Me Abrace Mais Forte

Me Abrace Mais Forte David Levithan




Resenhas - Me Abrace Mais Forte


34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Dear.Manoel.Neto 16/04/2020

O MUSICAL QUE EU NECESSITAVA E NÃO SABIA, obg Tiny Cooper
Desde que li Will e Will, Tiny era o personagem secundário que mais se destacava, e todo o lance do musical que ele estava fazendo, era bastante curioso, a ideia de pegar este musical e finalmente termos acesso a essa história, foi simplesmente genial, nunca li algo do tipo, que fosse envolto a músicas e detalhes de como deveria ser a performance, tudo muito genial, cheio de referências à cultura pop, Broadway, algo que qualquer fã de musical fica louco.

Sobre a história contada no musical, nenhuma surpresa, é a própria história do Tiny, literalmente desde o nascimento, até basicamente o que foi visto no livro original (claro que contado de forma bem mais rápida, já que aqui temos outro foco).

Acompanhar a infância, a saída do armário, todas as pessoas que ele namorou, é tudo muito essencial pra entendermos o personagem, todos os seus medos, receios, até chegar neste personagem, super aberto e grande, que não se importa com o que os outros pensam, e sempre está disposto a se mostrar.

Toda a história apesar de ter alguns momentos dramáticos, são sempre bem humorados, com canções de fazer rir por horas, até mesmo de reler o que achou de ler.

E chegando no segundo ato, aonde temos mais os eventos do livro original, ter finalmente o ponto de vista do Tiny dá uma emoção a mais, e parte por você saber o que estar por vir.

No fim, o livro passa uma mensagem de aceitação, e eu mal posso esperar para alguém pegar este roteiro praticamente pronto pra adaptar pro teatro ou filme.
comentários(0)comente



Thi Pontes 24/11/2020

Como não amar Tiny Cooper?
Esse é um spin-off dedicado ao melhor personagem do livro Will & Will (na minha modesta opinião).
comentários(0)comente



Sâmara 26/06/2020

Tiny Copper decide fazer seu próprio musical para contar sua história, desde seu nascimento até o atual momento. O livro foi uma experiência nova de diversas formas: possui uma linguagem atual e bem engraçada, mas com um teor profundo e psicológico.

A obra aborda diversos temas, entre eles sexualidade, problemas emocionais e a depressão. Tiny era gay e por muito tempo não conseguiu se assumir, por medo do que os pais e colegas poderiam achar. Mas ao passar do tempo e dos muitos namorados que ele ia colecionando, um ensinamento ficou muito frizado.

Tiny queria ser amado, mas ele não percebia que a intensidade com que ele amava sufocava. Esse ponto reflete muito a nossa sociedade, queremos que tudo seja perfeito mas esquecemos que um relacionamento é feito de duas pessoas imperfeitas. A escrita e a forma como os assuntos foram abordados flui muito bem, e faz você acabar rapidinho. Amei os agradecimentos, foi bem incomum e marcante ao mesmo tempo.

Apesar dos assuntos abordados terem sido certeiros, o autor insiste em colocar muitas informações em curtos espaços de tempo, em que mal conseguimos nos conectar com os personagens ou cenas, pois logo são desfeitas.

Ademais, a abordagem se torna confusa com a quantidade de referências à musicais e peças, em que mais de um terço dos leitores não devem conhecer, e nem ao menos temos uma nota de rodapé para nós guiar.
comentários(0)comente



Lucas 11/01/2016

Apenas Abrace
Mais um livro pra dar ótimos conselhos amorosos e te mudar em alguns aspectos da vida. Bom Tyner é um garoto pra exemplificar muitos de nós gays: amorosos, porém deixados de lado, que criam expectativas e que se deixam levar pelo memento pra no final... pra que?? E isso ele aprende com os ex dele que são 18 :o. O musical conta a história de Tyner da infância a adolescência, seu relacionamento com amigos e família e até mesmo com um fantasma de Oscar Wild que ( sim) dá ótimas lições. A moral, ou melhor, a conclusão que Tyne chega após sua vida sempre cair em desgraça é: ser forte, aguentar o tombo e quando cair,que não caia de cara no chão mas caia em pé.
Ronald 14/01/2016minha estante
Depois desse seu parecer sobre o livro, fiquei com vontade de ler! rs


Theus 20/01/2016minha estante
Chorei.




