Grande Magia

Grande Magia Elizabeth Gilbert




Resenhas - Grande Magia


34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


relosilla 13/12/2015

Sobre um eu
Livro bom para se conhecer mais. Para olhar dentro de si, descobrir ou relembrar sonhos, desejos, vontades.

Em determinados momentos a autora parece que se perde, que fica muito na mesma tecla. Mas na maior parte da leitura é como se estivéssemos sentados conversando com ela.

Um livro ótimo para quem está perdido, sem rumo, ou apenas querendo saber mais.
comentários(0)comente



Mayra Severo 22/01/2016

Inesperado
Nunca li um livro da Liz Gilbert. Estou falando de Comer, Amar, Rezar, que nunca tive o interesse em ler, uma vez que vi o filme e me dei por satisfeita.
Mas Big Mágic caiu sem querer no meu colo e eu nem esperava uma autoajuda. Tinha certeza que encontraria uma história de amor fofinha.
Mas não. De uma forma tão direta e racional ela fala da criatividade e da produção criativa. Situa a importância da criação em nossa vida, como salvadora. E desmistifica o sucesso, o perfeccionismo e, principalmente, a perfeição. Na realidade, o que importa é criar, independente se será uma obra prima ou não.
Para mim, serviu. Está servindo, pois ainda não terminei. E estou prolongando o máximo que posso para aproveitar cada texto.
Espero poder aplicar cada conselho na minha criação pessoal. E que eu nunca esqueça que eu sou o que crio não o que acontece no horário comercial.
comentários(0)comente



P. 01/03/2016

Em Grande Magia, Liz nos faz um convite...
Um convite para abandonar nossos medos, nossas inseguranças e colocar a mão na massa. Desligar o ego também faz parte do processo. Ao longo das (quase) 200 páginas, a autora descreve o que acredita ser a criatividade, de onde vem a inspiração e relata exemplos com histórias inspiradoras – dela mesma, de amigos, de gente que ela nunca viu e também de gente famosa que já morreu.

“O que é a criatividade?
É o relacionamento entre um ser humano e os mistérios da inspiração.”

De acordo com Elizabeth, viver criativamente é viver uma vida mais motivada pela curiosidade do que pelo medo (falando de uma maneira mais ampla). Durante as primeiras páginas do livro, ela nos apresenta o medo nú e crú.

“(…) o medo é um instinto muito antigo e vital em termos evolutivos…
mas não é algo particularmente inteligente.”

O medo nos trava, grita incansavelmente “PARE” em nossas cabeças. Embora necessário como instinto de preservação e sobrevivência, no campo da expressão criativa ele deve ser silenciado. O medo odeia incertezas, e a vida criativa traz muitas incertezas. É humano sentir medo, mas precisamos aprender a lidar com ele. Liz nos encoraja a ir além do nosso medo – já que ele faz parte da vida criativa. O importante é não deixar que ele nos trave.

Mergulhando mais na leitura, entramos na parte do encantamento.

Liz acredita que o nosso planeta é habitado, também, por ideias. Estas são uma forma de vida energética, incorpórea. São completamente separadas de nós, mas capazes de interagir conosco. Têm consciência, vontade própria e são movidas por um só impulso: o de se manifestar. E a única maneira pela qual uma ideia pode se manifestar no nosso mundo é por meio da colaboração com um parceiro humano.

Na boa, esse é um pensamento muito divertido. Imaginar a ideia como um ser que possui vontade própria é libertador. Em vez de se culpar quando acontece um bloqueio criativo, você pode simplesmente dizer “Hey, eu compareci para o trabalho, mas se você quer o dia de folga, sem problemas. Quando estiver disposta a colaborar, estou aqui.”

Adorei essa ideia. Inclusive já personifiquei na imaginação a minha criatividade. Sabe, pra ficar mais fácil bater um papo. Assim evito ficar falando com as paredes.

Depois, seguindo o rastro do pó magico, chegamos na parte da permissão.

“Buscamos aquilo que é interessante e novo porque gostamos do interessante e do novo.”

Para ter uma vida mais criativa, basta se permitir. Criar, produzir, faz parte do que somos como um todo. E se o que você quer é criar algo absolutamente absurdo, crie. Você não precisa de um motivo para criar além da vontade. Você não precisa que a sua ideia tenha utilidade, ela só precisa nascer. (Até porque, convenhamos, mais uma inutilidade do mundo não vai fazer diferença, então desencana.) E talvez, só talvez, a sua criação acabe sendo algo incrível para você, para alguém, para a sua vizinhança… Vai saber. Apenas crie. Faça por pura diversão.

Gostei dessa dose extra de incentivo na minha vida criativa.
Obrigada, Liz.

site: http://www.coracaoboemio.com/corte-de-leitores-e-livros-grande-magia/
comentários(0)comente



Ká - @shotdaspalavras 01/08/2018

Descubra a criatividade
Soube deste livro através de uma amiga, mas a princípio não me chamou muita atenção.
Foi então que eu assisti alguns vídeos do Murilo Gun (humorista palestrante, empreendedor e amante dos livros), onde ele fala muito bem do livro. Dei uma chance e comecei a ler, e me surpreendi bastante.
Este livro acabou me chamando a atenção pelo fato de que eu nunca me achei uma pessoa tão criativa, mas através desta leitura percebi que sou criativa sim, mesmo que em pequenas coisas, diariamente!
Falando um pouco sobre o livro...
Elisabeth Gilbert reforça que você não precisa ser um grande empresário ou alguém famoso que teve uma ideia revolucionária. Você precisa e deve ser criativo nas pequenas coisas: para desenrolar uma situação complicada no trabalho, resolver um problema de família, entre outros. E por este motivo, não temos que ter medo. Pense assim: nossa passagem pela terra é temporária, então por que não arriscar?
Grande Magia é uma leitura sobre criatividade, coragem, energia e descobertas.
comentários(0)comente



Stéfhanie 03/02/2017

Para quem vive uma vida criativa (rentável ou não), ele é como uma injeção de ânimo, pois a autora conta um pouco da sua trajetória, experiências suas e de amigos, além de diversos momentos bons e ruins que a ajudaram virar uma grande escritora - e ela ralou muito! O mais legal é que mesmo que se refira à criatividade literária, ela acaba se encaixando em qualquer que seja sua profissão/vocação/hobbie criativo. Gilbert me ajudou muito a enxergar e compreender a Grande Magia (vulgo criatividade) como uma aliada e parceira pra uma vida criativamente falando: leve e feliz.

O livro é bem curtinho e quase um bate papo. Nesses momentos de descoberta, parecia de Elizabeth me servia uma xícara de café e falava "vemk, miga, vamos conversar".

site: www.nossorelicario.com
comentários(0)comente



Jen. 29/11/2018

Como amar a arte dentro de ti
Este livro ouso dizer que deu uma salvada na minha autoestima de artista. Uma amiga de comunidade de arte me indicou esse livro quando tava meio desanimada e ao terminar de le-lo, me sinto muito diferente sobre o que é produzir arte pro mundo de hoje, ser compreendida com isso, mas não sofredora, mas não rígida... O que me melhor me ensinou é sobre prostituição da arte, quando estamos realmente prostinuando o que criamos, e quando não estamos, mas achamos que estamos.
Livro incrível! Engraçado de ler e passa um confiança com muitas coisas a se pensar! É pra ter sempre na estante, na minha opinião!
comentários(0)comente



Elaine Miranda 11/12/2018

Um bate papo encorajador
Embora alguns conceitos já tivesse lido em outros livros, "A Grande Magia" me proporcionou uma reflexão interessante acerca de empregar leveza na realização dos meus projetos. Uma leitura leve, quase um bate papo com a autora que te convida a se livrar do perfeccionismo e do medo que ele esconde, para dar lugar ao desprendimento e a criatividade, como forma de fluir seu processo criativo.
comentários(0)comente



Gabi Teixeira 27/07/2016

Leitura leve
A leitura é leve, rápida...
Apesar de conhecer pouco da autora (somente a história do filme que foi inspirado no livro Comer, Rezar e Amar), me surpreendi positivamente.
Através de exemplos da sua vida ou de conhecidos, ela explora uma visão interessante sobre o relacionamento de cada pessoa com a criatividade, mostrando que ao deixar o processo criativo livre e sem obrigações, as boas ideias vem e vão de forma que o sucesso será consequência. Vale para todos que buscam aprofundar no tema, independente de escrever ou não.
comentários(0)comente



stéphani 05/01/2017

Um bom livro para se ler no início do ano pra dar um gás.
Elizabeth ficou conhecida pela grande sucesso de Comer, Rezar e Amar. Nunca li o livro e não conhecia a escrita da autora, mas depois de ler Grande magia, com certeza vou procurar saber mais sobre os trabalhos dela.
No início fiquei com receio de cair no clichê de mais um livro auto-ajuda, mas não foi esse o caso. O livro me surpreendeu de maneira positiva e particularmente, acredito ser uma ótima opção para iniciar as leituras de ano novo mais renovada.

Grande magia é dividido em seis partes: Coragem, Encantamento, Permissão, Persistência, Confiança e Divindade. Em que a autora expõe histórias inspiradoras de como podemos abraçar a nossa curiosidade e nos entregar a fazer aquilo que amamos, mas que acabamos por vezes postergando.

A leitura se desenrola de maneira tão simples e dinâmica que é uma delícia de se ler! A todo momento Elizabeth parece estar conversando com o leitor e abre o jogo sobre diversas de suas visões e decisões de maneira super honesta.

