Nildrien - O Pergaminho

Nildrien - O Pergaminho Manoel Batista




Resenhas - Nildrien - O Pergaminho


41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Victor.Ferreira 12/03/2020

O fantástico mundo de Nildrien
Primeiramente, queria dizer que não sou um grande fã de RPGs em geral, e este livro apresenta grandes aspectos do gênero. Dito isso, será uma opinião mais neutra, sem me basear muito nas características de RPGs e focando mais no livro como um todo.

É um livro relativamente longo (588 páginas), mas que a leitura flui com tanta naturalidade que não se torna maçante, quando menos se espera, estamos chegando a metade e não nos damos conta, por estarmos imersos na trama.

É uma leitura que recomendo muito, tanto para os fãs de alta fantasia e RPG como para os que não gostam muito dos gêneros. Sim, há certas referências a RPGs (as habilidades, monstros etc.) mas não é algo que sature a narrativa. Pelo contrário, eu diria que flui naturalmente e é fácil de acompanhar. Apesar de ter confundido alguns personagens em certas partes, ainda é frequentemente descrito quem é quem. Admito que quando reconheci as referências a RPGs, fiquei um pouco apreensivo pensando se gostaria ou não ao final, mas fui agradavelmente surpreendido pela ótima narrativa e trama que nos prende a atenção.

Leia a resenha completa em: https://mente-litera.blogspot.com/2020/03/nildrien-1.html
comentários(0)comente



Fábbio - @omeninoquele 14/07/2018

Maravilhoso!
❝Existem certos tipos de ferimentos piores do que os físicos, aqueles que são feitos no orgulho e na alma.❞
⠀⠀
Quando um grupo de mineradores é morto enquanto mineravam na Caverna Antiga a mais perigosa do mundo de Nildrien, eles não imaginavam que simultaneamente estaria despertando uma poderosa energia milenar e que poria o mundo de Nildrien em maus lençóis se esse poder caísse em mãos erradas.
⠀⠀
Logo essa notícia dos mineradores da Vila de Drend se espalharia por todos os reinos, despertando o receio e o interesse das mais diversas pessoas em busca do poder que poderiam encontrar na caverna. Que foi ainda mais intensificado quando descobrem que um único minerador sobrevivente havia feito um mapa exato do local onde encontraria o símbolo do poder antigo, um pergaminho do mais poderoso mago de Nildrien.
⠀⠀
E então cada um dos governantes dos reinos de Nildrien resolve mandar uma expedição àquele lugar. O Reino de Nalin mandou uma comitiva, com o intuito de pegar o pergaminho antes do grupo do Reino das Trevas, composta pelos Asenhar, inimigos mortais dos de Nalin e Skyllus, e que tinham também interesse no artefato mágico para dominar Nildrien.
⠀⠀
Cada comitiva parte de imediato rumo à Caverna Antiga, com o único propósito de chegar antes da outra e conseguir por a mão no artefato. Mas claro que o caminho até a caverna não será nada fácil e eles passarão por muitos desafios, monstros fantásticos e certamente muitos duelos até chegar a tal caverna.
⠀⠀
No livro nos deparamos com pelo menos quinze personagens principais que transitam durante toda a história e pode parecer confuso, mas não é. A escrita do autor é magnífica e é feita uma boa introdução de todos os personagens no começo da história e quando citado temos algum recorte que nos fazem lembrá-los facilmente.
⠀⠀
E os personagens são os típicos heróis que todos amamos, cheios de qualidades boas, destemidos e que possuem dons que os tornam únicos, fazendo com que nos apeguemos por cada um deles e seus objetivos.
⠀⠀
O grupo de Nalim e de Asenhar não é o único que parte em busca do pergaminho. Também conhecemos Nayhan e Raven que partem em busca de poder na Caverna Antiga. E logo podemos encontrar muitas lutas épicas nesse poderoso lugar.
⠀⠀
O mundo de Nildrien é um dos mundos mágicos mais bem criados que tive a oportunidade de conhecer, toda a mitologia presente na criação desse mundo é fantástica e instigante que prende a atenção do leitor de uma maneira magnífica, somados à brilhante escrita do autor que fez-me sentir-se na história.
⠀⠀
Recomendo para todos aqueles amantes de uma boa literatura fantástica e que buscam bons livros desse gênero de escritores nacionais. E desde já fico ansioso pelo próximo volume desse livro incrível e tão instigante.

site: https://www.instagram.com/p/BlOhi5AHHkz/?taken-by=omeninoquele
comentários(0)comente



Dayenne Machado 19/10/2017

Apaixonante
Nildrien-O Pergaminho, e uma história de fantasia medieval. O despertar de uma poderesa energia em uma das carvernas mais perigosas de toda Nildiren, faz com que grandes e poderosos reinos mobolizem seus melhores guerreiros para irem em busca do pergaminho mais poderoso do mundo. Pergaminho este que foi criado pelo maior mago de toda história de Nildrien.

Decididos a ter esse podereso pergaminho, o reino das trevas inicia sua busca, porém o reino litorâneo, Nalim seleciona os melhores guerreiros, magos e paladinos para então enfrentar o reino das trevas e pegar o pergaminho. Todo o caminho, até a caverna antiga o grupo de Nalim passa por diversas situações que acabam testando habilidades de seu grupo.

