A Luva de Cobre

A Luva de Cobre Cassandra Clare
Holly Black




Resenhas - A Luva de Cobre


39 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3


Clube do Farol 24/09/2016

A Luva de cobre. Clube do Farol
Resenhado por: Milly

Luva de Cobre o segundo livro da série Magisterium, e logo no primeiro capitulo já vai mostrando que vai ser bem mais movimentado que Desafio de Ferro, se sentiu falta de algo no primeiro livro, como o pouco que foi explorado os personagens secundários, neste isso não vai faltar, ficamos sabendo muito mais sobre os amigos de Call, no princípio principalmente de Tamara e sua família, mas também Aaron ganha muito mais relevância levando em conta a pressão por ele ser um Makar, o grupo está muito mais unido nesse livro, mas como nem tudo é perfeito algumas coisas também balançam essa amizade, além deles Jasper ganha bastante espaço e deu para ver que ele não é 100% babaca em todo livro rsrs difícil odiar ele o tempo todo.

Grande parte do motivo por esse livro ser mais movimentado é que o cenário mudou, diferente de Desafio de Ferro que se passava quase todo dentro da escola, Luva de Cobre traz mais viagens e fugas. E pela capa dá para notar agora Call no centro, as coisas ficam mais complicadas para ele desde que ele descobriu sobre a alma do Inimigo, no início mesmo percebemos a relação com o pai, que também ganha muito destaque aqui, e as coisas giram ao redor de sua atitude, os segredos vão sendo revelados aqui de uma maneira muito mais dinâmica.

Eu realmente gostei bastante da continuação, nada complexo, bem leve com uma narrativa muito boa, não espere uma super novidade, o melhor livro fantástico de todos os tempos, não é isso, mas é simples, divertido e que vale a pena leitura, com os seus momentos um pouco mais tenso e outros engraçados, assim como no primeiro, mas esse vem muito melhor desenvolvido e os personagens estão muito mais legais, e um destaque especial para o lobo de Call, o Devastação (pode não parecer pelo nome, mas ele é fofo rsrs), eu já achava um acréscimo ótimo ele antes, mas agora gosto muito mais. Sem esquecer que a edição continua ótima, as ilustrações nos capítulos são muito lindas, mesmo com a troca de editora (agora os direitos são da Galera Record) a partir desse livro a qualidade não caiu, e esse livro é bem mais curto que o primeiro, então não tenho muito o que dizer, além de indicar, só que achei bem melhor que Desafio de Ferro, apesar de que não estava como muitas expectativas no inicio, gostei da surpresa. Então é isso. Leiam!!!

site: http://clubedofarol.blogspot.com.br/2016/07/a-luva-de-cobre-magisterium-2.html
comentários(0)comente



Nathy 13/09/2016

A Luva de Cobre – Holly Black e Cassandra Clare – #Resenha
Eu tinha adorado o primeiro volume dessa série e por isso estava com um pouco de receio. Se iria continuar gostando e tendo as mesmas emoções. Em vista que no primeiro livro já teve uma revelação bem forte. Para a minha felicidade as autoras conseguiram construir mais uma excelente história. Quando finalizei o livro fiquei com aquela sensação de que elas nem revelaram um terço do que está por vir. Lembra um pouco os livros do Harry Potter que os leitores já imaginavam uma situação e no próximo livro pronto não era nada daquilo que estavam esperando. Tenho ficado surpresa a cada livro. Já gostava das duas autoras separadas, juntas então está sendo perfeito.

Nesse segundo volume Callum Hunt está enfrentando um desafio muito pior do que no primeiro ano no Magisterium. Seu pai acredita que alma do Inimigo da Morte vive dentro de seu filho. E parece ter planos para destruir essa alma de uma vez. Mas, Callum não está disposto a esperar e saber quais são os planos de seu pai. Começa a traçar seus próprios planos para conseguir retornar ao Magisterium e controlar seus poderes. Ele sabe que se ir atrás da Luva de Cobre tem uma chance de sobreviver contra tudo isso. No entanto, nada é como Callum imagina e o perigo está mais próximo do que pensa.

