O Pulo da Gata

O Pulo da Gata Fernanda França




Resenhas - O Pulo da Gata


15 encontrados | exibindo 1 a 15


Rafaela Regis 01/10/2015

O Pulo da Gata - Fernanda França
O Pulo da Gata de Fernanda França, lançado pela editora Planeta no selo Essência, é um romance super fofo e muito divertido, e é claro que como eu já acompanho o trabalho da Fê não poderia perder esse lançamento, né!

Sem falar é claro na temática abordada pelo livro, que por sinal é o sonho de muitas mulheres desde pequenas... o tão falado: casamento. Mas não qualquer um, tem que ser aquele dos contos de fada e com tudo que se tem direito.

O que é o caso de Maggie May, sim, seu nome foi dado por causa de uma música de Rod Stewart que possui o mesmo nome (a qual eu confesso que fui procurar porque não conhecia), tanto que ela já teve quatros noivos, com cerimonia marcada, salão reservado e tudo, porém nenhum chegou ao "sim, eu aceito", pois é sempre acontecia algo e babava tudo.

Porém parece que o príncipe finalmente aparece na forma de Felipe, um homem alto, bonito e misterioso que ela o conheceu na internet como "Gato Gatuno", que parece ser a resposta a suas preces. No entanto entra em cena o Eric, um fofo humorista que se torna um grande amigo da Maggie, ou seria algo mais?

O Pulo da Gata é um romance leve e divertido que nos faz perder a hora durante a leitura e nos encantar ao virar das páginas. Eu sinceramente me encantei pelo livro não apenas pelo tem e sim por ele ser também bem moderninho e cheio de chats e mensagens que deixam a história bem interativa.

Maggie May é uma mulher romântica e sonhadora, no entanto confesso que achei certas atitudes dela uma loucura sem pé nem cabeça, enfim ela é um amorzinho de pessoa que se deixa levar pelos seus sonhos e acaba se metendo em várias furadas. Amei a família dela e a interação que eles tinham um com os outros, e é claro que não posso deixar de falar de suas amigas "loucas" que estavam sempre por perto para segurar a onda da Maggie.

Não gostei do Felipe, logo de cara, não sei por que, mas antipatizei com ele por causa das atitudes dele, claro que a Maggie tem uma parcela da culpa por aceitar muitas coisas em nome do "amor" porém não me convenceu em momento nenhum esse romance dos dois. Já o Eric, ai o Eric, ele é um cara super fofo e divertido que encanta a todos com o seu sorriso aberto e seu jeito extrovertido.

Fernanda França mais uma vez nos encanta com um romance lindo e uma história envolvente que nos faz rir e chorar sem que percebemos o que está acontecendo. O Pulo da Gata nos faz ver o quão valorosa é a família e os amigos irmãos que temos na vida, e é claro a não desistir de nossos sonhos, mesmo que sejam bem absurdos ou até mesmo muito simples. Recomendo!

site: http://dlivros.blogspot.com.br/2015/10/o-pulo-da-gata-fernanda-franca.html
comentários(0)comente



Fernanda 29/09/2015

Resenha: O pulo da gata
CONFIRA A RESENHA NO BLOG:

site: http://www.segredosemlivros.com/2015/09/resenha-o-pulo-da-gata-fernandafranca.html
comentários(0)comente



Lucas 15/12/2015

Antes de começar essa resenha eu preciso dizer que mais uma vez um livro nacional conseguiu me surpreender. Eu que até pouco tempo atrás tinha experiência zero com livros escritos por autores brasileiros, venho me encantando cada vez mais.

O livro da vez foi ‘O Pulo da Gata’, da autora paulistana Fernanda França. Meu primeiro contato com a Fernanda foi na Bienal do livro de 2015, e numa conversa rápida ela conseguiu me convencer a levar seu livro. Esse foi um daqueles livros que eu peguei sem saber nada sobre a história, mas algo me dizia que eu não iria me arrepender da leitura.

