A Desconhecida

A Desconhecida Peter Swanson




Resenhas - A desconhecida


53 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



sweetillusionss 22/09/2018

FINAL DECEPCIONANTE
nada de interessante a declarar
comentários(0)comente



Kelly 12/08/2018

Uma das metas de 2018 para mim é desencalhar aqueles livros que estão na prateleira ah mais de um ano, e apesar de desconhecida não ser o mais velho, ele está no pacote. Ou seja, durante o ano, vocês que acompanham o blog vão ver resenhas de alguns livros antigos por aqui.

Em a desconhecida vamos conhecer George Foss, uma homem de 40 anos, com uma vida comum e até tediosa, George vive em relacionamento meio fadado ao fracasso, entre um vai e vem inconstante com Irene, uma antiga colega de trabalho. Gerente de negócios de uma editora que anda mau das pernas, ele até possui uma vida confortável, almas vive preso a um amor do passado, uma garota que simplesmente sumiu sem deixar rastros.

Numa bela noite, depois de anos buscando pelo rosto de Lilian em outras mulheres na multidão, George enfim a encontra em um bar. Mas nada é por acaso, Lilian foi atrás dele e precisa de um favor. Depois de ter um caso com um magnata casado e ser passada para trás, ela rouba seu amante, e agora correndo risco de vida, pede que George devolva o dinheiro afim de ter sossego. George movido pelo coração aceta ajudada-lá, mas o que ele não sabe é que está se metendo em um plano muito mais complexo do que apenas a devolução de 500 mil dólares.

George sem dúvida alguma é para mim o personagem mais panaca da literatura, calma que vou explicar porque, quando George conheceu Lili na época da escola ela se chamava Audrey, e depois das férias de Natal a mesma é dada como morta, quando ele resolve fazer sua parte e visitar a família de sua namorada de curto prazo ele descobre que a menina que morreu não era a que ele conheceu na faculdade.

"Liana podia se tornar outra pessoa, e, com a mesma facilidade, podia matar o que havia se transformado, eliminando quem quer que aparecesse em seu caminho."

Só por isso você já tira que a mulher é barra pesada, mas mesmo, por algum motivo descabido que desconheço ele aceita devolver esse dinheiro, e no dia seguinte descobre que o magnata foi assassinado, e ele foi o último a vê-lo vivo. Agora sua vida corre perigo e ele nem sequer sabe porque.

George me irritou de uma forma profunda, Lilian pelo contrário é uma mulher esperta que sabe o que quer e não vai medir esforços pra isso, mesmo que tenha que se utilizar da bondade de um ex namorado. Desde o momento que ela aparece já é notável que ela não tem boas intenções, mas George levou metade do livro para se tocar disso, e por mais que no final ele tenha entendido a jogada da sua ex e até se tornado astuto, a merda já estava feita.

E por falar em final, o autor terminou o livro de uma forma abrupta. Depois de criar um personagem que de tão inoscente beirava a imbecilidade, ele simplesmente pois fim a trama deixando o leitor com um gigantesco ponto de interrogação é um enorme WTF!!!!

Apesar de tudo isso, meus pontoais positivos ficam na narrativa que prende o leitor, afinal é inacreditável que ele seja capaz de tal asneira, e ele acredita tanto em Lili que deixa o leitor em dúvida se ela está ou não envolvida no assassinato, sendo assim não resta alternativa a não ser ler até o final. Além disso a trama é narrafa entre passado e presente, mostrando ao leitor como Lili passou a perna nele na primeira vez e como isso volta a se repetir no presente.

A narrativa do autor é fluida e a trama tem Coêrencia, os planos são bem arquitetados e tudo é bem desenvolvido, não existe ponta solta, apenas uma mulher misteriosa e um homem inoscente ao extremo. Quando enfim George descobre o plano até eu fiquei admirada, a mulher era realmente inteligente e George finalmente acordou para a vida.

Apesar de não ser o melhor suspense que já li, a desconhecida foi uma leitura boa, não ótima, mas agradável, e a protagonista me fez lembrar de Amy, a personagem de A garota exemplar, mulher que se tornou minha ídola pela astúcia e inteligência.

Ou seja se curti um suspense leve, com mulheres espertas esse livro é para você, uma leitura rápida, leve e daquelas que te prende, mas passa rápido.

site: http://www.paraisodasideias.com
comentários(0)comente



Maíra Batista 15/06/2018

Final decepcionante
Eu gostei muito do livro, a escrita é muito fluída, os personagens são muito reais e a trama em si é muito boa.

Mas o final dele deixou muito a desejar, parece que foi escrito com pressa e com preguiça de dar um desfecho decente para a história, muitas coisas não foram explicadas/resolvidas acho que se tivesse uma continuação com todas as respostas eu ficaria feliz mas acredito que não seja esse o caso.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Roseane 14/08/2018minha estante
Tb achei que faltou um final mais esclarecedor mas gostei bastante.




Guilherme.Silva 19/04/2018

Legal, o autor só esqueceu do final. ?
comentários(0)comente



Paraíso das Ideias 04/04/2018

Uma das metas de 2018 para mim é desencalhar aqueles livros que estão na prateleira ah mais de um ano, e apesar de desconhecida não ser o mais velho, ele está no pacote. Ou seja, durante o ano, vocês que acompanham o blog vão ver resenhas de alguns livros antigos por aqui.

Em a desconhecida vamos conhecer George Foss, uma homem de 40 anos, com uma vida comum e até tediosa, George vive em relacionamento meio fadado ao fracasso, entre um vai e vem inconstante com Irene, uma antiga colega de trabalho. Gerente de negócios de uma editora que anda mau das pernas, ele até possui uma vida confortável, almas vive preso a um amor do passado, uma garota que simplesmente sumiu sem deixar rastros.

Numa bela noite, depois de anos buscando pelo rosto de Lilian em outras mulheres na multidão, George enfim a encontra em um bar. Mas nada é por acaso, Lilian foi atrás dele e precisa de um favor. Depois de ter um caso com um magnata casado e ser passada para trás, ela rouba seu amante, e agora correndo risco de vida, pede que George devolva o dinheiro afim de ter sossego. George movido pelo coração aceta ajudada-lá, mas o que ele não sabe é que está se metendo em um plano muito mais complexo do que apenas a devolução de 500 mil dólares.

George sem dúvida alguma é para mim o personagem mais panaca da literatura, calma que vou explicar porque, quando George conheceu Lili na época da escola ela se chamava Audrey, e depois das férias de Natal a mesma é dada como morta, quando ele resolve fazer sua parte e visitar a família de sua namorada de curto prazo ele descobre que a menina que morreu não era a que ele conheceu na faculdade.

Liana podia se tornar outra pessoa, e, com a mesma facilidade, podia matar o que havia se transformado, eliminando quem quer que aparecesse em seu caminho.


Só por isso você já tira que a mulher é barra pesada, mas mesmo, por algum motivo descabido que desconheço ele aceita devolver esse dinheiro, e no dia seguinte descobre que o magnata foi assassinado, e ele foi o último a vê-lo vivo. Agora sua vida corre perigo e ele nem sequer sabe porque.

George me irritou de uma forma profunda, Lilian pelo contrário é uma mulher esperta que sabe o que quer e não vai medir esforços pra isso, mesmo que tenha que se utilizar da bondade de um ex namorado. Desde o momento que ela aparece já é notável que ela não tem boas intenções, mas George levou metade do livro para se tocar disso, e por mais que no final ele tenha entendido a jogada da sua ex e até se tornado astuto, a merda já estava feita.

E por falar em final, o autor terminou o livro de uma forma abrupta. Depois de criar um personagem que de tão inoscente beirava a imbecilidade, ele simplesmente pois fim a trama deixando o leitor com um gigantesco ponto de interrogação é um enorme WTF!!!!

Apesar de tudo isso, meus pontoais positivos ficam na narrativa que prende o leitor, afinal é inacreditável que ele seja capaz de tal asneira, e ele acredita tanto em Lili que deixa o leitor em dúvida se ela está ou não envolvida no assassinato, sendo assim não resta alternativa a não ser ler até o final. Além disso a trama é narrafa entre passado e presente, mostrando ao leitor como Lili passou a perna nele na primeira vez e como isso volta a se repetir no presente.

A narrativa do autor é fluida e a trama tem Coêrencia, os planos são bem arquitetados e tudo é bem desenvolvido, não existe ponta solta, apenas uma mulher misteriosa e um homem inoscente ao extremo. Quando enfim George descobre o plano até eu fiquei admirada, a mulher era realmente inteligente e George finalmente acordou para a vida.

Apesar de não ser o melhor suspense que já li, a desconhecida foi uma leitura boa, não ótima, mas agradável, e a protagonista me fez lembrar de Amy, a personagem de A garota exemplar, mulher que se tornou minha ídola pela astúcia e inteligência.

Ou seja se curti um suspense leve, com mulheres espertas esse livro é para você, uma leitura rápida, leve e daquelas que te prende, mas passa rápido.


site: http://www.paraisodasideias.com
comentários(0)comente



Mogi.vi 25/03/2018

Não atendeu minhas expectativas
Fui lendo pra ver se melhorava mas o livro todo foi maçante, e o final não sei nem se foi final ...
comentários(0)comente



Michele 28/02/2018

Decepcionou
Esperava mais deste livro. Quando li a sinopse antes de compra-lo, me deixou bem curiosa, mas o desenrolar da história me fez achar uma porcaria este livro... não recomendaria
comentários(0)comente



Grazi 08/02/2018

Final aberto
No geral eu gostei bastante, mas a resenha completa vocês podem ver mais no link que está aqui.

site: https://blogdietaecultura.wordpress.com/2018/02/08/resenha-a-desconhecida-peter-swanson/
comentários(0)comente



@sentapraler 11/10/2017

Resumindo o livro em uma frase
Esse é o tipo de livro em que você pergunta: mas como assim, acabou e fim, ponto final?
comentários(0)comente



Naia 25/09/2017

Resenha: A Desconhecida
A trama logo apresenta o protagonista George, que enfrentando um momento meio desanimador, passa a julgar sua vida um tanto monótona. Ele mora sozinho em um lindo apartamento, na companhia de uma gata da raça Maine Coon, tem um relacionamento nada empolgante com sua colega de trabalho e só. Até que em uma noite de sexta feira no bar em que frequenta, o passado o visita, na pessoa de sua ex-namorada e colega de faculdade que há duas décadas ele não via.

Ela surge do nada pedindo um importante favor, devolver uma quantia em dinheiro que ela tomou de seu ex-patrão e amante. Até aí tudo bem, o favor foi feito sem nenhum obstáculo ou imprevisto, porém, um dia depois, George e essa mulher passam a noite juntos relembrando o passado e o amor que havia entre eles. Ao amanhecer, a vida de George toma um rumo totalmente inesperado, pois ela novamente some, o ex-amante misteriosamente surge morto em sua residência e num piscar de olhos, George passa a ser um dos suspeitos do crime...

Sabe aquele livro que não é um espetáculo, mas, mesmo assim, de alguma forma sua atenção se volta e diz: “quero ver até onde isso irá?”
Assim foi A Desconhecida para mim. O livro em si, havia me chamado atenção pela capa e é claro pelo título, mas, sem gerar grandes expectativas, apenas esses dois quesitos me fizeram imaginar que encontraria em suas páginas muitas horas tensas de mistérios difíceis de decifrar, personagens vivos, marcantes e uma premissa imprevisível causando-me adrenalina e sustos a cada minuto, como todo livro desse gênero deveria prometer e cumprir. Porém, não chegou a tanto, melhor, nem a metade de um arrepio, mas, tenho que concordar que ele teve um “quê” significativo, pois mesmo não tendo grandes atrativos relevantes, pelo menos do início ao fim ele foi bem desembaraçado, porque seus monólogos são simples e os personagens são rasos, sem nada que chame grande atenção, e por isso, para mim, a leitura foi rápida.

Entre altos e baixos, unindo esses pontos negativos e positivos, para mim eles foram o suficiente para que eu não sentisse fadiga e nem desistisse da leitura. Sua finalização sugere que talvez pudesse existir um segundo livro, mas, creio que não haverá, afinal, ele foi publicado em 2015 e nós estamos praticamente nos aproximando do final de 2017, mas... Quem sabe, neh? rs...

Vale ressaltar que A Desconhecida foi o primeiro livro de Peter Swanson, e mesmo que eu tenha enumerado várias falhas, acredito que há um bom tema central na história, porém, infelizmente o autor se perdeu na elaboração, deixando no ar a impressão de que a trama na verdade é fraca.

Diante de minhas impressões, sempre chego a seguinte conclusão que é um tanto óbvia, cada pessoa tem a sua opinião e visão sobre um livro, não importando qual gênero ele se encaixe, por isso então, tenha você a sua visão e ideia sobre a história, e espero que a leitura apreciativa, seja diferente do que foi para mim.

site: http://www.leiturasdapaty.com.br/2017/09/resenha-desconhecida.html
comentários(0)comente



Maria 06/07/2017

Um livro pra ler de uma vez
Esse livro estava na minha lista há um bom tempo. Acabou que eu praticamente o li em uma "sentada". A história foi se desenrolando e a desconfiança sobre os personagens ia mudando de acordo com o capítulo! A personagem "principal", é uma mulher que a gente ama odiar! Acredito que o livro seria mais legal se fosse narrado em primeira pessoa, mas deve ser apenas um vício meu, rs. O maior problema para mim, foi o final. Uma história dessas merecia um final melhor, mais elaborado. Por fim, 4 estrelas para um bom thriller!
comentários(0)comente



Francelle 15/06/2017

Um suspense interessante, mas só.
Terminei A Desconhecida há alguns dias, e fiquei feliz por não ter tido expectativas altas demais em relação a essa leitura.

Não é um suspense ruim, mas a história não chega a reservar grandes mistérios ou soluções incríveis. Para quem ainda não está acostumado a ler livros de suspense, a obra do Peter Swanson pode ser uma introdução válida, mas para os leitores que já tem "bagagem" nesse estilo de literatura, o livro pode parecer mais do mesmo. Interessante, e só.

A trama principal é sobre uma mulher que reaparece na vida de seu ex namorado/colega de faculdade (o qual ainda é apaixonado por ela), pedindo uma ajuda que acaba colocando o personagem principal em situação de perigo.
A escrita do Swanson é muito boa, e o desenrolar da história até prende o leitor. O problema é que as coisas permanecem num certo padrão dos livros de mistério e não consegue surpreender, não sai muito do que eu já esperei que fosse acontecer.

Observando que o livro anuncia a história na quarta capa como "um quê de Hitchcock", achei que a propaganda foi um pouquinho longe demais. O livro, em geral, é bom. Mas nem tanto assim.
comentários(0)comente



53 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4