A narrativa continua sendo em terceira pessoa, mas com o foco em Callum. Então tudo o que se sabe é de acordo com a vivência do menino. Por isso muitas surpresas devem estar por vir. Eu gosto muito do modo das autoras escreverem. Não consigo identificar que escreveu cada capítulo. O jeito delas se mescla de um modo muito perfeito. Dando uma continuidade surpreendente na história. Por mais que tenham muitas páginas a leitura flui de uma maneira muito rápida. Mas, sem deixar furos.

Call, não é o que você pensa.

Não sei ainda o que sinto pelo Call. Em alguns momentos ficava morrendo de pena dele. Por toda a carga que estava carregando naquele momento. Por tudo o que estava tendo que enfrentar e sozinho. Porque não sabia em quem poderia confiar. Mas, em outros parecia um menino perdido. E ingênuo. Quando passou a tomar decisões mais sérias e arriscadas gostei muito mais. Ele ainda tem um potencial muito grande para ser mostrado. E mesmo tendo tudo mostrando que ele é o Inimigo da Morte eu fico pensando que tem muito mais nessa história. Que ele não pode simplesmente ser morto no final por causa de algo que nunca esteve no seu controle.

Continue lendo a resenha no link abaixo:

site: http://www.oblogdamari.com/2015/12/a-luva-de-cobre-holly-black-e-cassandra-clare-resenha.html
comentários(0)comente



Jemilly 30/08/2016

A Luva de cobre
Luva de Cobre o segundo livro da série Magisterium, e logo no primeiro capitulo já vai mostrando que vai ser bem mais movimentado que Desafio de Ferro, se sentiu falta de algo no primeiro livro, como o pouco que foi explorado os personagens secundários, neste isso não vai faltar, ficamos sabendo muito mais sobre os amigos de Call, no princípio principalmente de Tamara e sua família, mas também Aaron ganha muito mais relevância levando em conta a pressão por ele ser um Makar, o grupo está muito mais unido nesse livro, mas como nem tudo é perfeito algumas coisas também balançam essa amizade, além deles Jasper ganha bastante espaço e deu para ver que ele não é 100% babaca em todo livro rsrs difícil odiar ele o tempo todo.

Grande parte do motivo por esse livro ser mais movimentado é que o cenário mudou, diferente de Desafio de Ferro que se passava quase todo dentro da escola, Luva de Cobre traz mais viagens e fugas. E pela capa dá para notar agora Call no centro, as coisas ficam mais complicadas para ele desde que ele descobriu sobre a alma do Inimigo, no início mesmo percebemos a relação com o pai, que também ganha muito destaque aqui, e as coisas giram ao redor de sua atitude, os segredos vão sendo revelados aqui de uma maneira muito mais dinâmica.

Eu realmente gostei bastante da continuação, nada complexo, bem leve com uma narrativa muito boa, não espere uma super novidade, o melhor livro fantástico de todos os tempos, não é isso, mas é simples, divertido e que vale a pena leitura, com os seus momentos um pouco mais tenso e outros engraçados, assim como no primeiro, mas esse vem muito melhor desenvolvido e os personagens estão muito mais legais, e um destaque especial para o lobo de Call, o Devastação (pode não parecer pelo nome, mas ele é fofo rsrs), eu já achava um acréscimo ótimo ele antes, mas agora gosto muito mais. Sem esquecer que a edição continua ótima, as ilustrações nos capítulos são muito lindas, mesmo com a troca de editora (agora os direitos são da Galera Record) a partir desse livro a qualidade não caiu, e esse livro é bem mais curto que o primeiro, então não tenho muito o que dizer, além de indicar, só que achei bem melhor que Desafio de Ferro, apesar de que não estava como muitas expectativas no inicio, gostei da surpresa. Então é isso. Leiam!!!

site: http://clubedofarol.blogspot.com.br/2016/07/a-luva-de-cobre-magisterium-2.html#more
comentários(0)comente



Alika 23/08/2016

http://goo.gl/7lEpkw
“Não olhe para mim, Call queria dizer. E, ao mesmo tempo queria perguntar: o que você vê quando me olha?”

O final do primeiro livro tem um gancho pro segundo que, se eu não tivesse os dois livros comigo, ficaria desesperada!!!