Ally 06/10/2020

Me abrace mais forte
Interessante, emocionante e como diria Tiny Cooper: fabuloso.

Interessante por ser um estilo diferente de livro, ou seja, ser escrito como o roteiro de uma peça. Emocionante por trazer mensagens importantes sobre amizade, aceitação e é claro, muito amor. É tudo bem humorado (não podia ser diferente com Tiny sendo o personagem principal), mas não deixa de ser comovente. E, por último, fabuloso porque, bem, é uma peça sobre o Tiny, e ele é sensacional.
comentários(0)comente



Aline Santos 09/04/2020

Interessante mas DECEPCIONANTE
Tiny é um dos melhores personagens do universo de "will e will", então seria natural despertar o interesse dos leitores a conhecer sua história, mas o MODO como o autor fez isso foi no mínimo "peculiar",pois ainda que a peça fosse muito importante para o personagem,poderia ter contado a história de outra forma,sem tanta marcação de cena,como um livro "normal" com o bônus das letras citadas durante o livro,no final.. até pq outros livros de musicais que li, já fizeram isso e ficaram bem menos confusos.

No geral,A leitura flui bem,por conta dos diálogos, mas como é LITERALMENTE O ROTEIRO DA PEÇA, me senti um pouco confusa por conta das marcações de cena.

Enfim.. se vc gostar do personagem e tiver em mente que esse é o roteiro da peça que o tiny monta em "will e will",que conta a história dele,á parte da história original,pode ser interessante..mas,já adianto: TAMBÉM NÃO É GRANDE COISA

se vc não conhece a história,é melhor começar pela original antes desse livro, (até pra entender melhor algumas coisas que ele não deixa claro aqui)

Se vc quiser conhecer a estrutura de uma peça teatral,talvez tbm seja pra vc

Agora se vc,como eu,espera conhecer a história do tiny cooper através de uma "narrativa padrão" como a dos outros livros do autor,porém com a inserção de músicas, talvez seja melhor reavaliar as expectativas e buscar conhecer um pouco mais a estrutura narrativa antes de ler,para não se decepcionar

No mais FIQUEM POR SUA CONTA E RISCO
comentários(0)comente



rafazaakar 07/11/2015

ZaaKar.com Resenha - Me abrace mais forte
Cuidado, pode ter alguns Spoilers!!! Mas leia mesmo assim!

Sinopse: "Do universo de Will & Will: Um nome, um destino, conheça a história de Tiny Cooper em um fabuloso musical Uma novela musical do universo de Will & Will – um nome, um destino, escrito em parceria com John Green e o primeiro livro juvenil com protagonista gay a figurar na lista do New York Times. Em Me abrace mais forte, o personagem Tiny Cooper, um dos mais carismáticos da trama, disponibiliza o roteiro do musical que acompanha sua trajetória: do berçário até o ensino médio. Com participação especial do fantasma de Oscar Wilde, o roteiro revela os detalhes da vida amorosa de Tiny, seu relacionamento com seus vários ex-namorados, a amizade com a babá lésbica, a relação com os pais e o encontro com o amigo Will Grayson. • Will & Will: Um nome, um destino já chegou a 19ª edição e vendeu mais de 150 mil exemplares. • Me abrace mais forte é um dos livros mais pedidos nas redes sociais da Galera".

***

É com muito prazer, mas muito mesmo, que esta semana eu ~es mais uma resenha de um livro do nosso amado David Levithan. Para quem ainda não sabe quem ele é, Levithan é um editor de livros infantis e um autor norte-americano premiado. Publicou o seu primeiro livro, “Boy Meets Boy”, em 2003 e suas obras têm provocado protestos de conservadores de direita. Levithan também é um dos fundadores da editora PUSH, dedicada à Literatura para Jovens Adultos, e que é uma das marcas da Scholastic Press. Você já deve ter ouvido falar em seus livros. Entre eles temos “Todo Dia”, “Garoto encontra Garoto”, “Dois Garotos se beijando” e entre suas parcerias com outros autores, que são muitas, temos “Will & Will”, livro que tecnicamente inspirou David a escrever este musical/livro.
Bem vindos à vida de Tiny Cooper!

