A Aprendiz do Amor

A Aprendiz do Amor Ricardo Oreste Forni




Resenhas - A Aprendiz do Amor


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Milena 07/10/2015

A Aprendiz do Amor
Angélica é uma princesa que vive rodeada de luxo e de riqueza. Porém, não consegue entender o porquê de ela e sua família desfrutarem de tanto conforto, enquanto os súditos do povoado que rodeia o castelo, possuem tão pouco.

Ao questionar o pai é repreendida pois ele acredita que é rei devido à vontade divina e que eles não devem se importar com as condições dos súditos já que "Deus quis assim".

A princesa começa a ter sonhos que parecem ser muito reais com uma mulher chamada Joanna, a qual parece ser muito sábia e aconselha Angélica a seguir o caminho do bem e para isso deverá receber os ensinamentos do jardineiro do castelo, Antônio, um homem iluminado, bondoso e humilde, mesmo que para isso, a garota deva agir contra a vontade do pai, o poderoso e egoísta rei. E todos pagarão um preço pelos seus atos...

O livro é tipicamente narrado em uma era medieval, com todas as características e crenças predominantes desse período, e isso foi o que mais me chamou a atenção para iniciar a leitura. À medida que a história se desenvolve é possível se afeiçoar aos personagens e aprender com eles. A princesa Angélica nos ensina uma bela lição no decorrer do livro, sobre a renúncia, o amor incondicional, a caridade e o renascimento. Em nenhum momento, sente ódio de seu semelhante, mesmo tendo sido vítima de suas ações. Muito pelo contrário. Em nenhum momento se revolta com os acontecimentos de sua vida, seu maior objetivo é seguir os ensinamentos divinos, ajudando o próximo e afastando-se completamente de atitudes mesquinhas e egoístas. A leitura é maravilhosa e indico a todos aqueles que desejam sentir, pensar e a aprender a amar em seu sentido mais amplo!

site: http://albumdeleitura.blogspot.com.br/2015/10/eu-li-e-voce-34.html
comentários(0)comente



Bru - @umoceanodehistorias_ 08/10/2015

A história, narrada em terceira pessoa e em uma época medieval, começa do ponto em que Angélica começa a se questionar sobre o porquê de haver tanta diferença no mundo: uns com tanto e outros com nada.

Angélica é uma jovem princesa, de 16 anos. Seus lindos e longos cabelos loiros chamam a atenção por onde passa, além de possuir dois lindos olhos azuis. Nossa princesa tinha tudo para ser extremamente feliz: vivia em um castelo, possuía roupas lindas, tinhas muitos empregados, enfim, tudo o que uma jovem gostaria de ter. Mas, como disse anteriormente, ela começa a se questionar sobre as diferenças e quer entender porque Deus não faz nada para mudar isso.
“Pessoas que não tinham sequer um pedaço de pão para mitigar a fome estendiam as mãos à caridade alheia! Que tipo de mecanismo Deus utilizada para direcionar essas pessoas para o sofrimento igual ao que via de coração contrito? Crianças e mães vestidas de trapos, descalças, de cabelos despenteados a buscar alguma caridade para se verem socorridas em suas penúrias! Homens aleijados depois de participarem de batalhas na defesa do reino, e abandonados quando não tinham mais serventia para a guerra! Velhos sem força para o trabalho braçal aguardavam no burburinho apressado do povo aflito uma migalha de solidariedade para sobreviver à fome de cada dia!”

A única pessoa que poderia ajuda-la é seu pai, o rei, e, quando o questiona sobre isso, sua resposta é que as pessoas que não são abastardas foram esquecidas por Deus e que ela deveria se contentar de possuir tudo e, principalmente, de ser filha de um Deus – pois é assim que ele se considera.

Antes de dormir e bastante magoada, pois vira seu pai brigar com o jardineiro que cultivava as mais belas rosas, Angélica pede à Deus para que possa ter um conhecimento maior e é, durante o desdobramento, que ela conhece Joanna uma alma amiga que vai lhe ensinar muito sobre a vida e sofrimento. Um dos conselhos de Joanna é que a Princesa se aproxime de António, o jardineiro, pois este é uma pessoa muito sábia e lhe trará excelentes ensinamentos.

