A Desconhecida

A Desconhecida Peter Swanson




Resenhas - A desconhecida


53 encontrados | exibindo 46 a 53
1 | 2 | 3 | 4


Khrys Anjos 22/12/2015

Uma incógnita
Após 20 anos sem dar nenhuma notícia, Liana reaparece na pacata vida do George trazendo junto com ela um tornado que acaba com a sua tranquilidade.

Ele sempre foi apaixonado pela Liana e se deixa ser usado numa trama extremamente perigosa. Sua vida está em risco e da sua “namorada” acabar por ficar também.

George vive um relacionamento aberto com a Irene há 15 anos. Quando a Liana volta ele não pensa duas vezes antes de se deixar levar novamente pela paixão avassaladora que sente. Sabe que está sendo usado, mas mesmo assim não desiste de tê-la em sua vida de novo.

Liana é o tipo de pessoa que mente para o próprio reflexo no espelho. Ela não se importa com as consequências que seus atos terão na vida dos outros. Na verdade, usa todo mundo como peças de xadrez. Se lhe é útil suga até a última gota e depois descarta os restos. E assim vai vivendo sem amor próprio e fazendo do seu corpo um meio para chegar ao seu objetivo final.

George é viciado nela como todo dependente químico é viciado nas drogas. Viveu 20 anos em abstinência e bastou um estalar de dedos para se deixar entorpecer novamente. Mesmo quando a verdade é literalmente atirada na sua cara ele não desiste do vício.

O autor mostrou nesta história como o ser humano lida com a paixão. Quem disse que o amor é cego estava enganado. O amor faz enxergar e a paixão cria a ilusão da perfeição. A pessoa que alimenta demais este sentimento acaba por ser dominado por ele e, em muitos casos, devorado.

E é isso que acontece com o George. Ele se apaixonou pela Liana na faculdade e não aceitou o fato dela simplesmente sumir da sua vida. Então quando ela retorna ele se agarra na possibilidade de fazê-la ficar desta vez.

O final fica em aberto podendo ter ou não uma continuação. Eu acredito ser necessário uma continuação para que possamos ver até onde o George é capaz de ir por causa desta obsessão que ele sente pela Liana. E para tentarmos entender um pouco melhor a própria Liana.

Eu esperava mais da história principalmente por ter sido comparado com o Hitchcock. O suspense não convenceu foi até previsível. As atitudes do George o colocaram como um homem de 40 anos totalmente ingênuo, ou pelo menos foi esta a impressão que ele quis passar.

Talvez a intenção do autor fosse aguçar a curiosidade do leitor para uma continuação. Assim num próximo livro George pode vir com uma percepção da vida mais aprimorada e com atitudes mais firmes.

A Liana só apareceu como coadjuvante pois as cenas que ela está envolvida não a colocaram realmente no foco.

Desde menina tem atitudes dúbias com os homens. Por ter um pai viciado em jogos se deixa usar como pagamento de dívidas, algo que ela adora fazer ou não levaria para a fase adulta da sua vida a mesma forma de viver.

E também seria interessante o autor mostrar um outro lado da vida da Irene. Quem sabe com o afastamento do George ela não encontra alguém que a ame de verdade e possa ser feliz.

Vamos aguardar e ver o que o autor realmente pretende fazer com a sua desconhecida pois nesta história ela entrou como uma estranha e terminou como uma incógnita.

site: http://minhamontanharussadeemocoes.blogspot.com.br/2015/12/resenha-desconhecida-peter-swanson.html
comentários(0)comente



Ronaldo 17/12/2015

Estava indo tão bem ...
A narrativa é bem movimentada, há enigmas bem intrigantes com soluções satisfatórias que nos vão sendo apresentadas no decorrer da leitura, enquanto outras perguntas ficam com as respostas guardadas somente para o final. É uma trama bem inteligente, apesar de nos momentos finais o autor criar alguns lances bastante forçados que tiraram muito do meu entusiasmo. Mesmo assim o classificaria como um bom livro policial, não fosse o final inconclusivo. Quando virei a penúltima página e me deparei com os agradecimentos do autor me senti como uma criança cujo brinquedo foi arrancado das mãos no melhor da brincadeira. Esperava um final apoteótico para compensar os tropeços finais do autor, mas esse não veio. Na verdade, nem sei se dá para chamar aquilo de final.