‘O Pulo da Gata’ conta a história de Maggie May, uma médica veterinária de vinte e três anos, que tem um enorme amor pelos animais e seu maior sonho é se casar. Sim, com vinte e três anos e já anseia por um casamento.
"Maggie May, no entanto, talvez tenha escolhido sua profissão só para usar branco todos os dias. Ela sonhava com o seu vestido de noiva, branco obviamente, desde que tinha seis anos. E todas suas bonecas tinham marido. Todas!"
A fim de conseguir um pretendente, Maggie marca um encontro às escuras com Felipe, um rapaz que ela conheceu através de um site de relacionamentos e já tem a certeza de que ele é o homem da sua vida (afinal de contas, eles compartilham da mesma bebida favorita). Acontece que Meggie e Felipe nunca se viram, e quando ela chega ao bar onde o tal encontro aconteceria, ela conhece Eric, que usava exatamente a mesma roupa que Felipe disse que usaria, e é aí que começa toda a confusão.

Resenha completa no blog Nunca Desnorteados :)

site: http://nuncadesnorteados.blogspot.com.br/2015/12/resenha-o-pulo-da-gata.html
comentários(0)comente



Tais Cortez 26/12/2015

Fofo e divertido!
Admito que eu sofri com a Maggie Mae e com seu jeito inseguro e dependente de ser, pois me considero o oposto dela! rs

Mas adorei a leitura. A Fernanda escreve muitooo bem e achei incrível todas as mensagens e valores que ela abordou ao longo da história.

Acredito que uma boa história é aquela que não apenas entretém, mas também faz o leitor refletir e levar algo de bom consigo, e a Fer fez isso com maestria.

Recomendo :)
comentários(0)comente



Pri 14/04/2018

Uma comédia romântica super fofa!
Comprei esse livro na Bienal do Rio porque achei a sinopse super interessante e a capa linda. Descobri que foi uma ótima aquisição!

"— Sem a lua, conseguimos ver melhor os outros planetas e as estrelas. A lua deixa o céu com muita luz. Acho que a vida é assim, Maggie. Quando alguma coisa não vai bem, conseguimos ver as outras um pouco melhor. Nem sempre a ausência é um fator negativo. Podemos aprender quando estamos na escuridão."

Maggie May tem 23 anos e é médica veterinária. Ela é jovem, independente, mora sozinha na casa antiga de seu avô, tem sua própria clínica veterinária, tem uma família grande (com um pai, duas mães e cinco irmãs) e amorosa, e melhores amigas que estão ao seu lado desde a época da escola. Apesar disso, ela não está totalmente satisfeita com sua vida, apenas porque ainda não conseguiu realizar seu maior sonho: se casar com tudo o que tem direito. Ela ainda é muito jovem, mas acha que já deveria estar casada e que sua vida só vai começar de verdade quando isso acontecer. Então está disposta a tudo para achar o cara adequado para o papel de noivo perfeito.

"— Você não deveria ter medo de ficar sozinha, Maggie. Estaremos sempre rodeados de pessoas, se quisermos. Mas ter gente por perto não é, necessariamente, sinal de que estamos rodeados de amor. Pode ser que sim, pode ser que não. O meu medo, e eu vou te contar, é de não ter uma única pessoa que goste de mim ao meu lado. De ficar sozinho, mas não sem gente por perto, sem amor."

É assim que ela conhece o Gato Gatuno, ou melhor, Felipe. Eles conversaram por um desses sites de relacionamentos, descobriram ter muitas coisas em comum e decidiram marcar um encontro. Enquanto espera por Felipe, Meg acaba conhecendo Eric, que é comediante no barzinho onde ela está. A conversa entre eles flui naturalmente e eles encontram coisas em comum rapidamente, mas tudo em que ela consegue pensar é na demora de Felipe em aparecer.

"O amor não é um eclipse solar, quando a lua oculta o sol. Você descobre que ama alguém de verdade quando deseja que estejam no mesmo céu, ainda que por poucos minutos, só para ver a luz do outro brilhar."

Depois de diversos imprevistos, ela e Felipe finalmente se encontram e começam um relacionamento um tanto afobado, principalmente para duas pessoas que se conheceram na internet. Mesmo assim, Mag está certa de que ele é o homem da sua vida e que é com ele que irá casar-se e ser feliz para sempre. Apesar de suas amigas não aprovarem essa relação e de seu pai não estar confiante de que ela encontrou o homem certo dessa vez, ela se joga de cabeça e se entrega completamente ao "amor". Enquanto isso, Eric está cada vez mais próximo e atencioso, mas cega com seus sonhos e planos malucos, Maggie May não consegue enxergar nada além de um casamento perfeito acontecendo muito em breve.

