100 dicas simples para prevenir o Alzheimer

100 dicas simples para prevenir o Alzheimer Jean Carper




Resenhas - 100 dicas simples para prevenir o Alzheimer


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Israel.Tavares 10/10/2015

Dicas para evitar Alzheimer
Este livro busca mostras as possibilidades para se envelhecer sem desenvolver da doença de Alzheimer, com muitos dados de pesquisa a autora mostra que mudança de estilo de vida com tipos de exercícios físico, melhor alimentação, reposição de nutrientes com vitamina D B12 eoutras e meios de se manter mentalmente sadio.
Recomendo este livro!
comentários(0)comente



LAPLACE 05/10/2016

Útil a Todos
Alzheimer é uma palavra latina que significa “privado da mente”, e a doença é a forma mais comum de demência — consistindo em 60% a 80% dos casos — onde o cérebro sofre uma deterioração e atrofia lenta.

Tendo em vista o histórico familiar — sua mãe teve Alzheimer —, e o fato de ser portadora do gene ApoE4, comum às pessoas que desenvolvem a doença, Jean Carper iniciou uma intensa pesquisa sobre como se prevenir.

Ao reunir 100 dicas ela decidiu escrever um livro para que esse conhecimento estivesse à disposição de todos que carregam o mesmo gene, ou daqueles que possuem familiares que sofrem do mesmo mal, podendo assim ajudar o máximo de pessoas possíveis.

Querem saber mais? Então corram para ler o livro!

***

A primeira publicação sobre Alzheimer ocorreu em 1906 quando o médico Alois Alzheimer relatou o caso de uma paciente sua que, aos 51 anos e saudável, passou a apresentar uma perda progressiva de memória. Segundo a Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAZ), estima-se que haja 35,6 milhões de pessoas no mundo com a doença, sendo 1,2 milhões no Brasil, e a maior parte dos casos ainda não foi diagnosticado.

Isso ocorre, em parte, pela dificuldade de se diagnosticar a patologia, não existe um diagnóstico preciso — a menos que se estude o cérebro da pessoa, o que só pode ocorrer quando ela morre — e muitas vezes a doença é confundida com outras enfermidades.

Para identificarem a doença os médicos recorrem a algumas lesões cerebrais características de seus portadores, sendo as duas principais o acúmulo da proteína beta-amiloide e o emaranhado de novelos da proteína tau. O gene ApoE4 — que você pode descobrir se carrega com um simples exame de sangue — também é outro forte fator, contudo, como disse a autora Jean Carper, ser portador do mesmo não significa que você terá Alzheimer, há pessoas que o tem e não desenvolveram a patologia, como há aqueles que não o carregam e desenvolveram.

Contudo o ApoE4 foi o que levou a autora a escrever o livro. Após um exame rotineiro de colesterol, Jean descobriu que carregava o gene, e temendo desenvolver a doença devido ao histórico familiar — sua mãe tinha Alzheimer —, buscou formas de se prevenir. O grande problema é que, assim como não existe um diagnóstico preciso, também não há uma cura para o Alzheimer.

Isso não a esmoreceu, Carper realizou uma profunda pesquisa sobre a área, procurando o que poderia fazer para evitar ao máximo a doença, e quando conseguiu reunir 100 tópicos, resolveu compilá-los em um livro para que mais pessoas pudessem se beneficiar de suas descobertas.

O mais impressionante é que, com base nos escritos da Jean, os fatores que aumentam os riscos de desenvolver o Alzheimer e de preveni-lo são tão simples, que podem até parecer bobos. São coisas que muitos fazemos no dia a dia e não temos ideia de que isso pode estar nos aproximando ou distanciando dessa patologia.

Com uma linhagem bastante didática e capítulos curtos, a autora explana sobre suas descobertas, tendo o cuidado de respaldar sempre onde conseguiu cada informação, para que tenhamos segurança em suas palavras.

Para vocês terem uma ideia do que há no livro e do que podem começar ou deixar de fazer, fique sabendo que o estresse, o consumo de fast foods, o sedentarismo, o isolamento, bater a cabeça, a alta taxa do colesterol LDL, e o hábito de beber muito são alguns exemplos de fatores que aumentam o risco de desenvolver o Alzheimer.

Já a prática de atividade física, o consumo de peixes ricos em ômega-3, de verduras e legumes de cores fortes, estudar, jogar videogame, e o ato de você ser sociável e ter um grande círculo de relacionamentos são fatos que reduzem as chances de adquirir a doença.

Você precisa tomar cuidado para não entrar em pânico ao ler o livro, porque o número de coisas que fazemos diariamente e que podem nos prejudicar é grande. Dependendo do que for, podemos elevar o risco em mais de 300%! Não surte, como a Jean repete em todos os capítulos, nunca é tarde ou cedo demais para mudar seus hábitos. Além do mais, a autora também deixa bem claro que seguir todas as suas dicas não significa que você deixará de correr o risco de desenvolver o Alzheimer.

Isso é até meio irônico, pois a quantidade de coisas que podemos fazer para reduzir essa probabilidade é imensa, e mesmo assim o risco sempre existirá. Você lê o livro se perguntando: como eu ainda posso desenvolver a doença depois de seguir todas essas dicas e depois dos resultados que a autora apresentou?

E ao final da obra a Jean ainda sugere um Plano Anti-Alzheimer. Ela compila todas as 100 dicas em 4 tópicos para ajudarem o leitor a iniciar essa caminhada. Você pode até iniciar a leitura por esse plano e depois partir para cada uma das dicas com mais calma, para conhecê-las em detalhes.

Uma coisa que gostei bastante foi o cuidado da Sextante em fazer as devidas alterações no texto. Exemplo: a Jean aponta alguns sites para ajudarem o leitor a conhecer mais sobre a doença, e a editora teve a atenção de substituir os endereços norte-americanos por brasileiros, citando a ABRAZ: Associação Brasileira de Alzheimer (www.abraz.org.br) e a APAZ: Associação de Parentes e Amigos de Pessoas com Alzheimer (www.apaz.org.br). A Sextante também alterou os sites de exercícios mentais que a autora sugeriu por outros nacionais, contudo rodei atrás deles no livro e não os encontrei novamente.

O livro da Jean não é desses que você pode ler em uma sentada, essa obra precisa ser mastigada e digerida aos poucos para que o leitor absorva ao máximo seus ensinamentos. Se você não tem nenhum caso de Alzheimer em sua família, mas conhece quem tenha, pode indicá-lo ou dar de presente sem medo, essa leitura é essencial. E você pode lê-la também mesmo assim, porque todos estamos sujeitos a desenvolver essa patologia, tenhamos o gene ApoE4 ou não, pratiquemos as dicas aqui apresentadas ou não.
comentários(0)comente



Amanda.Souza 06/12/2019

Mais que Necessário!!
100 dicas simples para prevenir o Alzheimer E a perda de memória é um livro extremamente necessário, além de você saber sobre coisas que podem ajudar a si mesmo ou o próximo para evitar a doença do Alzheimer você também ganha conhecimentos extremamente importantes e interessantes que talvez você até mesmo desconhecia, eu mesma posso dizer que muitíssimas coisas eu aprendi, definições de certas palavras e certas doenças e etc.
Neste livro você também conhecerá mais sobre a predisposição genética de Carper o gene Apolipoproteína E4, ou "APOE4".

O que é o Alzheimer aliás? Bom, a melhor definição para a doença e a palavra " demência " ( palavra que vem do latim que significa "privado da mente". Na definição estritamente científica, trata-se da deterioração e atrofia lenta e progressiva do cérebro, caracterizada por dois tipos de dano neuronal: aglomerados  e placas de uma gosma pegajosa, um peptideo chamado beta-amiloide; e novelos neurofibrilares gerado pelo mau funcionamento da proteína tau, que passa a emitir uma neurotoxina.

Duzentos e oitenta e oito páginas de puro benefícios, te prende e te faz ser um pouco mais inteligente sobre certas coisas existências que talvez você desconheça.
Jean Carper deixa claro que as informações contidas nos textos não deve ser tratado como a forma definitiva de não ter Alzheimer apesar de o livro conter medidas preventivas apoiadas em estudos seriamente sérios já que através de pesquisadores a concedeu milhares de seus estudos publicados revisado por muitos nas melhores revista científica de medicina, e também através de entrevistas importantes para a base do desenvolver do livro. Eu diria um obrigada a Jean e a todos eles se pudesse rs, pois esse livro é mais que só um livro importante.

Creio que não nos custa nada seguir certas dicas e traze-las para nossas vidas como um hábito novo, independente de qualquer coisa tenho absoluta certeza que esse livro é um meio de abrirmos a mente para saber e termos o desejo de sermos saudáveis, amáveis conosco e com nossos corpos, estarmos bem com nós mesmo e cuidar do nosso bem-estar o que é muito importante. Mexa-se, ame a vida e a si mesmo já que é uma dádiva estarmos aqui, zelemos pelo bem estar do próximo também, sejamos pessoas boas em meio ao caos. Caminhe, leia, conecte se com sua mente e seu corpo, ande por perto da natureza, pare de fumar, beba com extremo de moderação, beba um vinhozinho tinto vez ou outra, coma frutas, cuide bem do seu coração e do seu cérebro, pratique sempre exercíciose físicos, beba um cafezinho e entre outras coisas muito importante. E por fim! Tenhamos todos uma vida saudavelmente saudável.


"No espírito de fazer o que torna o cérebro mais saudável, sugiro que, assim como eu, você crie seu plano de ação, incorporando maneiras de cuidar da sua mente e de seu corpo como lhe parecer melhor. Lembre-se: seus neurônios só são ativos e incentivados a crescer quando você sai do piloto automático e busca novidades e esforços intelectual, agite aqueles bilhões de células cerebrais preguiçosas."

- Jean Carper
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3