Fiquei pensando o tempo todo por que raios a mãe de Call tinha deixado aquela mensagem. Procurei nas entrelinhas, sempre me lembrava disso quando Call falava (ou tentava falar) com o pai. E aí a gente descobre que dá pra transferir uma alma pra outro corpo! OOOOOI? hahaha

Achei muito diferente. Existem heróis e anti-heróis. E Call? Ele é um herói com um vilão dentro dele? Adorei como ele lida com isso, prestando atenção em suas ações, pensando em colocar pontos na escala de suserano do mal.

“Devastação levantou-se de um pulo, as unhas estalando sobre o linóleo enquanto corria para a porta. Call sorriu. Ele sabia que ter a devoção de uma fera Dominada pelo Caos contabilizava muitos pontos na escala de Suserano do Mal, mas não conseguia se arrepender de ter ficado com ele.”

O livro anterior tem muitas explicações para nos conectarmos com o universo criado. Já nesse, estamos familiarizados com tudo e as autoras apenas continuam a história, então achei que a leitura foi muito mais divertida! Temos muita ação, e um suspense com a condição de Call e o conhecimento do pai dele sobre isso.

Também gostei de ver como fica a amizade depois dessa descoberta. Afinal, Aaron é o makar, e Call tem a alma de um suserano do mal dentro de si. Ou ele é o suserano do mal. Ou ele se tornará quando a alma “acordar”. Pois é, confuso, né? Ainda tô curiosa pra ver o que vão fazer com essa informacão.

Estou gostando da série, lerei os próximos e recomendo pra quem curte fantasia infanto-juvenil! :)

“- Existe um velho ditado alquímico que diz: ‘todo veneno é também uma cura; só depende da dose.’ O Inimigo conseguiu curar a morte, mas a cura foi pior que a condição original.”

site: http://goo.gl/7lEpkw
comentários(0)comente



@vitoriacholanda 21/08/2016

Finalmente Eu Li Luva de Cobre
Fiquei tão empolgada com a leitura! Me lembrou quando eu li Magisterium: Desafio de Ferro, pois foi tão emocionante quanto. O livro tem tantas descobertas, quando você acha que nada mais intrigante pode acontecer, mais coisas acontecem.

Continue a leitura desta resenha la no blog!

site: http://www.vitoriacholanda.com/2016/08/finalmente-eu-li-luva-de-cobre.html
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 19/08/2016

Resenha: A Luva de Cobre
A Luva de Cobre traz de volta o mesmo tom leve e divertido da narrativa dividida entre Holly Black e Cassandra Clare, misturando fantasia e aventuras a um tom sombrio atípico em obras desse tipo. A resenha pode conter alguns spoilers do primeiro livro, portanto: cuidado!

Call está de férias, mas não aproveitou muito delas. Depois que descobriu a terrível verdade envolvendo o Inimigo da Morte, o grande vilão do mundo que conhecem, Callum Hunt percebe que têm mais problemas do que imaginava. Quando parece que o próprio pai está se voltando contra ele, Call foge junto ao seu lobo Dominado pelo Caos, Devastação, e busca a ajuda dos amigos, Tamara e Aaron - e Jasper, o irritante sabe-tudo, que vem de brinde. Um artefato mágico muito poderoso foi roubado de Magisterium, uma manopla capaz de absorver a magia do caos, o que coloca Aaron em grande perigo. O problema é que as pistas apontam para o pai de Call como o responsável por esse roubo, e eis que o menino toma uma decisão arriscada; fugir de Magisterium e encontrá-lo antes que os magos o façam.

"Composta por uma combinação de forças elementares, a manopla era uma arma criada para um propósito - extrair do Makar a habilidade de controlar o caos."

Cassandra e Holly construíram uma mitologia bastante única e inesperada em um meio onde livros infanto-juvenis costumam repetir a fórmula de sucesso. Call é, de longe, a pessoa menos heroica que se pode imaginar, principalmente por ter dentro de si o que os magos mais temem naquele mundo. Tamara é a garota arisca e super-protetora com os amigos, especialmente Aaron, que está em grande risco naquela viagem. Aaron, por sua vez, só quer fazer o que é certo e honroso, mesmo que isso custe a sua vida; ele está disposto a assumir as consequências da magia do caos, contanto que possa cumprir o seu dever e expurgar o mundo do Inimigo da Morte. Jasper cai de paraquedas na viagem, e ele deixa certo em cem por cento do tempo o quanto não queria estar ali.