"O que faltava em Maggie, mas ela não desconfiava, era descobrir que a felicidade era um estado que dependia muito mais dela do que de outra pessoa. Ser feliz é um pacote amplo, que pode incluir as escolhas da vida, a liberdade, a saúde e a disposição para realizar tarefas que dão prazer, mesmo rotineiras, o discernimento para tomar decisões, a autonomia para ir e vir e a capacidade de enxergar beleza mesmo quando muitas dessas alegrias não são possíveis. Se o corpo não permite que realizemos muitas coisas, sabemos que a cabeça, às vezes, faz isso. Felicidade não depende de dinheiro, de status, de onde se mora. Podemos ser influenciados por isso tudo, mas não é o que define a felicidade."

Maggie May é uma personagem com quem me identifiquei logo de cara. Eu ainda estava com 23 anos quando comprei o livro; era recém-formada em medicina veterinária, o que sempre foi meu sonho; e, além disso, outro grande sonho que eu tenho é me casar. No entanto, nem de longe eu sou louca e desesperada como ela, e depois de um tempo de leitura, eu comecei a discordar de praticamente tudo que ela fazia, o que chegou a ficar um pouco irritante. Mas o que seria de uma comédia romântica sem uma protagonista que faz besteira? Apesar de ser impulsiva e insegura, ela é divertida e foi bom acompanhar sua história. Eric é aquele cara perfeito que parece cair do céu, mas que ela não enxerga como mais do que um amigo. Ele é engraçado, é prestativo, atencioso e gato. Já Felipe é um homem que guarda muitos segredos, e é difícil saber o que ele realmente sente e deseja. As amigas de Meg, Luiza e Vida, são maravilhosas. Elas conhecem muito bem a amiga que têm, e tentam abrir os olhos dela para suas atitudes loucas, mas sem magoa-la. A família dela pode ter muitos defeitos, principalmente seu pai, mas eles estão sempre por perto a amparando em tudo.

"— Porque, muitas vezes, não paramos para pensar em quem somos e do que gostamos realmente. Geralmente acabamos aceitando gostos que nos impõem, só para sermos aceitos, queridos, amados."

O enredo tem tudo que faz uma boa comédia romântica, incluindo alguns grandes choques para a protagonista, que provocam certos momentos bem dramáticos durante a leitura. Tem um leve triângulo amoroso, que existe mais na cabeça do leitor do que na história de fato. E tem muitas partes engraçadas, obviamente.
Eu nunca tinha lido nada da Fernanda França, mas gostei bastante desse livro, o que me deixou curiosa para conhecer alguma das suas outras obras. Eu achei sua narrativa um pouco esquisita, porque é em terceira pessoa e não tem um ponto de vista específico. Apesar de estarmos acompanhando as aventuras de Maggie May na maior parte do tempo, a gente fica tendo vislumbres do que se passa na cabeça dos outros personagens também, já que o narrador é daquele tipo que conversa com o leitor, mesmo sem participar de fato da história, e isso me confundia um pouco. Mas logo me acostumei e a leitura fluiu super bem. É um livro muito leve, rápido, gostoso de ler, que me rendeu ótimas horas de distração.

"Alguém pode ser feliz sem amar? A vida é feita de amores, Maggie. Se não amamos o que fazemos, nosso trabalho, amigos, a vida, como podemos ser felizes?"

A diagramação está muito bem-feita, o livro é cheio de detalhes fofinhos, como gatinhos no fim dos capítulos, as páginas são amareladas e grossinhas, a fonte ajuda ainda mais no conforto da leitura. A editora caprichou também na revisão, porque eu não encontrei praticamente nenhum erro de digitação no livro inteiro. Então a Essência está de parabéns com o trabalho realizado.
Recomendo muito esse livro para quem curte romances e está em busca de uma leitura leve. A história é bem fofa, surpreendente, emocionante, divertida e tenho certeza que você vai adorar acompanhar as maluquices de Maggie May e conhecer mais uma autora nacional com muito talento.

site: http://www.sigolendo.com.br/2018/04/resenha-o-pulo-da-gata.html
comentários(0)comente



Vanessa Vieira 28/03/2016

O Pulo da Gata - Fernanda França
O livro O Pulo da Gata, da paulista Fernanda França, nos traz um romance descontraído, engraçado e repleto de reviravoltas. No melhor estilo chick-lit, é impossível não se divertir com a trama, principalmente com as presepadas de Maggie May. Escrito com leveza e humor e permeado por uma trilha sonora sensacional, o enredo encanta, emociona e consegue prender o leitor do início ao fim.

