Alice Black

Alice Black Carlos Henrique Abbud
Flávia Gonçalves




Resenhas - Alice Black


15 encontrados | exibindo 1 a 15


Ana Claudia 18/01/2021

ALICE BLACK
Numa estrutura próxima a dos contos de fadas, será que haveria um "princesinha do Inferno"?
É justamente essa a proposta do querido casal de escritores, também músicos, Carlos e Flávia, quando nos apontam a leitura de sua obra Alice Black - Princesinha do Inferno, publicada pela editora Pendragon.
Chamada de "desplugada" por seus colegas de banda, a jovem Alice tinha predileção por estar envolta aos equipamentos de som e os instrumentos por eles utilizados em seus shows. Isolava-se no fundo da velha e cansada van que os transportava de um evento a outro.
Aos 18 anos, como a roadie da Mell's Angels, banda de sua irmã, Melissa Black, ela era considerada um estorvo.
Assim, um pacto fora suficiente para que, pelo sucesso repentino do grupo, sua alma fosse doada. Uma traição!
Alice então joga-se ao mais profundo abismo, mas o Príncipe das Trevas não permite que ela misture-se aos mais terríveis pecadores.
É aí que o leitor tem acesso a capítulos, em sua maioria curtos, a uma exemplar descrição do espaço pelo qual a protagonista passaria a habitar, por entre cães, lamas fervescentes, monstros, bestas, grunhidos de dor infernais...

... e a música.
Alice Black, nossa princesinha avessa a dos contos de fadas originais, passa por diversas aventuras, perpassa por obstáculos, adota um companheiro — um animal de estimação — o Ás de Espadas — além de conhecer outros seres que naquele espaço também habitavam e que teriam o mesmo que gosto musical que ela.
Uma fantasia bem narrada, com lindas ilustrações do autor, um ambiente construído de forma bem elaborada, além da bela preparação das personagens, em Alice Black - Princesinha do Inferno os escritores Carlos e Flávia conseguem nos transportar a uma super fantasia musical na literatura brasileira, regada a desafios vividos por Alice com o Príncipe do Inferno, mesclados ao bom e velho rock'n roll.

E aí, já leram?

site: https://www.cafecomleitura.com/2021/01/003021-alice-black-princesinha-do.html
comentários(0)comente



Amanda Maia 30/11/2020

Alice Black
Alice é uma jovem que vive na sombra de sua irmã, até o dia em que se descobre em meio a um ritual satânico e, logo depois, acaba indo direto pro mundo inferior. Então, várias provações se desencadeiam em sua jornada. Alice conhece seres, percebe arredores tenebrosos e nota que tudo, nesse novo local, está conectado ao rock. A cada situação a jovem se vê mais e mais imersa ao contexto do mundo inferior, que é muito mais do que os humanos acreditam ser. O caminho de Alice é incrível e por vezes me lembrou de Alice no País das Maravilhas, como os próprios autores afirmam terem se inspirado. A protagonista percorre um trajeto árduo e faz uma amizade fofa que a ajuda por um longo percurso, o Ás de Espadas, um cão infernal!

Quando a jovem chega onde deseja, percebe chamar a atenção do príncipe do inferno. No momento em que um romance começa a pontar eu esperava um pouco mais dessa conexão, o momento de encaixe entre a jornada da jovem sozinha e o seu despertar para algo mais, achei que esse encaixe poderia ter sido melhor elaborado. Contudo todos os pontos da narrativa são muito gostosos de serem lidos e conduzem o leitor por todo o ambiente criado, dando um vislumbre incrível de tudo pelo que a personagem passa. Não é só sobre a evolução da personagem ou o romance vivenciado, é sobre entender as situações, não deixar passar as oportunidades e aproveitar cada instante com muita energia e divertimento!

Foi uma viagem fazer essa leitura, poder aprender com os personagens e ver suas evoluções! Foi divertido ler cada um dos capítulos e conhecer uma história única com uma temática que me conquistou e me deixou querendo saber ainda mais dos próximos passos da pessoa incrível que Alice se tornou, no desfecho do livro!

@oparaisodaleitura

site: https://oparaisodaleitura.com/
comentários(0)comente



jeeeh.carool 11/01/2016

Resenha Love Book S2
Alice Black foi um dos livros que mais mexeram com os meus sentimentos, desde ao sentimento de amor até o de ódio mortal!
Quem se interessar em ler se prepare para querer matar alguns personagens, quando eu digo MATAR eu quero dizer SUMIR com ele do livro, como por exemplo nossa querida Melissa... gente nem vou falar sobre ela senão irei ficar aqui ate amanha citando os motivos de tanto ódio e rancor por essa personagem... o principal é " COMO ALGUEM PODE SER TÃO MESQUINHA DAQUELE JEITO!" Gente se vocês soubessem o tanto que ja reclamei dela pro Carlos e pra Flávia (risos) , mas enfim vamos esquecer a Melissa (ela gosta de ser chamada de Mell mas eu sou divergente e não posso ser controlada!)
Outro ponto que não posso deixar de citar é que eu devo ter algum problema mental (risos). Porque que tipo de pessoa se apaixona por um demônio? Sim, essa pessoa sou eu e a Alice (risos), mas enfim James é um fofo é impossível não se apaixonar por ele.
Claro que não posso deixar de fora o meu querido As de Espada um lindo cãozinho do inferno que acompanha Alice em sua jornada até que o Carlos e a Flávia resolvem fazer uma maldade com o pobre bichinho. Sim, eu não superei!
Mas o que eu posso dizer é que esse livro com toda certeza entrou na minha listinha dos favoritos e eu recomendo a leitura para todos!