"- Existe um velho ditado alquímico que diz: "todo veneno é também uma cura; só depende da dose." O Inimigo conseguiu curar a morte, mas a cura foi pior que a condição original."

O quarteto, acompanhado do lobo Dominado pelo Caos, parte em busca de pistas para localizar o pai de Call - mesmo que os amigos dele não acreditem na total inocência de Alastair Hunt. O fato de a luva de bronze ter sido roubada causa alvoroço em Magisterium; os riscos que existem caso ela caia em mãos erradas são tremendos, e a ameaça do Inimigo da Morte ainda paira sobre eles. Call sabe a verdade sobre essa ameaça, mas não vai contar enquanto puder. As autoras trabalham muito bem os medos e anseios do garoto. Existe nele uma inocência pacífica, uma ingenuidade infantil que o tornam um herói mesmo quando ele deveria ser a personificação do vilão. Call é corajoso, frágil e assustado. Ele tem em seus amigos um pilar que, se derrubado, vai causar grandes estragos em seu psicológico. Call está lutando para encontrar motivos que o tornem bom, mesmo quando o destino o aponta como o mau.

"Semíramis é o nome de uma rainha assíria que se transformou em uma pomba quando morreu. Callum também quer dizer pomba. Pombas representam paz, o que sua mãe mais queria na vida."

Aaron é o rapaz de boa índole totalmente focado em ajudar os outros. Ele e Call têm uma ligação poderosa, não só por serem o contrapeso um do outro, mas pela maneira como seus destinos estão intrincados. Um depende do outro. Um pode ser a ruína do outro. Aaron não conhece esse fato, ainda, mas sabe que Call precisa dele e está sempre lá nesses momentos. A magia do caos é perigosa e poderosa, e Aaron ainda é um menino aprendendo a lidar com forças que eram de seu desconhecimento.

"- Call pode ter usado a magia dele de forma instintiva. O contrapeso do caos é um ser humano porque o contrapeso do vazio é a alma. Quando você usa a magia do caos, procura uma alma humana para equilibrá-lo."

Tamara está ali para segurar as rédeas do grupo. Ela é a mais racional e centrada, mas nem por isso a mais calma. Ela e Call, principalmente, têm uma grande briga no livro, responsável por causar discórdia e afastamento entre os dois. Tamara é muito sobre o que é certo para manter os amigos a salvo, mesmo que isso signifique arriscar a confiança deles. Contanto que ela consiga sustentar o grupo, ela está bem com isso, com as respostas às suas decisões perigosas.

"- Minha obrigação é salvar as pessoas. Elas não têm de me salvar, elas detestam ter de me salvar. E já me disseram muitas vezes que não posso vencer sozinho, então Call está aqui como meu contrapeso. Tamara veio porque é inteligente e habilidosa. E Jasper...
- É o alívio cômico."

Jasper é o alívio cômico não tão cômico, porém adorável em sua faceta irritante. Ele e Call se detestam, e o fato de estar sendo obrigado a seguir com eles naquela missão suicida e ultrassecreta o mantém com comentários afiados na ponta da língua. Foi muito legal assistir ao crescimento dele conforme os capítulos foram passando, principalmente um ganho de confiança do grupo a respeito do rapaz. Jasper ainda terá grandes momentos na saga.

Outros personagens como Alastair e Mestre Rufus têm bastante importância na história. Principalmente Alastair. Eu imaginava uma coisa dele, esperava outra, e acabou acontecendo algo que eu jamais previ! G-E-N-I-A-L.

"Call ficou imaginando se algum dia amaria alguém com aquela intensidade, a ponto de abdicar de tudo pela pessoa, de querer incendiar o mundo para recuperá-la."