É atendendo ao conselho de Joanna que Angélica descobre um mundo repleto de sofrimento, mas que nota que todos nós – abastados ou não – podemos ajudar. E é nesse momento que sua vida passa a ter sentido: Ela pode, quer e vai ajudar os mais carentes, mesmo que o pai não goste disso.

Estava ansiosa em demasia para ler essa história, pois ela possui um significado muito grande pra mim. Angélica é uma pessoa de um coração enorme e ela apenas gostaria de ajudar àqueles que nada possuem, será que é muito errado pensar assim? Eu, particularmente, já pensei da mesma forma que ela: Por que Deus dá tantos para alguns e tão pouco para outros? Mas, a verdade, é que não existe uma resposta para essa pergunta e isso fica bastante claro no livro.

Todos nós estamos aqui para cumprir uma tarefa, seja qual for, mas, acima de tudo, para evoluirmos. Como fazemos isso? Ajudando ao próximo sem nada esperar em troca. Nós não podemos tomar a cruz do próximo para carregar, mas podemos lhe dar alimento e agua o que pode tornar a sina mais branda.

O pai de Angélica é um ser detestável, ele possuía tudo em suas mãos para fazer a diferença, fazer bem e ajudar os mais necessitados, mas, infelizmente, esse não é o caminho que ele escolhe. E ele destina toda sua raiva à sua filha, isso foi muito dolorido de ser lido. António, o jardineiro, é um pobre homem que possui um coração maravilhoso. Ele faz valer o ditado de quem pouco tem, muito doa.

Como disse anteriormente, estava demasiadamente ansiosa para ler esse livro e não me decepcionei. A trama foi bastante envolvente e os personagens foram muito bem criados. É um livro que recomendo muito a leitura, pois ele trás uma lição: Devemos ajudar nosso próximo. Por isso digo: Leiam esse livro. Se você não acredita na doutrina espírita, leia como um livro ficcional e tire essa linda lição que ele transmite.


site: http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/2015/10/resenha-aprendiz-do-amor-ricardo.html
comentários(0)comente



Maria - Blog Pétalas de Liberdade 21/11/2015

A princesa caridosa
A história se passa na época medieval, quando pessoas que tinha pensamentos diferentes poderiam ser perseguidas pela Inquisição. Angélica era a única filha de um rei, aos 16 anos, vivia no luxo do palácio. Seu pai queria que ela se casasse logo para dar um herdeiro para o reino, mas a jovem tinha outras prioridades.

Angélica começou a questionar o motivo de ter nascido na riqueza enquanto tantas outras pessoas do reino viviam na miséria. Seus pais não eram capazes de auxiliá-la em suas dúvidas, mas em seus sonhos ela começou a ser orientada por um ser, de forma que acabou se aproximando de Antônio, um simples jardineiro que dedicava sua vida às rosas e à caridade.

"Quanto necessitava entender desta vida onde se via mergulhada! Qual seria o seu verdadeiro papel na posição de princesa? O que o Criador esperava dela como membro de uma família real? Eram os pensamentos de uma jovem de apenas 16 anos no corpo físico, mas de um espírito amadurecido o suficiente para buscar respostas além daquelas que os homens e o mundo lhe apresentavam." (página 54)

O pai de Angélica não gostou nem um pouco de ver a filha se preocupando com os pobres ao invés de seguir o caminho que ele tinha escolhido para ela, e tomou atitudes para se vingar de todos os que estivessem envolvidos na situação. Seria a determinação de Angélica em ajudar os mais necessitados maior do que suas provações?

"O rei era extremamente amoroso apenas quando não contrariado em seus desejos. Quando contrafeito, assumia atitudes sequer imagináveis de quem o visse nesses momentos em que tudo se passava segundo sua vontade" (página 19)


A Aprendiz do Amor é uma leitura rápida, com um tom de fábula. Fala sobre uma jovem que tinha tudo no quesito bens materiais, mas que decidiu dedicar sua vida aos mais necessitados, mesmo se tornando alvo da ira de seu pai. É um livro espírita, que usa da história como base para passar ensinamentos da religião, como o fato de nossas boas ações na terra serem como tijolos de luz que enviamos para o "outro lado". Eu sou católica, mas acredito que conhecimento nunca é demais. Sendo o catolicismo e o espiritismo duas religiões cristãs, realizar a leitura de A Aprendiz do Amor pode ser interessante também para fazer uma reflexão sobre nossas crenças.