Gosto bastante do gênero fantasia, e gosto mais ainda do gênero medieval, o livro Nildrien tem uma mistura maravilhosa desses dois gêneros, o autor soube trabalhar muito bem a história toda, o que eu acho bem difícil conciliar dois gêneros em uma única história.

A história foi muito bem elaborada e muito bem trabalhada, e cheia de detalhes, nós ajudando a ter uma imaginação melhor. A leitura requer bastante atenção pois são muitos personagens e muitos detalhes, tudo muito bem construído. Cenas de batalhas muito bem detalhadas, nós da a sensação de está vivendo aquela história.

O autor está de parabéns o livro e ótimo, a história e completamente incrível, não tem apenas um personagem principal, todos são personagens principais. Essa história merece ser lida por todos os amantes de fantasia e medieval. O autor Manoel trouxe uma história que envolve dois grandes gêneros, deixando assim a história muito melhor.


site: https://palavrasseletas3.blogspot.com.br/search?q=resenha+nildrien
comentários(0)comente



Marcio Silva 31/08/2017

Uma aventura pela fantasia
Uma obra que nos mostra desavenças podemos ver que o autor descreveu perfeitamente cada personagem. Sei que minha narrativa é muito comprida, mas para apresentar todos os personagens foi melhor assim e não se preocupem por que não larguei spoiler por que a história começa exatamente nesse ponto onde os guerreiros se reúnem e partem para a caverna em busca do pergaminho.

Nesta obra existe desavenças e confiança. Descobrimos como cada um se sente e vemos todos se unindo para poder dar por encerrado sua missão. Como dito levei muito tempo para concluir - isso não significa que a obra é boa, apenas desfrutei bastante da leitura - e curti bastante cada palavra.

Sinceramente não existe tanto mistério na obra, pois nesse primeiro livro somos integrados a Nildrien e saberemos como será o decorrer da história no seguinte livro. Gostei muito da escrita do autor! É bem fluida e parece que o mesmo está contando uma história para uma criança, além de ter a impressão que o autor estava descrevendo uma partida de vídeo-game (risos).

Continue lendo >>

site: https://umbaixinhonoslivros.blogspot.com/2017/09/resenha-58-nildrien-o-pergaminho.html
comentários(0)comente



Bela 14/08/2017

Nildrien é um livro bastante grosso, o que pode causar certa ressalva em algumas pessoas. Tem quem adore livros extensos, mas em geral, as pessoas optam por aqueles que são mais finos. Confesso que eu mesma estava um pouco reticente para começar a ler e ficava me perguntando se o enredo iria me agradar, mas não tinha como responder a essa pergunta sem realizar a leitura.

Tudo começa quando um grupo de mineradores acabam mortos na Caverna Antiga e o único sobrevivente resolve vender um mapa do local. Segundo ele, eles haviam acabado de encontrar um grande tesouro quando seu grupo sofreu um ataque de monstros que vivem na Caverna. Desde então, uma magia poderosíssima parece ter sido despertada no local. Ao saberem disso, o Reino de Skylus, juntamente com os governantes de Nildrien começam a arquitetar uma missão de resgate, de forma que esse poder não caia em mãos erradas, em especial nas mãos de Asenhar, o reino das trevas.

"-[...]Todas as coisas que um dia foram belas podem se tornar feias, assim como as feias podem se tornar belas."

São escolhidos quinze jovens para a missão. Sim, isso mesmo que você leu, quinze. São eles: Damian, um meio-elfo feiticeiro, líder do grupo; Reks, um meio-dragão guerreiro; Hant, meio-demônio paladino da justiça; Karson, ex-presidiário e guerreiro; Histran um lutador sonhador; Mike, lutador vindo das áreas mais pobres da cidade; Hanns, meio-demônio guerreiro de gelo; Kylet, paladino da Luz; Marlin, maga e irmã Damian; Mistia, guerreira; Verônica, clériga da Luz; Ylis, clériga da paz; Lóris, princesa de Skylus, maga da Luz e feiticeira; Myat, maga da Luz de Skylus; e Karedrine, clériga do amor de Skylus. A resenha ficará grande demais se eu falar muito mais sobre cada personagem, mas foi perceptível o crescimento deles durante o livro, tanto em relação ao seus poderes como com relação aos seus caráteres. Gostei em especial do Karson e de Lóris.

"Não deixe o ódio te cegar, pois se isso acontecer você se torna o seu pior inimigo."

O livro começa um pouco lento, pois precisamos conhecer cada um desses personagens e entender o que os levou a se inscrever para as expedições do exército de Nildrien. Mas logo que isso acontece, começa a jornada dos nossos mocinhos em direção à caverna antiga. Será uma longa jornada e eles nem podem imaginar quais serão os desafios que encontrarão ao longo do caminho. Até porque, Damian não foi completamente honesto com todos os membros da expedição. Pois, apesar de ter contado a eles o objetivo da missão, que consistia em buscar um pergaminho de Ankross, o maior mago que já existiu na história, omitiu o interesse de Asenhar no artefato e o fato de que esperava encontrá-los pelo caminho. Mas, o desafio de Damian já era bastante grande sem esse inconveniente, afinal, liderar um grupo de 14 pessoas completamente heterogêneo como esse, não é uma tarefa fácil. Até porque, além de Assenhar, o grupo de Nildrien ainda precisará enfrentar uma dupla de caçadores de recompensas interesseiros.