A Luva de Cobre traz revelações novas ao universo de Magisterium e ao que aguarda nossos aventureiros não-tão-heróis-mas-que-estão-tentando. O final, principalmente, é de toda uma surpresa, especialmente pelas consequências que a decisão de Call trarão para o quarteto. Com a narrativa rápida e emocionante, com lições importantes sobre amizade e confiança e sobre acreditar em si mesmo, o segundo livro de Magisterium dá sequência exemplarmente a uma saga que chegou para ficar.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



AndyinhA 30/07/2016

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

Ainda continuo achando que a série tem muitas, mas muitas coisas repetidas com Harry Potter. Se isso é bom ou ruim, eu ainda não sei. Até diria que pesa um pouco mais para ruim, pois as vezes dá a impressão que você está lendo uma coisa que já leu, mas por outro lado, para os fãs de HP é uma sensação de conforto, ler algo de certa forma semelhante ao que amamos. Por isso até deixo uma pergunta, para você, ler algo parecido com uma série que você ama (não necessariamente precisa ser HP) é bom ou ruim?

Voltando ao nosso livro, este teve mais aventuras, mais desdobramentos da magia e seus monstros e interesses, bem como começamos a ter deslumbres do vilão, seus capangas e o que os outros magos e estudantes pensam sobre isso. A visão anterior do livro era muito limitada, principalmente porque o mundo que as autoras criaram eram muito grande e sabíamos que mais coisas precisava vir. Eu curti esse ponto de explorar e quero que os próximos livros isto continue. Ainda sinto falta de mais explicações e desdobramentos do mundo da magia.

Já nos personagens principais não vi grande melhoras, de certa forma tinha muito mimimi, muitas briguinhas infantis, coisas que não foram tratadas antes quando o menino praticamente era um forasteiro, não achei que cabia esse mimimi todo, até teve umas piadas engraçadas ou boas sacadas, mas no geral foi meio chatinho.

Nos outros personagens, tivemos uma certa surpresa, deixo claro que eles não aparecem constantemente, mas suas aparições foram melhor aproveitadas, seja por fazer uma revelação ou colocar em xeque alguma informação que sabíamos de antemão, ou até mesmo para explicar mais dos mistérios da escola e da grande luta que aconteceu. Neste quesito temos personagens variados, tem antigos professores, pessoas extras e até alguns alunos da escola. Curti mais estes.

Para saber mais, acesse:

site: http://www.monpetitpoison.com/2015/12/poison-books-luva-de-cobre-holly-black.html
comentários(0)comente



Gabriel 11/06/2016

Na minha opinião :
Uma ótima continuação algo que começou bem no primeiro livro e foi mais bem trabalho neste segundo é a proximidade com os personagens e a exploração do mundo além da escola e também a revelação de vários acontecimentos o que resultou em um excelente livro que me deixou louco já na espera do terceiro livro eu dou nota 5 para o livro também por ser uma leitura gostosa e com bastante elementos variados como comédia , ação e mistério .
comentários(0)comente



Jordana 06/06/2016

Divertido!
A resenha pode ser conferida no link:

site: http://addictionforbooks.blogspot.com.br/2016/06/resenha-luva-de-cobre-cassandra-clare.html
comentários(0)comente



rafazaakar 13/05/2016

ZaaKar.com Resenha - A Luva de Cobre
Cuidado, pode ter alguns Spoilers!!! Mas leia mesmo assim!

Sinopse: "Nesta fantasia urbana, um universo de magia coexiste com nosso mundo.
Um universo repleto de intrigas, onde crianças aprimoram seus poderes em uma escola de magia chamada Magisterium, com Mestres que temem a volta do mago mais poderoso, e ambicioso, de todos os tempos, o Inimigo da Morte. Nesse volume, o aprendiz de mago Callum Hunt precisa encontrar uma antiga arma mágica roubada do Magisterium. A luva de cobre é capaz de arrancar a magia de uma pessoa e destruí-la completamente. Ao mesmo tempo, ele tem de decidir se conta aos amigos que, dentro dele, vive a alma do Inimigo da Morte, apenas à espera do momento perfeito para retomar sua escalada pelo poder".


***

“- Quero dizer, se não funcionar, então, como dizem, “se você ama alguém, liberte-o, não prenda no subterrâneo ou em uma caverna”.

