A Desconhecida

A Desconhecida Peter Swanson




Resenhas - A desconhecida


53 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4


Suelen 26/04/2017

Tinha tudo para ser bom...
Confesso que o livro não me prendeu, li meio que forçada a terminar, o personagem principal é muito bobo, em vários momentos fiquei com raiva das atitudes infantis dele, é o famoso adulto que não cresceu totalmente e vive preso no passado do namorico de faculdade (irritante). A trama foi se desenrolando muito confusa, caótica, e no final fiquei com a sensação de que tinha sido enganada durante toda a leitura, pois quando achei que a Liane/Jane ia virar "mocinha" na verdade era tudo mais uma parte do plano mirabolante dela.
O final foi decepcionante, é o tipo de livro sem final que fica subentendido, não sei como funciona para outros leitores, mas eu gosto de iniciar e finalizar uma leitura, eu QUERO saber o que vai acontecer, como a trama vai se desenrolar por completo, e foi justamente ao contrário nesse livro. O "final" ficou meio corrido com o mocinho fugindo (quando claramente não podia sair da cidade) e não teve resposta se a Liane/Jane estava viva ou não, se ele conseguiu provar sua inocência ou não, caótico até no fim.
comentários(0)comente



Alyssa @culpadoslivros 23/03/2017

A Desconhecida me surpreendeu bastante. É o livro de estreia de Peter Swanson e foi publicado originalmente no formato de contos, num periódico online.

George Foss tem 40 anos e trabalha numa revista literária em Boston. Ele vive uma vida normal, preso numa rotina meio sem graça, entre idas e vindas com a namorada, Irene, há mais de uma década.

Mas nos seus pensamentos mais íntimos, ele sonha reencontrar um antigo amor da época de faculdade. Liana Decter, uma jovem cercada por mistérios, que sumiu há 20 anos, sem deixar rastros.

É exatamente assim que a história começa, com George vendo a figura linda e misteriosa de Liana sentada no balcão do bar, como ele imaginou por tantas vezes!

No começo do livro, confesso que achei o George meio bobo, por se envolver numa história obviamente mal contada! Mas, no decorrer das páginas, pude perceber que ele era mais esperto do que aparentava inicialmente e avassaladoramente apaixonado por aquela mulher; desta forma, suas atitudes se tornaram mais compreensíveis.

A história se desenvolve no presente, intercalando passagens que revelam os acontecimentos de 20 anos atrás e o sumiço de Liana.

Boas doses de mistério e suspense são agregados à trama, reviravoltas e também personagens que não são de fato o que aparentam.

Gostei bastante deste livro. A narrativa me envolveu muito, tanto que na ansiedade de saber o desfecho e as revelações finais, não conseguia parar de ler. A Desconhecida traz uma história que realmente mexe com nossas emoções!

site: http://www.instagram.com/culpadoslivros/
Eliana.Gomes 04/01/2018minha estante
Eu gostei da história, só acho q o final poderia ter algo mais, eu fiquei esperando outro fim pro livro.




Dear Book 18/03/2017

Para quem gosta de suspense

[Resenha com corte de trechos ilustrativos e imagens; confira no link no blog]
Tradução de Leonardo Gomes Castilhone

Por Marianne: Fazia tempo que não pegava um suspense bom, daqueles que a gente promete que vai ler só até o final do capítulo antes de dormir, e o final do capítulo só nos prende ainda mais na história. Essa foi, basicamente, minha saga de leitura com A desconhecida.

George Foss está se aproximando dos quarenta anos. Tem um emprego estável, um romance meio indefinido com uma colega de trabalho e está naquela fase em que parece que nada de novo vai surgir pra dar um tcham na vida.

Até que um dia, sentado à mesa do seu bar preferido, George tem a impressão de estar vendo a misteriosa Liana Decter, sua namorada da faculdade que sumiu misteriosamente muitos anos atrás.