“Na expressão não se diz subindo de amores. É por isso que amo a gente. Porque sabemos o que vai acontecer quando cairmos”.

Ah, que bebê grande, e gay!
Neste pequeno musical, escrito pelo próprio Tiny, conhecemos um pouco de sua vida até o presente momento. Desde sua estreia, seu nascimento, até o inicio de sua vida amorosa e desastrosa. Tiny sempre soube que era gay, muito gay, e sua família também. Mas, uma coisa é se saber que é gay, mas e assumir para você mesmo? Esse é o primeiro dilema de Tiny. Ele sabe que é gay, sua família também, mas até então isso não era concretizado, era como se as pessoas soubessem por saber, estava na cara, mas Tiny nunca confirmou.
Religião, amizade, time de futebol americano... Ele decide contar a todos, mas antes precisa dizer para si mesmo que aquela era a verdade. Ele gosta de garotos, tipo, “aquele cara é lindo, lindo tipo, eu beijaria ele!”, Ele acaba não vendo grandes problemas com isso, todos já sabiam, a confirmação só trouxe uma liberdade diferente para ele.
Agora que todos sabiam, vem a parte em que ele descobre que precisa de sua outra cara metade – mesmo ~que sua babá lésbica o tenha prometido que nunca pensará assim, pois já somos completos, não precisamos encontrar caras metades. Tiny quer um amor, alguém que o ame, que o entenda, que o faça feliz. É então que se inicia a “Parada dos Ex-Namorados”. 18 ao total. São todos os caras pelo qual Tiny se sentiu apaixonado. Cada um terminou com ele por um motivo. A melhor desculpa para o término foi a do ex-namorado numero 11: “Acho que sou meio vagabunda”. Mas, sem dúvida, o que mais ensinou algo para Tiny foi o ex-namorado numero 18, ou seja, Will.

“Para o filme, eu gostaria de Anne Hathaway, mas como na versão Noite de Reis que ela fez em Shakespeare no Parque, não a performance da Anne-de-cabelo-tão-ruim-que-quase-me-matou em Os Miseráveis”.

Depois do sucesso que “Will & Will” foi, Levithan resolveu contar a história de um personagem em especial, que ganhou o coração dos leitores com sua aparição no livro. Tiny Cooper. John Green abençoou a ideia e é isso ai, eis que esse livro lindo chegou para nós.
Confesso que não cheguei a ler o “Will & Will”, não sei por que mais foi uma história que não me chamou a atenção para ler. Ok, posso estar muito errado e me arrepender, mas tudo bem. Esse livro, o do Tiny, sim, me chamou a atenção, então eu decidi me arriscar. E amei.
O livro é dividido em dois atos. O primeiro é a respeito da vida de Tiny, seus costumes, relação com os pais, amigos, igreja, esporte e consigo mesmo. Depois que ele se assume, meio que para ele mesmo, já que todos já sabiam daquilo, vem o segundo ato. Ato este que conta suas desventuras no ramo amoroso. Cada uma das 18 decepções, suas histórias e porquês.
Tiny é muito azarado para o amor. Talvez seja sua impulsividade em dizer que “gooooooosssta” dos caras cedo demais. Com toda certeza ele deve ser de Câncer. Meu deus, se apaixona muito fácil.
Fique bem expressado aqui que eu odeio musicais em suam maioria. Essa coisa de comer pão e cantar a respeito de você comendo pão me tira do sério. Mas musicais em forma de livro realmente me atraíram. Uma leitura bem fácil e dividida em três estilos: As músicas, as falas dos personagens e as opiniões e direções de quem está escrevendo a peça, Tiny, sobre como a cena deve ser, quem deve estar nela, o que deve ter no palco, referências para a cena baseadas em musicais e filmes famosos – a parte em que ele zoa a Anne Hathaway foi a melhor! -, roupas, expressões e suas visões pessoais do momento.
Eu achei uma leitura extremamente engraçada e o final realmente me surpreendeu. Sabe, essa coisa de que não precisa ser um final feliz e sim um final que deixe a entender que está tudo bem, mas que tudo ainda não acabou? Então, esse foi o final. Sem falar que a fala final dele, sobre “caindo de amor” foi incrível. Eu simplesmente vou levar aquilo comigo para sempre.
Se você leu “Will & Will”, sem dúvidas vai amar esse livro. Se voc~e ainda não teve esta oportunidade, leia mesmo assim. Dá para entender, se divertir e tirar boas lições a respeito de relacionamentos do livro.
38/50

site: http://zaakarcom.blogspot.com/2015/11/resenha-me-abrace-mais-forte.html
comentários(0)comente



Ellen - @anotacoesliterarias 23/10/2020

Leve e divertido
"A maioria dos bebês chega ao mundo chorando, ofegando ou soltando meleca.⁣⁣
Não Tiny Cooper.⁣⁣
Ele vem ao mundo cantando."⁣⁣

Me abrace mais forte é um musical e vai contar a história do Tiny Cooper do nascimento ao ensino médio.⁣⁣

Dividido em dois atos e várias cenas, durante as falas dos personagens, Tiny vai conversando com o leitor, explicando a disposição do palco, figurino dos autores, tonalidade da luz, quais são as partes cantadas e quais são falas normais. Ou seja, esse livro é literalmente o roteiro de uma peça, onde me senti sentada na plateia do teatro (inclusive saudades).⁣⁣

E assim vamos conhecendo Tiny e suas inseguranças, ele que achou que sua maior dificuldade era se assumir homossexual, se surpreendeu com o apoio dos pais e amigos. Mas, mesmo se sentido aceito e amado, sentia que lhe faltava algo e saiu em busca do amor, que acabou em uma série de relacionamentos fracassado. Talvez porque na sua ânsia de amar e ser amado, ele tenha esquecido de amar a si mesmo.⁣⁣

Uma leitura rápida, leve, divertida e reflexiva, afinal quem nunca teve seus momentos de insegurança.⁣⁣
comentários(0)comente



Camila Pugliesi 12/12/2015

Uma peça,um musical, uma lição.
Não foi exatamente o que eu esperava( eu não sabia que era um musical,não tinha visto as letrinhas na capa). O enredo em si não é muito além do que é mostrado em "Will e Will:Um nome,Um destino". Porém eu gostei bastante do livro pois ele passa uma mensagem bem legal.
Eu acabei aprendendo com ele sem querer. Uma das certezas da vida é: você vai cair(muitas vezes). Vai cair de amores,ou vai cair de cabeça em um negócio ou certeza repentina. A vida em si pode ser encarada como uma grande queda (quando você chega no chão você morre). Mas, Tiny Cooper nos ensina que ás vezes, perdemos tempo demais nos preocupando com nossos medos do que aproveitando a queda. O importante não é se preocupar com quão repentinamente chegaremos ao chão, ou com a dor que isso nos proporcionará ou se conseguiremos nos levantar ou não, devemos aprender a amar essas quedas, nãos sentir medo de nos jogar de novo, afinal o período que passamos caindo pode se tornar um dos mais emocionantes das nossas vidas.
comentários(0)comente



bruno.torresani 16/05/2020

Me Abrace Mais Forte
Este foi o primeiro musical que li; às vezes chega a ser um pouco exagerado, mas eu curti.
Dear.Manoel.Neto 17/05/2020minha estante
Kkk tbm foi meu primeiro, mas amei a experiência! ?




De Cara Nas Letras 23/01/2016

Me Abrace Mais Forte
Creio que posso falar em nome de todos os fãs de David Levithan que não há quem odeie o Tiny Cooper. Sendo considerado um personagem secundário da trama de Will & Will, escrita pelo David, juntamente com o tão famoso autor de A Culpa é das Estrelas, John Green, Tiny Cooper recebeu seu tão desejado estrelato, atuando como protagonista do livro que será resenhado hoje, Me Abrace Mais Forte, publicado no Brasil pela Editora Galera Record.

O livro em questão funciona não como uma continuação de Will & Will, mas como um complemento dele. Presumo que todos ou grande parte dos leitores que tiveram a chance de conhecer as histórias dos Will's ficaram com uma pontada de curiosidade com relação ao musical do Tiny Cooper, que durante todo o enredo foi trabalhado no plano secundário, embora que bastante presente em toda a narrativa, enquanto os dois protagonistas resolviam suas pendências, sejam elas amorosas, familiares ou de qualquer outra ordem. Eu, ao menos, fiquei com essa pulga atrás da orelha até o final do 'primeiro livro', e me senti um pouco chateado quando soube que nenhum dos dois autores iriam explorar e nos revelar esse maravilhoso mundo de Tiny, contando-nos, através do musical tão assíduo na narrativa, sua história de vida.

"Decidi enfrentá-los na fonte dos medos deles: o vestiário. É uma coisa que não entendo: o pesadelo de quase todo sujeito homofóbico é ficar nu em um vestiário com um gay. Mas tipo, qual é o problema? Depois de eu ralar pra cacete em um treino, a ultima coisa que quero é uma rapidinha no chuveiro, e ainda por cima com todo mundo olhando. Não dá, né. Cai na real. Se eu for me apaixonar por você, vou fazer do jeito certo. Vou te convidar para sair, não sair correndo com sua toalha."

Vocês nem imaginam o quão feliz fiquei ao saber que meu autor favorito, o Levithan, iria publicar esse 'segundo livro' para a alegria de seus leitores. Realmente não esperava que tal fato acontecesse, então não demorei e resolvi solicitar este livro o mais breve possível à Galera. Assim que o peguei em mãos, já comecei a devorá-lo. Me abrace mais forte é narrado, quase que de forma integral, como uma peça de teatro. Sendo assim, o enredo flui de uma maneira singular, e as páginas deslizam por entre nossos dedos.

O livro se inicia com o nascimento de nosso protagonista. No decorrer da narrativa, vamos conhecendo um pouco mais sobre o mesmo e sobre aqueles que fazem ou um dia fizeram parte de sua vida, como sua babá lésbica, seu melhor amigo de infância/adolescência ou então seus 18 (sim, dezoito) ex-namorados.

Embora seja um livro curto e de fácil compreensão, Me Abrace nos traz diversas mensagens e aprendizados para a vida, seja de forma implícita ou explícita. O autor consegue dissertar acerca de preconceito, autoconhecimento, sexualidade, amizades verdadeiras, sonhos de vida e diversas outras questões com maestria, mas sem precisar recorrer a vocábulos de maior complexidade ou ser apelativo.

"Mamãe e Papai não podem me fazer ficar hétero, tanto quanto não podem me fazer ficar baixinho. Existe uma coisa chamada biologia, e é ela que manda. Mamãe e Papai sabem disso. Outras pessoas, não."

Assim como todos os outros livros do autor publicados pela Galera Record, a edição do exemplar está impecável. Entretanto, tenho que ressaltar que fiquei um tanto chateado quando percebi que as páginas do livro eram brancas, e não amareladas, que tornam o exemplar bem mais apresentável. De toda forma, a leitura desta obra está mais que recomendada. Saliento ainda que este é um daqueles livros para ler 'em uma sentada' e, que de uma forma ou de outra, consegue arrancar sorrisos - e até risadas - de você. Entre você também no mundo de Tiny Cooper!

site: http://decaranasletras.blogspot.com.br/2016/01/resenha-136-me-abrace-mais-forte-david.html
comentários(0)comente



Lavínia 30/06/2020

Referências demais
Bom, como o livro narra um musical, entende-se o fato exagerado de referências. Porém, se você não entende muito de teatro, musicais e afins, ou não gosta de fazer pesquisas no Google enquanto lê, esse livro não é para você. Contudo, se você não se importa em ignorar as referências, é um livro muito bom!
Livro rápido que acaba fluindo bem. Um musical de fato fabuloso, como diria Tiny Cooper.
comentários(0)comente



Hein! Rique 24/08/2020

Interessantíssimo, embora seja simplíssimo.
Interessantíssimo, embora seja simplíssimo. Acredito que o personagem merecesse esse reconhecimento, mas ao mesmo tempo, é tudo tão surreal, que fica meio bleh. Mas é claro que tem sua essência.

site: https://www.instagram.com/estanteparadois/
comentários(0)comente



Gus 23/02/2020

musical não é meu estilo, mas a saudade de will&will me fez ler esse e até gostei, amei o final (com a parte do will) contado pelo tiny sz
comentários(0)comente



May 24/03/2020

Uma ótima leitura, pois é leve e engraçada. Dá pra ler numa sentada por ser pequeno.
comentários(0)comente



34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3