O Enigma do Oito

O Enigma do Oito Katherine Neville




Resenhas - O Enigma do Oito


40 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Isa 23/04/2011

O ENIGMA DO OITO
O ENIGMA DO OITO não valida sua proposta. Apesar de bem estruturada e do elaborado trabalho de pesquisa, a história se perde pelas voltas e meandros para se chegar ao seu cerne. A narrativa ocorre alternando cronologicamente em paralelo o passado e presente. Ambos os relatos carecem de objetividade excedendo em detalhes irrelevantes ao seu contexto. Todo apelo cênico é utilizado para rebuscar a trajetória épica do jogo de xadrez, o Xadrez de Montglane.
Em um fruir de conjunturas históricas, a primeira narrativa é ilustrada entre outros por Carlos Magno, Catarina a Grande, Marat, Rousseau, Robespierre e Bach em interação aos personagens, centrado na figurativa Mireille. O discorrer da trama é extenuado em sucessivos relatos, cansativos e maçantes.
A segunda história é narrada em primeira pessoa, da personagem Cat Velis, em um desenrolar que abusa da prerrogativa do enigma. Onde todos sabem tudo, menos a personagem centro e consequentemente o leitor.
A dinâmica desse acumulo de informações só ocorre a quase pouco do seu termino, com a convergência das histórias, o que não promove seu desenrolar. E ao final, a luz do dito enigma não revela nada de extraordinário. O mesmo mistério proposto por tantos outros livros do gênero: o elixir da vida.
Isabel 07/07/2011minha estante
Olhe, concordo com você.

No meu caso, não consegui me envolver com a história e nem com os personagens.

E quando chegou na parte onde a Cat e a Lily,americanas numa Argélia de 1973, tiram o maior sarro da cara do chefe da polícia secreta e não acontece NADA com elas...pra mim foi a gota d'água.


Letícia 04/04/2012minha estante
Olá Isa, também concordo com você. Achei a história enrolada, com narrativa extensa sem necessidade. É feito muito drama em cima do tal enigma, que na metade do livro o leitor já consegue descobrir qual é. Tem esses lados ruins, mas o lado bom é que a autora conseguiu misturar bem ação e história. Eu adoro história e, por conseguinte, romances históricos, por isso gostei dessa parte do livro. Mas estou na dúvida se leio a continuação, "Fogo".


Laris 27/07/2012minha estante
Concordo totalmente! O que menos gostei do livro foi que todo o mistério já estava resolvido e com respostas prontas, que variavam da filosofia pra química e astrologia e não restava ao leitor exatamente nada para tentar juntar uma coisa com a outra e descobrir por si mesmo. Não foi um mistério, foi um caso contado em partes.


Lud 10/12/2012minha estante
Concordo em algumas coisas do que você falou, o livro é um romance, é focado em sentimentos, porque mistério é Sherlock Holmes, em que você pode juntar as peças e formar algo inesperado... O mistério da Minnie esteve claro desde o princípio... Mas mesmo assim achei interessante. Mas deixo claro que não é perfeito, nem muuuito bom, porque da primeira vez que li, abandonei. Agora estou conseguindo terminar...


Rosane 01/07/2014minha estante
Hey, podia ter marcado que tinha spoiler, pois tem muitas pessoas que ainda não leram.


Isa 08/05/2018minha estante
undefined


Fabio.Gabriel.Oli. 19/08/2018minha estante
Concordo em muitas coisas. Apesar de ela escrever bem e a história ser interessante (achei a maioria das situações ótimas) faltou pra ficar realmente bom. E cai bastante perto do final.




Fimbrethil Call 19/03/2009

Espetacular
livro espetacular, que mistura história real com ficção, mistério, suspense e ação que te prende até o final. É a história de duas
mulheres, uma que vive em 1790 na França, durante a revolução, e outra
que vive em 1973, primeiro em Nova York e depois na Argélia, durante a
crise do petróleo. A história se passa em torno de um jogo de xadrez
que Carlos Magno ganhou de presente de um chefe Otomano depois que
ajudou dito chefe a derrotar não lembro quem na Espanha, e esse xadrez
tem uma maldição, mas é feito de ouro e pedras preciosas, então tem
gente que quer destruí-lo por causa da maldição, e gente que quer o
xadrez pelo valor inestimável, e por aí vai... É um livro maravilhoso,
e quando chega no final tem uma surpresa, mas EU não vou contar o fim!
Fabio.Gabriel.Oli. 19/08/2018minha estante
Eu já suspeitava da surpresa antes mesmo de ser revelada kkkk
Achei a história maravilhosa mas ficou faltando em alguns pontos.




Ptah 01/12/2009

Infinitas citações
Este livro me conquistou porque é cheio, qualhado mesmo, de citações e referências. Quem gosta de história (mas não é purista) vai se empolgar com as viagens de duas mulheres em épocas diferentes: presente e revolução francesa.

Personagens como Marat e sua assassina, Catarina da Russia e até o enxadrista Philidor entram como personagens nesse romance atras de algo que pode lhes dar poder.

Enfim, adoro romances hisóricos, mea culpa.
lu 11/02/2011minha estante
Agora eu vou querer ler o livro :)




Yasmin 25/10/2011

Perfeito

Ainda não sei como começar a resenha desse livro. Eu sabia que ia ser diferente de tudo o que já havia lido. A história transcorre em duas épocas diferentes e se complementam de maneira única. Enquanto a trama começa a se desenrolar em 1790 com a revolução francesa forçando o xadrez de Montglane a ser desenterrado da abadia e atraindo a atenção de todos em 1972 Catherine Ville é arrastada para o jogo por vários misteriosos acontecimentos.

Imagine um xadrez que esconde gravado em suas peças um segredo milenar. Um segredo que mudaria para sempre os rumos do mundo. É com essa trama que somos conduzidos pelas entranhas da história. Pulando de personagens a acontecimentos históricos mesclando realidade e ficção de maneira magistral a narrativa de Neville vai envolvendo página por página. O livro todo é uma grande batalha de xadrez, e os personagens estão divididos entre peças brancas e peças pretas.

Continue Lendo: http://cultivandoaleitura.blogspot.com/2011/10/resenha-o-enigma-do-oito.html

comentários(0)comente



20/09/2010

Duas épocas, uma fórmula e um jogo que já matou milhares. Uma história incrivelmente empolgante, que faz com que uma partida de xadrez se torne tão emocionante que fica impossível largar o livro. A autora trabalha com várias personalidades históricas dos fins de 1870 de forma enigmatica, ao mesmo tempo que desenvolve suas personegens de 1970. É praticamente impossivel escolher qual das duas épocas torna mais ávida a sede pela leitura. Um livro para se ter e reler várias vezes!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Isa 14/11/2011minha estante
Concordo plenamente..até que fim alguém coerente ao trama que deixa muito a desejar.
:D


Letícia 04/04/2012minha estante
Olá Passos.
Concordo com você. Assim como deixei um comentário semelhante numa resenha acima, deixo aqui também.
Achei a história enrolada, com narrativa extensa sem necessidade. Diversas vezes tive que voltar páginas para reler algo e entender melhor.
É feito muito drama sobre o tal enigma, que na metade do livro o leitor já consegue descobrir qual é. E como você disse, é um tema batido.
Mas a meu ver a autora conseguiu misturar bem ação e história. Eu adoro história e, por conseguinte, romances históricos, por isso gostei dessa parte do livro. Não sei se dar opiniões pessoais a personagens reais seja de todo um erro, especialmente quando se explicita que tudo é ficção. Dan Brown faz algo parecido nos livros dele. Mas concordo que não seja a melhor forma de se escrever sobre pessoas que deixaram seu nomes marcados na História.
Por tudo isso, estou na dúvida se leio a continuação, "Fogo".


Patty 23/09/2012minha estante
É exatamente o que penso; muito bem colocada a sua visão sobre livro!


