Para superar isso tudo, ainda tem uma diagramação ótima.

Filhos da Lua conta a história de Bianca, uma jovem que tem pesadelos e terrores noturnos horríveis, que às vezes faz com que ela apareça do outro lado da cidade, e ninguém sabe como ajudá-la. Terapeutas e médicos acham que é apenas um medo bobo e um psicológico malcuidado. Enquanto não consegue melhorar com nada, sua irmã fica mudando de cidade em cidade, achando que assim pode ajudar a Bianca a ter experiências melhores.

Quando ela chega em Santos, conhece várias pessoas que mexem com ela, ainda mais do que seus pesadelos. Na nova escola, ela conhece alguns novos amigos e tem um, o Lucas, que a faz desmaiar na frente dele e ela nem sabe o motivo.
No mais, a vida vai fluindo para Bianca, um flerte aqui e outro ali e o Lucas acaba chamando a Bianca para uma boate e lá, acabam ficando. Nessa boate acaba acontecendo cada coisa MALUCA, e tudo vira do avesso.

Uma raça que trai a própria raça decide atacar bem no meio da boate, matando pessoas, puxando braços e pernas. O Lucas acaba se transformando ali no meio e quando a personagem acorda, já está no meio dos Filhos da Lua, onde descobre que é um deles, de um Legado que nem existia mais.

Nessa loucura podemos imaginar que o romance foi por água abaixo, né? Ate porque Lucas e Bianca nem pode mais ficar juntos.
Bianca é do Legado dos Farejadores e acaba indo para um refúgio na mata, super tecnológico e moderno, para se proteger e conhecer mais de seus poderes. Claro que nesse meio tempo vai rolar personagem novo, amor novo, suspense, tragédia e sofrimento. Que bom livro seria sem isso tudo, não é mesmo?

Marcella é uma autora incrível que conseguiu em um livro dar mais conteúdo do que eu já li na vida. Haha
A riqueza de detalhes desse livro é impressionante e a autora consegue nos fazer amar e odiar personagens com a mesma intensidade. Quando você acha que quer uma coisa, ela vai e mudar o lance inteiro até você nem saber mais o que queria. Com isso, a leitura é dinâmica e fluida, mesmo sendo um livro grande e intenso, você praticamente come cada página a cada segundo. E se você se perder na quantidade de termos e nomes nesse livro, tem uma glossário para te ajudar no final. Fica a dica.

Bianca é uma daquelas personagens cheias de problemas e que tem que tomar decisões que nem sempre são inteligentes. Apesar disso, gostei da personagem, forte e decidida, sem o mimimi de uma personagem desse estilo.

Com uma mistura dos clássicos distópicos atuais, com “casas, facções ou legados” determinados por forças e fraquezas, Filhos da Lua trás personagens fortes, maravilhosos e intensos.

Eu já preciso do próximo livro porque MINHA GENTE, que final foi esse?
Pode mandar, Marcella, estamos prontos. Também temos DNA de lobos em nós e precisamos de mais.

site: http://pipocanerd.com/livros/resenha-do-livro-filhos-da-lua-o-legado-de-marcella-rossetti/
comentários(0)comente



71 encontrados | exibindo 46 a 61
1 | 2 | 3 | 4 | 5