Twenty Boy Summer

Twenty Boy Summer Sarah Ockler




Resenhas - Twenty Boy Summer


11 encontrados | exibindo 1 a 11


Gabriela 23/06/2013

Essa e outras resenhas em www.maisumcapitulo.com
"“Não se preocupe, Anna. Eu vou contar pra ela, certo? Só me deixe pensar na melhor maneira de fazer isso”
“Certo”
“Promete? Promete que você não dirá nada?”
“Não se preocupe”, eu ri “é o nosso segredo, certo?”

De acordo com Frankie, a melhor amiga de Anna, vinte dias em Zanzibar Bay é a oportunidade perfeita para ter um romance de verão, e se elas conhecerem um garoto por dia, há uma grande chance de Anna ter seu primeiro namorado. Anna acaba concordando, mas há uma coisa que ela não contou para Frankie: ela já teve um romance, e foi com Matt, irmão mais velho de Frankie que sofreu uma morte trágica um ano atrás. Twenty Boy Summer explora o que significa realmente amar alguém, o luto e por último, como aproveitar o máximo de cada momento bom que a vida tem para oferecer"

Me dói escrever essa resenha. Eu juro que dói. E não pelos motivos certos.

A primeira vez que eu ouvi falar desse livro foi em uma resenha do Murphy’s Library, e isso foi lá em 2010. A resenha era toda elogios, e prometia muitas lágrimas e muitas emoções e muito drama e MEU DEUS EU PRECISO LER ESSE LIVRO!! Sem contar a capa, que vamos ser sinceros: é maravilhosa. Desde então, eu era louca pra ler esse livro, procurava em todas as livrarias e finalmente me rendi e encomendei online. Ufa!

Caso vocês não saibam, eu amo histórias tristes. Mortes, doenças, lágrimas... o que parece meio mórbido pra alguns é delicioso de se ler para mim. É, fazer o quê.

E eu queria tanto, mas tanto gostar desse livro... mas não deu. Não gostei, podem me julgar. Mas ok, vou explicar porquê.

Anna & Frankie & Matt são melhores amigos. Matt e Frankie são irmãos, e Anna é a vizinha. Assim, sempre fizeram tudo juntos, desde brincar de boneca até ler histórias escondidos à noite. E é no aniversário de quinze anos de Anna que as coisas mudam, quando ela assopra as velas de seu bolo pedindo para que seu melhor amigo Matt beije-a e o pedido se realiza. Eles engatam então numa espécie de namoro-que-não-é-namoro, aquele comecinho de relacionamento onde as coisas ainda estão engatando e o casal está se conhecendo e realmente apaixonado. Porém fazem isso escondido, uma vez que Matt tem medo que sua irmã sinta-se excluída ao saber que seu irmão e sua melhor amiga estão namorando. Matt faz Anna prometer que não contará nada a Frankie, deixando a tarefa para ele, que contará quando estiverem a sós na Califórnia, viagem que eles fariam dali a poucos dias. Um dia antes da viagem, porém, os três sofrem um acidente de carro e Matt não sobrevive, deixando Anna com um segredo enorme.

Mais de um ano depois a família de Frankie decide fazer a viagem para a Califórnia que foi adiada com a morte do filho, a fim de tentar se recuperar e seguir em frente, e chamam Anna para ir junto com eles. E então Frankie, que mudou muito sua atitude desde a morte do irmão, inventa o Twenty Boy Summer, ou o Verão dos Vinte Garotos, onde a proposta é conhecer vinte garotos diferentes para que Anna perca sua virgindade logo, uma vez que Frankie já perdeu a dela.

E foi aí, gafanhotos, que a história já começou a não me convencer. Achei a ideia um tanto quanto WHAT THE FUCK GENTE ISSO NEM FAZ SENTIDO E NEM É LEGAL mas ok, continuei lendo. E não melhorou.

Nada me convenceu na história. Nem os personagens, nem a atitude dos personagens (quero dizer, POR FAVOR. Da onde a autora tirou certas coisas??), nem nada. Em primeiro lugar, qual era o BIG DEAL em contar logo pra irmã que eles estavam se pegando? Onde isso é o fim do mundo? Eles não iam se casar nem nada, sabe, só estavam dando uns beijos, nada de mais. Mas ok, eu entendo, a Anna concorda em esperar o Matt contar para a Frankie quando eles estiverem a sós. E aí ele morre. E ela NUNCA fala. Tipo, por que, meu Deus? O argumento até faz sentido mas não foi desenvolvido pela autora. Sabe, ela podia ter dado motivos, do tipo ah, a Anna não contou porque estava com medo da reação da amiga, ou porque queria esquecer o que aconteceu ou porque SEI LÁ, sabe, mas a autora não deu motivo nenhum. Não explicou, e aí tem que ficar para o leitor deduzir, que é uma coisa que eu definitivamente não gosto em um livro. Na minha opinião o autor precisa deixar tudo bem claro, porque senão parece que ele esqueceu de explicar certas coisas e arghh. Eu odeio isso.