Zana 21/02/2013minha estante
Com certeza nó lemos o mesmo livro! rsrs




Virgílio César 17/11/2014

Esperava bem mais deste livro. A forma da autora escrever é até agradável, mas a história começa a ficar mirabolante demais. Tem fantasma, vidente, apocalipse, uma pessoa que vai salvar o mundo. É demais! Para mim não deu para passar da página 200. Pensei que o livro seria mais real.
comentários(0)comente



Lilinha 15/12/2011

Esse livro me decepcionou um pouco. Sim a história tem mistério, tem ação, romances, enigmas, personagens históricos e tudo mais, porém em certos momentos a leitura se torna extremamente entediante, foi por pouco que não deixei o livro de lado.
Gosto de livros que misturam histórias passadas e recentes, trazendo revelações e um certo frio na barriga em ter que esperar para voltar à determinada época, entretanto, nesse livro, muitas das vezes em que a autora voltava ao passado a leitura se tornava menos dinâmica e mais cansativa,eram muitos personagens, que ao meu ver, contribuiam muito pouco para o desenrolar da história.
Me incomodou bastante também, a autora dar um super ênfase em determinado personagem nos primeiros capítulo e só utiliza-lo novamento nos últimos. Teve momentos em que eu realmente esqueci da existência de um dos mocinhos da história e isso, para mim, é algo que minimiza a qualidade.
Outro aspecto que não me convenceu: a personagem principal coloca a própria vida em risco diversas vezes por algo que ela não sabe o que é e que nunca se importou durante sua vida inteira! Toda trama rola em volta das peças de xadrez perdida e que todos afirmam possuir um grande segredo, capaz de trazer benefícios ou malefícios para toda a humanida: 1- a personagem principal pouco se importa com xadrez 2- quem colocaria a vida em risco por algo que nunca se interessou muito e que também não sabe o que é e nem pra que serve simplesmente por que outras pessoas flaram que era isso oq ela deveria fazer? A mim não convece.
Mais um fator, todos falam que a data de nascimento da personagem principal é importante para resolver o mistério pq ela é a escolhida e tudo mais, porém durante a narrativa vemos que isso não importa muito.
E o pior, o final é meio clichê.
Enfim, são alguns dos fatos que fizeram com que eu avaliasse o livro como regular.
comentários(0)comente



Priscilla 05/09/2011

O "Enigma do Oito" é o tipo de livro que te obriga a ler com calma. Não se preocupe, não é do estilo que faça citações obscuras ou de difícil entendimento; ele não te obrigará a percorrer as páginas com um dicionário ao lado. Ele nem ao menos te fará enrrugar as sobrancelhas ao ler suas passagens. Mas você precisa ter calma. E paciência, porque ele é soterrado de conhecimento enciclopédico e variado, que se for levado de forma irreverente se tornará incompreensível no decorrer da história.

Digo isso porque, se você não tiver o básico do entendimento sobre ciências exatas, filosóficas e históricas, poderá ficar completamente perdido se não levar o conteúdo a sério - no fim, não entendendo nada da proposta. Um dos motivos pela qual não dou cinco estrelas para o "Enigma do Oito" é exatamente esse. Ele é tão cheio de conhecimento arbitrário não realmente relacionado com o desfecho da trama, que se torna um pouco maçante aos olhos dos menos motivados.

Ao ouvir falar de teorias musicais, física acústica, matemática avançada, história da Revolução, filosofia e seus acompanhantes, muitos leitores pouco aplicados podem se render. Simplesmente porque não possuem o afinco de cravar os olhos na leitura e tentar compreender o texto, o que leva ao não entendimento de metáforas como a da Rainha Branca, do Rei Preto, e assim por diante. Há, por esse fato, certo distanciamento do leitor em relação aos personagens e suas lutas, como, principalmente Mireille. É difícil entrar na pele dela, porque sua história é soterrada de passagens de difícil acesso, e há uma difícil identificação com ela, fazendo com que só a compreendamos realmente no final; assim como Solarin, Talleyrand, Nim, e etc.

Mas o livro é bem escrito. Possui diálogos inteligentes, personagens interessantes e descrições bonitas. Me pego envolvida por Catherine, Lily e até Carioca, me pego finalmente compreendendo Mireille e toda sua jornada, me pego ansiando pelo Xadrez de Montglane e seus mistérios. Me pego imaginando como deve ser o futuro de Charlot, como devem ser as montanhas do Tassili, de como a Argélia é um país singular (apesar de antes nem ao menos poder precisar com exatidão seu lugar no mapa), e em como uma partida de xadrez pode ser muito mais do que um mero jogo.