"O guerreiro de fogo conhecia aquele tipo de olhar: estava querendo intimidá-lo. Nayhan sempre seguiu uma teoria em sua vida: o vencedor de uma briga se mostra no momento em que os olhares se chocam."

O livro tem todo o formato de um jogo de RPG e quem já está habituado a jogar esse tipo de jogo certamente encontrará diversas semelhanças, que podem parecer um pouco esquisitas para aqueles que não o conhecem, como eu. Por exemplo, é grande o numero de batalhas que nossos personagens enfrentam durante sua jornada, que são muito detalhadas pelo autor, mas ao invés de dar dinamismo ao enredo, as vezes, elas se tornavam cansativas. E também acontecia dos personagens desenvolverem novas habilidades e evoluírem nos seus poderes no meio de um embate. Ademais, alguns personagens tinham habilidade de cura, então isso as vezes me parecia um pouco desonesto e estendia ainda mais as lutas, já que os feridos podiam se recompôr. Pois, ao me deparar com o grande número de pessoas que compunham o grupo, logo pensei que eu não deveria me apegar aos personagens, porque certamente alguns deles não voltariam junto com os outros. Mas tudo mudou quando constatei que havia a possibilidade de restauração física.

"-Cada um tem a sua maneira de lidar com o medo. [...] E não precisa ficar debochando dos outros só porque não compartilham dos mesmos medos que os seus- falou o ex-presidiário encarando o meio-demônio nos olhos."

Eu também esperava que acontecesse um pouco mais de romance. Ponto que não teve nenhuma ênfase no decorrer da história. Até temos algo bem sutil que pareceu estar brotando entre dois personagens, mas dado a quantidade de pessoas envolvidas e o tamanho do livro eu estava esperando que mais coisas acontecessem. Entretanto, imagino que muitas pessoas possam observar isso como um ponto positivo. Essas questões fizeram com que eu demorasse um pouco mais do que o esperado para concluir a leitura. Mas eu gostei do mundo criado por Manoel e, apesar dos pontos que destaquei, acredito que a história realmente tem potencial para um série de livros. A aventura desse livro foi finalizada nele mesmo, mas já temos um gancho bem construído pra o segundo volume.

site: http://www.sigolendo.com.br/
comentários(0)comente



Na Nossa Estante 18/06/2017

Se você já está se sentindo meio órfão com GOT e está procurando demais um livro do universo medievalista, cheio de ação e fantasia recomendo a leitura de Nildrien: O pergaminho, obra de Manoel Batista. Com claras influências de games tipo RPG e clássicos como O Senhor dos Anéis, certamente se trata de um autor brasileiro e faz bonito e mostra que esse imaginário não pode apenas ser feito por americanos e europeus. A narrativa, a trama e os personagens apresentados são bem construídos e consegue nos envolver até o final, parecendo que 588 se tornam 100!

A história se inicia numa caverna antiga, dentro de Nildrien (que seria um amplo território com vários reinos), em que um grupo de mineradores acaba por descobrir tesouros inimagináveis, entre eles estava um misterioso e poderoso pergaminho, capaz de causar o desequilíbrio das forças. Com o perigo à tona o reino de Nalim envia um grupo (adendo que é formado por homens e mulheres!), montado pelo chefe da guarda, Raizath, para apreender o pergaminho e colocá-lo em lugar seguro. Muito embora, o grupo encabeçado por Damian, o líder da força especial de Magos no reino de Nalim, desconhecesse a história dos pergaminhos e dificuldades futuras. Para eles a expedição se tratava apenas de busca de artefatos.

Outro grupo de busca é formado e são compostos por pessoas advindas do reino das trevas, Asenhar. Esse grupo aliado a uma floresta perigosa que guarda das mais variadas figuras mitológicas, entre elas estão necromantes e mortos-vivos, o que garantirá ao leitor uma trama cheia de aventura e mistério.

Nildrien: O pergaminho possui muitas cenas bem detalhadas, boa apresentação de personagens em uma narrativa simples e fluída que muito provavelmente vai agradar os leitores de fantasia.

site: http://www.oquetemnanossaestante.com.br/2017/06/nildrien-o-pergaminho-resenha-literaria.html
comentários(0)comente



Vitoria.Carolyne 22/05/2017

Fantasia incrível!!!
Eu estava meio apreensiva para ler esse livro. Ele é um calhamaço e já fazia tempos que eu não encarava um livro desse tamanho. Mas lá estava eu começando a ler "Nildrien". E já digo para vocês, EU ADOREI!

Os primeiros capítulos apresentam o leitor grande parte dos personagens da história, e acreditem, são muitos personagens! Eu pensei que confundiria muito eles no decorrer do livro, mas foi bem tranquilo e logo eu já sabia quem era quem. Há o Reks, um meio-dragão, o Damian, um meio-elfo, o Karson, um humano ex-presidiário, há também Ylis, uma clériga da paz, Lóris, a princesa da Luz e mais diversos outros personagens. São no total 15 personagens que vão em busca do pergaminho em nome do reino de Nalim, mas além desses, há os personagens inimigos, e os que aparecem no decorrer da história. Ou seja, muitos personagens kkk.
Achei muito interessante a forma com que o autor apresenta eles, principalmente os principais. Os personagens levam vidas muito distintas e foi muito legal saber o que eles faziam antes da missão para a captura do pergaminho caísse de para-quedas na vida deles.