Isso foi outra coisa que eu desgostei no livro. Nada é descrito. Nem o que eles estão sentindo, nem o motivo de certas atitudes, nada. A única coisa que é descrita no livro todo é a praia. E como a praia é linda. E como a areia reluz e brilha nas pernas de Anna. E como o mar é azul. E blábláblá. A autora focou em descrever a praia e esqueceu de descrever todo o resto.

E acho que o principal motivo de eu não ter gostado do livro foi que eu não me identifiquei com nada porque não havia algo muito concreto com o que se identificar. Mesmo com a premissa triste não é um livro triste. Mesmo com a premissa de romance, não é um livro de romance. De um lado nós temos a morte do cara e do outro nós temos duas adolescentes querendo ter o melhor verão da vida delas. Sabe? Não encaixa, não combina, não faz sentido e o principal: não funcionou. A tristeza não me convenceu, pareceu superficial e não realista.

Mas de uma coisa eu gostei, e foi da curta relação que Anna e Matt tiveram. Era fofo e eles faziam coisas fofinhas. Mas foi tão curto que nem valeu a pena.

De qualquer maneira, eu recomendo que leiam o livro. Eu não gostei mas tem muita (MUITA) gente que gosta desse livro. Que ama. Que é apaixonada. Então dá uma chance, de repente você gosta. Sou só eu que sou chata e gosto de histórias que convençam (a verdade é que eu sou muito exigente, eu sei).

E eu volto a dizer: se tem outra coisa que vale a pena nesse livro é a capa. SÉRIO, GENTE, OLHEM QUE LINDA.
comentários(0)comente



Adriana Souza 01/05/2013

Como será a dor de perder prematuramente o amor? Juro que não quero conhecer! Mas foi isso que a pobre Anna teve que enfrentar aos 16 anos! Perder alguém que ela amava!
O pior é manter isso só pra ela, e não poder contar a amiga que por sinal, é irmã do carinha (Matt) que morreu.
Uma viagem perfeita de verão tinha tudo pra dá certo do começo ao fim, se não fosse as lembranças de Matt, uma vez que ela (Anna) viajou com os pais e a irmã dele, que não sabia do romance dos dois!
A estória vai se desenrolando muito bem,foi uma leitura muito boa!
Não tem como não se comover com Anna e seu sofrimento de não ter com quem desabafar e ter que sucumbir tudo sozinha! Pra mim, foi um dos poucos livros que me fez chorar com as últimas palavras do mesmo! Alegria, tristeza, amor, dor, segredos e mentiras são as palavras que definem e marcam a estória!
Recomendo!
comentários(0)comente



Eduarda 06/09/2012

"What would we see if they drained it like a giant bathtub?"
“Twenty Boy Summer”, título que eu achei uma graça, conta a história de Anna, uma adolescente de 16 anos que é apaixonada por Matt, irmão de sua melhor amiga Frankie. Em sua festa de 15 anos, Matt beija ela de surpresa e os dois começam um relacionamento às escondidas, com a promessa de que ele logo contará à irmã.
Por uma ironia do destino, na volta de um simples passeio cotidiano, Matt, Anna e Frankie sofrem um acidente de carro. Matt é o único que não sobrevive.
Um ano depois Anna continua ferida, sem poder extravasar sua dor. Frankie está mudada, rebelde, e ainda nem imagina que o irmão e a melhor amiga foram “algo a mais” no passado. Certo dia ela convida Anna para ir à praia: o tradicional passeio em família para o Zanzibar – pela primeira vez sem Matt. E aí inventa um desafio: conhecer vinte garotos (um para cada dia que elas passarão na praia) e fazer com que Anna perca a virgindade.