Liana Decter foi a primeira namorada de George. Durante a faculdade eles viveram um romance intenso e apaixonado, típico dos primeiros amores. O namoro dos dois era o centro da vida de George na faculdade. Mas logo após as férias de verão George e os amigos de Liana receberam uma trágica notícia relacionada a jovem, que desencadeou uma série de acontecimentos bizarros na vida de George e, consequentemente, o fim do romance entre ele e Liana.

Mas agora Liana está ali, no mesmo bar que George. Será a mulher sentada à mesa a mesma Liana que George se apaixonou muitos anos atrás? Estaria ela ali por pura coincidência, ou ela sabia que George também frequentava o bar?

A história de divide em dois tempos, na época que George estava na faculdade de conheceu Liana, e no atual, onde George ainda mantem a esperança de reencontrar a ex-namorada, mesmo que isso seja um claro sinônimo de problema.

O livro se desenrola de maneira bem surpreendente e não tem como evitar a vontade de estrangular o protagonista. Sabe quando estamos vendo um filme de terror e o mocinho ouve um barulho na cozinha e ao invés de sair correndo e gritar por ajuda ele resolve IR NA COZINHA COM AS LUZES APAGADAS – POR QUE DEUS? – e a gente quer gritar CORRE SEU IMBECIL, SAI DAÍ?! Pois bem, eu passei o livro todo gritando mentalmente “George, não faz isso homi, toma tento criatura, aprende sua lição...”. Mas não adianta, a gente passa medo, raiva, desespero, e o George sai fazendo uma burrada atrás da outra. E no fim, temos um suspense dos bons.

Apesar do patetismo de George o personagem não soa artificialmente inocente como os mocinhos de filme de terror, os flashbacks do livro mostram que desde mocinho o personagem tem um tiquinho de obsessão por Liana. E convenhamos, quarentão, solteiro, sem filhos e cansado da rotina, nada como uma ex-namorada misteriosa/bandida/desaparecida do passado que reaparece linda e loira pra dar aquela balançada na vidinha mais ou menos né gente.

Adorei Liana, apesar de o livro focar pouco no desenvolvimento dela. A personagem é melindrosa sem ser estereotipada, Liana é do tipo que corre atrás do que quer doa a quem doer – George, risos.

Ainda falta muito arroz com feijão para os autores aprenderem a descrever uma personagem feminina sem cair nos velhos estereótipos de vilã bruxa-malvada, mocinha inocente, mocinha super determinada, mocinha vamos-viver-a-vida-sem-pensar-nas-consequencias-e-eu-só-existo-na-cabecinha-miíuda-dos-autores, etc. Mas vamos dizer que A desconhecida cumpriu bem seu papel nesse quesito.

Recomendo muito a leitura pra quem gosta de suspense. Espero que tenham gostado da resenha e até a próxima! J


site: http://www.dear-book.net/2016/09/resenha-desconhecida-peter-swanson.html
comentários(0)comente



Lucianoh 13/02/2017

Uma "desconhecida" não tão desconhecida assim...
Enquanto lia este livro, eu me perguntava: por que a antagonista foi batizada no título como "a desconhecida"? O protagonista foi envolvido com ela no passado, sabia de muitos de seus podres, do que ela era capaz... desconhecida pra quem, afinal?!

Sem todo àquele rebusque exagerado costumeiro em livros adultos narrados na terceira pessoa, temos uma narrativa bem escrita e segura. O problema são os inúmeros detalhes inúteis, que mais soaram como "encheção de linguiça" do que como descrição de situação e ambiente. A alternância de passado e presente entre os capítulos foi o que mais me incomodou, na verdade, pelo fato de essa transição temporal não somar muito à estória. E para piorar, nos capítulos em que o passado era narrado, foi utilizado o recurso "itálico" na fonte. Não sei vocês, mas não gosto de ler folhas e folhas com esta formatação. A leitura se torna cansativa.
O mistério em si é bem meia-boca, para não dizer óbvio. Na metade do livro, eu já tinha sacado toda a trama, e desde então, se tornou desinteressante. Não via a hora de acabar. No mais, talvez este tenha sido o livro mais fraco que eu já li do gênero.
comentários(0)comente