Depois que os personagens são apresentados ao leitor, eles finalmente se reúnem e se conhecessem (alguns deles nunca tinham se visto). Eles então começam sua jornada, e nesse ponto a história fica ainda melhor. Eles passam por diversas aventuras e desventuras, primeiro pela Floresta das Sombras, uma floresta amaldiçoada e repleta de perigos, e depois pela Caverna Antiga, que é tão grande, que acreditam que ela liga os continentes pelo seu subterrâneo, e é nela que está o pergaminho.
Como sempre, acabei adorando os vilões da história, sinto muito mundo, mas eu tenho uma alma sombria e sempre sinto empatia pelo mal kkk. Adorei certos inimigos do reino de Nalim e adorei também o anti-herói Hanns, que é um meio demônio do reino de Nalim mas é bem violento e sombrio.
Achei muito inteligente a descrição dos lugares, das batalhas, dos monstros... Tudo ficou muito incrível. O universo todo criado pelo autor é incrível. Rico em detalhes. Eu acho que isso é o mais importante quando se cria um mundo dentro de um livro, é preciso apresentar os extremos dele, fazer com que ele pareça real, e eu achei que "Nildrien" ficou muito bem descrito. Claro que ainda há muito para se aprofundar no livro e acho que isso é ainda mais legal porque o autor tem uma mobilidade enorme para explorar em um segundo livro (que eu espero muitíssimo que venha a ser escrito).

A diagramação está boa e os 60 capítulos (sim, são 60!) estão em um ótimo tamanho. O livro só precisa passar por uma revisão, porque há alguns erros de ortografia e concordância, mas nada que atrapalhe a leitura.

Recomendo para todos que gostem de uma boa aventura. Essa fantasia está boa demais, o que prova mais uma vez que as fantasias nacionais são tão boas quanto muitas gringas adoradas pela mídia.

site: http://ateoriadaslaranjas.blogspot.com.br/2017/05/nildrien-o-pergaminho-manoel-batista.html
comentários(0)comente



Kah @cupcakelandsz 17/05/2017

O livro que QUASE desisti (felizmente li até o fim)
Julgar o livro pela capa não deve ser o único "pecado do leitor", tanto que descobri que também julgamos uma história pelos primeiros capítulos. E eu julguei Nildrien assim nos primeiros capítulos, e ainda bem que não desisti. Sabia que poderia encontrar algo fantástico logo adiante.

Nildrien é um novo mundo criado pelo autor Manoel Batista, onde as divisões continuam sendo por continentes, e é em Dalend que a história acontece. É importante, para melhor entendimento da história, que o leitor entenda de verdade a divisão desse mundo medieval criado pelo autor brasileiro. Caso isso não ocorra, por falta de recursos ilustrativos (mapas ou um capítulo explicando a divisão), será difícil entender o cenário da história. Esse foi a primeira dificuldade que encontrei na leitura.

Nos primeiros capítulos são apresentados os personagens principais da história, contando individualmente o motivo que os levarão a missão do livro. E foi nessa parte que desanimei, como cada capítulo conta a história de um personagem diferente, e são muitos personagens, eu não sabia se a história deles iam se cruzar em algum momento, ou se o objetivo do autor era contar pequenos relatos. 

Felizmente, a história delas se cruzam. No campo de Dalend existe uma Caverna Antiga, cheia de labirintos e segredos. Nessa caverna, mineradores foram mortos por criaturas que vivem nela, apenas um sobreviveu. Esse minerador trouxe para a cidade informações sobre as criaturas estarem perturbadas e um mapa de como chegar em um esconderijo que foi encontrado. 

É em busca desse esconderijo, onde guarda o pergaminho do mago Arkross, que os personagens apresentados no começo são recrutados pelo Reino da Luz à expedição de encontrar o esconderijo e pegar o pergaminho antes que ele caia nas mãos de Asenhar, o Reino das Trevas, que também está indo em direção à Caverna Antiga.  

O que ambos grupos não sabem é que uma dupla, Raven e Nayhan, estão indo com o mesmo objetivo que eles. 

Então, os capítulos ficam alternando entre o grupo de Nalim (recrutados do Reino da Luz) e a dupla. Contando suas aventuras no campo de Dalend, as confissões, estratégias e conflitos com adversários. E o que achei mais interessante das lutas e encontros indesejados é que quando aparecia uma criatura diferente que o autor mencionava no livro o seu nome, eu ia pesquisar a imagem para visualizar melhor a luta e descobria, na maioria das vezes, que eram personagens de jogos. O autor conseguiu infiltrar na história literária um outro mundo que é o dos games. 

E, mais ou menos no meio da história, enfim entendi - creio eu - o objetivo do autor ao nos apresentar detalhes dos personagens principais no começo. A apresentação detalhada faz o leitor se sentir mais familiarizado com o personagem no sentido de entender "porque ele está nessa missão", "o que fez ele tomar tal atitude" ou "porque ele se sente recuado quando fazem determinada coisa" e isso só acrescentou na leitura, fazendo ela ficar mais rica em detalhes, sem sobrecarregar a mente.