Alice Black conta a estória da roadie Alice que dedica os dias de sua vida trabalhando com a banda da sua irmã, onde ela é humilhada e tratada como um peso para eles.
Até que um dia eles tem a brilhante ideia de fazer um pacto oferecendo a alma de Alice em troca de fama, sucesso e dinheiro.
Então é ai que tudo começa... Quando a banda Mell's é chamada para abrir o show de uma das bandas mais famosas do momento, eles começam a perceber que o pacto deu certo. Mas Alice não tem a mínima noção de que eles fizeram isso.
O show de abertura correu perfeitamente e eles foram um sucesso! No fim do show Melissa produziu toda a irmã e pediu para que ela fosse receber o "pagamento" da banda.
O que Alice nem imaginava é que aquele seria seu ultimo momento na terra e que a partir dali sua alma, seu corpo e sua vida estariam presos em outra dimensão totalmente diferente.
Com uma escrita viciante o Carlos e a Flávia mexem com todos os seus sentimentos, fazendo você torcer e sofrer junto com a Alice.

site: http://www.lovebooks2.com.br/2016/01/resenha-alice-black-princesinha-do.html
comentários(0)comente



Gabi @qualoproximolivro 24/02/2016

Alice Black- A Princesinha do Inferno
Alice Black é o livro que qualquer fã de rock gostaria de ler. Em emocionantes 320 páginas, a trajetória de Alice pelo submundo é surpreendente e nos deixa sempre ansiosos pelos próximos capítulos.

O livro conta a história de Alice, roadie da banda Mell's Angels que tem Mell Black, sua irmã mais velha, como vocalista. Constantemente maltratada pelos membros da banda, Alice sofre algo ainda pior do que receber simples xingamentos: tem sua alma vendida. Em troca de sucesso sua irmã a manda para o submundo ao fazer um pacto com o tão terrível Príncipe das Trevas.

Abalada e sem rumo, Alice inicia uma comovente jornada através desse novo mundo onde descobre mais sobre quem é, seus verdadeiros desejos e ganha poder para poder enfrentar os mais terríveis perigos. Como se não bastassem todas as emoções que a narrativa transmite, temos diversas referências ao mundo do rock, com bandas, nomes de músicos, mascotes e etc

Alice Black é um livro que pode não falar, mas que definitivamente transborda música de suas páginas e faz soar as mais perfeitas melodias da Cidade Paraíso. Uma narrativa fluida com um final de tirar o fôlego. Super recomendado!

Para mais fotos e resenhas visite: @qualoproximolivro
comentários(0)comente



Ler e Amar 16/05/2016

Confira, no blog Ler e Amar com a Dri.
Olá, queridos leitores! 
Como estamos? (Risos)


E para a primeira resenha deste mês  vamos começar com algo bem agitado e com bons sons de uma guitarra... 


Que tal um pouco de Rock and roll ?


Alice Black 


A princesinha do Inferno

Autor: Carlos Henrique Abbud e Flávia Gonçalves 
Páginas: 320
Editora: Editora Autografia
Edição: 2015

Alice é uma pobre mulher que é constantemente humilhada, maltratada e usada pela sua irmã Melissa - uma garota mal-criada e principal integrante da Mell's Angels a mais nova banda de rock da cidade - sendo Alice a roadie da banda.
Que digamos a verdade: a banda era mal organizada e as atitudes mesquinhas de Melissa e seus fiéis companheiros era de se envergonhar.
A vida de Alice ja não era lá grandes coisas, mas depois das atitudes de sua irmã as coisas pioraram.
Em troca de sucesso imediato para a banda, Melissa, Nikki e Carmine simplesmente resolveram vender a alma de Alice. 
A pobre e inocente Alice que 
até então mal sabia de tamanha crueldade de sua irmã, em um passe de mágica se viu em um submundo desconhecido e inimaginável. 
Com uma chegada não muito prazerosa, Alice chega ao submundo de uma forma desagradável e totalmente descrente do que via.
A partir daí, suas batalhas apenas começam.  
Dor, medo, perigos e desafios são postos aquela menina desprotegida. Mas não somente de sofrimentos ela "viverá "! 
Em meio às suas dificuldades,  Alice também conseguiu ver o lado "bom" deste submundo.
Conseguiu até mesmo domar um animalzinho! Reconheceu vários astros do rock e fez algumas amizades por onde andou. Conseguiu criar forças e coragem em momentos em que ela poderia desistir. Encontrou pessoas traiçoeiras e vários submundos.
E em busca de uma passagem de volta para a Terra, Alice acaba conhecendo melhor O Príncipe das Trevas e entendendo um pouco sobre tudo que acontece neste mundo até então desconhecido. 
Muitas surpresas estão por vir... Mas é claro que não vou dar spoillers (risos). 
A única coisa que sei é que Alice terá que fazer uma escolha que mudará todo o seu curso por aquele submundo.
O que será que acontece com Melissa e a banda?  
Alice consegue achar um terreno digno para se viver por lá? 
E o que o Rei das Trevas pensa sobre isso? 