Zumi 31/12/2016

Apenas BOM
Um amor nunca esquecido por uma garota cheia de mistérios. É assim que A Desconhecida pode ser definido do primeiro ao último momento.
George, o personagem principal, deixa claro desde o início que nunca superou sua namorada da faculdade, apesar de todos os segredos que ela mantinha e do fato de simplesmente desaparecer e não deixar vestígios. Ele é um cara até que simpático e esperto, se não fosse por esse pequeno detalhe; só é preciso que essa mulher reapareça para que George se torne um idiota que não enxerga o que está a um palmo de seu nariz ao que diz respeito a ex namorada e a tudo que está fazendo, fator que, inclusive, faz com que o leitor tenha vontade de entrar na história e sacudi-lo até que o infeliz enxergue as coisas com clareza.
Liana, a "garota da faculdade", é uma manipuladora oportunista e isso é mostrado logo nos primeiros momentos dela com George. Sua personalidade, seu passado e sua capacidade e inteligência são mostrados ao decorrer do livro, a passos razoavelmente lentos, porém que entretém o leitor.
Quando finalmente George cai na real quanto a Liana e QUASE tudo se revela (muitos mistérios não são resolvidos), é possível aplaudir de pé a engenhosidade da garota e a esperteza de George em desvendá-la. No entanto, isso dura pouco, pois o personagem principal decepciona novamente e o final é, de certa forma, inconclusivo.

Por essas e outras, não é uma leitura horrível ou ruinzinha, mas também não é incrível ou maravilhosa. É simplesmente um livro BOM. E só.
comentários(0)comente



Marianne 04/12/2016

A Desconhecida (Peter Swanson)
Fazia tempo que não pegava um suspense bom, daqueles que a gente promete que vai ler só até o final do capítulo antes de dormir, e o final do capítulo só nos prende ainda mais na história. Essa foi, basicamente, minha saga de leitura com A desconhecida.
George Foss está se aproximando dos quarenta anos. Tem um emprego estável, um romance meio indefinido com uma colega de trabalho e está naquela fase em que parece que nada de novo vai surgir pra dar um tcham na vida.
Até que um dia, sentado à mesa do seu bar preferido, George tem a impressão de estar vendo a misteriosa Liana Decter, sua namorada da faculdade que sumiu misteriosamente muitos anos atrás.
Liana Decter foi a primeira namorada de George. Durante a faculdade eles viveram um romance intenso e apaixonado, típico dos primeiros amores. O namoro dos dois era o centro da vida de George na faculdade. Mas logo após as férias de verão George e os amigos de Liana receberam uma trágica notícia relacionada a jovem, que desencadeou uma série de acontecimentos bizarros na vida de George e, consequentemente, o fim do romance entre ele e Liana.
Mas agora Liana está ali, no mesmo bar que George. Será a mulher sentada à mesa a mesma Liana que George se apaixonou muitos anos atrás? Estaria ela ali por pura coincidência, ou ela sabia que George também frequentava o bar?
A história de divide em dois tempos, na época que George estava na faculdade de conheceu Liana, e no atual, onde George ainda mantem a esperança de reencontrar a ex-namorada, mesmo que isso seja um claro sinônimo de problema.
O livro se desenrola de maneira bem surpreendente e não tem como evitar a vontade de estrangular o protagonista. Sabe quando estamos vendo um filme de terror e o mocinho ouve um barulho na cozinha e ao invés de sair correndo e gritar por ajuda ele resolve IR NA COZINHA COM AS LUZES APAGADAS – POR QUE DEUS? – e a gente quer gritar CORRE SEU IMBECIL, SAI DAÍ?! Pois bem, eu passei o livro todo gritando mentalmente “George, não faz isso homi, toma tento criatura, aprende sua lição...”. Mas não adianta, a gente passa medo, raiva, desespero, e o George sai fazendo uma burrada atrás da outra. E no fim, temos um suspense dos bons.
Apesar do patetismo de George o personagem não soa artificialmente inocente como os mocinhos de filme de terror, os flashbacks do livro mostram que desde mocinho o personagem tem um tiquinho de obsessão por Liana. E convenhamos, quarentão, solteiro, sem filhos e cansado da rotina, nada como uma ex-namorada misteriosa/bandida/desaparecida do passado que reaparece linda e loira pra dar aquela balançada na vidinha mais ou menos né gente.
Adorei Liana, apesar de o livro focar pouco no desenvolvimento dela. A personagem é melindrosa sem ser estereotipada, Liana é do tipo que corre atrás do que quer doa a quem doer – George, risos.
Ainda falta muito arroz com feijão para os autores aprenderem a descrever uma personagem feminina sem cair nos velhos estereótipos de vilã bruxa-malvada, mocinha inocente, mocinha super determinada, mocinha vamos-viver-a-vida-sem-pensar-nas-consequencias-e-eu-só-existo-na-cabecinha-miíuda-dos-autores, etc. Mas vamos dizer que A desconhecida cumpriu bem seu papel nesse quesito.
Recomendo muito a leitura pra quem gosta de suspense. Espero que tenham gostado da resenha e até a próxima!

site: http://www.dear-book.net/2016/09/resenha-desconhecida-peter-swanson.html
comentários(0)comente



Priscila Gatti 20/11/2016

Misterioso e Intrigante
George Foss é um homem de 40 anos, que vive em Boston, trabalha como gerente de negócios em uma revista literária e possui um relacionamento longo e sem futuro com Irene. Levando uma vida razoável e sem grandes motivações, George sente que já passou da idade em que poderia viver algo surpreendente ou se impressionar com o mundo.
Porém, ele estava enganado. Afinal, toda essa tranquilidade acaba quando a desconhecida entra em sua vida (de novo). A desconhecida é, na verdade, Audrey Beck ou Liana Decter ou ainda Jane Byrne. E nós sabemos que alguém com três nomes diferentes só pode significar uma coisa: problema.
O fato é que, mesmo sabendo que terá problemas se envolvendo com Liana, George nunca a esqueceu, desde os tempos da faculdade quando ele conheceu Audrey e juntos eles viveram um romance intenso e quente que terminou da forma mais trágica possível.

“Mas algo no pesa daquela noite específica de agosto, combinado com a presença de Liana em seu bar predileto, fez com que parecesse que algo de importante estava prestes a acontecer, e isso era tudo de que ele precisava. Boa ou má, alguma coisa aconteceria.” p. 16

Confuso? Um pouco! Delicioso de ler? Com certeza! A desconhecida é uma busca desenfreada pela real identidade dessa mulher linda, misteriosa e perigosa. O leitor vai conhecendo, aos poucos, Liana, a partir do ponto de vista de um George jovem e apaixonado e de um George maduro e desiludido.
O que ela quer? Por que voltou depois de mais de 20 anos? É recomendável confiar nela? Quem ela realmente é? George está sendo só uma ferramenta para ajudá-la a chegar onde deseja ou ela realmente nutre sentimentos por ele? Essas e outras perguntas nos atormentam ao longo das páginas, enquanto George se sacrifica e faz coisas impensáveis pelo seu antigo amor da faculdade.

“Novo nome. Novo cabelo. Transformação. Ela havia dito a ele que aquela era a maldição dela, mas não. Era o dom dela, uma especialidade, um talento. Liana podia se tornar outra pessoa, e, com a mesma facilidade, podia matar o que havia se transformado, eliminando quem quer que aparecesse em seu caminho.” p. 282

Eu gostei bastante do livro e a história me conquistou logo no início. É intrigante e nos prende já nas primeiras páginas. A narrativa é feita em terceira pessoa e os capítulos se alternam entre passado e presente.
George e Liana são o extremo oposto. Ela é egoísta e fará qualquer coisa para conseguir o que deseja, até mesmo cometer crimes. Já ele é generoso, beirando a estupidez, e fará o que for preciso para ajudá-la, até mesmo se envolver com pessoas perigosas e se expor a enormes riscos e, infelizmente, Liana sabe disso e usará todo seu charme para reacender os sentimentos de George.
É preciso comentar também a capa do livro, que é linda, chama a atenção e traduz o clima de mistério do livro. O único defeito que, infelizmente, fez com que o livro não fosse tão bom quanto poderia ser é o final, que deixa muito a desejar. No entanto, mesmo assim, o livro é muito bom e eu recomendo.

site: http://www.lostgirlygirl.com/
comentários(0)comente



Eder Ribeiro 08/10/2016

Algumas resenhas começam com uma sinopse do livro ou citando passagens do mesmo com spoiler. Acho isso desnecessário.
De cara me entusiasmei com a narrativa de Peter Swanson. A narrativa flui com tanta naturalidade que você se joga no livro, intensamente. A história fala muito da obsessão que uma pessoa possa ter por outra e se cegar para o que está lhe acontecendo. E o final do livro deixa isso bem claro. Vale a pena ler, não se arrependerão.
comentários(0)comente



Danny Mou 27/08/2016

George Foss tem 40 anos e trabalha numa revista literária em Boston. Ele vive uma vida normal, preso numa rotina meio sem graça, entre indas e vindas com a namorada, Irene, há mais de uma década.

Mas nos seus pensamentos mais íntimos, ele sonha reencontrar um antigo amor da época de faculdade. Liana Decter, uma jovem cercada por mistérios, que sumiu há 20 anos, sem deixar rastros.

No começo do livro, confesso que achei o George meio bobo, por se envolver numa história obviamente mal contada! Mas, no decorrer das páginas, pude perceber que ele era mais esperto do que aparentava inicialmente e avassaladoramente apaixonado por aquela mulher; desta forma, suas atitudes se tornaram mais compreensíveis.

A história se desenvolve no presente, intercalando passagens que revelam os acontecimentos de 20 anos atrás e o sumiço de Liana.

Boas doses de mistério e suspense são agregados à trama, reviravoltas e também personagens que não são de fato o que aparentam.

Gostei bastante deste livro. A narrativa me envolveu muito, tanto que na ansiedade de saber o desfecho e as revelações finais, não conseguia parar de ler. A Desconhecida traz uma história que realmente mexe com nossas emoções!

site: http://www.instagram.com/culpadoslivros/
comentários(0)comente



Memórias de uma Leitora 23/08/2016

Tive um atrativo quase que instantâneo por esse livro assim que o vi e li a sua sinopse. Tudo nele fez-me lembrar de A garota Exemplar, desde a capa até o enredo; como eu havia assistido Garota Exemplar antes de ler o livro -e amei- dei uma oportunidade para esse também - por que não?

O enredo conta a história de George Foss, um solteirão -em um relacionamento enrolado- que leva uma vida pacata e sem graça até Liana a garota do seu passado voltar a sua vida. É assim que o livro começa, quase que diretamente ao ponto em que a ação da história irá acontecer, quando essa mulher controversa de tantos anos atrás retorna para- pelo que parece- fazer o que sabe de melhor, bagunçar as coisas a sua volta. George nunca superou a paixão que teve por Liana nos tempos de faculdade devido a ruptura abrupta do relacionamento deles. Ela fora descoberta em uma fraude de identidade quando a menina que ela fingia ser na faculdade morre, o que fez todos virarem suspeitos no inquérito policial. E agora tantos anos depois ela surge das cinzas para pedir um favor que ela bem sabe que George não negaria, mais uma vez metida em uma confusão que envolve um crime, Liana pede que seu ex devolva uma quantidade bem grande de dinheiro ao homem que ela havia roubado.