A veterinária Maggie May exerce sua profissão com paixão e é uma amante nata dos animais. Ela acalenta um sonho não muito diferente do de muitas mulheres: se casar com tudo o que uma noiva romântica tem direito, desde vestido branco, cerimônia religiosa, festa exuberante e lua de mel espetacular. Ela não tem muitas pretensões quanto ao noivo, desde que ele seja alto. O importante para a veterinária é o evento.

Apesar de ainda ser muito jovem - no auge de seus 23 anos - Maggie age como se fosse uma solteirona encalhada há muito tempo e já está na sua quinta tentativa de casamento. Ela está confiante de que Felipe, a quem conheceu em um site de encontros, será o homem de sua vida. Só que nem tudo é certo na nossa vida e, além das suas amigas não acreditarem piamente neste caso, Eric, um charmoso comediante que ela conheceu por acaso em um barzinho, também não tem absoluta certeza deste enlace...

O Pulo da Gata se mostrou um chick-lit divertido, cômico e claro, muito romântico. Esse é o quarto livro que eu leio da Fernanda França e posso afirmar com coesão que a autora possui pleno domínio sobre sua escrita, além de ter o dom de encantar o leitor com suas lindas e engraçadas histórias de amor. Maggie May é atrapalhada, inverte os pés pelas mãos e é incrivelmente sonhadora, características que tecem uma verdadeira protagonista de comédia romântica. Os mocinhos da trama também não deixam nada a desejar, principalmente Eric, que exerceu uma atração quase que instantânea sobre mim. Narrado em terceira pessoa, de forma bastante leve e descontraída, o livro conquista o leitor por ser divertido, cheio de reviravoltas e extremamente romântico.

"A felicidade sempre nos encontra, não importa quantas vezes tenhamos errado, ela acerta. Não tem problema quantas foram as tentativas frustradas, ela sempre é bem-sucedida. Na hora certa, no momento certo. Mesmo quando tudo parece errado."

Maggie é uma personagem maluquinha e super do bem. Além de amar os animais e ter uma profissão que eu, particularmente, admiro bastante, ela é boa filha, boa amiga e uma pessoa extremamente generosa. Sua família é bem unida e excêntrica e os nomes de todas as filhas pertencem a alguma canção conhecida, como o caso de Maggie May, música famosa de Rod Stewart. O sonho de Maggie, apesar de inicialmente parecer deslumbrante demais, não é muito diferente da nossa realidade. O problema é que ela está tão empenhada em realizar o seu desejo que não olha para os lados e acaba se iludindo cada vez mais. Ri demais com as presepadas da moça, principalmente quando ela vomita no motel em cima do Felipe e torci demais pela sua felicidade.

"O amor não é um eclipse solar, quando a lua oculta o sol. Você descobre que ama alguém de verdade quando deseja que os dois estejam no mesmo céu, ainda que por poucos minutos, só para ver a luz do outro brilhar."

Felipe não conseguiu me encantar. Ele é irritante, sem graça e logo de início, dá indícios de que não é lá uma boa pessoa. Em compensação, amei o Eric. Seu jeito despojado e sincero de ser, bem como o fato dele ser um bom ouvinte e um cozinheiro de mão cheia me encantaram. Além de tudo, ele é romântico e sabe como conquistar uma mulher.