Você pode saber mais pedindo seu exemplar aqui e nos contando o que achou da história! :)


Sinopse:
Alice é roadie da Mell's Angels, uma banda de rock iniciante, cuja estrela é sua irmã mais velha. Humilhada constantemente pelos integrantes, sua situação piora quando descobre que eles venderam sua alma em troca de sucesso imediato. Lançada no submundo, enquanto a banda desponta para o estrelato, Alice inicia uma louca jornada através dos perigos, descobertas, desafios, e - por que não? ? encantos de um inferno totalmente rock and roll, governado por um Príncipe das Trevas que talvez nem seja tão terrível assim...

Para adquirir este maravilhoso exemplar é só clicar aqui.


Observações e críticas


A capa é única. Foi criada exclusivamente para esta obra. A imagen foi muito bem trabalha, trazendo a protagonista Alice na capa, com todas as suas características e vestimentas detalhadamente desenhada nesta imagem. A imagem é impecável.  Com Alice meio ajoelhada e meio agachada aos fundo traz a imagem do seu mais novo mundo - as trevas - em um tom avermelhado a capa ganha um certo perigo e noção do que está por vir. O título e nome dos autores estão escritos em letras brancas de fontes simples deixando tudo muito agradável de se ver.
A contra-capa já mostra um modo mais amplicado do submundo em que o Príncipe das Trevas toma conta e tem uma sinopse bastante discreta.
Achei tudo muito bonito e harmonioso.



A diagramação também foi muito bem feita.

Parece clichê eu falar que gostei de tudo só porque eles são meus parceiros... mas não! Eu realmente gostei de tuuuuuuuuuuuudo!
A história foi separada adequadamente em 38 capítulos, cada um mais bem escrito e cheio de aventuras do que o outro. A diagramação está bem organizada deixando a leitura mais agradável do que já é por si só  (risos) e as fontes usadas foram simples e de bom tamanho.
Os capítulos foram numerados e titulados, as paginas sempre contendo numeração e o título da obra.


A história foi narrada em terceira pessoa e contada formalmente (sem ser chata), mas não deixando o ar jovial escapar. 
Os autores usaram palavras comuns e algumas mais sofisticadas, mas nunca nos deixando confusos ou perdidos na história. 

A revisão foi muito bem estudada e levada à sério. Não percebi nenhum erro ortográfico ou erro de digitação. Apesar que eu queria era acabar logo a história e saber o que acontece com Alice,  (risos) mas erros são difíceis passarem despercebidos.
Parabéns à Natali Sorrentino e claro aos autores que tiveram um trabalho árduo mas impecável. 


Para o enredo eu nem tenho palavras para descrever o quão foi bem feito.
Os autores tem uma certa afinidade com as palavras e tanta criatividade que poderiam ser confundidos com quem sabe um Harlan Coben em outros tipos de contos. 
Eles tem um desenrolar da história tão profissional que eu fiquei de boca aberta com tanta perfeição ao decorrer desta obra.
Meus sinceros votos aos autores que fizeram um belíssimo trabalho.


Personagens...

Alice é linda! Mesmo eu não vendo eu sei que ela é linda. Os autores passaram as características e é possível você ler as falas de Alice e imaginar um tom de voz meigo e tímido. 
Além de ser linda,  Alice também é muito humana. Ela é capaz de ter sentimentos verdadeiros por até mesmo àqueles que lhe fizeram mal. Com confiança aprendeu a ser destemida e guerreira. 
Eu diria que Alice é uma forte candidata para Jogos vorazes. 

Melissa é a irmã má. (Sem mais)

James é um bonitão que mostrará seus truques para Alice.

Príncipe das Trevas é um bonitão mal que nem é tao mal assim! Mas neh, não deixa de ser mal (risos) e também não deixe de ser o filho do dono do Inferno.

Às de espadas é um bichinho das profundezas que.... (deixa o suspense aí )


Outros personagens merecem um pouco mais de espaço mas é impossível falar deles sem dar spoillers.

Quem quiser conhecer o Instagram dos autores, clique aqui.


Espero que tenham gostado e adquiram logo o seu exemplar! 


Beijocas da Dri 
?
comentários(0)comente



Literaturizando 27/04/2016

Surpreendente!
Aqui, antes de falar do livro, surgiu a necessidade de falar do casal de autores:

Esses dois são ma-lu-cos, gente... Só pode!!!
Escritores cruelmente inteligentes.
------------
Fugindo de tudo que possa ser previsível, é uma das histórias mais ORIGINAIS que já li NA VIDA!!!! Me deparei com a 'outra dimensão' de uma forma que nunca nem sequer imaginei e, com toda certeza, vocês também não.

Um universo completo, criado de maneira inexplicavelmente convincente, com uma história profunda, que ousa ser tão fofa quanto assustadora.

Com muito rock and roll, um toque de humor negro, e uma criatividade absurdamente inovadora, os autores criaram personagens surreais, de maneira assustadoramente real:

Pode isso?
Não faço ideia de como, mas sim, pode.

Esse livro teve a capacidade de fazer da morte, dos mitos, dos medos e da superfície negra lá de baixo assuntos tão envolventes que fica impossível parar de ler.