Então, por mais que eu tenha me sentido confusa sobre os detalhes que citei no começo da resenha, ainda assim achei a ficção medieval incrível pelos motivos citados. ? Indico mais esse nacional para vocês.
comentários(0)comente



Jéssica 09/05/2017

Nildrien - O Pergaminho - Manoel Batista
Nildrien O Pergaminho se passa em um mundo medieval habitado por humanos e mestiços além de diversos monstros como orcs, gigantes, sombras, entre outros, e a magia se faz presente nesse mundo onde seus habitantes podem se tornar magos, feiticeiros e paladinos. Enfim, todos os elementos que amamos em uma boa fantasia medieval.

Quando os reinos da Luz, Skyllus, e o reino Nildrien descobrem estranhos acontecimentos em um caverna milenar que esta agitando os monstros que nela habitam não imaginavam que ela guardava um pergaminho tão valioso que fosse despertar o interesse do reino das Trevas, Asenhar. Sem perder tempo e com uma pequena desvantagem os dois reinos, Skyllus e Nildrien, se juntam e montam um grupo de expedição para impedir que os membros de Asenhar tomem posse do pergaminho.

Esse grupo de expedição que irá em busca do pergaminho e de impedir os membros do reino das trevas é composto por 15 membros dos mais diversos entre si, desde a princesa de Skyllus à um mestiços de demônio que não polpara esforço para abater seus inimigos.

Mas a aventura que os aguardam não será fácil e eles terão que atravessar a Floresta das Sombras, um lugar amaldiçoado onde nuvens densas impedi que os raios de sol atinjam o solo e que os mais perversos monstros habitam, para conseguirem alcançar o grupo de Asenhar e assim tentar impedi-los.



Com uma densa aventura de nosso heróis cheia de perigos e monstros a espreita deles somos levados pela leitura que é narrada em terceira pessoa e tem alternância de núcleos, dando um dinamismo para o enredo, onde os personagens vão sendo cada vez mais explorados e aprofundados. Temos sim mocinhos e vilões puros, mas também personagens nem tão bons e maus, aqueles que beirão o limite entre os dois, deixando o grupo mais apaixonante e interessante com suas personalidades conflitantes.

A leitura é fluida e apesar de em alguns momentos eu sentir que a descrição acabou sendo um pouco exagerada não chegou a atrapalhar a minha experiencia com esse fantástico mundo. O final trás o desfecho dessa primeira aventura de nossos heróis, mas também promete novas aventuras com as pontas soltas e inimigos que escaparam, assim possivelmente tenhamos mais historias nesse universo.

Para os amantes de uma boa fantasia medieval ou apenas fantasias que curtam monstros e lutas bem descritas em um universo magico sem duvida Nildrien O Pergaminho é uma ótima dica de leitura que vai te prender até a última página.

site: http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/2016/09/resenha-213-nildrien-o-pergaminho.html
comentários(0)comente



Mago_Literario 09/02/2017

Nildrien O Pergaminha - Manoel Batista
Através do site do Skoob, acabei conhecendo o autor desse livro, fantasia tem sido o tema desse ano na minha lista, mas esse vem recheado de aventura e grandes batalhas, entre magos, feiticeiros, meios-elfos, meios-demônios, meios-dragões, etc. O mundo do RPG, para quem é fã em um só livro, livro que te faz viajar pelo mundo fictício de NILDRIEN O Pergaminho.

Com muitas e muitas batalhas marcantes esse livro te faz viajar pelo mundo medieval de Nildrien, e personagens cativantes, te faz torcer pelos seus personagens, você vai evoluindo junto ao personagem, e com certeza, te faz estar junto deles a cada aventura, e missão.

São tantos acontecimentos, que você fica preso, a leitura e não que larga até descobrir o desfecho da estória. Livro muito bem detalhado e com apresentação dos personagens impecável, e com um final de tirar o fôlego, que me deixou doido para ler a continuação, que estará em breve à venda.

Vale muito à pena ler esse livro, ele possui 588 páginas, foi publicado em 2015 pela editora Novo Século, letras medias, leitura flui facilmente, e custa em torno de R$ 12,30 na Amazon.

Grande Abraço a todos.

Leonardo Alves

Instagram:

@mago_literario
@leos_alves
@stars_pink
@raianelmoraes



Sigam-nos.




site: http://starslendo.blogspot.com.br/2017/02/nildrien-o-pergaminho-manoel-batista.html
comentários(0)comente



Maravilhosas Descobertas 01/01/2017

NILDRIEN - O PERGAMINHO, DE MANOEL BATISTA
Direto do universo de RPG e fantasia, surge Nildrien - O Pergaminho, do brasileiro Manoel Batista, lançado pela editora Novo Século. Em um mundo povoado por guerreiros, feiticeiros, dragões e outras criaturas, temos Nildrien, formada por diversos reinos, e onde está a Caverna Antiga, com diversos tuneis e habitada pelas mais perigosas criaturas. Desde que um grupo de mineiros acabou morto lá dentro, ouve-se um boato sobre um mapa feito por um sobrevivente. Um mapa que levaria a diversas riquezas que estão escondidas no interior da caverna. E o mais importante, levaria até o local onde o maior mago que já existiu escondeu O Pergaminho, fonte de um poder inimaginável e que pode mudar tudo.