Em síntese, O Pulo da Gata é um excelente chick-lit e possui todos os elementos que agradam quem aprecia o gênero, ou seja, humor, romance, confusões e muitas presepadas. Os personagens são cômicos, românticos e donos de corações bondosos e gentis. A capa do livro é muito bonita e possui vários detalhes confeccionados com glitter e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho, revisão de qualidade e ilustrações fofas de gatinhos. Recomendo, com certeza!

site: http://www.newsnessa.com/2016/03/resenha-o-pulo-da-gata-fernanda-franca.html
comentários(0)comente



Minha Velha Estante 10/05/2018

Resenha da Mylena Suarez
Procurando um livro na Saraiva.com, me deparei com esta capa maravilhosamente linda. Acho que uma das mais bonitas que já vi. Corri para ler a sinopse: paixão a primeira vista. Na época, só tinha Sob encomenda, mas mesmo assim arrisquei e qual não foi minha felicidade quando em menos de 15 dias ele chegou em minha casa. Perfeito....

O Pulo da Gata, de Fernanda França, conta a estória de Maggie, que sonha em se casar com véu e grinalda, porém não tem dado sorte nas suas escolhas. Até o dia em que marca para conhecer Felipe, um gato gatuno que conheceu na internet.

O inicio da estória é um pouco parado porque é justamente a apresentação de Maggie, mas, de repente, a escritora engata a quinta e eu simplesmente queria pisar no freio toda hora para que o livro não acabasse tão rápido.
A escrita de Fernanda França é fantástica, divertida, atenciosa... sou apaixonada. Só tem um defeito: sempre escreve verdadeiros livros - delicia. Um pecado, porque eu fico querendo todos e já estou ansiosa pela próxima publicação.





É narrado em terceira pessoa mas apresenta os pensamentos deste narrador e dos personagens, dai não se formam brechas na estória.

Perfeita também a referência de uma das músicas mais lindas de Gilberto Gil, agora toda vez que escuto fico vendo a cena do livro onde ela aparece.

A capa transmite exatamente a mensagem do livro com todos os elementos sendo explicados na estória. Além disso, em várias páginas tem o desenho de um gatinho super fofo. Adorei o que deu nome ao livro. Adorei como Maggie, ao se tocar da força que tem, resolveu direitinho sua vida. A interação dela com os bichinhos é um dos pontos fortes da trama.

Uma trama leve, divertida e bem romântica. Myl e uma estrelinhas para ele.

Recomendadíssimo!

Beijos, Myl

P.S.Resenha original publicada no blog Geek Reader

site: http://www.minhavelhaestante.com.br/2018/04/o-pulo-da-gata-fernanda-franca.html
comentários(0)comente



Bereu 04/04/2019

Doce
A historia centra na paulistana Maggie May, que ama os animais e exerce sua profissão de veterinária com paixão. Porém, seu sonho é casar (detalhe: com tudo que se tem direito: vestido branco, cerimônia religiosa, festa com todos os seus amigos e parentes, lua de mel... O noivo nem importa muito, desde que seja alto. O que mais interessa a ela é o evento!
O livro possui escrita leve, com desenhos de gatinhos dividindo os capítulos , ilustrando. Os pensamento a é açoes dos personagens casam muito bem com a descrição realizada pelo narrador oculto, sem deixar tantos "furos" no decorrer da história e até ajudando o leitor a se situar.
comentários(0)comente



Mari 16/01/2018

O pulo da gata
Em suma o livro conta a história amorosa de uma jovem chamada Maggie May cujo seu sonho de vida é casar e ter uma grande festa. Porém ela precisa aprender o significado do verdadeiro amor.. no decorrer da história ela passa por diversos aprendizados até ter seu final feliz.
comentários(0)comente



Lara.Correa 23/05/2016

Lindo e fofo!
Primeiro gostaria de falar da capa. Achei simples, linda e objetiva. os corações com brilhinhos ficaram lindos!
Agora falando da história. Nunca li outro livro da Fernanda, mas achei a sinopse d'O Pulo da Gata interessante resolvi comprá-lo (além de ter adorado a capa). O livro trata de Maggie May que tem uma certa obsessão por se casar jovem o que faz com que ela tome atitudes muito infantis e inconsequentes que infelizmente acontecem com muitas mulheres na vida real.
Em uma das suas tentativas de encontrar o amor da sua vida, Maggie acaba deixando muitos sinais de lado e tomando as escolhas erradas até que vem a grande decepção, mas é aí que a história entra na fase de superação e amadurecimento da personagem que conta com grandes amigos para ajudá-la.
O romance é suave e lindo, Maggie vai se envolvendo a medida que consegue superar seus dilemas e medos.
A escrita de Fernanda me cativou bastante, como se estivesse conversando com o leitor. Só posso dizer que amei o livro que não tem nada de arrebatador, mas que na sua simplicidade nos envolve e preenche.
comentários(0)comente