Dando continuidade a resenha da semana passada, que tal irmos direto para o segundo volume de Magisterium? Pois bem, mas antes, vamos conhecer quem escreve essa história. A primeira é a norte-americana Holly Black. Holly mora em West Long Beach, New Jersey e ficou mundialmente famosa após escrever a série de livros da série “Crônicas de Spiderwick”. Ela é uma grande colecionadora de livros raros de folclore. Em seus primeiros anos de vida ela morou em uma mansão abandonada em estilo vitoriano com sua mãe, que contava a ela várias histórias de fantasmas e fadas. Seu primeiro livro, “Tithe: A Modern Faerie Tale”, foi muito bem recebido pela crítica e foi publicado no outono de 2002. A escritora só viria a ficar famosa um pouco mais tarde, com o lançamento do livro “As Crônicas de Spiderwick: O Guia de Campo”, primeiro livro da série Spiderwick. Além disso, holly também é conhecida pela série “Mestres da Maldição”.
Além dela, o livro é escrito em parceria com uma autora não muito famosa, a Cassandra Clair... SIM ISSO FOI UMA IRONIA. Conhecida por escrever a série de livros best-seller “Os Instrumentos Mortais”, Claire é filha de pais norte-americanos, nascida em Teerã, no Irã. Passou grande parte de sua infância viajando pelo mundo com sua família. Viveu na França, Inglaterra e Suíça antes de completar dez anos de idade. Com as frequentes mudanças de sua família, Clare encontrou familiaridade nos livros e sempre encontrava-se com um debaixo do braço. Estudou em um colégio de Los Angeles, onde ela costumava escrever histórias para divertir seus colegas, incluindo um romance épico chamado "The Beautiful Cassandra", baseado na história homônimo de Jane Austen. Após a faculdade, Clare começou a trabalhar em inúmeras revistas de entretenimento e tabloides, incluindo The Hollywood Reporter. Ela mora atualmente em Amherst, Massachusetts, com seu marido, Joshua Lewis, e três gatos.

“- Só não mostre a ela quem você é de verdade – disse Call. – Finja que é uma pessoa que ela pode amar, e ai ela vai amar. Porque, de qualquer jeito, as pessoas amam quem elas pensam que as outras são”.

De volta para casa nas férias, Call precisa aprender a lidar com o novo temperamento de seu pai. Alastaire parece ter ficado mais nervoso com a estadia de Call na escola e isso se agravou ainda mais com a presença do lobo dominado pelo caos em sua casa. Devastação, mesmo sendo dócil, ainda era um lobo dominado pelo caos e Alastaire não gostava nem um pouco disso.
Depois de ir ao cinema com seu pai e deixar Devastação preso na garagem, Call percebe que de alguma coisa tudo está voltando ao normal. Seu pai o levou para ver um filme que ele gostava, envolvendo naves espaciais e explosões. Mas na volta, depois de quase discutirem por causa do retorno de Call para o Magisterium, o garoto percebe que Devastação sumiu. Não só sumiu, foi solto. Eles buscam por todo o bairro, por horas, noite adentro, mas nenhum sinal do lobo.
Depois de desistirem da busca – e também de mais um briga – Call vai para seu quarto dormir e no meio da noite sente alguma coisa, escuta algum barulho dentro da casa. Essa sensação vinha de dentro do porão, onde seu pai guardava as tranqueiras que tinha. Mas ao abrir a porta, Call constatou que ali não era mais só um depósito, havia se tornado um escritório para um mago. Em um dos cantos do lugar tinha uma mesa cheia de anotações, símbolos alquímicos e do outro uma cama, com correntes – do tamanho de um garoto de 13 anos -, e Devastação, Preso com uma corrente e uma focinheira.
Quem dera fosse só isso: Na mesa de seu pai, havia uma infinidade de papéis e desenhos e anotações, tudo sobre uma luva que era capaz de tirar o caos de dentro de uma pessoa e transferir seu poder. A única coisa que era necessário para ela dar certo era o coração de um dominado pelo caos...
Preciso dizer mais alguma coisa?

Charada 1: “O que começa e não tem fim, mas é o fim de tudo que começa?”.
Charada 2: “Eu o deixo exausto, no entanto você sofre quando eu vôo. Você vai me matar mas eu nunca vou morrer”.
Charada 3: “Aceite e vai perder ou ganhar mais que todos os outros. O que é?”.