Fiquei esperando e buscando erros, tanto no universo criado, como na diagramação, mas eles não aconteceram.
Percebe-se que ao escrever esse livro, sabiam exatamente onde queriam chegar.
-> E chegaram.

#Obs.: J._K._Rowling que se prepare: Aqui estão duas mentes à altura.

Carlos e Flávia, vocês ganharam mais uma fã, dentre os milhões que, inquestionavelmente, virão por ai.

Nota: 5/5.
comentários(0)comente



Mah 29/06/2016

Rock e Livros!
É com um imenso prazer que trago hoje para vocês a resenha do livro Alice Black, que foi uma das leituras mais encantadoras que tive esse ano!

Somos levados a conhecer Alice Black, uma jovem de dezoito anos, tímida, deslocada e ingênua, sendo ela a roadie da banda Mell’s Angels, cuja irmã, Melissa, é a estrela principal. A banda é pequena e de rock iniciante, composta por Carmine, a baterista, Nikki, o baixista, e na guitarra e vocal está Melissa, ou Mell como ela prefere ser chamada. Juntos, eles apelidaram Alice de desplugada e a fazem de gato e sapato, tornando a vida dela ainda mais difícil.

Alice teve uma infância complicada, fugiu do orfanato com sua irmã quando crianças, e ambas se refugiaram nas ruas. Embora Alice tenha preservado um coração bondoso, desconfio que Melissa nunca tenha tido um.

Quando digo que Melissa é uma megera, não estou exagerando. Em troca de sucesso e fama imediata, ela foi capaz, juntamente com o restante da banda, vender a alma de Alice para o Príncipe das Trevas, ou simplesmente James, como ele prefere.

“-Na Terra, gosto que me chamem de James –disse ele, como se quisesse recomeçar aquele encontro. –Mas as pessoas me dão muitos nomes. Acabo me acostumando com todos.”

Alice em toda sua inocência logo se ver em um elevador escuro e macabro, e quando as portas se abrem... ela se encontra no inferno.

“—Contrato é contrato - disse ele, as chamas azuis de seus olhos um pouco mais brandas. —Se houvesse alguma honra na banda, teriam sacrificado algum deles próprios. Mas, em se tratando de pactos comigo, quase nunca há. Não há nada a fazer. Quando a porta se abrir novamente, estará em meu mundo. Seu lar, para sempre.” –James.

Lá ela descobre que não está realmente no inferno- inferno, e sim em uma espécie de platô chamada de Hotfield, criada pelo Príncipe das Trevas, designada para as pessoas que fecharam pactos com ele, o que não torna tudo exatamente melhor.

“Talvez fosse isso. Talvez, o castigo mais amargo para os que estavam ali era imaginar o mundo em que viviam seguir adiante daquela maneira tão rápida, deixando-os para trás.”

Alice é como um ímã para confusão, então James acaba por colocá-la sobre os cuidados de Pagenini, um violinista e um dos primeiros a se tornar “habitante” de Hotfield.

“—Eu tenho a minha música –respondeu ele, com indisfarçável orgulho. –Mas, nos piores momentos, quando realmente penso estar em um lugar ruim, procuro olhar além da borda, e assim, nunca me esqueço de que é lá o verdadeiro inferno.” –Pegenine.

Com ele, Alice descobre que as bandas do Príncipe “descem” para o festival que ele organiza na Cidade Paraíso, um lugar onde normalmente esses artistas passam a “viver” após morrerem na Terra. Ela está determinada a encontrar a irmã na Cidade, certa de que Melissa irá ajudá-la a desfazer todo esse “mal-entendido”.
A partir daí Alice embarca numa jornada até a Cidade Paraíso juntamente com seu cão infernal, (que eu achei a coisa mais fofa do mundo!) o Às de Espadas. Durante o trajeto, ela conhece outros músicos, como os Três Reis, e enfrenta perigos e desafios, descobrindo coisas surpreendentes a respeito do tenebroso Príncipe das Trevas...

“—Não. É o filho único do Rei das Trevas. Em troca de lealdade e total obediência através dos séculos, o pai permitiu que ele criasse esse platô. Não faz muito tempo. [...] –Pegenine.

Enfim leitores... Acontece um milhão de coisas quando ela chega a Cidade Paraíso e mais meio milhão depois de... Mas vou me conter para não dá altos spoilers aqui (risos), mas garanto que cada página desse livro promete muitos acontecimentos marcantes, principalmente sobre como Alice Black se tornou a princesinha do inferno...

“Alice sorriu o mesmo sorriso que enxergou no rosto dele, e teve certeza de que os jogos de caça haviam acabado. Não eram mais presa e predador. Eram ambos prisioneiros da noite que apenas começava, cumplices na busca por satisfazer os mesmo desejos.”

A história é narrada na terceira pessoa, sobre a perspectiva da nossa heroína Alice. Adorei acompanhar seu amadurecimento, e sua jornada por Hotfield. No fim das contas, ela deixa de ser tão ingênua e se torna uma mulher forte e ousada, uma verdadeira artista talentosa, ao contrário da sua irmã invejosa e perversa.

A escrita de Carlos e Flávia é maravilhosa, simples, divertida e cativante, agradeço de coração por terem me dado essa incrível oportunidade de ler esse livro extraordinário! Amei cada personagem, principalmente James, que possui uma história diferente de tudo que já li. Ele é um “jovem” sagaz e sedutor, um completo fanático por rock tanto quanto Alice. Eles dois juntos são arrebatadores!

“—Ah. Eu ouço... Mágica –respondeu ela, decidida. —Mágica acompanhada por sons selvagens, como em um tipo de alquimia. Lindos harmônios, como auroras boreais. Uma nota após outra, e outra, gerando uma escultura de som. É isso o que eu ouço.
James afastou-se um pouco e sorriu, visivelmente orgulhoso.

E gente, que capa é essa?! Eu amei demais! Ela tem altas referências da história, e suas cores refletem todo aquele ar infernal de Hotfield. Gostei bastante da diagramação do livro, todos os capítulos possuem seu título e não muito longos, o que aprecio muito.

“Qual dos dois estava ali diante dela? O Todo-Poderoso Príncipe das Trevas, governante de Hotfield, ou James, um homem simples e amável, cujo coração era cheio de energia e puro rock and roll?”

Então leitores, é claro que eu recomendo esse romance sobrenatural não somente para os fãs de Rock in Roll e amantes literários, mas para todos que querem mergulhar nessa cativante história de Alice Black – Princesinha do Inferno, pois é uma leitura para todos os gostos.

“—[...] Eu acreditei, e tudo isso começou a acontecer. Quem nasceu para o rock tem um espírito, sabe. Tem sede de liberdade, e paixão verdadeira pela música. Toca com a alma. Ou não toca.” –Dave Hemmet, vocalista do Metalldeth.


site: http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/2016/06/resenha-alice-black.html
comentários(0)comente



Thalia 11/08/2016

Original,fantástico e surpreendente
Alice Black - Princesinha do Inferno, consegui ser o livro mais original que li,sim,original!Mas por que?Simples,a história é totalmente diferente de tudo que já li,o mundo criado é fantástico,toda aquela ideia do submundo é fascinante e a única coisa que eu queria fazer era me jogar dentro do livro. Tentarei,se meu dedo nervoso ajudar,escrever uma resenha sem muitos spoiler.
Nossa personagem é Alice Black,a roadie da banda Mell's Angels,que tem como estrela sua irmã,Melissa.Alice vive uma vida sofrida,humilhada e esnobada pela irmã e os integrantes da banda porém ela é ingénua e acha que eles realmente gostam dela.
O que ela não imaginava aconteceu,sua alma foi vendida em troca de sucesso para a banda,perdida em um mundo que não conhecia,uma realidade fora do comum.
O Submundo é totalmente diferente do que você imagina.Ele respira e inspira o Rock and Roll,foi lá que tudo surgiu,e Hotfield faz parte desse submundo que foi "cedida" pelo Rei das Trevas para seu filho único o Príncipe das Trevas lindo,maravilhoso,sexy,Alice tem como foco em sua aventura chegar a Cidade do Paraíso,todas as bandas que estão lá são gerenciadas por James,Príncipe das Trevas, e lá encontrar sua irmã.
Ate chegar Cidade do Paraíso ela irá encontrar várias aventuras que vão de jogar cartas com anjos e ate correr atrás de guitarras voadoras.Alice tem uma imagem de James como uma pessoa crúel e sem nada de bom,mas ela ira percebe como ele não é tudo isso que ela pensava.Mas,quem é esse tal Príncipe das Trevas?
James,é seu nome,ele que comanda todo Hotfield e gerência as bandas que visitam o submundo.No inicio eu achava que ele ia ser uma pessoa egocêntrico e terrível mas James demonstra ser compreensivo,amigo e muito lindo por sinal!E como eu acho que já é óbvio,Alice e James terão uma história para contar.
Eu quase amei todos os personagens,quase...Melissa Black,irmã de Alice é egocêntrica,irritante,metida e sente muita inveja da irmã eu queria pegar um tijolo e jogar na cabeça dela.Ela fazia de tudo para deixar Alice humilhada e muito triste,logo que ela sabia que sua irmã tinha talentos muitos melhores do que os dela.Além dela existia os outros integrantes como Carmine e Nikki mas que não chegava ao nível de chatice da Melissa mas que sempre humilhava e queria o mal para a "desplugada",como eles a chamavam.
Esse livro consegui ser diferente por vários aspectos.Uma história totalmente original para mim com toda a temática da música e de um submundo diferente do que imaginávamos.Os autores conseguiram criar um mundo totalmente diferente com presença de vários personagens ao longo da história que acabaram deixando o livro com mais vida.
A personagem principal consegui evolui a cada acontecimento e crescer junto com a história,deixando ser uma pessoa ingénua e se tornando uma pessoa determinada cheia de força,deixando de lado o medo que sentia de lá e tornando ele seu lar,o lugar que ela realmente se encaixava.
O que o livro me mostrou é que independente de que lugar estamos nos podemos ser o que queremos. Podendo amar,sorrir,construir amizades e ser feliz.E que mesmo o submundo sendo tão terrível e tenebroso ainda a esperança e amor.O livro tem romance mas o que me prendeu mesmo foi todo aquele mundo,as aventuras da personagem.
Eu gosto muito de livros detalhados,ele não tem muito detalhes em relação a personagem mas em relação ao mundo criado está cheio,como a cada sino tocado passava 6 meses e que quando acontecia um festival o tempo parava para os rockstars e só se passavam 10 minutos na terra,eu achei isso fantástico.
Esse livro consegui superar minha expectativas recomendo a todos independente do seu estilo músical. Tem apenas um ponto negativo: deveria ter mais páginas!Haha
O livro tem páginas brancas mas que não são finas e não vão dificultar você a ler,a letras são médias o que é não vai prejudicar a sua visão.
Os capítulos são bem simples com títulos que tem haver com a história e eles são capítulos que variam,alguns são pequenos e outros já tem uma quantidade maior de páginas.
E a capa!COMO ELA É LINDA!Fiquei apaixonada pela capa,cada detalhe que tem nela aparece no livro,simplesmente perfeita.
Minha conclusão: Você deve colocar Alice Black - Princesinha do Inferno na sua lista de leitura.Pois vale muita a pena ler esse livro.Super recomendo