Ilores 25/12/2017

O Pulo da Gata
Nesse livro Fernanda França nós mostra que quando menos esperamos nosso amor aparece não precisamos correr atrás dele como loucos porque se não for aquela pessoa que faz o seu coração bater mais rápido sempre faltará alguma coisa
comentários(0)comente



Clã 03/01/2016

Clã dos Livros - O Pulo da Gata
O Pulo da Gata é um livro fofo, leve, engraçado e romântico que fala sobre a importância da família, das amizades e principalmente sobre aprender a enxergar o que a vida nos dá de melhor. Vale a pena ler e conhecer cada um dos personagens.

Me apaixonei pelos gatinhos fofos no início e no fim de cada capitulo.




Maggie May é uma jovem de 23 anos, linda, ruiva e sonhadora. Ela sonha em se casar e um dia sai da sua clínica veterinária na intenção de conhecer o Gato_Gatuno, homem que conheceu em um site de relacionamentos. Porém acaba esbarrando com Eric, que estava vestido quase da mesma maneira descrita pelo Gato_Gatuno, com apenas um detalhe diferente, que Maggie resolveu ignorar, já que o cara era lindo e alto, como deveria ser (coisas do destino). Depois de um papo superdescontraído e divertido, ela descobre que na verdade ele não é o Gato_Gatuno.

Ai que tudo começa. Maggie não se dá conta, mesmo depois de conhecer o Felipe, (o verdadeiro Gato_Gatuno) que o que ela quer mesmo é o comediante lindo que conheceu no bar (Eric). O destino já tinha dado indícios de que Felipe não era para ela, mas Maggie é incorrigível e tem um objetivo, que é se casar com um homem alto e ter filhos, e assim não ficar sozinha. Ela se deixou levar por uma paixão cega por um homem que deu sinais claros de que estava mentido. Sinais que Maggie não queria enxergar.

Ela realmente tinha essa péssima mania de não perceber o que estava bem a sua frente, e mesmo depois de uma promessa feita a Eric na noite na qual o conheceu, ela continuava ignorando o que está acontecendo.

“- Eu Maggie May da Silva, prometo ser fiel aos meus gostos e ser autentica. Prometo, também, não encontrar culpados pelas minhas cagadas. ”

Já dizia seu pai João Crisóstomo (que pai lindo, vocês vão amar ele e seus conselhos) um homem que levou 5 mulheres nas costas, todas filhas, após todas as separações, ele só não abria mão das filhas (muito lindo isso), cuidou e zelou pelo futuro de todas. Ele sempre deixava recados muito engraçados pela casa.

“Se eu souber que ligaram dois televisores no mesmo tempo, farei vocês pagarem uma parte da conta de luz no próximo mês.... Se não concordam em assistirem ao mesmo programa tirem no palitinho. Com amor Papai”

Seu João e seus conselhos, gostei muito dele como pai, é claro kkkkk porque como marido... (só quem leu pode entender)

Olha já dizia o ditado: “Quem tem amigo, tem tudo”. Luiza e Vida, Lico e Leca... que amigos são esses ??? Presentes nos melhores e piores dias da vida de Maggie. Noites divertidas e engraçadas com a Luiza e a Vida (Vidinha), amigas diferentes, cada uma com seu jeito.

Lico e Leca um casal belo e divertido de “idosos”, “velhos” nunca.

“- Velho é seu chinelo! - Interrompeu Lico ás gargalhadas. – Eu sou idoso.”

Se delicie com a história de Maggie May e também com o gosto musical do seu João, que todas as filhas carregam em seus nomes...

“-Qual o nome desse sujeito que diz ser nosso irmão? - Perguntou Layla
- ( ... )
- Não acredito. Ele nem tem nome de música. Babaca. - Completou Camila...”

Maggie é sonhadora e uma mulher do bem, Eric soube descrevê-la muito bem.

”- Maggie é uma das melhores pessoas que já conheci. Ela é sonhadora e seus sonhos já levaram essa moça para muitos lugares, nem todos bons.... Se eu pudesse escolher só uma pessoa para estar comigo, sei lá, em outro planeta, para sempre, escolheria a Maggie. Ela é a melhor companhia que alguém poderia ter....”