Se tem uma coisa que essa duas autoras conseguiram nesse volume, sem duvida foi acertar. Elas acertaram em exatamente tudo. Desde a trama até o clímax. Ao contrario do primeiro volume, este já começa tenso, com Call fugindo de casa, seu pai tentando capturá-lo e a descoberta de que alguém tentou invadir o Magisterium. Este livro tem um timing perfeito. As coisas acontecem rápidas, sem nenhum tipo de enrolação.
Quando nos damos conta, a luva de cobre já foi roubada, todos sabem dos planos de seu pai por conta de Tâmara que não soube manter sua boca fechada, o Magisterium já esta na cola dele e os quatro já estão saindo da escola para dar um jeito em toda essa situação... Sim eu disse os quatro. Jasper acaba encontrando eles na saída da escola e eles acabam tendo que elvá-lo junto.
De forma bem rápida e cheia de novas personagens entrando em cena, as autoras conseguem de uma forma espetacular prender a atenção dos seus leitores. Desta vez, fora da segurança do colégio, os quatro viajam juntos a procura de algum sinal do pai de Call, encontrando no caminha não só pistas, como obstáculos também. Quem diria que o Magisterium queria eles mortos? Pois é.
Mas na minha opinião, o melhor do livro todo ficou para o final. A forma como todos os conflitos feitos durando o decorrer do livro foram resolvidos com apenas uma ação foi boa e bem pensada, isso sem falar que, com o final de uma trama, outra logo apareceu, para dar continuidade na história. Tudo isso junto ao enredo principal, ou seja, Call ser o Inimigo da Morte.
Além de toda a trama bem intricada e resolvida, amei também a forma como a amizade de todos é posta em jogo. Se eu fosse o Call e Tâmara tivesse feito tudo o que fez, eu não olharia mais na cara dela. Mas, se ela não tivesse feito nada, não haveria história, e isso é importante. Sem falar em Aaron, que eu ainda não entendi muito bem qual é a dele. Sempre muito educado, mas com zero de personalidade. Parece sempre estar em cima de um muro. Ainda mais quando Call começa a controlar os dominados pelo caos e a ouvi-los. Aaron parece outra pessoa, enquanto Tâmara, por sua vez, parece ser a mais “apaziguadora” da situação enquanto Jasper surta e é indelicado como sempre
Acho que, se você leu, e curtiu o primeiro volume, esse vai te deixar ainda mais apaixonado. Vai dar algumas pulgas na orelha e alguns questionamentos, e ao final você vai ficar tipo: Cadê o próximo volume, meudeusdocéu!
Acho válida a leitura, e se você ainda não leu, por favor, leia.
23/55

Respostas: A mort

site: http://zaakarcom.blogspot.com/2016/05/resenha-luva-de-cobre.html
comentários(0)comente



Rick Finch 01/02/2016

A Luva de Cobre
Não consigo expressar o quanto amei este livro.
Está me fazendo lembrar da época em que lia Harry Potter. Ele traz aquela amizade doce, verdadeira e pura.
Aguardo ansiosamente o próximo livro.
comentários(0)comente



Cyssa 13/01/2016

Mistura boa de HP e PJ
Apesar de ter gostado bastante da historia e aguardar ansiosamente os próximos livros, não posso deixar de questionar o fato das autoras terem em muitos pontos deixarem evidente as semelhanças com a saga Harry Potter e Percy Jackson. Mistubera boa e interessante.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Super Ci 13/01/2016

Resenha do Elefante Voador
No ano passado, quando li O Desafio de Ferro (primeiro volume de Magisterium) eu tinha expectativas altíssimas. O primeiro motivo era o fato de já conhecer e adorar o trabalho das autoras, principalmente de Cassandra Clare e o segundo por adorar livros de fantasia/magia. Minhas expectativas foram atendidas, pois se tratava de um livro cheio de aventuras, reviravoltas, eu fiquei apaixonada e completamente desolada quando terminei a leitura sem saber o desfecho dessa história.
Veja mais no site do Elefante Vodor

site: www.elefantevoador.com
comentários(0)comente



39 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3