Este mapa acaba parando nas mãos do reino das trevas de Asenhar. Para evitar que o pergaminho caia nas mãos deles, o reino de Nalim junto ao reino de Skyllus decide formar um grupo para tentar interceptar os enviados de Asenhar que tentam chegar a caverna. Formado por quinze indivíduos, entre clérigos, guerreiros, meio-elfos e dragões, este grupo, cheio de diferenças, devem cumprir a missão, sem saber que existe mais alguém tentando chegar a Caverna Antiga antes deles.

Ao primeiro olhar, você pode se assustar com as 586 páginas deste livro, mas não se preocupe, nenhuma delas é em vão. Imaginar tantos personagens envolvidos na história também não vai fazer sua cabeça doer. Porque logo nas primeiras páginas, o leitor percebe que o autor sabe exatamente o que está fazendo. Ele tem um propósito, e o alcança com louvor ao final do livro.

O começo da história é mais uma introdução, apresentando um de cada vez, os personagens que vão compor a aventura, seja a equipe de Nalim ou os outros. Ao conhecer cada um , o leitor vai criando simpatia pelos personagens que gosta mais, e fica ansioso para que todos se reúnam e comecem a jornada. Em uma viagem longa, em que devem passar por diversos obstáculos, lutas e quase mortes, em um emaranhado de encontros e desencontros, entre os mocinhos e vilões, o livro segue ganhando fôlego.

Para quem gosta de um bom livro de aventura medieval, com fantasia e envolvendo magia e espadas, Nildrien é garantia certa de diversão. De forma detalhada, mas sem ser exagerada, o autor cria uma história que segura o leitor e que atinge o mesmo patamar dos diversos livros internacionais de fantasia que fazem sucesso mundo a fora.

site: http://www.maravilhosasdescobertas.com.br/2017/01/nildrien-o-pergaminho-de-manoel-batista.html
comentários(0)comente



Corujas de Biblioteca 26/12/2016

Resenha por Vitória Zavattieri do blog Corujas de Biblioteca
Nildrien - O Pergaminho nos apresenta diversos personagens, cada um deles com histórias de vida e diferentes motivações, mas todos eles (quase vinte personagens) compartilham do mesmo destino. Um grande poder acordou na Caverna Antiga e Nalim envia um grupo de iniciantes para cumprir a perigosa missão de ir até a fonte desse poder e encontrar O Pergaminha, artefato que deve ser responsável pelo poder.

Mas ao mesmo tempo que o grupo de Nalim inicia sua jornada Asenhar, o reino das trevas, já possui um grupo de pessoas em busca do mesmo pergaminho. Os dois grupos embarcam nessa jornada perigosa que promete um confronto desafiador. Não vou falar aqui sobre todos os personagens porque realmente são muitos, mas posso dizer que fiquei muito impressionada com a capacidade do autor de nos apresentar todos esses personagens sem deixar que cada um fosse único. Meio-elfo, meio-dragão, meio-demônio, humanos, clérigos e feiticeiros se unem para defender o nome de seus reinos. Eles enfrentam muitos perigos e é muito interessante acompanhar como a relação dos personagens evoluindo, eles crescem durante a narrativa e até mesmo o conceito de bom e mal é questionado.

Não gosto muito de cenas de luta e as de Nildrien são extremamente descritas, tenho certeza que para muita gente isso deve agradar demais, mas senti que tantas batalhas acabaram desviando o foco no enredo central, a busca pelo pergaminho. Tirando isso, eu gostei muito da forma que a história foi construída e se desenvolveu, com seus personagens Manoel Batista nos faz questionar um pouco o que é o mal, ele é imutável? Ou tudo depende de um ponto de vista? Essa foi a questão que mais me impressionou na narrativa e com certeza fiquei curiosa para saber como o autor vai trabalhar com isso nos próximos livros.

O desfecho da história não fugiu muito do que eu esperava, mas não deixou de ser emocionante e me deixou curiosa para saber como as coisas vão seguir no próximo volume. Recomendo para quem gosta de fantasia com essa pegada de RPG, é um livro bem escrito e bem desenvolvido, estou esperando ansiosa para conhecer mais sobre Nildrien.

site: http://corujasdebiblioteca.com.br
comentários(0)comente



Andy 23/12/2016

Nildrien | Por Minha Fuga da Realidade
Uma expedição com destino à Caverna Antiga, faz com que o grupo do reino litorâneo, Nalim, envie quinze pessoas para buscar um item muito precioso, um pergaminho com feitiços poderosíssimos que se cair em mãos erradas pode ser mais que perigoso.
Partindo dessa premissa, teremos uma longa jornada acompanhando não só o grupo de Nalim, como também o "Grupo do Submundo", como eu carinhosamente apelidei a dupla de Nayhan e Raven. Com capítulos intercalados entre esses dois grupos a história vai seguindo.