Resenha completa no blog:

http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/2015/12/a-desconhecida-peter-swanson.html
Ferdy 17/05/2016minha estante
realmente assim que me senti, final decepcionante!!




Juliana Garcez 14/12/2015

Infelizmente, um livro muito ruim
"A Desconhecida" foi escrito por Peter Swanson, traduzido por Leonardo Gomes Castilhone e publicado no Brasil em 2015 pela Editora Novo Conceito. A obra possui 288 páginas divididas em 27 capítulos e é narrada em terceira pessoa. A diagramação está ótima! As letras são grandes, isso facilita muito a leitura. Além disso, as páginas são amareladas, o que permite uma leitura mais agradável, sem incômodos reflexos na face do leitor.

Nessa obra, conhecemos George Foss, um homem de 40 anos que levava sua vida normalmente até encontrar em um bar uma bela mulher sentada ao seu lado. Essa mulher é Liana, a mesma mulher que desaparecera sem deixar vestígios vinte anos atrás. Agora, depois de tantos anos, ela diz precisar de ajuda e George parece ser o único capaz de salvá-la de seu passado sombrio.

Preciso dizer que amo thrillers e fiquei muito empolgada com a premissa de "A Desconhecida". Todavia, não posso mentir e dizer que adorei a obra. Fiquei muito, mas muito decepcionada MESMO com essa leitura. É muito desanimador perceber o potencial de uma trama e ver que ela não foi desenvolvida como deveria.

Logo no início da obra, são notáveis alguns erros de digitação e isso continua ao longo da leitura. Acho isso um descaso com os leitores. É claro que ninguém é perfeito e todo mundo comete erros, porém, as Editoras tem toda uma equipe que trabalha para não deixar isso acontecer e, para mim, publicar uma obra assim é sinal de desleixo.

Passado esse pequeno incidente, não consigo aceitar a imaturidade das personagens. Como um homem de 40 anos larga tudo para trás somente para satisfazer os caprichos de uma mulher que, apesar de tê-la namorado vinte anos atrás, ele mal conhece? George se coloca em cada emboscada, que é impossível não sentir preguiça de continuar a leitura. Essa atitude adolescente de ambas as partes me deixou muito, mas muito irritada.

Também pude perceber que nenhuma das personagens são bem construídas. Inúmeras vezes me perguntei "por que?", "como", "quando" e "onde?" e não obtive nenhuma resposta. Encaro isso como falha de Peter Swanson como autor. Não é nada agradável lidar com personagens assim. É claro que nem tudo tem um motivo nessa vida, mas, levando em conta o gênero da obra, em minha opinião, o passado do personagem acrescenta muito à história.

Depois de me decepcionar com a irresponsabilidade de Liana e George, outro problema apareceu: o livro é lotado de ação no início. Bacana!, pensei. Gosto disso. Mas, como tudo que é bom dura pouco, o desenvolver da trama se torna muito monótono a ponto do leitor descobrir tudo que vem a seguir.

Além disso, a narrativa de Swanson não é nada envolvente e me deu preguiça muitas vezes. O vocabulário é bem pobre. A ininterrupta repetição de palavras me irritou bastante. Mais uma vez, digo aqui que fico bem triste por perceber o potencial que a obra e o autor possuem e saber que ele não foi bem explorado.