É, palmas pra Sarah Ockler por ter conseguido surpreender. Eu esperava algo muito ruim, confesso, mesmo com esse título bonito.
Adorei a forma como a autora escreve, as citações que o livro contém e os lugares fictícios que ela inventou. Tudo muito criativo.
É um livro muito gostoso de se ler (e rápido), cenários lindos pra você imaginar e personagens pra se identificar.
Quem procura algo bonito, despretensioso e que ensine alguma lição, precisa ler Twenty Boy Summer.
E uma coisa que me encafifou... como vocês traduziriam para o português? Eu senti uma dificuldade pra fazer um título legal, já que, como vocês devem saber: twenty = vinte, boy = garoto, summer = verão. Vinte Garotos no Verão? Verão de Vinte Garotos? rs Se algum dia for lançado no Brasil nós vamos ver como fica.

site: http://riscoserabiscosdaangel.blogspot.com.br/2012/09/resenha-ingles-11-twenty-boy-summer_6.html
Eduarda 09/09/2015minha estante
Sobre o título em português... na mosca! ;) rsrs




Biah @garotapaidegua 16/06/2012

[ Quinta Em Outra Língua #11 ] Twenty Boy Summer - Sarah Ockler
*Resenha originalmente postada no blog Garota Pai D'égua (www.garotapaidegua.com), na coluna do título.

Anna, Frankie e Matt são amigos desde crianças, e há muito que Anna é apaixonada por Matt. No dia de seu aniversário de 15 anos, ao soprar a vela do bolo, ela repete o pedido que tem feito desde que se apaixonou por Matt, aos dez anos: que Matt finalmente a beije. Depois da guerra de bolo que Matt iniciou, os dois vão à cozinha se limpar, e então o desejo de Anna se torna realidade, num beijo que a fez esquecer de tudo e transformou Matt em algo mais que um amigo. Mas Matt prefere contar ele mesmo à Frankie sobre isso, da melhor maneira possível, e assim eles vivem durante um mês um romance secreto. Pena que ele não tem chance: um falha em seu coração escolheu se fazer notar durante um passeio de carro, e Matt não sobreviveu ao ataque cardíaco.

Um ano depois, Anna ainda mantém sua promessa e guarda o segredo de seu amor por Matt,sofrendo em silêncio. Frankie está mudada e propõe um desafio: conhecer vinte garotos nos vinte dias que passarão na praia, para Anna poder finalmente ter seu primeiro romance. Mal ela sabe...

Ai gente, eu chorei silenciosamente durante a maior parte desse livro. Ele é lindo e é quase impossível não sentir empatia pelos personagens. Eu me coloquei no lugar de Anna e foi como eu sentisse a dor dela, a mágoa pela injustiça, por não ter podido viver seu amor por Matt, por não poder demonstrar seu sofrimento e ter que fingir ser forte na frente dos outros. Agora mesmo, ao escrever essa resenha, eu começo a lagrimar.

Já seria muito sabe, para um menina de quinze anos perder seu melhor amigo em um acidente assim, mas é muito mais difícil por causa de tudo que eles se tornaram uma para o outro em tão pouco tempo e principalmente por ter perdido a oportunidade de ser feliz com ele. Anna pensa em muitos 'ses': e se eles não tivessem ido à sorveteria? E se elas não tivessem desejado sorvete em primeiro lugar? E se eles não estivessem tão alegres no carro? Será que o coração de Matt teria durado mais? Será que ele teria uma chance de estar com ela agora?

Passam muitas coisas na cabeça de Anna: culpa, remorso, dor ,saudades, e é realmente muito tocante acompanhar essa período de sua vida. A autora escreve de tal maneira que em certo ponto estamos revoltados e comovidos a ponto de culparmos o próprio Matt e até o Deus das estórias. Frankie também tem sua grande parcela de dor e sofrimento para lidar, e é essa jornada das duas amigas através do sofrimento da perda de alguém que elas amavam muito que nós acompanhamos nesse livro.

É um jornada triste e dura, mas que traz muitas reflexões sobre a vida, a oportunidade que nos foi dada de viver enquanto tantos outros estão morrendo, e o que nós devemos fazer com essa oportunidade. Será lançado no Brasil pela Novo Conceito, e eu espero sinceramente que seja logo, pois quero muito poder comentar a estória com outras pessoas. Vou terminar com uma frase de outro livro:

"A vida me ensinou a dizer adeus às coisas que amo, sem tirá-las do meu coração." (Harry Potter - JK Rowling)
comentários(0)comente



AndyinhA 08/04/2012

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

Anna é do tipo certinha, que anota tudo, a que anda na linha. E jura que nunca vai esquecer o amor que tem por Matt, mas também não pode contar a Frankie, porque Matt pediu segredo e a coisa ficou presa dentro dela. Na casa de praia, quando Frankie propõe das duas conquistarem 20 garotos durante o verão, o mundo de Anna se abre, quebra em mil pedaços e depois todos eles se juntam.