"Não deixe o ódio te cegar, pois se isso acontecer você se torna seu pior inimigo"

No grupo dos mocinhos vemos pessoas de várias raças, além de humanos teremos um meio-elfo, dois meio-demônios e um meio-dragão. Entre eles tem guerreiros, clérigas, paladinos e lutadores.
Vou confessar que não consegui ter apenas um preferido. Não direi de que grupo ou raça eles são, mas eu tenho meus motivos, tanto para guardar segredo, como para amá-los. Meus quedinhos foram:
Histran, que me cativou desde o começo com aquele jeitinho gentil;
Karson, fiquei empática com seu passado, e também adorei seu jeito;
Raizath, por mais que não esteja sempre presente na história não pude deixar de gostar dele.
Nayhan, meio que se tornou meu mais novo crush literário; e
Josh, tecnicamente o mesmo que o Nayhan, só que por um outro motivo a mais ;)
Não teve nenhum personagem que eu odiasse com todas as minhas forças, mas teve alguns que eu adoraria ir pessoalmente dar uns bons tapas na cara da criatura.

[foto]

O livro inicia com doze capítulos de explicações e apresentações. Há quem ache isso massante, eu por exemplo, estava enrolando por não achar necessário, passei um mês lendo apenas quatro capítulos. Em busca de uma luz para não pular algumas páginas e perder partes importantes, achei o vídeo-resenha da Tamirez, do Resenhando Sonhos (inscreva-se no canal dela) e me inspirei no método dela. A cada capítulo eu colava um post-it entre a capa e a orelha, com o nome do personagem e um mini resumo do que aconteceu. Desse jeito a leitura foi fluindo cada vez mais, e quando percebi, já estava na parte da expedição. Além de me fazer ler com mais curiosidade , esses post-it me ajudaram a lembrar de algumas características de alguns personagens e acontecimentos.

"De toda maneira, se existir uma próxima vida, leia mais em vez de atirar os livros no chão e treine meno: ao menos vai trabalhar o cérebro, coisa que você nunca fez nesta vida!"

Senti falta de um apêndice e um mapa, isso facilitaria o entendimento da história, mas, mesmo sem isso é um livro fantástico que merece ser devorado pelos amantes de fantasia. A revisão deixa a desejar, mas a diagramação é simples, porém confortável, com um bom espaçamento e folhas amareladas. Teve uma coisa que me deixou um tanto quanto incomodada, as personagens femininas, são na maioria clérigas e magas, quase sempre mostradas como frágeis e indefesas, apenas uma personagem é mostrada como forte, que no caso é a guerreira Mistia.
Estranhei um pouco a forma que o autor escolheu para escrever. Costumo ver livros de fantasia quase sempre com uma linguagem bem formal, mas em Nildrien, há momentos em que se vê uma linguagem mais informal e alguns palavrões, coisa que não me acostumei a ver nos livros, mas esse não é o primeiro que vejo isso.

Na página do livro no facebook, você encontrará textos que auxiliam a entender a história de Nildrien e algumas ilustrações.
Para ver as fotos e ter acesso aos links acesse o blog!

site: http://minha-fuga-da-realidade13.blogspot.com/2016/12/resenhando-nildrien-o-pergaminho.html
comentários(0)comente



Livros em Retalhos 21/11/2016

Muita ação e aventura
O que mais me assustou neste livro foi o tamanho, são 588 páginas, eu não sou de ler livros assim, ainda não li As Crônicas de Gelo e Fogo, justamente pelo tamanho, então eu pensei, onde eu me meti? Mas para minha surpresa, li ele sem problema nenhum.
No inicio o autor nos apresenta os personagens, um a um, ele vai contado como cada um chegou a Nalim e como foram parar no exército na parte de expedições.
Uma coisa interessante neste livro é que ele se passa em um mundo de fantasia medieval, mas o autor optou pelo linguajar bem moderno de alguns personagens, principalmente os mais jovens, o que ao meu ver tornou o livro bem mais leve e divertido. Os personagens são muitos, mas como no inicio o autor nos conta separadamente a história de cada um e como cada um chegou a expedição, vamos nos familiarizando com eles, ficando fácil distinguir cada um.
É um grupo (bem peculiar diga-se de passagem) que o reino de Nalim envia para a Caverna Antiga em busca do Pergaminho do maior mago da história de Nildriem, Arkross Shawron, um artefato que continha grandes magias e conhecimentos e que de maneira nenhuma poderia cair em mãos erradas, uma missão muito arriscada, pois a caverna é habitada por monstros terríveis, e a maioria dos participantes não sabem o real motivo da expedição, o que acontecerá quando eles descobrirem? Mas esse não será o único risco, também estão atras do Pergaminho Nyhan (um mercenário) e Raven (um nobre inescrupuloso) que partiram juntos para a Caverna Antiga e a família real de Asenhar, o reino das trevas, que também fará tudo para por as mãos neste pergaminho.

Então eu pergunto o que temos aqui? Ingredientes perfeitos para uma fantástica aventura conduzida pelo "mestre" Manoel Batista, com suas lutas de tirar o fôlego, momentos divertidos que nos tiram gargalhadas, personagens super bem construídos, que nos fazem amar alguns e odiar outros. Uns nos fazem rir com seu jeito moleque, outros querer dar um murro, mas todos nos conquistam.