Ao entrar cegamente nessa empreitada George afunda o pé e o corpo inteiro em uma trama que envolve roubo, assassinato, traição e farsa um terreno que Liana conhece bem.
"Aproximando-se dos quarenta, George sentia como se o se mundo estivesse sendo lentamente privado de suas cores. Ele tinha passado da idade em que podia, razoavelmente, esperar se apaixonar loucamente por alguém e constituir uma família, ou se impressionar com o mundo, o ver algo que o surpreendesse em sua existência cotidiana"
O enredo não é cansativo pois os capítulos são alternados entre o passado -período da faculdade- e o presente. Apesar de George não ser totalmente leigo na história por diversas vezes ele mostra-se estúpido e descabido considerando todo o passado traumático já conhecido por ele. Já Liana não é uma personagem empática e com um quê que tremula entre a ardilosa mente criminosa ou um desequilíbrio mental sem tamanho. É esse empasse que surge a cada capítulo, uma pessoa que não possui sua própria identidade e parece não se reconhecer em sua própria pele. A DESCONHECIDA é um título perfeito para ela!

Envolvente e com uma linha de pensamento por vezes confusa de ser seguida, precisamos ser convencidos a cada capítulo a dar credibilidade na história dos personagens para que se torne palpável. Trama bem entrelaçada mas perto do fim acaba perdendo um pouco a consistência e deixa alguns nós importantes desatados o que me deixou -confesso -um pouco desanimada com o desfecho.
"- Eu sei disso. É que... Eu não conseguiria viver comigo mesmo se algo acontecesse com você. Se estou exagerando, então esse é o motivo."

site: http://memoriasdeumaleitoraa.blogspot.com.br/2016/02/resenha-desconhecida-peter-swanson.html
comentários(0)comente



Paloma 05/07/2016

Aquele livro que vc fica até triste por ele não ser bom
Teimosia. Essa é a palavra que descreve exatamente o porquê de eu ter começado a ler esse livro. Já havia lido várias resenhas ruins, mas quis tirar eu mesma a minha própria conclusão, afinal já existiram vezes em que todos amaram um livro e eu fiquei tipo: “Oiii? Como assim?? Esse livro não é tão bom.” ...e houve vezes que li um livro que muitos consideram mais do mesmo e o livro tornou-se meu favorito. Achei que “A desconhecida” se encaixaria nessa categoria, mas infelizmente não foi bem assim que aconteceu.
Conforme relatado na sinopse, o livro tem como protagonista principal George e o aparecimento de uma mulher chamada Liana, com quem ele se envolveu na faculdade mas que ficará por muito tempo desaparecida por ter sido suspeita de um assassinato. Depois de 20 anos ela reaparece e coloca George dentro de um novo crime que ela cometeu mas que agora, aparentemente, ela tenta se redimir, devolvendo a um “empresário” um dinheiro que ela havia roubado dele e por isso precisa da ajuda de George.
O livro vai intercalando passado e presente, para que possamos descobrir o que exatamente Liana fez no passado, e como George irá ajuda-la agora no presente. Essa divisão de passado e presente não foi muito bem desenvolvida, por vezes me perdia dentro da história e tinha que parar para ver se eu estava no passado ou no presente de George. Além disso, o próprio George não ajudou muito para que eu me encantasse com a leitura, nunca houve para mim um personagem tão cansativo como ele.
E se não bastasse os pontos negativos já citados acima, a história termina de uma forma que particularmente não me agrada muito: com um final aberto. Não sabemos exatamente o que acontece com Liana no final da história, ela está viva? Está morta? Como escapou de Bernie? Isso sem falar nos motivos encontrados pelo autor para explicar o motivo pelo qual ela constantemente trocava de identidade, pouco plausível.
Apesar dos pesares, não irei dizer que jamais irei ler de novo algo deste autor, gostei muito da premissa da história e para mim foi uma pena ela ter sido tão mal desenvolvida.
Foca 20/12/2016minha estante
Concordo. Final muito ruim.


Paloma 18/01/2017minha estante
Uma pena néh ....Tinha me encantado com a sinopse, mostrando o enredo da historia pensei" tem tudo para ser um livro excelente" ..pena q não foi ....


Crica 05/03/2017minha estante
Discordo totalmente, o livro a toda hora tem uma reviravolta e não achei o final tão aberto assim, fiquei com a impressão que poderá vir uma continuação dele. O final tem toda a coerência com o desenrolar da trama. Já li outros com finais abertos bem mais irritantes do que este, ainda bem que não me contaminei com as resenhas negativas e resolvi fazer meu próprio julgamento.


Paloma 12/05/2017minha estante
Que bom que sua experiencia foi diferente da minha Crica, porem isto é um livro querida, cada pessoa que lê-lo terá a sua experiencia e o seu ponto de vista ,cabe a nós respeitar a opinião dos amiguinhos que não pensam igual a nós. =) 1 ano se passou dessa resenha e ainda continuo achando o livro mal desenvolvido e o final aberto irritante pra mim.




Laryssa.Pinheiro 01/06/2016

A Trama: George está entediado com sua vida há algum tempo, o trabalho com que tanto sonhou perdeu o brilho, e o relacionamento com Irene, agora esporádico, se tornou um incomodo prático. Enquanto sua vida passa, ele já esta com quase 40, não consegue deixar de pensar em Liana - sua namorada da época da faculdade, ele continua a vê-la e a procurá-la em todos os lugares. Por isso, quando ela aparece inesperadamente em um bar local, ao qual George frequenta, pedindo que a ajude com um favor, no mínimo duvidoso, ele decide ajudá-la. A trama se desenvolve de forma que fiquemos muito curiosos, intercalando acontecimentos do passado e do presente narrados por George.

O Protagonista: George é...um protagonista lastimável (para ser educada), obcecado pela mesma mulher a anos, que aparentemente não o valoriza, ele faz questão de não enxergar a vida estável e sortuda que tem. É covarde, de certo modo me pareceu preguiçoso, um tanto burro ou talvez ingênuo, me proporcionou vários momentos de irritação.

Personagens Secundários: Não há muitos personagens secundários dos quais eu possa dar muitos detalhes...Irene é uma mulher bem sucedida de personalidade comum, apaixonada por George. Nora (obviamente minha personagem favorita é a gata Maine Coon do protagonista), ciumenta e gulosa está sempre implorando por atenção. Liana é o grande mistério deste livro, sexy e manipuladora faz o que quer com todos os homens que encontra.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é instigante e gosto do jogo de letras, não gostei do título dado a edição brasileira, apesar de fazer sentido acho que o título original combina muito mais com a obra - mesmo não ficando muito bonito traduzido. A diagramação é simples e a fonte muda de acordo com a linha temporal da história. A escrita é fluida e magnética, me manteve curiosa até o final.

Concluindo: Fiquei um pouco decepcionada com A Desconhecida, a trama é criativa e o livro bem escrito, o mistério está bem feito e sua resolução é interessante, mas o protagonista é chato e cansativo e o final do livro em si não é muito conclusivo nem inspirador, inclusive apesar de não acontecer um "ponto final" o autor não deixa a impressão de que haverá continuação, o que me deixou frustrada.

site: http://www.fomedelivros.com/2016/03/resenha-desconhecida.html
comentários(0)comente



Amiga Leitora 07/03/2016

Este livro conta a história de George Foss e Liana Decter, dois jovens que se conheceram na faculdade Mather College durante uma festa de calouros. Após algumas cervejas e conversas fiadas eles ficam e a partir daí engatam um relacionamento prematuro, passaram então a ser inseparáveis mas tal conexão mudaria. Quando George retornou para Mather College em Janeiro ansiava em ver Liana novamente, mas o campus da faculdade estava denso, algumas pessoas chorando; ''por qual motivo'' se perguntava George, e quando descobre tal notícia o deixa estupefato.
Liana Decter não voltaria para a faculdade pois havia cometido suicídio na casa de seus pais na Flórida; ela não aparentava ser o tipo de garota que cometera suicídio e o que a levaria a tal? Tudo estava muito mal esclarecido, fatos irrelevantes, detalhes não ditos, espaços vagos quais precisam ser preenchidos. George os buscariam para tenta entender tudo que estava acontecendo.


site: http://www.amigadaleitora.com/2016/01/resenha-desconhecida-editora_4.html
comentários(0)comente



MathRiber 02/03/2016

Resenha: A desconhecida
George Foss, ainda em sua época de faculdade teve um grande amor por Audrey Beck, mas ambos saíram em férias de seus estudos, cada um seguiu um rumo diferente.

Quando George volta à faculdade e não ver Audrey fica preocupado e decide obter respostas sobre Audrey. Ele achou sua resposta, mas não era o que ele queria ouvir, a garota Audrey Beck tinha se suicidado. George decidiu e foi até a cidade natal de Audrey, mas chegando lá descobre que o que ele pensava era totalmente diferente do que havia acontecido.

20 anos depois de todo ocorrido George está em um bar quando ele acha que viu uma pessoa que tem traços que ele jamais esqueceria Liana, ou melhor, Audrey Beck (Sim são a mesma pessoa) ele decide chegar mais perto para ter a certeza se era quem ele deveria ter visto, e tudo se confirma era ela. Depois de um bom tempo em observação ele decide chegar até ela, e para a sua surpresa, Liana estava á espera dele mesmo, ela saiba que George morava por perto, por isso foi até o bar.

Entre várias conversas, Liana pede um favor a George. Mas apesar de tudo que ela fez será que George seria capaz de ajuda a Liana? Mas ele não sabe que se ele concorda em ajuda - lá comprometerá sua vida a partir daquele momento.

O que seria esse favor? O que George teria que fazer? Porque Liana não a fez mesmo esse favor? E porque George o escolhido para essa tarefa?

Somente fazendo esse favor, George será capaz de descobrir os mistérios que ainda cerca essa pessoa que depois de 20 anos volta a aparecer.

site: http://papolivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Thamires 26/02/2016

Ardilosa mente desconhecida
Tive um atrativo quase que instantâneo por esse livro assim que o vi e li a sua sinopse. Tudo nele fez-me lembrar de A garota Exemplar, desde a capa até o enredo; como eu havia assistido Garota Exemplar antes de ler o livro -e amei- dei uma oportunidade para esse também - por que não?

O enredo conta a história de George Foss, um solteirão -em um relacionamento enrolado- que leva uma vida pacata e sem graça até Liana a garota do seu passado voltar a sua vida. É assim que o livro começa, quase que diretamente ao ponto em que a ação da história irá acontecer, quando essa mulher controversa de tantos anos atrás retorna para- pelo que parece- fazer o que sabe de melhor, bagunçar as coisas a sua volta. George nunca superou a paixão que teve por Liana nos tempos de faculdade devido a ruptura abrupta do relacionamento deles. Ela fora descoberta em uma fraude de identidade quando a menina que ela fingia ser na faculdade morre, o que fez todos virarem suspeitos no inquérito policial. E agora tantos anos depois ela surge das cinzas para pedir um favor que ela bem sabe que George não negaria, mais uma vez metida em uma confusão que envolve um crime, Liana pede que seu ex devolva uma quantidade bem grande de dinheiro ao homem que ela havia roubado.

Ao entrar cegamente nessa empreitada George afunda o pé e o corpo inteiro em uma trama que envolve roubo, assassinato, traição e farsa um terreno que Liana conhece bem.

O enredo não é cansativo pois os capítulos são alternados entre o passado -período da faculdade- e o presente. Apesar de George não ser totalmente leigo na história por diversas vezes ele mostra-se estúpido e descabido considerando todo o passado traumático já conhecido por ele. Já Liana não é uma personagem empática e com um quê que tremula entre a ardilosa mente criminosa ou um desequilíbrio mental sem tamanho. É esse empasse que surge a cada capítulo, uma pessoa que não possui sua própria identidade e parece não se reconhecer em sua própria pele. A DESCONHECIDA é um título perfeito para ela!

Envolvente e com uma linha de pensamento por vezes confusa de ser seguida, precisamos ser convencidos a cada capítulo a dar credibilidade na história dos personagens para que se torne palpável. Trama bem entrelaçada mas perto do fim acaba perdendo um pouco a consistência e deixa alguns nós importantes desatados o que me deixou -confesso -um pouco desanimada com o desfecho.

site: http://memoriasdeumaleitoraa.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



53 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4