Só me resta dizer para lerem a obra a fim de tirar suas próprias conclusões.

site: http://www.livroseflores.com/2015/12/resenha-desconhecida-peter-swanson.html
Maria Janir Pir 14/12/2015minha estante
Nossa! Estava doida para ler esse livro.....brochei.....


tadeu-cz 14/12/2015minha estante
créeedooo kkkk, ainda bem que não comprei !


Marcinha 22/12/2015minha estante
Puxa achei que fosse o timo nao irei mais comprar. :(


Crica 05/03/2017minha estante
Não me deixei levar pelas críticas ruins e resolvi fazer meu próprio julgamento e gostei bastante do livro. E um livro cheio de reviravoltas e que prende bastante. Meu conselho: leiam e depois façam seu próprio julgamento.




Silvana - Blog Prefácio 06/12/2015

George Foss é um homem de quarenta anos que trabalha como gerente de negócios de uma revista literária. Foi na revista que ele conheceu Irene, a quinze anos atrás. O relacionamento deles foi muito bom durante os dois primeiros anos, depois eles foram empurrando com a barriga até hoje. Mas enquanto George continua no mesmo lugar, Irene procurou novos ares e hoje trabalha em uma divisão de websites em expansão. George está passando por uma fase difícil em sua vida, daqueles que parece que a vida foi perdendo suas cores e nada mais lhe importa, nem os rumores de que Irene estava sendo assediada por outro homem. Hoje ele vai se encontrar com ela, no mesmo bar que ele vai todo dia quando sai do escritório.

Quando chega no bar, ele vai direto para seu lugar de costume. Mas quando ele olha para as pessoas presentes, ele pensa ter visto Liana. Liana que atormenta seus pensamentos a vinte anos, que foi quando ele a viu pela última vez. Desde então, ele sempre a vê em todos os lugares, mas nunca é ela realmente. Liana que deixou um buraco no seu coração quando eles ainda estavam na faculdade. Mas dessa vez ele tem certeza que é ela e depois de se despedir de Irene ele volta ao bar. Liana vai ao seu encontro e diz que está ali para falar com ele e que precisa de um favor. Ele fica em dúvida se aceita, porque Liana ainda deve estar sendo procurada pela policia, mas seu coração fala mais alto e eles combinam de se encontrar ali no dia seguinte.

Mas Liana não aparece no encontro e quando George está pensando em ir embora, o telefone do bar toca e é Liana pedindo que ele vá encontrá-la. Quando chega no local combinado, ele não encontra Liana e sim um homem que também está a procura dela. O homem bate em George e diz que isso é um recado para Liana. George volta para seu apartamento com muitas dores e para sua surpresa, encontra Liana esperando por ele na escada. Ele fica furioso com ela, mas ainda assim concorda em ouvir o que ela tem a dizer. Ela conta que se envolveu com um cara mais velho que tem negócios ilegais e que quando ele a dispensou, ela roubou meio milhão dele. Por isso ele colocou aquele homem atrás dela. E o favor que ela quer dele, é que ele devolva o dinheiro no lugar dela. George aceita, mas não tem nem ideia de onde ele acaba de se meter.

O livro diz em sua sinopse, que ele tem um quê de Hitchcock. Como eu não assisti nada dele ainda, não sabia o que esperar. Imaginem a situação. Depois de vinte anos você encontra uma pessoa que aprontou com você, mentiu, enganou, colocou você em uma enrascada. Ela não vem te pedir perdão e sim querer que você entre em uma enrascada maior ainda. Se sou eu, eu tinha chamado a polícia na hora, mas George não. Ele ainda tem a esperança de ficar com ela se fizer a vontade dela e é claro aceita ajudá-la. E não é só isso. Depois quando a coisa toma grandes proporções, ele começa a mentir por ela. Cheguei a conclusão de que quando o homem dá para ser trouxa, ele capricha.

O livro me lembrou bastante Garota Exemplar, porque eu fiquei o tempo todo na dúvida se Liana era inocente ou culpada. A história é dividida entre o presente e o passado a vinte anos atrás. E quanto mais eu lia o passado, menos eu gostava dos personagens. George não conquistou minha simpatia por ser tão bobo. Liana eu me senti dividida. Se ela fosse inocente, ela estava sendo muito injustiçada. Mas se fosse culpada ela estava sendo muito inteligente. O que eu mais gostei no livro foi essa pegada de suspense. O autor consegue prender o leitor a leitura e por conta disso ela é muito rápida. Não consegui largar até descobrir toda a verdade. Agora a decepção ficou por conta do final do livro. Ele é aberto. Mas daqueles muito aberto. Não sei se tem uma continuação, mas do jeito que terminou me deixou muito frustrada. E olha que gosto de finais abertos. A edição está muito bem feita, característica da Novo Conceito.


site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2015/11/resenha-desconhecida-peter-swanson.html
comentários(0)comente



Danielle 01/12/2015

Bom

Resenha

A trama gira em torno de George e Liana, eles se conheceram na faculdade e tiveram um romance. George foi muito apaixonado por ela, mas aconteceram algumas circunstâncias que o leitor irá descobrir ao decorrer da trama que fez com Liana sumisse sem deixar rastros.

Vinte anos se passaram e George nunca se casou, ele mantém uma relação de sexo casual com uma ex-namorada que acabou se tornando uma amiga, mas no fundo ele nunca se esqueceu de Liana. Liana aparece do nada a procura de George e diz que precisa de um grande favor dele, só que esse favor que ela precisa é algo bem arriscado, ela deu um grande golpe em um homem muito rico e está sendo ameaçada, se diz arrependida e quer devolver o dinheiro. Com medo de ser morta ou presa ela precisa que George vá até o homem que ela deu o golpe no seu lugar.

Liana continua misteriosa e não deixa telefone e nem um local para que possam se comunicar. Ao marcar um encontro com Liana em uma cabana, George acaba sendo atacado e ameaçado por um homem que está à procura de Liana. Liana vai até o apartamento de George e ele aceita ajudá-la.

O livro intercala entre passado e presente através de uma narrativa muito fluída em terceira pessoa, aos poucos iremos conhecer a estória do casal na época da faculdade e o que aconteceu com Liana que levou ao seu desaparecimento, ao mesmo tempo que estaremos acompanhando George na situação atual de risco tentando ajudar sua antiga paixão.


Minhas Impressões

Logo que vi a capa desse livro fiquei atraída por ela, pois é uma capa bem instigante e se tratando de thriller que é um gênero que eu amo não pude deixar de conferir esse lançamento da Editora Parceira da Novo Conceito.

Logo que comecei a leitura não consegui me afeiçoar ao personagem principal George, simplesmente por ele ser um cara ingênuo demais e isso irrita em algumas partes do livro.

Até a página 50 estava lendo sem curtir muito a leitura, mas depois a leitura engrenou de tal forma que não conseguia mais largar o livro, pois a cada virada de página eu queria saber mais e mais sobre o passado de Liana e também os acontecimentos que se desenrolavam no presente.

No geral posso dizer achei o livro bom, mas não excelente, apesar de ter gostado do final ele acabou um tanto abrupto demais, fiquei com a sensação de que faltava mais informações ao leitor. Não me parece que terá uma continuação, mas senti falta de o leitor ter um outro ponto de vista que deixasse mais claro a situação final e como ficaria os personagens no futuro.

Apesar de ter gostado da trama, faltou empatia com os personagens.

Recomendo a leitura para quem gosta de thrillers.

site: www.ciadoleitor.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Atitude Literária 29/11/2015

De modo geral é bom
“(...)Ninguém pode escolher a família em que nasceu. Ninguém pode escolher o próprio nome, ou a aparência, ou que tipo de pais tem. Mas, quando ficamos adultos, temos a chance de escolher, e podemos nos tornar a pessoa que gostaríamos de ser.”