Gosto muito quando leio livros, principalmente os de fantasia, o autor se dispõe a narrar detalhadamente cada cena pois fica fácil de imaginar a cena, nas cenas de luta eu visualizava em minha mente cada golpe como se um filme estivesse passando, acho isso incrível pois conseguimos quase que participar da história. Não sei se para vocês é assim, mas para esse tipo de leitura tem que me absorver, como o Nildrien fez, senão não funciona.
Adorei conhecer Nildriem e seus personagens, quero mais, não vejo a hora de ser lançado o próximo livro e ver o que vem por aí.


site: www.livrosemretalhos.com.br
comentários(0)comente



Morgana Brunner 15/11/2016

Resenha l Nildrien: O Pergaminho - Manoel Batista
Oii gente, como vocês estão?
Hoje venho trazer a resenha de um livro lindo que recebi em parceria com o autor Manoel Batista, foi uma grande surpresa que tive pelo seu tamanho. Além do mais, a edição está fabulosa, vai ficar linda na minha estante.
O autor foi querido e gentil por ter escolhido meu blog para a parceria e me senti muita grata e diante disso, claro que iria aceitar. Aliás, sempre havia visto comentários positivos a respeito da obra em outras redes sociais.

Era um dia simples e normal para todos daquele reino...até que coisas estranhas começaram a acontecer, momentos de tensão chegara ao reino e aos outros habitantes da região, não sabiam o que fazer, estavam em desespero e ao mesmo tempo tudo estava sendo encoberto para que ninguém surtasse naquele momento.

"Sua pele aos poucos tornou-se uma escama, as unhas cresceram virando verdadeiras garras afiadas, enquanto a íris de seus olhos adquiriu um formato semelhante ao de um réptil." Pág. 9

Precisariam ir em busca de uma nova missão para conseguir um artefato que todos os outros reinos estavam a desejar e a colocar suas próprias vidas em risco para conseguir tal coisa, levando em consideração que quem conseguisse iria mudar tudo, um grande mistério se inicia e precisa ser desvendado. Porque logo naquele momento, o artefato resolvera se mostrar?
Com o passar dos dias, várias situações ocorreram de forma que o destino bem quis, os escolhidos para ir a missão eram completamente diferentes um do outro, com seus poderes e sonhos a seguir. Afinal, alguns até queriam reconhecimento depois de completar a missão. Quem sabe assim, as coisas mudariam e seriam bem vistos e quistos na vila.

"Sabia que não adiantava mentir na resposta e que o homem poderia descobrir cedo ou tarde, então era melhor falar a verdade." Pág. 85

Cada qual tinha um certo dom, um poder que pudesse ajudar na missão que estavam sendo colocados. Alguns com o poder da cura, poder da luz, e os guerreiros possuem uma força que seria necessário para enfrentar durante a caminhada, no qual ninguém sabia qual lugar realmente iriam chegar ou ultrapassar, tudo até era um grande mistério.
Diante disso, os escolhidos chegaram e Damian seria o que comandaria a caminhada, claro que nem todos gostaram de tal ideia, pelo rapaz ser um nobre e possuir certa vantagem financeira a respeito dos outros, mas o jeito querendo ou não, era aceitar e manter isso em segredo, para que não desse confusão.

"No caminho de volta para para sua pomposa mansão na rua dos nobres, as ruas de Nalim estavam desertas e até mesmo por isso uma figura diferente facilmente atraiu sua atenção." Pág. 131

Quando todos aceitaram, resolveram começar a seguir a viagem que decidiria o futuro de todos, se sairiam vivos ou não daquela missão. Afinal, nem todos sabiam o real motivo, mas aceitaram porque missões era a única coisa que importava naquele momento, mudaria sua vida completamente e caso conseguissem cumprir seriam reconhecidos de uma forma diferenciada.
Pegaram suas coisas e tiveram reuniões para o conhecimento de cada um, alguns nem ligavam, não queriam se aproximar ou até mesmo se apegar ao colega, queriam apenas cumprir e ir embora. Afinal, será que não era o certo a fazer? Eis que cada começa a agir de sua maneira, não levando tanto em consideração em que todos pensavam.

"Não deixe o ódio te cegar, pois se isso acontecer você se torna seu pior inimigo." Pág. 157

Ao longo do caminho tudo estava tranquilo, mas não sabia o porquê e para onde estariam indo, Será que os enganaram? Eis um outro mistério que deixo no ar. Teriam que enfrentar tudo que tiveram medo, monstros que anos não eram vistos ou até mesmo enfrentados naquela região. Além disso, teriam que passar por um lugar que poucos conseguiram sobreviver, escuro e nebuloso, seria uma missão que mudaria a vida de todos que ali estavam.
Esse livro de certa maneira me surpreendeu bastante, a história é viciante e nos empolga a querer sempre mais e mais, o autor consegue terminar os capítulos com um mistério. Fazendo com o que não parássemos com a leitura. Manoel Batista tem uma escrita incrível e quero com toda certeza ler suas outras obras.
Em relação a edição, ela está impecável. O que realmente me atrapalhou para que demorasse tanto foi a questão da letra, ela é pequena, e para quem tem certo problema de visão e usa óculos não é nada fácil para isso. Demorei bastante tempo e confesso que queria ter terminado antes, o mistério estava me corroendo.

site: http://segredosliterarios-oficial.blogspot.com.br/2016/08/resenha-l-nildrien-o-pergaminho-manoel.html
comentários(0)comente



41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3