Posso ficar horas aqui descrevendo, dizendo o quanto o livro é gostoso, o quanto você chora e ri com algumas situações, e em outras se desespera. Se você gosta de um romance leve, com situações que podem acontecer com qualquer um, (eu até suspeito que algumas sejam fatos reais, kkk) então esse é o livro certo.
Eu sempre “pensava” que sabia o que ia acontecer, mas a autora me surpreendia. E as minhas apostas? Eu só acertei uma. ;)

Por fim uma descrição da própria autora que define o livro em um todo...

“Maggie tinha tudo tão esquematizado em sua mente que se esqueceu do imponderável, de que nem sempre os planos incluem somente quem os cria.”

site: http://cladoslivros.blogspot.com.br/2015/12/resenha-o-pulo-da-gata-de-fernanda.html
comentários(0)comente



Fernanda 12/10/2015


Oi Gente! Tudo bem?

Sabe quando você vê um livro e precisa ler?! Pois é, aconteceu isso quando vi O Pulo da Gata. É o meu primeiro contato com a escrita da Fernanda França - minha xará – e, num segundo contato, essa capa divina. De já parabenizo a Ed. Planeta pela edição maravilhosa. Muitos podem não gostar, mas como amo o céu, as estrelas e a lua, não poderia deixar de admirar tanto.

França nos apresenta uma trama divertida e, muitas vezes, até inacreditável. Sério, teve momentos que fiquei me perguntando se a personagem foi mesmo capaz de fazer aquilo, pensar daquela forma e não perceber os sinais que a vida estava lhe dando. Os sinais que se esfregava na cara de Maggie May, porém, a tola é cega mesmo.

Sinceramente fiquei com raiva da Maggie por ser tão burrinha, mas depois as coisas vão se mostrando e quando a personagem resolve crescer tudo fica melhor, tanto para ela, quanto para nós. Ela tem apenas 23 anos, é veterinária e tem sua própria clinica, entretanto, se não se casar o mundo virá abaixo. Sim, ela é aficcionada por se casar e ter seus filhos, só que, ela ainda esta começando a vida e não compreende que tudo, tudo mesmo tem sua hora.

A garota já teve alguns “noivos”, mas os caras tinham outros planos, só que, ela era tão focada em casar que levava vários prejuízos até o dia em que resolveu aprender. Quando conheceu Gato Gatuno em um site de relacionamentos às escuras. Ela tinha certeza que havia encontrado seu grande amor que logo estaria casada e com seus filhos no colo, todavia, Mag se esqueceu de olhar os sinais. Os sinais ultragrandes que apareciam à frente de seu nariz.

Nem quando conheceu o cara que poderia ser o certo a tonta PERCEBEU os sinais. Gente, eu fiquei nervosa nessa parte, mas tudo bem! Nós leitores, a família e as amigas dela sempre mantivemos a esperança, não a de Jogos Vorazes, de que a nossa querida tolinha percebesse os sinais do destino. O fato é que a personagem mais cega da literatura brasileira – isso não é algo ruim, viu gente! - começa a organizar um novo casamento, dá para acreditar isso? Pois é, e tem aquele fator supergrande que a família da moça nem ao menos teve a oportunidade de conhecer o noivo, já imaginam porque né?! Não? Então leia o livro, pois paro por aqui – hahahahaha

O pai de Maggie May sempre foi um apaixonado por músicas e todas as suas seis filhas ganharam um nome referente a uma canção que Seu João amava ouvir. Isso deixa claro que as mães não tiveram opinião a respeito. Ele nunca foi um bom marido, nunca foi fiel para ser precisa, mas quando se trava das filhas, ele as levou para onde quer que fosse. Poderia ele se casar quantas vezes quisesse, mas as filhas nunca ficavam com as mães, pois sempre estavam debaixo de suas asas.

Seu João teve algumas esposas até se aquietar com Maria, só que, bem no final da trama esse moço ainda tem surpresas para nós. Mag é filha de Jane e já confesso que não gostei muito dela, pois a mulher não é lá o asseio em pessoa. Ela ta mais para a Senhora nojenta, eca! Eu não ficaria na casa dela nem ferrando.

As amigas de Mag, Vida e Luiza são duas figuras. Uma herdou a pasta amarela da família e precisava arrumar um lugarzinho para alguém, sempre que eles resolviam passar para a cidade dos pés juntos. A outra uma dentista aficionada em dentes bem tratados e sempre via tártaros na boca dos carinhas que estavam interessados nela e corria igual o capeta da cruz. Essa me rendeu boas risadas.

Ah, meu querido Eric! Um homem bondoso, caridoso e amável na medida certa. Um homem que sabe esperar mesmo que pareça que irá perder tudo, porque a mulher que ama não consegue perceber que a pessoa que sempre buscou está ali, debaixo do mesmo teto. Que gosta das mesmas bebidas, doces e de vê a lua e as estrelas, que gosta de flores e de admirar suas maluquices. Que a espera chegar à casa de madrugada com um lanche divino. Um homem que deita em um lençol à luz das estrelas, não apenas para admira-las, mas para dividir um momento romântico e precioso com sua ceginha e tonta amada!

O Pulo da Gata é uma comedia romântica que nos rende algumas gargalhadas, causa euforia e também raiva. Raiva pelas tragédias que nos deparamos ao longo da narrativa. Revês por causa dos sonhos da personagem construídos em bases com estruturas falsas e sem alicerces.

“O amor não é um eclipse solar, quando a lua oculta o sol. Você descobre que ama alguém de verdade quando deseja que os dois estejam no mesmo céu, ainda que por poucos minutos, só para ver a luz do outro brilhar.”

site: http://www.amorliterariooriginal.blogspot.com.br
Dana Silva 05/11/2015minha estante
Mas a Vida é a dentista e é a herdeira da pasta amarela, não? A Luiza é a farmacêutica pessimista. rsrsrs


Fernanda 05/11/2015minha estante
Oi Dana! Nossa, nem me lembro mais quem era quem, rsrsrs. Mas a autora viu a resenha e nem comentou nada, mas sério, eu deva ter feito confusão, rsrsr

Beijos!




Dirce.Guilherme 26/08/2016

O Pulo da Gata
Doce, engraçado, renovador... Esse nacional veio parar na minha estante para me surpreender. Eis uma ótima dica para os fãs de histórias divertidas, românticas e com um toque de emoção e sensibilidade. Dê uma chance e deixe essa leitura mudar e tocar você.
comentários(0)comente



Iris Figueiredo 26/09/2016

Quem disse que clichê é ruim?
"O pulo da gata" é o segundo livro da autora Fernanda França publicado pela Editora Planeta, pelo selo Essência. É um chick-lit, gênero que a autora se consagrou, que nos traz muitas risadas e romance.

Maggie May é uma veterinária de bom coração, louca por animais e sonha em se casar. Ela nem tem tantos critérios assim para seu futuro marido, só pede que seja alto. O que ela espera mesmo é um casamento, com toda pompa e circunstância! Após uma série de fiascos amorosos, ela conhece Felipe em uma rede de relacionamentos e decide que ele será seu príncipe encantado. Mas, ainda que ela tenha conhecido um homem muito bonito chamado Eric, nada tira o foco de Maggie do seu objetivo final: o casamento. Será esse seu final feliz?

"O pulo da gata" é clichê, mas maravilhoso. Gosto muito de como a Fernanda escreve, de forma despretensiosa e engraçada, nos levando pela trama de suas personagens. Ela sempre enche a história de reviravoltas - algumas surreais, outras mais possíveis de acontecer com a gente - e cria mocinhos de tirar o fôlego.

Como todo clichê que se preze, tem triângulo amoroso, lágrimas, declaração de amor pública e vilões dignos de novela mexicana! Mas é assim que funciona um chick-lit e Fernanda sabe, como poucas autoras nacionais, conduzir uma história do gênero. Ela faz com que a gente ignore tudo isso e se envolva, torça e vibre com as personagens que cria.

O núcleo familiar ao redor da personagem é, como sempre, muito forte. Gosto muito desse detalhe nos livros da Fernanda - a família realmente faz diferença no desenrolar da história, coisa que geralmente é ignorada no gênero. É uma boa história para rir, suspirar e curar a ressaca literária.

site: http://irisfigueiredo.com.br
comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15