Finalmente um livro para qualquer idade, mesmo a mocinha tendo 16 anos, vale para quem tem 5 ou 35, ou até mesmo 80. Quem nunca sofreu por amor? E como lidar com esse sentimento, principalmente quando quem nós amamos partiu de uma forma tão trágica.

Durante o verão, as duas vão ter conflitos e conhecer pessoas novas, um novo amor surge, e de repente fica aquela sensação, será que vou esquecer do Matt? Anna não está sabendo lidar com a amiga, nem com os pais dela. Na verdade, ela mesma também não consegue lidar com nada.

Para saber mais, acesse: http://migre.me/8AMnv
comentários(0)comente



Juliana 06/08/2011

Leitura agradável
Gostei bastante do livro, mesmo que em algumas partes o sofrimento da protagonista tenha me enchido o saco.

A história é basicamente sobre Anna, uma garota comum que é apaixonada pelo irmão da melhor amiga, e os três são muito amigos. No primeiro capítulo é mostrada a festa de aniversário de Anna, nessa mesma festa ela consegue seu desejo (que segundo ela mesma tem sido o mesmo há muito tempo), conseguir um beijo de Matt, irmão de Frankie. Os dois iniciam um romance secreto, que dura mais ou menos um mês, e a pedido de Matt, Anna não conta a ninguém que os dois estavam juntos, nem mesmo para Frankie. Matt queria contar primeiro. Mas Matt morre, e Anna fica com toda a dor que sente dentro de si sem poder desabafar com ninguém. Um ano após a morte de Matt, Anna vai passar as férias com a família despedaçada de Frankie, e nessa viagem tudo acontece, é uma montanha russa de sentimentos.


Li em uma tarde o livro todinho. A história é muito bonita, e ao longo do desenvolvimento dela vemos o amadurecimento das duas protagonitas e dos demais personagens, e aprendemos junto com eles como superar algumas dificuldades da vida.

A capa é linda e depois que você lê o livro vê que ela é perfeita!

Para quem se interessou, boa leitura.

“Nothing ever really goes away — it just changes into something else. Something beautiful.”
comentários(0)comente



Iris Figueiredo 21/07/2011

Mais resenhas em: www.literalmentefalando.com.br
Anna, Matt e Frankie são amigos há muito tempo e fazem tudo juntos. Há um porém: Anna é apaixonada por Matt, mas preza tanto sua amizade com ele e Frankie que tem medo que ele descubra seus sentimentos, ainda mais que Matt e Frankie são irmãos e ela também tem medo da reação da amiga. Mas então, o inesperado acontece: ele corresponde os sentimentos de Anna e a beija em seu aniversário. Mas ambos não sabem como contar isso para Frankie e acabam montando um plano: Matt contará tudo para irmã assim que viajar com ela para as férias de verão na Califórnia. Só mais um mês e Anna poderá espalhar para o mundo que ela e Matt estão apaixonados... Só mais um mês... Mas antes disso, ele morre em um acidente de carro.
Anna perde o chão, assim como Frankie. Todos são consumidos pelo luto e pela tristeza e assim, ela guarda seu segredo com Matt. O único segredo que ela mantinha oculto de Frankie não pode ser revelado e Anna também guarda a tristeza da perda para si. Um ano passou desde o acidente e muita coisa mudou. A família de Frankie quer voltar à casa de praia que sempre iam quando Matt estava vivo e convidam Anna. Frankie propõe um desafio: que elas saiam com vinte garotos naquele verão. Anna só pensa em Matt - e em como tão distante de casa tudo pode lembrar a respeito dele ao mesmo tempo que tudo parece conspirar para que ela o esqueça.
Twenty Boy Summer é sobre muitas coisas: amizade, amor, recomeços, perdas... Tudo isso em uma atmosfera delicada e bem narrada. Anna, Frankie e até mesmo Matt - que grande parte do tempo só aparece idealizado pela lembrança de Anna - são reais. Os personagens são repletos de qualidades e defeitos, medos e esperanças... Não tem como não se comover com a situação deles na história.
Anna é uma excelente amiga e Frankie é alguém que está quebrada e precisa de cuidados extremos. Ambas estão, mas Anna tenta demonstrar força enquanto Frankie é o tipo extremamente frágil do elo, fazendo besteiras para que alguém note que ela precisa de ajuda. Enquanto isso, Anna tenta ajudar a todos ignorando a própria necessidade de confessar que nada está bem.
O foco não é todo no relacionamento que Matt e Anna tiveram. Na verdade, eu acreditava que fosse falar mais sobre eles. Mas Sarah consegue inserir até uma nova paixão na vida de Anna e tratar sobre como amamos pessoas diferentes de modos diferentes, mas com a mesma intensidade.
Eu gostei muito da história e me tocou bastante, mas não tanto quanto eu esperei que fosse. Acho que a parte que mais me emocionou foi a amizade entre Frankie e Anna, que era forte mesmo nos momentos frágeis e que soube superar os problemas que surgiram - inclusive mentiras e outras coisas que acabam facilmente com algumas amizades. Eu já disse o quanto sou manteiga derretida para amizades e isso foi o que realmente me fez chorar. Acho que por isso escolhi resenhar esse livro no dia do amigo.
Esse é um daqueles livros com milhões de mensagens e você "escolhe" a que mais te toca no momento. Twenty Boy Summer é doce e bom para pensar um pouco sobre nós mesmos.
comentários(0)comente