Com capítulos intercalados entre o presente e o passado, o autor tenta de várias formas nos envolver, criando um cenário de suspense e mistério que aos poucos vão se revelando, mas que ainda assim, em minha opinião seguem confusos. Thrillers realmente não é meu gênero literário preferido e mesmo que tenha me sentido atraída pela sinopse e promessa de um enredo envolvente e surpreendente, ao final da leitura me senti decepcionada.

No passado Audrey e George se conheceram na faculdade, tornaram-se amigos e logo depois namorados, com o final do semestre cada um vai para sua casa e quando George retorna para a volta das aulas recebe a notícia de que Audrey se suicidou. Indignado e sofrendo ele decidi ir até a cidade de Audrey para ver se consegue desvendar o que aconteceu e essa viagem só serve para lhe mostrar que nada era como ele se quer imaginou um dia e que Audrey possuía mais segredos do que uma pessoa “normal”. No presente vinte anos se passaram e George leva uma vida entediante, em um relacionamento confuso com sua amiga/namorada Irene. Até que o passado volta a bater em sua porta com um pedido arriscado.

O título faz jus à trama, uma vez que a personagem principal - a desconhecida - seja, exatamente isso, um ser indecifrável, confuso, conflitante e misterioso. A cada momento que pensava estar conhecendo um lado seu, eu descobria que estava enganada, a personagem em si tinha muito a ser explorado e poderia ter surpreendido, porém fiquei esperando o grande boom e nada aconteceu.

Em contra partida temos um mocinho sem graça, com atitudes idiotas e que me deixou revoltada, pois enquanto que nós temos que ler o livro inteiro para ir compreendendo quem realmente é a “Desconhecida” e o que a liga a George, ele por sua vez já a conhece, sabe seu passado, sabe no que está se metendo e mesmo assim escolhe tomar certas decisões. E o autor não me convenceu que o vínculo que possuam era suficiente para tais atitudes e aceitação. E quando cheguei ao fim da obra e vi aquele final só tive plena certeza do quanto George era estúpido. Minha vontade foi de gritar: SÉRIO ISSO PRODUÇÃO?

De modo geral as ideias para o enredo são boas, o autor teria uma trama sensacional, mas acabou se perdendo e não conseguindo desenvolver de maneira satisfatória. Senti que faltou algo, que a história não atingiu seu ápice.

Ainda assim, se você é fã do gênero e está à procura apenas de um passatempo vale a leitura, apenas não vá com grandes expectativas.

A capa da obra está linda, a diagramação simples, mas bonita, parabéns a Editora Novo Conceito por mais um trabalho bem realizado.

site: http://www.atitudeliteraria.com.br/2015/11/resenha-desconhecida-peter-swanson.html#more
comentários(0)comente



Gaby 28/11/2015

Uma narrativa envolvente que prende o leitor do começo ao fim
Ela deixa rastros de caos por onde passa.

George Foss está satisfeito com sua rotina calma e seu relacionamento aberto de muitos anos com Irene. Mas, de maneira nada previsível, sua vida é revirada quando uma antiga namorada, dos tempos da faculdade, reaparece. 20 anos depois de ter sumido de sua vida sem dar satisfações e com 2 acusações de assassinato.
Ele a conheceu como Audrey, mas Liana é seu verdadeiro nome. Uma fugitiva. Assassina e manipuladora. E George sabe de tudo isso. Então porque iria ajudá-la quando ela volta tantos anos depois pedindo ajuda?
Mas, vinte anos atrás, o curto relacionamento que tiveram não terminou nada bem, deixando-o devastado e até hoje com muitas questões sem respostas. Ele irá ajudá-la, esperando entender os porquês que o atormentam, mas também esperando ter algum relacionamento com ela.


Liana Decter está fugindo da policia há quase vinte anos quando surge, do nada, para pedir a ajuda de George para que ele devolva, em seu lugar, o dinheiro que ela roubou do ex namorado milionário. Uma mulher manipuladora e fria. Que sabe fingir muito bem, já que, até o momento, a polícia ainda não conseguiu pegá-la.
George será apenas mais um degrau para alcançar seus objetivos ou ela realmente quer concertar seus erros com ele?

"George imaginara esse momento muitas vezes, mas, de alguma forma, nunca tinha pensado no que poderia ocorrer. Liana não era apenas uma ex-namorada que tinha partido seu coração; ela também era, até onde ele sabia, uma criminosa procurada, uma mulher cujas transgressões estavam mais alinhadas com as de uma tragédia grega do que uma simples indiscrição da juventude."

Ao ajudá-la com o que precisa, ele não estará apenas permitindo que ela se aproxime novamente, mas colocando sua vida e a de todos os que o cercam em risco. Ao fazer aquela entrega quase inofensiva, ele estava entrando em uma rede de intrigas e perseguições muito maior do que poderia imaginar.
Emboscadas, tiroteios e desencontros. A vida de George nunca mais será a mesma.

Sua obsessão por essa mulher pode significar problemas. De novo.
***

A Desconhecida é um Thriller de perseguição com um ritmo de leitura bem agradável e uma narrativa que une presente e passado com maestria.
A escrita do autor é simples e, ao mesmo tempo, descritiva e interativa. Mantem uma aproximação com o leitor mesmo sendo narrado em terceira pessoa.
Os capítulos são curtos e divididos entre presente e passado.
No presente somos apresentados ao George e sua rotina pacata e desinteressante, quando tudo isso é quebrado com a chegada de Liana e todas as questões que ela trás consigo e que foram acumuladas em vinte anos de espera.
No passado acompanhamos o relacionamento dos dois. Do dia em que se conheceram até o dia em que ele descobriu quem ela realmente era e tudo o que se seguiu para que ele desvendasse os mistérios que a rondavam.

Essas mudanças de tempo e ambientação são fundamentais para que o leitor entenda os dilemas do protagonista, mesmo que não concorde com suas ações e possa então saber sobre os crimes que envolvem Liana.

Como protagonista George não convence muito bem. Suas ações são impulsivas e algumas me levaram a questionar o personagem sobre sua idade mental. Aos quarenta anos, não me pareceu, em quase que momento algum, um personagem confiável e maduro, que pesa as consequências de seus atos.

Liana é uma personagem secundária misteriosa e inconstante. As cenas em que aparece são as mais movimentadas, quando o ritmo da leitura aumenta e nos deixa rapidamente ligados no enredo.
Talvez, se possuísse um ponto de vista seu no livro, a atmosfera sombria da narrativa se elevaria ainda mais.

As revelações na estória me deixaram surpresa, enquanto outras foram totalmente previsíveis.

O final foi rápido e deixa uma perguntinha sem resposta. Como se o autor desse aos seus leitores pano branco para criar seu próprio desfecho. Isso particularmente não me incomodou, mas sei que pode ser um ponto negativo para algumas pessoas.

Como uma grande fã de Thrillers fiquei extasiada quando li sobre esse lançamento e, assim que pus as mãos nele, comecei a leitura. Li em pouco mais de um dia e foi uma leitura bem gostosa e despretensiosa. Não é o melhor do gênero, mas conseguiu me entreter e me deixar bem imersa nos mistérios que rondam os personagens.

O enredo me lembrou um pouco o livro Seis Anos Depois, do Harlan Coben, então quem gostou dele, pode gostar desse aqui também ;)


A edição interna está bem simples, mas a arte da capa está simplesmente magnífica. Não só a primeira capa, mas a contracapa também.
Encontrei um ou outro erro de revisão, mas nada que comprometesse a leitura.

Como é um livro curto, tentei ser o mais objetiva possível sem revelar muito do livro, para não estragar as surpresas de ninguém :)
Espero que tenham gostado!

site: http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/2015/11/resenha-desconhecida-peter-swanson.html
comentários(0)comente



Aione 19/11/2015

Por adorar thrillers, fiquei bastante interessada pela premissa de A Desconhecida, lançamento da Editora Novo Conceito, uma vez que o livro promete bastante mistério e intrigas.

George Foss, há cerca de 20 anos, teve um intenso caso de amor durante seu primeiro ano de faculdade. Contudo, sua namorada na época, por quem ele era extremamente apaixonado, sumiu sem deixar vestígios após uma série de estranhas circunstâncias. Agora, em uma noite de sexta-feira em um bar, ela surge de repente, desesperada e clamando pela ajuda dele.

Apesar da premissa interessante, acabei perdendo o interesse pela trama desde o começo da leitura. Inicialmente, atribuí meu desinteresse pelo pouco envolvimento que os fatos estavam me proporcionando – eu simplesmente não conseguia me ater ao que estava lendo, sendo necessário, muitas vezes, retornar alguns parágrafos para reler passagens que eu mal havia captado. Ainda assim, achei interessante a estruturação dos capítulos, sendo que, em alguns, há a narração da história presente, enquanto outros trazem os fatos passados, da época em que George conheceu a misteriosa mulher que marcou sua vida. Com essa alternância, podemos compreender melhor tudo o que aconteceu 20 anos atrás e seus sentimentos atuais, além de haver uma excitação da própria curiosidade despertada sobre a trama.

Além do meu desinteresse, o próprio desenrolar do enredo não me convenceu; achei a trama como um todo um tanto quanto fraca e sem grandes atrativos, incapazes de conquistar minha atenção. Tanto que até mesmo minha leve curiosidade pelas revelações não foi forte o suficiente para que eu desejasse prosseguir a leitura com vigor.

Um dos principais motivos para que eu tenha me desmotivado com o enredo foi a figura do próprio protagonista. George, para mim, beirou a estupidez com suas escolhas, considerando-se todo o passado por ele conhecido; enquanto o leitor descobre, aos poucos, tudo o que o protagonista e sua ex-namorada viveram, George tem total conhecimento do que vivenciou e, dessa maneira, não consegui me sentir convencida por suas atitudes no presente. Assim, não pude deixar de achá-lo extremamente tolo, algo que, infelizmente, influenciou negativamente demais minha leitura.

Mesmo que, após as revelações, eu tenha achado que Peter Swanson teve boas ideias para A Desconhecida, acredito que elas não foram suficientemente bem desenvolvidas, de forma a deixar o enredo bastante previsível em alguns aspectos, e pouco convincente em outros. Muito provavelmente minha má impressão se deu pela minha experiência particular ter sido negativa, de forma que incentivo os interessados pela obra a não deixarem de lê-la, principalmente os aficionados por thrillers; cada leitor realiza uma diferente leitura de um mesmo texto, e outras experiências podem ser muito mais positivas do que a minha própria.

site: http://minhavidaliteraria.com.br/2015/11/19/resenha-a-desconhecida-peter-swanson/
Gaby 19/11/2015minha estante
:o Que pena que o autor não desenvolveu bem suas ideias... Mas quero muito ler, amo Thrillers tbm


Aione 20/11/2015minha estante
As vezes você tem uma visão totalmente diferente da minha, Gaby! Vou torcer pra você gostar :)


jufe 20/11/2015minha estante
tbm tava doida pra ler,desanimei um pouco :/


silvanasartori 23/11/2015minha estante
Olha tava maluca pra ler a resenha de alguém sobre esse livro
Pensei que era algo de terror ou coisa do tipo, mas eu acho
que vou me arriscar, nao sei se irei gostar, mas melhor tirar as conclusões antes de qualquer coisa. Mas eu achei boa sua explicação Aione. Me tirou muitas dúvidas e quero saber melhor como o autor levou a trama.


Jaque - Achei o Livro 09/08/2016minha estante
Nem vou ler então....




53 encontrados | exibindo 46 a 53
1 | 2 | 3 | 4