O livro ensina de uma forma leve e totalmente despretensiosa como podemos se livrar do medo de ser criativo e como persistir em busca dos seus sonhos. Usando seus aprendizados e como eles a incentivaram, a autora faz uma analogia com diversas profissões e mostra como não é preciso ser artista para aplicar os conceitos do livro na vida profissional.
Fiquei pensando por um tempo em tudo o que li. Com certeza o livro me abriu os olhos para estar mais preparada para desafios e sair da minha zona de conforto. Muitas vezes acabamos escolhendo aquilo que nos é mais prático mesmo que não seja aquilo que realmente queremos para nossas vidas e Grande magia mostra como passar por isso é totalmente natural, mas que através de uma participação ativa e entrega podemos se libertar de nossos medos e colocar a mão na massa sem desculpas!
comentários(0)comente



SMiletic 18/09/2016

Aprendendo a olhar mais para si mesma
"Os tesouros escondidos dentro de você estão esperando que você diga sim." É essa frase que encerra o livro de Luiz Gilbert que deveria ser sobre ser um escritor, mas a grande verdade é que ele fala de você ser criativo em sua vida das mais diferentes maneiras - confesso que eu não enxergava como demonstração de criatividade muita coisa do que via a minha volta ou mesmo fazia. Liz conta muito de sua vida, de seus fracassos e de seu sucessos insuspeitos. Mas o que ficou para mim foi a confirmação de que fazer, mesmo imperfeito, sempre será melhor que não fazer. Que quando algo da errado, devemos seguir em frente. Recomendo a leitura mesmo para quem em sua vida pessoal ou profissional não se vê como uma pessoa criativa.

site: https://www.instagram.com/p/BKUQNtah8nJ/?taken-by=smiletic
comentários(0)comente



Laíza 13/12/2017

Tutorial ao estilo Elizabeth
Os livros da Elizabeth Gilbert, no geral, são gostosos, simples, mas com doses certas de profundidade. Tudo isso faz suas leituras serem sempre boas escolhas, principalmente, pra quando se quer algo leve, mas não descartável.
Este, em especial, é um livro para artistas e está cheio de conselhos e testemunhos da autora. Gostei da abordagem, da maneira mística como trata o tema, o que o distancia dos gêneros de autoajuda, redundantes e simplistas.
"A grande magia" deve ser lido despretensiosamente. Não espere a profundidade de "Comer, rezar, amar", nem a informatividade histórica e cultural de "Comprometida". É mais simples do que isso e talvez decepcione aos grandes fãs da escritora. Não se trata, todavia, de um livro ruim. Aliás, dificilmente, Elizabeth Gilbert escreveria algo de má qualidade.
comentários(0)comente



Giselli 26/08/2016

Leitura fácil
Elizabeth consegue através do livro incentivar o leitor a acreditar em si mesmo e apostar em suas ideias. Ela descreve diversos casos de conhecidos e dela em que não mera coincidências aconteceram, mas sim a "Grande Magia" que nos cerca conseguiu realizar uma conexão entre as pessoas.

Ótima leitura, não supera o "Comer, rezar, amar", mas ainda assim é muito bom.
comentários(0)comente



09/09/2018

Esperava mais.
Tinha grandes expectativas quanto a este livro, pois foi uma indicação de uma amiga muito querida, porém as mesmas não foram atingidas. Acredito que deve ser apenas um caso de incompatibilidade, afinal, é um livro bom, a escrita é inteligente. Achei um pouco cansativo para ser sincera e sem um desenvolvimento fluido, foi como se eu estivesse travando na leitura. Ele é repleto de inspiração e criatividade, porém não me atraiu.
comentários(0)comente



Biahhy 23/06/2018

A Grande Magia e a Criatividade
Depois de muito tempo finalmente li agora da autora Elizabeth Gilbert que eu já sabia que iria gostar mas não esperava que tanto e que fosse me identificar tanto. Esse livro foi muito indicado pela @apamgoncalves por falar da criatividade e essa questão da escrita e como ter uma mente criativa e em todos os âmbitos de nossa vida.

Grande Magia foi um livro que abriu muita portas e reflexões para mim sobre produção de conteúdo, escrever livros, sobre o próprio ato de escrever e da criatividade em si e esse medo da Grande Magia. Em breve um post no blog mais detalhado sobre o livro e minha opinião sobre ele. Mas já indico muitíssimo de ante-mão e quero ler tudo dessa autora!!!!

site: http://emmeioacalmaria.blogspot.com/2018/08/dica-de-livro-grande-magia-de-elizabeth.html
comentários(0)comente



Brubs 11/09/2018

Criativos,leiam este livro, por favor!
Eu o li quando estava passando por uma crise criativa e encontrei nele vários "spoilers" do que poderia fazer. É uma escrita fácil de entender, tira algumas risadas sobre sua própria estagnação, faz você refletir sobre seus medos e, também, sobre seus preconceitos artísticos.
Enfim, um livrão que precisa ser lido ao menos uma vez na vida se você trabalha com sua criatividade e, às vezes, é assolado pelo "medo" que pode vim transvestido de várias "fantasias".
comentários(0)comente



34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3