Murphy'sLibrary 19/01/2011

Eu queria perguntar pra Maeva se podíamos criar uma classificação de 6 livros só pra esse livro.

À primeira vista, eu me apaixonei pela capa. A fonte, o coração, as cores. É, eu me envolvi. Aí eu li a sinopse e me ferrei. Eu quis o livro e quis o mais rápido possível. Me inscrevi em muitas promoção do movimento Speak Loudly e finalmente, finalmente, quando pensei que todos os vencedores já tiram sido anunciados e estava indo comprar o livro, Natalie me enviou o email.

Twenty Boy Summer chegou quase um mês depois desse email. Se ferra aí, lista de livros a serem lidos. O livro de Sarah Ockler passou na frente de todos vocês. E eu não me arrependo.

Não vou contar o livro, sei que muitas pessoas que lêem o blog querem lê-lo, então não vou estragar nada. Mas vou citar o que me fez amá-lo.

- Eu senti tudo que os personagens sentiram
- Eu chorei. Para um livro me fazer chorar, precisa me balançar
- A narrativa é intensa e única. Eu nunca li algo similar, que me deixasse tão presa, como se meus olhos não se movessem rápido o bastante
- Eu lembrei de muitas coisas, me senti como Anna. Senti a dor dela. E entendi o livro de uma maneira que nunca entendi outro livro

É. Foi uma experiência pessoal que nenhum livro me proporcionou até hoje, e vai ser um livro do coração para sempre. Leiam isso, leiam mesmo. É uma história de amor. É uma história de risos. É uma história de choros. É uma história de vida, umas das melhores. É, essencialmente, um livro sobre seguir em frente. Deixar o passado ir e se concentrar no presente. Não no futuro, o futuro a gente deixa chegar, aceitar o presente é a pior parte. É um livro sobre perder o primeiro amor—e acreditem, dói para caramba. Já aconteceu.

Então, se você ainda não se convenceu, vou deixar um quote para explicar. É um quote lindo, que passa o sentimento do livro.

“Ele sempre será parte de mim—só que de um jeito diferente.” … “Como as estrelas, desaparecendo no arco iluminado da lua que some. Como o oceano, caindo e sussurrando contra a praia. Nada realmente se vai—só muda para algo diferente. Algo lindo.”
comentários(0)comente



Nii. 24/12/2010

Anna, Frankie e Matt são amigos de infância. Anna é Vizinha dos irmãos Matt e Frankie e eles são inseparáveis desde pequenos. Anna nutre uma paixão por Matt, mas sempre deixou esse sentimento adormecido. Tudo muda em um aniversário de Anna, ela e Matt descobrirão o amor de um pelo outro e viverão um lindo amor de verão.

Mas... *Por que sempre tem que ter um “mas”?*,um trágico dia mudará tudo. Matt morre e Anna terá que viver com esse amor em segredo e com a difícil realidade em que se encontra: a perda de um amigo, de um amor.

Um ano vai passar e um novo verão vai chega, mas as lembranças e a promessa continuam junto a Anna. Ela poderá conviver com isso para sempre? E a amizade sem segredos entre ela e Frankie, onde fica?
Frankie vai propor um “Boy contest” durante a viagem em família das duas (Daí o nome do livro, Uma aposta de encontrar 20 garotos no verão), mas como Anna pode dizer a Frankie que já viveu esse amor de verão e com o irmão dela?