Me pego ansiando por cada movimento, do menor dos peões ao maior dos reis. E é. Querendo saber exatamente onde o jogo termina. E que venha "O Fogo".
Fabio.Gabriel.Oli. 19/08/2018minha estante
Concordo demais. Eu vou ler de novo pra ver se entendo certas paradas históricas que apareciam no livro a ligação delas com a história. Os diálogos, a escritas, os lugares, as situações... Também me ganharam.




Bruna 20/01/2014

Uma história; duas eras.
Mistério da primeira página até a ultima jogada, para determinar o cheque-mate da partida. Personagens simplesmente apaixonantes, do tipo que te fazem sentir saudades quando a capa do livro se fecha com o fim da história, e ficar imaginando o que leva uma pessoa normal a se apaixonar por um personagem contido em simples folhas de papel... Acontece que não sou normal, e nem também são simples folhas de papel, mas sim um mar de beleza onde o barco é sua imaginação e o destino é a ultima página.
comentários(0)comente



Linda 15/02/2013

Inicio
Galerinha o livro esta bem legal começa meio chato falando das meninas que foram para no convento não por vontade propria mais devido a algumas circunstâncias... Mas com o desenrolar da trama cara fica muito interessante a lenda do xadrez perdido e que foi enterrado no convento... E agora a madre superior os desenterrou e entregou a oito freiras e mantem seus nomes em segredo, enfim ta muito bom em breve voltarei a resenhar e a contar-lhes cenas dos proximos capitulos.

Até mais pessoal!
daniel henrique 15/10/2013minha estante
´Resenha´ desnecessária.


Linda 23/10/2013minha estante
obrigada por expor a sua opinião, mais acho que cada um se expressa a sua maneira contando que não seja de maneira pejorativa nem depressiva tudo bem e também devemos reipeitar a opinião dos outros isso sem dúvida é bastante importante.


SERGIO 21/07/2014minha estante
Muito legal a sua resenha, já deu para ter uma noção da história. Fico no aguardo das cenas dos próximos capitulos.




Iara Sueroz 04/01/2014

E qual será o enigma do oito?
O livro conta duas estórias paralelas que se interligam ao final, duas mulheres fantásticas e época e continentes completamente diferente envolvidas em um jogo que não compreendem ao certo e extremamento perigoso, em suas épocas elas viajam por diversos lugares do mundo tentando desvendar um segredo muito antigo que pode trazer a glória ou a destruição da humanidade, e como termina esta estória? Ai você terá que ler para saber.
A estória é incrível, muito envolvente e bem detalhada, um livro inteligente que mistura, aventura, ação, romance e até um pouco de comédia, além de trazer alguns fatos históricos de momentos pelos quais a humanidade já passou, se você gosta deste tipo de livro então irá amar e devorar O Enigma do Oito.
comentários(0)comente



Giro Letra 24/06/2011

O Enigma do Oito
O enigma do oito é um livro fantástico, que fascina o leitor do início ao fim. Fui obrigada a ler aos poucos e sempre era um martírio interromper a leitura, pois é um daqueles livros que você quer ler todo de uma vez.

A trama se desenvolve em torno do lendário Xadrez de Montglane, que, no século VIII, teria sido dado de presente a Carlos Magno por um governador muçulmano de Barcelona. Logo se percebe que não se tratava de um xadrez comum: além de seu tabuleiro ser inteiramente confeccionado em ouro e prata e suas peças, de metais preciosos, terem incrustações de safiras, rubis, esmeraldas e diamantes, há uma fórmula secreta escondida no Xadrez.

Leia a resenha completa: http://www.giroletra.com.br/2011/06/o-enigma-do-oito.html
comentários(0)comente



Só Sobre Livros 24/05/2013

O enigma sem pé nem cabeça
Confira resenha no blog http://sosobrelivros.blogspot.com.br/2012/06/o-enigma-sem-pe-nem-cabeca-carla.html
comentários(0)comente



Sil 03/01/2016

O Enigma do Oito
Eu li na minha adolescência e Nunca esqueci! Foi marcante! Me lembro ate hj, tenho ja quase 40.
Gostaria de reler!
Recomendo mto!
comentários(0)comente



40 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3