site: http://mundosecretodalia.blogspot.com.br/2016/08/resenha-alice-black-princesinha-do.html#more
comentários(0)comente



sentilivros 26/09/2016

resenha de Alice Black
" Quem nasceu para o rock tem um espirito, sabe. Tem sede de liberdade, e paixão verdadeira pela música..."
Alice é uma órfã "explorada" e sempre humilhada pela irmã mais velha, Melissa. Que juntamente com Carmine e Nikki tinham uma banda de rock. Ela era como uma roldie, ou um "faz tudo" mesmo para eles.
No dia do Halloween, Alice tem um pesadelo com o príncipe das trevas e logo em seguida descobre que sua irmã e seus amigos"venderam" a alma dela em troca de ficarem"famosos com a banda.
"...Era isso. O olhar. A diferença entre alguém naturalmente extrovertido e um simples idiota."
Assim, Alice vai para o inferno e ao tentar ir mais além, devido já estar na merd@ mesmo, o próprio "Príncipe" a impede e a "salva".
"...Enfim, experimentar todos os perigos que esse mundo pode me oferecer, só por diversão. Afinal, dor, aqui, não existe, não é?"
Aqui começa sua aventura pelo submundo conhecendo inúmeros artistas, muitos roqueiros famosos incluídos. Seus nomes foram trocados assim como os nomes das bandas, mas os novos nomes nos remete claramente aos "originais". Eu amo rock and roll, então o livro é cheio de significados e uma delícia de ser lido.
"_ Ah. Eu ouço...Mágica - respondeu ela decidida. - Mágica acompanhada por sons selvagens, como em um tipo de alquimia. Linos harmônicos, como auroras boreais..."
Alice é uma personagem que vai crescendo e amadurecendo no decorrer do livro, fazendo amizades e descobrindo sentimentos fortes em relação ao Príncipe.
"...Ele não apenas toca guitarra, Toca para a guitarra, sobre a guitarra, com a guitarra. Uns fazem algo simplesmente teatral. Dave, não. A guitarra é como uma extensão de seu ser."
O ápice do livro é bem "contraditório", mas ao mesmo tempo, esperado. Os autores nos encaminham a esse momento e aguardamos ansiosos a resolução.
Eu não sei como falar do livro sem soltar spoilers. Mas, de verdade, procurem e se deliciem com a leitura. Se curtem música então, é leitura obrigatória.
Mais um nacional muito bom!
"Quando começou a conhecer a boa música, ela os considerava deuses encarnados, invencíveis e infalíveis. Depois, tornaram-se sua família, entoando seus conselhos em ritmos e melodias que eram verdadeiros antídotos contra a amargura do mundo. Agora, ela sabia a verdade."
Eu amei e Recomendo!!!


site: http://sentimentonoslivros.blogspot.com.br/2016/09/alice-black-princesinha-do-inferno.html
comentários(0)comente



Adriana 15/10/2016

Alice Black - A Princesinha do Inferno de Carlos Henrique Abbud e Flávia Gonçalves
Alice é uma jovem doce e ingênua que trabalha como roadie para a banda de sua irmã Melissa a Mell's Angels. Todos na banda, principalmente sua irmã a tratam como um capacho, e ela é constantemente humilhada, esculachada e chamada de desplugada por todos.
E em troca de sucesso rápido os três integrantes da banda decidem fazer um pacto com o príncipe das trevas, oferecendo a alma de Alice como pagamento. Claro que tudo isso é feito sem o consentimento ou conhecimento de Alice, que depois de cair numa terrível armadilha se ver presa no submundo com seres estranhos e situações abomináveis.

Determinada a reencontrar sua irmã e tentar entender o que de fato aconteceu, ela decide enfrentar os seus medos e encarar sua nova realidade explorando o lugar onde será seu possível novo lar.
Alice passa por várias situações de perigos, pois apesar de estar no submundo ela permanece viva. E em uma dessas aventuras ela é quase devorada por uma horrenda a criatura, um cão do inferno, mas ela reverte a situação criando um vínculo e até mesmo uma bela amizade com o bichinho também conhecido como Às de Espadas. ♡♡♡

Sendo assim, ela descobre que há uma cidade dentro do submundo chamada Cidade Paraíso (eu sei, irônico né kkk). E que lá acontece um grande festival, onde várias bandas de sucesso (incluindo a Mell's Angels) descem para se apresentar. E ela parte em sua jornada montada em cima Às de Espadas.

Nesses caminhos ela encontra muitos perigos porém, também faz novas amizades. Ela se vê num lugar incrível, onde guitarras ganham vida própria e personalidade, criaturas com asas apostam jogando vinte e um para se livrar do trabalho pesado, ela se reencontra com um velho amigo com quem aprendeu a tocar guitarra, conhecer cantores dos quais ela sempre foi fã, entre outras coisas.

Com tantas idas e vindas Alice acaba se encontrando várias vezes com o príncipe das trevas ou James como ele gosta de ser chamado e os dois inevitavelmente acabam se envolvendo.
A experiência tem seu lado bom e seu lado ruim. O submundo é um lugar cruel é terrível, porém ela se descobre mais forte do que jamais se imaginou. Mas ela também descobre que o submundo é cheio de rock in roll e romance.

Este foi um book Tour muito bem-vindo, amei a história pois é muito diferente das coisas que costumo ler. Tem ótimas tiradas e é extremamente divertido.

Apesar das bizarrices é impossível não se apaixonar pelo Às de Espadas, pelo James ou pelo fantástico mundo criado pelos autores.
A diagramação está impecável e a capa é linda, além de contar com detalhes que são explicados durante a história como: a roupa e as botas pretas, as correntes, a pulseira de olhos, a tatuagem e a guitarra. Todos tem extrema importância na trajetória de Alice.

Os autores foram muito criativos, pois consegui imaginar a história com uma riqueza de detalhes magnífica e acho isso um detalhe importantíssimo num livro de fantasia.
A única coisa que me desagradou foi o romance, que apesar de lindo é muito curto, gostaria de mais.
Porém os autores de já me deixaram mais aliviada e feliz ao dizer que como se trata de uma série teremos muito mais de James, Alice e Às de Espadas pela frente.



site: http://www.meupassatempoblablabla.com/2016/07/resenha-alice-black-princesinha-do_22.html
comentários(0)comente



Francine 16/11/2016

Romance para quem aprecia fantasia sobrenatural e sair de sua zona de conforto.
Alice Black merece estar na capa. O que essa protagonista viveu na Terra e, depois, nas profundezas do inferno foi digno de nota. Gosto de personagens que são leais não às pessoas, mas a si mesmos; que não traem seus próprios sentimentos; que, mesmo na loucura, se agarram às suas crenças porque são incapazes de simplesmente aceitar a verdade do outro. Alice é assim. Mas isso não quer dizer que seja destemida, ou decidida, ou até mesmo perspicaz. Na verdade, muitas vezes quis gritar com ela para que deixasse de ser ingênua.

Quando um romance me desperta sentimentos ambíguos, me faz desejar entrar na história para mudar o rumo dos acontecimentos e interagir com seus personagens, assumo ter feito uma ótima leitura. Não esperava menos dos autores Carlos Henrique Abbud e Flávia Gonçalves. Interessei-me por Alice Black – Princesinha do Inferno justamente por sua qualidade anticlichê.

Vamos ao enredo:
Alice é uma jovem que vive à sombra, literalmente, como roadie da banda de rock Mell's Angels. Sua irmã mais velha, Melissa, é a vocalista. A banda não faz grande sucesso, mas já está (aos poucos) se lançando em alguns shows noturnos. Alice não se importa de estar atrás do palco, carregando caixas de som, preparando instrumentos, garantindo garrafas d'água e tudo o mais que a banda precisar, mas há algo que a incomoda profundamente: a constante falta de respeito e reconhecimento.

Embora fosse uma parte atuante (e importante) da Mell's Angels, a banda considerava Alice como um "peso extra". Por isso, quando fizeram um pacto com um demônio (fama e glamour em troca de uma alma), Alice não sabia o que estava acontecendo. Sua vida foi dada como pagamento pela ascensão da banda e nossa protagonista foi levada para o Submundo.

Pausa dramática para a consternação:
Como Melissa pôde vender a alma da própria irmã?!

O Submundo é surreal, gente! James, o Príncipe das Trevas (filho e herdeiro do próprio Diabo), adora rock and roll. O Submundo é manipulado e orquestrado por James. Ele é quem atende aos chamados dos jovens inconsequentes à procura de sucesso, sendo o responsável pela carreira brilhante de inúmeros artistas. Basicamente, se não fosse por James, poderíamos não conhecer grandes nomes da música.

Chegando ao Submundo, Alice finalmente percebe que Mell's Angels só a usou. Melissa nunca demonstrou pela irmã a mínima consideração. Mas Alice ainda quer entender por quê... Ela quer respostas. E definitivamente quer quebrar aquele pacto! Ela quer sua vida de volta.

Acompanhamos Alice se adaptando ao perigoso contexto do Submundo, revelando seu próprio talento musical (que sempre foi reprimido por Melissa), conhecendo e se envolvendo com James, assumindo o controle de sua própria vida... Esse é um romance sobre uma protagonista que carregava muitas certezas, mas nenhuma delas era realmente aquela que mais desejava abraçar. Alice quer voltar à Terra, okay, é um direito dela. Mas e quanto a voltar àquela mesma vida?

Aventura é o que não falta no Submundo! Não há tempo para hesitar quando Alice descobre haver um jeito de reencontrar Melissa. Seu objetivo é claro, mas seu destino nebuloso. James provoca a convicção de Alice todo o momento, e cada pedaço de si mesma que nossa protagonista começa a gostar acaba por envolvê-lo.