Bom, sou muito emotiva e “Twenty Boy Summer” é daqueles livros emocionantes, então foi a junção bombásticas! Chorei muito e fiz várias paradas para retomar o fôlego!

O livro fala sobre amizade, amor e superação. É daqueles YA que tem uma leitura leve com partes divertidas, mas acima de tudo marcam pela mensagem que deixam e fazem você refletir.

Quando li a sinopse eu fiquei muito curiosa sobre como a autora iria desenvolver a idéia e se eu iria gostar dela, porque uma relação que já está predestinada a ser interrompida? #Dificil. Mas, o Livro é tão bem escrito. Fiquei emocionada com cada parte, cada trecho, cada lembrança que Anna tinha de Matt, cada conversa entre os dois! O livro é perfeito! Só de lembrar eu já estou chorando, sério.

E ao longo da história o leitor entende o significado de cada detalhes da capa! *Achei isso tão lindo* As pedrinhas azuis e a única vermelha? Tem que ler para saber.

O livro é uma experiência única e marcante. “Twenty Boy Summer” está, sem dúvida, no rol do livros inesquecíveis.


Mais em:http://fazparte-ni.blogspot.com/

Natiii 14/01/2011minha estante
Muito boa sua resenha.Fiquei intrigada com esse livro,adoro quando os livros nos fazem refletir e nos emocionam.


Nii. 22/12/2011minha estante
Livro lindo viu =0


Jéss Precioso 23/06/2012minha estante
Chorei tanto já, e nem acabei o livro rsrsrs


Debbie 24/07/2012minha estante
Comprei meu livro e ainda não chegou...enquanto isto, fico me deliciando com sua resenha. Pelo que vi de outros comentários, acho que devo colocar meus lencinhos por perto. Rsrsrsrs. Bjão




Sofia 30/10/2010

Twenty Boy Summer
Esta resenha tem um pouquinho de spoilers.

Nothing ever really goes away - it just changes into something else. Something beautiful.

Anna e seus vizinhos, os irmãos Matt e Frankie são melhores amigos há mais tempo que Anna consegue se lembrar e ela é apaixonada por Matt. No seu aniversário de 15 anos, Matt e Anna se beijam e começam a se encontrar secretamente, porque Matt tem medo que sua irmã não aceite a relação. Ele contaria na próxima viagem que todos fariam com a família de Matt e Frankie à California. Mas este dia nunca chegou, Matt teve um problema no coração enquanto dirigia. Todos sofreram um acidente e Matt morreu.
Um ano depois Frankie passou a ser toda "errada", fumava escondido, não ligava pra escola, só para garotos e supostamente perdeu a virgindade com um intercambista Alemão que ela nem conhecia direito (ou gostava). E Anna, sofre sozinha a perda de Matt, sem poder contar a ninguém. Ela só escreve cartas à ele, no diário que ele a deu no seu aniversário de 15 anos...
A família (e Anna) resolve ir para California no verão e Frankie tem uma ideia para encontrar o cara ideal, de conhecer 20 garotos nesses dias em que estiverem por lá e escolher o melhor. Em um desses dias elas conhecem Jake e Sam. Frankie fica com Jake e Anna se interessa por Sam, não consegue parar de pensar nele. Elas saem escondidas todas as noites pra encontrá-los e quando Frankie diz que quer dormir com Jake, Anna tem uma ideia pra que eles possam passar a noite juntos, mas na verdade ela que acaba ficando com Sam e Frankie lê seu diário e decobre seu segredo.

Eu adorei o jeito que Sarah Ockler escreve, meu coração se quebrou nos primeiros capítulos e na forma como ela descreve Matt e como Anna sente saudades e o jeito que ela fala e escreve pra ele, como se ele estivesse a ouvindo. Eu só achei que ela apressou muito as coisas com Sam, achei que a Anna se apaixonou muito rápido e "esqueceu" Matt, já que no começo do livro tudo que ela fazia era pensar nele. E quando ela está com Sam, ela simplesmente apaga as memórias de Matt. Não acho que seja assim tão fácil esquecer alguém que você ama desde sabe-se lá quando. Mas mesmo assim eu me apaixonei por Sam, pelo jeito dele, por tudo.
Achei que o livro dá esperanças sobre tudo e foi muito bem escrito. Vale muito a pena ler. 4/5
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR