13 coisas que as pessoas mentalmente fortes não  fazem

13 coisas que as pessoas mentalmente fortes não fazem Amy Morin




Resenhas - 13 Coisas que as Pessoas Mentalmente Fortes não Sabem


9 encontrados | exibindo 1 a 9


Rafael.Said 29/12/2018

Se você tem dificuldade para lidar com os problemas em sua vida, esse livro traz dicas valiosas sobre como você pode melhorar sua mentalidade sobre esses problemas. Eis algumas obeservações pessoais sobre o livro...
A autora se baseia em 13 princípios para ajudar a manter uma mentalidade forte:
• Não tentam agradar o mundo
• Não abrem mão de seu poder
• Não se incomodam com o sucesso dos outros
• Não perdem tempo sentindo pena de si mesmas
• Não temem as mudanças
• Não sentem que o mundo lhes deve alguma coisa
• Não cometem o mesmo erro várias vezes
• Não ficam presas ao passado
• Não têm medo de correr riscos
• Não desistem depois do primeiro fracasso
• Não se concentram naquilo que não podem controlar
• Não esperam resultados imediatos
• Não evitam ficar sozinhas
O livro traz dicas para pensarmos nas coisas que podem estar sabotando nossos esforços para atingirmos nossos objetivos. Tanto o coração como a mente precisam estar em sintonia, só assim teremos serenidade suficiente para controlar nosso corpo.
Deixar de lado os problemas e os medos, sem encará-los de frente, só os adiará, e podem inclusive voltar mais fortes. Muitas vezes exageramos a situação adversa, porém devemos tomar atitudes para enfrenta-las.
Não se preocupe com as pessoas que não gostam de ti. Quanto mais tempo passa se preocupando com eles, mais poder você dá a eles. Não se pode ter uma mente saudável se você dá a outras pessoas o poder de controlar como você se sente e se comporta.
Estabeleça limites. Quando você não estabelece limites, corre o risco de abrir mão do seu próprio poder e entrega-lo aos outros. Por exemplo: “você abre mão de sua força a cada vez que evita dizer não a algo que realmente não quer fazer”. Ao fazer isso, você perde o poder de regular suas próprias emoções, deixando-as dependentes dos outros.
Você deve determinar seus objetivos na vida, não deixar que outros os determinem. Por isso “não dê à opinião de outra pessoa o poder de determinar quem você é. Você pode respeitosamente escolher discordar e seguir em frente, sem dedicar tempo e energia tentando fazer o outro mudar de ideia”. Se você se preocupar com o que os outros pensam, você será eternamente prisioneiro deles.
Você tem a capacidade de fazer a diferença. Tenha em mente que não temos a capacidade de controlar todas as situações, tentar controlar tudo, e todos, desperta uma imensa ansiedade em nós. O que podemos fazer é mudar as situações que estão sobre o nosso controle. Não tente controlar uma tempestade, você não tem poder para isso. O que você pode, e deve fazer, é se preparar da melhor forma para ela.
Cuidado com aqueles que estão sempre pedindo algo. Se tens dificuldade para dizer não por medo de ferir sentimentos alheios, mesmo de pessoas próximas, não há nenhuma garantia de que elas gostarão de você. Isso pode leva-las a tirar vantagens de você, o que acaba te esgotando mentalmente. Você não tem a mínima capacidade de controlar o modo como os outros se sentem. Lembre-se sempre: “tudo bem se outras pessoas ficarem chateadas ou decepcionadas. Não há razão para que as pessoas precisem estar felizes e satisfeitas o tempo inteiro”. Aceitar que não há como agradar todo mundo, te torna mais forte e te liberta.
A autora fala também da importância de termos objetivos e valores na vida. Ter objetivos palpáveis, possíveis de serem atingidos, depende muito mais de cada um de nós do que dos outros. Ter valores é importante para podermos fazer as escolhas certas, independente da ocasião.
Viva o presente. O que aconteceu não há como ser modificado. Para curarmos feridas do passado temos de viver plenamente o presente. Não há quem não erre. O único erro imperdoável é aquele do qual não aprendemos nenhuma lição. Ter ressentimento é o mesmo que beber veneno com a esperança de que ele irá matar seus inimigos.
Tenha sua própria definição de sucesso. Se deseja algo que outro tem, corra atrás. Tentar diminuir o próximo não vai melhorar em nada o seu sucesso. Se você não tem sua própria definição de sucesso, seja ele material ou não, não saberá o que fazer para atingi-lo, e poderá sentir inveja dos outros. Você tem suas próprias habilidades, talentos e experiência de vida, cada um tem os seus. Comparar-se não vai melhorar suas qualidades.
comentários(0)comente



Jaya 23/11/2018

Excelente
Não é um livro de autoajuda.

É um "safanão" e um grito de "acorda" para todos os desorientados vitimistas e coitadinhos que pensam que a vida lhes deve alguma coisa.

O livro nos coloca no lugar explicando que a vida pode ser melhor independente das circunstâncias exteriores. Tudo muda quando mudamos nossa maneira de agir.
comentários(0)comente



Gerson.Salgado 02/04/2018

Excelente!
O livro é muito bom, mostra alguns pensamentos que temos e ajuda a mudar. Mostrando forma de agir e com exemplos de pessoas que pensavam da mesma forma. Ajuda muito a rever nossas formas de pensar e melhorarmos como pessoas
comentários(0)comente



Gabriel 25/09/2017

Dicas práticas e leitura agradável
O livro é bem escrito, tem umas sacadas muito boas sobre hábitos que nós temos e como podemos deixar de fazer coisas que nos atrapalham. São capítulos bem definidos, com uma estrutura narrativa muito simples de causar identificação e dicas práticas que realmente são boas para se colocar em prática. Não é cansativo e nem "caga regra" sobre o que fazer ou deixar de fazer, são sugestões sobre o que pode ajudar a melhorar o estilo de vida que muitas pessoas têm. Tem bastante referência bibliográfica para apoiar as teses da autora, o que ajuda a racionalizar as dicas dela e ajudar os mais céticos a dar uma chance.

Vale a leitura, da pra ler um capítulo por dia e ter alguns bons insights pra vida. =)
comentários(0)comente



Raquel Comunale 04/05/2017

O que é força mental?
Algumas pessoas tem uma pré-disposição para desenvolver força física, por exemplo, e isso também ocorre com a força mental. Fatores como genética, personalidade e experiências de vida podem ajudar a exercitar essa habilidade. Ao trabalhar essa aptidão é possível colher frutos como aumento da resiliência ao estresse, maior satisfação com a vida e melhor desempenho nas metas definidas.

Motivo 1 - Não perdem tempo se vitimizando
Passar a vida inteira se lamentando de uma situação sem tomar uma atitude para mudá-la é um gasto mental enorme. Essa postura vai gerar loop de insatisfação, mágoa e rancor. Ao perceber que esse tipo de comportamento o ideal é tentar anulá-lo com atividades como aprender algo novo, fazer pequenos gestos de gentileza ou ter um trabalho voluntário. O segredo para mudar esse sentimento é descobrir quais comportamentos serão úteis para se livrar da autopiedade. Trocar o sentimento de vítima por gratidão também é uma maneira de mudar de perspectiva.

Motivo 2 - Não deixam o controle da situação nas mãos de outra pessoa
Depender das outras pessoas e das circunstâncias externas para regular nossas emoções é garantia de frustração. Cada indivíduo precisa lidar com seus problemas/dilemas e esperar que esse alguém ignore seus próprios dilemas para orbitar ao nosso redor é, no mínimo, egoísta. Isso funciona também na via contrária: se alguém nos tratar de uma maneira que não gostamos não fazer nada a respeito concede poder a outra pessoa.

Motivo 3 - Não encaram mudanças como algo ruim
Chefes sem noção, empresas sem perspectiva ou um relacionamento falido. Qualquer uma dessas situações provavelmente desperta uma lista de sentimentos péssimos mas muita gente se mantém preso nesse cenário por medo de mudanças. A longo prazo a frustração aumenta tanto que fica difícil seguir em frente.

Existem também mudanças um pouco mais pontuais que também são postergadas por medo ou preguiça de dedicar um tempo na criação de novos hábitos. Por exemplo:
- fazer exercícios físicos
- regular as horas de sono
- beber mais água ao longo do dia
- passar mais tempo com os filhos

Se uma pessoa não faz essas coisas mas gostaria de fazer é importante ter em mente que sem uma estratégia clara para mudar seu comportamento é praticamente impossível progredir.

Motivo 4 - Não perdem tempo pensando em coisas que não podem controlar
Tentar controlar tudo é um desperdício de tempo e energia mental além de aumentar a ansiedade. Não podemos obrigar as pessoas a fazerem as coisas do nosso jeito e nem temos poderes sobre o trânsito ou clima. Ao parar de tentar controlar todos os aspectos da sua vida é possível se dedicar às coisas que pode controlar. Ao mudar essa perspectiva é possível ter mais felicidade, relacionamentos melhores, menos estresse e mais sucesso.

Motivo 5 - Não tentam agradar todo mundo
As pessoas que tentam agradar a todos são facilmente manipuláveis por motivos óbvios. Uma coisa é ajudar alguém pontualmente ou se programar para ajudar alguém, outra coisa completamente diferente é aceitar tudo que te pedem e ignorar outras prioridades na sua vida apenas para ser considerado "bonzinho".

Motivo 6 - Não tem medo de correr riscos
Qualquer tomada de decisão envolve riscos seja mudar de apartamento ou trocar os filhos de escola. A questão é não se deixar cegar pelos riscos/medos analisando com cuidado cada situação. Se mudar de apartamento vai te fazer chegar mais cedo no trabalho mas só existem imóveis disponíveis em uma área pouco movimentada é necessário avaliar o custo de assumir um risco. Infelizmente quase sempre avaliamos os riscos com base nas emoções e não em dados reais por isso é necessário uma análise mais profunda.

Motivo 7 - Não ficam presas ao passado
Lembrar de um erro que seu marido cometeu em 3 de abril de 2010 e ficar brava com ele além de irritante é bastante incoerente. Perder tempo com situações que ocorreram nos impedem de viver o presente e, o principal, nos cegam para o futuro. Estudos indicam que nossas lembranças são moldadas conforme nossa visão e não ao que de fato ocorreu.

Por exemplo:
Imagine um casal que namorou durante alguns anos do ensino médio
10 anos se passam
O homem romantiza o relacionamento acreditando que seria mais feliz se tivesse com aquela pessoa.
A mulher tem lembranças péssimas das atitudes do cara e prefere nem se lembrar dessa época da sua vida.

Motivo 8 - Não cometem o mesmo erro N vezes
Para evitar a repetição de um erro é necessário passar algum tempo estudando-o. Deixe de lado sentimentos negativos que possa ter, reconheça os fatores que o levaram a dar um mau passo e aprenda com isso. Procure uma explicação, mas não uma desculpa. Por exemplo: se você prometeu não comer doces a noite mas acaba sempre cometendo o mesmo erro cogite dificultar o acesso ou até mesmo fazer outra atividade no horário que você mapeou como "a hora do doce".

Motivo 9 - Não se incomodam com o sucesso alheio
Quanto mais tempo gastar se preocupando com as conquistas dos outros, menos tempo terá para trabalhar em direção às próprias metas.

Motivo 10 - Não desistem depois do primeiro erro
A maioria dos talentos pode ser cultivada pelo esforço então se você decide praticar um esporte novo ou aprender um novo idioma provavelmente terá problemas no início mas se persistir em médio prazo terá resultados positivos. A determinação é mais importante que o QI, por exemplo. O QI de uma pessoa não prevê muito bem se ela será ou não bem-sucedida. Já a determinação, definida como perseverança e paixão por um objetivo de longo prazo, é um modo mais exato.

Motivo 11 - Não evitam ficar sozinhas
As vezes nos cercamos de pessoas, atividades e programações e esquecemos que a solidão é necessária. Na correria da rotina dedicar um tempo para pensar e refletir é fundamental.

Motivo 12 - Não sentem que o mundo lhes deve alguma coisa
A maioria de nós foi criada por uma família preocupada em nos proteger e garantir nossa felicidade. O problema é que ao atingir a vida adulta alguns ainda seguem pensando que merecem ser mais feliz por N motivos.

Motivo 13 - Não esperam resultados imediatos

Resoluções de ano novo são belos exemplos de desistências após um curto prazo de tempo. Nossa mente está tão acostumada a rapidez tecnológica que cogitar demorar meses para mudar um hábito parece absurdo. Algumas pessoas tentam pegar atalhos mas quase sempre encontram problemas pelo caminho.

site: http://desencontre.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Renann 16/02/2017

Zen
Uma excelente leitura para aqueles que buscam uma vida melhor e mais organizada.

É incrível o poder que nossa mente possui, ao passo que é notória também a nossa falta de organização em variados campos de nossas vidas.

A autora traz em cada capítulo uma história exemplificativa acerca do assunto tratado com base em suas consultas como terapeuta.

Fica claro que o livro tem uma proposta ousada, trazendo modelos de vida, questionamentos sobre nossas ações e condutas, assim como busca a autora nos aproximar o máximo possivel dos nossos verdadeiros erros para que possamos encara-los e corrigi-los.

É uma excelente leitura. Recomendo.
comentários(0)comente



Iza 11/02/2017

Essencial
Bom, primeiro queria dizer que foi maravilhoso começar o ano com essa leitura! Considero um livro essencial para qualquer um como foi pra mim, e que possa inspirar mais pessoas como me inspirou. Meu tempo foi muito bem aproveitado, e espero que vocês também possam aproveitá-lo para melhorar suas vidas.

O livro é dividido em 13 capítulos, os quais cada um fala sobre uma coisa que pessoas mentalmente fortes não devem fazer. Cada um se inicia com a trajetória de alguém, e segue com algumas pistas de quais ações você possa estar tomando para contribuir com aquele hábito, como agir diante disso (com dicas, instruções e pessoas inspiradoras) e o que não deve fazer e o que deve fazer no final de cada um.

Devo acrescentar também que não é um livro de auto-ajuda qualquer, clichê. Há pesquisas e estudos que o complementam. Esse tipo de leitura me inspirou e ajudou muito, e posso dizer que mudou minha visão de tudo. Me fez ver coisas que não era capaz de ver.

Quem ama psicologia ou precisa de uma ajudinha pra ser mentalmente mais forte e se sentir bem consigo mesmo e com o mundo, ta mais do que recomendado. Virou meu preferido com certeza!


site: Instagram: @leiturainformal
comentários(0)comente



Alex Souza 03/12/2015

Muuuuuito bom!!! Recomendo!!!
Como é bom ler um livro bom! Não é verdade? Dá um sentimento de "usei bem o meu tempo, não desperdicei e ainda cresci como pessoa"... Hein? Você não pensa assim também?

Então, você está diante de um livro assim. Este livro é assim, faz seu tempo valer a pena e ainda acrescenta a sua vida. É um livro que aborda pontos importantes de nossa vida, só que com um detalhe, não é um daqueles livros cheio de frases de efeito, de pensamentos positivos, etc, etc, que encontramos em alguns livros de "auto-ajuda que inundam as livrarias hoje em dia... Nada disso! Ele passa longe desse gênero, muito longe!

O livro que mais parece uma sessão de terapia - não a toa a autora é uma terapeuta - onde você recebe questionamentos e insights que lhe põe a pensar sobre o qual benéfica são algumas ações e atitudes que tomamos em nossa vida, onde a partir desses pensamentos somos incentivados a avaliar se vale a pena ou não continuar com eles.

Resumindo, se tiver a oportunidade, leia o livro! Você não perderá seu tempo, pelo contrário, você economizará seu tempo futuro se analisar e corrigir pequenos deslizes que cometemos, mas que nem nos damos conta do quanto influenciam em nosso desenvolvimento como pessoa.

Enfim, é minha opinião sobre o livro. Ponto.

Abraço!
comentários(0)comente



lena 11/10/2015

O que as pessoas buscam no mundo de hoje?
Bem cheguei a conclusão que ,muitos querem dominar o mundo e outros querem salvá - lo como entender não é?
algumas pessoas acham que são donas do mundo,tipo tudo tem que estar do seu jeito e não importa o que tem de fazer para conseguir o que quer ou seja só pensam em si mesmo e os outros que se danem...Já tem a parte bondosa desejando salvar o mundo de um terrível caos no futuro. ..
Daniela.Lopes 19/10/2015minha estante
esse livro é bom ensinar a pessoa que não é forte e quando ler esse livro vira forte, gostei de ler ele. ...




9 encontrados | exibindo 1 a 9