A capa do livro é super bonita, e foi um dos fatores que me fizeram querer ler o livro. A diagramação está boa, com espaçamento grande entre as linhas, margens e letras de bom tamanho. As páginas são brancas e a revisão está bem feita.

site: http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/2015/11/resenha-livro-aprendiz-do-amor-ricardo.html
comentários(0)comente



Batata 10/01/2016

O inferno não é um lugar em torno de nós, mas dentro de nós mesmos.
De início eu pensei que este livro se tratava sobre um romance entre um jardineiro e uma princesa. Eu me enganei bonito! O livro é sobre as diferenças sociais das pessoas na Idade Média, bem como a diferença de amor ao próximo em que elas distribuem. Uns tem pouco, mas o pouco que tem, compartilham. Já outros tem tanto e não sequer dividem.

Angélica é uma princesa, que ao crescer, passa a questionar o porquê de ter nascido em tal posição, enquanto tantos outros são necessitados. Ela se indaga sobre a vida que leva e as diferenças com a sina que as pessoas do povoado enfrentam, marginal ao reino do seu pai. O rei, nada faz para diminuir o sofrimento do próximo, e ela fica furiosa por isso.

A princesa então conhece o jardineiro do castelo, Antônio, que com toda sua bondade, cuida das rosas mais belas. É nele em que ela vê uma oportunidade de entender o mundo, e de sanar suas dúvidas para com ele. O jardineiro é um homem muito nobre, no sentido de altruísta, mesmo tendo pouco, ele ajuda os necessitados do povoado, são pessoas muito pobres que sequer tem o que comer e onde dormir.

Sabendo dessa amizade, o rei busca de todas as formas afastar sua filha do jardineiro. Ele considera o povoado inferior a corte. É um homem raivoso e autoritário e não gosta de ser contrariado e busca sempre fazer as coisas de seu modo. Angélica passa a desobedecer o pai quando se junta aos leprosos do povoado e busca ajudá-los. Com os ensinamentos de Antônio, ela tenta ampará-los da melhor forma possível.

Angélica é a personagem principal e o enfoque se dá apenas nela. Senti falta de descrições do que ela fazia no seu dia-a-dia, no livro só é citado as manhãs em que ela acorda e discuti com o pai, ou em que recebe a visita de um espírito mestre. É uma espécie de mentora espiritual que busca ajudá-la nos ensinamentos da vida, para que ela suporte certas agruras ao auxiliar o próximo.

Pouco se falou dos personagens, não foi muito aprofundado, de modo que apenas a característica marcante era mencionada. Angélica dedicou toda a sua vida para ajudar ao próximo, nenhuma outra atividade de sua vida foi abordada. No fim, passam-se muitos anos rapidamente, não mostrando o que houve com certos personagens.

Em suma, o livro nos mostra que devemos fazer o bem para habitar o melhor dos lugares depois que morremos. O que importa não é o dinheiro que tens, e sim a bondade no coração e o que você propaga com ela.

Encontre essa resenha na íntegra com fotos do livro e citações, no blog O Casulo das Letras.

site: http://ocasulodasletras.blogspot.com.br/2016/01/resenha-aprendiz-do-amor-ricardo.html
comentários(0)comente



Gláucia 26/01/2017

Dia 19-01-17 terminei mais uma grande obra, “A Aprendiz do Amor” de Ricardo Orestes Forni.
Resumo da Obra:
A história se passa na época medieval onde narra a trajetória de Angélica.
Angélica, uma menina de 16 anos que vive em um castelo rodeada de luxo e riquezas, mas não aceita de forma alguma que os mais necessitados passem por tantas dificuldades e resolve querer ajudá-los. Mas o que ela não conta é com a ira de seu pai ao descobrir tudo o que ela fez em favor dos mais pobres. Ela conhece Antônio, homem simples e jardineiro do palácio e fica encantada com seu jeito de pensar e agir perante o povo mais humilde. Com isso ela passa a cada dia querer aprender mais e mais, em como se tornar uma pessoa melhor e mais digna. Outro fato importante que vi ao ler esse livro é sobre as passagens de Jesus na Terra.
Nesse livro aprendemos que nem toda dor ou sofrimento que passamos é para quitar os erros do passado. Nos mostra que as vezes reencarnamos para aprendermos a sermos melhores, mesmo que desconheçamos o porquê de estarmos ou não sofrendo.
Portanto nem toda dor que vivenciamos hoje, está ligada a erros de nosso passado. Às vezes essa dor é consequência de escolhas erradas que nós mesmos fizemos nesta vida. É como o ditado diz: Estamos colhendo o que plantamos.
Devemos sim, nos lembrar sempre, que nada do que façamos, seja o bem ou o mal, passa despercebido aos olhos do Criador. Podemos ser bons e andarmos no caminho da luz e do bem, ou não, mas Deus saberá realmente as nossas reais intenções. Sem contar os “tijolos de luz” que estarão nos aguardando.
Pergunto a vocês, meus amigos:
_O que são esses “tijolos de luz”?
_ Angélica conseguiu superar todos os obstáculos que encontrou em seu caminho?
_ E qual foi a reação do rei, ao descobrir o que sua filha estava fazendo ao lado do jardineiro Antônio?
Só lendo para descobrirem, mas garanto que todos nós temos a chance de sermos um (a) aprendiz do amor!
***********************************************************************************************************
O que aprendi?
> Somos todos iguais perante Deus, independente de nossa classe social;
> Todo erro que cometemos também é uma forma para aprendemos com eles. São lições que jamais esqueceremos;
> Nem todo sofrimento são acertos de contas, e sim a oportunidade para aprendermos e evoluirmos.
***********************************************************************************************************
Trecho Destacado:
“Aqueles que cumprem com seus deveres e possuem a consciência em paz transportam dentro de si mesmas o paraíso. Estão sempre felizes e vivem em paz por mais adversas que sejam as condições exteriores que as cerquem.”
***********************************************************************************************************
Recomendo a todos!
comentários(0)comente



Déborah - @lisossomos.lisos 16/02/2016

Pra ler no busão: A aprendiz do Amor
Essa foi minha segunda leitura envolvendo o tema espírita e dessa vez eu gostei bastante.

Bom, não há muito o que falar da história porque a sinopse já é bem explicativa e qualquer coisa que eu acrescentasse seriam detalhes que não são necessários ser ditos e outros que poderiam ser considerados spoilers.

Por isso, vou apenas relatar o que achei do livro...

Antes de qualquer coisa o livro é uma grande lição de amor ao próximo.
Angélica representa a menina que tinha tudo para ser chata e mimada, mas passeando pelo povoado que cerca seu castelo é vê como os súditos tem uma vida sofrida e ninguém que olhem por eles. Nem mesmo seu rei, aquele que deveria por ter sido agraciado com riqueza e condições.

A jovem princesa passa a ter visitas em sonhos e sempre que se encontra com Joanna acorda renovada e com vontade de aprender mais como ser uma pessoa melhor e as escondidas ela passa a ter "aulas" com o jardineiro do palácio, porém seu pai não aceita isso nada bem.

Ela passa por muitas tribulações e emboscadas, pois sua serviçal que ela considerava uma amiga sempre a deletava para o rei. Este manipulou toda a situação para que o jardineiro fosse preso, mas Angélica já havia sido tocada pela vontade de ajudar e foi embora do castelo e foi assim que seu pai a proibiu de voltar para o palácio.

Adorei as lições de humildade que Angélica passa e como o fato de ajudar a quem precisa é o que lhe basta para ter uma vida plena.
Ela busca o momento que partirá, mas sabendo que enviou vários "tijolos" de luz para sua morada eterna.

O final é bem bonito e super vale a pena para quem gosta de livros com teor espírita.

A única coisa que não gostei muito foram as páginas brancas, mas de resto o livro está indicado.
Sem problemas de revisão e letra bem grande.

site: http://lisos-somos.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6