Como fragilidade, destaco que a passividade de Alice deixou-me impaciente em alguns importantes momentos. Ela se dedicou tanto, reuniu coragem e raiva, mas não revelou sua força no decorrer dos confrontos. É claro que Alice evoluiu, o que adorei, mas senti que a ingenuidade dela nublou sua boa interpretação dos fatos por um longo período da leitura. Houve um instante em que temi não a ver mudar. O desfecho, no entanto, atendeu minhas expectativas.

Gostei muito de Alice Black – Princesinha do Inferno! O modo como os autores articularam as informações do mundo do rock com o Submundo foi encantador, provocativo, diferente! Eu recomendo esse romance para quem aprecia fantasia sobrenatural e sair de sua zona de conforto.

Resenha publicada no blog My Queen Side:

site: http://www.myqueenside.com.br/2016/11/resenha-152-alice-black-princesinha-do.html
comentários(0)comente



Brenda_Guedes 19/12/2016

Como o nome ja deixa claro, o cenário em que ocorre o livro é um tanto quanto peculiar, o que torna a leitura muito mais gostosa a cada nova descoberta.
Alice Black é um livro com uma escrita leve e envolvente, faz com que leiamos em um piscar de olhos.
Seu início já atiça-nos a curiosidade, que só se alonga durante a leitura.

A princesinha do Inferno, no início, não tinha nada de princesa, ela era roadie da banda Mell’s Angel, da qual sua irmã mais velha que era a vocalista. Sofrendo de diversos tipos de humilhação, Alice sempre as relevava, talvez, naquela época, não imaginasse o quanto sua irmã podia passar dos limites: vender a alma de Alice por sucesso.
Então a história realmente começar, em Holdfield, local acima do Inferno, onde eram levadas as almas que se vendiam por sucesso(ou as que foram vendidas por outra pessoa). Apesar do local não ser tão ruim quanto o inferno, não significa que seja o melhor.
Alice teria que enfrentar alguns desafios, mas todos ficam pequenos com o Cão do Inferno mais Fod* do mundo. Com os Às de espadas, ela terá a chance de ir até sua irmã e pedir a sua ajuda.

O meio do livro tem cara de fim, com os círculos se fechando, mas Alice ainda teria mais uma chance.
Em meio a inda e vindas, não se pode deixar de fora o belo Príncipe do Inferno: James. Filho do rei das trevas e rei do charme. Alice parecia ter sido escolhida por ele, e realmente havia.
Você irá entrar em um lugar que transborda referência a grandes bandas do rock.
Aventura, acima de tudo, define esse livro. O significado de companheirismo e também a forma com que se abre mão do que se quer por alguém que se ama.
Talvez a terra nunca tenha sido o lugar ideal para Alice.

site: https://livroseumcappuccino.wordpress.com/2016/09/15/resenha-alice-black-princesinha-do-inferno/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



CT dos Livros 14/07/2020

Resenha do @ctdoslivros !
Obra: Alice Black – Princesinha do inferno
Editora: @editorapendragon
Autores: @planosefugas
Gênero: Fantasia

Alice é roadie da Mell's Angels, uma banda de rock iniciante, cuja estrela é sua irmã mais velha. Humilhada constantemente pelos integrantes, sua situação piora quando descobre que eles venderam sua alma em troca de sucesso imediato. Lançada no submundo, enquanto a banda desponta para o estrelato, Alice inicia uma louca jornada através dos perigos, descobertas, desafios, e — por que não? — encantos de um inferno totalmente rock and roll, governado por um Príncipe das Trevas que talvez nem seja tão terrível assim…

Confesso que eu comecei a ler esse livro com um certo medo de que ele acabasse virando um livro de romance ou pior um livro hot (e eu Rodrigo detesto os dois), mas isso não aconteceu e foi uma grata surpresa.

Esse foi um livro muito interessante de ser lido por alguns fatores, sendo o principal deles, a descrição. Os autores souberam descrever muito bem as cenas, colocando detalhes onde era necessário, criando um ambiente novo em cima de algo tão comum no pensamento popular o que foi extremamente agradável de ver, pois ele foge de alguns clichês enquanto se agarra a outros de forma magistral, o livro tem sempre uma narração que facilita seu entendimento. Ainda sobre a narrativa, a protagonista vai ter uma evolução gigante e a cada nova mudança que ela vai sofrendo, você leitor, vai ficando mais feliz.

A trama é um clichê com elementos novos, e isso é um dos pontos altos do livro, pois quando o leitor pensa ter matado o clichê ele muda para algo novo e isso fez a leitura ser muito agradável, pois a cada surpresa eu gostava ainda mais da história e dos personagens. As referências as bandas clássicas do Rock foi um extra durante a leitura e tentar caçar elas me divertiu muito. Teve também algumas referências à cultura pop em geral e a um clássico da literatura que foi um ótimo “easter egg”

Alice Black é um livro excelente em tudo que se propõem, pois se mantem fiel a fantasia como gênero principal, e os outros subgêneros aparecem de forma satisfatória sem roubar a cena.

Livro disponível na loja da @editorapendragon ☠🤘
Avaliação: ★★★★★

site: https://www.instagram.com/p/B_2gxD1lKzH/
comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR