Susan Sontag

Susan Sontag Jonathan Cott




Resenhas - Susan Sontag: Entrevista completa para a revista Rolling Stone


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Peter 06/01/2020

Sensacional
É um livro de entrevista, rapidinho de ler: tem as perguntas de Cott e as respostas de Sontag. Muito bom para conhecer a personalidade e pensamento da ensaísta, e ver como ela realmente pensa - tudo o que fala foi pensado e desvia do senso comum. Excelente para conhecer muito dos raciocínios dela, e depois ir se aprofundar nos seus livros. Se você já leu algo dela, ou quer iniciar, recomendadíssimo.
comentários(0)comente



Tati 11/09/2017

Como dizem os jovens: que hino!

Ler Susan Sontag em qualquer formato é sempre um prazer, com essa entrevista não foi diferente. Diversos assuntos são tratados: o câncer e os livros que foram escritos sobre a experiência de ficar doente, a visão de literatura, feminismo, o que ela acha de 'escrita feminina', como ela sentiu a vida acadêmica e a maternidade, ser criança, ser adulta, tantas e tantas coisas mais. Quem já leu os diários e os livros de ensaios mais importantes já está familiarizada com esses temas mas Susan é aquele tipo de escritora que nunca cansa, é sempre bom ler e reafirmar algumas coisas.

Uma coisa que notei lendo essa entrevista é que ela tem uma coisa que eu admiro muito e que sempre me faz colocar o escritor ou escritora na categoria de favorita: a capacidade que ela tem de despertar minha curiosidade para qualquer assunto. Tudo que ela fala dá vontade de ler, ver, conhecer também. Muito provavelmente porque ela também se coloca nessa posição de eterna curiosa, dá vontade de seguir o rastro.


27/07/2017

“Sou muito mais ignorante do que as pessoas pensam”
Acho que Susan me conquistou irremediavelmente ao se colocar como parte indissociável de sua própria obra. Realmente estou impressionada com a bagagem cultural que essa mulher possuía. Até hoje, mesmo após algumas semanas do término do livro, me pego pensando sobre a concepção deveras particular que ela carregava das mais diversas expressões artísticas, e em sua profunda visão social do mundo em que vivia. É uma daquelas leituras que conversam com o leitor, provocam reflexões relevantes e expandem a consciência. Apesar do que pode parecer à princípio, o estilo dela não é tão brianstorm assim. Conheci a autora há pouco menos de um ano por meio do trabalho de sua ex-companheira, a fotógrafa Annie Leibovitz, que, aliás, publicou um livro de fotografia dedicado a ela.
Confesso que nesses tempos de feminismo tão diluído, esta leitura serviu como um alento para mim.

“Olha, o que quero é estar presente por inteiro na minha vida – ser quem você é de verdade, contemporânea de si mesma na sua vida, dando plena atenção ao mundo, que inclui você. Você não é o mundo, o mundo não é idêntico a você, mas você está nele e presta atenção nele. O escritor faz isso – presta atenção no mundo.” (p. 23)

Fiquei pensando sobre esse trecho, e sobre como é necessária e urgente a consciência de que o outro também é parte de nós.

Para ler e reler.
comentários(0)comente



Augusto 30/03/2017

p. 122
"Mas, para mim, a coisa mais terrível seria sentir que concordo com as coisas que já disse e escrevi - isso me tornaria ainda mais desconfortável, pois significaria que parei de pensar."
comentários(0)comente



Luísa 20/06/2016

Susan Sontag sem metáforas em entrevista à Rolling Stone
Susan Sontag (1933-2004) foi uma ensaísta, romancista, dramaturga, cineasta e ativista política que descreveu a paixão do intelecto com as seguintes qualidades: avidez, apetite, aspiração, anseio, apetência, insaciabilidade, arrebatamento e inclinação.

Em 1978, foi entrevistada pelo jornalista Jonathan Cott para a revista Rolling Stone. Só um terço da longa entrevista de doze horas foi publicado à época. Em 2013, a entrevista foi publicada na íntegra e agora a Editora Autêntica lançou-a em português (Susan Sontag – Entrevista completa para a revista Rolling Stone, 127 páginas, tradução de Rogério Bettoni).

Para quem não conhecia Susan Sontag, o livro é uma encantadora maneira de adentrar no seu universo, que vai desde ensaios sobre fotografia, fascismo, metáforas, feminismo, rock’n’roll, estética e literatura. Para quem já a conhece, a entrevista é um verdadeiro deleite.

Leia mais no link abaixo:

site: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/susan-sontag-sem-metaforas-em-entrevista-a-rolling-stone-por-luisa-gadelha/
comentários(0)comente



Amanda 04/06/2016

Entrevista deliciosa e tradução impecável
Escrevi lá no Blog sobre o quão incrível é essa entrevista.Ela é tão rica, extensa e intensa que precisou virar um livro.
Quem não conhece a Susan certamente terá necessidade de conhecer sua obra após essa leitura e quem já conhece, ganha novos motivos para continuar admirando esta mulher.

site: https://histericaspontocom.wordpress.com/2016/04/11/susan-sotang-entrevista-completa-para-a-revista-rolling-stone/
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6